Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

João Rech

Galácticos Fishing Team
  • Total de itens

    424
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    2

Histórico de Reputação

  1. Haha
    João Rech recebeu reputação de FabianoTucunare em [Tucunaré Tyrorus - Recorde Mundial - Por Peso - 14lb 02oz] Peixe capturado pelo amigo João Rech.   
    Opa Fabiano
    Grato pelas tuas palavras. Sempre lembro da nossa pescaria juntos...ptzz vc não me poupou...pegou todos e eu só olhei a dança dos tucunas na tua iscas
    Grande abraço
  2. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Ricardo Nagatomo em [Tucunaré Tyrorus - Recorde Mundial - Por Peso - 14lb 02oz] Peixe capturado pelo amigo João Rech.   
    Grato Nagatomo.
    Sou suspeito em falar do Rio Trombetas...amo esse rio e sua diversidade de peixes e sua mata ciliar pesada.
    Abraços
  3. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Fabrício Biguá em [Tucunaré Tyrorus - Recorde Mundial - Por Peso - 14lb 02oz] Peixe capturado pelo amigo João Rech.   
    Opa Fabricio Bigua
     
    Grato pela postagem...devo dizer que você,  através do fórum foi o grande incentivador desse feito...iniciei pescar na amazônia apos ler teus relatos a seculos atras😃😅
    😅
    Grande abraço
  4. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Ibrahim em Iscas artificiais - quais as melhores ?   
  5. Thanks
    João Rech recebeu reputação de Homero Martins Neto em Rio Uatumã   
    Belo relato amigo Homero.
    Algumas coisas foram importantes nessa pescaria; a primeira foi de ter encontrado e conhecido esse grupo de Ipatinga (Homero, Henrique, Luiz, Fernando e Francisco ) e o Barbudo Thiago e seu pai Fernando e  seu amigo Francisco, um belo grupo de grandes amigos que jamais vou esquecer. Segundo foi o prazer de pescar neste belo rio amazônico que é o Uatumã, que embora estivesse cheio nos proporcionou belos momentos e bons peixes. Em terceiro, foi de perceber que no Uatumã estão fiscalizando com postos de fiscalização ao longo do rio para coibir a pesca predatória...esse fato muito me fez feliz...e quarto por ter pescado com piloteiros ( no meu caso o Cavalino ) que não mediram esforços para que a pesca fosse coroada de exito.
    Finalmente Homero e demais companheiros ( inclusive meu grande companheiro de barco - o Geraldo Kruger ) agradeço por terem dividido comigo momentos tão importantes...
    Valeu, Valeu, Valeu demais
    Abraços a todos
  6. Like
    João Rech recebeu reputação de Neto Terrin em UMA JORNADA NO TROMBETAS - OUT/2017   
    Opa Neto
    Grato pela postagem.
    Realmente cair na água é perigoso ainda mais no alto trombetas que é um rio raso e cheio de pedras. Felizmente sempre uso colete salva vidas auto-inflável
    o que me ajudou muito.
    Abraços
  7. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Ibrahim em Rio Uatumã - Encontrando os Pé na Cova 23/10/17 a 28/10/17   
    Belezura Ibrahim.
    Bons peixes até mesmo com  água nas alturas, mas valeu
    Parabéns comparsa
  8. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Ibrahim em UMA JORNADA NO TROMBETAS - OUT/2017   
    Ibraim meu velho amigo,
    Teria o maior prazer de pescar novamente com você....lembra que eu dizia das tuas façanhas...o único pescador que conheço que arremessa uma isca e troca ela durante o arremesso alegando que aquela isca arremessada não pega nada....kkkk....brincadeira Ibraim....foi demais pescarmos juntos
    Grande abraço 
  9. Like
    João Rech recebeu reputação de Fabrício Biguá em UMA JORNADA NO TROMBETAS - OUT/2017   
    Fabricio!
    Tuas palavras estufam meu peito. Tenho o maior respeito pela tua pessoa e pela tua conduta e posso dizer que aprendi muito nas tuas postagens
    principalmente com respeito a pesca amazônica....ainda estou engatinhando nos meus quase 70 anos. Se chego lá não sei, 
    mas estou a me esforçar
    Grato pelas tuas palavras, grande abraço.
  10. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Fabrício Biguá em UMA JORNADA NO TROMBETAS - OUT/2017   
    CONHECENDO UM POUCO DO RIO TROMBETAS:
     
    O Rio Trombetas se forma a partir de dois rios: O rio Cafuni, que nasce na Guiana e o rio Anamu, que nasce na fronteira da Guiana com o Suriname. Ao longo do seu curso recebe outros afluentes como o Rio do Velho e o Rio Coxi Pacoré. 
    Mapa da região abaixo.
     
                                                                                        
     
    Alto Trombetas:

                                                                                                                                                               Abaixo   aldeia Indígena do alto Trombetas

     
    Quando o Rio Trombetas chega a Cachoeira Porteira forma junto com os Rios Cachorro e Mapuera um rio navegável que vai escoar no rio Amazonas próximo a cidade de Santarém.
    Interessante notar que o Rio Trombetas tem características distintas e essas características se tornam evidentes a partir da Cachoeira Porteira. O AltoTrombetas acima da Cachoeira é um rio de águas correntes, com alguns poços e com um leito formado de muitas pedras tornando sua navegação muito complicada e somente feita em pequenos barcos e com pilongueiros locais experientes e conhecedores do rio. Já a partir da Cachoeira Porteira o Trombetas se torna francamente navegável até mesmo para navios de alto calado.
    BAIXO TROMBETAS:
    Rio Trombetas navegável
                                                
                                                                                
     
     
    A CACHOEIRA PORTEIRA:
    O regime dos peixes também se altera conforme o local do rio em que estamos. No alto trombetas o Tucunaré Tyrorus que é o tucunaré porteiro e só é encontrado acima da Cachoeira Porteira; já a baixo da cachoeira o Tucunaré encontrado é o Vazzoleri. Os hábitos alimentares dos peixes também variam de acordo com a localização do rio; acima da cachoeira os peixes, tipo Tucunaré Tyrorus, Trairões, Piranha Preta, Bicudas costuma caçar nas corredeiras, então pescar um tucunaré em água corrente não é a exceção. Pescar em galhadas e águas paradas é perda de tempo.


    As quatro fotos acima mostram a Cachoeira Porteira, um verdadeiro divisor de água e do habitat desta região da floresta Amazônica
    A POUSADA: " Alto Trombetas Lodje"
    Administrada pela "3H FISHING"  mais especificamente na pessoa do Jackes Hoffmam e de sua sócia Ana Franco; reuniu a organização alemã ao toque feminino da mulher formando um lugar que reúne bom gosto e atendimento especial. Não vou quantificar o Lodge em estrelas ou notas mas com segurança posso afirmar que é um lugar no meio da floresta como poucos. O que me encantou alem do tratamento dispensados aos pescadores  foi a amizade e do respeito que todos no lodge  nos dispensaram. A organização da cozinha e a higiene impressiona, a área de refeições, a limpeza do lodge  ( pequeno ajuste tem que ser feito controle dos insetos, não tem mosquitos ), arrumação dos aposentos, o estoque de bebidas ( água, cervejas e refrigerantes ), o estoque de gasolina e a conservação dos barcos. O tratamento dispensando ao pilongueiros é também um ponto alto. Enfim é um local muito gostoso de se passar uns dias e curtir. Abaixo umas fotos do Lodge.
                                                 

                                                                                                 
     
     
    ALTO TROMBETAS:
    Corredeiras:
    :
                                                                                                                 
                                                                                                          Igarapé de acesso ao alto Trombetas

     
    A FLORESTA E O ALMOÇO NO MATO:
    Toda pescaria tem como um dos seus pontos altos uma pausa para almoço no mato. Não pode faltar. É a hora de jogar fora conversa, de falar do peixes pegos na manhã, das pancadas violentas de peixes perdidos, da gozação com os parceiros, e diria em ultima análise é um momento único que tem que estar presente em qualquer pescaria. Meus companheiros e eu curtimos muito essa confraternização e fazemos dela um ritual de prazer e descanso contemplativo da natureza e de seus sons.
    O Almoço no mato aos pés da arvore milenar chamada  paracutaca não tem preço. No cardápio, peixe assado na brasa e carreteiro com sobra de costelão.
                          
                                                                                                                           Almoço dos deuses
                                                                                       
     
    ACAMPAMENTO DE CAÇA INDÍGENA:
    Infelizmente nós brancos introduzimos mais coisas ruins do que boas na cultura indígena  e dentre estas coisas ruins nós levamos a eles o hábito da poluição como mostra as fotos abaixo. Lamentável.

    Somos nós e a natureza pagando um alto preço pela nossa irresponsabilidade, e de nada adianta culpar o índio de um habito que nós brancos introduzimos na sua cultura.
     
    A PESCA:
    Como já vimos acima a pesca no Rio Trombetas é diferente da pesca de outros rios da bacia amazônica. No Rio Trombetas procuramos os peixes esportivos em agua rápidas em drop off de pedras próximas a correnteza, em pequenos remansos formados pelas pedras; não é incomum pescar o Tucunaré Tyrorus rodando na corredeira; até aonde vai meu conhecimento este é o único rio que este tipo de pesca acontece, e vale dizer que nas corredeiras podemos encontrar o trairão, a piranha preta e a bicuda. Como o peixe ataca em águas correntes com certeza sua pancada e sua força são multiplicados tornando os peixes muito violentos e fortes.
    Éramos 4 pescadores. Os amigos Marcos Pitol, Edmilson Oliveira, Geraldo Kruger e eu João A. Rech. Adotamos pescar exclusivamente com isca Hélice RechRoller, ( uma deferência especial dos meus amigos ).
    Marcos Pitol                                                                                                             Edmilson de Oliveira   

     
                                                                           Geraldo Kruger                                                                                            Rech
                                                                
     
     
     Algumas fotos dos peixes fisgados pelo amigo Marcos Pitol: " Que também se diz  conhecido como piloto de teste de iscas...ahahahaha"
     
                                                               
                                                              
        
     
                                                          
     
    Observem o pilongueiro Bilha trabalhando o e posicionando o barco com o remo.
                                                          
     
                                                           
     
                                                           
     
     
     
                                                            
                                                            
                                        
                                                                                   
                                                                                                          
    As próximas fotos são do amigo pescador Edmilson S. Oliveira:
     
                                   
                              
                                         
                                        
     
                                       
    Fotos do grande parceiro e amigo Geraldo kruger: ( O Geraldo trabalha como orientador e no translado de pescadores para Argentina )
                                                                                                                                      Duble e modéstia do Geraldo - tirou o companheiro (eu) da foto....kkkk
                          
     
                                                             
                                                         
     
     
                                                                                                                                                       
                                                                    
                                                                  
    Trairão: o local aonde foi fisgado ( na corredeira ).
     
                                                                  
                                                                   
                                                     
    Fotos deste que publica o pôster:
                                                             
                                                                     
                                                                         
                                                                    
                                                                     
          
                                                                       
     
     
                                                                           
                                                                        
                 
                                                                                                      
     
    História de pescador:
    Ultimo dia de pesca meu amigo Geraldo Kruger e eu juntamente com o experiente pilongueiro Bilha resolvemos descer o rio. Rodamos hora e meia e nada de peixe. As 9.30h da manhã abandonamos a ideia de descer o rio e resolvemos subir. Lá se foi hora e meia subindo. Chegamos a um local chamado pelos locais de Rio da Festa e reiniciamos a nossa pescaria. Pescamos nas corredeiras próxima uma pequena cachoeira e não tivemos ação. Nosso pilongueiro resolveu descer o rio pela corredeira enquanto nós linhavamos próximo as pedras. Não demorou, fisguei um bruto trairão numa isca RechRolller Rio Aracá vermelha e preta, foi uma briga maravilhosa em plena corredeira. Quando o trairão emergiu vimos que o mesmo estava com a linha atravessada na boca. Nosso pilongueiro Bilha largou do remo com o  qual direcionava o barco e correu para frente do barco afim de trazer o trairão para dentro do barco. Pegou o trairão no boga grip e o levantou, com uma cabeçada o trairão tirou o boga da mão do Bilha e caiu no barco. Era o trairão esperneando e nosso pilongueiro pulando como pipoca (único pilongueiro pipoca do mundo que que eu conheço, rsrsrs) se desvencilhando dos dentes do bicho. Diz meu amigo Geraldo que tentou gritar “olha a pedra” (acho que não gritou de sacanagem...ahahahah) a proa do barco bateu na pedra e mergulhei. Foi o tombo perfeito na água... ahahahaha. Mas na hora ninguém gargalhou...o susto foi grande. Para minha sorte o colete salva vida auto-inflável (sempre uso)  inflou assim que bateu na água e desta forma ele me protegeu de bater com a cabeça nas pedras e ao mesmo tempo me trouxe a superfície....que belo tombo...e que belo susto; mas passado e o retornar a realidade foi muito gostoso. Fisguei um trairão bitelo na corredeira com uma pancada inesquecível e ainda de quebra tomei banho...isso não tem preço
    Imagens do episódio:
                                                                                                  
                                                                             
                                                                                              Hélice destruída após a pancado de um trairão de 10,3kg
                                                                             
    Enquanto estava no fundo da água me debatendo pensava: o que estou fazendo aqui, que diabo de merda é essa, olha me crok descendo a corredeira, me debatia desesperado  e não lembrava que estava com o colete salva-vidas, foi um desespero sókkkkkkkkkkk
    O que ficou foi a lição e a lembrança: o trairão é um peixe violento e sempre quando içado para o barco dá cabeçadas violentas. A lição que tive é que tirar as fotos de um  trairão deve ser reservada para quando tivermos o bicho dominado com segurança e com todo cuidado. Melhor deixa o compartimento do barco limpo de varas e outra coisas porque na hora da confusão estamos sujeitos a quebrar nosso material de pesca.
     
     NOTA:  1 - Os peixes que aparecem nas fotos continuam lá misturados nas     
                       águas.
                 2 – Todos os peixes foram pescados nas iscas hélices  RechRoller
                       
     Fotos das iscas e do material de pesca:                                                                           Iscas como eram
     

     
                                                                                                                                     Iscas como ficaram:
                                                                                                  
                                   
                                                                 
                                                 Uma memória que fica dos peixes que tanta alegria nos deu e que continuam lá misturados entre as pedras e as águas.
                                                                                                                   
    AGRADECIMENTO ESPECIAL:
    Quero aqui externar minha mais profunda gratidão aos pilongueiros verdadeiros batalhadores e mestres na condução dos barcos no meio das pedras. Sem dúvida nenhuma o pilongueiro faz a diferença na pescaria, mas essa diferença se sobre sai muito mais  no Tio trombetas. Primeiro porque o pilongueiro tem que ser exímio conhecedor do “caminho das pedras” porque o alto trombetas é um labirinto de pedras. Segundo porque o pilongueiro tem que ser incansável para passar dias e dias remando em corredeiras sem auxílio de motor elétrico. Em terceiro pelo alto conhecimento que eles tem na leitura do rio nos colocando na cara dos peixes a todo momento.
    Entao, aos Pilongueiros Bilha e  Malhadeira  meu mais profundo respeito a vocês e meu agradecimento do fundo do peito pelo que  fizeram para que nossa pescaria fosse a mais agradável e produtiva possível. Valeuuuuu.
                                                                            Bilha                                                               Malhadeira
                                                      
     
     NOTA:  1 - Os peixes que aparecem nas fotos continuam lá misturados nas  águas.
                 2 – Todos os peixes foram pescados nas iscas hélices  RechRoller
                       
     
    E PARA FINALIZAR:
    NOSSOS RIOS AMAZÔNICOS SÃO VERDADEIROS SANTUÁRIOS E O RIO TROMBETAS EM PARTICULAR PELA LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA E PELAS PARTICULARIDADE LOCAIS O TORNAM UM RIO EXTRAORDINÁRIO, É UM LUGAR COMO POUCOS NO UNIVERSO. ENTÃO EU DIRIA QUE UM LUGAR ASSIM MERECE DE NÓS PESCADORES ESPORTIVOS   SEJAMOS COMO OS ANIMAIS - " IRRACIONAIS " - E PRESERVEMOS  O SANTUÁRIO AMAZÔNICO PORQUE SÓ  É RESERVADO O DIREITO DE POLUIR E DESTRUIR  " AOS SERES HUMANOS INTELIGENTES, SÁBIOS E RACIONAIS."
     
                                                                                                   ABAIXO IMAGENS ABAIXO RETIRADAS DA INTERNET
     
          
     
                                                              
                                                               
                                                                                                          
                                                                                       
     
     
     
                                                                                                      
     
    OBRIGADO A TODOS
                










  11. Upvote
    João Rech recebeu reputação de FabianoTucunare em UMA JORNADA NO TROMBETAS - OUT/2017   
    Fabiano meu velho, que bom te ler meu amigo.
    Sempre lembro de nossa jornada em SIRN.
    Grato pelas tuas palavras.
  12. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Fernando_Oliveira em UMA JORNADA NO TROMBETAS - OUT/2017   
    CONHECENDO UM POUCO DO RIO TROMBETAS:
     
    O Rio Trombetas se forma a partir de dois rios: O rio Cafuni, que nasce na Guiana e o rio Anamu, que nasce na fronteira da Guiana com o Suriname. Ao longo do seu curso recebe outros afluentes como o Rio do Velho e o Rio Coxi Pacoré. 
    Mapa da região abaixo.
     
                                                                                        
     
    Alto Trombetas:

                                                                                                                                                               Abaixo   aldeia Indígena do alto Trombetas

     
    Quando o Rio Trombetas chega a Cachoeira Porteira forma junto com os Rios Cachorro e Mapuera um rio navegável que vai escoar no rio Amazonas próximo a cidade de Santarém.
    Interessante notar que o Rio Trombetas tem características distintas e essas características se tornam evidentes a partir da Cachoeira Porteira. O AltoTrombetas acima da Cachoeira é um rio de águas correntes, com alguns poços e com um leito formado de muitas pedras tornando sua navegação muito complicada e somente feita em pequenos barcos e com pilongueiros locais experientes e conhecedores do rio. Já a partir da Cachoeira Porteira o Trombetas se torna francamente navegável até mesmo para navios de alto calado.
    BAIXO TROMBETAS:
    Rio Trombetas navegável
                                                
                                                                                
     
     
    A CACHOEIRA PORTEIRA:
    O regime dos peixes também se altera conforme o local do rio em que estamos. No alto trombetas o Tucunaré Tyrorus que é o tucunaré porteiro e só é encontrado acima da Cachoeira Porteira; já a baixo da cachoeira o Tucunaré encontrado é o Vazzoleri. Os hábitos alimentares dos peixes também variam de acordo com a localização do rio; acima da cachoeira os peixes, tipo Tucunaré Tyrorus, Trairões, Piranha Preta, Bicudas costuma caçar nas corredeiras, então pescar um tucunaré em água corrente não é a exceção. Pescar em galhadas e águas paradas é perda de tempo.


    As quatro fotos acima mostram a Cachoeira Porteira, um verdadeiro divisor de água e do habitat desta região da floresta Amazônica
    A POUSADA: " Alto Trombetas Lodje"
    Administrada pela "3H FISHING"  mais especificamente na pessoa do Jackes Hoffmam e de sua sócia Ana Franco; reuniu a organização alemã ao toque feminino da mulher formando um lugar que reúne bom gosto e atendimento especial. Não vou quantificar o Lodge em estrelas ou notas mas com segurança posso afirmar que é um lugar no meio da floresta como poucos. O que me encantou alem do tratamento dispensados aos pescadores  foi a amizade e do respeito que todos no lodge  nos dispensaram. A organização da cozinha e a higiene impressiona, a área de refeições, a limpeza do lodge  ( pequeno ajuste tem que ser feito controle dos insetos, não tem mosquitos ), arrumação dos aposentos, o estoque de bebidas ( água, cervejas e refrigerantes ), o estoque de gasolina e a conservação dos barcos. O tratamento dispensando ao pilongueiros é também um ponto alto. Enfim é um local muito gostoso de se passar uns dias e curtir. Abaixo umas fotos do Lodge.
                                                 

                                                                                                 
     
     
    ALTO TROMBETAS:
    Corredeiras:
    :
                                                                                                                 
                                                                                                          Igarapé de acesso ao alto Trombetas

     
    A FLORESTA E O ALMOÇO NO MATO:
    Toda pescaria tem como um dos seus pontos altos uma pausa para almoço no mato. Não pode faltar. É a hora de jogar fora conversa, de falar do peixes pegos na manhã, das pancadas violentas de peixes perdidos, da gozação com os parceiros, e diria em ultima análise é um momento único que tem que estar presente em qualquer pescaria. Meus companheiros e eu curtimos muito essa confraternização e fazemos dela um ritual de prazer e descanso contemplativo da natureza e de seus sons.
    O Almoço no mato aos pés da arvore milenar chamada  paracutaca não tem preço. No cardápio, peixe assado na brasa e carreteiro com sobra de costelão.
                          
                                                                                                                           Almoço dos deuses
                                                                                       
     
    ACAMPAMENTO DE CAÇA INDÍGENA:
    Infelizmente nós brancos introduzimos mais coisas ruins do que boas na cultura indígena  e dentre estas coisas ruins nós levamos a eles o hábito da poluição como mostra as fotos abaixo. Lamentável.

    Somos nós e a natureza pagando um alto preço pela nossa irresponsabilidade, e de nada adianta culpar o índio de um habito que nós brancos introduzimos na sua cultura.
     
    A PESCA:
    Como já vimos acima a pesca no Rio Trombetas é diferente da pesca de outros rios da bacia amazônica. No Rio Trombetas procuramos os peixes esportivos em agua rápidas em drop off de pedras próximas a correnteza, em pequenos remansos formados pelas pedras; não é incomum pescar o Tucunaré Tyrorus rodando na corredeira; até aonde vai meu conhecimento este é o único rio que este tipo de pesca acontece, e vale dizer que nas corredeiras podemos encontrar o trairão, a piranha preta e a bicuda. Como o peixe ataca em águas correntes com certeza sua pancada e sua força são multiplicados tornando os peixes muito violentos e fortes.
    Éramos 4 pescadores. Os amigos Marcos Pitol, Edmilson Oliveira, Geraldo Kruger e eu João A. Rech. Adotamos pescar exclusivamente com isca Hélice RechRoller, ( uma deferência especial dos meus amigos ).
    Marcos Pitol                                                                                                             Edmilson de Oliveira   

     
                                                                           Geraldo Kruger                                                                                            Rech
                                                                
     
     
     Algumas fotos dos peixes fisgados pelo amigo Marcos Pitol: " Que também se diz  conhecido como piloto de teste de iscas...ahahahaha"
     
                                                               
                                                              
        
     
                                                          
     
    Observem o pilongueiro Bilha trabalhando o e posicionando o barco com o remo.
                                                          
     
                                                           
     
                                                           
     
     
     
                                                            
                                                            
                                        
                                                                                   
                                                                                                          
    As próximas fotos são do amigo pescador Edmilson S. Oliveira:
     
                                   
                              
                                         
                                        
     
                                       
    Fotos do grande parceiro e amigo Geraldo kruger: ( O Geraldo trabalha como orientador e no translado de pescadores para Argentina )
                                                                                                                                      Duble e modéstia do Geraldo - tirou o companheiro (eu) da foto....kkkk
                          
     
                                                             
                                                         
     
     
                                                                                                                                                       
                                                                    
                                                                  
    Trairão: o local aonde foi fisgado ( na corredeira ).
     
                                                                  
                                                                   
                                                     
    Fotos deste que publica o pôster:
                                                             
                                                                     
                                                                         
                                                                    
                                                                     
          
                                                                       
     
     
                                                                           
                                                                        
                 
                                                                                                      
     
    História de pescador:
    Ultimo dia de pesca meu amigo Geraldo Kruger e eu juntamente com o experiente pilongueiro Bilha resolvemos descer o rio. Rodamos hora e meia e nada de peixe. As 9.30h da manhã abandonamos a ideia de descer o rio e resolvemos subir. Lá se foi hora e meia subindo. Chegamos a um local chamado pelos locais de Rio da Festa e reiniciamos a nossa pescaria. Pescamos nas corredeiras próxima uma pequena cachoeira e não tivemos ação. Nosso pilongueiro resolveu descer o rio pela corredeira enquanto nós linhavamos próximo as pedras. Não demorou, fisguei um bruto trairão numa isca RechRolller Rio Aracá vermelha e preta, foi uma briga maravilhosa em plena corredeira. Quando o trairão emergiu vimos que o mesmo estava com a linha atravessada na boca. Nosso pilongueiro Bilha largou do remo com o  qual direcionava o barco e correu para frente do barco afim de trazer o trairão para dentro do barco. Pegou o trairão no boga grip e o levantou, com uma cabeçada o trairão tirou o boga da mão do Bilha e caiu no barco. Era o trairão esperneando e nosso pilongueiro pulando como pipoca (único pilongueiro pipoca do mundo que que eu conheço, rsrsrs) se desvencilhando dos dentes do bicho. Diz meu amigo Geraldo que tentou gritar “olha a pedra” (acho que não gritou de sacanagem...ahahahah) a proa do barco bateu na pedra e mergulhei. Foi o tombo perfeito na água... ahahahaha. Mas na hora ninguém gargalhou...o susto foi grande. Para minha sorte o colete salva vida auto-inflável (sempre uso)  inflou assim que bateu na água e desta forma ele me protegeu de bater com a cabeça nas pedras e ao mesmo tempo me trouxe a superfície....que belo tombo...e que belo susto; mas passado e o retornar a realidade foi muito gostoso. Fisguei um trairão bitelo na corredeira com uma pancada inesquecível e ainda de quebra tomei banho...isso não tem preço
    Imagens do episódio:
                                                                                                  
                                                                             
                                                                                              Hélice destruída após a pancado de um trairão de 10,3kg
                                                                             
    Enquanto estava no fundo da água me debatendo pensava: o que estou fazendo aqui, que diabo de merda é essa, olha me crok descendo a corredeira, me debatia desesperado  e não lembrava que estava com o colete salva-vidas, foi um desespero sókkkkkkkkkkk
    O que ficou foi a lição e a lembrança: o trairão é um peixe violento e sempre quando içado para o barco dá cabeçadas violentas. A lição que tive é que tirar as fotos de um  trairão deve ser reservada para quando tivermos o bicho dominado com segurança e com todo cuidado. Melhor deixa o compartimento do barco limpo de varas e outra coisas porque na hora da confusão estamos sujeitos a quebrar nosso material de pesca.
     
     NOTA:  1 - Os peixes que aparecem nas fotos continuam lá misturados nas     
                       águas.
                 2 – Todos os peixes foram pescados nas iscas hélices  RechRoller
                       
     Fotos das iscas e do material de pesca:                                                                           Iscas como eram
     

     
                                                                                                                                     Iscas como ficaram:
                                                                                                  
                                   
                                                                 
                                                 Uma memória que fica dos peixes que tanta alegria nos deu e que continuam lá misturados entre as pedras e as águas.
                                                                                                                   
    AGRADECIMENTO ESPECIAL:
    Quero aqui externar minha mais profunda gratidão aos pilongueiros verdadeiros batalhadores e mestres na condução dos barcos no meio das pedras. Sem dúvida nenhuma o pilongueiro faz a diferença na pescaria, mas essa diferença se sobre sai muito mais  no Tio trombetas. Primeiro porque o pilongueiro tem que ser exímio conhecedor do “caminho das pedras” porque o alto trombetas é um labirinto de pedras. Segundo porque o pilongueiro tem que ser incansável para passar dias e dias remando em corredeiras sem auxílio de motor elétrico. Em terceiro pelo alto conhecimento que eles tem na leitura do rio nos colocando na cara dos peixes a todo momento.
    Entao, aos Pilongueiros Bilha e  Malhadeira  meu mais profundo respeito a vocês e meu agradecimento do fundo do peito pelo que  fizeram para que nossa pescaria fosse a mais agradável e produtiva possível. Valeuuuuu.
                                                                            Bilha                                                               Malhadeira
                                                      
     
     NOTA:  1 - Os peixes que aparecem nas fotos continuam lá misturados nas  águas.
                 2 – Todos os peixes foram pescados nas iscas hélices  RechRoller
                       
     
    E PARA FINALIZAR:
    NOSSOS RIOS AMAZÔNICOS SÃO VERDADEIROS SANTUÁRIOS E O RIO TROMBETAS EM PARTICULAR PELA LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA E PELAS PARTICULARIDADE LOCAIS O TORNAM UM RIO EXTRAORDINÁRIO, É UM LUGAR COMO POUCOS NO UNIVERSO. ENTÃO EU DIRIA QUE UM LUGAR ASSIM MERECE DE NÓS PESCADORES ESPORTIVOS   SEJAMOS COMO OS ANIMAIS - " IRRACIONAIS " - E PRESERVEMOS  O SANTUÁRIO AMAZÔNICO PORQUE SÓ  É RESERVADO O DIREITO DE POLUIR E DESTRUIR  " AOS SERES HUMANOS INTELIGENTES, SÁBIOS E RACIONAIS."
     
                                                                                                   ABAIXO IMAGENS ABAIXO RETIRADAS DA INTERNET
     
          
     
                                                              
                                                               
                                                                                                          
                                                                                       
     
     
     
                                                                                                      
     
    OBRIGADO A TODOS
                










  13. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Eder Nascimento em UMA JORNADA NO TROMBETAS - OUT/2017   
    CONHECENDO UM POUCO DO RIO TROMBETAS:
     
    O Rio Trombetas se forma a partir de dois rios: O rio Cafuni, que nasce na Guiana e o rio Anamu, que nasce na fronteira da Guiana com o Suriname. Ao longo do seu curso recebe outros afluentes como o Rio do Velho e o Rio Coxi Pacoré. 
    Mapa da região abaixo.
     
                                                                                        
     
    Alto Trombetas:

                                                                                                                                                               Abaixo   aldeia Indígena do alto Trombetas

     
    Quando o Rio Trombetas chega a Cachoeira Porteira forma junto com os Rios Cachorro e Mapuera um rio navegável que vai escoar no rio Amazonas próximo a cidade de Santarém.
    Interessante notar que o Rio Trombetas tem características distintas e essas características se tornam evidentes a partir da Cachoeira Porteira. O AltoTrombetas acima da Cachoeira é um rio de águas correntes, com alguns poços e com um leito formado de muitas pedras tornando sua navegação muito complicada e somente feita em pequenos barcos e com pilongueiros locais experientes e conhecedores do rio. Já a partir da Cachoeira Porteira o Trombetas se torna francamente navegável até mesmo para navios de alto calado.
    BAIXO TROMBETAS:
    Rio Trombetas navegável
                                                
                                                                                
     
     
    A CACHOEIRA PORTEIRA:
    O regime dos peixes também se altera conforme o local do rio em que estamos. No alto trombetas o Tucunaré Tyrorus que é o tucunaré porteiro e só é encontrado acima da Cachoeira Porteira; já a baixo da cachoeira o Tucunaré encontrado é o Vazzoleri. Os hábitos alimentares dos peixes também variam de acordo com a localização do rio; acima da cachoeira os peixes, tipo Tucunaré Tyrorus, Trairões, Piranha Preta, Bicudas costuma caçar nas corredeiras, então pescar um tucunaré em água corrente não é a exceção. Pescar em galhadas e águas paradas é perda de tempo.


    As quatro fotos acima mostram a Cachoeira Porteira, um verdadeiro divisor de água e do habitat desta região da floresta Amazônica
    A POUSADA: " Alto Trombetas Lodje"
    Administrada pela "3H FISHING"  mais especificamente na pessoa do Jackes Hoffmam e de sua sócia Ana Franco; reuniu a organização alemã ao toque feminino da mulher formando um lugar que reúne bom gosto e atendimento especial. Não vou quantificar o Lodge em estrelas ou notas mas com segurança posso afirmar que é um lugar no meio da floresta como poucos. O que me encantou alem do tratamento dispensados aos pescadores  foi a amizade e do respeito que todos no lodge  nos dispensaram. A organização da cozinha e a higiene impressiona, a área de refeições, a limpeza do lodge  ( pequeno ajuste tem que ser feito controle dos insetos, não tem mosquitos ), arrumação dos aposentos, o estoque de bebidas ( água, cervejas e refrigerantes ), o estoque de gasolina e a conservação dos barcos. O tratamento dispensando ao pilongueiros é também um ponto alto. Enfim é um local muito gostoso de se passar uns dias e curtir. Abaixo umas fotos do Lodge.
                                                 

                                                                                                 
     
     
    ALTO TROMBETAS:
    Corredeiras:
    :
                                                                                                                 
                                                                                                          Igarapé de acesso ao alto Trombetas

     
    A FLORESTA E O ALMOÇO NO MATO:
    Toda pescaria tem como um dos seus pontos altos uma pausa para almoço no mato. Não pode faltar. É a hora de jogar fora conversa, de falar do peixes pegos na manhã, das pancadas violentas de peixes perdidos, da gozação com os parceiros, e diria em ultima análise é um momento único que tem que estar presente em qualquer pescaria. Meus companheiros e eu curtimos muito essa confraternização e fazemos dela um ritual de prazer e descanso contemplativo da natureza e de seus sons.
    O Almoço no mato aos pés da arvore milenar chamada  paracutaca não tem preço. No cardápio, peixe assado na brasa e carreteiro com sobra de costelão.
                          
                                                                                                                           Almoço dos deuses
                                                                                       
     
    ACAMPAMENTO DE CAÇA INDÍGENA:
    Infelizmente nós brancos introduzimos mais coisas ruins do que boas na cultura indígena  e dentre estas coisas ruins nós levamos a eles o hábito da poluição como mostra as fotos abaixo. Lamentável.

    Somos nós e a natureza pagando um alto preço pela nossa irresponsabilidade, e de nada adianta culpar o índio de um habito que nós brancos introduzimos na sua cultura.
     
    A PESCA:
    Como já vimos acima a pesca no Rio Trombetas é diferente da pesca de outros rios da bacia amazônica. No Rio Trombetas procuramos os peixes esportivos em agua rápidas em drop off de pedras próximas a correnteza, em pequenos remansos formados pelas pedras; não é incomum pescar o Tucunaré Tyrorus rodando na corredeira; até aonde vai meu conhecimento este é o único rio que este tipo de pesca acontece, e vale dizer que nas corredeiras podemos encontrar o trairão, a piranha preta e a bicuda. Como o peixe ataca em águas correntes com certeza sua pancada e sua força são multiplicados tornando os peixes muito violentos e fortes.
    Éramos 4 pescadores. Os amigos Marcos Pitol, Edmilson Oliveira, Geraldo Kruger e eu João A. Rech. Adotamos pescar exclusivamente com isca Hélice RechRoller, ( uma deferência especial dos meus amigos ).
    Marcos Pitol                                                                                                             Edmilson de Oliveira   

     
                                                                           Geraldo Kruger                                                                                            Rech
                                                                
     
     
     Algumas fotos dos peixes fisgados pelo amigo Marcos Pitol: " Que também se diz  conhecido como piloto de teste de iscas...ahahahaha"
     
                                                               
                                                              
        
     
                                                          
     
    Observem o pilongueiro Bilha trabalhando o e posicionando o barco com o remo.
                                                          
     
                                                           
     
                                                           
     
     
     
                                                            
                                                            
                                        
                                                                                   
                                                                                                          
    As próximas fotos são do amigo pescador Edmilson S. Oliveira:
     
                                   
                              
                                         
                                        
     
                                       
    Fotos do grande parceiro e amigo Geraldo kruger: ( O Geraldo trabalha como orientador e no translado de pescadores para Argentina )
                                                                                                                                      Duble e modéstia do Geraldo - tirou o companheiro (eu) da foto....kkkk
                          
     
                                                             
                                                         
     
     
                                                                                                                                                       
                                                                    
                                                                  
    Trairão: o local aonde foi fisgado ( na corredeira ).
     
                                                                  
                                                                   
                                                     
    Fotos deste que publica o pôster:
                                                             
                                                                     
                                                                         
                                                                    
                                                                     
          
                                                                       
     
     
                                                                           
                                                                        
                 
                                                                                                      
     
    História de pescador:
    Ultimo dia de pesca meu amigo Geraldo Kruger e eu juntamente com o experiente pilongueiro Bilha resolvemos descer o rio. Rodamos hora e meia e nada de peixe. As 9.30h da manhã abandonamos a ideia de descer o rio e resolvemos subir. Lá se foi hora e meia subindo. Chegamos a um local chamado pelos locais de Rio da Festa e reiniciamos a nossa pescaria. Pescamos nas corredeiras próxima uma pequena cachoeira e não tivemos ação. Nosso pilongueiro resolveu descer o rio pela corredeira enquanto nós linhavamos próximo as pedras. Não demorou, fisguei um bruto trairão numa isca RechRolller Rio Aracá vermelha e preta, foi uma briga maravilhosa em plena corredeira. Quando o trairão emergiu vimos que o mesmo estava com a linha atravessada na boca. Nosso pilongueiro Bilha largou do remo com o  qual direcionava o barco e correu para frente do barco afim de trazer o trairão para dentro do barco. Pegou o trairão no boga grip e o levantou, com uma cabeçada o trairão tirou o boga da mão do Bilha e caiu no barco. Era o trairão esperneando e nosso pilongueiro pulando como pipoca (único pilongueiro pipoca do mundo que que eu conheço, rsrsrs) se desvencilhando dos dentes do bicho. Diz meu amigo Geraldo que tentou gritar “olha a pedra” (acho que não gritou de sacanagem...ahahahah) a proa do barco bateu na pedra e mergulhei. Foi o tombo perfeito na água... ahahahaha. Mas na hora ninguém gargalhou...o susto foi grande. Para minha sorte o colete salva vida auto-inflável (sempre uso)  inflou assim que bateu na água e desta forma ele me protegeu de bater com a cabeça nas pedras e ao mesmo tempo me trouxe a superfície....que belo tombo...e que belo susto; mas passado e o retornar a realidade foi muito gostoso. Fisguei um trairão bitelo na corredeira com uma pancada inesquecível e ainda de quebra tomei banho...isso não tem preço
    Imagens do episódio:
                                                                                                  
                                                                             
                                                                                              Hélice destruída após a pancado de um trairão de 10,3kg
                                                                             
    Enquanto estava no fundo da água me debatendo pensava: o que estou fazendo aqui, que diabo de merda é essa, olha me crok descendo a corredeira, me debatia desesperado  e não lembrava que estava com o colete salva-vidas, foi um desespero sókkkkkkkkkkk
    O que ficou foi a lição e a lembrança: o trairão é um peixe violento e sempre quando içado para o barco dá cabeçadas violentas. A lição que tive é que tirar as fotos de um  trairão deve ser reservada para quando tivermos o bicho dominado com segurança e com todo cuidado. Melhor deixa o compartimento do barco limpo de varas e outra coisas porque na hora da confusão estamos sujeitos a quebrar nosso material de pesca.
     
     NOTA:  1 - Os peixes que aparecem nas fotos continuam lá misturados nas     
                       águas.
                 2 – Todos os peixes foram pescados nas iscas hélices  RechRoller
                       
     Fotos das iscas e do material de pesca:                                                                           Iscas como eram
     

     
                                                                                                                                     Iscas como ficaram:
                                                                                                  
                                   
                                                                 
                                                 Uma memória que fica dos peixes que tanta alegria nos deu e que continuam lá misturados entre as pedras e as águas.
                                                                                                                   
    AGRADECIMENTO ESPECIAL:
    Quero aqui externar minha mais profunda gratidão aos pilongueiros verdadeiros batalhadores e mestres na condução dos barcos no meio das pedras. Sem dúvida nenhuma o pilongueiro faz a diferença na pescaria, mas essa diferença se sobre sai muito mais  no Tio trombetas. Primeiro porque o pilongueiro tem que ser exímio conhecedor do “caminho das pedras” porque o alto trombetas é um labirinto de pedras. Segundo porque o pilongueiro tem que ser incansável para passar dias e dias remando em corredeiras sem auxílio de motor elétrico. Em terceiro pelo alto conhecimento que eles tem na leitura do rio nos colocando na cara dos peixes a todo momento.
    Entao, aos Pilongueiros Bilha e  Malhadeira  meu mais profundo respeito a vocês e meu agradecimento do fundo do peito pelo que  fizeram para que nossa pescaria fosse a mais agradável e produtiva possível. Valeuuuuu.
                                                                            Bilha                                                               Malhadeira
                                                      
     
     NOTA:  1 - Os peixes que aparecem nas fotos continuam lá misturados nas  águas.
                 2 – Todos os peixes foram pescados nas iscas hélices  RechRoller
                       
     
    E PARA FINALIZAR:
    NOSSOS RIOS AMAZÔNICOS SÃO VERDADEIROS SANTUÁRIOS E O RIO TROMBETAS EM PARTICULAR PELA LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA E PELAS PARTICULARIDADE LOCAIS O TORNAM UM RIO EXTRAORDINÁRIO, É UM LUGAR COMO POUCOS NO UNIVERSO. ENTÃO EU DIRIA QUE UM LUGAR ASSIM MERECE DE NÓS PESCADORES ESPORTIVOS   SEJAMOS COMO OS ANIMAIS - " IRRACIONAIS " - E PRESERVEMOS  O SANTUÁRIO AMAZÔNICO PORQUE SÓ  É RESERVADO O DIREITO DE POLUIR E DESTRUIR  " AOS SERES HUMANOS INTELIGENTES, SÁBIOS E RACIONAIS."
     
                                                                                                   ABAIXO IMAGENS ABAIXO RETIRADAS DA INTERNET
     
          
     
                                                              
                                                               
                                                                                                          
                                                                                       
     
     
     
                                                                                                      
     
    OBRIGADO A TODOS
                










  14. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Fabrício Biguá em 10 Dicas de Ouro para se fisgar um tucunaré amazônico.   
    Ressuscitando o tópico devido sua relevância gostaria de acrescentar uma 11ª dica.
     
    11º PRIMEIRA REGRA PARA FISGAR O TUCUNARÉ AMAZONICO:

    O  amigo Fabricio Bigua escreveu com muita propriedade as 10 primeiras regras para fisgar o Tucunaré amazônico. Deixou uma de fora, não por desconhecer, mas porque lhe passou batido e não colocou no papel. Digo isso porque se a memória não me trai já li em algum outro post o mesmo Fabricio falando a respeito, mas só não colocou no papel de forma a ser ressaltada dando  a sua real  importância. Aliás, outros grandes pescadores do fórum fizeram observações semelhantes, mas não deram a ênfase devida. Então vamos lá:

    Quando o pilongueiro chega a um lugar promissor eleja  o ponto  que você acha que é aonde o tucunaré ira atacar. Uma vez eleito o ponto achado ideal, insistam persista volte a insistir e persistir sem medo de ser feliz. O  bocudo está ai ou nas imediações e  a isca hélice ira atrai-lo. Particularmente não me agrada a famosa colocação de fazer uma varredura do local em leque porque a meu ver isso acaba por confundir o peixe que hora ouve o barulho num ponto ora no outro e acaba por gerar uma confusão no peixe que fica sem saber em que ponto estará a isca no momento seguinte. É raro se pegar um bocudo já no  primeiro arremesso pelo menos eu não tenho essa sorte. Mas, já peguei bocudo que havia batido no mato e insistindo no mesmo lugar acabei por chamar  e fisgar o Tucunaré após ter arremessado mais de 40 vezes no mesmo local. Em outras vezes fisguei após 25 arremessos e em outras após 10 arremessos. Então a 11ª dica é INSISTIR E PERSISTIR.

    OBSERVAÇÃO: Li muitas vezes as 10 dicas escritas pelo Fabricio e não canso de lê-las fazem parte do meu acervo de travesseiro. Elas foram em ultima analise o meu incentivo para pescar na Amazônia.


    Abraço a todos
  15. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Ibrahim em Primeira vez em Santa Izabel do Rio Negro - 30/09 a 06/10 - Barco Angatu.   
    Opa amigo Ibraim
    Show tuas fotos...mas show mesmo foi ter vc e mais 11 companheiros  de pescaria...valeu de mais.
    Revendo as fotos percebo que todos pegaram seus peixes embora os maiores ficassem devendo, mas valeu muito
    Grandes companheiros....boas risadas...muitos novos amigos
     
    show show show
    Abraços
  16. Upvote
    João Rech recebeu reputação de Ibrahim em Primeira vez em Santa Izabel do Rio Negro - 30/09 a 06/10 - Barco Angatu.   
    Opa Fabricio 
    Foi muito bom conhecer você e ao teu pai no aeroporto de SIRN.
    Conhecer amigos pessoalmente mesmo que só de passagem por um aeroporto próximo ao fim do mundo
    tem um sabor todo especial. 
    Quem sabe um dia possamos partilhar do mesmo barco e separar uns bocudos da água ....rsss
     
    Abraços
  17. Downvote
    João Rech deu reputação a Ibrahim em Primeira vez em Santa Izabel do Rio Negro - 30/09 a 06/10 - Barco Angatu.   
    Rech,
    Sua companhia nesta pescaria foi de grande ensinamento para todos e suas hélices foram as que mais pegaram, sem duvida as melhores e mais equilibradas de todas as hélices que conheço, parabéns!
    Obrigado meu amigo
     
×
×
  • Criar Novo...