Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

Pinguim

Membro
  • Total de itens

    2.483
  • Registro em

  • Última visita


Histórico de Reputação

  1. Upvote
    Pinguim recebeu reputação de Beto Caranha em Pesca no Jurubaxi, quem já foi?   
    Onde eu estava que perdi isso?
    Parabéns Betão trabalhou certo, panos limpos é bom saber!
  2. Upvote
    Pinguim recebeu reputação de Lorena Almeida em Caixa de pesca ou bolsa???   
    Aproveitando o tópico, minha Bolsa plano que usei durante 4 anos estourou e estou querendo adiquirir uma bolsa nova! Gostei de uma Rapala Tackle Bag mas queria informações de quem a possui, Ela tem o fundo emborrachado ou rígido? É realmente ipermeável? O tecido é resistente? Gostei também da MTK Premium Plus GG que parece que é ipermeável também mas queria saber quantos estojos plano 3700 cabe nela! Alguém tem mais alguma sugestão de bolsas fora as já citadas nesse tópico?
    Abraço!
  3. Upvote
    Pinguim deu reputação a Beto Caranha em Amazônia 2016 - Grupo de amigos dá um drible no repiquete   
    Esse não é um relato que vai te mostrar inúmeras fotos de "peixões" mas sim a felicidade de um grupo de amigos em plena Amazônia.
     
    Tentarei compensar mostrando tudo que fizemos para driblar o terrível repiquete (subida repentina das águas) e  como é possível se fazer um boa pescaria mesmo com condições tão adversas!
     
    Tudo começou há um ano quando reservamos a data da pescaria com o nosso amigo, o operador Allen Gadelha. Há três anos, o Allen vem honrando todos os compromissos conosco e por isso sempre estou pescando com ele e o recomendo com louvor!
     
    Para esse ano nosso grupo teve 2 "baixas"... O Amâncio de casamento marcado ainda para esse mês não poderia ( Felicidades amigo, ano que vem estaremos juntos) e o Cristiano Júlio que recebeu um alerta da esposa para não perder mais a data de aniversário de sua filha.
     
    Estávamos em 3 ( Eu-"Beto Caranha", Teodoro "Japa" e Rogério "Catarina") e precisávamos do quarto elemento. Foi aí que mais uma vez o fórum FTB nos ajudou... Anunciei a vaga e rapidamente apareceu um amigo virtual meu de anos... O Eduardo Sone. O camarada é descendente de japonês com um jeitão um lorde inglês! Um cara culto, educado e simpático se encaixou perfeitamente. Uma amizade até então virtual se tornou real e promete ser duradoura!
     
     
    Grupo formado, passamos acertar os detalhes com o Allen... Como já devo ter perto de umas 20 pescarias pra Amazônia, fiquei encarregado dos detalhes... Responsabilidade grande, visto que nosso grupo é formado por excelentes pescadores e eu não poderia decepciona-los!
     
    Definimos o afluente do Rio Negro que iriamos subir, definimos um plano B e ficamos monitorando as chuvas. Solicitei piloteiros experientes no rio que iriamos subir e também um pratico que conhecesse bem o rio.
     
    Como o pacote do Allen é diferenciado, pudemos escolher alguns extras como: Picanhas, Cervejas Heineken, Tira-gostos e etc.
    Com antecedência e experiência é muito fácil programar bem. O Allen envia uma lista de compras básica de comida, bebidas e combustível, aí analisamos em conjunto e adicionamos extras e aumentamos ou diminuímos (com cuidado) alguns itens.
     
    O barco escolhido foi o Vitória de Deus. Um barco para 4 pessoas, mas que é possível pescar em 6 com um dormindo no chão de cada camarote(já pescamos assim no passado). O diferencial desse barco é ser um barco que cala pouco, é rápido, estável, confortável para o tamanho reduzido, e é gerenciado pelo irmão do dono... Então, a coisa flui!
    "Barata" é o apelido do gerente, o cara de um jeito simples lhe atende em tudo. Não falha em nada! Trabalha redondo!

     
     
    Chegamos em Manaus para o pernoite por volta do meio dia. Eu saindo de Salvador, Sone e Japa de Brasília e o Catarina de Navegantes no sul do pais.
     
    Em Manaus fizemos o tour básico obrigatório de todo pescador que vai pescar na Amazônia... Almoço em restaurante de comida regional, escolhemos o restaurante Choupana e nos surpreendeu muito bem! De lá fomos a pé pro Shopping Manauara pois fica pertinho, visitamos a famosa loja de pesca Sucuri e é claro fomos "tomar uma" na Cachaçaria do Dedé.
    Lá fomos recepcionados por 2 amigos do FTB, o Edu Gurjão (que voltava de uma pescaria em SIRN) e pelo Christiano Ricardo que mora em Manaus! 2 camaradas fora de série! Se tem algo melhor do que toda técnica que aprendi no FTB, é com certeza as amizades que fiz!!! Tenho parceiros de pesca por todo Brasil e não paro de fazer amizades novas! Obrigado FTB!

    Edu Gurjão, Beto Caranha, Rogério Catarina, Esqueci o nome, Esqueci o nome, Christiano Ricado, Eduardo Sone, Teodoro Japa
     
    No dia seguinte, um voo fretado especialmente para nós através da Nirlane de Barcelos. Nirlane é hoje A pessoa certa para resolver problemas com voos  Manaus/Barcelos! Atendimento show!
     

    Sone, Japa, Rogerio, Beto
     
    No voo para Barcelos, percebo ao olhar pela janela que não havia uma praia sequer no Rio Negro! "Estamos ferrados" pensei!
    Rio Negro com nível alto, medições do site da ANA indicando repiquete e amigos voltando desanimados com pescarias fracas e muita chuva... A coisa estava realmente preta!!!
     
    Chegando em Barcelos, fomos recepcionados pela Nirlane e em seguida pelo Allen. Partimos então para nossa casa pelos próximos dias, o barco Vitoria de Deus. Barco já estava quase todo pronto, faltava apenas carregar algumas geleiras de gelo e em cerca de 30 min já zarpávamos subindo o Rio Negro!

    Barcelos ao fundo
     
    Acertando com o gerente, o objetivo era subir o mais rápido possível no primeiro dia afim de adentrar no afluente e o subir bem. Eu particularmente não queria pescar no próprio Rio Negro, preconceito besta de quem já pescou nele inúmeras vezes. Tinha uma informação que a cabeceira desse afluente já dava condição de pesca e olhando fotos de satélite (acumulado dos últimos 7 dias) sabia que não havia chovido na cabeceira. Então, minha ideia era de encontrar a "boca" do afluente alagada por influencia do Rio Negro, porém com a cabeceira secando e já com alguma condição de pesca.




     



    Sone dando show! O cara é fera!

     

     
    Avisei ao grupo que teríamos pelos menos 2 dias iniciais difíceis mas que deveria melhorar a medida que subíamos.


     
    Adentramos o afluente e ele estava literalmente alagado! Não havia pontos de pesca! Olha para lugares onde já havia fisgado peixes anteriormente e não via chance de sair um tucunaré dali! Os pontos de pesca do tucunaré estavam melhor para pescar peixes de couro! Confesso que cheguei a desanimar! Mas para não abalar o grupo... Disse: "Vamos pra cima!!!"




    Rogério com um lindo açu
     

     
    Meus dados se confirmaram ao passar por uma comunidade. Paramos para conversar e eles nos informaram que "lá pra cima" estava secando forte... Mostraram no porto, a marca da água do dia anterior e pudemos ver que mesmo com muita agua, o afluente pelo menos estava secando.
     

     
    Navegamos com o nosso barco-hotel até um ponto que por um obstáculo natural ele não poderia subir mais. Gastamos 3 dias até chegar a esse ponto. De lá a estratégia era subir de voadeira! No primeiro dia, iriamos subir cerca de 1 hora de voadeira, no segundo dia cerca de 2 horas e se desse bom de peixe lá pra cima, levaríamos acampamento e dormiríamos na mata mesmo ao lado dos peixes (ah! como seria bom se isso acontecesse)
     
    Primeiro dia de subida ate a cabeceira
     
    Todos do grupo tinham GPS com fotos satelitais, Birdeyes, além de piloteiros que conheciam bem o rio. Armamos estratégia e eu em particular tinha alguns nomes de lagos e igarapés, além de ter dado nomes genéricos a todas as "ressacas"(pontos de pesca) do rio. Nós tínhamos 17 ressacas/lagos pescáveis até chegar num ponto onde rio  ficava apenas na sua calha, sem pontos de pesca. As ressacas foram nomeadas como R1, R2, R3 até R17.
     
    Começamos a pescar e só tivemos ação de peixes pequenos... Pescar em 4 pescadores e apenas 2 voadeiras é excelente, pois alternamos os pontos de pesca e não fica um sem ser pescado... E também não acontece de pescar num ponto já pescado por outra dupla!
    Por sorte, percebo que um lago famoso de peixe grande ficou para minha dupla pescar. Esse lago já rendeu alguns peixes acima das 22lbs para meu amigo Jaiminho Veiga... E por isso eu apelidei o lago de "O lago do Jaiminho".
     
    Avisei para o parceiro: "Esse lago é top! Temos que escovar!" A estrategia era riscar ele todo como isca de hélice! Entramos caprichando arremessos e trabalho de iscas. Eu devo ser meio doido, fico com taquicardia só de saber que estou num lugar de peixe grande! Batemos todo lago e nada! Nem um rebojo sequer!
    Na boca do lago, já pra sair, o piloteiro levanta o motor elétrico... E eu olho pro bico de entrada do lago, mesmo com nível muito alto, o lugar "cheira" a peixe... Falo pro piloteiro: "Pera aí... Vamos bater aquele bico com João Pepino". Ele baixa novamente o elétrico e se dirige ao lugar. Nesse dia meu parceiro era o Rogerio Nogueira - o "Catarina". Rogerio arremessa preciso nas "gavetas" entre a vegetação e levanta um peixe! O peixe marola embaixo da isca mas não ataca... Piloteiro se espanta e fala: "caramba, esse peixe é um jumento!" Eu que já estava de taquicardia, fico em tempo de enfartar... O Rogerio arremessa de novo e sinto que a isca dele caiu um pouco mais a esquerda do ponto... Espero pra ver se vem o ataque e como não sai, arremesso minha isca no ponto. Como já sabia que o peixe era manhoso por não ter atacado de primeira, trabalho minha jumping minnow lentamente... como um stick para robalo mergulhando a isca para facilitar o ataque e vem o ataque.
    Peixe suga a isca denunciando ser grande... Só faço firmar a vara e peço pro piloteiro sair no elétrico.. Peixe ainda enrosca um pouco na vegetação (aumentando ainda mais meus batimentos cardíacos) mas sai por si próprio... Uma vez no meio do lago, posso brigar limpo até o peixe "pranchar". Peixe embarcado, percebo que a frágil garateia VMC 4x numero 2 está bem no beicinho do peixe! Como diria meu amigo KID M: " Não é força e sim jeito"! O que foi crucial para o embarque desse peixe! Um belo (ou feio rsrs) tucunaré de 18lbs(8,1kg) !!!




    Liberdade!!!!

    Já próximo à cabeceira do afluente

    Carne com linguiça é melhor que "arroz com ovo" para dias sem peixes! kkkk
     
    Nesse dia, o Japa ainda embarca outro peixe na faixa dos 6kg e o Catarina tem uma linha 50lbs arrebentada na arrancada de um peixe(aprendeu da pior forma que em Barcelos/Sirn, o mínimo é 65lbs! Na arrancada não tem jeito que dê jeito... Uma pena) A noite a turma animada já falava em acampamento no dia seguinte.

    Teodoro "Japa" arrebentando nos açus!



     

     
    Reunimo-nos, o "Barata"(gerente do barco) ofereceu suporte, mas chegamos a conclusão que 2 peixes grandes apenas e 1 uma linha estourada ainda não dava pra dar start no acampamento.
     
    Dia 2 subindo rio até a cabeceira



     
    Lembram da contagem das ressacas? Havíamos batidos no dia anterior até a ressaca R9, iríamos então bater à partir da R10 até a R17 e voltar batendo os pontos já pescados mais promissores...
    E assim fizemos... Esperávamos encontrar mesmo com nível alto, peixes "virgens de boca"(que nunca viram isca artificial), pois estaríamos bem longes... Acredito que somente pescadores muito "tarados" como nós já atingiram esse ponto!
    Mas impressionantemente, os peixes resolveram fazer greve! Não queriam mais comer! Até os ousados borboletas e paquinhas fecharam a boca! Já havíamos sido prejudicados com os bancários em greve na data da viagem... Mas peixe em greve é demais!!!kkkk Fizemos inúmeras piadas para descontrair com os efeitos do repiquete... Fizemos uma carta pro Moro denunciando o que os peixes estavam fazendo conosco! E também anotamos numa caderneta igual do Pablo Escobar cada peixe que rebojou e não entrou pra ter vingança! kkkkkk Foram muitas risadas!



     
    Nosso almoço nesse dia tinha sido uma "quentinha" de arroz com bife para não perdermos tempo. Acho que não levamos mais que 10min de almoço!  Estrategicamente não fizemos rodízios de dupla e nem de piloteiro para poder repetir o que deu certo no dia anterior e evitar alguma possível falta de entrosamento. Já eram 14:30, e estávamos em processo já de descida em direção do barco. Falo pro Rogerio: "vamos tocar direto pro lago do peixe de ontem?" Ele topa na hora...Olho pro GPS e vejo que estamos a  aproximadamente 30min de voadeira ainda do lago. Falo pro piloteiro acelerar que precisávamos chegar com sol quente ainda!

    Ao aproximar do lago, piloteiro desliga o motor bem antes para chegarmos em silencio. Acerto com o Rogerio para eu bater hélice e ele cobrir com a Jumping Minnow pois chegamos a conclusão que o peixe do dia anterior foi atraído pelo barulho da isca de hélice mas só atacou a jumping Minnow. Botei uma RIP 6.5 com garateias gamakatsu e fui pra guerra com a "bazuca"! Rogerio também estava com uma T20 com garatéias owner, um fuzil AR15! rsrs
    No lugar do peixe do dia anterior faço uns 15 arremessos, o Rogerio mais uns 15 e nada... Mais pra dentro do lago, tem um ponto perfeito pra tucunaré... 3 arvores de Molongó espaçadas... Aquela arvore mais velha, de tronco mais grosso. Capricho nos arremessos e tento colocar a isca o mais dentro da estrutura possível com cuidado para não enroscar. Alternos os trabalhos entre lento e rápido e entre forte e fraco... Faço uns 30 arremessos no mesmo ponto e nem um sinal... Rogerio enquanto isso também vasculhava a estruturas ao lado. Quando acho que já foi o tanto suficiente de barulho que fiz com a hélice, falo pro Rogerio: "Manda a jumping lá"
    Bastou a isca cair lá, e o "fela" do peixe ataca! Um monstro ataca a isca como se fosse um boto respirando... Sem estardalhaço, mas com muito movimento de agua!
    Grito pro Rogério: "Calma que é grande", nem precisava, Rogerio já escolado do dia anterior, negocia com calma com o peixe e rapidamente estamos no meio do lago com a briga limpa... Peixe sobe cansado, pego a câmera, começo a filmar e o Rogerio percebe que a isca não esta cravada direito... Antes que ele pudesse terminar de avisar, o peixe num movimento se solta antes que pudéssemos registrar sua beleza em uma fotografia!
    Fica só o vídeo do momento pouco feliz...
    Sei que olho não tem balança, mas acredito com 90% de chance em se tratar num peixe com mais de 8kg com um grande potencial de passar dos 10kg... Infelizmente o ditado "O maior sempre escapa" é inevitável!
    Após um dia fraco, quase zero de peixes, decidimos que não valia a pena mais insistir ba cabeceira do rio, apesar desta esta secando bem(cerca de 6cm/dia). E resolvemos pescar descendo rio na esperança de que o pouco que já tinha secado fizesse diferença.

    kkkkk Aí Japa, ta no relato!!!! kkkkk
    Se por um lado a pescaria estava fraca de peixes, no quesito farra estava um sucesso! Nas voadeiras tínhamos sempre tira-gostos a mão... Amendoins, Castanhas, Provolone desidratado, Parmesão faixa azul e etc. No barco saiam sempre o clássico queijo branco/azeitona e iscas de peixe... As bebidas eram cuidadosamente botadas para gelar pelo gerente "Barata" e todo dia, assim que chegávamos no barco tínhamos nossas Heinekens estupidamente geladas! Não faltava também o "creminho do verão" - Apelido dado ao Campari pelos nossos amigos Cristiano Júlio/Miqueias! AH!!! ...o mousse de cupuaçu de Dona Ivonete, delicioso! Uma das sobremesas mais deliciosas que já provei!
     
    Não poderia deixar de lembrar e comentar sobre a potente Caixa JBL do nosso amigo Rogerio! Comandava a festa como um DJ. Repertorio em sua maioria Pop Rock, indo até o grunge do Nirvana! Imaginem a cena: 4 pescadores felizes escutando Rock´n Roll em plena Amazônia!
    O Sone que era o novato e mais tímido do grupo, a essa altura já tinha caído na gandaia... Tudo era motivo de risada e piada...

    No menu moqueca baiana feita com leite de coco e dendê e pirão de acompanhamento
     
    Voltando ao assunto peixe... A coisa ficava ainda mais difícil a medida que descíamos... Pra completar a bagaceira, pegamos um dia inteirinho de chuva! Nos lagos, peixe completamente inativo! Nem sinal deles... O jeito era correr para o Rio Negro e tentar as famosas pontas de praia. Incrivelmente o peixe estava tão inativo que nem as pontas de praia nos salvaram... Nas iscas de hélice, 2000 arremessos para 1 ação. Na Jumping Minnow, peixe só seguia a isca sem atacar... Cobrir arremesso com Jig não funcionava, os peixes simplesmente sumiam!

     
    Fomos tentando de tudo até que achamos uma solução para pelo menos fisgar alguma coisa... Passamos a pescar nas margens de Igarapés e pequenos afluentes do Rio Negro. Em lugares de água corrente e pontas de terra onde não tinha igapó (mata alagada).
    1
     
    Na agua corrente, procuramos curvas do rio onde a agua era forçada a entrar na mata e arremessávamos nos remansos das curvas. Com isso passamos a fisgar pequenos tucunarés pacas, alguns borboletas e vez por outra saia um açu!

     



     
    Também passamos a investir mais cedo na pescaria de peixes de couro... Por volta das 16:00 íamos pro couro! O Japa, além de fera na pescaria do tucunaré, também manja muito de peixes de couro e fisgou varias pirararas lindas! Rogério "Catarina" é um borrado de sorte! Não demora nem 5min e já tem peixe na linha! Fisgou alguns belos filhotes com pesos até 10kg.





     
    Eu ainda acertei uma Paraíba, um filhote na verdade, de uns 20kg que tomou linha feito louco! Quase arranca a carretilha da vara! Infelizmente tínhamos deixado a bolsa de pesca no barco hotel e com isso ficamos sem maquina fotográfica! Até nisso dei azar!
     
    Dia do famoso Luau
    Chegando no barco-hotel no entardecer, encontramos estrutura toda cuidadosamente montada! No menu tínhamos as picanhas que havíamos solicitado, além de um delicioso filé de peixe que foi comprado em uma comunidade(comprado mesmo, porque peixe estava difícil! rsrs) Muita cerveja e novamente muita risada marcou esse dia!!!








    Barata auxiliando à saída dos pescadores, Dona Ivonete ao canto e os piloteiros Preto Capão e Rádio.



    Sem legenda! kkk

     


     
    Voltando aos tucunarés... É na dificuldade que os grandes pescadores se sobressaem! Sone com arremessos precisos e uma pequena isca ( Sará Sará 100) ainda realizou belas capturas, inclusive de um tucunaré com quase 6kg!







     



    Modelos de iscas mais utilizados

    Ninho dos Japus, construidos sempre estrategicamente próximos à casas de marimbondos para proteger seus filhotes de predadores.
    Pescaria chegando ao fim, agora já próximos à Barcelos, resolvemos nem pescar na manhã do ultimo dia e tocamos a noite direto pra a cidade já amanhecendo no porto.
    Chegando na cidade, conversamos com a Nirlane e a mesma conseguiu vagas num voo no sábado mesmo, por volta das 14:00 e assim pudemos retornar mais descansados para as nossas casas!!!
     
    Queria em nome do grupo, deixar nosso enorme agradecimento a toda tripulação do Barco Vitória de Deus (em especial ao Barata e a Dona Ivonete). Agradecer também ao Allen Gadelha que cumpriu à risca tudo que foi acordado e também à Nirlane pelo cuidado especial com nossos voos! Também queríamos agradecer ao Fórum Turma do Biguá pelo espaço e por proporcionar a formação de belas amizades!


     
    Até 2017!!!
    Abraço a todos!!!
  4. Upvote
    Pinguim recebeu reputação de Jorge Augusto Atalla em [Relato] Primeira semana da temporada. SIRN a bordo do Angatu Açu   
    Parabéns, Belo relato, Belos peixes!!
    Temporada prometendo!!!
  5. Upvote
    Pinguim recebeu reputação de Lucas Mendonça em Pescaria Serra da Mesa 4-8 de agosto 2016. Pousada Vida de Peixe   
    Show Lucas postou o relato e nem me avisou, "DANADINHO" KKKKKKKK . Top meu parceiro e agora sócio.
    Pinima FT neles!!
    Abraço!!!
×
×
  • Criar Novo...