Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

Nelson Estêvão

Membro
  • Total de itens

    201
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Nelson Estêvão postou

  1. Oi pessoal. Tudo bem? Gostaria de saber se alguém de vocês já vendeu alguma coisa para o exterior? Sempre compramos (brasileiros) coisas no e-bay, Ali express, Amazon, por exemplo. Minha duvida é; se alguém já vendeu algo para gringos através da internet? Tipo fazer anuncio de venda no e-bay ou outras plataformas de venda internacional? Grande abraço!!! ps: as respostas, caso prefiram, podem ser por MP.
  2. Como vocês fazem pra tirar a tinta dela sem perder o detalhe em relevo das escamas? Valeu pessoal.
  3. Assino em baixo !!!! Disse tudo!!! joia::: Parabéns pelo relato!! Mil desculpas pela demora em te responder Rafael...Por alguma razão tua resposta passou desapercebida por mim. Muito obrigado pelas palavras e pelo apoio. Um grande abraço e novamente desculpas... Valeu pescador...
  4. Pô Edu... me deixou até sem palavras.Caramba... não imaginava ouvir (ler na verdade...kkk) isso. (negrito) Sempre que faço um relato tento dividir a pescaria... mas quase que por unanimidade ouço: "... cara, teus relatos são muito grandes!!! Ta louco!!! Poe só as fotos. ..." Ja tentei fazer isso, mas não consigo, parece que falta alguma coisa. Então ter um retorno como este é bem gratificante. Muito obrigado pelas palavras Edu... Um abração e boas festas pra ti e teus familiares. Reitero meu elogio ao seu relato. joia::: Fotos de mais também pode se tornar um relato muito grande e chato. E o texto longo é massante quando não se usa adequadamente a pontuação ou quando o narrativa/estória são ruins. hehehe Seus relatos são muito bons. Acredite!! Abraxxxx Edu Valeu Edu... legal:: legal:: legal:: Abração e feliz ano novo!
  5. Valeu Pedro...Poxa vamos trocar umas pescarias... Tu vai la atras dos Basses e eu vou ai atras destes bitelos de couro!!! Um sonho!! Te desejo toda sorte do mundo na tua busca pelo Bass. E quando sair na revista avisa!!! Abração pescador. Boas festas.
  6. Pra mim o Sone disse tudo com muita propriedade. Seu relato foi perfeito.... palmas:: palmas:: palmas:: palmas:: Peixe??? Apenas um detalhe. Muito obrigado Fabricio... joia::: Penso igual... o peixe é só o motivo pra irmos pescar, e não o que importa na pescaria... Um grande abraço.
  7. Valeu pescador... legal:: O lago realmente é muito massa. Abração.
  8. Pô Edu... me deixou até sem palavras.Caramba... não imaginava ouvir (ler na verdade...kkk) isso. (negrito) Sempre que faço um relato tento dividir a pescaria... mas quase que por unanimidade ouço: "... cara, teus relatos são muito grandes!!! Ta louco!!! Poe só as fotos. ..." Ja tentei fazer isso, mas não consigo, parece que falta alguma coisa. Então ter um retorno como este é bem gratificante. Muito obrigado pelas palavras Edu... Um abração e boas festas pra ti e teus familiares.
  9. Quando comecei a pescar, trazia inúmeras dúvidas, e para saná-las recorri a revistas especializadas e a internet. Inevitavelmente, sempre esbarrava pelo aclamado Black Bass nestas minhas pesquisas em busca de conhecimento. Com o tempo, e pela própria pratica em si, fui me aprimorando na pesca de traíras e robalos. As quais logo viraram vicio. Já enturmado no mundo da pesca esportiva e suas respectivas comunidades, vi que o Bass causava verdadeiro fascínio nos pescadores. Pescar um Bass era quase a prova ritualística para separar os pescadores dos meninos...(risos) Sabe-se la porque... eu nunca tive simpatia com o Black Bass. Eu acredito que seja pelo meu patriotismo exacerbado ou pela minha implicância com tudo que me soa como imitação de cultura estrangeira. Meu amigos sempre me criticavam por isso. Diziam que eu era maluco e implicante. Pior de tudo era que eles tinham um grande trunfo ao ser favor; o fato de eu nunca ter pescado um Bass. Então, eu tinha que ouvir calado que: “... quando eu pesca-se um Bass, eu iria mudar de opinião!! ...” Como este mundo é pequeno e pescador tem em tudo que é canto, na minha festa de casamento conheço um dos primos da minha esposa. Um cara nota dez e pescador fanático também. O assunto não podia ser outro a noite toda... peixes, pescarias, equipamentos, técnicas, e tudo mais que envolve este nosso fascinante universo da pesca esportiva. Sem pestanejar ele me convida para ir ao sitio dele pescar. E comenta sobre o lago que é o verdadeiro xodó dele. Lago este, que ele cuida como se fosse um filho. (risos) Mas é claro que o convite foi aceito. Quase um ano se passou e a pescaria não aconteceu. Até que os compromissos deram uma trégua e uma possibilidade surgiu. Mais do que depressa pescaria marcada para o fim de semana e os preparativos para viagem iniciados. Chegamos de manhã e fomos direto para a propriedade da Avó da minha esposa. Afinal la também é casa de pescador! Seu Domingos, avô de minha esposa, pescador viciado e não fica um dia sequer sem dar uma molhada na isca e aquela conferida em seus lagos. O dia não estava pra pescador... muito frio, muita chuva e muito vento!!! Almoçamos a verdadeira comida caseira, aquela feita em fogão a lenha, com sabor diferenciado. A tarde já recuperados do almoço...(risos) pegamos as tralhas e fomos pescar. Caminhávamos para o lago esperançosos e motivados pelas estórias que o Vô contou durante a manhã, de algumas traíras enormes que vinham dando prejuízo de tantas linhas que vinham estourando. O lago estava inerte e o clima frio exigia até um casaquinho para os mais friorentos. Logo as zaras começaram a trabalhar. Porem sem sucesso. Então resolvemos chamar mais a atenção... com hélices a todo força!!! Também sem êxito. O negocio foi dar uma apelada... E assim partimos pra uma pescaria de meia água. Minha esposa teve algumas ações, mas nada de fisgadas. Pescaria difícil, mas consegui convencer uma traira a aparecer para a foto. Sem mais ações no lago, resolvemos ir ao tão falado alagado. Local onde o Vô havia dito que habitavam as maiores e mais esfomeadas trairas. Depois de uns 15 minutos de caminhada mata a dentro entre subidas e descidas, avistamos o alagado no fim do vale. Descemos um peral bem íngreme. Ao vermos de perto as estruturas presentes no alagado, fez compensar toda a caminhada. Realmente tinha tudo para ser a casa dos monstros. Frog’s preparados e começamos os trabalhos. Muitas ações!!! Muitas mesmo!!! Para cada 5 arremessos pelo menos um ou 2 tinham ação. Mas eram de trairas minúsculas. Algumas deviam ser menores que as próprias iscas que usávamos... (risos) Logo veio um temporal e um frio muito intenso. E como já era próximo do fim de tarde achamos melhor voltar para o rancho. Se pra baixo todo santo ajuda, pra cima ninguém te empurra! A visão não era nada animadora... “... pelo amor de Deus!!! Alguém chama um taxi!!! ...” (risos) No dia seguinte o Joel (primo de minha esposa) já estava la para almoçar conosco e nos levar para pescar em seu sitio a tarde. Ele então conta maiores detalhes sobre seu lago. Conta das enormes traíras que ele “cultiva” com muito carinho. Me diz que não permite a pesca de estranhos e que no lago dele é proibido abater peixes. Penso comigo na hora: “... É hoje que tiro umas traíras peludas la de dentro!!! ...” E entre estas informações, me diz que em seu lago existe Black Bass e que alguns são de ótimo porte, beirando os 2Kg. Confesso que deu aquela vontade de acertar um, mas ainda estava hipnotizado com as estórias das traíras de 3Kg. Assim que almoçamos, pegamos as tralhas e nos mandamos. Na chegada já dava para entender o porque do local ser tão preservado e com ótimos peixes. Realmente o lago era uma pintura. Ele havia montado, literalmente, todo o lago. Cada arvore propositalmente colocada no devido lugar. Espraiados muito bem posicionados e estruturas dignas da imaginação de um pescador. Sem contar na sensação de paz e naturalidade do lago. Minha esposa que já estava com a tralha preparada inicia os trabalhos. http://farm3.staticflickr.com/2891/11467541186_57c8344e0f_c.jpg Eu pego minha frog “acorda monstro” e inicio os trabalhos. Arremessos precisamente a uns 15cm ou 20cm para trás da margem. Trabalho os sapinho arrastando na grama até ele cair suavemente na água, bem no inicio da margem do lago. A cada queda, a adrenalina subia esperando pelo voraz ataque. E se caso não ocorresse, seguia em um trabalho cadenciado que traira nenhuma resistiria. Pois bem, não tive sucesso. Minha esposa teve duas boas ações mas não conseguiu confirmar com o sapinho. Eu troco de lugar e arremesso para o centro do lago. Passando por trás de uns galhos expostos. Frog nadando na superfície da água, e uma batida discreta acerta o sapo. Pensei: “... É uma trairinha! ...” Tiro o frog que usava e coloco uma zara apeladora!!! Daquelas levanta defunto! Repeti o local do arremesso. Vim zarando devagar, suavemente... E no mesmo ponto a batida certeira. A briga não me trazia maiores emoções, ate porque tinha em mente que se tratava de uma pequena traira, que pouco abalava minha varinha de 10Lbs. Feliz que estava com minha primeira ação do dia, recolho o peixe para a foto. Ao se aproximar do barranco e já vencido, vem minha surpresa!!! Era um Black Bass!!! Que foi devidamente fotografado para registrar o feito. Pois era a primeira vez que eu pescava um Black Bass na vida. E segundo a “crença”... agora já posso dizer que sou um Pescador, e não apenas mais um “menino” que pesca... (risos) Eu e o tão falado Black Bass (por todos os ângulos)... kkkkkk http://farm6.staticflickr.com/5514/11467571373_4ef2f75492_c.jpg http://farm6.staticflickr.com/5501/11467408895_88a6d5d261_c.jpg http://farm8.staticflickr.com/7451/11467433924_39c6478a13_c.jpg http://farm6.staticflickr.com/5506/11467498536_9b91c1d75f_c.jpg O dia se passou sem mais nenhuma captura minha ou de minha esposa. Ela ainda teve mais algumas ações, o mesmo não ocorreu comigo. O Joel nos deixou batendo isca e se prontificou a pescar algumas tilapias para a janta. Os únicos peixes que ele abate no lago são tilapias acima de um quilo e para consumo imediato e próprio. Quando a noite caiu findamos a pescaria. Se o ditado que diz: “... que a primeira impressão é a que fica. ...” estiver certo, me desculpem os “basseiros” de plantão, mas esses verdinhos importados ai não são nada demais... (risos) Mas penso o seguinte... Com um só Bass, não da pra ter parâmetro de nada. Então façamos um trato... logo volto la para novas pescarias, ai com o tempo e com mais Black’s no “currículo”, faço uma nova avaliação dos verdinhos. (risos) Ah!!! Mas que voltei com a sensação de: “... eu estava certo!!! ...” Aaaaa, isso eu voltei... (gargalhadas) E a aqueles que diziam que eu só falava do Bass por nunca ter capturado um, agora vocês vão ter que me engolir!!!! Vão ter que me engolir!!! Ou me aturar... (gargalhadas) Um grande abraço a todos e ótimas pescarias. E lembrem-se!!! Isto é apenas um relato de pesca. O intuído é de confraternizar e descontrair. Nada contra nenhuma “religião”... (risos)
  10. Pessoal. Tenho uma maquina fotográfica que uso para fazer filmes em alta definição (full HD) Porem devido ao uso, precisei comprar um novo cartão. Pedi a uma amiga que iria a Foz do Iguaçu que me trouxesse tal cartão. Minhas únicas "exigências" era que fosse de 32 Gb e de classe 10. Pois bem, ela me trouxe um igual a este do link: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB- ... andisk-_JM Ele é bem diferente daquele que ja tinha e usava na maquina. Como nele vem escrito varias referencias ao uso com android, tablets, smartphones, etc... Mais umas coisas malucas de 200x , 30MB/s E mais um monte de coisa em letras miúdas, ate sobre ter que baixar alguma coisa de algum lugar para usar tal cartão!!! Por isso minha duvida... Afinal, posso usar ele na maquina fotográfica com a mesma eficiência e qualidade (full HD) do que um cartão normal?
  11. Obrigado pescador.Sim realmente sorte ajuda, mais pra mim técnica, conhecimento é mais importante. Tendo a técnica, se improvisa com qualquer equipamento. Abração.
  12. A uns tempos atrás recebo uma mensagem no celular. Era o Rafael, pescador recém chegado aqui pelas minhas bandas, que buscava fazer novas amizades e bater uns peixinhos. São Pedro por um longo período, castigava qualquer pescador com chuvas e ventos. Sendo assim a tal pescaria não aconteceu. Bom tempo depois em conversa com o Rafa, vi que o homem já estava mais do que enturmado com o pessoal da pesca oceânica! Já havia feito algumas pescarias no mar azul, em costões e já estava ate com um grupo de pesca formado. Eu recém tinha feito uma ótima pescaria onde era para tudo ter dar errado devido as “travessuras” de São Pedro, então achei que podia contraria o homem mais uma vez e tentar pegar uns robalinhos. Pra variar a previsão era das piores. Com fortes ventos e rajadas mais fortes ainda. Mas mesmo assim liguei pro Rafa e marcamos a pescaria. No carro ele me conta que nunca havia pescado robalo, e que aquela seria sua primeira empreitada atrás dos bocudos prateados. Aqui cabe um parêntese... Como o Rafa é pescador de mar, seus equipamentos são um tanto quanto brutos!!! Nada mais lógico que ele estar “despreparado” para encarar a “trincaiada”. Pra essa pescaria ele usou seu conjuntinho mais leve...(risos) uma vara de ação moderada/rápida de 30Lbs e um molinete 3500!!! Só comentei isso, pois acho importantíssimo mostrar a muitas pessoas que a ausência do “equipamento correto” não deve jamais te inibir de ir pescar. Já presenciei muitas vezes pessoas deixarem de ir pescar por não terem o equipamento “adequado”. Lembrem-se... a palavra adequado; deve se referir as possibilidades do pescador, e não as “exigências” dos peixes. Isso fica muito mais evidente quando o assunto é pescar robalo!!! Mistificam tanto este peixe, que as pessoas criam verdades absolutas em suas cabeças. Fazendo deste peixe um mito! Onde se uma única coisa não for a “ideal”, não se obterá sucesso na pescaria dos prateados. Sempre brinco... “ ... Se o robalo tivesse só a metade da perspicácia que as pessoas acham que ele tem, ele jamais atacaria um pedaço de plástico que vibra todo errado embaixo da água!!! ...” (gargalhadas) Voltando a pescaria. Chegando no local onde pegaríamos o barco, a visão não era nada animadora. Um vento forte encrespava a água. As bandeiras e bandeirolas dos barcos pesqueiros se esticarem como se alguém as puxasse na outra extremidade. O Rafa parecia não ter se abalado com todo aquele vento. Mal sabia ele o quanto teria que remar por causa disso... (risos) Pegamos o barco mesmo assim e fomos atrás do robalinhos. Chegamos no local desejado e poitamos o barco. O Rafa é então apresentado aos arremessos de robaleiro!!! Onde precisão é metade do sucesso. Mesmo com um conjunto bruto, o homem mostra talento. Com arremessos bem executados e dentro das estruturas. Com o vento forte, o barco era constantemente arrastado e precisávamos ficar toda hora reposicionando o barco. Um trabalho árduo de muita remada e paciência. Ate que o esforço é recompensado. Capturamos o primeiro robalinho do dia. Ele era tão pequeno que mais parecia um filhote de trick... (risos). Como achei que ele era uma exceção e seria o único robalo do dia, nem fotografei. Volto a trabalhar minha isca e tenho uma nova batida! Eu ainda brigava com meu robalinho, quando escuto o parceiro gritar: “... Bateu!!! ...” No ímpeto de pescador de anchovas e dourados, ele confirma com uma bela fisgada. E o esperado ocorre... peixe perdido. Com a perda do peixe, o Rafa deixa de ser pescador e vira fotografo. Eu e o segundo robalinho do dia. O Rafa volta a pescar, agora já com a primeira lição aprendida... Nada de fisgadas rápidas e certeiras. Ele arremessa bem dentro da estrutura, trabalha a isca bem cadenciada em movimentos erráticos. E sente o tão desejado peso na posta da vara. É um robalinho. Seu primeiro robalo com plug! Foto para a posteridade... (risos) Insistimos mais um pouco no lugar e tivemos mais algumas ações. Infelizmente, fomos cercados por tarrafeiros e linguiçeiros matadores. Por isso não fotografamos mais os peixes. Quando capturávamos um peixinho, sentávamos no barco e deixávamos ele na água ate se soltar. E caso não se soltasse, disfarçadamente os soltávamos dentro da água mesmo. Assim conseguimos pescar numa boa. E sem chamar a atenção dos matadores que estavam por perto. A maré baixava e com ela também o ritmo de capturas. Já sem ações e cansados de tanto remar, decidimos ir embora. Atracamos o barco e começamos a arrumar as tralhas. Enquanto arrumávamos as coisas, noto que o vento estava mais fraco. E então aquele sexto sentido falou mais alto... Olho pro Rafa já com as tralhas prontas e digo: “... Cara, tu topa dar mais uma remada? ...” “... Estava afim de bater em um outro pontinho antes de irmos embora. ...” Visivelmente contaminado pela pesca do robalo, ele responde de imediato; “... Claro que topo!!! Pra onde vamos? ...” Desatracamos o barco e fomos em direção aquele que seria o ultimo pesqueiro do dia e a ultima tentativa de encontrar um robalinho de melhor porte. O barco desta vez ficou parado onde desejávamos. Ansioso, arremesso dentro da galhada. Arremesso profundo, perfeito!!! A isca cai quase na margem. Ainda comentei: “... Esse foi na toca!!! Se não bater ninguém, é porque não tem ninguém em casa (risos) ...” Dou a primeira chamadinha, a segunda chamadinha e espero... então recolho a linha fazendo a isca nadar na meia água. E a pegada é certeira! Mais um robalinho. http://farm6.staticflickr.com/5487/10801875215_dab785a7bb_z.jpg O Rafa já dominando o arremesso e o trabalho de isca, lança logo atrás e já acerta outro robalinho. http://farm4.staticflickr.com/3809/10801874306_85c99ab9b2_z.jpg Digo pra ele: Arremessa nessa galhada na tua frente, que deve ter mais um ai. http://farm3.staticflickr.com/2837/10801990104_0c4352de01_z.jpg Ele faz um arremesso preciso. A isca cai no lugar certo! Ele mal estica a linha e já vem o rebojo na flor da água! Euforia no barco. A briga já é mais forte. E depois de alguns segundos o troféu do dia sai para a foto. Rafa, seu troféu e troféu da pescaria! http://farm8.staticflickr.com/7317/10802100903_c0040f13f9_z.jpg O Rafa já se tornou um grande robaleiro. Não só pela técnica que apresentou nas capturas, mas também pela sua nobre e mais importante atitude. http://farm8.staticflickr.com/7410/10802085873_a88e3df44b_z.jpg Depois disso não tivemos mais ações. Então voltamos a atracar o barco e arrumar novamente as tralhas. Acredito que mais que viciar um pescador na pesca esportiva do robalo, fiz um novo parceiro de pesca e um grande amigo. E contrariando a tudo e todas as crenças, o Rafa provou por “A” mais “B” que pra pescar robalo; tem que ir pescar robalo!!! Não importa com qual equipamento... Um grande abraço a todos e ótimos peixes.
  13. Obrigado.Ainda bem que o tamba saiu.... salvou o dia... kkkkk Abração.
  14. Obrigado Edin.Grande abraço. Sempre que sobra um tempinho, divido com os amigos as pescarias.Valeu. Verdade!!!Abração.
  15. Esse troféu teve gosto de honra ao mérito!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkGrande abraço. Valeu.
  16. Esse é o espirito!Apesar de eu sempre fugir de uma chuva... kkkkkkk Valeu pescador!
×
×
  • Criar Novo...