Ir para conteúdo

Isaac Alcântara

Membro
  • Total de itens

    34
  • Registro em

  • Última visita

1 Seguidor

Sobre Isaac Alcântara

  • Rank
    Integrante do Grupo
  • Data de Nascimento 25-02-1987

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino

Meu contato

  • Website URL
    https://www.facebook.com/iaec.engcvl

Informações de Perfil

  • Localização
    Teresina - PI

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Caro amigo Marcos Gaspar... Não adianta que por mais que eu me esforce em destrinchar tudo o que foi visto e vivenciado, nenhum conjunto de palavras vai ser capaz de descrever o que aconteceu lá. Nenhuma foto retrata tão bem a visão que temos de um local belo de paisagem tranquila. Nenhuma palavra traduz a emoção de sentir o peixe na linha, brigando freneticamente. Mas, muito obrigado pelas palavras. Eu acredito que um relato é mais que uma história de como o peixe mordeu a isca, e sim uma oportunidade de descrever um local não conhecido por quase ninguém e tudo o que pode vir a complementar a pescaria. Porque, meu cumpádi... Tem nada melhor que pescar não! Um forte abraço e obrigado!
  2. Amigo Beto... Tá pensando que é só o Martinho da Vila que pesca? João Grilo também não dispensa uns pinchos. Um abraço meu caro. Sempre um prazer!
  3. Amigos pescadores... Agradeço a todos pelas felicitações. Espero que essa seja a primeira de inúmeras capturas. Sobre a liberação desse peixe, gostaria de dizer que ele foi liberado para o churrasco. Uma vez que tinha prometido meu primeiro bocudo para dar de presente. Mas... Os próximos, serão devidamente fotografados e soltos! Uma boa semana e felicidades!
  4. Obrigado meu caro amigo Fco. Estive também nesse final de semana na cidade de Piracuruca-PI e em uma visita à barragem, encontrei a mesma com o nível de água baixo. Pelas fotos que se seguem, dá pra ver algumas estruturas que nos faz imaginar (Ou sonhar pelo menos) a presença de bocudos no local: Alguns daqui do Piauí estavam a imaginar um peixamento de tucunarés azuis e tentavam imaginar um local.
  5. Bom dia... Final de semana passado fui à cidade de Demerval Lobão-PI (aproximadamente uns 30km da capital Teresina) para visitar um tio que retornava a morar na cidade. Dentre outras atividades realizadas, como jobar dominó até 3h00 da matinha, carteado (buraco), ir pra seresta escutar aquele brega rasgado e tomar cerveja quente de espuma murcha, comer panelada, carneiro cozido no leite de coco, ver o reizado... Imaginei ir pescar no Rio Poti. O materialzinho de pesca, sempre presente me fez acordar cedo, pegar a moto do tio e me tacar para um local conhecido como "Pontão" onde uma balsa faz a travessia de pedestres e veículos sobre o rio Poti. Arrumei uma companhia agradável, que exigiu de mim apenas R$ 4,00 (sob forma de um celular de Slova). Até aí tudo bem. Chegamos ao pontão por volta das 8h00 da manhã. O céu nublado, alguns pingos de chuva e um rio calmo, água meio turva e muita vegetação. Fomos lá iniciar as atividades. Meu companheiro não colocando muita fé no meu material, levou um anzol minúsculo e sumiu mato adentro. Eu procurei uma pedra lá pra arremessar e fiquei nessa brincadeira até umas 11h00 e NADA DE PEIXE! Resolvi procurar outro ponto, um tanto mais afastado e encontrei uma pedra dentro d'água e resolvi ficar sobre ela e arremessar dali, parelelamente ao barranco. Logo no primeiro arremesso, assim que comecei a recolher a isca MS Stick One 85, um jacaré viu a isca e começou a nadar em direção à ela. Eu, naquela agonia terrível, comecei a recolher rápido com medo do danado levar isca, vara, pescador... Tudo junto! No que o Jacaré desistiu, eu diminui o recolhimento, um pouco mais aliviado. Ele ficou me olhando de longe (puto das calças, imagino eu). Mas o mais interessante é que quando eu recolhi até próximo da pedra que eu tava, um tucunaré veio e tentou pegar a isca. Isso nos meus pés! Aí, moço, não tem coração que guente. Eufórico, saí de "riba da preda" e do barranco arremessei na pedra onde tava (quer dizer, próximo da pedra onde eu estava). Moço... Na segunda recolhida senti só a lapada. O mesmo tucunaré (imagino eu ter sido o mesmo) bateu na isca e levou rio adentro. Pra não dizer que é boato: Seguem as fotos: Barca que faz a travessia de pedestres e veículos sob o rio Poti: Rio Poti: Pequena pausa (Isca MS Inna 70 Pro Tunned) O danado do bocudo, pequeno, mas tá velendo. Detalhe da pedra à esquerda onde eu estava: Fêmea e deveria estar em período de reprodução. Detalhe da isca (MS Stick One 85 - Osso) Foto oficial: Disseram que eu parecia o "Pai Helinho" (Matheus Nachtergaele) da novela DA COR DO PECADO: E para encerrar as atividades... Uma partidinha de buraco! OBS: Fiquei devendo a traíra indo pro forno do meu primeiro relato: http://www.turmadobigua.com.br/forum/viewtopic.php?f=4&t=27473 Segue a foto da danada e o "acompanhamento": E é isso aí negada (e a brancada também). Muito boa a sensação. Quem passou sabe e quem ainda não passou, insistam. É muito bacana! Um bom final de semana à todos. LOCAL: Pontão do Rio Poti - Município de Demerval Lobão-PI Coordenadas Google Earth: 5°20'46.61"S / 42°37'46.49"O MATERIAL: Vara MS Lubina Lux 6' Carretilha MS Titan 12000 Linha multifilamento 0.26mm Leader fluorcabono 0.50mm Iscas: MS Inna 70 Pro Tunned, MS Stick One 85.
  6. Prezados... Hoje é que vim recuperar a foto da finada traíra. Com acompanhamento e tudo! Tava ruim demais...
  7. Opa meu caro conterrâneo... Tucunaré tem sim... Rio Poti e Parnaíba e lagoas isoladas (de preferência de difícil acesso, pois o povo daqui quando descobre, pega até acabar)...
  8. Henrique... Meu caro. Pois é... Lá os moradores pescam muito "batendo timbó" (Tipo de cipó que libera uma toxina que entorpece os peixes) e de "Paris" (Fazem uma barragem com estacas de madeira, perpendicular ao leito do rio, e no centro, fazem uma "caixa" onde tudo que passa pela abertura central, cai dentro). Esqueci de tirar fotos de lá. Tem um paris bem próximo de onde estava pescando. Eu condeno as duas práticas. Já vi pegarem jacaré e vários peixes independente de tamanho. Mas isso acontece apenas no período chuvoso. Mas o que me alegra é que como na região acontece muito a saída dos trabalhadores para o corte de cana na região sul. A pesca e a caça lá têm diminuído consideravelmente. Peixe lá é "regalia". Um abraço!
  9. Grande Cavalcante... Rapaz o lugar é super tranquilo. Tem muita curimatá, piau, mandi, mandubé, surubim... E grandes! Juriti, socó, curicas australianas... É bem preservado e fica no pé de uma serra. Esse rio desemboca no Sambito que cai na Mesa de Pedra. Logo, o potencial na Mesa de Pedra deve ser até bom. Uma coisa que percebi esse final de semana: A Lelé que me destes, é glow. Quando fui tirar a caixa de iscas do carro, lá estava ela acesa. Eu disse: Valei-me! Ainda apanhando pra trabalhar ela. Mas meia-água é mortal mesmo. Tive duas ações na Juma. Uma deu foto, outra deu história. Um abraço, agradeço novamente. Agora procurar tucunarés nos lagos de Timon.
  10. Leozão... Agradeço a resposta. Pra mim sempre soltar. Os pequenos nem se fale! Até mais.
  11. João... Acho que sou viciado mesmo antes de pegar pela primeira vez. Minha vó encheu os zói dágua. Achei até engraçado. Mas sigo aquela regrinha: Guardar o suficiente pra se alimentar durante a "estadia" no local. E devolver todos, quando possível. Nem que leve ovo com farinha pra substituir o peixe! Obrigado e abraços.
  12. Eduardo... Fiquei triste meu amigo... "Volto pra casa abatido... Desencantado e iludido"... Quando cheguei em casa depois do almoço. Me passei pra a câmara de ar. Cheia de furos. Mas fui lá e peguei a danada. Era uma MS Hammer 100. Rapaz a minha vó... Meu Deus... Guardou o peixe pra uma amiga dela que está grávida e disse há séculos desejar comer peixe. Um abraço!
  13. É muito bacana mesmo. Uma vez estava pescando no mesmo rio. Com vara de bambu. Tentando pegar piau. E olhando a água, passou uma folha e uma traíra a abocanhou. Eu fiquei besta. Minutos depois eu peguei essa traíra. Só não mostro a foto porque eu tava mais feio que a traíra... Abraços.
  14. Amigos Pescadores... Gostaria de dividir com vocês o prazer que tive de pegar meu primeiro peixe na artificial. Nesse feriado de finados fui até Elesbão Veloso fazer visita e trazer minha avó pra Teresina. Uma viagem meio corrida, mas levei o materialzinho pra tentar pegar alguma coisa. É em um povoado (Alta Vista) que fica entre Elesbão Veloso e Valença. Próximo a entrada para a Barragem da Mesa de Pedra. A pescaria aconteceu no rio São Vicente que corta aquela região. É um rio de muitas pedras e vasta mata ciliar. Boa parte dela intacta ainda. Baixo processo de assoreamento e espécies como mandubé, surubim, piranha, traíra, curimatá, piau, mandi e branquinha... Apesar do tempo seco e do rio cortado. O ponto de pesca permanece com água devido um olho d'água que existe lá próximo e que dá a cor azulada à água. Cheguei por volta das 5h40 da manhã. Arremessei umas 3 vezes junto ao "bugí" que tinha próximo à pedra onde estava. Na 4ª senti a puxada e a traíra logo apareceu na superfície. Seguem as fotos: Saindo logo cedo... Rio fica por volta de uns 500m de casa: Mesmo o rio estando cortado, tinha água ainda por conta do olho-dágua: Esse era o ponto: Escolhendo a isca (Juma da Aicas): Trabalhando junto ao "bugí": Como estava só... Não pude tirar foto do peixe sendo tirado da água: A traíra e a isca: 2 DETALHES: 01 - Tinha feito uma promessa que o primeiro peixe pego na artificial, seria oferecido à minha avó (ela ama comer peixe). Por isso não foi devolvida. Foi pro almoço. http://farm8.staticflickr.com/7276/8157670623_da36930143_b.jpg 02 - Estava tentando arremessar um pouco mais longe, quando vi uns "soin" por cima de uma árvore. Eu acho que mirei neles e arremessei. Só pode. Resultado: Isca enroscada! Pela dificuldade, tive que voltar em casa, encher uma bóia e confeccionar um gancho pra reaver a pequena isca: Partindo pro resgate: http://farm8.staticflickr.com/7129/8157719363_44724cddd2_b.jpg Voltando com a refém com sua integridade física intacta. http://farm8.staticflickr.com/7258/8157752968_9eab6a8fb6_b.jpg É uma experiência única. Agradeço a ajuda de todos que sempre me deram/dão uma mãozinha por aqui. Espero que esse seja o primeiro relato de muitos. Um abraço a todos.
×
×
  • Criar Novo...