Ir para conteúdo

rafaellofontana

Membro
  • Total de itens

    16
  • Registro em

  • Última visita

Sobre rafaellofontana

  • Rank
    Pescador de Lobó

Informações de Perfil

  • Localização
    Curitiba - PR

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Nossa, muito legal o cachorrinho se refrescando na maior heheheh
  2. Rapaz, eu recebi uma vez esse folder da Liga das Eco-ousadas (dava um belo nome prum gibi eheheh). Brincadeiras à parte, o mapa é mesmo interessenate e o esquema deles, com aqueles bangalôs flutuantes rebocados, deve ser fenomenal. No folder ele comentam que com esse sistema eles podem navegar até pontos em que outros operadores não conseguem chegar por causa do baixíssimo calado da embarcação deles. Pelo que sei eles mandam essa embarcação pra esses locais menos explorados e os pescadores chegam ao local em hidroaviões. Coisa pra quem ganha em dólar, realmente.
  3. Que boas notícias, Fábio. Bem, pelo jeito esse pequeno repiquete vai nos ajudar no fina de janeiro, né? Valeu. P.S. - Te mandei um e-mail há pouco.
  4. Alô Fábio, estou na escuta das notícias de quando vc voltar. Inté. E traga boas notícias, hehehe.
  5. Kid, as Woodchopper menorzinhas sobre as quais falei são essas: veja neste link http://www.tacklewarehouse.com/descpageLJTOP-LJWC.html Sei das restrições sobre hélices na frente e atrás, mas o que acha delas?
  6. Moacyr. Eu tinha conhecimento do risco de alteração no trabalho de isca ao mudarmos as garateias, mas, sinceramente, achava que era muito preciosismo dar importância a isso. De todo modo, acho que não há muito o que fazer. Se uma garateia de igual tamanho ao da original acabar sendo mais pesada; e se essa diferença for tal que altera o trabalho; qual a saída? Colocar garatéias menores para compensar seu maior peso?
  7. Beleza, turma. Obrigado pelas informações. joia::: ::tudo:: Então não devo me preocupar com as garatéias das iscas nacionais. Isso é bom, pois é o que mais pretendo levar: as KV, Zagaia (Hi Lures), Moro/Deconto, Jennerlures é só tirar da embalagem e colocar na água, certo? As estrangeiras, específicas para o que eles chamam de Peacock Bass tb. MAs pergunto, mesmo as Luhr Jensen Woodchopper menores aguantariam o tranco? Bem, já andei comprando uns split rings do Glico e agora faltam as garatéias. Além das VMC, já citadas, alguma outra que tenha uma melhor relação custo/benefício? O que acham das garatéias da Marine Sports? Obrigado novamente.
  8. Ôpa, obrigado pelas boas vindas. Espero poder retribuir de alguma forma. Valeu.
  9. Pessoal, desculpe se estou voltando a um assunto já discutido; mas procurei pelo site a não encontrei nada de específico sobre o assunto. Mas o mais provável é que eu não tenha procurado direito. Enfim, minha dúvida é sobre a troca de garatéias para as iscas a serem utilizadas na amazônia. Gostaria de saber da experiência de vocês se a troca das garatéias é, mesmo, necessária para enfrentarmos os açus. O que sempre se diz é sobre a nacessidade da troca das garatéias das iscas importadas. Sendo assim, pergunto se, para as iscas listadas abaixo, a troca deve ser feita, ou se dá pra arriscar com as garatéias normais. Heddon Super Spook; Trairão; Bombers 15, 16 e 17 X-Rap 10 e 12 - quanto à x-rap 10 eu desconfio que seja necessária a troca, pois na Serra da Mesa um azulão simplesmente arrancou a garatéia traseiro num salto; Aile Magnet 115; Sobre as nacionais, como as iscas da KV parece que já vêm com garatéias fortes o suficiente, correto? Bom, obrigado pela ajuda. Em tempo: a pescaria vai ser no rio Branco (Roraima) e afluentes.
  10. Pessoal, conheço o Turma do Biguá há algum tempo, por indicação de amigos da Caterva (fórum que frequento mais assiduamente), que também frequentam o Turma do Biguá. Confesso que não sou frequentador assíduo, pois só de ver esses brutos chego a ficar sem dormir, hehehe, só na expectativa de um dia encontrá-los. Pois bem, agora, em janeiro, terei essa chance. Vai ser minha primeira pescaria na amazônia, quero dizer, na verdadeira amazônia, pois praquelas bandas só fui duas vezes a Balbina. Era onde eu podia ir com o tempo de que dispunha nas ocasiões. E, bem ou mal, era treino para os gigantes do rio Negro e afluentes, hehehe. Agora surgiu uma oportunidade e vou pra Roraima, no rio Branco e afluentes. Tenho ouvido falar muito bem da região. Espero que o nível das águas esteja adequado, apesar da seca que já assola o baixo rio Negro. Bom, é isso aí. Até a próxima.
×
×
  • Criar Novo...