Ir para conteúdo

Lucas Caetano

Membro
  • Total de itens

    8
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Lucas Caetano

  • Rank
    Pescador de Lobó
  • Data de Nascimento 25-05-1983

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino
  • Nome + Sobrenome (obrigatório)
    Lucas Danilo Celestino Caetano

Informações de Perfil

  • Localização
    São Manuel - SP
  • Interesse
    dicas de náutica e pesca em geral

Últimos Visitantes

110 visualizações
  1. Muito obrigado Fabrício pelas orientações. Aqui na minha região só tem represas para navegar (Jurumirim e Barra Bonita) e cada vez mais também concluo que, apesar das alegrias que o meu 15 hp proporciona, em represa as vezes complica. Ainda mais para quem está começando na lida. Sempre li os relatos e orientações aqui no FTB sobre os perigos das represas e mesmo acompanhando as previsões do tempo antes de marcar a pescaria, especialmente velocidade do vento, no dia as coisas mudam do nada. Após a ajuda que tive em outro tópico que abri aqui no FTB, e com as dicas do amigo Guto Pinto, vendi a semi-chata de 4 metros que eu tinha e encomendei um Miraguaia 500 da PetyBrazil (está pra chegar daqui umas 2 semanas). Meu desejo era uma embarcação de 5.5 ou 6 metros, mas não tenho espaço suficiente na garagem, então optei por este modelo que acho que atenderá melhor nestas condições de represa com muita marola. O motor pretendo, o quanto antes, também trocar pelo 30hp, apesar do absurdo aumento no valor dos motores. Só para comentar, aqui na minha região (Bauru) no começo do ano o yamaha 30hp custava em torno de R$ 13.800,00, semana passada liguei na loja e hoje sai por R$ 15.150,00, sem contar que não tem pronta entrega, está em falta no mercado e estão pedindo pelo menos 60 dias para entregar. O meu 15hp comprado em setembro 2019 (praticamente a 1 ano atrás) consegui comprar por R$ 8.300,00, hoje pesquisando está na casa dos R$ 10.300,00, absurdo. No mais, muito obrigado pelas preciosas dicas que vc passou. Dicas importantes para a vida de pesca embarcada. Abraço
  2. Bom dia João.. Muito obrigado por compartilhar sua experiência. Como estou iniciando no mundo náutico sempre tento buscar informações, principalmente sobre as técnicas de navegação e segurança, mas tem coisas que não tem jeito, só na prática mesmo e somando mais tempo de navegação para aprimorar.. Gostei da técnica que vc passou (sufar) vou tentar por em prática na próxima pescaria..kkk Quanto ao local, quando me dei conta e deparei com a situação, já estava no meio da represa, água para todo lado, acredito que com grande profundidade, e como o ponto de desembarque não estava longe (tinha acabo de sair) achei que a melhor opção seria retornar do que seguir represa a dentro. Por isso fiquei nessa situação me perguntando de qual seria melhor forma correta de mudar o rumo (voltar) em meio as marolas e vento forte contrários, sem virar a embarcação. Mas graças à Deus deu tudo certo, e como eu os parceiros de pescariam falamos depois de sair do fervo, essa serviu para adquirir mais experiência.. Obrigado pelas suas orientações.
  3. Bom dia Marcelo. Muito obrigado por comentar e compartilhar sua opinião...é muito importante Realmente é uma situação que deve ser evitada...foi a primeira vez que me deparei com a represa nestas condições...e não foi muito agradável. Colete sempre.. não tiro nem quando apoito próximo ao barranco para pescar os peixes de ceva...mesmo com o sol de rachar..kk
  4. Boa tarde amigos Minha dúvida é qual a maneira correta e segura de realizar a mudança de curso (voltar com a embarcação) quando me deparo com vento forte e marolas vindo pela proa. Comecei a pescar embarcado recentemente, e juntando o total de horas de navegação efetiva (pilotando) tenho apenas umas 6 a 7 horas de navegação, então ainda possuo várias dúvidas de ordem prática no tocante à navegação e manobras com a embarcação, apesar de ter Arrais Amador, porém nós sabemos que os cursos de habilitação não são suficientes. Então gostaria de compartilhar uma situação que passei neste final de semana durante uma pescaria embarcada aqui na minha região no Rio Piracicaba, mais precisamente na região onde ocorre o represamento (Represa de Barra Bonita). No local (Ponte do Rio Piracicaba em Santa Maria da Serra) há uma colônia onde alugamos o barco, então estava nevando com mais dois pescadores e traia, em um conjunto padrão do local utilizado pela maioria dos pescadores (barco de 6 metros, bico fino, boca de 1,40, motor 15hp). Durante a tarde, estávamos do lado da ponte onde fica a colônia, próximo ao ponto desembarque. Já estava ventando um pouco, mas naquele local estava sem marolas, tranquilo para navegação, aí decidimos encerrar a pescaria em um ponto que fica do outro lado da ponte, então partimos. Acontece que, ao passar para o outro lado da ponte, as condições da represa estavam totalmente diferentes, de repente fui surpreendido com vento forte e marolas (acho que posso até chamar de ondas, pois acredito que atingia quase 1 metro...kkk) vindo de frente da embarcação pela proa. Então fiquei na seguinte situação, e essa é minha dúvida, pois o vento forte e as marolas vinham de frente (proa) mas queria voltar para trás (mudar o rumo) onde era o ponto de desembarque. Não sei se estou correto, por isso gostaria das orientações e sugestões dos colegas, mas senti que se realiza-se a curva para voltar, quando a embarcação estivesse “de lado” para as ondas eu iria virar o barco e naufragar. Então cada vez mais, mesmo contra a gosto dos 2 parceiros de pesca kkk, eu era obrigado a continuar em frente, indo cada vez mais para as águas agitadas e para o tormento...kk Então na hora lembrei de um vídeo que assisti no canal do Reginaldo Herrera (dicas) e falei para os companheiros de pesca sentarem no fundo da embarcação, desta forma senti que tinha mais estabilidade e equilíbrio para fazer uma manobra e assim, entre a brecha que achei entre uma onda e outra, fiz a manobra e voltei para o ponto de desembarque. Desta forma, segue a minha dúvida: 1. Como deve ser feita a manobra para mudança de curso (“voltar com a embarcação”) quando se depara com ondas e vento forte vindo de frente (pela proa) pois, não sei se é por falta de experiência, mas sempre acho que nestas condições, quando a embarcação ficar de lateral para as ondas ou marolas altas vai dar ruim..vai virar.. 2. E se quando precisamos ir em um ponto que está bem a frente da nossa visão (à frente da embarcação) mas com marolas contrárias e laterais, teremos que navegar uma distancia maior do que uma linha reta, pois teremos que cortar em 45° as ondas e marolas, fazendo uma curvatura, até chegar no ponto de destino? Gostaria de saber a opinião dos amigos, e se essas minhas conclusões estão corretas ou não. Fiquem à vontade para me corrigir e opinar, pois como disse, não tenho muitas horas de navegação e experiência, então toda ajuda e sugestão é bem vinda. Desde já agradeço.
  5. Bom dia amigo. Muito obrigado por responder e compartilhar sua experiência. Realmente estou mais direcionado a ir logo para conjunto com motor 40hp. Minha principal dúvida era se um casco de 5 metros vai dar conta do 40hp e se vou usufruir no máximo o desempenho dele, claro que existem muitas variáveis que podem interferir, como sempre leio aqui no fórum. Mas estou pesquisando bastante e encontrei vários cascos tradicionais de 5 metros e motor 40 (Big fish, Savage 5013, Marfim 500 VL) então se fabricam para esta potência creio que vai dar conta né..kkk.. Inclusive o Savage 5013 e o Marfim tem uma configuração bem parecida do Miraguaia 500, então também estou achando que compensa o investimento. Você acha que seria interessante instalar o par de Flaps para ajudar a equilibrar a embarcação (trim - para não afundar tanto a popa) principalmente quando estiver navegando sozinho (eu com 100kg)?? ou é perigoso diminuir o rendimento?? Por enquanto muito obrigado pelas orientações.
  6. Boa noite amigos. Preciso de uma ajuda quanto à escolha de um novo conjunto. Mas antes precisarei narrar os erros que cometi quando comprei minha primeira embarcação para que os amigos possam entender o porquê da minha dúvida. Vou tentar resumir.. Minha atual embarcação é uma semi-chata Amazonas 400 da Pety, feita sob medida, com 4 metros para que eu pudesse transportar no bagageiro do gol...kkk..(aí foi meu primeiro erro). Não demorou muito e comprei uma carreta para barco de 5 metros...kkk. A embarcação saiu de fábrica para motorização máx. de 8hp, porém antes de fazer a documentação usei um 15hp de um amigo e achei que teve bom desempenho e que não compensaria adquirir um 8hp pelo preço ser quase igual ao do 15hp. Então com laudo e a documentação de um engenheiro naval, consegui documentar o barco para usar o 15hp (daí foi o segundo erro..kk) Ano passado adquiri um 15hp da Yamaha, zero, que ainda está no período de amaciamento, mas o barquinho não anda nada, com o 15hp não passa dos 19 ou 20 km/h (medido no gps). Eu com 100kg + 1 parceiro de pesca + traia, o popa afunda na água, sai arrastando, o barco não plana, não rende. Sendo que pelo que vi em outros testes com o 15hp é possível atingir uns 30 a 32 km/h. Ou seja, o motor não rende o que poderia. Para tirar a prova, em outro ponto de pesca, aluguei um barco de 6 metros, Eu+2 pescadores+traia, com o 15hp consegui atingir 25 a 27 km/h (motor ainda amaciando). Assim conclui, na prática kkk, o que os amigos mais experientes aqui do fórum sempre dizem: que não ainda ter motor, se a embarcação não corresponde com ele, ou seja, fica sobrando motor. Por isso da minha dúvida e a necessidade de ajuda com a aquisição de um novo conjunto. Navego exclusivamente em grandes represas da minha região (Represa da Barra Bonita e Jurumirim) então após muita pesquisa aqui no fórum conclui que o ideal seria uma embarcação com fundo em “V”. Sendo que com o espaço disponível que tenho na garagem cabe apenas um barco de 5 metros. E pretendo adquirir com popa fechada (bandeja de popa) para transportar o motor fixo na popa. Estou interessado em adquirir o Miraguaia 500 SL (sem console) da Pety Brazil, (* Comprimento: 4,90 m * Pontal: 0,62 m,* Passageiros: 04,* Tripulante: 01, Boca máxima: 1,65 m, * Capacidade de carga 500 Kg) com duas opções: 1ª – Casco de 1,5 mm para motor 30hp – R$ 7180,00 rebitada e R$ 8600,00 casco soldada 2ª – Casco de 2,00 mm para motor 40hp – R$ 7980,00 rebitada e R$ 9000,00 casco soldada Aí que surge a dúvida... Considerando o que ocorre com minha atual embarcação ("sobra motor"), compensaria o investimento no casco 2,00 mm para o motor 40hp, para um barco de 5 metros?? (considerando a diferença de preço tanto do casco quanto do 40 para o 30hp). Depois de tudo que narrei acima, fico na dúvida, se um barco de 5 metros com o 30 hp vai ter o mesmo desempenho do 40 hp?? Até estou disposto e, particularmente, gostaria muito de investir na motorização 40 (por navegar em grandes represas, onde as condições mudam repentinamente), mas fico com receio de, mais uma vez cometer o erro, jogar dinheiro fora, se com o barco de 5 metros (apesar de ser conjunto com pontal de 62 cm e boca de 1,65) o 30 hp terá o mesmo rendimento do 40, se com o 40hp vai ficar com motor “sobrando” e fora o peso. Essa é a questão amigos.. Peço desculpas pela extensão do texto da pergunta, mas precisava narrar o acontecido para explicar minha dúvida. Aproveito para pedir sugestões e opiniões sobre esse casco (Miraguaia 500 SL da Pety), e se ao final ficar bom com o 40hp se seria interessante o par de “flaps” para ajudar a dar estabilidade ao conjunto. Também com relação ao casco soldado ou rebitado. Desde já agradeço a atenção dos amigos.
×
×
  • Criar Novo...