Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Airton Pescador

Ministra da Pesca e ações no Amazonas: Tirem suas conclusões

Posts Recomendados

“O peixe é o boi da Amazônia”. Essa é a metáfora que a ministra de Pesca e Aquicultura, Ideli Salvatti (PT), utilizou para justificar o potencial pesqueiro do Amazonas, o qual só será aproveitado plenamente mediante arranjos produtivos locais com a criação de quatro polos - Alto Solimões (Benjamin Constant), Baixo Amazonas (Parintins), Manacapuru e Purus.

Ela também lembrou que o terminal pesqueiro está numa briga judicial, pois “apareceram vários proprietários do terreno” onde ele foi construído, no bairro Colônia Oliveira Machado.

A proposta da ministra, que se reuniu nesta quinta-feira (31) com o governador Omar Aziz e depois com o prefeito Amazonino Mendes, é desenvolver toda a cadeia da pesca e da criação de peixe nos quatro polos.

Isso inclui a produção de alevinos, ração, industrialização e comercialização. Ideli não soube dizer o volume de recursos necessários. Os estudos ainda serão realizados, mas ela garantiu que haverá linhas de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), via Fundo da Amazônia.

Há 15 dias o BNDES firmou convênio de cooperação como MPA, para desenvolver o setor apontado em estudo do banco a alta lucratividade nos investimentos realizados na pesca e aquicultura.

“Esses recursos do BNDES estão aí disponíveis não só para preservar, mas principalmente para os projetos de desenvolvimento que não agridem o meio ambiente”. Para Omar, o mais importante é a geração de emprego e renda no Estado, e garantir a floresta em pé.

“É dessa forma prática, pragmática que vamos resolver os problemas da pesca, investindo na cadeia produtiva”. Os projetos ainda não têm prazos definidos para serem implantados, já que existem iniciativas de produção de alevinos e salga de peixe, fábrica de gelo em alguns municípios.

Nesse tempo precisa ser desatado um nó na cadeia, a ração, que aqui tem um alto custo. O saco de 25 kg custa R$ 25; em Rondônia, R$ 19.

Segundo Ideli, é preciso trazer um dos ingredientes mais importantes da ração, a soja, que vem da região Centro-Oeste, via Rio, até o porto de Itacoatiara (a 176 quilômetros de Manaus). “Infelizmente não fica um grão de soja aqui, e vamos ter que mudar isso”.

Esportiva

Outra frente trabalhada na reunião do governador com a ministra é a pesca esportiva, que não praticamente não deixa nada de divisas para os municípios.

“O Amazonas tem grande potencial na pesca esportiva. Mas não pode ser no modelo desenvolvido aqui, porque o dinheiro fica com as grandes operadoras. O que nós queremos é ter regras muito claras para que os recursos possam ficar no Brasil, nos Estados e nos municípios”, enfatizou.

Nas próximas semanas o MPA vai apresentar projeto que visa regularizar o setor e ele será articulado com os ministérios do Turismo, Esporte e Meio Ambiente.

No Amazonas, a pesca esportiva é desenvolvida principalmente no municipio de Barcelos e na vila de Balbina (Presidente Figueiredo). Também foi discutida uma ação integrada com os ministérios da Justiça e da Defesa para evitar a evasão, contrabando de peixe ornamental e evitar que o peixe sirva de embalagem para o tráfico de drogas.

Dois caminhões frigoríficos

O ministra Ideli Salvatti entregou no início da tarde dois veículos, um caminhão frigorífico e um caminhão feira, que servirão para estruturar a cadeia produtiva além da entrega simbólica de uma fábrica de gelo, no Puraquequara.

No Estado, serão 11 fábricas. Os equipamentos têm dois objetivos: pegar o peixe diretamente do pescador artesanal fazendo que ele consiga ter um preço melhor, transportar o pescado com segurança e levar o peixe fresco até às comunidades que não tem condições financeiras de se deslocar até o supermercados ou mercados.

“Nós precisaríamos chegar a cinco caminhões feira, o prefeito está me pedindo o triplo. Mas vamos depender dos senadores fazerem emendas”, brinca Ideli. “O caminhão vem para melhorar a vida do pescador, acabando com atravessador, e melhorar a do consumidor”, destacou Amazonino Mendes.

De acordo com o secretário municipal de Produção e Abastecimento, a fábrica de gelo terá capacidade de 1,2 mil kg/dia e atenderá 28 comunidades do Puraquequara.

Saiba mais

Frustração

A ida da ministra da Pesca, Ideli Salvatti, ao município de Manacapuru gerou dor de cabeça a mais de 800 pescadores da cidade e municípios adjacentes.

A categoria aguardou em vão a presença da ministra para reunião, que vinha sendo articulada desde o último dia 27 de março com o senador João pedro (PT).

De acordo com o presidente do Sindicato Estadual de Pescadores, Ronildo Nogueira, as costuras para a reunião, que deveria ter ocorrido na tarde desta sexta-feira (1) no Galpão da Ciranda Tradicional, no bairro de Terra Preta em Manacapuru, iniciaram na semana passada.

http://acritica.uol.com.br/noticias/Ministra-Pesca-Aquicultura-peixe-Amazonia_0_454754554.html

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pelo menos na fala ela esta certa, se isso vai acontecer é outra coisa.

Primeiro, na discurso dela, ela incentiva a aquicultura, o que é bom pq diminui a extração de pescado selvagem.

Também diz que vai colocar de lado a figura do atravessador. O que seria ótimo pq realmente sao esses que ficam todo o lucro da pesca pois o peixe é comprado por eles a preço muito baixo, e muitas vezes todo lucro do pescador fica na mao do atravessador em troca de bens de consumo que ele vende ao pescador a preços exorbitantes. Na teoria é bom, só que o atravessadores, chefes da mafia do peixe, sao pessoas poderosas e influentes em suas regiões e nao acredito vao mexer no bolso delas.

O tal caminhao feira, é legal, mas ele vai atuar so nos arredores de manaus, no maximo ate manacapuru, pois dali pra cima nao tem estrada.

Pesca esportiva; a nao retenção do dinheiro gerado pelo turismo nas cidades proximas dos pontos de pesca nao é uma das alegações dos prefeitos de santa izabel e barcelos? que os barcos sal registrados em manaus, entao, se acharem alguma forma do dinheiro gerado ser empregado naqueles municipios também é uma boa medida poiis tende a reduzir o extrativismo.

a intenção pro enquanto ta boa, vamos ver o que acontece de agora em diante.

bração

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

No tocante a pesca esportiva, pelo que conheço deste país e seus governates, é que irão simplesmente cobrar mais alguma taxa/imposto/licença afim de gerar receita para aqueles municípios.

Simples assim! ::evil::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se registrar depois. Se você tem uma conta, CLIQUE AQUI para postar com a sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...