Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Sergio Nave

Jig. Qual o trabalho correto?

Posts Recomendados

Opa Sérgio....

Não sou a pessoa ideal para falar do trabalho correto...pois uso jigs apenas quando os peixes refugam na superfície...mas percebo q o trabalho varia de acordo com a atividade do peixe.

Já vi peixe pegando em trabalhos feitos com toques únicos e longos....E tb vi peixes atacarem em 4 puxadas mais rápidas e depois uma pausa de 4 segundos pro jig descer novamente.

Tb vi peixes próximos ao barco e apenas pindocando sobre eles foi o suficiente pro ataque.

Estes são os trabalhos q conheço... joia:::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sergio, não sei se teria a maneira correta de se trabalhar um jig, para mim o jeito correto é oq provoca o ataque.

Nessa epoca mais fria com os peixes mais manhosos custumo recolher mais devagar com pequenos toques de ponta de vara, mas tbm tem q se observar a reação dos peixes e ir alternando o recolhimento a cada arremesso até achar a medida em q os peixes estão atacando.

Espero ter ajudado.

Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Obrigado aos amigos,pois as respostas ajudaram muito,apesar de pescar tucuna a bastante tempo confesso que nunca usei o jig,e as resposta vieram a a confirmar o qu eu já suspeitava,é uma questão de persepsão.Obrigado

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante

Parceiro... Costumo usar somente superficie...

Uso mais quando os peixes refugam...

Aprendi a usar jig... arremessando esperando alguns segundos afundar... quando sentir o funto...

com a ponta da vara para baixo dando pequenos toques com a ponta da vara e recolhendo.... sempre foi muito eficiente

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parceiro... Costumo usar somente superficie...

Uso mais quando os peixes refugam...

Aprendi a usar jig... arremessando esperando alguns segundos afundar... quando sentir o funto...

com a ponta da vara para baixo dando pequenos toques com a ponta da vara e recolhendo.... sempre foi muito eficiente

Companheiros

Concordo com o Joelson com pequenas alterações, isto é, não deixo o jig tocar o fundo pois o risco de prender numa galhada é grande e, além disto, o tucunaré não fica no fundo mas mais ou menos no meia-água onde pode fazer seus ataques para baixo ou para cima (o mais comum). A mesma coisa é jogar perto do barranco, onde teremos os riscos dos mesmos enroscos e ataques de piranhas ou das traíras que vão detonar o jig :gorfei: O trabalho com a ponta da vara para baixo faço como o Joelson, procuro um ângulo de cêrca de 45 graus e os toques são rápidos indo para 0 graus (para cima na vertical) e recolhendo na volta aos 45 graus ( seria um movimento tipo "stop and go,"e o que seria isto? Stop quando a vara volta aos 45 graus e dá sua paradinha e "go" quando levamos a vara ao Zero grau que é o momento quando voltamos abaixando a ponta da vara recolhendo!. A linha deve estar sempre esticada para não dar chance do peixe atacar e vc perde-lo por estar a linha bamba! Deu para entenderem?

:amigo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tem 2 formas básicas de usar. Deixando chegar ao fundo, dando toques ( 1, 2 ou 3 ou aleatóriamente) para ele subir e na volta do jig para o fundo, recolhe a linha para ela não ficar bamba, porque na maioria das vezes o peixe ataca quando a isca está descendo. A outra forma é trabalhar ele como se fosse uma isca de meia água e a profundidade vai depender de onde o peixe está atacando. A velocidade do trabalho também está relacionada com a atividade do peixe naquele momento. Uma hora ele ataca mais quando o jig está rapido, outra hora quando está mais lento. As cores estão relacionadas à luminosidade, inclusive a profundidade que o jig está, pois quanto mais fundo, mais escuro. A cor da água também interfere na cor a ser selecionada para o uso naquele momento. Uma curiosidade... para a pesca no mar, o pessoal não gosta muito da cor vermelha por exemplo, pois é a cor que se torna menos perceptiva ou atrativa para o peixe em relação à profundidade, diferentemente do rosa, que já é boa em profundidades maiores.

O Eribert usa muito jig na Serra da Mesa e pega tucunaré a 12... 14 metros de fundura em um paredão de pedra com o jig tocando no fundo, quem já foi lá com ele sabe do que eu estou falando. Agora que a represa subiu, não sei se neste lugar em específico está pegando.

Tem um video do Juninho mostrando o trabalho que ele faz usando um jig com a filmagem debaixo da água. Assim dá para ver como é o movimento da isca e poderá te ajudar em algumas ocasiões.

OUTRA FORMA É METER O JIG NO MATO ASSIM... :gorfei: :gorfei:

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu gosto de ver o bicho nadando, pra cima e pra baixa.... eu tenho pego bastante na decida....tambem gosto do trabalho continuo, porém quem manda mesmo é os bocudos ai vou me adaptando, hehehheh.....

Grande abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala brow... Eu pessoalmento não curto muito Jig Naonao:: Meu bother Gustavo tem tudo quantao ha de Jigs :gorfei:

enfim...

Eles fazem muita diferença quando os peixes estão manhosos e tal... Proporciona mais briga, o peixe fica muito mais solto pois tem apenas uma anzol, diferente das carateias que tende a amarrar mais a briga em minha opinião é claro!!!...rs

Segue abaixo um video do Juninho que vai ilustrar bem esse tecnica pra vc!!!

Abraços espero ter ajudado!!!

::tudo:: ::tudo:: ::tudo:: ::tudo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×