Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Flávio Martins

Espécie unica ameaçada

Posts Recomendados

São 5cm de comprimento, cores fortes e uma constante luta pela sobrevivência. O pirá-brasília, peixe encontrado somente no Distrito Federal, tem oficialmente uma população que se resume a cerca de 100 exemplares, todos em um brejo da reserva ecológica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, integrante da Bacia Hidrográfica do Gama. A espécie está na lista vermelha da União Internacional pela Conservação da Natureza, entidade com sede na Suíça, dentre as seriamente ameaçadas de extinção.

Essa história tem início em 1959, na área do Córrego Riacho Fundo, quando o peixe, cujo nome científico é Cynolebias boitonei, foi identificado pela primeira vez. O descobridor foi o zoonaturalista José Boitone, um dos primeiros funcionários do zoológico. Era o auge das obras da nova capital, e não demorou para o peixinho ganhar um nome popular em homenagem à cidade que tomava forma.

Encontrada apenas nas áreas de veredas (uma espécie de brejo) do Distrito Federal, a espécie rara passou a ser cobiçada por donos de aquário. Como não havia qualquer tipo de controle, muitos peixes foram recolhidos e enviados para o exterior. Valorizado por sua beleza e com o tamanho adequado para aquários, o peixinho faz sucesso longe do cerrado. Além das cores chamativas, ele atrai justamente por ser raro. O pirá-brasília pode ser encontrado em aquários do Japão, dos Estados Unidos e da Europa. Mas foram a rápida expansão da mancha urbana de Brasília e a contaminação dos córregos por agrotóxicos os grandes adversários da espécie.

O analista Henrique Anatole, do Ibama, está conduzindo uma pesquisa para identificar as causas do desaparecimento do peixe em algumas áreas. ?A intenção é conhecer os fatores ambientais que influenciaram no processo e recuperar as áreas onde o peixe se reproduz?, explica Anatole. Hoje em dia, oficialmente, o peixe só é encontrado na reserva do IBGE. Mas José Boitone, 78 anos, garante que o pirá-brasília tem outras casas na capital. ?Eu espalhei o peixe por outros locais. Na maioria dos casos, não deu certo, mas alguns deles se reproduziram.? E confirma que o último refúgio seguro da espécie é a Reserva Ecológica do IBGE.

Vítima da ação do homem, o pirá-brasília se escondeu em um brejo dentro da área preservada. Uma região cercada com aproximadamente 25 hectares, entre árvores, lama e mato, em poças d?água de apenas 20cm de altura. É lá, na região do Córrego Taquara, que vivem os únicos remanescentes monitorados da espécie. ?É comum a gente passar o dia inteiro aqui sem ver um deles?, conta Diacis de Alvarenga, técnico da reserva que lida com os peixes.

Polêmica

O pirá-brasília ganhou fama em 1995, quando o deputado distrital Wasny de Roure (PT) apresentou um projeto que dava ao peixe a condição de animal-símbolo da cidade. Como a única espécie exclusiva do Distrito Federal, ele não tinha rivais. Até que o deputado distrital César Lacerda, do extinto PRN, lançou uma revelação: o tal do peixe era gay. Na verdade, hermafrodita. O parlamentar propôs uma emenda ao projeto do colega, incluindo o lobo-guará na disputa pela primazia. ?Esse peixe insignificante não é um bicho. É uma bicha?, atacou, na época, o parlamentar. Confusão instalada.

?Isso é uma bobagem?, rebate o biólogo Mauro César Lambert, do IBGE. Ele lembra que macho e fêmea têm até cores e tamanhos diferentes. ?Aquela foi uma polêmica criada por motivos políticos?, esbraveja. Para dar fim à disputa, foi promovida uma eleição, organizada pelo Correio Braziliense, que decidiria o animal que melhor representava nossa cidade. Numa votação livre, o lobo-guará venceu.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu usava como isca!!! ::evil::

Brincadeirinha! lingua::

Ocorre o mesmo que com passarinhos blink:: ; hoje em dia só vemos pardais soltos porque os outros já estão nas gaiolas... ahh::

É uma pena o que o bicho homem faz com a natureza... vergonha:: medo:: morto::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na verdade me parece ser um Killifish, tipo de peixe muito comum em aquarios.

Sobre os pássaros, tenho percebido o aparecimento de alguns que não se via a alguns anos atrás, talvez devido a fiscalização do ibama ser maior nessa área do que sobre os peixes ornamentais. Passaros como tucanos, papagaios não se via facilmente por aqui, hoje já são mais comuns.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

No começo achei que era zuação do Flavio, mas o bicho existe mesmo só há uma divergência com o nome do descobridor dele, e no site que pesquisei ta escrito synobélias com "s", não sei qual tá certo hehehehe, e tb não faz nenhuma diferença no que dis respeito a preservação da espécie kkk.

É oportuno informar, que o synobélias citado nesta história é verdadeira. Sua existência foi registrada em 1959, pelo ecologista Eduardo Kunze - biólogo e professor da Universidade de Brasília. Mais precisamente, nas margens da bacia do Lago do Paranoá.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante

No começo achei que era zuação do Flavio...

Também tem muitas coisas que acho que é palhaçada do Flávio, mas realmente este peixe esta muito ameaçado. É uma pena, pois o peixe é muito belo e quem gosta de aquário certamente deseja um exemplar deste.

Deveriam fazer uma criação para tentar reprodução em cativeiro.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

No começo achei que era zuação do Flavio...

Também tem muitas coisas que acho que é palhaçada do Flávio, mas realmente este peixe esta muito ameaçado. É uma pena, pois o peixe é muito belo e quem gosta de aquário certamente deseja um exemplar deste.

Deveriam fazer uma criação para tentar reprodução em cativeiro.

Macedo,

Tem vários sites, inclusive do japão, que informam como é o ciclo de reprodução, lá fora ele tem e muito...aqui que não tem mais!!! blink:: blink:: blink::

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S01 ... ci_arttext

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

No começo achei que era zuação do Flavio...

Também tem muitas coisas que acho que é palhaçada do Flávio, mas realmente este peixe esta muito ameaçado. É uma pena, pois o peixe é muito belo e quem gosta de aquário certamente deseja um exemplar deste.

Deveriam fazer uma criação para tentar reprodução em cativeiro.

Macedo,

Tem vários sites, inclusive do japão, que informam como é o ciclo de reprodução, lá fora ele tem e muito...aqui que não tem mais!!! blink:: blink:: blink::

Cara o povo arretado, não é a toa que o Açai tava patenteado para eles! mau::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Também tem muitas coisas que acho que é palhaçada do Flávio, mas realmente este peixe esta muito ameaçado. É uma pena, pois o peixe é muito belo e quem gosta de aquário certamente deseja um exemplar deste.

Deveriam fazer uma criação para tentar reprodução em cativeiro.

Macedo,

Tem vários sites, inclusive do japão, que informam como é o ciclo de reprodução, lá fora ele tem e muito...aqui que não tem mais!!! blink:: blink:: blink::

Cara o povo arretado, não é a toa que o Açai tava patenteado para eles! mau::

O nome disso é biopirataria!

Os caras de olhos puxados deveriam ir presos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×