Ir para conteúdo

angelo-fernandes

Membro
  • Total de itens

    14
  • Registro em

  • Última visita

Sobre angelo-fernandes

  • Rank
    Pescador de Lobó
  • Data de Nascimento 21-06-1984

Informações de Perfil

  • Localização
    Campinas-SP

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. joia::: Assim como o Danilo, eu iria com uma vara que arremesse uma gama maior de iscas. As Rapalas realmente são sensacionais (possuo uma platinum 5'3" 17lbs e outra platinum para JumpingJig Pe 6-8). Mas arriscar uma ponteira por causa do peso inadequado de iscas é meio imprudência... (as vezes arremessar uma isquinha de 9g em uma vara preparada para até 7g não é nada demais, mas e se a isca tiver 13 ou 15g?)
  2. Grande Wagner, SÓ não encontrei a linha!!! chorei:: chorei:: De que linha vc está falando? QUal material, calibre, preço?? Dá uma dica.... morei em Praia Grande todo o ano passado, posso encontrar qq coisa aí em SV! Brigadão
  3. Pessoal, gostaria de saber se algum de vocês confecciona support (ou assist) hooks que são aqueles anzóis com cordinha utilizados principalmente em pescaria com jumping jigs. Os bons disponívéis no mercado são imensamente caros (até R$25,00 cada ANZOL!!) e já que para um bom desempenho preciso de uma gama grande deles (diversos tamanhos, comprimentos e até mesmo alguns duplos). Gostaria de confeccioná-los utilizando anzóis de boa qualidade, rings e o fio de multifilamento, dando o acabamento plástico final. Encontrei todos materiais para fazê-los, exceto os fios multifilamento (em programas de pesca, dvds e literatura de pesca, eu vi que os fios ideais são multifilamento de spectra que podem chegar até a 200lb). Procurei em diversas lojas de pesca aqui em Campinas e mesmo na internet (pesca pinheiros, sugoi, rei da pesca...) Gostaria de saber se alguém pode me indicar um fio ideal, onde comprar e dicas para sua confecção! Muito obrigado!!
  4. :bompost: :bompost: :bompost: Bem aí vai meus conjuntos de acordo com as pescarias realizadas: Jumping Jig médio: Vara Shimano Trevala 6'3" 30-65lbs Molinete Daiwa Saltiga 4500 Linha Multi PE 4 Samurai (200 mts) Leader Fluorcarbono Shimano 60lbs Jigs de 40-150g Jumping Jig pesado: Vara Rapala Platinum 5'3" 60-80lbs Molinete Shimano Stela 10000 Linha Multi PE 7 TufLine (300mts) Leader Fluorcarbono Shimano 80lbs Jigs 150-300g Pesca Superfície Mar: Vara Shimano Trevala 7" 30lbs Carretilha Shimano Callais 201 DC 7 Linha Multi Samurai 26lbs (150m) Leader Fluorcarbono Shimano 60lbs Grandes poppers e zaras (30-90g) Pesca pesada / corrico Vara Pesca Brasil 6" Dourado Lester 40lbs Carretilha Abu Garcia 5601 C4 Linha Multi Rapala 45lbs (200mts) Iscas de meia água com barbela longa Pesca média Vara Fleming Advance II 6" 25lbs ou Vara Fleming Equinox 5'6" 20lbs Carretilhas Shimano Curado SF 201 ou Shimano Callais 201 DC 7 Linhas Multi Samurai 26 lbs (150mts) Iscas de superficie (zaras, helices, poppers, walking-the-dog) e meia-água de 7-20g Pesca Leve Vara Shimano Clarus 6" Ultra rápida 17lbs Vara Rapala Platinum 5'3" 17lbs Carretilha Shimano Scorpion 1001 Linha Multi Samurai 20lbs (150mts) Iscas de superficie e meia-água de 5-9g Pesca Ultra-leve Vara Fleming Cavalier II 5'3" 14lbs Carretilha Shimano Scorpion 1001 Linha Multi Samurai 20lbs (150mts) Iscas de superficie e meia-água de 5-9g Possuo muito mais varas que carretilhas/molinetes, logo tenho que ter material bem versatil para uma gama enorme de pescarias em agua doce, estuarios e mar.
  5. Eis as fotos desta grande pescaria: http://img299.imageshack.us/img299/8643/dsc00555h.th.jpghttp://img216.imageshack.us/img216/549/dsc00556o.th.jpghttp://img502.imageshack.us/img502/6382/dsc00557x.th.jpghttp://img291.imageshack.us/img291/7024/dsc00558i.th.jpghttp://img91.imageshack.us/img91/1773/dsc00559v.th.jpghttp://img502.imageshack.us/img502/7682/dsc00560.th.jpghttp://img299.imageshack.us/img299/7823/dsc00561q.th.jpghttp://img216.imageshack.us/img216/3064/dsc00564e.th.jpghttp://img89.imageshack.us/img89/2892/dsc00565z.th.jpghttp://img299.imageshack.us/img299/2225/dsc00566zxm.th.jpghttp://img216.imageshack.us/img216/976/dsc00567s.th.jpghttp://img502.imageshack.us/img502/7247/dsc00568a.th.jpghttp://img502.imageshack.us/img502/6411/dsc00570j.th.jpghttp://img299.imageshack.us/img299/1135/dsc00571z.th.jpghttp://img216.imageshack.us/img216/8299/dsc00572jya.th.jpghttp://img89.imageshack.us/img89/8927/dsc00573a.th.jpghttp://img299.imageshack.us/img299/2679/dsc00574e.th.jpghttp://img216.imageshack.us/img216/2628/dsc00575v.th.jpghttp://img502.imageshack.us/img502/5838/dsc00576j.th.jpghttp://img502.imageshack.us/img502/1442/dsc00578j.th.jpghttp://img299.imageshack.us/img299/3179/dsc00579k.th.jpghttp://img216.imageshack.us/img216/8470/dsc00583n.th.jpghttp://img89.imageshack.us/img89/1923/dsc00584u.th.jpghttp://img299.imageshack.us/img299/8689/dsc00585e.th.jpghttp://img216.imageshack.us/img216/9756/dsc00586x.th.jpghttp://img502.imageshack.us/img502/8047/dsc00593l.th.jpghttp://img291.imageshack.us/img291/6749/dsc00601g.th.jpg
  6. Para aproveitar minhas férias em pleno agosto na Bahia, resolvi tentar pescar os famosos robalões da minha terra. ADORO pescar robalos em estuários, já fiz isso diversas vezes em Iguape/SP, porém sempre ouvi relatos sobre a Bahia e como saí do estado há alguns anos, não havia tido a oportunidade. O Local Pesquisando na internet, conheci diversos relatos e reportagens sobre uma cidadezinha chamada Jaguaripe ( www.jaguaripe.ba.gov.br ), no extremo sul da Baía de Todos os Santos, foz dos rios Jaguaripe e Da Dona, próximos as cidades de Nazaré e Santo Antônio de Jesus, há cerca de 1h e 45min de Feira de Santana (cidade onde estava instalado). Li sobre diversas pescarias excelentes, muitas ações na isca artificial e belos exemplares fisgados, além da exuberância da natureza local. Estrutura para Pesca Esportiva Ainda seguindo pesquisas na internet e em revistas especializadas do ramo, conheci o pescador local Nilton, pessoa muito simples, atenciosa e bacana, que trabalha como guia de pesca na região. O mesmo leva o pescador em diversos pontos de pesca com um barco de alumínio, motor de popa 25hp, sem limite de combustível (ele rodou MUITO o dia inteiro sem economia). O próprio Nilton não pesca com iscas artificiais costumeiramente, mas dá muitas dicas (de forma pacata e humilde) de locais, tipos de iscas, cores, pinchos e como trabalhar a isca (valor total da diária R$250,00, telefone para contato 75- ). A pousada local é a Pousada Porto Jaguaripe (www.portojaguaripe.com.br), também simples porém com instalações mínimas para proporcionar o repouso necessário e alimentação. As saídas são do pier da própria pousada. Dica: chegue na tarde anterior da pescaria e dê umas pinchadas nas pequenas lagoas nos fundos da pousada, dá pra se divertir bastante capturando traíras de bom tamanho e voracidade batendo iscas de superfície, meia-água e sapinhos artificiais (trabalhe-as bem lentamente) Preparativos para a pescaria Feito os contatos com o guia e pousada, aconselho planejamento quanto a viagem. Os acessos são via Salvador-ferry-boat-estrada (via rodovia Bom Despacho-Nazaré) ou via BR101 (entrada Santo Antonio de Jesus) acesso Nazaré. A estradinha que liga a rodovia Nazaré-Bom Despacho até Jaguaripe de cerca de 30km é PÉSSIMA, sem qq sinalização e bem perigosa. DESACONSELHO viagens à noite. Indico ainda levar no material de pesca iscas de meia-água de 5-9 cm, camarão artificial (pequei por não ter levado) e linha anti-abrasivas para leader (utilizo sempre fluorcarbono), lá na cidadezinha é improvável encontrar qq tralha para pesca esportiva. NUNCA esqueçam o protetor solar (utilizo fator 50), repelente de insetos (local quente, bastante ensolarado e de manguezal, ou seja bastante pernilongos, mutucas, etc) e bastante água e líquidos. Cheque o tempo!!! Se der a sorte de pescar em uma semana com Lua de quarto, poucos ventos, ensolarada e pressão atmosférica estável, sua pescaria tem mais chances de ser memorável! Relato da pescaria O tempo na semana em que pesquei inegavelmente não era dos melhores, mês de agosto (conhecido como mês dos ventos na região), tempo inconstante com pancadas de chuvas esparsas durante todo o dia (vejam nas fotos). A manhã do dia 11 foi desanimadora, estava ventando muito (acho que de todos fatores climáticos que relatei, esse é o pior), os arremessos estavam difíceis, pouca precisão, os peixes estavam praticamente inativos. Para piorar a maré estava bastante cheia, logo os peixes invadem o mangue para se alimentar e achá-los foi bem complicado. A primeira ação só aconteceu numa pauleira submersa de uma gamboa abandonada às 11:30h (maré já meia-vazante); as gamboas atraem uma variedade de vida marinha impressionante, achar robalos nelas é quase certo, além de outras espécies conhecidas na região com Saltadeira e Cabeçuda (uma espécie de xareus amarelos em miniatura) Devido a ventania que não dava trégua, o Nilton sabiamente, optou por tentar arremessos em pequenos braços de rio (Mucujózinho e Mucujó Grande) e acertamos em cheio. A maré próxima ao reponto e enchendo deixou os bicudinhos mais ativos e naquela tarde, realizamos captura de cerca de 2 dezenas de pequenos robalos (ver fotos). Fiquei impressionado com a proporção de flechas x pevas (quase 1:1), foi sensacional ver robalos um pouco maiores que as iscas brigando lindamente. Os flechinhas deram um show à parte: brutos, atacavam as iscas com voracidade, inclusive com alguns saltos. Nesta tarde, deparei-me com uma triste realidade dos rios baianos: a pesca criminosa e predatória (detalhes a seguir). No segundo dia (12/ago), optamos por sair bem cedo, pois o vento estava bem menos intenso antes das 09h30. Dessa vez o que nos pegou de jeito foram as pancadas de chuva torrenciais e fugazes. Mesmo assim, as ações foram muito mais animadoras, especialmente em encostas pedregosas no rio Jaguaripe (aconselho muito explorar estas encostas, especialmente junto a vegetação submersa durante as marés cheias), inclusive com captura de outras espécies como Vermelhão-dentão. Fizemos uma pausa para o café da manhã e como estava ventando, durante 45 minutos, fiz investidas nas lagoas da pousada com ações das jurássicas e brutas traíras. Me arrependo de não ter tido mais tempo para dedicar à exploração daquelas lagoas. De volta aos robalos, eram cerca de 11h da manhã, os ventos mais calmos que o dia anterior e fomos explorar o rio da Dona, antes fazendo uma pausa em uma ilha particular para explorar os pilares do pier. Arremessos embaixo do pier renderam várias ações emocionantes, apesar do pequeno tamanho dos exemplares. Mais uma vez a chuva nos pegou e resolvemos rumar ao rio da Dona. Infelizmente, em um ponto rico em pedras já havia três mergulhadores, logo rumamos para pequenos rios tributários do rio da Dona, o que não renderam muitas ações, porém o visual da natureza e isolamento locais me impressionaram. Era horário de reponto de maré e voltamos ao encontro do Mucujó Grande com o rio Jaguaripe. Arremessos sempre em direção às galhadas e ao manguezal renderam ações de pequenos flechas e alguns pevas de bons tamanhos. Enquanto arremessava em direção à margem vi um barco corricando no leito deste rio e fiquei impressionado com o rendimento, flagrei capturas de quase uma dezena de peixes, alguns beirando os 3 a 5kg em pouco mais de uma hora (numa próxima oportunidade, o corrico com artificiais e rodada com jumping jigs com certeza farão parte do roteiro!) Finalizando o fim de tarde, exploramos mais um paredão de pedras no interior do rio Mucujó grande, e tive 3 capturas espetaculares com pevas de cerca de meio quilo e uma perda de um maior em um local mais profundo que parecia um poço. Retornei ao pier da pousada curtindo o visual do por do sol e cair da noite maravilhosos da região com a sensação de satisfação, felicidade (apesar de dor no braço diante tantos arremessos) e curiosidade em explorar mais a região com outras alternativas de pescaria (corrico, jigs e fly) em épocas climáticas mais propícias, dessa vez os grandões ficaram escondidos, mas quem sabe na próxima? Ameaça ao paraíso, uma denúncia importante. Infelizmente a consciência ecológica dos turistas que viajam à região nem sempre é a ideal. A fartura da região não freia a matança indiscriminada, inclusive de pequenos espécimes. Porém o que mais me entristeceu foi a flagrante pesca predatória praticada por alguns dos pescadores artesanais locais. Atitudes como uso de rede fechando por completo braços de rios e principalmente uso de PESCA COM BOMBA, promovem a morte de espécies sem qualquer critério e demonstram a total falta de preocupação com o próprio futuro de sua atividade pesqueira, já que haverá intensa mortandade da ictofauna local e declínio dos estoques pesqueiros, além de destruição de tão bela natureza. Fica aqui minha denúncia e apelo aos pescadores predadores e autoridades. Equipamentos Conjunto 1: Vara Fleming Cavalier II, 5’3”, 14lbs. Carretilha Shimano Scorpion 1001, linha multi 20lbs, leader fluorcarbono 25lbs. Conjunto 2: Vara Rapala Platinum 5’3”, 17lbs. Carretilho Shimano Curado SF 201, linha multi 22lbs, leader fluorcarbono 25lbs. Iscas: Tentei várias iscas de meia-água (barbelas curtas, de cerca de 6-9 cm, como Bomber 10A e Inna 70), as campeãs: Borá 75 by Nelson Nakamura rosa e glow com dorso verde limão e ventre laranja (ver fotos). (POSTAREI AS FOTOS LOGO MAIS, CONEXÃO MUITO LENTA)
  7. Putz!!! Que bacana!! Qual tralha usada e quais iscas vcs utilizaram? Estarei indo pra Jaguaripe com o Newton amanhã!! Muito boa a dica da lagoa! Até o fim de semana eu postarei dizendo como foi e dando dicas pro pessoal!!
  8. Noooossssaaaa....... aproveitando que estamos em véspera de dia dos pais, QUE PAIZÃO!!!!! Um sonho esse relato!!!
  9. Olá pessoal!! Espero que tenham gostado do relato. Agora, as fotos! Falow! http://img41.imageshack.us/img41/5199/dsc00512w.th.jpg
  10. Gostaria de compartilhar minha angustia que estou passando aqui em Feira e Santana-BA. Primeiro deixa explicar sobre a situação local. Trata-se da segunda maior cidade baiana, mais de 517 mil habitantes, cortada por 2 grandes rios: o Rio Jacuípe e Rio Paraguaçu (sem contar outros pequenos). Estou há dias procurando contatos para pesca (locais, guias, aluguel de barcos...), vasculhei na internet, tentei contatos pela loja de pesca mais conhecida da cidade e em atitudes desesperadas, fui de carro até a margens dos rios!! Me deparei com um quadro desolador. Ausencia total de estrutura para pesca (imaginem só de pescaria esportiva!!! Nem sabem o que é), bastante falta de consciencia ecologica, um grande potencial desses sem qualquer estrutura. Cade os empresarios ou pessoas que queiram aproveitar oportunidades? Tudo que consegui foi um contato em marina particular, nenhuma empresa, guia de pesca, barco para locação. Uma pena.
  11. Amigos, estava há meses sem dar uns pinchos e há 3 anos sem pescar tucunas! Já estava ficando louco! Tirei uns dias de férias, começo de agosto, manhãs ainda frias, época não é a ideal mas não tive dúvidas, mesmo sem parceiro de pesca, retornei a Represa de Volta Grande, no Rio Grande (divisa SP-MG) no município de Miguelópolis-SP. Como da primeira vez, fiquei na agradável Pousada Volta Grande. Fui numa terça feira a tarde (04/08/09), pousada vazia, tempo firme, estável (pressão atmosférica estava bem estável há alguns dias, sem ventos, sem previsão de chuvas e temperatura amena pela manhã e esquentando a tarde). Como guia, o grande Tio Caverna (Marquinhos), saímos lá pelas 07:30h, seguindo o conselho do Caverna, levamos algumas dezenas de lambaris pois segundo relatos, os peixes estavam bastante manhosos e muita vezes acompanhavam a isca, davam umas cabeçadas mas não pegavam (coisa que aconteceu bastante) e se isso acontecia bastava arremessar o lambari que a fisgada se confirmava. Rumamos direto para o lagoão, fomos na rodada apenas com motor elétrico com algumas ações interessantes. Porém a diversão pra valer começou qdo chegamos na galhada no fundo da lagoa. Estrutura propícia para os tucunas. Foi arrasador!!! Iniciei com uma hélice (mini torpedo) alaranjada que deixou os azulões e amarelos loucos, tive várias ações, a maioria sem sucesso, porém bastava arremessar o lambari que a pegada se confirmava. A manhã avançou e as ações não paravam. Troquei a hélice para uma isca que trabalhasse na sub superfície e com um nado errático, a Lelé (amarelo-esverdeada e rosa) se mostrou matadeira. Trabalhando a isca com paradinhas e bastante toques foi incrível. Os brutos atacaram de tal forma que um azulão de 49cm conseguiu abrir uma garatéia da lelé, foi muito emocionante, minha varinha de 14 lbs trabalhou até o limite com a grande corrida que o monstro deu em direção à pauleira, por pouco o bichão escapou. Coisa que infelizmente aconteceu com um grande amarelão, que escapou após abrir a garatéia traseira da minha lélé rosa... A sol já estava alto, escondido entre nuvens, ventava pouquissimo e as ações não pararam, tanto que permanecemos por horas na mesma estrutura (gastamos apenas 8litros de combustivel) e resolvemos não fazer pausa por almoço! Utilizando a hélice, aparentemente atraia muito a atençao e curiosidade dos tucunas, porém iscas de sub superfície e zara as ações eram mais efetivas (os peixes atacavam e a fisgada se confirmava). Com o avançar da tarde exploramos estruturas na margem e foi sensacional, utilizando uma Zara da St. Finger cor de osso, tive muitas mas muitas ações, em 45 minutos foram quase 10 ações e 4 peixes embarcados!! Eram 16h, após dezenas de ações, mais de 25 peixes fisgados, eu com o antebraço já queimando de tantos arremessos e fisgadas e estomago roncando de fome, resolvemos retornar para a pousada. Assamos na brasa uma bela picanha e 4 tucunas (a la Tio Caverna - SENSACIONAL!!!) Pescaria NOTA MIL! Recomendo muito o MArquinhos, muito bacana, divertido, sabe e gosta do que faz. Tirei algumas fotos, postarei logo!! Equipamentos: Conj 1 - Vara Rapala Platinum 5´3 17lbs + Carretilha Shimano Scorpion 1001 (da série antiga), linha multi 0,22mm com leader de fluorcarbono de 25lbs. Conj 2 - Vara Fleming Cavalier II 5´6 14lbs + Carretilha Shimano Curado SF 201 (SF da série antiga), linha multi 0,22mm com leader de fluorcarbono de 25lbs. Iscas recomendadas: Hélice Baby torpedo 7,5g (cor alaranjada opaca) Lelé da Borboleta (cores amarelo-esverdeadas e rosa) Zara da St. Finger (cor osso)
  12. E pra despachar as varas??? COmo é o procedimento? Há algum problema com os tubos de vara?
  13. joia::: joia::: A propósito, estarei pescando sozinho... se alguém estiver num momento vagabundo como o meu e quiser dar uns pinchos... será bem vindo!!! Ah, lógico que depois postarei fotos das pescarias e minhas impressões! joia::: joia:::
  14. Olá amigos. Moro em Campinas porém sou da Bahia e meus pais moram lá. Estou indo passar uns dias lá na semana que vem. Eles moram em Feira de Santana. Apesar de não ser a epoca ideal, quero muito fazer 2 pescarias: uma de robalo e outra de tucunaré. A de robalo eu já resolvi, irei pescar em Jaguaripe (próximo a NAzaré no meio da semana que vem). ALguém sugere um local pra encontrar os tucunas? Sei da represa Pedra do Cavalo, sempre me fascinou a possibilidade de pescar lá, porém não conheço nenhuma emprea, guia pra alugar barco, motor, etc.. Alguém pode me ajudar???
×
×
  • Criar Novo...