Ir para conteúdo

Vitassir Edgar

Membro
  • Total de itens

    14
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Vitassir Edgar

  • Rank
    Pescador de Lobó
  • Data de Nascimento 30-12-1974

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino

Informações de Perfil

  • Localização
    Uruguaiana - RS

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Estou com o Diego. Em alumínio, nada supera a Marajó. Não fosse o preço (absurdo).... Não pensaria duas vezes.
  2. Parabéns, está muito linda essa Sky F. E aí, na sua opinião, quem anda mais: Sky F ou Grand Bass... Que baita briga hein?
  3. Todo acidente - náutico e ou terrestre - é lamentável. Mas culpar a competição, os torneios, as largadas... Me parece ir longe demais. Vivam os torneios, vivam as largadas, viva a largada de Goya, na Argentina. Precisa-se de disciplina e organização. Competição entre marcas, ótimo; rixa, tantas e tantas vezes instigadas, não tem o menor cabimento....
  4. Rio Uruguai, em Uruguaiana, + ou - 47 m de altitude. Rio a baixo dá uma diferença de 5km/h A MAIS do que subindo o rio. Medição de GPS.
  5. Caro Fabrício, permita-me uma consideração peculiar: uma abordagem em face do lugar onde resido: Uruguaiana/RS. Sempre sonhei em ter um bass boat. No Rio Grande do Sul até existe black bass, mas é na serra (Vacaria e região). Mas é pescaria de açude. De barranco. Tucunaré, nem pensar.... Pescaria de pincho ou rodada, só dourado ou surubi. Mas ambos estão proibidos, em face de lei estadual. Ainda bem! Logo: a grande pescaria nossa, hoje em dia, é PIAVA. E das grandes. Há relatos de exemplares de 08, 09 até 11kg. Eu particularmente nunca superei os 6kg. Mas como disse anteriormente: sempre sonhei em ter um bass boat, mas a pesca que pratico é basicamente APOITADA. Diante disso, descartei todas as opções que não tivessem a possibilidade de "virar os bancos". Não sobraram muitas alternativas: megabass sportbass, Z-21 e a F 2+2 da fibralar. A sportbass é um foguete. Tem uma em Uruguaiana. 86 milhas. Tenho, porém, duas objeções: para pescar o dia inteiro sentado, fica desconfortável. Bancos baixos: dor nas pernas. E, apesar de muito veloz, nosso rio tem muito 'ressojo' (dúvida quanto à grafia). Além de pedra, toco.... Z-21 não conheço, mas parece muito grande. Comprei uma F 2+2: só tenho elogios. Meus bancos regulo a altura. Passo o dia inteiro pescando e volto novo. E digo: com um etec 150 andou 70 milhas. Em breve estará com um mercury 175 pro xs. Garanto: arrependimento zero. Anda muito e corta onda como nenhuma outra ( que andei). E econômica demais. Velocidade usual: 40 milhas/hora. Outra questão: o que realmente vale (pra mim), não é milhas/hora, mas milhas/galão. Autonomia é a palavra chave para conforto em navegar. No mais, parabéns pelo tópico e aquele abraço.
  6. Dica de que mora na 'Barranca' do Rio Uruguai: verificar a altura do rio. Acesse: www.prefecturanaval.gov.ar. A altura do rio uruguai, paraná e paraguai é atualizada de 12 e 12h. Ajuda demais.
  7. A previsão era para rabeta chegar no dia 10 de julho, mas não chegou. Consegui desfazer o negócio e comprei um 150 novo. Respirei fundo e comprei outro etec. Apresar de tudo, aqui só tem assistência técnica do etec. Se eu tivesse opção, teria ido de mercury.
  8. Talvez o assunto tivesse que ser postado em outro tópico, mas por estar relacionado a um motor, para uma lancha "tipo Bass boat", decidi postar aqui. Comprei um ETEC 130 (2012, aprox. 50h). A lancha, uma f2+2 da fibralar. O motor apresentou um barulho estranho: precisou abrir a rabeta. Aqui começa o drama... A bombardier sequer tinha à disposição, no Brasil, as ferramentas para abrir a rabeta... Precisou importar dos Estados Unidos... Lá se foram 60 dias só para disponibilizar as ferramentas ("modelo diferente"). Aberta a rabeta, foi preciso acionar a garantia: lá se foram mais 60 dias.... Haviam me garantido até o dia 18 de junho. Não veio... Ficou para 10 de julho, provavelmente... Estou desde fevereiro "a remo". E o barco na garagem, só esperando o motor... Que teste de paciência! E pergunto, alguém enfrentou um problema semelhante com os famosos Etec!
  9. Luiz Diniz: Esse desempenho da hélice de inox deu-se com o barco carregado? Estando leve, não vai estourar o giro? Aliás, qual o diâmetro e passo da hélice de inox?
  10. Alguém sabe onde conseguir o manual em português da carretilha elétrica - Electra 250 da Marine Sports?
  11. A placa anti-cavitação está alinhada com o fundo do barco. Acho que a altura do motor está correta (está no 2° furo de baixo para cima). Vou seguir a dica, Alex, e baixar os flaps. Assim que testar, posto os resultados. Quanto ao passo, não sei te responder. Só sei que a hélice é a original. Valeu.
  12. Alex: carregado, o motor não passa de 5.000 - 5.100 RPM. Apesar de a velocidade não ser aquilo tudo que eu esperava, estou contente com o consumo. Costumo fazer longas distâncias para pescar. Percorro em torno de 50 KM até o ponto de pesca (em represa, água parada; logo, maior resistência do que se fosse rio). E consigo ir, voltar, e ainda sobra combustível no tanque de 28 litros. Melhor passagem: 4.200 RPM. Se esguelar, aí o consumo sobe muito. Já tive outros motores. Inclusive um 20 hp honda, num Karib 500. E para fazer o mesmo percurso, não gastava menos de 20 litros. Por isso, tá bom demais. Sem contar tempo de deslocamento. E o teu Alex, já fez média de consumo. Quanto aos flaps, fez alguma regulagem específica?
  13. Apesar de novo no fórum, acompanho o mesmo há algum tempo. Criei este tópico com o objetivo de trocar experiências sobre o barco (Savage 5513, com mercury 60 hp 4 tempos), notadamente com o que mais tem me 'tirado o sono': passo da hélice e distribuição do peso no barco. Tenho utlizado a hélice original: com duas pessoas a bordo, o barco tem atingido 36 milhas (5.700 RPMs). Porém, se colocar mais peso(três pessoas, 50 litros de combustível, oujtro tanto de cerveja, material de pesca), aí não tem jeito: não passa de 30-31 milhas. A configuração do barco é a mais tradicional possível: tanque de combustível (dois de 28 litros) e bateria (duas de 75 amp) na POPA. Qundo comprei o barco, pensei em jogar tanque e bateria para a proa, mas falei com o Ernani da Metalglass, e ele me sugeriu que mantivesse a configuração original. Fica aí o convite para a troca de experiências.
  14. Boa noite, Sou do Rio Grande do Sul. Pesco no Rio Pelotas (Vacaria/RS), no Rio Uruguai (desde Marcelino Ramos/RS até Uruguaiana/RS) e Rio Paraná (Argentina). Acompanho a "Turma do Biguá" há algum tempo e as informações tem sido realmente úteis. A "Sala Náutica" é o tópico preferido. A troca de experiências é meuito importante. Abraço a todos.
×
×
  • Criar Novo...