Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
JCKruel

Americanos exploram turismo sexual (de pesca?) na Amazônia

Posts Recomendados

Companheiros,

O que vocês vão ver abaixo justifica as razões que algumas empresas americanas não admitem brasileiros em seus "pacotes pescativos sexuais"... Não quero ser leviano, mas admitir que os gringos venham aqui estuprar crianças de 12 anos, para mim é dose, e espero que a Polícia Federal tome todas as medidas cabíveis.

Cadeia neles, se possível com todos os agravantes referentes às drogas aplicadas em menores!

abs - Kruel

Vejam:

Empresa de turismo norte-americana que organizava excursões pesqueiras na Amazônia está sendo investigada sob suspeita de explorar o turismo sexual no Brasil.

A Wet-A-Line Tours é alvo de um processo no Estado da Geórgia, segundo reportagem publicada ontem pelo jornal "The New York Times".

A agência também está sendo processada no Brasil, assim como a Santana Ecofish Safari, parceira que organizava passeios em Manaus.

Segundo investigações da Polícia Federal, ao menos 15 meninas foram vítimas de estupros e aliciamento nas viagens promovidas pelo proprietário da agência norte-americana, Richard Schair.

A empresa, segundo a investigação, utilizava iates luxuosos, camuflados de pesca esportiva para estrangeiros.

"O pacote incluía o turismo sexual", afirma o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Sérgio Fontes.

As meninas são da cidade de Autazes, a 118 km de Manaus, e eram aliciadas, segundo a polícia, para participar dos passeios pesqueiros.

Além de Schair, são réus na ação penal José Lauro Rocha da Silva, proprietário da agência de turismo brasileira, Daniel Geraldo Lopes, Juscelino de Souza Motta e os irmãos Admilson Garcia da Silva e Adilson Garcia da Silva.

O processo do caso está em segredo de Justiça no Brasil.

Em seu site, o grupo norte-americano de ativismo feminino Equality Now afirma que o processo nos EUA foi aberto em junho por quatro meninas, todas de origem indígena, que dizem ter sido forçadas a se prostituir quando tinham menos de 18 anos -a mais jovem tinha 12 anos.

A Equality Now afirma que elas alegam ter sido "vendidas como prostitutas". "No barco, teriam recebido bebida alcoólica e drogas e forçadas a praticar atos sexuais".

O grupo diz que é a primeira ação a usar a Lei de Proteção às Vítimas do Tráfico Humano para pedir compensação às supostas vítimas.

OUTRO LADO

O proprietário da Wet-A-Line Tours, Richard Schair, nega as acusações, segundo o jornal "The New York Times", que publicou ontem reportagem sobre o caso.

Schair negou envolvimento com a prostituição infantil nos depoimentos à Polícia Federal. A Folha não conseguiu localizar o empresário.

A reportagem tentou contato com os advogados dos outros réus na ação brasileira --José Lauro Rocha da Silva, da agência Santana Ecofish Safari, Daniel Geraldo Lopes, Juscelino de Souza Motta e os irmãos Admilson Garcia da Silva e Adilson Garcia da Silva--, mas não teve sucesso até a conclusão desta edição.

O empresário norte-americano tenta suspender temporariamente o processo que corre em seu país.

Fonte: LUCIANA COELHO DE WASHINGTON - KÁTIA BRASIL DE MANAUS

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Infelizmente em nosso pais, não acredito que isto gere um punição á altura do delito cometido por estes vagabundos, mas nos EUA o "buraco é mais embaixo" mau:: ; e, pelo menos os americanos envolvidos, vão dançar mau:: .

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Discussão sobre prostituição é uma coisa e se pode discutir por horas sob vários pontos de vista. Agora, aliciamento de menores, não tem papo, não tem perdão, não tem discussão!!! É cadeia e processo pesado por danos morais irreparáveis!!!! Deveria ter uma lei de confisco do móvel ou imóvel onde se caracterizasse o crime, além é claro de cadeia e processo.

MAAASSSSSSS... tanto eu como todos aqui já acompanhamos ao longo da história no Brasil, muitas injustiças já foram cometidas por precipitação na condenação popular e da mídia. Sendo assim, aguardemos para:

“Audiatur et altera pars “ : Ouça-se também a outra parte, ou, a parte contrária.

E

“ Quid Juris “ (o que diz a lei ? )

Éééé... sou agente de viagem mas sei uns trem em latim

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

vixi, fofoca desse tipo já circulou outras vezes ... precisamos acabar com a imagem que o estrangeiro tem, de que o Brasil é um pais de mulheres fáceis e baratas .... uma pena ... tomara que a Pol Fed tenha sucesso

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Kruel,

Esses exemplos denigrem e muito todo o setor de pesca amadora/esportiva como um todo no Brasil. Exemplos como este na Amazônia, e tantos outros do Pantanal não são esquecidos pelas autoridades e tomadores de decisão. Pior ainda aqueles que não têm idéia real do universo da pesca esportiva e acabam pensando que a pesca esportiva é somente cachaça e putaria.

Sem falar na imagem e propaganda que os turistas estrangeiros fazem daqui!

Abraços Kelven

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Companheiros

Este negócio de TURISMO SEXUAL não pode nem se restringe ao exposto. Em todos os mais e menos longinquos pontos de população miserável vamos encontrar casos semelhantes e nisso se inclui as grandes cidades de todos os quadrantes deste pais repleto de vagabundos e espertalhões que, endinheirados, são capazes de comprar uma máfia de militantes que deveriam ser os guardiães da justiça. Vão ao Nordeste, SP, RJ, PR, MG e daí afora e quem quiser descubrirá caso semelhantes. Não vamos agora nos mostrar surpresos! diabo:: Temos de exigir ampla e irrestrita apuração e meter em cana, sem dó nem piedade, quem dessa estiver envolvido em tudo isto. :amigo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Companheiros,

Possivelmente me incluo no grupo "jurássico" do FBT e sou de um tempo em que era comum a gente manter a capacidade de indignar-se com determinadas coisas... Essa foi uma delas!

Isso porque já tenho idade para ser avô e tenho 3 netinhas, uma com 12 anos... Nenhum de vocês gostaria de se ver envolvido num problema deste tipo onde crianças são estupradas...Ainda mais se tais crianças pudessem ser suas filhas ou netas!

Na verdade, apenas me limitei a postar uma matéria jornalística que já rodou o mundo e é assinada por profissionais da imprensa que atuam tanta lá fora como aqui no país. E a matéria é clara e esclarecedora!

Não se trata de "fofoca desse tipo já circulou outras vezes" como o companheiro Candido entendeu da matéria publicada.

Também não é o caso do que o companheiro Ari entendeu da matéria: "muitas injustiças já foram cometidas por precipitação na condenação popular e da mídia."

Na verdade estamos falando de uma ação penal já em curso, tanto lá nos USA como também no Brasil e com certeza o pedido do Ari já foi atendido sobre a “Audiatur et altera pars “. Em ambos os casos, ouvida a parte contrária, a lei garante a ampla defesa e o direito ao contraditório e pelas notícias veiculadas é de se presumir que o Poder Judiciário abriu a ação penal considerando as evidências, indícios e provas coletadas pela Polícia Federal.

A certa altura do post o Ari nos pede: “Quid Juris“ (o que diz a lei ? )

Antes de me alongar no que a lei diz nestes casos, gostaria de mostar a vocês um pouquinho do cenário em que ocorreram os fatos narrados pelas jornalistas.

Cenário: município de Autazes - AM, distante 108 Km de Manaus com uma população de 31.876 habitantes, um desses pequenos municípios brasileiros que sofrem com as desigualdades sociais e, no caso, com a pouca assistência governamental (quase nenhuma) em qualquer um dos setores vitais para a dignidade humana: saúde, educação, segurança e condições de trabalho... Não sei se por lá tem um médico, mas dentista sei que não tem! Ah, mas tem um protético que deve estar quebrando o galho...

Compreende-se por Autazes “Toda a gleba que forma o grande delta dos Autazes”, situado entre o Madeira, Amazonas, Solimões e Baixo Purus.

Ora, neste cenário em que praticamente 100% da população tem em suas veias o sangue indígena, pelo menos quatro menores (uma com 12 aninhos) e aí, segundo a matéria, se trata de crianças indígenas mesmo, foram aliciadas para passeios em barco hotel de luxo, supostamente para praticar pesca esportiva, e acabaram sendo vítimas de abusos sexuais praticados por pescadores americanos... Lembrem que, por se tratar de menores, a nossa lei exige que este tipo de processo corra em segredo de justiça.

Mas como pede o Ari, o que diz a lei?

Bem, para começar temos que falar na Lei 6001/73 que diz em seu art. 1.º:

Art.1º Esta Lei regula a situação jurídica dos índio ou silvícolas e das comunidades indígenas, com o propósito de preservar a sua cultura e integrá-los, progressiva e harmonicamente, à comunhão nacional.

Parágrafo único . Aos índios e às comunidades indígenas se estende a proteção das leis do País, nos mesmo termos em que se aplicam os demais brasileiros, resguardados os usos, costumes e tradições indígenas, bem como as condições peculiares reconhecidas nesta Lei.

Ela diz também em seu art. 7.º: §1º e §2º

Art.7º Os índios e as comunidades indígenas ainda não itegrados à comunhão nacional ficam sujeitos ao regime tutelar estabelecido nesta Lei.

§1º Ao regime tutelar estabelecido nesta Lei aplicam-se no que couber, os princípios e as normas da tutela do direito comum, independendo, todavia, o exercício da tutela da especialização de bens imóveis em hipoteca legal, bem como da prestação de caução real ou fidejussória.

§2º Incumbe a tutela à União, que a exercerá através do competente órgão federal de assistência aos silvícolas.

Pois é caro Ari... No caso, além de tutelados com o apoio de ofício da FUNAI, também considere a ação imprescindível do Ministério Público Federal na aplicação das normas do direito comum. Considere ainda a Lei 11.340/2006 em seu art. 5.º e o que se entende por violência contra a mulher (com a agravante de serem menores).

Violência Psicológica – entendida como qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da auto-estima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação.

Violência Sexual – entendida como qualquer conduta que a constranja a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força; que a induza a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade, que a impeça de usar qualquer método contraceptivo ou que a force a matrimônio, à gravidez, ao aborto ou à prostituição, mediante coação, chantagem, suborno ou manipulação; ou que limite ou anule o exercício de seus direitos sexuais e reprodutivos. Infrações penais são estupro e atentado violento ao pudor. A ação penal pode ser pública ou privada.

Acho que isso esclarece em parte o risco das pessoas envolvidas de cumprirem uma pena pelo que fizeram. É uma pena que os que realmente praticaram os abusos (americanos) não cumprirão a pena no Brasil, pois exsite outras leis não escritas (código dos presídios) que estuprador vira boiola na marra!

abração

kruel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Kruel, jamais me cansarei de me surpreender e continuo a me surpreender com sua sapiência e dedicação às nobres causas. Um privilégio para mim todas as oportunidades em ouví-lo.

Nestas horas me reforça a idéia de que teríamos sim que ter um dígno e proativo representante nosso na alta esfera do poder político nacional. Esta seria uma oportunidade para marcarmos sob pressão o tempo todo este processo.

Ainda sairá daqui o movimento exitoso para eleger este representante. Quem sabe, sairá também aqui este representante.

Grande abraço Kruel !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal, so quem ja morou fora do pais como eu sabe como nos Brasileiros somos tratados no exterior, somos considerados uns nadas, e nao temos direito a nada, nada, so trabalhar e mais nada.

Aqui no Brasil as coisas sao totalmente opostas, aqui, os estrangeiros tem moral, chegam, compram, fazem o que bem entendem e nao acontece nada. Moro em Porto de Galinhas/PE, isso aqui eh dominado por Italianos, Ingleses, Americanos.... eles aqui compram estabelecimentos, de forma muitas vezes ilegal, dominam o mercado, formam precos, fazem o que bem entendem, e nada acontece.

Facam uma pesquisa nesses paises dessas pessoas que estao aqui, e perceberao que nesses paises, Brasileiro nao tem vez, mesmo tendo dinheiro, isso nos deixa muito chateados, porque la, qualquer coisa que a gente fizer, somos deportados, tratados como bichos, e aqui, tudo esta tranquilo, eles vem, fazem programas com menores, trazem drogas, abusam, e nada acontece. Isso me da nojo, porque ja senti na pele o sofrimento de morar em outro pais.

Acho que o Brasil esta mudando, esta sim evoluindo, mas enquanto essas coisas persistirem, nao havera progresso pleno, porque essas, que muita gente considera pequenas coisas, sao a base para educacao e consequentemente crescimento.

vamos ver, tomara que esse caso que foi citado nesse topico se resolva, de forma justa, dentro das nossas leis, e que consigam comprovar tal fato e que julguem, de acordo com o que aconteceu, e se assim for, cadeia neles.

E que o governo trave a entrada dessa gente aqui, que so vem sugar, e estao ja dominando muita coisa, e nao se dao conta, pasmem, que coisa, como pode.

Va para a Inglaterra, USA, para ver o que acontece na imigracao do aeroporto, eh muito constrangedor.

Abraco!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante

Bem vindo ao Brasil, país onde tudo se pode e tudo se consegue é uma vergonha nosso país ser conhecido por coisas desse tipo. Naonao::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×