Ir para conteúdo

JCKruel

Membro
  • Total de itens

    929
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    30

Sobre JCKruel

  • Rank
    Ativo no FTB
  • Data de Nascimento 27-12-1948

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino
  • Nome + Sobrenome (obrigatório)
    João Carlos kruel

Informações de Perfil

  • Localização
    Goiânia - GO
  • Interesse
    Pesca Esportiva e Meio Ambiente

Últimos Visitantes

2.349 visualizações
  1. Caro Arthur. Este parasita não é exclusivo dos tucunarés, pois infestam outras peixes (até no mar). Veja a foto dele por baixo:
  2. Bah, de novo, guri!!! Assim como vc tem 8 caixas plano de iscas eu tenho 4 tubos de varas (12 varas cada um) !! Considere que tive uma recaída e, em algumas situações, voltei a pescar com os molinetes o que tem me proporcionado muita alegria... Assim sendo, embora reconheça que 3 conjuntos é o limite para pesca embarcada não há como eu sair para a pescaria sem levar 4 varas de carretilhas, mais 4 varas para os molinetes sendo que o que exceder aos 3 conjuntos fica esperando no quarto da pousada!!! 🤣🤣🤣
  3. Mas Bah, grande Kid.... Creio que poderia tentar pescar só com 15 iscas! Tirando a Amazônia, já tenho selecionado um time de 10 iscas, mais algumas muito pequenas (de metal) inclusive os tais micro jigs que nas pescarias de praia são um sucesso absoluto! Vou tentar em maio no Rio Cristalino e depois eu conto. Tenho uma, minúscula (de metal), que faz muito sucesso no lago Guri na Venezuela que vou testar por aqui! Chamo a atenção para a coloração da "barriga" das iscas e, para mim, as de maior sucesso (comprovado) não importando o tipo de trabalho são aquelas que tem a "barriga" pintada de laranja. Não posso deixar de citar que, nos horários de sol a pino (onde a gente pega os grandes), é importante usar as translúcidas e até as totalmente sem cor porque pegam meeesmmo !! abração
  4. Pois é... Tentando tirar eventuais dúvidas sobre os estoques pantaneiros, durante muitos anos participei do ordenamento pesqueiro deste país, de forma que tive oportunidade de obter um aprendizado técnico considerável, além de que, eventualmente, ter acesso a algumas informações privilegiadas (coisas que não queriam publicar, tipo: era possível extrair 12 mil toneladas/ano de pescado do pantanal sem a possibilidade de causar danos ao estoque pesqueiro). Por esta razão que não consigo ter maiores preocupações no que se refere a pesca com anzol, pois não será ela causadora de estragos significativos nos estoques pantaneiros. Infelizmente não consegui obter dados atualizados, pois ao que parece houve uma pausa nas pesquisas muito importante, talvez por falta de interesse dos governos (federal e estaduais) além da falta de recursos para a EMBRAPA PANTANAL. Ainda assim consegui acessar alguns trabalhos de pesquisa lá do ano 2003 que embora desatualizados servem de indicadores para o que aconteceu e ainda está acontecendo no Pantanal. Vejam: Estoque pesqueiro no pantanal Embora ocorram mais de 260 espécies de peixes na Planície do Pantanal (Britski et al. 1999), apenas 5 foram responsáveis por mais de 71% de todo o desembarque pesqueiro registrado. A pesca no Pantanal Sul: situação atual e perspectivas SCPESCA/MS entre 1994 e 1999 na BAP/MS: pacu Piaractus mesopotamicus (30%), pintado Pseudoplatystoma corruscans (17%), piavuçu Leporinus elongatus (10%), dourado Salminus maxillosus (7%) e cachara Pseudoplatystoma fasciatum (7%). Portanto, é interessante distribuir melhor o esforço de pesca e lançar mão de espécies que atualmente estão subaproveitadas, ou que apresentam baixo valor comercial. Os dados obtidos pelo SCPESCA/MS de 1994 a 2002 revelam que a captura no Pantanal Sul se concentrou sobre poucas espécies, recaindo principalmente sobre as maiores e mais nobres, que representam um troféu para os pescadores esportivos e alcançam os melhores preços de venda para os pescadores profissionais artesanais. Essa composição de espécies também é um indicativo geral da qualidade ambiental e do baixo nível de exploração da pesca, como explica Welcomme (1999, 2001): as comunidades de peixes respondem à pressão de pesca e a outros tipos de estresse induzidos externamente, através do declínio no tamanho médio que implica a perda de indivíduos e de espécies maiores, e sua substituição por outros menores. Isso resulta numa alteração da estrutura das comunidades de espécies de vida longa, A pesca no Pantanal Sul: situação atual e perspectivas 21 denominados K-estrategistas, por outras de vida curta, denominados restrategistas. É importante, ainda, destacar que a percepção, tanto dos pescadores profissionais artesanais, quanto dos pescadores esportivos de que a “pesca ficou mais difícil” é real, mas não indica, necessariamente, a sobrepesca dos estoques. Essa percepção está relacionada ao fato de que, à medida em que aumenta o esforço pesqueiro (como o aumento do número de pescadores esportivos no Pantanal Sul de 1994 para 1999), ocorre a diminuição do rendimento das pescarias, isto é, da quantidade de pescado capturado por pescador, por dia de pesca (captura por unidade de esforço pesqueiro). Entretanto, além do aumento do esforço, outros fatores externos à pesca podem agir negativamente sobre a produção natural de peixes, reduzindo o rendimento das pescarias, Do trabalho A Pesca no Pantanal Sul: situação atual e perspectivas - Prof. Agostinho Carlos Catella - 2003 Então, embora os dados muito defasados eles retratam um período interessante que o poder público realmente teve a preocupação de preservar os estoques, diminuindo cotas, criando e depois aumentando os tamanhos mínimos de captura, proibindo as redes, pois elas acabava matando as matrizes e hoje a gente até consegue vislumbrar alguns ganhos da adoção de tais práticas! Dá para escrever um livro sobre o ocorrido, mas por enquato vamos ficando por aqui! Abração
  5. Pois é... Eu uso o WD 40 há muito tempo e com sucesso! Na minha opinião ele ajuda muito na conservação das linhas de multi. A nova formulação não cheira tão forte como a antiga, mas não sei dizer se funciona igual, pior ou melhor que a antiga, Em todo ocaso já borrifei um carretel com esta nova formulação e quando testar posto alguma coisa para vcs. Ah, também tenho o produto da Monster 3X para as linhas de multi e não vi diferença significativa em relação ao WD 40. Tb não tenho preocupação de secar as linhas quando volto da pescaria porque elas voltam em boas condições (secas). Qualquer um dos produtos mencionados cumprem a sua finalidade, que é ajudar na impermeabilização das linhas...
  6. João Pedro, Me interessa o teu material! Me liga (62) 9 8317 2712 para conbinarmos um encontro (tb sou de Goiânia) e avaliarmos o negócio. Se puderes podemos encontrar amanhã lá na Viver Pesca para fecharmos a compra? abração
  7. Como sempre Dini: um belo relato, daqueles que causam uma vontade imensa de estar junto! Um dia vou estar numa operação do Vilanova... Abração e continue compartilhando tuas aventuras por aqui!
  8. Que bom que você voltou Marco! Até para os teus negócios vai ser bom... Se o povo não olhar, como irá comprar tuas obras primas? Tenho usado as varas que comprei de ti e são pura alegria. Não sei os preços atuais que estás cobrando, mas creio que pelo que aconteceu no mercado da pesca comprar uma vara customizada, (aparentemente) ficou muito mais em conta do que era antes. Abração e não pare de postar tuas obras!
  9. Perguntas que não querem calar: 1) Qual a base legal para a imposição da tal taxa? 2) Se é taxa deve existir uma prestação de serviço referente ao preço cobrado! Qual o serviço prestado? 3) Se existe uma arrecadação prevista em lei (decreto municipal não vale nada) sobre os serviços prestados deverá existir uma prestação de contas da aplicação dos recursos, pois se fizeram lei para aprovar isto deve tratar-se de uma verba "carimbada" isto é deve ser aplicada para o fim previsto na legislação. 4) Qual o papel desempenhado pelos operadores do turismo? Fazem alguma coisa (qualquer coisa para coibir abusos contra seus clientes) ou são apenas vaquinhas de presépio que dizem amém para tudo? 5) O Ministério Público (procuradores do povo?) sabe disso e fica calado? O direito de ir e vir foi revogado? Não se pode nem passar por Barcelos e ir pescar noutro município? Pelo que sei toda a região amazônica foi tombada como patrimônio nacional na Constituição de 88. Não pesquisei nada ainda, mas a princípio, tudo o que se fizer nesta área tributária terá que ser através de lei, mas conhecendo o pouco que conheço da região, os prefeitos legislam através de decretos e quem entrar na justiça ganha todas! Aquilo lá vai demorar muito para mudar, pois ao que se constata é que os nativos da região parece que gostam de viver na terrinha sem lei...
  10. Grande Éder, Obrigado por compartilhar... Já tinha boas informações sobre a operação com o Vilanova e agora vc confirmou tudo com sobras. Muito bom o relato, até porque as fotos falam por si só!!! Abração
  11. Paulo, Tenho um Mercury 40 que transformei em 50 HP e fiquei muito satisfeito. O novo 50 tem a opção de ter o power trim o que já é uma grande vantagem. O auto lub do meu funciona perfeitamente. Considere ainda que estes Mercurys são motores relativamente mais econômicos que a concorrência e com a gosolina no preço que está... Sucesso com o teu novo motor!
  12. Como já dizia a poetisa Cora Coralina aqui em Goiás: "bem aventurados os que aprendem o que pretendem ensinar"...
  13. Caríssimos, Tentei tirar a licença federal de pesca e agora parece que chegou a minha vez de ter problemas... Na tela aparece cadastro bloqueado e não encontrei uma maneira de solucionar o problema! Site ruim, não amigável e complicado porque parece não existir forma de solucionar na plataforma. Deve ser culpa do coronavírus ou então do Bolsonaro!!! kkkkk Alguém pode ajudar? abraços Kruel
  14. Caro Jhonatan, Já tive estes relógios da Mercury num 40 HP e embora feios são originais, fidedignos e não costumam dar problemas! Se funcionam bem eu não trocaria... Abração Kruel
×
×
  • Criar Novo...