Ir para conteúdo

JCKruel

Membro
  • Total de itens

    768
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    8

JCKruel venceu a última vez em Março 19

JCKruel had the most liked content!

Sobre JCKruel


  • User Group: Membro


  • Member ID: 50


  • Rank: Pescador


  • Post Count: 768


  • Post Ratio: 0.17


  • Total Rep: 71


  • Member Of The Days Won: 8


  • Joined: 03-01-2007


  • Been With Us For: 4577 Days


  • Last Activity:


  • Atualmente:


  • Age: 70


Clubes

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino
  • Nome + Sobrenome (obrigatório)
    João Carlos kruel

Informações de Perfil

  • Localização
    Goiânia - GO

Últimos Visitantes

1.051 visualizações
  1. JCKruel

    Semelhança com as taxas em SIRN e Barcelos ???

    Pois é... Para que seja estabelecida uma taxa por qualquer ente público, (municipal, estadual ou federal) ela tem que ter a contrapartida da prestação de um serviço (é previsão legal). Pelo que sei em Noronha existe a prestação de serviço, que seria a limpeza e manutenção da ilha objetivando a conservação ambiental. Ressalvo que em qualquer caso o estabelecimento de tais taxas devem ser exclusivamente através de lei e no caso de SIRN e Barcelos, até hoje não sei se foi através de lei ou se continuam os malfadados "decretos" emanados das prefeituras municipais. Se assim for é eminentemente ilegal... Se houver interesse podemos avançar nessa discussão embora todos nós já saiba o final do filme! abs Kruel
  2. JCKruel

    GRANDE PERDA PARA A PESCA ESPORTIVA

    O importante mesmo é a herança que o Laerte deixou para todos nós... Pesquisador renomado, grande gestor público que nos deixa um legado de inúmeros trabalhos técnicos/científicos de sua lavra, sem esquecer de sua contribuição para a consolidação da pesca esportiva. Que Deus o tenha e o abrigue por tudo que fez por aqui.
  3. JCKruel

    Black Bass SS 6.0 qual motorização escolher

    Caro Clodoaldo, Além do que o Guto falou considere a necessidade de comprar o motor com Power Trim. Vai ser só alegria...
  4. JCKruel

    Para Pintados

    Beleza como sempre... Como é azul, branca e preta vai pegar muuiiittos pintados!!! kkkk abs Kruel
  5. JCKruel

    Mercury 30Hp 2T com vela de Iridium. Virou um canhão.

    Grande Astra! Independente de qualquer outra coisa só tenho uma palavra a te dizer: obrigado... A questão de que você o Guto eventualmente terem se tornado uma referência para nós (leigos) fica cristalina, na medida que as respostas se aprofundam e a experiência e o conhecimento de vocês afloram de uma maneira natural e a verdade vai se consolidando e proporcionando esclarecimentos fundamentais para que possamos fazer nossas escolhas com a menor margem de erros. Tua resposta ajudou muito e esclareceu muito, de forma que aqueles que tiveram interesse neste post do Taylor se beneficiaram bastante da socialização de informações que, embora disponíveis, até então ninguém havia proporcionado em nenhum outro fórum como também não estão disponíveis na internet da forma aqui proposta... De minha parte tive apenas o mérito de identificar em você uma pessoa diferenciada que, por vezes, tenta vender uma imagem de irreverência e de irresignado com as agruras deste mundo, mas que no fundo tem um enorme coração, característica daqueles que já viveram experiências capazes de quando necessário, demonstrarem seriedade e compromisso para aqueles que em você demonstram confiança. Grande abraço e mais uma vez obrigado pelo carinho demonstrado. Kruel P.s. Aproveitando, lembro que te referiste (lá atrás) sobre as velas Champion normais... É possível que elas apresentem alguma vantagem em relação as velas originais, nos motores Mercury 40/50 nas baixas rotações ?
  6. JCKruel

    Mercury 30Hp 2T com vela de Iridium. Virou um canhão.

    Bem vindo Astra... Falei que eras referencia e estão aí as provas! Abs kruel
  7. JCKruel

    Mercury 30Hp 2T com vela de Iridium. Virou um canhão.

    As férias do Astra acabaram, creio que já esteja de volta e estamos esperando pela contribuição dele neste assunto muito interessante:a utilização ou não das velas de iridium nos nossos Mercury 40/50. abração Kruel
  8. JCKruel

    Mercury 30Hp 2T com vela de Iridium. Virou um canhão.

    Caro João Manoel, Você poderia especificar (detalhar o modelo) da vela que que colocaste no motor? É chinesa ou nacional da NGK? Os 2 mm a mais em relação as velas convencionais não causam problemas? Um abraço e obrigado Kruel
  9. JCKruel

    Mercury 30Hp 2T com vela de Iridium. Virou um canhão.

    Grande Astra, Eu estava te esperando... Você e o Guto são uma referência para nós em relação a assuntos diversos que abrangem a área técnica, seja pela bagagem, seja pelo conhecimento mais aprofundado, seja pela bagagem que vocês adquiriram ao longo de muitas pescarias... Concordo com tudo o que colocaste no teu post e realmente precisamos de alguém com um conhecimento mais profundo para esclarecer as questões suscitadas, pois embora o material seja rico carece de um melhor detalhamento para que tenhamos menos dúvidas sobre a conveniência ou não de usarmos as velas de iridium. De minha parte desconsidero qualquer ganho eventual que possa ocorrer em função de potência ou economia. Como aqui no FBT temos vários companheiros que tem motores Mercury e são comuns e recorrentes os relatos dos problemas relativos ao afogamento dos carburadores e as dificuldades em pegar quando está frio, que vale a pena a opinião de quem tem um conhecimento maior do o nosso. Estes motores ainda não tem injeção eletrônica, mas tem a ignição eletrônica e ao que parece, qualquer deslize de nossa parte (ou do guia que pilota) acaba afogando e causando um grande desconforto pela insegurança que isso passa. Nestas horas fico me perguntando se eu vou poder voltar com o motor ou terei que remar 22 Km?? kkkk As velas de iridium podem acabar com este problema, já que a queima do álcool e gasolina se dará de uma forma mais completa e uniforme??? Elas podem furar um pistão? É uma boa opção para estes motores Mercury/Tohatsu? Grande abraço e obrigado. Estamos no aguardo! Kruel
  10. JCKruel

    Mercury 30Hp 2T com vela de Iridium. Virou um canhão.

    Caríssimos! Inicio esta postagem dizendo uma frase que gosto muito: não detenho o monopólio da verdade e muito menos o da competência! Por isso peço que sejam condescendentes com as ponderações que vou fazer sobre o assunto, mas antes disso quero agradecer ao Taylor pela oportunidade que me deu de pesquisar com mais profundidade sobre o tema velas de iridium que, desde muito tempo, me intrigava... O que vocês vão ler abaixo é uma coletânea de testes, opiniões de internautas de outros fóruns, sites e eu apenas dei uma forma que acreditei se tornar mais palatável e de fácil entendimento. Andei pesquisando bastante na internet sobre as velas de iridium e a conclusão é que elas passaram a ser usadas em escala maior lá em meados da década de 90, em veículos automotores de 4 tempos. Há quem informe ganhos sensíveis, porém longe dos 10 a 20% eventualmente apregoados, sendo que os relatos (ganhos empíricos) da maioria são de que tais ganhos estariam em torno de apenas 5% de potência. Também há relatos do uso em motos e a maioria apregoa que resultado positivo só ocorre em motos de grande cilindrada... Tais relatos, nos carros e nas motos, as velas iridium usadas pela maioria são com ponta de eletrodo 0,4mm, mas considerando que o tempo da centelha é determinado pela central de injeção, em tese, ele será o mesmo para qualquer tipo de vela e há de ser considerado ainda que a origem da corrente que gera a centelha que é sempre a mesma. Há de ser considerado que a tensão nas velas Iridium é três vezes menor que uma vela normal, pois em vários testes realizados, enquanto a normal exigiu 166V a de Iridium exigiu 50V pra gerar a faísca. Considerem ainda que as velas de Iridium são projetadas para agir em altas taxas de compressão facilitando a dissipação do plasma e facilitando a queima dos gases. As velas de eletrodos finos, não precisam ser iridium sendo este metal é usado por sua durabilidade maior e produzir mais energia por em função da ponta mais fina. Nos carros modernos, do meu conhecimento, apenas o Renault Fluence tem as velas de Iridium de fábrica e a troca é com 100 mil km, sendo o principal benefício a durabilidade delas e uma voltagem menor que pouparia a bobina em função do esforço menor. As velas que duram 100.000 milhas ou 160.000km são as NGK Laser Iridium e as Denso Iridium Though que tem apliques de platina no eletrodo da massa. Observar que os cabos não sofrem sobretensões e podem, no máximo, ressecarem... Por falar em cabos, para se obter uma queima melhor com velas Iridium é recomendável utilizar-se cabos de velas mais eficientes, (10mm) preferentemente os de silicone! Numa breve comparação entre as velas comuns (de fábrica) que em tese devem durar aproximadamente 300 horas, observa-se que, quando novas, seu comportamento é muito próximo as velas de iridium e depois que as quinas vão se arredondando, elas perdem performance. Já as velas de eletrodo fino conseguem gerar com o mesmo impulso elétrico, em torno de 45% mais centelha (largura e temperatura), provocando uma queima inicial mais vigorosa. A vela de Irídio faz baixar de 3.000 a 5.000 Volts a tensão de disparo da faísca no secundário. Não muda a potência total da descarga elétrica nem o tempo de descarga, que dependem da bobina e seu acionamento. A combustão com uma vela convencional em perfeito estado e com outra de Irídio é praticamente igual. Não há aumento de potência ou de eficiência, nem redução de consumo. Como o Irídio desgasta lentamente, em tese, a vela de iridium deve durar bem mais e num chute pessoal (para motores de popa) poderia ser trocada depois de 900 horas... O diferencial é a tensão mais baixa para o disparo da faísca que sai mais fácil. Significa que em certas condições limite para nossas embarcações (alta carga e baixa rotação) onde as velas normais podem falhar, as velas de iridium vão responder melhor. Isso pode parecer irrelevante, mas na prática é um diferencial a ser considerado, pois as velas de iridium ao exigir menos tensão para gerar a faísca, protegem também cabos e bobinas que não são expostos a tensões demasiadamente altas e demoram mais para comprometer os isolamentos. Os cabos e a bobina vão durar mais junto com as velas, pois as velas de Iridium mudam muito pouco de desempenho em longos períodos por não desgastar tanto a ponta do eletrodo. Nas velas convencionais, o arredondamento das quinas do eletrodo central com o uso normal, já faz a tensão de ignição subir e por vezes falhar. Finalmente (ufa) tenho um Mercury 40 que por vezes tem me dado alguma dor de cabeça! Ora, em vez de buscar remédios heroicos ou mecânicos salvadores (constantes limpeza de carburadores) acredito que o uso das velas de iridium por tudo que falei acima serão capazes de resolver os eventuais problemas com os carburadores uma vez que, na teoria, a queima será completa com ganhos significativos no desempenho do motor, sem considerar nada que não seja me poupar incômodos. Os poucos depoimentos (apenas 5) que encontrei em relação a utilização das velas de iridium em motores de popa, a opinião unânime é de elas fazem muita diferença na hora de fazer o motor pegar e uma melhora significativa na baixa rotação. Tudo indica que as velas de iridium devam apresentar boas respostas em motores de popa de quatro tempos e alto desempenho fazendo diferença tanto nos de quatro quatro tempos quanto nos de dois tempos. Grande abraço Kruel
  11. JCKruel

    Um retrospecto do FTB

    Mas bah, Kid!!! Cade os remanescentes de 2007??? Quando alguém pergunta minha idade eu respondo que tenho 8 a 10 anos (não sei ainda), que é o tempo que (presumo) me resta viver!!! To veinho, mas não quero falar do passado... Quero saber quantas pescarias ainda vou fazer, quantos peixes eu vou pegar e quais os novos lugares que poderei ir pescar. Da turma que elencaste aqui, (acima) poucos ainda postam alguma coisa... Sera que estão pescando??? kkkk abs Kruel
  12. JCKruel

    Transformação Mercury 40hp para 50hp

    Também fiz a mudança no meu Mercury 40 HP e o ganho foi muito pouco em velocidade: passou de 51 para 53 Km/hora e aumentou um pouquinho o consumo, pois está consumindo em torno de 12,5 litros/hora. O que notei de diferença (nas mesmas condições de peso, algo em torno de 400 kg de carga contando 3 pessoas) é que o motor pareceu não sentir diferença com maior ou menor peso, se mantendo sempre a 53 Km/hora (5.400 giros) com hélice passo 13 original. Em compensação sumiu o problema(aparentemente) que eu tinha com a carburação, pois agora não ele tem operado em condições de normalidade embora eu reconheça que isso tem a ver com a qualidade da nossa gasolina. abs Kruel
  13. JCKruel

    O Mundo da Lacração

    Companheiros, Primeiramente é muito bom ver o Ângelo Roberto de volta com um ativismo digno do mais nobre PNC (pé na cova). Sinto um ciúme enorme de não pertencer ao PNC e não posso ir para o outro mundo sem fazer uma pescaria com eles (e com o Kid também). Precisamos agilizar isso de forma que a vida que resta proporcione um encontro, para mim, inesquecível. O que está acontecendo é muito simples (na minha visão), pois aqui no FTB encontramos a geração X<Y<Z e uma novíssima que sequer lembro o nome de tão atual. Considerem que o tempo para se formar uma nova geração parece ter diminuído em função da velocidade que as novas tecnologias estão sendo disponibilizadas a todos nós. Isso acaba confundindo um pouco, porque a nossa geração (dos velhinhos) foi criada dentro de princípios que parecem estar desatualizados, mas nós conseguimos sobreviver a estes novos tempos ainda considerando valores que pareciam perdidos (ética, respeito, amor, dignidade, carinho, tolerância, civilidade dentre outros atributos ora em desuso. Mas não vejo nada errado nisso, pois as gerações mais novas quando desafiadas enfrentam problemas pelos quais não passamos haja vista que quem determina os rumos continua sendo o mercado ...Considerem que ele tem sido inflexível em suas escolhas de forma que é normal algum destempero da juventude frente a eventuais adversidades! Menos mal que isto tem cura porque o tempo acaba, sempre, sendo o senhor da razão. Por outro lado eles parecem ter dificuldade em entender a diferença entre a divergência e a discordância e, no meu tempo, pela tolerância era comum a divergência proporcionar até a união entre pessoas que tinham diferentes pontos de vista... Hoje vivemos numa era pós digital e parece que não são todos que conseguiram identificar isso, talvez em função de que, assim como nós eles estão sendo educados por um raciocínio sempre linear e o mercado e o mundo estão sendo preparados para viver uma fase exponencial em tudo, tanto no ramo empresarial como no educacional e até na própria vida! Para diminuir o "stress" que estas diferenças entre as gerações eventualmente ocorrem há um bom tempo tomei uma decisão deliciosa: ao entender que as novas gerações não conseguem ser "velhinhas" como nós resolvi me tornar jovem novamente e a primeira coisa que fiz foi aprofundar um estudo sobre a linguagem deles (sim, cada geração tem linguagem própria) e entender seus costumes que variam muito, mas também tem muita coisa em comum. Para não alimentar discussões quase sempre inócuas adotei a linguagem filosófica, milenar até como forma de proporcionar reflexões e quem sabe, mudar comportamentos até porque o simples fato de todos nós sermos pescadores, para mim significa que todos nós temos a tendência de sermos gente boa!!! abração a todos Kruel
  14. Bah, Marcão!!! Gostei muito e como sempre beiram à obras primas, especialmente aquela azulzinha lá de cima...(kkkk) abs Kruel
  15. Grande Marcão, Perfeita não fosse a cor vermelha!!!!! kkkkkkkk Kruel
×