Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

JCKruel

Membro
  • Total de itens

    811
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    10

JCKruel venceu a última vez em Dezembro 5

JCKruel had the most liked content!

Sobre JCKruel

  • Rank
    Pescador
  • Data de Nascimento 27-12-1948

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino
  • Nome + Sobrenome (obrigatório)
    João Carlos kruel

Informações de Perfil

  • Localização
    Goiânia - GO
  • Interesse
    Pesca Esportiva e Meio Ambiente

Últimos Visitantes

1.460 visualizações
  1. Henrique, Perdoe por eu pegar carona no teu post... Mas é que fico interessado em entender por que resolvemos pagar mais por marcas conhecidas (sempre fiz isso) , embora tenha convicção de que estes multifilamentos mais conhecidos estão sendo falsificados sem dó nem piedade! 😊 Cansado de comprar mal (falsificadas) ou muito caro, passei a visitar o Ali Baba e me deparei com uma infinidade de ofertas de multifilamentos, inclusive com opções pra lá de variadas: 4 x, 8 x, 9 x, 12, x e por último 16 x sendo que em média aumentam a resistência 10% a cada mudança de X... Nem preciso falar em preços porque eles custam 1/3 do que cobram pelos famosos com carretéis de 300 a 2.000 metros. Comprei, experimentei, usei para peixes grandes e pequenos, tirei todos sem problemas e acredite, elas atenderam minhas expectativas! um abração Kruel
  2. Grande figura!! Mentor do PNC (turma do Pé na Cova) la do Caterva... Ainda muito jovem para partir, acabou deixando nós (mais velhos) por aqui e ele indo na frente abrir novos pesqueiros lá perto do Senhor. Já deixou muita saudade!!
  3. Grande Fabricio, Sempre entendi a pesca esportiva como uma forma de manejo sustentável e agora teremos a oportunidade de comprovar isso. Evidentemente podem ocorrer abusos, mas diminui a hipocrisia e a enganação e nós os pescadores esportivos teremos vez e voz de formas que poderemos contribuir muito com a fiscalização nos estados e, quem sabe até com a União. Estou muito otimista e, na medida que a tua reunião com o Carlos evolua e o FBT compre a ideia, tenho certeza que poderemos fazer muito pela pesca esportiva e até regulamentá-la nas normas federais!
  4. Pois é companheiros! Depois de muita mídia, entrevistas etc sobre a IN 02 da SEMAD que regulamentou a pesca na piracema em Goiás venho informar que a Secretária de Meio Ambiente Andrea Vulcanis , atendendo as ponderações da cadeia produtiva da pesca (lojas, pousadas, associações de pesca, guias) concordou em rever a IN e ouvida a área técnica do órgão, revogou o inciso I do art.9 proporcionando que os pescadores esportivos possam pescar 12 meses por ano em Goiás! E´uma conquista que vai envolver muita responsabilidade por parte dos usuários dos rios e reservatórios.... Para começar quero lembrar que a pesca esportiva em Goiás está regulamentada em lei e, como consequência, é imprescindível que para pescar na piracema que os interessados tirem a licença de pesca esportiva no site da SEMAD. Vem algumas novidades por aí, inclusive um aplicativo sensacional para os pescadores que na minha opinião trará enorme benefícios a quem se utilizar dele! Vou conversar com o Fabricio, colocar ele em contato com o autor desta maravilha (ele é de BSB- Carlos Pesque Já) e ver como poderá ser disponibilizado aqui no site FBT. Que quiser contribuir com a pesca esportiva, em vez de ficar reclamando, poderá contribuir com denuncias de infrações ou de crimes ambientais! E´a sociedade que não pergunta o que o governo poderá fazer por ela, mas o que faremos para contribuir com o governo (sem ideologias). Mas a ferramenta vai para auxiliar (muito) nas pescarias e é exponencial que significa que pode ser usada em qualquer rio, reservatório, mar ou no exterior (qualquer país) e para quem pode pescar no Alasca e outras paradas mais $$$ Esta conquista devemos especialmente a três pessoas: vereador Gustavo Cruvinel ( pres. da comissão de meio ambiente), que abriu as portas para falarmos com o governador e o vice, ao Engº Ambiental Marco Minami e ao Ademir (viver Pesca) que conduziram de forma brilhante uma negociação difícil, sem atritos, confusões ou mal entendidos. Parabéns aos três!!! abração a todos
  5. Em molinetes recomendo a multi 8X e em carretilhas a 4x, isso porque ocorrem a formação de nós em dias de vento....
  6. É verdade, a pesca na piracema sempre foi regulamentada aqui em Goiás... Estou ficando velhinho e cansado destas lutas sem fim contra o arbítrio, a violência e a burrice do poder público! Os amigos de sempre me aconselharam a "deixar pra lá " e não entrar na justiça porque quando se dignassem a julgar o fato já estaria consumado. Ocorre que a tal IN 02, prima por extrapolar o poder do estado de Goiás, porque a secretária do meio ambiente passa a legislar em bacias hidrográficas federais cuja atribuição , por óbvio, é do MMA, ICMBIO ou IBAMA. Então, a tal IN 02 da lavra desta senhora que aportou em Goiás oriunda de outras plagas, demonstra oportunismo barato porque ela é de origem da procuradoria do IBAMA, portanto sabe a merda que fez e o que pretende proibir. Ora, as bacias hidrográficas federais (Paranaíba e Tocantins), estão tomadas pelas cascatas de reservatórios e diga-se de passagem que em alguns sequer ocorre piracema, porque não há rios para a desova das espécies nativas que vão para a extinção devido aos barramentos. Além disso como proibir a pesca de peixes alóctenes e exóticos a tal bacia? Tudo não passa de um jogo de cena com a finalidade de impressionar o governador Caiado por que ele conseguiu importante parceria e recursos financeiros para a gestão da bacia do Araguaia (que também é federal) e tem como agravante e fator impeditivo das estapafúrdias tentativas estaduais de legislar em áreas que além de federais contam com unidades de conservação federais cujo ordenamento é exclusivo do ICMBIO. As normas da União permitem que a captura de tilápias, corvinas e tucunarés nos lagos federais (exceção do tucunaré de Serra da Mesa -Rio Tocantins por que ele é nativo) durante 12 meses por ano e não haverá de ser uma norminha estadual 'meia boca' que irá proibir a chance de irmos tomar uma cervejinha e fazer churrascos de fim de semana nos lagos federais. A triste verdade é que no poder público, sempre que há renovação política, eles tentam realizar profundas mudanças para que tudo permaneça rigorosamente igual!!! Afinal é muito mais fácil proibir do que fiscalizar com efetividade, coisa que jamais aconteceu aqui em Goiás... Muito pode ser dito adicionalmente em relação a estas palhaçadas uma vez que 90% das espécies se reproduzem em 60 dias, que os 120 dias de defeso é para ganhar votos, que aqui desde muito tempo a cota é zero, o transporte é zero, que os guias e ribeirinhos fazem mais pela natureza do que o estado e até nós, praticantes da pesca esportiva, proporcionamos formas de manejo racionais para o uso dos recursos naturais, pois não matamos!! Então por que proibir??? Por que legislar adotando na lei a pesca esportiva, caso único aqui no Brasil??? Como não foi ela que fez não vai entender nunca, além de agravar problema sociais de emprego/renda e pelo andar da carruagem vai sobrar para a APEGO (como sempre sobrou) a solução destas mazelas...
  7. Mas bah Ângelo!!!! Aprendeste a filosofar e esta língua todo mundo entende... Parabéns! Na minha atual filosofia, depois de virar um 7.0 semi novo (kkkk) aprendi que na vida não mais existe o certo nem o errado, aprendi também a ser mais tolerante, escutar mais do que falar, beber só o suficiente e, simplificando, que a nossa vida simplesmente depende das escolhas, que sempre costumam gerar consequências (boas ou más). Por outro lado também entendi que não podemos poupar os adversários nem no truco e nem no poker, portanto prepara teu coração para apanhar muito no poker que parece ser tua preferência... Comprei em vez de um bass boat ,um " bote bis" de 5,5 m, motor Mercury 40 (envenenado para 50 que só dá 45) e ele está com apenas 30 horas!!! Logo, concluí que comprei o que o meu dinheiro dava e nem assim consigo ir pescar...Conclusão: hoje me policio muito para não aumentar mais a minha coleção (sem fim) de iscas artificiais, varas, carretilhas e pasme voltei a pescar com molinetinhos já que os peixes diminuíram de tamanho... Não dá vontade de beber mais???? abração
  8. Concordo com o Marcel em gênero, numero e grau. Não vejo problema em disponibilizar segurança e qualidade nos serviços prestados, pois usa quem quiser ou precisar. Talvez o problema maior seja em função da média das idades da turmas, uma vez que os jovens parecem ter muita pressa para viver a vida com uma intensidade muito maior o que aliás é típico dos comportamentos dos juvenis... Alguém já falou que o problema era a falta de educação o que para mim é controverso,, uma vez que é bem mais que educação! Tais comportamentos começam no berço (que nem todos tiveram oportunidade de ter) e terminam num imenso egoísmo típico das novas gerações (nem todos) de forma que hoje em dia, agir da forma descrita pelo Ângelo são parte da normalidade (cada um dá o que tem). Na verdade, numa leitura bem simplificada já que falei em berço, parece que o mundinho destas pessoas começa na cabeceira e termina nos pés da cama...
  9. Bah tche!! Ta precisando aumentar a turma do Pé na Cova (PNC) urgentemente!!! Daí fechamos a pousada ou lotamos o barco hotel só com a velha guarda que não tem som nem musica ruim. De quebra, se tiver algum mais novinho damos uma aulinha de pesca.... kkkkk abração
  10. Caro xará João G. A equalização dos carburadores foi feita pelo mecânico da revenda Mercury onde adquiri o motor. Parece ser coisa simples (para eles) mas não participei de nenhuma fase da limpeza e regulagem até porque o motor ainda está na garantia. abs Guto: obrigado pelos esclarecimentos... é QUE UMA VEZ FUI AO PANTANAL E LEVEI GASOLINA DE AVIÃO! Adivinha o estrago... O pior é que estava com meus dos meninos (eram crianças mesmo) e rodamos ´por horas rio abaixo pois não consegui socorro de ninguém. Ainda bem que estava rio acima, mas os meninos nunca mais foram pescar comigo!!!
  11. Como tenho um motor deste e também já passei por algum desconforto em relação a estes problemas relatados, tenho a ponderar que é aconselhável colocar apenas gasolina pura sem qualquer aditivo porque se não for assim é certeza que dará problema. No meu motor foi realizada a limpeza dos carburadores e a regulagem (equalização) e nunca mais deu problema, mas o mecânico alertou que não era para ficar fuçando porque depois de arrumado quanto menos mexer /, melhor. Em relação ao que o Guto falou sobre a gasolina de aviação eu desaconselho totalmente, primeiro porque teria que diluir a mistura para no máximo 10% de gasolina verde(?) de aviação e segundo que ela "come" as borrachas tipo aquelas borrachas amarelas do pescador do tanque... Se não resolver com as regulagens previstas acho que valeria a pena ele colocar as velas de iridium já fartamente comentadas aqui no fórum.
  12. Grande Cristiano, O Rio Grande (antes dos barramentos) talvez tenha sido um dos rios mais piscosos do país... Há relatos fantásticos, especialmente de dourados capturadospelas turmas dos pés na cova !! No tempo que militei mais na área ambiental estive na estação de FURNAS e lá me informaram que os repovoamentos com sucesso só ocorriam no Rio Pardo. A partir de então passaram a priorizar o Rio Pardo... Se a turma entender a importância de preservar os dourados, pintados e piracanjubas soltos no Rio Pardo acredito que ainda terás mais alegrias que as relatadas neste post. Tenho muita vontade de ir aí na tua região e conhecer melhor este trabalho de Furnas e dar uma pescadinha, nem que seja de corvinas!!! kkkkk abração e parabéns pelo post.
  13. Grande Fabrício!!! Viu como fiz bem em esperar o restante das informações ??? Como eu sabia que viria em conta gotas e precisava que os dados sobre o Rio Negro fossem atualizados para fazer colocações que julgo pertinentes sobre a região. Primeiro vamos esclarecer que de forma alguma foi minha intenção criticar os pioneiros (operadores) de SIRN até porque eram muito poucos (apenas três) e sei como eles faziam suas operações na região, dando emprego as comunidades ribeirinhas e também comida e remédios. Mas também eventualmente havia incursões de outros operadores que faziam o que falei até na tentativa de prejudicar as operações destes pioneiros... Para mim isso carece de relevância e nem merece ser discutido. Entendo que relevante é o seguinte: a) São Gabriel da Cachoeira se tornou assunto de segurança nacional, pelas riquezas minerais (muitas) além do nióbio tão falado pelo presidente Bolsonaro, mas na verdade a província mineral sequer é bem conhecida, e muito menos avaliada com a profundidade devida. (Mas será avaliada e protegida/utilizada pelo governo federal) Mesmo em terras indígenas o sub solo é patrimônio nacional e será gerido pela União conforme preceitos constitucionais. b) São Gabriel é município vizinho de SIRN e se não sabemos direito o volume mineral de lá quem pode dizer o que temos de potencial em SIRN? c) Independentemente do acima citado, creio que a relevância ficará bem clara no momento em que tais reservas minerais passem a ser exploradas por quem de direito assegurando os royalties às comunidades indígenas. Isto está claro no arcabouço legal e não há dúvidas quanto ao direito que a União tem quanto a estas riquezas. Dito isso precisamos avançar e discutir o direito indígena sobre a ictiofauna, suas terras e águas. Sequer vou tentar quantificar o valor da biodiversidade nas terras indígenas, pois se afigura imensurável, mas é imperioso que tenhamos que reconhecer que a ictiofauna é uma enorme riqueza se não para a alimentação deles, mas para a exploração pelo turismo... Entendo que é chegado o momento do poder publico (inclusive o MPF) de parar de fazer vistas grossas para as violações constitucionais e do Estatuto do Índio e avalizar as licitações espúrias produzidas pela FUNAI sobre os bens indígenas , hoje indisponíveis pela CF 88. Por analogia, tudo o que for feito para assegura o direito dos indígenas na questão mineral poderá ser utilizado para resolver as questões comerciais e ambientais relativas as terras e águas, lembrando que nas terras já existem muitas lavouras cujos lucros estão sustentando várias comunidades que estão felizes com isso. A diferença é que em relação ao uso das terras e das águas (ictiofauna no meio) é vedado para terceiros não indígenas e precisamos entender que o direito é dinâmico e que é preciso fazer uma PEC indigena(?) e revisar o Estatuto do Índio para que eles possam usufruir destas riquezas dentro da lei... Lembrem que enquanto existir a FUNAI, ela continuará responsável pelos contratos derivados de licitações (hoje não permitidas) cabendo ao MPF apenas a anuência se assim entenderem pertinentes. Concordo contigo Fabricio que o assunto é complexo mas para mim está longe de ser chato uma vez que mesmo aqui no FBT estamos cumprindo o papel que nos propusemos de informar os pescadores com a verdade e disponibilizar informações corretas para uso de que interessar possa... Isso eu chamo de protagonismo! Bom, esclarecida esta parte como seria o futuro e como seria o papel dos operadores de turismo? Evidente que já tenho opinião formada há muito tempo, mas também aqui gostaria de escutar alguma coisa sobre a situação atual de Barcelos para me atualizar sobre os problemas existentes ... Há novidades? Os operadores conseguiram evoluir em seus propósitos? A Amazônia foi tombada como patrimônio nacional na CF 88 e com isso quero dizer que por lá, absolutamente tudo só poderá ser feito através de lei... Só quero lembrar que a região carece de um trabalho sério sobre o tamanho do estoque pesqueiro e da sua capacidade de suporte, mesmo que seja somente a pesca esportiva. Urge a união entre os operadores e urge uma discussão sobre o futuro da pesca esportiva. Ela irá sobreviver com novas variáveis em vias de serem aprovadas no Congresso Nacional? Se todos nós começássemos a matar os peixes e voltasse as cotas para a matança, quanto tempo duraria o Rio Negro?
  14. Bah!!! Ainda há muito que ser dito e mais ainda: há muita coisa a ser esclarecida... Que tipo de solução podemos esperar??? As que passariam pelo crivo da legalidade ou todas estas que derivam de "jeitinhos" sabidamente ilegais??? O rio é Negro, mas não é preciso que tenhamos que conviver com um mar de lama! Mas vou esperar mais um pouquinho, pois sempre surgem informações valiosas que ajudam a compor um cenário mais atual do que acontece na bacia do Rio Negro! Da forma habitual, com que todos agem, é quase impossível encontrar uma solução que contemple a segurança jurídica, tanto para os operadores quanto aos usuários (pescadores)! Entretanto existe alternativas para pelo menos discutir os problemas e avançar nas soluções, desde que o governo fique fora já que até hoje nada fez nem produziu a favor da sociedade. Ao que tudo indica os operadores sonham com os tempos de antigamente, em que eram menos embarcações, que não existia regramento para nada, que acertavam as entradas em reservas indígenas com os caciques com pequenos presentes e outros mimos... Acaso mudou a Constituição? Mudou o Estatuto do Índio ? O arcabouço legal foi revogado pela FUNAI? Ora, para mim tudo o que foi feito até agora é ilegal, imoral e inconstitucional. Quando a coisa assume proporções como as descritas onde o responsável (poder público) é quem proporciona a ilegalidade e fomenta o exercício de atividades sabidamente fora da lei é porque o império é do arbítrio e provavelmente da corrupção. Será que o governo federal conseguirá algum avanço ou tudo continuará como dantes nas águas negras de Abrantes?
  15. Parabéns Kid, Relato excelente de uma pescaria sensacional... Se não pelos peixes foi pela turma e pelo serviço prestado pelo Vítor. Abs Kruel
×
×
  • Criar Novo...