Ir para conteúdo
Preto Barcellos

Uma isca para usar no igapó..

Posts Recomendados

Preto.. 

Na ultima temporada a isca que consegui ter bons resultados nessa estrutura foi a Spitfire 120 da OCL, pois eu arremessava e trabalhava ela no lugar, dentro da estrutura.

Detalhe estava em repiquete.

Boa sorte!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uma isca boa para essa situação pode ser os shads e jigs com anti enrosco.

Você consegue arremessar eles lá dentro onde o peixe está.

Fora que por ser isca de um anzol apenas, quando o peixe sair costurando a vegetação, não corre o risco da isca se prender em algum lugar e você perder o peixe.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 17/09/2018 em 22:23, Preto Barcellos disse:

Pessoal devido ao rio negro estar muito alto nesta época aonde era para estar baixo, gostaria da opinião de vocês qual isca usar para tentar capturar os tucunarés açus nas proximidades do igapó..

Eu gosto de insistir no stick nessas situações... se conseguir jogar o mais dentro do igapó, e trabalhar ele no mesmo lugar, mantendo a isca mais tempo possível lá dentro...

Antes, eu bato umas 10/20 vezes de hélice só pra eles ficarem espertos.. kkkkk

Ah, Stick com anzol ao invés de garateia ajuda bastante... se o peixe bater e for pro toco, a nossa chance é um pouco maior...

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É uma tarefa complicada... uma batalha... pra falar a verdade eu até hoje não achei uma  coisa pra falar..."se fizer assim sempre da certo"

 

Eu já percebi que as iscas pra peixes manhosos como jig e tcwitch bait não dão resultados nesse caso... pq na verdade não é o peixe que ta manhoso e sim fora da janela de ataque!

O que tem que fazer é botar o piloteiro pra rodar procurando pontas de terra... barrancos...  lugares que estejam passando alguma corrente como boca de igarapés ou curvas de rio que a correnteza esteja adentrando o igapó... nesses lugares tem peixes do lado de fora a espreita de vitimas...

No igapó mesmo, procurar aquelas arvores mais grossas que o tuca gosta de chocar do lado e arremessar colado nelas... (Isca T20 mesmo)

Ou então a velha manha de achar um vão entre as arvores e repetir o arremesso no mesmo lugar varias vezes com isca de helice e logo em seguida meter um jig ou uma meia agua...

 

Né fácil não... rsrs

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
10 horas atrás, Beto Caranha disse:

É uma tarefa complicada... uma batalha... pra falar a verdade eu até hoje não achei uma  coisa pra falar..."se fizer assim sempre da certo"

 

Eu já percebi que as iscas pra peixes manhosos como jig e tcwitch bait não dão resultados nesse caso... pq na verdade não é o peixe que ta manhoso e sim fora da janela de ataque!

O que tem que fazer é botar o piloteiro pra rodar procurando pontas de terra... barrancos...  lugares que estejam passando alguma corrente como boca de igarapés ou curvas de rio que a correnteza esteja adentrando o igapó... nesses lugares tem peixes do lado de fora a espreita de vitimas...

No igapó mesmo, procurar aquelas arvores mais grossas que o tuca gosta de chocar do lado e arremessar colado nelas... (Isca T20 mesmo)

Ou então a velha manha de achar um vão entre as arvores e repetir o arremesso no mesmo lugar varias vezes com isca de helice e logo em seguida meter um jig ou uma meia agua...

 

Né fácil não... rsrs

 

Ei Beto, tecnicas apuradas e diversas que se adquire a cada nova aventura e mesmo assim, a cada nova expedição sempre surge uma forma nova, um ataque inesperado e um resultado inesquecível. O negócio é isca na água que uma hora acertamos os bitelos ou melhor eles nos acertam. O negócio é arriscar o máximo possível sempre que nenhuma vez será igual a anterior, mas parecida, semelhante muitas vezes sim. Em janeiro quero contar com toda essa experiência ao meu lado. Abraço.

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
35 minutos atrás, Edson C. Martins disse:

Ei Beto, tecnicas apuradas e diversas que se adquire a cada nova aventura e mesmo assim, a cada nova expedição sempre surge uma forma nova, um ataque inesperado e um resultado inesquecível. O negócio é isca na água que uma hora acertamos os bitelos ou melhor eles nos acertam. O negócio é arriscar o máximo possível sempre que nenhuma vez será igual a anterior, mas parecida, semelhante muitas vezes sim. Em janeiro quero contar com toda essa experiência ao meu lado. Abraço.

 

 

Ô meu amigo, será um prazer enorme pra mim pescar com vc!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×