Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Fábio Neves

Tupaciguara - A Velha Escola

Posts Recomendados

Tupaciguara - A Velha Escola

Janeiro de 2011

Local: Represa de Itumbiara

Onde Ficamos: Pousada Porto Bela Vista

Participantes: Fábio Neves, Neco e Juruna (Guia)

Por: Fábio Neves

Fotos: Todos

A represa de Itumbiara foi inaugurada em 1978 e faz parte do sistema Furnas de hidrelétricas. Ela é formada pelos rios Araguari, Paranaíba e Corumbá, separando os estados de Goiás e Minas Gerais. Apesar do tucunaré azul (Cichla piquiti) e do amarelo (Cichla kelberi) não serem nativos da bacia do rio Paranaíba, eles foram introduzidos na região no início da década de 1980, estando perfeitamente integrados à represa. O fato do vale do rio Paranaíba ser relativamente plano levou à inundação de uma área superior a 770 km2, englobando diversas ilhas e braços ricos em estruturas, o que facilitou a adaptação e proliferação da espécie.

Exemplos de estruturas de pesca comuns na represa de Itumbiara

Imagem Postada

Imagem Postada

Tupaciguara foi uma verdadeira escola para os praticantes da pesca com iscas artificiais. Enquanto praticamente não se ouvia falar de tucunaré na região Sudeste, ocorriam pescarias fantásticas desta espécie na região. Eram comuns relatos de mais de 50 capturas por dia, com peixes passando dos 5kg. O Eldorado da Pesca atraiu pousadas, guias e operadoras de turismo, os quais movimentaram o mercado das cidades de Tupaciguara e Itumbiara.

Com os investimentos no setor, novas técnicas e equipamentos surgiram. Enquanto um pescador do pantanal usava molinete e vara maciça para praticar o live bait, em Tupaciguara começava a ser fomentado um mercado de iscas artificiais para a prática do bait casting. Equipamentos pouco conhecidos como carretilha, snap, garatéia, líder, etc. passaram a freqüentar os barcos (salas de aulas) dos pescadores esportivos.

Entretanto, os maus hábitos dos pescadores pantaneiros permearam as ações em Tupaciguara. Era usual o abate de todos os exemplares, independente dos tamanhos e quantidades. Por ser espécie exótica o tucunaré não estava sujeito às regulamentações específicas, sendo muitas vezes considerado “praga” pelos pescadores e autoridades.

O final da história todos sabem: matança indiscriminada, que leva à inanição, que leva à escassez, que leva ao desaparecimento do pescador e, por conseqüência, de toda a estrutura de apoio.

Com os boatos de que a represa estava se recuperando, eu e o Neco resolvemos visitar o antigo Ateneu. Estávamos há, respectivamente, 3 e 9 anos sem pescar naquela represa.

Para saber a atual situação da escola, contratamos o Professor Juruna, guia de pesca com mais de 17 anos de experiência naquela região. Quem não o conhece está perdendo uma ótima oportunidade de aprender novas técnicas.

Primeira lição: aprendi uma forma diferente de trabalhar Stick, até então desconhecida por mim. Ele puxava a isca como se estivesse trabalhando uma hélice, fazendo o Stick “esquiar” sobre a superfície, intercalando com pequenas pausas.

O resultado: para cada peixe que batia na minha isca ou na do Neco, batiam três na dele.

http://www.jurunaguiapesca.com

Em dois dias, navegamos mais de 100 kg, percorrendo pontos famosos como a Ilha dos Carneiros, a Cachoeira, a Barra do Corumbá e a Ilha de Pedra. Entretanto, as capturas ocorreram a menos de 5 minutos da pousada.

Segunda lição: às vezes a felicidade está ao lado.

Trilhas percorridas na empreitada

Imagem Postada

Chega de papo e vamos à pescaria:

A represa está cerca de 15 metros abaixo do nível, porém subindo rapidamente devido às fortes chuvas. Esta associação gerou um grande acúmulo de resíduos, turvando bastante a água, principalmente aquela oriunda do rio Corumbá. Enfrentamos ventos leves (cerca de 8-10 km/h), exceto no segundo dia de pesca onde enfrentamos um verdadeiro temporal com vento forte e ondas de 1 metro.

Terceira lição: durante a marola, voltar e esperar é o mais inteligente.

Fotos do primeiro dia:

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

Imagem Postada

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2275.jpg

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2277.jpg

Fotos do segundo dia:

Neco dando uma folga para o Juruna e protegido do sol.

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2283.jpg

Quarta lição: sol + pele clara - protetor = insolação

Sem capturas pela manhã. O jeito foi adiantar o almoço.

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2285.jpg

Quinta lição: nada como uma cerva gelada, um churrasco e um banho de represa para animar o pescador.

O almoço foi à sombra desta frondosa árvore, carinhosamente apelidada de pé-de-cocô.

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2287.jpg

Neco tirando o dedão.

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2288.jpg

Já eram mais de 18:00 horas e estávamos desanimados com a total falta de ações. Mas aquela história de que o jogo só acaba quando termina é verdadeira. Já na prorrogação, engatamos este casal, onde o macho pesou 6,5 lb.

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2290.jpg

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2296.jpg

Soltando o bicho.

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2307.jpg

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2308.jpg

O engraçado é que esta captura teve um gostinho de revanche. O Neco viu o movimento do peixe, lançou primeiro e capturou a fêmea trick. Eu lancei bem depois e capturei o macho que foi o troféu da pescaria.

Algo semelhante, só que ao contrário, tinha ocorrido no Rio Negro. Eu localizei o peixe, orientei o piloteiro a posição correta do barco, lancei primeiro e capturei uma fêmea de cerca de 4 kg. O Neco que esperou a minha ação capturou o macho que pesou 19 lb.

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/IMG_1853.jpg

Sexta lição: às vezes ter paciência e pinchar depois é vantajoso.

Achamos diversos pedaços de redes abandonados no lago. Esta tinha duas tilápias mortas.

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2320.jpg

Sétima lição: a pobreza de peixes é a conseqüência da ação humana, se é que podemos chamar de humano um animal que abandona uma rede no lago em plena piracema.

Foto da Pousada Porto Bela Vista, local bastante agradável.

http://i259.photobucket.com/albums/hh315/fabioneves/Tupaciguara/IMG_2280.jpg

Agradeço ao amigo Neco por compartilhar mais esta jornada e ao guia Juruna pelos ensinamentos. Espero que seja investido em educação e fiscalização para que na próxima ocasião encontremos o lago em melhores condições para a pesca esportiva.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante

Lindas fotos e os azulões mostraram que ainda sobrevivem, apesar de toda pressão que tupaciguara já passou.

Parabéns Fabio, Neco e Juruna.

O relato ficou 10

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Top hein Fabão!!! Vcs arrebentaram!!! A troca foi justa?? kkkkk....

O Juruna realmente é o cara destas bandas...rs

Abraços e ficou demais o relato...uma verdadeira obra-prima repleta de informações e bem ilustrada!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu concordo com tudo apresentado neste relato, Tupá foi e sempre será a minha escola na pesca esportiva. Tive bons e maus momentos nesta represa, mas na medida do possível sempre estarei por lá. Ah, apenas relembrando o meu record de tucunaré azul e amarelo foram conquistado nesta majestosa represa.

Parabéns Fábio Neves, Neco e Juruna pela pescaria realizada

Juruna, este cara é nota 1000, já tive a oportunidade de aprender a pescar com este excelente guia e parceiro.

Um forte abraço parceiros.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fabão detonou no relato bem explicativo e detalhista... Muito Show....

Agora fiquei intrigado foi com esse trabalho de stick/helice, parece que já vi o Jhonny em algum video fazer esse tipo de trabalho.

Fabão agora me conta uma coisa, vc esta participando do fã clube do Justin Bieber??? :gorfei: :gorfei: Amigo, amigo....

Imagem Postada

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É isso aí fabão!!! Sempre um prazer pescar contigo... Ainda vamos ter muitos casais de tucunaré na ponta da linha e "revanches a travar". diabo:: diabo::

Parabéns pelo relato, não poderia ter ficado melhor!!!

Mesmo que a escassez nas ações e a insolação tenha "judiado do caboclo" (Tô igual cascavel trocando de pele até hoje...

Valeu a pena demais... ainda mais por termos voltados vivos depois do temporal!! Frio:: Frio::

Quem quiser conhecer a região dá um toque pro Juruna que vale a pena mestre::

O cara pesca sem garatéias... sabe muito ensinar e por peixe na ponta da linha doutor::

abrassaum a todos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estive lá no ano passado e não dei tanta sorte quanto vocês...Realmente esta represa já foi referência na pesca do tucunaré fora da Amazônia, tanto em quantidade e tamanho. Já vi redes enormes por lá e pelo jeito ainda continuam, uma pena. Parabéns pelas capturas...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parece que a pescaria não foi de muitas ações, qual o veredito final para a represa, vale a pena ir ou não?

Manga...

De acordo com oque o juruna disse. E eu acredito nele, a represa está sim melhorando... oq ocorreu foi que o peixe não estava muito ativo! O comportamento do peixe estava estranho e muitas vezes o peixe batia pra espantar a isca. lacou:: lacou::

Acho que vale a pena sim... ainda mais para aprender os macetes do juruna!

Abrassaum

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Meu amigo, parabens pela pescaria. e Parabens pelo relato, muito bem feito. Tomara que tupaciguara volte a ser o que foi nos anos aureos, e tenhamos no sudeste algo parecido com o que é serra da mesa.

Abs

Carlos Dini

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Beleza de relato Fábio, e belas fotos...

As represas da região estão recebendo muita água das chuvas e afluentes, mas deixando algumas comportas abertas, o que desorienta o peixe essa constante mudança de pressão, eu acho...

Mas no torneio de Tupaçiguara, fiquei abismado, vendo na pousada Tucunaré a grande estrutura agora praticamente deserta, e andando por lá vi o local onde ficavam os congeladores, parece um matadouro o tipo do lugar... triste...

Me falam aqui em São Simão pra fazer chalés, aumentar a estrutura, etc... por enquanto não... recebo telefonemas quando pescadores vêem relatos meus, alguns desses pescadores são matadores... quando peço informação do estilo da pescaria, pulo fora, acho que já sofremos demais com o descaso pra procurar ainda mais sarna pra se coçar...

O problema também, é que com os relatos que fazemos para o pessoal dos fóruns curtirem, não só os conscientes atentam para os peixes, muitos matadores ligam em estabelecimentos da cidade e sempre acabam achando um "guia" safado que leva pra matar...

Abraço a todos;

JH.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Beleza de relato Fábio, e belas fotos...

As represas da região estão recebendo muita água das chuvas e afluentes, mas deixando algumas comportas abertas, o que desorienta o peixe essa constante mudança de pressão, eu acho...

Mas no torneio de Tupaçiguara, fiquei abismado, vendo na pousada Tucunaré a grande estrutura agora praticamente deserta, e andando por lá vi o local onde ficavam os congeladores, parece um matadouro o tipo do lugar... triste...

Me falam aqui em São Simão pra fazer chalés, aumentar a estrutura, etc... por enquanto não... recebo telefonemas quando pescadores vêem relatos meus, alguns desses pescadores são matadores... quando peço informação do estilo da pescaria, pulo fora, acho que já sofremos demais com o descaso pra procurar ainda mais sarna pra se coçar...

O problema também, é que com os relatos que fazemos para o pessoal dos fóruns curtirem, não só os conscientes atentam para os peixes, muitos matadores ligam em estabelecimentos da cidade e sempre acabam achando um "guia" safado que leva pra matar...

Abraço a todos;

JH.

Fala JH, beleza?

Alguns dados que o Juruna me passou e me deixaram desanimado:

- Apenas 20% dos clientes dele praticam a pesca esportiva

- Dos outros 80%, a maioria usa iscas vivas para capturar e abater os peixes

- Em dezembro, dois piloteiros pescaram mais de 200kg de tucuna para clientes de São Paulo levarem o pescado. Isso mesmo, os guias pescavam com garatéia para aumentar o número de abates e ajudar a compensar o investimento da pescaria (a cota é de 3kg + 1 exemplar). A Polícia Ambiental não flagrou, mas deu uma prensa neles a posterori.

Em relação ao deserto em Tupaciguara: na sexta-feira tinham apenas 2 barcos na água, somando-se as 3 pousadas em funcionamento. Isso em plenas férias escolares.

Ausência de peixe = ausência de pescador

Se prepara aí que dia 3 tô na área para fazermos aquela pescaria em Ipiaçu.

Parece que a pescaria não foi de muitas ações, qual o veredito final para a represa, vale a pena ir ou não?

Mangua

Depende do recurso pesqueiro que você tem. Se eu morasse em Brasília (perto da SM) eu não iria a Tupacity. Como moro perto do rio Grande, que tá no osso, Tupacity é uma das melhores opções.

Fabão detonou no relato bem explicativo e detalhista... Muito Show....

Agora fiquei intrigado foi com esse trabalho de stick/helice, parece que já vi o Jhonny em algum video fazer esse tipo de trabalho.

Fabão agora me conta uma coisa, vc esta participando do fã clube do Justin Bieber??? :gorfei: :gorfei: Amigo, amigo....

Imagem Postada

Abraços

Poppozão, você forçou a amizade legal mau:: mau::

Tive que procurar no Google quem é esse tal de Justin Bieber...

Imagem Postada

Poppozão, largamãodi ser Emo pô!!!

O que estava escrito era Just in Beer... hehehe

Imagem Postada

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande Fabio X-men... Teu relato ficou ducararro......

Bem organizada e estruturada as explicações, inclusive os pontos mais marcantes. mestre:: mestre:: mestre::

Mandou bem.

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala ae...vampira...!!!!

Bela pescaria do casal....!!!

OLOKO MEU!

quem será a mulher do casal... acho que eu tô muito rústico pra isso rindo2:: rindo2::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande Fabão!

Quanto tempo?!?!?..........Pesquei domingo la´.......praticamente nos mesmos pontos que voce pescou... Pegamos uns 04 peixes nesse porte que voce pegou e abrimos algumas garateias, nos braços dos Costas, pelo que vi no seu trajeto, são os mesmos. O que acontece é que realmente os guias estão no desespero. O Branco II que voltou a pescar matou 15 Tucunarés pequenos para o turista levar. Foi terrivel ver. Fazer o que?!?!.depois pousada fecha e ficam procurando explicação.

Sobre o Juruna realmente é um verdadeiro Guia Profissional de Pesca. Sabe tudo e poe em pratica para atender bem ao turista. Aos amigos que quiserem vir pescar em Tupaciguara, e tem duvidas, marquem com o Juruna, até chover ele faz, como fez nos dias de pescaria do Fabão.......rsssss..

abs,

luizao

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...