Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Fabrício Biguá

Molinete x Carretilha

Posts Recomendados

"Resolvi fazer uma página especialmente destinada a este assunto que, sem dúvida, assola a cabeça de muitos pescadores amadores. Apesar do dilema, os dois instrumentos apresentam vantagens consideráveis, um complementando o outro. Se existisse um aparelho que miscigenasse as qualidades de um e outro... bem, mas como o mundo não é perfeito e a imperfeição é uma das nossas maiores virtudes, a gente se vira como pode.

Bem, vamos agora falar dos prós e contras de cada aparelhinho desses ficando a critério de cada um a escolha que achar mais aceitável.

Molinete

Imagem Postada

Podemos começar este assunto falando das qualidades mais perceptíveis deste instrumento:

É comumente usado por quase todos os pescadores amadores, desde crianças até o último nível etário. Caracterizado pela facilidade de manejo e arremesso de iscas; Via de regra, pode-se dizer que é o instrumento mais usado em competições de pesca, visto que é dotado de vários tipos de carretéis, desde o mais raso e curto ao mais largo e fundo. Os modelos usados em competições, principalmente as de Surfcasting ( Pesca de praia ), são armados com carretéis geralmente largos e um pouco fundos, haja visto que a distância a ser atingida pelo pescador é bastante considerada; É dividido em diversas categorias e sub-categorias, desde a ultra-light até a ultra-heavy. Cada molinete, possui características e estilos diferenciados, dependendo da ocasião. Basicamente devem existir na sua tralha, 3 tipos de moilnetes: um leve; outro médio; e o último pesado. Cada um defende sua ocasião; É um equipamento de fácil manutenção e limpeza, altamente durável, desde que se tome os cuidados necessários.

Vantagens...

Leva vantagem no custo, embora hoje em dia alguns molinetes de marcas mais respeitadas estejam com o preço bem acima da média e competindo em pé de igualdade com a carretilha. Entretanto a maioria deles, possui um preço razoável (levando -se em conta o preço caro do esporte) e encontra-se em praticamente todas as lojas esportivas;

Leva vantagem no manuseio, visto que a carretilha requer um pouco mais de prática e experiência no esporte. Com o molinete é possível fazer arremessos com iscas quase "sumíveis", tarefa que a carretilha não executa de forma alguma sem que se espere uma estúpida "cabeleira" ,"black-lash", "peruca-de-véia" e outros eufemismos não nomeáveis;

Outro ponto para o manuseio; o molinete é dotado de vários carretéis que podem ser compatíveis com o tipo de pesca que você vai realizar. Com isso você pode fazer uma troca rápida de carretel, se arrebentar uma linha ou mesmo se precisar de uma linha mais grossa ou fina;

Desvantagens...

Talvez a pior delas, seja a torção da linha; toda vez que a linha sai do molinete, incrivelmente ela atrita consideravelmente com os passadores da vara porque a mesma sai bastante torcida do carretel. Isto tudo é perfeitamente observável por qualquer leigo em pescaria. A pessoa olha e vê a linha saindo do carretel em forma de espiral, assim sendo a própria vai desgastando-se muito com o tempo necessitando de troca mais rapidamente;

A velocidade. Geralmente os molinetes perdem neste item em relação a carretilha. Isto se dá porque a linha do molinete tem de fazer uma volta toda ao redor do carretel para ser enrolada. Já nas carretilhas isso é facilitado, pois a linha entra reta no carretel, proporcionando uma maior velocidade de recolhimento;

A tração. No tocante que tange a tração, as carretilhas levam uma ligeira vantagem, pois como a linha não entra espiralada se exige menos dela, portanto, tem-se uma tração maior.

Carretilha

Imagem Postada

Já ouvi certas asneiras de leigos do tipo: "Ah! O cara que pesca de carretilha pesca mais peixes...". Bobeiras deste tipo é que fazem muitas vezes, pescadores menos experientes a comprarem o aparelho sem ter o mínimo de prática e conhecimento necessário para manuseá-lo.

É certo que quem pesca de carretilha têm, teoricamente, um pouco mais de prática e técnica do que outros tipos de pescadores. Pois o manuseio da mesma requer certa habilidade, precisão e às vezes, paciência, muita paciência! Mas isso não quer dizer que pegue mais ou menos peixes do que um pescador de varinha de bambu.

Como já disse carretilha e molinete se completam, sendo que um auxilia ou substitui o outro em determinado tipo de pescaria. Se você pensa em comprar uma carretilha, procure se informar muito bem antes, levando em conta tipo de pecaria, espessura de linha, tamanho de varas, pesos de iscas... Neste próximo texto que se segue, procurei reunir o máximo de conhecimento básico adquirido por anos de prática e tentarei repassá-lo com a melhor objetividade possível, afim de esclarecer dúvidas ou ampliar a sabedoria daqueles que já usam a fantástica máquina.

Vantagens...

É sem sombra de dúvida um excelente aliado no tocante "iscas artificiais". Talvez seja onde exerça uma melhor função, devido primeiro ao posicionamento do aparelho na parte superior da vara, o que facilita o manuseio e o controle da saída de linha.

Uma vez tendo total controle da saída da linha do carretel, pode comemorar, pois você acaba de solucionar 98% dos seus problemas. Com o tal controle você pode executar lançamentos muito precisos, da ordem milimétrica, sem exageros. Claro que a prática fará a diferença.

Ainda no que se diz respeito as iscas artificiais, estas podem ser trabalhadas de forma mais produtiva e correta. Enquanto no molinete você não tem total sensação do trabalho da isca, na carretilha ocorre ao contrário, devido a um fato já mencionado, que é o aparelho por cima da vara. Isto facilita e muito a ação conjunta braço-vara, sem contar que o equilíbrio do dueto carretilha-vara é maior, haja visto que a pressão exercida sobre a mão no conjunto, faz com que o dueto fique mais inclinado para cima, o que é praticamente impossível realizar por muito tempo na união molinete-vara, por causa do cansaço que fadiga o pescador após algum período.

Leva uma ligeira vantagem sobre o molinete no que diz respeito à tração. A carretilha normalmente é dotada de um sistema de tração mais robusto e agressivo, visto que na maioria das vezes os grandes peixes exigem tal qualidade. Vários rolamentos, bom material e distribuição uniforme da linha pelo corpo da carretilha pode ser considerado um aspecto positivo em relação aos molinetes.

Esta talvez seja a maior vantagem da carretilha em relação ao molinete. A distribuição e saída de linha do carretel. Já comentei que no molinete a linha sai torcida, em forma espiralada, o que prejudica o lançamento e aumenta o atrito com os passadores (anéis). Não sei se você já teve a curiosidade de reparar nos passadores das varas de molinete e carretilha... nas primeiras os passadores encontram-se mais afastados e são maiores; já nas segundas os passadores mantêm mais ou menos o mesmo tamanho e estão situados à distância menores. Isto se dá devido ao fato do atrito da linha com os anéis das respectivas varas. Feito esta afirmação, posso concluir que na carretilha a linha atrita menos com os passadores e sai do carretel em linha reta, o que é muito importante para a precisão e qualidade do arremesso.

Outra característica prática diz respeito a abertura da trava do lance. Enquanto no molinete ela é caracterizada pela aquela chata argolinha, na carretilha este adorno é substituído por um botão que facilita e muito o lançamento que pode ser utilizado de forma mais rápida ao se localizar um peixe.

Cuidados...

Apesar destas e outras vantagens, a carretilha requer cuidados especiais. Principalmente no que se diz respeito ao arremesso ou regulamento da tração. Para se arremessar com uma carretilha, deve-se antes de tudo regular o peso da isca. Como assim? Simples. A carretilha é dotada de um sistema de freio (não confunda com a fricção) que é justamente destinado a esta função de calibragem. Normalmente este botão fica localizado no corpo da carretilha entre o mesmo e a estrela de fricção, ou do lado oposto à alavanca de recolhimento, sozinho. Proceda da maneira ditada a seguir:

- Primeiro localize o botão;

- A seguir aperte ao máximo o botão, mas sem exageros;

- Agora monte o dueto vara-carretilha com a suposta isca também presente;

- Depois de montado o conjunto, abra a trava do lance. Você irá perceber que nada ocorre, a linha não desce. Isso ocorre porque o botão do freio está bem apertado, não permitindo a saída da linha;

- Aos poucos vá afrouxando o freio e você verá que a linha começará a descer. Pode parar. Rode a alavanca para que a trava se feche;

- Você pode fazer um pequeno teste: experimente abrir a trava (segurando a saída de linha com o dedo polegar) e fazer um arremesso. Arremesse como sempre fez de costume (isto é com o molinete), mantenha praticamente a mesma força e direção;

- Se no ato do arremesso a linha saiu muito rápido, fatalmente seu freio estava muito solto e, pior ainda, parabéns pela sua primeira cabeleira! Se ocorreu ao contrário, ou seja, a linha quase não saiu do carretel, significa que o freio está muito apertado, e , portanto voltemos à lição anterior;

- Faça novamente o balanceamento. Feche a trava, recolha um pouco de linha e abra a trava. Deixe a linha descer suavemente até tocar o chão. Se a mesma tocou o solo e você não viu nenhum emaranhado no carretel, parabéns! Sua carretilha está configurada para efetuar arremessos relativamente modestos e sem a preocupação da temível "cabeleira";

- Bom este é o princípio básico de quem nunca mexeu com o aparelho. Deve-se seguir estes cuidados, que em parte são simples, mas muito eficazes. É claro que nos primeiros lances, um iniciante não vai conseguir atingir a distância ou direção preferida e se tentar alcançá-la afobando-se e liberando o freio, só terá dor de cabeça e aborrecimento, pois a carretilha não irá correspondê-lo, pelo contrário, irá te mostrar a cada lance a dolorosa tarefa de desembaraçar as terríveis "perucas de véia". Conheço algumas pessoas que se aborreceram tanto com a máquina, que foram capazes de arremessar muito longe, mas não a isca, a própria carretilha. Portanto o trabalho requer paciência e muita prática. Com o tempo você aprenderá a regular manualmente o peso da isca, sendo desnecessária a utilização do freio. Mas não pense que vez ou outra vai escapar dos "ninhos de guacho". Reze para que isto nunca aconteça quando estiver no meio de um grande cardume!

Desvantagens...

Mas o mundo não é só flores e vamos apresentar as desvantagens da carretilha. A primeira delas e talvez a pior é com relação aos pesos das iscas. As carretilhas, em média, não arremessam iscas com peso inferior à 10-12g, devido a necessidade de uma maior tração para fazer o carretel girar. Mesmo se você tentar arremessar com mais força, a única coisa que irá conseguir é embolar a linha. Resumindo: pescarias de peixes pequeno como piabas, alguns piaus (cuja isca é o milho verde de lata),pacus-prata e a maioria dos peixes que requerem pequenas iscas e chumbos, são inviáveis com o aparelho.

A segunda e muito comentada é a tal da cabeleira. Às vezes você pode estragar sua pescaria por causa deste problema de fácil solução. Como já disse é preciso algum tempo de prática para evitá-las, mas a persistência é a mestra da inteligência. Siga corretamente as instruções acima e não precisa se preocupar com os rolos de linha;

Esta é mais uma conseqüência da cabeleira do que um problema à parte. Chama-se torção da linha. Com o tempo, ao se usar a carretilha e inevitavelmente ocorrerem muitas perucas de véia, a linha naturalmente irá se desgastar mais e ficará com os famosos "piques". A linha perderá resistência, durabilidade, elasticidade e principalmente confiança. Pode ser de marca japonesa, americana, finlandesa... que for, mas não agüentará por muito tempo este tipo de maltrato. Portanto isto requer um cuidado especial com as linhas, e a troca deve ser regular, principalmente se você já a usa por um bom tempo, ou porque ocorreram muitas "enroladinhas". Já pensou se você estiver naquela briga com o peixe de sua vida, seu recorde, e na hora H a linha " Prec!"...ahhhh... aí não existem eufemismos e elogios que o pescador não deixa de fazer para a mãe, esposa, vara, carretilha, linha....Boa pescaria! "

Fonte:Osmar Filho

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Embora eu domine ambos, minha clara preferência recai sobre os molinetes...

Minha opinião sobre as principais diferenças teóricas entre carretilhas e molinetes:

Vantagens da carretilha sobre o molinete:

- Precisão do arremesso (após se dominar a carretilha, o que nem sempre é muito fácil a todos).

- Arremesso embaixo de árvores ?debruçadas? sobre a água (também dá para fazer esse tipo de arremesso com molinete; mas é mais difícil, exceto com iscas soft e com técnica especial...).

- Arremesso sem maiores ?trancos? (o arremesso sai sem maiores trancos).

- Menor ?barriga? da linha, durante o arremesso.

- Mais fácil de parar a linha, no meio do arremesso; basta colocar o dedo no carretel (com molinete, pode-se ter alguma dificuldade em parar a saída de linha se o pescador tiver a mão pequena ou se o molinete for grande).

- Menor tempo entre os arremessos (com o molinete, perde-se tempo desarmando o rotor).

- Ergonomia (grande conforto; pesca-se um dia inteiro com artificiais sem cansar o braço).

- Trabalho mais fácil e menos cansativo de iscas artificiais que exijam toques e outros artifícios (zaras, sticks, jigs,...).

- Maior poder de tração (comparando equipamentos de mesmo peso, desde que a carretilha seja de boa procedência)...

- Não torce a linha (ao contrário do molinete).

Vantagens do molinete sobre a carretilha:

- Distância de arremesso significativamente maior (não há necessidade de frear a saída de linha por não haver o risco de cabeleiras causadas pela inércia do carretel).

- Incomparavelmente superior à carretilha no arremesso de iscas leves.

- Maior simplicidade de uso.

- Mais fácil de dominar.

- Não exige regulagem conforme a situação do arremesso (mas não permite regulagem para evitar a barriga da linha).

- Quase não embola a linha (não faz cabeleira).

- Manutenção mais fácil e barata.

- Maior resistência à água (é mais difícil proteger as engrenagens internas de uma carretilha contra a infiltração da água trazida pela linha).

- Melhor custo-benefício (se consegue um excelente molinete pelo preço de uma carretilha de fraco desempenho).

- Livre uso do líder (um nó na linha agarra muito menos em passadores e no guia de linha)!

- Grande tolerância quanto ao equilíbrio do equipamento (com carretilha, é mais necessário ainda observar a proporção entre o carregamento e a bitola da linha / também é importante o uso da varas leves com carretilha; sendo o molinete bem menos dependente do peso da vara, assim como outros fatores, para um bom desempenho).

Se alguém tiver outro ponto de vista sobre esse assunto ou algo a acrescentar; vamos conversar a respeito, trocar opiniões!

Um abraço a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Acho que não tem muito mais coisas a acrescentar, pois já disseram quase tudo e com muita propriedade. Só gostaria de expor um pouco a minha opinião a respeito:

Se existisse um aparelho que miscigenasse as qualidades de um e outro... bem, mas como o mundo não é perfeito e a imperfeição é uma das nossas maiores virtudes, a gente se vira como pode.

Já tentaram e existe uma aparelhor que (pelo menos na teoria) uniria as vantagens dos dois: spincast. Mas o resultado é que o spincast herdou também alguma das desvantagens de cada aparelho e criou-se novas desvantagens em relação aos antecessores: torce muito mais linha que molinete, linhas duram muito menos, tem menor capacidade de linha, tem menor poder de tração, a distância de lançamento é menor. As vantagens seriam: capacidade de lançar iscas diminutas, uso muito semelhante a uma carretilha, não fazer cabeleira, incrivelmente fácil de menejar, lançamentos precisos.

A grande maioria dos spincasts são destinados ao público quase leigo e tem qualidade lastimável (praticamente descartáveis). Mas, existem alguns de qualidade razoável que já cheguei a usá-los no mar várias vezes sem problemas (ainda estão inteiros, após alguns anos). Aqui tem um pouco de relato da minha experiencia.

Uma coisa engraçada é que como acontece entre "molineteiros" e "carretilheiros", uma certa discriminaçào em relação ao uso de um ou outro equipamento, o spincast é muito discriminado pelos pescadores "mais experientes. Para pesca ultra-light, onde o uso da carretilha é comprometida em função do peso da isca (bem lembrado pelo Moacyr) acho o spincast muito mais prático do que molinete.

É certo que quem pesca de carretilha têm, teoricamente, um pouco mais de prática e técnica do que outros tipos de pescadores. Pois o manuseio da mesma requer certa habilidade, precisão e às vezes, paciência, muita paciência! Mas isso não quer dizer que pegue mais ou menos peixes do que um pescador de varinha de bambu.

A preferência por um determinado equipamento - molinete ou carretilha - é uma questào de gosto, não é questão de expertise. Conheço muitos pescadores muito experientes que preferem molinetes e conheço vários que defendem as carretilhas com unhas e dentes, mas sào bons pescadores apenas na fala. Embora os equipamentos sejam importantes, acredito que a "peça mais importante" numa pescaria é o que está numa das extremidades da vara, na ponta oposta a do peixe.

Eu costumava dizer: só nào faz cabeleiras quem não usa carretilhas, pois por mais domínio que a pessoa tenha, de vez em quando, cabeleiras acontecem. Digo "costumava", pois já vi cabeleira (no singular mesmo; tão raro que ví apenas uma única vez) também em molinete!!!

- Distância de arremesso significativamente maior (não há necessidade de frear a saída de linha por não haver o risco de cabeleiras causadas pela inércia do carretel).

Acho que depende: com iscas com peso "lançáveis", a carretilha lança tão longe ou mais do que molinete, haja vista que a maioria dos recordes mundiais de lançamento (surfcasting) são obtidas com as carretilhas, embora aqui no Brasil pouca gente usa carretilha na pescaria d praia, com a exceção dos gauchos. Não sei se realmente um equipamento permite um lançamento significativamente mais longo em relaçào ao outro, mas no meu caso faço lançamentos mais longos com as carretilhas. Pode ser uma questão de costume.

Na minha opinião, para cada situaçào existe um determinado equipamento que é mais indicado. Numa pesca de lambari num corrego de 2 a 3m de largura, qualquer coisa além de uma vara de bambú, linha, anzol e chumbinho, só serve para complicar. Acho que cada um deve experiementar e escolher aquele que lhe proporcione mais prazer.

[ ]s.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Zyk !

Bem vindo ao Fórum frequentado pelo pessoal ligado a Turma do Biguá, Mocorongos e Tucunas do Cerrado ! Claro que não é exclusivo ! Sinta-se em casa...

Como você poderá ver, nossa intenção é interação e congraçamento. Não temos fins lucrativos e buscamos apenas boas amizades e novas informações sobre a pesca esportiva. Temos certeza de que suas contribuições se tornarão valiosas para todos aqui, por menos que isso possa lhe parecer...

Inicialmente gostaríamos de pedir-lhe que entrasse na categoria ( Seção ) BEM VINDO, APRESENTE-SE e falasse um pouco mais sobre você, suas pescarias, as experiências vividas, como ingressou na pesca esportiva, onde costuma pescar, qual a prática mais utilizada, etc...etc..etc... pois isso ajuda muito no entrosamento.

No mais é só ir se familiarizando com a linguagem do Fórum e postar a vontade.

Temos várias categorias ( Seções ) e com certeza você poderá contribuir para deixar o nosso Fórum cada dia melhor.

Aproveite também para providenciar seu "avatar", já que será essa imgem que o representará cada vez que postar aqui !

:arrow: Postar um "avatar" é mais simples do que parece, e para tanto, recomendamos a leitura da FAQ ( alto esquerdo do cabeçalho ), que traz algumas dicas de interesse...

:arrow: Se mesmo assim, a dificuldade persistir, entre em contato com um de nossos "Adm / Moderadores", que eles certamente lhe ajudarão a superar !

:arrow: Em tempo, para postar o "Avatar" ( assim como sua "assinatura personalizada" ), é necessário acessar seu Perfil, cujo ícone indicativo está no meio do cabeçalho... :wink:

Contamos com a sua compreensão e participação !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Acho que não tem muito mais coisas a acrescentar, pois já disseram quase tudo e com muita propriedade. Só gostaria de expor um pouco a minha opinião a respeito:

Se existisse um aparelho que miscigenasse as qualidades de um e outro... bem, mas como o mundo não é perfeito e a imperfeição é uma das nossas maiores virtudes, a gente se vira como pode.

Já tentaram e existe uma aparelhor que (pelo menos na teoria) uniria as vantagens dos dois: spincast. Mas o resultado é que o spincast herdou também alguma das desvantagens de cada aparelho e criou-se novas desvantagens em relação aos antecessores: torce muito mais linha que molinete, linhas duram muito menos, tem menor capacidade de linha, tem menor poder de tração, a distância de lançamento é menor. As vantagens seriam: capacidade de lançar iscas diminutas, uso muito semelhante a uma carretilha, não fazer cabeleira, incrivelmente fácil de menejar, lançamentos precisos.
Não posso falar com certeza porque eu não conheço o spincast...

Mas eu acho que li sobre o spincast há uns (ou muitos) anos atrás e que eu me lembre seu sistema de armazenamento da linha é semelhante ao do molinete, e essa capa na frente do carretel serve para eliminar a ?barriga? que a linha faz ao sair do carretel; assim sendo, pode-se colocar o carretel mais próximo à vara que com molinete, na mesma posição que uma carretilha, posição essa responsável pela grande ?ergonomia (conforto)? da carretilha. Falar em ergonomia, seria essa a vantagem que você aponta do spincast e da carretilha em relação ao molinete? Se for, sou obrigado a concordar; embora minha preferência pessoal seja molinete; não serei burro de não admitir que ele não é perfeito...

Falando por teoria; se a liberação da linha é parecida com a de um molinete, sua capacidade de arremesso deve ser parecida também, próxima a de um molinete... E assim sendo, sou obrigado a concordar que o spincast reúne as principais vantagens de ambos; a ergonomia da carretilha (responsável pelo grande conforto; e também, em parte, pela grande precisão dos arremessos), e a capacidade de arremesso do molinete...

Porém; acho interessante você observar que se criaram novos problemas... Suponho que seja mais difícil parar a saída de linha porque com a carretilha é só colocar o dedo no carretel; e a manivela do molinete, sendo maior, permite melhor força ao lidar com o rotor que exige alguma força na manivela para parar a saída de linha.

Bom; vou parar de viajar por aqui mesmo, afinal, eu nunca tive um spincast na mão...

Uma coisa engraçada é que como acontece entre "molineteiros" e "carretilheiros", uma certa discriminaçào em relação ao uso de um ou outro equipamento, o spincast é muito discriminado pelos pescadores "mais experientes. Para pesca ultra-light, onde o uso da carretilha é comprometida em função do peso da isca (bem lembrado pelo Moacyr) acho o spincast muito mais prático do que molinete.

Eu apenas sou contra aquela velha estória de ?invista em um equipamento melhor, compre uma carretilha...?

Discriminar não é comigo!

É certo que quem pesca de carretilha têm, teoricamente, um pouco mais de prática e técnica do que outros tipos de pescadores. Pois o manuseio da mesma requer certa habilidade, precisão e às vezes, paciência, muita paciência! Mas isso não quer dizer que pegue mais ou menos peixes do que um pescador de varinha de bambu.

A preferência por um determinado equipamento - molinete ou carretilha - é uma questào de gosto, não é questão de expertise. Conheço muitos pescadores muito experientes que preferem molinetes e conheço vários que defendem as carretilhas com unhas e dentes, mas sào bons pescadores apenas na fala. Embora os equipamentos sejam importantes, acredito que a "peça mais importante" numa pescaria é o que está numa das extremidades da vara, na ponta oposta a do peixe.
Sou obrigado a concordar contigo Zyk, tudo o que você falou é a mais pura verdade...

Mas eu intrepretei que o Fabrício apenas quis comentar que é mais complicado lidar com a carretilha (o que também é verdade), de forma que eu acho que você apenas complementou a idéia do Fabrício...

Já que todos deram as suas opiniões, deixa eu dar a minha também: tem gente que não sabe pescar e que usa molinete, tem gente que não sabe pescar e usa carretilha, e tem gente que acha que sabe pescar só porque usa carretilha... Em qualquer dos casos, a humildade é sempre uma qualidade a ser perseguida; pois me parece haver um lado escuro da natureza humana que empurra os homens para o egocentrismo, a soberba, a idolatria, e a prepotência. ("bunito" isso, né? :mrgreen: )

Eu costumava dizer: só nào faz cabeleiras quem não usa carretilhas, pois por mais domínio que a pessoa tenha, de vez em quando, cabeleiras acontecem. Digo "costumava", pois já vi cabeleira (no singular mesmo; tão raro que ví apenas uma única vez) também em molinete!!!

- Distância de arremesso significativamente maior (não há necessidade de frear a saída de linha por não haver o risco de cabeleiras causadas pela inércia do carretel).

Acho que depende: com iscas com peso "lançáveis", a carretilha lança tão longe ou mais do que molinete, haja vista que a maioria dos recordes mundiais de lançamento (surfcasting) são obtidas com as carretilhas, embora aqui no Brasil pouca gente usa carretilha na pescaria d praia, com a exceção dos gauchos. Não sei se realmente um equipamento permite um lançamento significativamente mais longo em relaçào ao outro, mas no meu caso faço lançamentos mais longos com as carretilhas. Pode ser uma questão de costume.

Na minha opinião, para cada situaçào existe um determinado equipamento que é mais indicado. Numa pesca de lambari num corrego de 2 a 3m de largura, qualquer coisa além de uma vara de bambú, linha, anzol e chumbinho, só serve para complicar. Acho que cada um deve experiementar e escolher aquele que lhe proporcione mais prazer.

Embora molinete arremesse mais longe, eu devo admitir que quanto maior o peso a ser arremessado, menor a diferença de distância. Certamente que, na prática, tem muitos pescadores que arremessam mais longe com carretilha por ter maior ?intimidade? com a carretilha; mas eu insisto que molinete arremessa mais longe! Há de se rever as condições de arremesso, a bitola da linha, o peso da isca, a intimidade que o pescador tem com a tralha,...

Falar nisso, você disse que os recordes de arremesso são com carretilha. Sem querer polemizar, eu adoraria saber de onde você tirou isso. Sei também que tem coisas que agente lê e esquece onde foi que agente viu aquilo; de qualquer forma, se você puder citar a fonte, eu agradeço...

não há necessidade de frear a saída de linha por não haver o risco de cabeleiras causadas pela inércia do carretel

Eu quis dizer, no trecho citado, que a carretilha tem a propriedade de provocar cabeleiras por conta da rotação do carretel que, eventualmente, libera mais linha do que a necessária; o que não ocorre com o molinete...

Sobre cabeleiras em molinete (acho até que o nome deveria ser outro... que tal ?embôlo de linha??), elas podem ocorrer e eu já tive várias; sempre por conta do excesso de linha no carretel e/ou da linha torcida. De fato, são muito menos freqüentes que com carretilha, mas ocorrem.

Bom, a prosa tá boa!

Mas por hora era só isso mesmo...

Seja muito bem vindo Zyk! :P

E um abraço a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Moacyr,

O spincast apresenta um perfil mais alto do que uma carretilha (mesmo uma de perfil alto, redonda), embora seja mais "grudado" na vara do que molinete. A distância de lançamento é menor (dependendo do tipo de pescaria, muito menor), pois devido à tampa frontal, gera muito mais atrito, atrapalhando em algum grau a saída de linha. O controle de saída de linha é feito pelo botão "libera/segura" que funciona como o dedão para carretilha. porém não permite um controle fino, pois com dedão bem treinado é possível freiar suavemente a saída de linha.

Quanto a referência de que a maioria dos recordes de distância são obtidas com carretilhas, o link é http://uksf.sea-angler.org/records.html. Nesse site, as carretilhas são referidas como multiplier e molinetes como fixed spool. A diferença é pequena e pode ser o resultado da habilidade maior do lançador com um determinado equipamento.

Por fim, a cabeleira é algo que é inerente a carretilha. E tenho a impressão que as piores cabeleiras acontecem justamente com os mais experientes. Será por que estes abusam mais do carretel, deixando o carretel mais solto? Não que eu seja um expert em carretilhas, mas a última cabeleira comigo foi no último feriado de Corpus Christ... e só resolveu com tesoura.

Um grande abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O spincast apresenta um perfil mais alto do que uma carretilha (mesmo uma de perfil alto, redonda), embora seja mais "grudado" na vara do que molinete. A distância de lançamento é menor (dependendo do tipo de pescaria, muito menor), pois devido à tampa frontal, gera muito mais atrito, atrapalhando em algum grau a saída de linha. O controle de saída de linha é feito pelo botão "libera/segura" que funciona como o dedão para carretilha. porém não permite um controle fino, pois com dedão bem treinado é possível freiar suavemente a saída de linha.

Valeu pelas explicações! Obrigado.

Quanto a referência de que a maioria dos recordes de distância são obtidas com carretilhas, o link é http://uksf.sea-angler.org/records.html. Nesse site, as carretilhas são referidas como multiplier e molinetes como fixed spool. A diferença é pequena e pode ser o resultado da habilidade maior do lançador com um determinado equipamento.

Segundo meu ponto de vista antigo, se houvesse a possibilidade de uma carretilha arremessar mais longe que um molinete, teria mesmo de ser com grandes pesos. E como eu nunca tentei arremessar tamanho peso com uma carretilha, tenho mesmo de estar aberto a possibilidade de eu rever meus conceitos...

Bom...

Eu já revi e, realmente, as provas por você apresentadas são suficientes para me convencerem que carretilha arremessa mais longe que molinete; com pesos iguais ou maiores de 100 gramas, e em situação ideal.

Para não dizer que foi a única surpresa; fiquei abismado em observar que o molinete ganhou apenas até a categoria de 75 g; enquanto que na categoria de 100 g (que não deixa de ser um peso bem maior que os mais usados no dia-a-dia) e superiores, carretilhas de perfil alto se mostraram mais eficazes em arremessar a distância.

Mas ainda me pergunto como um líder (ou melhor, arranque) de 0,75 mm pode ser usado com carretilha... Provavelmente se deva ao tipo de guia de linha das carretilhas de perfil alto, que é bem largo.

Eu já tinha ouvido falar que carretilhas arremessam mais longe; mas como estavam se referindo às carretilhas de perfil baixo, eu nunca enxerguei a menor possibilidade...

Deve pedir desculpas e me retratar; pois, carretilhas de perfil alto são mesmo capazes de arremessos mais longos que molinetes, se o peso usado for de 100 gramas ou mais.

Vou ficar mais atento para ver se eu descubro maiores detalhes sobre os macetes envolvidos nos resultados obtidos por esses pescadores, já que não batem com o que eu tenho visto por aí...

Pensando nisso, observo que há a necessidade da situação ideal para que estes resultados possam ser reproduzidos porque, quando se vai pescar de verdade, não se pode arremessar pesos sem o anzol e a isca; aí é que está "o pulo do gato" desse pessoal, uma isca acrescenta arrasto aerodinâmico ao conjunto e este arrasto irá obrigar a aumentar o freio da carretilha...Em outras palavras; estes resultados não serão reais no dia-a-dia! Mesmo assim; pode ser que um peso ainda maior seja capaz de fazer uma carretilha arremessar ainda mais longe que um molinete, mesmo com isca e tudo. Obrigado por me fazer enxergar essa possibilidade! Por menor que seja a diferença de distância de arremesso, eu estava falando em termos absolutos e estava errado; há uma situação onde carretilha é melhor que molinete para arremessos a distância!!!

Por fim, a cabeleira é algo que é inerente a carretilha. E tenho a impressão que as piores cabeleiras acontecem justamente com os mais experientes. Será por que estes abusam mais do carretel, deixando o carretel mais solto?

Também é verdade...

Mas eu vi que os muito inexperientes conseguem fazer cabeleiras por causa do jeito de arremessar; com muita força e sem a devida suavidade, gerando um tranco capaz de fazer o carretel acelerar e frear a isca ao mesmo tempo. Resolve-se isso, em parte, com o uso de varas mais lentas.

Um dos macetes que eu já pude observar no surfcasting com carretilhas, é que o pessoal usa varas mais lentas que com molinete para obter grandes arremessos, certamente para evitar os trancos durante o arremesso...

Falando por teoria, estava pensando se a linha atritando nos passadores não seria a causa da pequena diferença de distância observada entre o arremesso com molinetes e carretilhas? Enquanto a carretilha reduz a distância de arremesso com a inércia do carretel e com o freio, o molinete reduz a distância com o atrito dos passadores... Parece-me que esse atrito pode mesmo frear mais quando o peso a ser arremessado é grande, suponho que seja a grande velocidade da isca usada nestes arremessos; e quanto maior o peso (carregamento ou casting), maior a velocidade obtida com o arremesso...

Para finalizar;

"A boa teoria é aquela que funciona na prática, e a boa prática é aquela que permite a formulação de uma teoria."

Valeu Zyk; obrigado pela prosa inteligente, e também por diminuir minha ignorância!

Vivendo e aprendendo...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Moacyr,

As carretilhas de competição (de lançamento), a maioria nào tem devanador (guia ou distribuidor). Inclusive alguns modelos da Abu já vem sem devanador de fábrica. A distribuiçào de linha é feito com o polegar mesmo. Tem carretilhas que permite afrouxar o carretel durante o lançamento (enquanto o chumbo faz sua viagem), aumentando ainda mais a distância. Isso tudo é feito para a competição. Por isso a competiçào é de lançamento e não de pesca :mrgreen: .

[ ]s.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu sabia que tinha truta!!! :mrgreen:

A carretilha é usada em situação mais que ideal, irreal :wink: ; e, como você bem disse Zyk; é só para arremessar, e não para pescar! :lol: :lol: :lol:

Inclusive; eu comentei o assunto com meu amigo Marcelo Bazz e ele foi o primeiro a me apresentar às carretilhas sem guia de linha. :mrgreen:

http://www.campbellsprotackle.com/store ... sp?ID=2864

De qualquer forma; eu estava errado porque eu falei em termos absolutos, e mesmo que seja uma carretilha "tunada", não deixa de arremessar mais longe. :oops:

O que importa para mim é que; eu saí mais esperto dessa conversa, e ainda fiz mais um amigo!

Valeu Zyk, aquele abraço! :cool:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Depende o tipo de pescaria eu uso molinete outro tipow carretilha,

pescaria de traira, e dourado uso carretilha perfil baixo.

quando vou pescar em pedras com arremesso curto, levo um molinete medio que caiba uns 100 mts de linha multi-filamento.

pesca de costao, eu uso um molinete aluma 5000 com 350 mts de linha mult-filamento.

alto mar pescaria de enchova uso uma carretilha perfil alto.

e assim vai !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Realmente depende do tipo de pescaria que você irá realizar e também de qual equipamento você se da melhor....

Para mim acho que sempre é bom ter os dois...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olha amigos nada contra as carretilhas...mas prefiro a pesca com molinetes, além de arremessar muito mais longe... tem o fato de não ocasionar as famosas "cabeleiras".....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olha amigos nada contra as carretilhas...mas prefiro a pesca com molinetes, além de arremessar muito mais longe... tem o fato de não ocasionar as famosas "cabeleiras".....

Cara, arremesar longe nao e apenas o molinete e a carretilha que conta, nao existe isso de um arremesar mais que o outro, isso depende da vara usada e do molinete ou da carretilha.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em condições iguais o molinete arremessa mais sim pois a linha sai livremente sem o arrasto gerado pelo giro do carretal no caso da carretilha. Não é a toa que em campeonatos de arremesso os molinetes sao unamidade de preferencia entre os competidores.

bração

Olha amigos nada contra as carretilhas...mas prefiro a pesca com molinetes, além de arremessar muito mais longe... tem o fato de não ocasionar as famosas "cabeleiras".....

Cara, arremesar longe nao e apenas o molinete e a carretilha que conta, nao existe isso de um arremesar mais que o outro, isso depende da vara usada e do molinete ou da carretilha.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se registrar depois. Se você tem uma conta, CLIQUE AQUI para postar com a sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...