Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Carlos ToaToa

ISCAS DE HÉLICE

Posts Recomendados

COMO FABRICÁ-LAS OU ESCOLHER

Certamente, não me incluo no primeiro grupo! Entretanto, minhas observações poderão ser de valia para os dois grupos. Vejo que a madeira é o melhor material para confecção destas iscas. Mas porque muitas das iscas assim fabricadas deixam a desejar? Em primeiro lugar, a escolha da madeira é de fundamental importância; ela deve ter de baixo peso específico para ser a mais leve possível, o que vai permitir que flutue facilmente (sua densidade é fundamental); deve possuir o maior índice de resistência ao enxarcamento e, com isto, não necessitar de grande quantidade de selador; que a mesma seja capaz de alcançar as cores desejadas em sua pintura com o menor número de camadas de tinta e resinas (verniz). Tudo isto para que seu peso não aumente muito em relação à peça nua. Bom, depois disto, iremos ao primeiro teste prático: a isca, sem ferragem alguma, é colocada num tanque e a mesma tem de flutuar totalmente; não pode afundar e sua metade longitudinal superior deve ficar fora da água. Dando tudo certo, partimos para a colocação das ferragens (pitões), quando o da trazeira, pitão trazeiro , por ser maior em seu comprimento e o posicionamento do pitão médio devem fazer com que a isca assuma uma posição de 45 graus em relação a superfície da água (afunda em 45 graus). No caso de dois pitões inferiores, estes devem ser posicionados de forma que mantenham este ângulo de 45 graus e fiquem equidistantes, de forma tal que as garatéias não toquem uma à outra. Agora a vez das garatéias que, sendo do mesmo tamanho, devem manter esta angulosidade. Alcançando estes objetivos, certamente, teremos uma isca com as melhores condições no trabalho desejado .

Estas colocações foram disponibilizadas para que nós do FTB possamos trocar nossas experiências e ajudar ao nossos abnegados luremakers alcançarem os objetivos almejados. Tópico aberto às discussões.

:amigo: :amigo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uai Carlos. Já está vendendo as suas?? Porque se não está já está na hora. Rs :gorfei:

É tudo isso aí mesmo que você falou. ::tudo::

Grande Airton

Até por minha formação profissional, a observação se tornou uma prática diária; com isto, observar iscas de hélice e analizá-las se tornou um hábito! Quantas Rip Roller que possuo mandei para o Moa, um grande luremaker aqui de Curitiba, ora para emagrecê-las, binco que foram fazer lipo, e que eu e o Gusso costumamos copiar um do outro (ele é muito sabido) tanto que, as vezes, procuro dele esconder para aguçar-lhe a curiosidade, mas não tem jeito pois eu ou o Moa acabamos lhe mostrando! :gorfei: Todas minhas observações, resumidamente, foram para os amigos analizarem e postarem, da mesma forma, suas observações. Quanto a fabricá-las temos muitos amigos habilidosos para fazê-las. Mas de quem fabricar podemos comprar algumas, assim como o Gusso, Ramon, Marcelão Rodrigues, vc e tantos outros, e montamos uma tendinha às margens do Negão para revendê-las rindo3:: Talvez consigamos amortizar um pouco o que gastamos as nossa pescarias ::fisherman doeu:: surtei:: alegre::

:amigo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Carlos.. Parabéns pelo tópico.. vamos esperar mais participantes do FTB, pois não tenho nenhuma experiência com grande hélices. De qualquer forma vou acompanhar de perto este fórum, pois assim aprendemos demais com os mais experientes. Parabéns pelo tópico..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Carlão,

Até onde já pesquisei e testei, a Caixeta é uma das melhores madeiras para tornear e fazer hélices ou outras iscas grandes ´pois atende a maioria dos requisitos que você expôs. joia::: Existe mais um fator fundamental a ser colocado nesta discussão qué é dureza da madeira para que os pitões fiquem firmes o suficiente para aguentar as porradas dos açus, ou isto está no quesito densidade a que se refere?

Acabei de fazer um stick gigante de molongó, porém tive que fazer um exerto com peroba rosa para fixação dos pitões. Com isso a isca ficou com uma ótima flutuabilidade, leve e ultra resistente...pelo menos na caixa, vamos ver agora na boca dos monstros, :gorfei: :gorfei: :gorfei:

Vamos esperar os lure makers aqui do fórum se manifestarem. ::tudo::

Abração

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Excelente tópico Carlos toa toa ::tudo:: ::tudo::

Acho que fui contagiado pelo vírus dos dos pinchos :gorfei: :gorfei: Como sou novo,nos pinchos,não tenho dicas para compartilhar mas preciso de muitas dicas para me aperfeiçoar :gorfei: :gorfei:

Vamos la pessoal muuuuuuuuuitaaaaaas dicas :gorfei:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Carlão,

Até onde já pesquisei e testei, a Caixeta é uma das melhores madeiras para tornear e fazer hélices ou outras iscas grandes ´pois atende a maioria dos requisitos que você expôs. joia::: Existe mais um fator fundamental a ser colocado nesta discussão qué é dureza da madeira para que os pitões fiquem firmes o suficiente para aguentar as porradas dos açus, ou isto está no quesito densidade a que se refere?

Acabei de fazer um stick gigante de molongó, porém tive que fazer um exerto com peroba rosa para fixação dos pitões. Com isso a isca ficou com uma ótima flutuabilidade, leve e ultra resistente...pelo menos na caixa, vamos ver agora na boca dos monstros, :gorfei: :gorfei: :gorfei:

Vamos esperar os lure makers aqui do fórum se manifestarem. ::tudo::

Abração

Grande Schmidt

Imagine uma mistura de água e óleo. O óleo vai sobrenadar por sua menor densidade. A água tem densidade 1 e o óleo algo menor, um zero vírgula alguma coisa. Com a madeira é a mesma coisa, quando sua densidade for baixa irá boiar, quando for alta afundará alguma coisa.No tecido lenhoso da madeira, de acordo com sua disposição, a qualidade de sua trama variará com sua espécie e seria, grosseiramente, como a diferença entre o tecido ósseo e o muscular. Para um osso temos de usar, muitas vezes, pinos, placas, parafusos, etc e para reparar um músculo, na maioria das vezes bastam alguns simples pontos que retiramos facilmente ou são reabsorvidos, nos ossos não. Quanto mais fácil ou maleável a madeira, mais fácil será inserirmos uma ferragem mas, da mesma forma, mais fácil será de ser arrancada. Então, vejo que quanto maior a trama do tecido lenhoso maior dificuldade que teremos para inserir os pitões e vice-versa e isto não estará diretamente relacionado com a densidade ou, mais precisamente, seu peso específico. Sacou :gorfei:

:amigo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Para tudo que pode contribuir ou atrapalhar , não dá para ter uma resposta rapida.

A madeira é uma variante consideravel, mesmo tiradas do mesmo pedaço, ou prancha como quiserem, ela apresenta densidades diferentes pedaço a pedaço, é preciso pesar cada peça assim que terminar de tornea-las, pelo menos com um desvio plausivel. Fundo (primer), tinta e vernizes, são variaveis pequenas, agora os metais são sim um problema a parte. As melhores peças são importadas, dificeis de conseguir a não ser que voce seja um importador, as famigeradas helices Rip Holler, tão desejadas, são impossiveis de se conseguir, a alternativa é copia-las, mas como cortar? o aço desejado é muito duro e pesado, meus calos nos dedos, são prova de que eu tentei..... chorei:: chorei:: chorei:: existem tecnologias diversas, metalurgicas, laser, prensas, mas todas muito caras para pequenas peças, hoje o que se consegue negociar com um fornecedor decente é algo em torno de R$ 3.000,00, que pode ser de 1.000 a 2.000 peças, dependendo do equipamento utilizado, as demais ferragens, como pitões de tres tamanhos, cupilas tbm de tres tamanhos, consegue-se importar mas, com a mesmo problema, limitada a uma quantidade. Existem helices possiveis de importar, mas além de caras, não satisfazem ao exigente gosto do nosso pescador.

A alguns anos venho me dedicando a confeccionar iscas de helice, e com certeza o desafio maior esta nas peças de pequeno tamanho, 7 a 10 cm, equilibrar o peso das ferragens com o peso da madeira, ou fica parecendo um stick... doeu:: doeu:: , pense 15 grs de madeira (isso para uma isca de 10 cm), quanto voce podera por de peso trazeiro?, 10 a 15%, no maximo para ela não levantar, isso levando em conta o split, garatéia, espaçador, helice, pitão, cupila...., e tudo com uma resistencia boa, afinal isca de helice foi feita para levar porrada. ::evil:: ::evil:: ::evil:: , fica bem complicado.

A grande desafio dos lure's maker's atuais para fazer uma isca de helice "confiavel" esta nos componenetes metalicos, se conseguirmos um fornecedor regular confiavel, muitos poderão vir a se candidatar a fazer bons e eficientes modelos, empresários do ramo já estão disponibilizando peças para reposição e para confecção, mas ainda o custo se torna proibitivo para produção em escala comercial, pois existem mais custos envolvidos fora o material.

Outro grande problema, é o teste drive....kkkk, iscas para bocudos amazonicos, só dá para testar na temporada amazonica, pense no custo(precisa ir pescar pelo menos..... ::fishing ), e na sorte(repiquetes e outros contratempos.... buaa:: buaa:: ), se amigos puderem ajudar, agradeça, e os aborreça... :amigo: :amigo: :amigo: , senão as iscas vão ficar enfeitando o varal de casa.... negativo:: negativo:: , mudar um item de uma isca pronta é muito complicado, afinal os itens necessarios para mudança nem sempre estão a mão.....quando muito temos um alicate e mais nada, dai tem de voltar ao inico, de cortar madeira, até a isca final, leva um certo tempo e paciencia.

Some-se a isso tudo o modismo, isca boa é aquela que todos comentam, se pararem de comentar, morreu.... morto:: morto:: .. lacou:: lacou:: , pensem num empresário pequeno, que com pouco capital, investe numa pequena fabriqueta e descobre depois de algum tempo que a história agora é popper cor de rosa..... lingua2:: lingua2:: , acredito que mesmos grandes empresários tem de fazer essa analise, e ficar lançando constantemente novidades para o mercado, gera um custo variavel alto e muita disposição.

Assunto longo, e acabo me empolgando, no decorrer das duvidas, espero aproveitar mais das experiencias dos amigos e se possivel colaborar com o debate que muito me interessa.

Naka'lures Helices 100%, pela porrada e pela zueira.... rindo3:: rindo3:: rindo3:: rindo3:: rindo3:: rindo3::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pois é...

Me considero um privilegiado por poder (de quando em vez) conviver com o Mauro. É uma pessoa muito especial!

Além de colega de profissão tem, como eu, uma paixão por tudo o que se relaciona a pesca. A diferença é que sempre fui um pescador amador (na acepção da palavra) e o Mauro faz tudo com muito carinho, profissionalismo, com o acréscimo que nas iscas por ele customizadas tem buscado a perfeição.

Longe de elogios baratos, as "Nakalures" tem atendido plenamente as necessidades pescativas destes tucuninhas de reservatórios (e do Xingu)... Na verdade, quando conheci o Mauro eu andava fazendo umas iscas de hélices, (que pegavam os seus peixinhos) uma vez que as disponíveis no mercado não atendiam minhas expectativas.

Quando, na convivência com ele, pude comprovar a complexidade que era customizar as iscas de hélices desisti de fazer as minhas e passei a usar as dele (rs).

Também sou adepto das hélices (sempre pegam os peixes maiores) e na medida que evoluímos vamos aprendendo a regulagem ideal, a ponto do nosso ouvido saber exatamente o "ronco" ideal na água, de forma que para mim o barulho delas é igual ao ronco de um motor V8 (rs).

Vou acompanhar o tópico com curiosidade, pois sempre vamos aprender alguma coisa ainda mais que, por aqui navegam grandes (e entendidos) usuários de hélices.

abs

kruel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Alguns dos aspectos postados pelo Mauro são extremamente importantes, principalmente na percepção de detalhes que nos passam ( de forma geral ) desapercebidos !

O esquema de testes "na prática" é algo sempre desejado, principalmente quando o desenvolvimento das idéias "ganha um corpo" !

arrow:: Até onde que as "convicções teóricas" funcionam na realidade ?

Também o esquema de exigência ( sempre crescente ) dos "consumidores" é mais um fator desafiante em produzir as iscas, até porque a "cobrança" pela evolução de algo já estruturado é fator presente em todos os sempre ansiosos pescadores...

Finalmente, a dificuldade em conviver com o "modismo", principalmente após o investimento realizado em determinado tipo de isca se torna mais um "degrau" a ser superado...

arrow:: Mas esse é o desafio que mantém o comércio crescente de iscas e seus colecionadores...

Por aí dá para entender o porque de tanto esforço na "subsistência" de "pequenas empresas" ( sem qualquer desabono a elas ) que lutam para transformar um "sonho pessoal" em uma realidade coletiva...

Aqui mesmo no FTB acompanhamos algumas estórias de sucesso, muitas das quais entremeadas de grandes dificuldades, como foi o caso da Jennerlure, hoje consagrada como uma excelente alternativa no mercado, mas que para chegar lá, penou muito... ( que o diga, o amigo Jenner Leite )

Há também os que "acertam a mão" em determinado foco ( ou segmento ), como é o caso dos Jigs Extreme ( do FlavioA ), que já se tornaram "estrelas" imbatíveis desse segmento !

arrow:: As ações de produção "nas madrugadas" terminaram valendo a pena...

Mas aguardemos outros posicionamentos, já conscientes da real dificuldade que é prosseguir nesse difícil processo de conciliação de interesses ( sonhos, idéias, materiais, custos, mão de obra, etc... ).

arrow:: Como inicialmente previsto :bompost:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grandes Companheiros

Excelentes as colocações postadas. Companheiros com notório conhecimento na confecção de iscas de hélice, paixão de todos nós, tiveram a bondade em expor suas opiniões e aqui expresso minha gratidão. Ao barulho do V8 do Kruel acrescento a descarga livre para aumentar o barulho palmas:: Sabia das dificuldades que nossos abnegados luremakes enfrentam e espero que este tópico sirva de estímulo a seu abnegado trabalho e que cada um de nós, ao usufruirmos de suas verdadeiras obras de arte, possamos contribuir da melhor forma possível. O nosso amigo Kid M, em seu árduo trabalho junto ao FTB, mais uma vez contribuiu com suas sábias ponderações. O amigo Mauro, com seu amplo conhecimento, maravilhoso trabalho e clareza de exposição, traz-nos à luz sua grandeza em produzir os brinquedinhos com que nos divertimos em nossas pescarias. palmas:: Muitos, ainda, estarão postando seus conhecimentos e opiniões que tenho certeza valorizará este tópico. joia:::

:amigo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sem filosofar muito meu amigo...

Eu sei o que é densidade, apenas perguntei se estava considerando ela como resistência joia:::

Estes remédios tarjas pretas estão te fazendo mal, começou até escrever colorido, :gorfei: :gorfei: :gorfei: O ùnico nomal aqui que pode se dar a este luxo exclusivo é o grande KID

Abração

.

Carlão,

Até onde já pesquisei e testei, a Caixeta é uma das melhores madeiras para tornear e fazer hélices ou outras iscas grandes ´pois atende a maioria dos requisitos que você expôs. joia::: Existe mais um fator fundamental a ser colocado nesta discussão qué é dureza da madeira para que os pitões fiquem firmes o suficiente para aguentar as porradas dos açus, ou isto está no quesito densidade a que se refere?

Acabei de fazer um stick gigante de molongó, porém tive que fazer um exerto com peroba rosa para fixação dos pitões. Com isso a isca ficou com uma ótima flutuabilidade, leve e ultra resistente...pelo menos na caixa, vamos ver agora na boca dos monstros, :gorfei: :gorfei: :gorfei:

Vamos esperar os lure makers aqui do fórum se manifestarem. ::tudo::

Abração

Grande Schmidt

Imagine uma mistura de água e óleo. O óleo vai sobrenadar por sua menor densidade. A água tem densidade 1 e o óleo algo menor, um zero vírgula alguma coisa. Com a madeira é a mesma coisa, quando sua densidade for baixa irá boiar, quando for alta afundará alguma coisa.No tecido lenhoso da madeira, de acordo com sua disposição, a qualidade de sua trama variará com sua espécie e seria, grosseiramente, como a diferença entre o tecido ósseo e o muscular. Para um osso temos de usar, muitas vezes, pinos, placas, parafusos, etc e para reparar um músculo, na maioria das vezes bastam alguns simples pontos que retiramos facilmente ou são reabsorvidos, nos ossos não. Quanto mais fácil ou maleável a madeira, mais fácil será inserirmos uma ferragem mas, da mesma forma, mais fácil será de ser arrancada. Então, vejo que quanto maior a trama do tecido lenhoso maior dificuldade que teremos para inserir os pitões e vice-versa e isto não estará diretamente relacionado com a densidade ou, mais precisamente, seu peso específico. Sacou :gorfei:

:amigo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sem filosofar muito meu amigo...

Eu sei o que é densidade, apenas perguntei se estava considerando ela como resistência joia:::

Estes remédios tarjas pretas estão te fazendo mal, começou até escrever colorido, :gorfei: :gorfei: :gorfei: O ùnico nomal aqui que pode se dar a este luxo exclusivo é o grande KID

Abração

.

Carlão,

Até onde já pesquisei e testei, a Caixeta é uma das melhores madeiras para tornear e fazer hélices ou outras iscas grandes ´pois atende a maioria dos requisitos que você expôs. joia::: Existe mais um fator fundamental a ser colocado nesta discussão qué é dureza da madeira para que os pitões fiquem firmes o suficiente para aguentar as porradas dos açus, ou isto está no quesito densidade a que se refere?

Acabei de fazer um stick gigante de molongó, porém tive que fazer um exerto com peroba rosa para fixação dos pitões. Com isso a isca ficou com uma ótima flutuabilidade, leve e ultra resistente...pelo menos na caixa, vamos ver agora na boca dos monstros, :gorfei: :gorfei: :gorfei:

Vamos esperar os lure makers aqui do fórum se manifestarem. ::tudo::

Abração

Grande Schmidt

Imagine uma mistura de água e óleo. O óleo vai sobrenadar por sua menor densidade. A água tem densidade 1 e o óleo algo menor, um zero vírgula alguma coisa. Com a madeira é a mesma coisa, quando sua densidade for baixa irá boiar, quando for alta afundará alguma coisa.No tecido lenhoso da madeira, de acordo com sua disposição, a qualidade de sua trama variará com sua espécie e seria, grosseiramente, como a diferença entre o tecido ósseo e o muscular. Para um osso temos de usar, muitas vezes, pinos, placas, parafusos, etc e para reparar um músculo, na maioria das vezes bastam alguns simples pontos que retiramos facilmente ou são reabsorvidos, nos ossos não. Quanto mais fácil ou maleável a madeira, mais fácil será inserirmos uma ferragem mas, da mesma forma, mais fácil será de ser arrancada. Então, vejo que quanto maior a trama do tecido lenhoso maior dificuldade que teremos para inserir os pitões e vice-versa e isto não estará diretamente relacionado com a densidade ou, mais precisamente, seu peso específico. Sacou :gorfei:

:amigo:

Grande Schmidt

Claro que vc sabe que densidade e resistência são coisas diferentes mas, os nossos amigos gordinhos não podem pensar que por terem muita banha :gorfei: (óleo solidificado) tem baixa densidade que vão boiar no rio. Eles vão necessitar é de muita resistência doeu:: surtei:: alegre:: Aqui filosofei, no resto do tópico não. Quanto colocar uma corzinha, imitando o amigo KID, não é que fica bacaninho! ::tudo:: danca::

:amigo:

PS Vc enxertar o molongó com uma madeira dura, para colocar o pitão, o peixe vai arrancá-la deixando um buraco maior do que vc fez para colocá-lo. Sinceramente, não acho que vai dar certo. A madeira para a isca tem de ser leve (baixa densidade) e reistente.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

COMO FABRICÁ-LAS OU ESCOLHER

Certamente, não me incluo no primeiro grupo! Entretanto, minhas observações poderão ser de valia para os dois grupos. Vejo que a madeira é o melhor material para confecção destas iscas. Mas porque muitas das iscas assim fabricadas deixam a desejar? Em primeiro lugar, a escolha da madeira é de fundamental importância; ela deve ter de baixo peso específico para ser a mais leve possível, o que vai permitir que flutue facilmente (sua densidade é fundamental); deve possuir o maior índice de resistência ao enxarcamento e, com isto, não necessitar de grande quantidade de selador; que a mesma seja capaz de alcançar as cores desejadas em sua pintura com o menor número de camadas de tinta e resinas (verniz). Tudo isto para que seu peso não aumente muito em relação à peça nua. Bom, depois disto, iremos ao primeiro teste prático: a isca, sem ferragem alguma, é colocada num tanque e a mesma tem de flutuar totalmente; não pode afundar e sua metade longitudinal superior deve ficar fora da água. Dando tudo certo, partimos para a colocação das ferragens (pitões), quando o da trazeira, pitão trazeiro , por ser maior em seu comprimento e o posicionamento do pitão médio devem fazer com que a isca assuma uma posição de 45 graus em relação a superfície da água (afunda em 45 graus). No caso de dois pitões inferiores, estes devem ser posicionados de forma que mantenham este ângulo de 45 graus e fiquem equidistantes, de forma tal que as garatéias não toquem uma à outra. Agora a vez das garatéias que, sendo do mesmo tamanho, devem manter esta angulosidade. Alcançando estes objetivos, certamente, teremos uma isca com as melhores condições no trabalho desejado .

Estas colocações foram disponibilizadas para que nós do FTB possamos trocar nossas experiências e ajudar ao nossos abnegados luremakers alcançarem os objetivos almejados. Tópico aberto às discussões.

:amigo: :amigo:

E tudo isto, fazer aos milhares e agradar aos milhares!!

Abç:

Jenner

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sem filosofar muito meu amigo...

PS Vc enxertar o molongó com uma madeira dura, para colocar o pitão, o peixe vai arrancá-la deixando um buraco maior do que vc fez para colocá-lo. Sinceramente, não acho que vai dar certo. A madeira para a isca tem de ser leve (baixa densidade) e reistente.

Madeiras muito leves, são mais dificieis de equilibrar, se for muito leve como balsa, acabara por ficar horizontal na agua, e isso tbm não é legal, precisa afundar perto do 45 graus como foi citado acima. outro detalhe que os mais exigentes querem é arremessabilidade....credo que palavra feia.... rindo3:: rindo3:: , uma isca grande e leve pode sofrer a ação do vento e não atingir o ponto ou distancia desejada, são muitas variaveis a serem analisadas.... rindo3:: rindo3:: rindo3:: , o melhor que temos a fazer como lure's, é partir de modelos já consagrados e tentar manter um pouco de caracteristicas diferenciais, senão vira tudo copia... rindo3:: rindo3:: rindo3::

Acertar o peso, o tamanho e o trabalho de uma única isca, não creio que seja tarefa dificil, afinal somos pessoas inteligentes e muito percepitivas.... joia::: joia::: , o dificil e manter o padrão de qualidade quando fabricamos em serie, basta uma peça fugir ao padrão que ela acaba sendo a referencia do lote.... ::nada:: ::nada:: , já que todos que compram ou mesmo ganham as peças, querem o prometido, em se tratando em peças que o principal variavel é muito dificil de controlar, a mão de obra, acabamos por pagar um alto preço de exigencia do nosso consumidor.

Para fazer uma boa isca além da madeira penso que voce precise de alguns profissionais de apoio, então vamos lá, um bom desenhista, projetista, um marceneiro ou torneiro, um ferragista, um pintor e dos bons... rindo3:: rindo3:: rindo3:: um analista de custos, um designer grafico para montar um site, um administrador de recursos, pelo menos o basico, quanto entra e quanto sai....... rindo3:: rindo3::, um estoquista para embalar e despachar e disponibilizar o estoque, um boy para levar as encomendas no correio, se voce não tem todos esses, se vira sozinho mesmo, tá precisando rever os seus valores pessoais senão acaba como eu, sem pescar......... rindo3:: rindo3:: rindo3::

Tenho tbm uma lista de todas as ferramentas e materias para montagem, mas deixa pra outro dia.....kkkkk

Brincadeiras a parte, esse é o passo mais perigoso que podemos dar, tornar o hobby uma atividade comercial, dai temos que levar em conta a responsabilidade que isso acarreta, pode-se tornar um fardo e tirar todo prazer que se tem na criação de peças unicas e exclusivas.

"Pegar um peixe com uma isca que voce mesmo fez não tem preço, receber um elogio de um amigo que pegou o peixe dos sonhos com a sua isca é impagavel" parodiando a propaganda ...... rindo3:: rindo3:: rindo3:: rindo3::

Quando voce comercializa suas iscas, agora sim elas tem preço... rindo3:: rindo3:: rindo3:: , e tem que valer cada centavo que se paga, senão mau:: mau:: mau:: mau::

Se quiser ter sucesso na vida, e nos negocios persita, insista e principalmente trabalhe muito, se quiser fracassar, tente agradar a todos em sua volta, é o caminho mais rapido.

E vamos que vamos.........

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

falou o mestre das helices, tive o prazer de pescar com duas de suas iscas na minha primeira viagem ao amazonas! sao excepcionais, principalmente a pequenina, que teve vaaarias açoe, e um peixe grande escapado! mas ano que vem tiro ele pra foto! as nakatanis eu assino embaixo!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Opa Mauro, que aula joia:::

Só não sabia que as belas iscas que fabrica tinham virado negócio, parabéns! Já tive a oportunidade de pescar com uma delas na SM e achei top demais::tudo::

Carlão meu amigo, :amigo:

Se o açu bater no meu stickão, pelo menos um peixe eu vou tirar com minha isca, mesmo que ela se despedace inteira pois o enxerto de peroba que eu fiz é inteiriço, ou seja, todos os 3 pitões estão fixos a um eixo único...O duro vai ser explicar a foto depois...o peixe com aquele "palitão" pendurado no beiço,kkk

Daqui a 20 dias eu te conto o resultado.

Abração

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dr Carlos, pegando uma carona em seu tópico.

Acabo de chegar da AM, e fã que sou das rips, desta feita usei as 7,25, ou melhor, tentei. Elas não tem angulo de ataque, afundam a frente, e estava usando um snap leve. Gostaría de saber se alguém trabalhou bem esta isca.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dr Carlos, pegando uma carona em seu tópico.

Acabo de chegar da AM, e fã que sou das rips, desta feita usei as 7,25, ou melhor, tentei. Elas não tem angulo de ataque, afundam a frente, e estava usando um snap leve. Gostaría de saber se alguém trabalhou bem esta isca.

Grande Lamana

Meu amigo, vc esta proibido de me chamar, os outros companheiros também, de Dr.. Aqui neste foro, tão amistoso, sou o Carlos ToaToa, ou Carlão :gorfei: , como muitos preferem, ou como o Gusso, meu muito querido amigo, Rei de Santa Isabel do Rio Negro, apaixonadamente, :gorfei: me chama de gostosão (veja se pode) diabo:: só porque o piloteiro de codinome Amazonas que não nos conhecia, ao lhe perguntar se sabia o nosso nome disse-nos que não; ato contínuo apresentei o Gusso como o Bin Laden e que eu era o gostosão! Já viu, não é rindo3::Mas, vamos tratar da Rip 7,25: quando comprar esta isca, ou qualquer hélice, teste num balde e veja se fica num ângulo próximo a 45 graus. Va escolhendo as que assim boiarem; as que ficarem totalmente na superfície descarte

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Lamana...já vi acontecer isso tanto nas de 7,25" quanto nas de 6,25"...e só descobria no primeiro arremesso...o colega Carlos deu uma boa dica (testar após a compra e trocar caso não pare no ângulo desejado)...agora...para evitar preju com a que ja possui...será que ajudaria utilizar uma garatéia maior na traseira? joia:::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Carlão, :amigo:

Você tem razão, esta falta de balanceamento ocorre mesmo mas dá para corrigir caso na loja não tenha um balde ou tanque para testes,hehehe...Basta substituir a garatéia frontal por uma mais leve e o próprio peso da garatéia traseira dará conta de fazer a angulação correta. joia:::

Abração

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Normalmente isto acontece de forma contraria, ou seja, ele fica perpendicular, o que tbm afeta, o problema pode esta ma madeira o que não vai dar para acertar sem fazer um lastro na dianteira, complicado para leigos, se ela ficar muito na horizontal dai o que se pode fazer é aumentar o peso na trazeira com uma garatéia maior ou mesmo um artificio de arame de solda. Para poder ter uma melhor idéia do seu problema, qual das iscas da foto do balde que apresentou problemas?

Se for a halloween, como parece ser, um peso maior na trazeira, deverá minimizar o problema, também um alinhamento nas pas, evitando essa curva como se fosse uma colher, pois diminui a resistencia deixando ela deslizar mais livre (a isca), Iscas grandes eu arrasto de forma mais cadenciada, arrastada mesmo, não costumo dar aquele arranque normal das 6,5. Mas isso já é gosto pessoal.

Se nada disso der certo dai só uma lipo ,parece que o Carlos já tem conhecimento nessa area...kkkk)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×