Ir para conteúdo

Kid M

Moderador
  • Total de itens

    10.685
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    35

Tudo que Kid M postou

  1. Amigos, Essa é uma "questão recorrente" embora quase sempre tratada apenas quando a experiência foi negativa... O preparo para uma pescaria de uma semana (ou quase isso) é algo feito com bastante antecedência (ou deveria ser...) Logística, vôos, traslados, refeições, hospedagem e toda essa tranqueira que precisa ser vista e revista, sempre com muita ansiedade. Talvez a parte mais importante para que tudo venha dar certo (respeitando a questão climática) é feita - generalizando - com pouco aprofundamento... Retornar a um já conhecido operador de pesca (ou sua estrutura disponibilizada) é quase sempre uma tarefa preferida por quem coordena o grupo de pesca. Possivelmente por já conhecer os itens que possam vir causar problemas no grupo, e cuidar deles antecipadamente... (pouca cerveja, gasolina, bote reserva, piloteiros sem experiência, comida de qualidade questionável, pontos de pesca, comunicação e por aí segue... quem coordena sabe bem ao que me refiro). A recomendação mais adequada aos que começam agora esse "patamar" de pescar com uma assistência profissional de um guia ou mesmo operação de pesca, é que não deixem de fazer suas pesquisas ANTES de contratarem/pagarem o serviço. Não se importem de passar "por chatos", pois quanto mais esclarecimento tiverem, menor serão as surpresas adversas às expectativas ! Esclareçam logo que nada melhor que a verdade ! Levar equipamento para pescar couro numa localidade onde esse peixe é difícil de ser encontrado, é aumentar a raiva e frustração. Melhor saber a realidade e se adequar a ela ANTES da pescaria. Mas se o propósito for pegar peixe de couro, claro que o local/operação é que deve mudar... Promessas de troféus são quase sempre recorrentes nas operações de pesca, principalmente nas chegadas aos locais escolhidos onde quase sempre "somos informados" que na semana anterior os brutos estavam assanhados e possivelmente na semana após a pescaria é que vai ficar ainda melhor... (isso faz parte do jogo - não pode é acreditar...) Um bom operador poderá lhe informar aquilo que ele estará lhe oferecendo (e aí é marketing de venda mesmo), mas você não deve perder a oportunidade de questionar e/ou perguntar sobre questões quase sempre esquecidas, como comunicação, resgate no caso de acidente, vacinas, remédios disponíveis e os que devem ser levados, etc... A lista é grande e recomendo sempre um "check list" para o coordenador do grupo (quase sempre o com maior experiência) ir anotando essas questões. Por fim é importante lembrar que "o operador" é tão somente um prestador de serviços, remunerado para fazer (ou verificar que seja feito) tudo aquilo que "anunciou". Ele não poderá garantir uma "boa pescaria", mesmo com seus piloteiros treinados, mas deverá garantir tudo aquilo que nos ajuda a passar um tempo de alegria em torno da pescaria. Pegar peixe nem sempre é o mais importante (acreditem nisso), mas ter um serviço abaixo do esperado é algo que tira as pessoas (pescadores) do sério. Pesquisar sempre, buscar informações com quem já usou o serviço, são indicadores para que se diminua a "janela" de insucesso durante o período de pesca. Por outro lado, o sucesso do serviço praticamente fideliza o grupo por muito tempo... Falo por mim e nosso grupo que sempre pesca no rio Negro com o mesmo operador, desde sempre...
  2. Amigos, Sem entrar na "velha história" de que a necessidade de iscas e cores diferentes é para o peixe e não para a "coleção do pescador", fico observando o porque de determinadas iscas serem consideradas como "coringas" nas nossas pescarias, em detrimento da enorme maioria que temos, muitas das quais levadas para a pescaria. Claro que é de se supor que algumas dessas "iscas coringas" são consagradas, seja pelo trabalho que fazem na atração do predador, seja na cor (?), ou até mesmo origem de fabricação... Não é meu propósito falar delas, embora elas também se encontram nessas minhas reflexões... Quando pescamos, via de regra temos as nossas preferências, e quase sempre (salvo exceções) insistimos nessas iscas por acreditarmos no seu potencial ! Em outras palavras, usuários de "T20" dificilmente irão trocá-la para usar uma outra isca zara similar ! Com isso essas "nossas preferidas" permanecem muito mais tempo dentro d'água e certamente têm mais chances de pegar os peixes desejados ! Isso termina (quase sempre) fazendo com que venhamos usar apenas uns 10% (sendo generoso) daquela tranqueira toda que foi levada para o famoso "e se..." ! Quanto mais se pesca, mais se reduz o quantitativo de iscas a serem usadas, embora a "compulsão" pelas novidades permaneça inalterada ! Claro que usamos também as "novidades", mas se elas não apresentarem um resultado em pouco tempo, serão trocadas por alguma "já testada" e "comprovadamente melhor"... (será mesmo ?). Meu ponto de vista passa pela crença que praticamente todas as iscas produzidas pela indústria funcionam, até porque foram projetadas e desenvolvidas para isso. Aperfeiçoamentos tecnológicos são incorporados em novos modelos e comercialmente produzem bons resultados junto às compras que todos nós pescadores nos "escravizamos" a fazer de tempos em tempos (alguns com espaçamento maior que outros...). Entendo que para que qualquer isca artificial funcionar é preciso que o pescador que vá usá-la, acredite nisso e insista nela, sem substituí-las após algumas tentativas. Elas irão funcionar, respeitando sempre as condições de alimentação do local onde estivermos pescando. Se as "presas" locais que servem de alimentação forem claras (lambaris, branquinhas, matrinxãs, piaus, etc...), as iscas a serem usadas deverão ser parecidas, não só nas cores, mas também no seu tamanho ! Peixe grande se alimenta do que encontrar, e no local de presas pequenas, as grandes poderão até assustar pela ausência de similaridade. Isso é algo a ser observado sempre. Longe de querer "ensinar padre nosso à vigário", posto esse tópico apenas com minhas reflexões (não necessariamente corretas) após esses anos de aprendizado que se mantém em fase evolutiva, até por cada vez mais enxergarmos que nossos conceitos e práticas precisam ser revistos e quase sempre atualizados. Nenhuma pescaria é igual, assim como qualquer comportamento dos cardumes se repete. Sempre há algo a ser observado e quase sempre nos detalhes...
  3. Kid M

    Iscas artificiais - quais as melhores ?

    Octávio, Também tenho cara ! Parece que por já terem sido "batizadas" são mais "pegadoras"... Difícil tirar uma dessas da ponta da linha quando o peixe está entrando...
  4. Kid M

    Iscas artificiais - quais as melhores ?

    Marcelo, Essas T10 são muitas vezes mais eficazes que as T20. Depende apenas de onde estiverem sendo usadas... Recomendo ter mais de uma de cada na caixa de pesca...
  5. Kid M

    O que deseja com a sua "tralha de pesca" ?

    Fabrício, Uma questão a ser considerada é a eventual possibilidade de entrar uma pirarara ou filhote, já que os locais de pesca são similares... Quanto o ponto de pesca é "raso", a esportividade deverá sempre ser priorizada !
  6. Amigos, Tenho lido diversos tópicos aqui no FTB onde se recomenda alguns apetrechos que me parecem "exagerados" ! Claro que cada um tem sua forma e "tempo" de pesca, daí não questionar nada (ou ninguém) quanto as preferências. Parece-me contudo que grande parte de nossas pescarias são vividas antes mesmo de "molhar as iscas"... e é assim mesmo ! Pensar, planejar, procurar novidades da indústria, bolar estratégias, treinar, adaptar iscas segundo a própria conveniência, etc... Tudo isso faz parte da "pescaria" (esportiva ou não) ! Trata-se de uma motivação lúdica para tanto investimento em "tralhas" e "desavenças matrimoniais"... Com o tempo de pescaria, com a experiência de muitas ansiedades superadas, os pescadores vão ficando mais técnicos e exigentes na busca da "adrenalina". A questão colocada como título desse tópico trata um pouco dessa etapa onde o principal não é o embarque do peixe e sim o como fazê-lo competitivamente. A sensação de "reboque" de um peixe capturado com tralhas pesadas é para alguns (onde me incluo) um desperdício de oportunidade de uma bela taquicardia... Por outro lado, trazer para embarque um troféu com uma tralha mais leve, é um estímulo para a melhoria do pescador, quer na sua técnica, quer na sua ansiedade. Ter algo que funcione nesse "meio termo" de segurança e maior risco de perda é o início da transformação do pescador em alguém que privilegia a técnica sobre a força. Com o tempo, a busca será avaliar a capacidade de "brigar" com "adversários" poderosos e superar sua notória explosão e força, por paciência e inteligência. Acredito sempre que "pegar peixe é apenas uma consequência", não uma meta a ser superada de forma desmedida ! E nem precisa ser feita só de troféus... Equilíbrio no conjunto usado é de fundamental importância para melhoria técnica de qualquer pescador ! Bom senso também e às vezes em maior intensidade. Trabalhar com varas de ação média e linhas de 65 lb é algo questionável, mesmo com a justificativa do peixe poder correr para a tranqueira... Perder peixes nas pescarias precisa ser encarado de forma mais natural, evitando aquelas explosões de mau humor que se seguem após a "derrota" ! Pescar esportivamente é algo que fazemos por puro prazer ! Vamos privilegiar essa situação sempre, cada vez com mais técnica...
  7. Kid M

    O que deseja com a sua "tralha de pesca" ?

    Viapiana, Essa me parece ser a essência da pescaria esportiva ! Respeitar o oponente e travar um embarque recheado de emoções...
  8. Kid M

    O que esperar de um operador de pesca ?

    Cristiano, Isso é o caminho adequado para mitigar o risco de "inquietudes" e "ansiedades", mas tem que deixar essa pessoa desenvolver o trabalho que lhe cabe fazer... O padrão de preço praticado dependerá sempre daquilo que se pretende ter como serviço (e quase sempre justifica esses "pequenos luxos"). Exemplos - ar condicionado para dormir depois de uma noite de sol no lombo, comida saborosa e com menor risco de "piriri" para acabar a pescaria, cerveja gelada, botes com motores elétricos e bons piloteiros, etc... Faço sempre uma avaliação comparativa ao custo de uma diária de hotel + 3 refeições + equipamento disponibilizado com pessoas habilitadas e no local remoto onde "achar isso" é quase que uma exclusividade ! Não dá para reclamar do dinheiro gasto com isso... dá para reclamar SIM, da disponibilidade de recursos livres de cada um de nós a cada ano, após pagamento de tributos e serviços essenciais.
  9. Kid M

    O que esperar de um operador de pesca ?

    Falcão, Isso é algo recorrente, principalmente com os "menos experientes" ! Quem de nós já não "entrou numa fria/gelada" ? Esse é um fato inegável ! Os custos cobrados são ascendentes, embora - justiça seja feita - grande parte em decorrência da desvalorização de nossa moeda. Os preços cotados em dólar tem uma variação pequena a cada ano (sei por fazer esse tipo de avaliação). O grande fator dessa realidade é que cada vez mais "compramos menos" com o mesmo dinheiro ! Isso é repassado aos pescadores quando "compram um pacote". Esse efeito também se revelará (em menor intensidade) se parte do pacote for comprado diretamente pelo pescador... Essa é uma conta mais fácil de fazer e difícil de entender... mas inteiramente verdadeira ! Os gastos precisam ser "pensados" como se a moeda (dólar, euro, libras, etc...) fosse "o real", senão o processo de "desolação" é imenso. Não devemos nos esquecer que o programa de "viagem ao exterior" é praticado por milhões de pessoas e o esquema de serviço é profissional e com qualidade. As pescarias podem ser bem preparadas, mas perante o comparativo com "o exterior" são apenas (quando muito) artesanais...
  10. Vocês dois já estão "grandinhos" para ficar nesse "lero lero". Cada qual segue seu caminho que não precisa ser o mesmo... Aqui é local onde se busca harmonia e alegria, não "rami rami"... Grato pela compreensão
  11. Maravilha ! Parabéns Marcão Ótima solução (3 partes) para superar entraves do "tubo" em viagens...
  12. Luciano, Tenho um pouco de dificuldade para entender como é "coordenar a isca" com maniveladas... O processo de recolhimento e arrasto da linha com a isca é algo feito "no automático" (como "respirar"). A cadência e trabalho da isca é feita (pelo menos por mim) pela "ponta de vara" e velocidade de recolhimento. Mas cada um usa a técnica que melhor se adapta às suas características e o importante é ter o rendimento desejado.
  13. Kid M

    Iscas artificiais - quais as melhores ?

    Falcão, Com todo esse preparo, é possível que a isca sequer vá para a água... não esqueça da gelada...
  14. Kid M

    Iscas artificiais - quais as melhores ?

    Octávio, Essa "evolução" no que carregar de iscas para a pescaria é algo que precisa ser praticado sempre... desde que não traga "desconforto" pela ausência de alguma "queridinha"... A T20 osso me parece ser a mais preferida pelos pescadores que usam iscas de superfície (Imbatível). Não concordo integralmente com a tese de que cor faz a diferença, embora goste (cada vez mais) de usar iscas transparentes, quase translúcidas ! Pegam muito...
  15. Kid M

    Iscas artificiais - quais as melhores ?

    Rafael, Essa isca é um verdadeiro coringa ! Quem a tem na caixa reduz muito as chances de "voltar sem peixe"...
  16. Kid M

    Iscas artificiais - quais as melhores ?

    Rech, Esse é um princípio básico de credibilidade na isca escolhida ! Estou cada vez mais próximo ao "clube das 10 iscas"... (mas o trabalho de "desapego" não tem sido fácil...) 😞
  17. Kid M

    Iscas artificiais - quais as melhores ?

    Mauricio, Com certeza o instinto é o grande responsável pela forma do ataque dos tucunas, principalmente quando o tamanho da isca e cor correspondem a uma presa local... Também concordo (em parte) com sua afirmação e agregaria a forma de trabalho dessas iscas ! Com a visibilidade reduzida, acredito que a vibração seja um dos requisitos de atração aos predadores Essa isquinha é sempre eficiente ! Acho que as do modelo anterior eram ainda mais letais... Não por acaso que os fabricantes de iscas gastam bastante grana para melhorar a aerodinâmica das iscas arremessadas ! Tem uma em que as esferas de aço internas deslizam para a parte traseira da isca para melhorar a forma de acertar o arremesso no local desejado sem que as garateias se embaracem na linha...
  18. Cezar, E o valor de venda ? É imprescindível que o valor seja anunciado, mesmo que este esteja no ML... Aguardo
  19. Kid M

    Argolas Amazônia

    Mais resistentes que essas, só as "Capella", mas até o manuseio é difícil ! Essas CCM são excelentes e as uso bastante ! As com trava funcionam bem.
  20. Kid M

    O que deseja com a sua "tralha de pesca" ?

    Cristiano, Não vamos aos "extremos"... claro que a preservação do peixe continua sendo essencial, mas isso se consegue com um boa recuperação antes dele ser solto ! Já respondi ao Shoji e repito que um dos grandes problemas encontrados (pelo menos por mim) são os botos atacando os peixes recém soltos ! Mesmo com eles recuperados, os ataques são fulminantes ! E os botos já associaram a vibração dos motores à "comida" e estão sempre seguindo os botes ! Só tem um jeito de evitar isso que é indo soltar o peixe bem na beirada onde o boto não possa alcançar ! Mas respeito seu ponto de vista, mesmo sendo um dos que usa linha de 40 lb e nem sempre embarca os troféus desejados... (acho que faz parte).
  21. Kid M

    O que deseja com a sua "tralha de pesca" ?

    Concordo com você Shoji. Muitas são as vezes em que essa recomendação tem razão de ser, embora seja usada de uma forma genérica... Nem todos os peixes irão "precisar" de material pesado, e a esportividade poderá ser melhor desfrutada ! Em Barcelos ou SIRN não tem "meio termo" ! Por lá é tudo bruto ! Só esqueceu de mencionar os "botos" que acompanham as solturas e ficam de barriga cheia...
  22. Kid M

    Iscas artificiais - quais as melhores ?

    Falcão, Meio complicado indicar alguma coisa "boa" ! O pirarucu é "bicho cismado" e dificilmente se deixa seduzir por iscas artificiais... Normalmente atacam iscas naturais (filé de tucunaré cortado em tiras) "oferecidas" a um palmo à frente de onde respirou por último ! Tem que ficar no silêncio esperando ele subir e fazer o arremesso com precisão para ver se ele se interessa... (pesca complicada) Se tivesse que testar uma isca, usaria uma "sub-superfície" (Subwalk da Rapala, Perversa da Borboleta, Biruta da Moro Deconto, etc...) de pequeno porte e com trabalho bem lento... pode ser que ele se interesse ! Boa sorte
  23. Vou liberar o tópico, mesmo achando que deveria descrever um pouco mais do que tem em mente... ajuda a selecionar os vendedores ! Boa sorte
  24. Kid M

    Vara Ultra Light

    Não há como discordar ! A questão é a possibilidade de um molinete 2500 pequeno fazer "as vezes" com maior flexibilidade de utilização ! A questão do equilíbrio do conjunto também precisa ser levado em consideração. Um pouco complicado usar vara de 6' com molinete 500, mas é questão de hábito !
×