Ir para conteúdo
Danilo Galo Doido

Vara Mig Piapara é boa?

Posts Recomendados

Tanto a Mig qto a Monteiro, são boas opções p quem está iniciando nas piaparas. Apenas verifique se já tem os passadores que podem usar multi joia:::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galo,

Dê uma lida nessa maravilhosa informação.Muito me ajudou e ajuda!

Por Elizeu Vernillo Júnior: Juninho

Fonte:Fórum Momento da Pesca: Post do usuário/Misael Faria/Data:08 Abril de 2009 - 08:22

http://www.momentodapesca.com.br/forum/ ... =34&t=1025

A Piapara - O alvo!

Peixe fascinante: herbívoro e presa (não é predador). Características que a tornam muito mais manhosa e valente, fazendo com isto que ela seja amada e idolatrada entre uma grande parcela de pescadores da América do Sul: os “piapareiros”. Sua maior escola é aqui no Brasil escola forte a ponto de criar técnicas inovadoras.

Distribuída em duas bacias: a nacional Bacia do São Francisco; e a internacional Bacia do Prata.

Sua ruptura é inevitável, dependendo da forma com que é fisgada. Se o pescador não souber mesclar um controle perfeito entre fricção, trabalho de vara e pressão do dedo em cima do carretel, adeus!... lá se foi o peixe. É nesta hora que ela ganha “cartas”, não dando satisfação ao pescador. Com isto se impõe como um oponente de respeito.

A maravilhosa rodadinha

Não se sabe ao certo quem foi o inventor oficial da técnica da rodadinha, isto envolve muita especulação! Diz o ditado que “nada se cria e tudo se copia” e com a proximidade dos barcos lado a lado que chegam a formar fileiras, algumas com até com + de 40 barcos! Isto mesmo! Fiz questão de contar o local denominado como “Jupiazinho”, é um dos mais disputados nas águas do Rio Paraná, na divisa do Mato Grosso do Sul com São Paulo, na altura dos municípios paulistas de Castilho e Paulicéia, último trecho de águas correntes entre a UHE (Usina Hidro Elétrica) de Jupiá e UHE Porto Primavera.

Os barcos geralmente se enfileiram em locais acima de cabeças e travessões de pedras ou antigas corredeiras que são muitos e agora com o represamento não existem mais superficialmente, mas como escrito na superfície das águas, ainda têm correnteza forte. Estes lugares ganharam profundidade de 3, 5 e até 8 metros de fundura, fazendo-os especiais para a prática da rodadinha.

Mas afinal, o que é “rodadinha” que ouvimos falar tanto?

Trata-se de uma técnica extremamente apurada aonde sua isca vai camuflada junto com as que saem de seu cevador. Para se conseguir esta naturalidade é preciso habilidade e é claro que para conseguirmos esta habilidade, são necessárias exaustivas jornadas de pesca e muita observação da natureza, entre elas: cor de água; correntes; profundidades; formas de batidas, etc.

Nada mais é que uma evolução natural da pesca da piapara. De cada 10 pescadores: 5 já a praticam; 2 misturam as técnicas da vara de espera e uma na rodadinha; e 3 usam apenas a vara de espera.

Assim como na pescaria de espécies predadoras que no passado usávamos isca natural e hoje artificial, a rodadinha veio como uma luva. É uma melhora para a classe piapareira, pois a pescaria de piapara se tornou dinâmica, com alta produtividade, aliada à limpeza, organização dentro do barco e pouca tralha de pesca.

Estar “antenado” e trocar idéias entre os companheiros que pescam ao lado (vizinhos de barco), sempre irá fazer aquela “lampadinha” acender em sua cabeça, fazendo com que descubra novos segredos e com isto todos se aprimorem cada vez mais.

Saiba mais sobre as varas específicas usadas nesta modalidade.

Vale dizer que fui convidado para esta pescaria pelo Marcelo Monteiro, fabricante das Varas Monteiro. Ele fabrica vários modelos de varas, dentre elas as de Rodadinha, que têm que ser especiais. Existe um modelo para cada ocasião, como irei explicar abaixo! O básico é que tem que ter a ponta sensível e flexível e do meio da vara para baixo, mais firmeza. Com isto a resposta é rápida nas fisgadas e continuam com poder de alavanca, para levantar o peixe das estruturas “enroscativas”.

Em locais modificados pelo homem há uma grande oscilação de águas durante o dia: águas leves, médias e rápidas. As correntes mudam, devido a abertura nas comportas das usinas para maior produção ou não de energia elétrica.

Sendo assim as trocas de pesos (chumbo) têm que ser realizadas a cada nova situação de águas e isto está ligada intimamente com a ação da vara . Os pescadores mais experientes sabem qual usar pela ação da vara que é medida pela espessura final da ponta mais fina chumbos de 10 a 30 gramas; pontas médias de 30 a 50 ponta; e nas mais firmes, de ponta grossa de 50 a 70 gramas. O Marcelo Monteiro já pensa em trazer estas informações gravadas no blank, o que facilitará muito a vida dos pescadores.

Linha, chumbo, líder e anzol.

Usei linhas mono e multi, com vantagens e desvantagens! Obtive sucesso com as duas.

A monofilamento exige uma fisgada mais longa para compensar a elasticidade, por outro lado tem a vantagem de romper menos os beiços das Leporinus (piapara)

A multifilamento é a mais usada atualmente, pois a ausência da elasticidade faz com que tenha maior sensibilidade e respostas rápidas nas fisgadas, além de seu poder de tração ser maior e com isto, poder se usar espessuras do tipo 0,10 mm 0,14 mm e 0,18mm. A finura da linha, provocando ausência de parede, faz com que os chumbos sejam mais leves, atribuindo menos travas nas rodadas com este tipo de linha. A desvantagem está na ruptura de beiços das manhosas, que têm cabeçadas violentas (próprias da espécie) e também na ruptura da própria linha por falta de poder de abrasão (esta linha não agüenta “pedra”, vindo a se romper com facilidade nesta ocasião).

Vejo o controle do peso (chumbo) algo ímpar para se obter sucesso neste tipo de pescaria. O pescador tem que estar fazendo a troca e achar o tamanho do chumbo mais eficaz. Que pode ser redondo ou Oliva por incrível que pareça o Oliva leva vantagem no recolhimento menos cansativo devido sua forma. Não pode ser muito pesado, pois irá travar no fundo ou em enroscos, e não pode ser muito leve, pois senão as pingadas serão longas demais, não dando tempo do peixe pegar a isca, tem que haver a medida exata. Nunca se esqueça de usar um “amortecedor de chumbo”, para que ele não esmague o nó! Existe no mercado o “Stop”, que é um ótimo amortecedor, Gosto de usar o número 5 que é pequeno, discreto mas que faz o serviço corretamente.

Outro fato importante para se ter sucesso está no tamanho do líder, que pode ser de até 2,5 metros. Isto mesmo! Neste comprimento, a percepção e fisgada se tornam mais difíceis, mas sua isca irá fazer uma apresentação totalmente natural. Líderes curtos são mais eficazes, com fisgadas perfeitas, por outro lado o peixe pega menos por perceber a rodada artificial!

Eu particularmente uso líderes de uma braçada 1,80m, sempre com material de fluorocarbom. Este tipo de material é especial.

Tem alto poder de abrasão e invisibilidade virtual. Alterno as espessuras dependendo da situação da estrutura submersa: 0,28mm e 0,31mm são as mais usadas, quando há muita linha perdida no fundo (enroscos), uso até 0,37mm.

Anzóis: Uma referência para cada isca.

Os anzóis farpados são indicados para iscas que soltam mais fácil, no caso do salmão onde também é recomendado o uso de “elastricô” (elástico usado para amarrar iscas), para fixar melhor a isca e forçar o peixe a colocar a boca no alvo: o anzol.

Para milho, usei os padrões: Maruseigo, Chinu e Tinu, São os mais apropriados. Os dois últimos citados são perfeitos, pois sua haste curta, atribui melhor resistência e maior camuflagem. Prefiro iscar na parte branca do milho e deixo a ponta do anzol exposto, com isto gira menos e proporciona mais ferradas e engates!

Iscas

Nesta pescaria, duas iscas foram as prediletas: salmão e milho da ceva. Escolha os grãos de milho, levando em conta sua forma, para que não “ventile” (para que gire quando colocados na água). Os grãos mais duros tornam a pegada do peixe mais perceptível!

Salmão fresco ou congelado. Depois que cortado em filés, a dica é usar “sal”, que mantém ele firme.

Para que o milho usado como isca não ventile preste atenção, se ver alguma “pelinha” retire-a. Alguns pescadores preferem retirar toda a pele antes de iscar.

Ceva e cevador

Sem dúvida, o conjunto de tudo tem que estar equilibrado e perfeito, pois a ceva e seu fluxo fará a trilha para que sua isca navegue em águas produtivas com a presença do peixe! Sendo assim solte o cevador sempre do lado em que estiver fazendo a soltura de sua isca e não tenha preguiça de abastecer constantemente e fique sempre atento para a regulagem.

A ceva é composta apenas por milho cozido livre de odores, pelo contrário, com o doce aroma de canjica, fazendo do abastecimento e das longas horas próximo à ceva, algo pouco perceptível.

Dica: Em situação de dois pescadores, pescando em lados invertidos: É necessário o uso de dois cevadores.

O segredo do sucesso!

Bom agora que falamos de todos os detalhes, irei passar algumas de minhas descobertas para encurtar caminhos até as prazerosas capturas.

Use apenas “carretilha”, mesmo para quem nunca as usou, não haverá problema, pois não é necessário arremessar e sim apenas o ato de soltar e segurar a linha com o dedão.

A rodadinha é uma técnica extremamente apurada que tem a grande proposta de fazer com que sua isca rode camuflada junto com as outras que rodam com as correntes da águas. Desta forma o peixe fica à vontade, não desconfiando de nada, por isso não puxa violentamente.

Para que sua isca faça movimento natural, o recomendável é o método mais tradicional e fácil para quem vai iniciar: não mexer a vara em hipótese alguma, a não ser na hora da fisgada. Desta forma o posicionamento correto é ficar na lateral e frontalmente à borda do barco, o lado tanto faz! Esta posição faz com que sua vara fique na perpendicular, com a ponta poucos centímetros acima da linha d’água. A primeira soltura é super importante: sempre soltar com o distribuidor de linha no centro, deve estar concentrado e atento, e assim que sentir o chumbo bater no fundo, visualizando a sensível ponta da varinha. Neste momento segure o carretel com o dedão, prendendo a soltura da linha. Irá perceber pela ação e peso da vara que a linha, aliada à correnteza irá forçar o chumbo e levantar a ponta da vara. Irá perceber sinais fáceis de serem decifrados: além do aumento de pressão, do maior peso que sentirá na empunhadura do conjunto... desta forma terá quementalizar e imaginar o que acontece no fundo! Quando pressentir que o chumbo está novamente acima do solo, solte o dedão mas sempre sentindo uma “cosquinha”. A vara deverá sempre estar estática, sem movimentos de braço, para um maior controle dos sinais emitidos pela sua ponta, sinais similar a uma antena de carro quando esbarra em algum obstáculo! Percebera novamente quando o chumbo tocar o solo, aguarde alguns instantes e libere o dedão e assim sucessivamente, sempre “sentido” os sinais da vara. Geralmente a rodadinha é curta de 3 a 11 pingadas. É neste curto trajeto que a percepção dos sinais são garantidos, à partir disto vai fica mais difícil. Em profundidades maiores, os peixes ficam mais à vontade e chegam bem perto da boca do cevador, se neste momento você perceber que existem roedores (peixes menores), poderá pular a primeira e segunda pingada, segurando a linha com o dedão por um tempo maior, não freando totalmente, mas aumentando a pressão sobre a linha para que o chumbo desça na perpendicular (não deixe que ele desça solto) e pingue mais à frente.

Esta mesma tática pode ser aplicada na rodada em si fazendo os pingos mais compridos ou curtos e ainda com isto segurando um pouco a isca, fazendo-a levantar. Ato denominado “isca no alto”. Às vezes o peixe não come rente ao solo, mas sim a alguns centímetros acima.

Esta forma de “rodadinha” é a inicial, a básica. Simples, fácil e confortável! Há outras variáveis da técnica: poderá fazer isto em pé e usar movimentos de braços acompanhando o percurso da isca com o chumbo rente ao solo, denominada como “legítima rodada” dentre outras muitas variáveis que a própria pescaria e as necessidades impõem em nosso dia-a-dia.

Para se saber com exatidão a hora de fisgar tem que começar com concentração e silêncio, visualização da ponta e conscientização do peso do conjunto (vara,carretilha e isca), pois as vezes a puxada é apenas um aumento de peso sentido na mão e na visualização da ponta, nesta hora a fisgada é necessária pois se não o peixe rouba a isca ou parte dela!

Experimente, crie novos padrões. Garanto que desta forma a pescaria cada vez mais se tornará, para você uma coisa maravilhosa e desafiadora, fazendo a gente se superar, sempre.

Equipamentos usados

Varas:

Monteiro Artesanal 1,20 mt 5-15 lbs;

Monteiro Artesanal 1,30 mt 7-17 lbs.

Carretilhas e Linhas:

Chronarch 100, carregada com multifilamento Vexter 0,19mm.

Steez Daiwa, carregada com monofilamento Trilon Red Spider 0,30mm.

Líder Gama:

Diâmetro: 0,25 mm - 10 libras;

Diâmetro: 0,33 mm - 12 libras;

Diâmetro: 0,38 mm - 16 libras.

Anzóis:

Tinu Kawasemi Black - números: 2, 3 e 4

Mustad 92247 – números: 6, 8 e 10

Alerta

É notório e incrível o tanto que a pescaria aquece a economia da pequena cidade de Paulicéia e muita oferta de empregos diretos e indiretos. Filas nas padarias, postos de gasolina, casa de iscas, dentre os outros muitos pontos de comércio daquela cidade! Novas construções surgem da noite para o dia. A movimentação de veículos com reboque e embarcação vindo de vários cantos é incrível. Pescadores de várias partes do País estão se divertindo lá! Em contas rápidas, percebi de a todos os dias 400 a 500 barcos dentro d’água, espalhados nos vários pontos do trecho de águas correntes!

Fica aqui o meu alerta: O bem maior e o responsável por este aquecimento comercial no local é “o Peixe”, que está sendo “abatido” todos os dias! A matança é inescrupulosa e gigantesca, a fiscalização é pequena e ineficaz!

Sem o peixe, Adeus!... Todos perdem, e também a cidade! O maior perdedor somos nós pescadores, pois estamos matando uma grande opção de diversão.

Viagem realizada a convite de “Varas Monteiro”.

Ind. e Com. de Varas de Pesca Monteiro

site: http://www.varasmonteiro.com.br

E-mail: varasmonteiro@hotmail.com

outra coisa, o tamanho vai influenciar? no caso é pesca de espera mesmo...talvez eu faça uma rodadinha

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola amigo!! Tudo em paz?

Bem, eu sou "vi-ciado" em pesca de piaparas, piaus e curimbas, e as MIG estão entre as varas que mais uso para este fim.

A pesca da piapara é meio criteriosa, cheia de frescurinhas, mas essa é a regra pra quem quer pescá-las, ou seja, tornar-se também um "frescurento" é necessário ... hehehe. Seja criterioso na escolha da vara, pois ela é a responsavel pelo sucesso na sua pescaria de piaparas ... se for curimbas então, nem se fale! Demorei 2 anos buscando uma vara boa para pesca-los, até que a encontrei, que por coincidencia, é uma Mig que estava encostada no canto de uma mercearia.

Bem, não sei se voce costuma usar Mono ou Multi pra pescar piaparas (eu só uso mono), mas fique atento aos passadores! A Mig quando foi lançada, tinha uma ação de PONTA que era um espetáculo, pareciam serem feitas na medida, mas naquela época o acabamento e os componentes era muuuuito ruins. Elas eram amarelas com os acabamentos em preto. Creio que seja esta que voce viw!

Atualmente aqui na minha região só tenho visto uma nova geração de Mig, sendo elas agora em cor cinza, com componentes melhores, porem com uma ação de PONTA na minha opinião muito inferior .... moles demais.

Nestas novas, tenho notado que todos os passadores são para uso de Mono e Multi ... mas é facil destingui-los nas MIG, pois os p/ Multi são todos aparentemente de ferro ... uma cor aluminizada ... agora, os que são para só Mono, são pretinhos, lembrando que os que são para Multi pode-se usar Mono também, então prefira estes por serem mais polivalentes.

Se tratando de qualidade, não há o que se dizer. Perguntar sobre varas Mig entre os piapareiros, é a mesma coisa do que voce perguntar por Vara Customizada entre o pessoal do Bait. São excelentes!!!

No caso da batidinha, prefira as Mig menores sempre!! Quanto a ação da ponta, depende de onde tu irás pescar, se na corredeira ponta bem firme pois usará chumbos maiores, se em remanso ponta um pouco mais mole, pois usará chumbos menores.

Na espera, pegue sempre as maiores, seguindo os critérios acima, ou seja, se corredeira ponta firme, se remanso, ponta mais mole. Na verdade para a espera, temos outras opções como a Blue Sea da Saint e a Piapara Feeder da Albatroz (eu uso) ... são varas compridas exatamente para pesca de espera, mas uso as Mig tambem sem problemas, tudo isso depende da extensão do rio, distancia de onde o peixe está atacando, gosto do pescador e bla bla bla ..

E vou inclusive, falar de uma vara que uma certa vez comprei só p/ experimentar, e foi um sucesso!!!! É uma varinha chamada MOOI da Saint. Eu sugiro voce exerimenta-la ... são baratíssimas, mas elas sãoo excelentíssimas pra piaparas, o blank dela é fibra maciça, porém feita na medida, só que nela não pode-se usar multi por conta dos passadores, mas isso é apenas um detalhe. Veja >> http://www.jet.com.br/juninhopesca/deta ... uto=585149

Então é isso! Mig é excelente, porem fique atento a ação da ponta e aos componentes, não esquecendo que temos as Mooi como outra boa opção, as Monteiro, as Pirangi da Albatroz, etc.

Espero ter ajudado e boa sorte na escolha!!

Qualquer dúvida, pode postar ou mandar Mp, tenho prazer em ajudar.

Abraços!! joia:::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

P espera, dê preferência p as de 2.70m, acho que não tem a Mig deste comprimento, mas tem as Monteiros, assim como as Tirette da Mitchel e as Piapara Feeder da Albatroz, bem mais caras. mas são top legal::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

P espera, dê preferência p as de 2.70m, acho que não tem a Mig deste comprimento, mas tem as Monteiros, assim como as Tirette da Mitchel e as Piapara Filder da Albatroz, bem mais caras. mas são top legal::

Isso ai Lamana!!!

Vale lembrar que a Mig possui varas maiores para pesca de espera ... são varas de emenda (Bi-partidas) e fibra maciça, portanto bem pesadinhas. Tudo bem que elas ficarão "armadas", mas o peso da vara compromete um pouco a fisgada, pois a força terá que ser aumentada devido ao peso que deve ser levantado na hora da alavanca, e isso se somará à elasticidade na linha (caso use mono), distancia, tamanho do líder. Enfim ... já vamos ser diretos né (Hehehe!!), as Mig de 1.80mt podem ser usadas na espera sem problema algum, mas se possível, já aposte direto nas de 2.70 a 3 mts (como eu citei na postagem anterior), e ainda o amigo Lamana validou meu raciocínio.

- Blue Sea da Saint >> (já usei, ótima)

- Piapara Feeder da Albatroz >> (já usei, excelente com louvor!)

- Tirette da Mitchel >> (não usei, mas ja peguei na mão e gostei)

Se pensar em espera para piaparas, piaus, curimbas, etc. Pense nas varas citadas aí encima! E claro, não esqueça de uma carretilha que comporte bastante linha!

Em tempo: já usei tambem na batitinha, algumas varinhas Evolution, e também se mostraram super eficientes, sugiro também experimentá-las!!

Abraços!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sou pirado na pesca da piapara........

Pesquei muito com as varinhas do Miguel. São boas, difícil quebrar, são de fibra de vidro. Para espera, tenho uma Shakspeare 8.6 que busca as piaparas bem longe, elas, só de olhar, já estão fisgadas................rsrsrsrs

Acho que tem sim varinha de uns 2,5 do Mig, eu tive uma.

Uma cx de chumbadas variadas, anzol eaglew claw 8 e linha 0,28 broad,,,,,,,, pronto, tá preparado!!!!

Grande abç.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

P espera, dê preferência p as de 2.70m, acho que não tem a Mig deste comprimento, mas tem as Monteiros, assim como as Tirette da Mitchel e as Piapara Filder da Albatroz, bem mais caras. mas são top legal::

Isso ai Lamana!!!

Vale lembrar que a Mig possui varas maiores para pesca de espera ... são varas de emenda (Bi-partidas) e fibra maciça, portanto bem pesadinhas. Tudo bem que elas ficarão "armadas", mas o peso da vara compromete um pouco a fisgada, pois a força terá que ser aumentada devido ao peso que deve ser levantado na hora da alavanca, e isso se somará à elasticidade na linha (caso use mono), distancia, tamanho do líder. Enfim ... já vamos ser diretos né (Hehehe!!), as Mig de 1.80mt podem ser usadas na espera sem problema algum, mas se possível, já aposte direto nas de 2.70 a 3 mts (como eu citei na postagem anterior), e ainda o amigo Lamana validou meu raciocínio.

- Blue Sea da Saint >> (já usei, ótima)

- Piapara Feeder da Albatroz >> (já usei, excelente com louvor!)

- Tirette da Mitchel >> (não usei, mas ja peguei na mão e gostei)

Se pensar em espera para piaparas, piaus, curimbas, etc. Pense nas varas citadas aí encima! E claro, não esqueça de uma carretilha que comporte bastante linha!

Em tempo: já usei tambem na batitinha, algumas varinhas Evolution, e também se mostraram super eficientes, sugiro também experimentá-las!!

Abraços!!!

Ainda não usei a Blue Sea, mas assim como por vc, já ouvi muitos elogios, já tá na agulha suici:: :gorfei:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

rodolpho e demais amigos valeu pela ajuda, so uma curiosidade, na espera o tamanho maior da vara se justifica pela possibilidade de arremessar mais longo?

abrax

Ola Danilo!

Não não ... pelo meu conhecimento 99,99% das vezes que se pesca a Piapara NÃO de arremessa, mas se solta a linha rente ao barco, deixando com que a própria força da água leve a isca no local desejado.

Na "batitinha" ou "pingada" não é por menos! Sempre com uma varinha menor, solta-se o chumbo bem ao lado do barco, geralmente pertinho do canhão de ceva, e vai pingando a chumbada correnteza abaixo, procurando seguir sempre o "fio" de saída da ceva, pois a isca seguirá camuflada juntamente com o trato que o cevador libera.

Agora, quando usar as varas maiores também não se arremessa! Há motivos importantes para que o arremesso seja inviável ou totalmente proíbido nessa pescaria!

1º - As grandes varas para pesca armada de Piaparas geralmente são tubulares, com apenas as ponteiras maciças. Imagine então, você arremessando um chumbo de 40 a 50gr com uma vara dessas??? Há grande perigo de quebrá-la, sem contar que ela sofrerá muita ação no Blank (enverga muito) e isso é fatal para que um arremesso fique curtíssimo e desajeitado. Outra coisa, é que os passadores dessas varas não são dispostos da mesma forma que as varas de Bait (proprias p/ arremesso), mas perceba que eles são pequenos e bem próximos um do outro, justamente para aumentar o poder de sensibilidade da vara. Sendo assim, podemos concluir que a "mecânica" dessas varas não é projetada para arremessos, mas sim para soltura, lembrando sempre que estamos tratando das variáveis na pesca de Piaparas. Podem existir pescadores que usam estas varas em outras pescarias (robalos talvez), onde as condições são diferentes, e as usam para arremesso, mas aí são outros "quinhentos".

2º - Isso é importante!!!! As Piaparas ficam paradas se alimentando no meio do fio onde a ceva passa, e para que você tenha mais sucesso na pesca, seria interessante que a vara/linha ficasse armada justamente no rumo de saída da ceva, concorda?? Pois então! Se arremessar, perderá com certeza a armada correta, fazendo com que o chumbo caia fora do fio da ceva.

3º - Muitas vezes, mas muitas mesmo, as Piaparas pegam em até 150mts de distância do cevador. E agora pense: Quem consegue arremessar 150mts, e ainda com a precisão de fazer com que o chumbo caia exatamente no fio de saída da ceva?? Dificil não acha?? Hehehe ...

4º - Imagine você arremessando com uma vara de 2.70 a 3mts dentro de um barco???? No primeiro arremesso, se não quebrar a vara, irá arrancar a orelha ou o boné do piloteiro! Não é pessimismo, mas quando falo de quebrar a vara, é fato! Pois muitas vezes já vi isso acontecer, como comigo mesmo já aconteceu. Mesmo que você esteja pescando com uma vara maciça, o perigo de fisgar os companheiros de barco é muito grande.

Para que você consiga colocar a sua isca, no local exato com essas "varonas", existem os COPINHOS BIODEGRADÁVEIS, que são especiais para esta finalidade!!

Assista este vídeo que irá entender melhor:

Tenho por mim, que essas varas são proporcionais à distancia da armada, pois considerando as grandes distâncias, elas lhe dão ótimas condições de sensibilidade, alavanca de fisgada, conforto, etc etc etc etc, mas o tamanho dela, nessa pescaria, em momento algum tem relação com o arremesso, mas sim com a ESTABILIDADE de que você precisa pra pescar as Piaparas bem longe do barco.

É isso aí amigo, espero que eu tenha ajudado mais uma vez!!! É fascinante pescar as "Amarelonas", e as vezes entra um "Curimbão" ou algum Pacú, e aí é só festa!!

Se houver algo mais a acrescentar ou me corrigir, com certeza os amigos do fórum farão!

Abraços e boas pescarias!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

rodolpho e demais amigos valeu pela ajuda, so uma curiosidade, na espera o tamanho maior da vara se justifica pela possibilidade de arremessar mais longo?

abrax

Ola Danilo!

Não não ... pelo meu conhecimento 99,99% das vezes que se pesca a Piapara NÃO de arremessa, mas se solta a linha rente ao barco, deixando com que a própria força da água leve a isca no local desejado.

Na "batitinha" ou "pingada" não é por menos! Sempre com uma varinha menor, solta-se o chumbo bem ao lado do barco, geralmente pertinho do canhão de ceva, e vai pingando a chumbada correnteza abaixo, procurando seguir sempre o "fio" de saída da ceva, pois a isca seguirá camuflada juntamente com o trato que o cevador libera.

Agora, quando usar as varas maiores também não se arremessa! Há motivos importantes para que o arremesso seja inviável ou totalmente proíbido nessa pescaria!

1º - As grandes varas para pesca armada de Piaparas geralmente são tubulares, com apenas as ponteiras maciças. Imagine então, você arremessando um chumbo de 40 a 50gr com uma vara dessas??? Há grande perigo de quebrá-la, sem contar que ela sofrerá muita ação no Blank (enverga muito) e isso é fatal para que um arremesso fique curtíssimo e desajeitado. Outra coisa, é que os passadores dessas varas não são dispostos da mesma forma que as varas de Bait (proprias p/ arremesso), mas perceba que eles são pequenos e bem próximos um do outro, justamente para aumentar o poder de sensibilidade da vara. Sendo assim, podemos concluir que a "mecânica" dessas varas não é projetada para arremessos, mas sim para soltura, lembrando sempre que estamos tratando das variáveis na pesca de Piaparas. Podem existir pescadores que usam estas varas em outras pescarias (robalos talvez), onde as condições são diferentes, e as usam para arremesso, mas aí são outros "quinhentos".

2º - Isso é importante!!!! As Piaparas ficam paradas se alimentando no meio do fio onde a ceva passa, e para que você tenha mais sucesso na pesca, seria interessante que a vara/linha ficasse armada justamente no rumo de saída da ceva, concorda?? Pois então! Se arremessar, perderá com certeza a armada correta, fazendo com que o chumbo caia fora do fio da ceva.

3º - Muitas vezes, mas muitas mesmo, as Piaparas pegam em até 150mts de distância do cevador. E agora pense: Quem consegue arremessar 150mts, e ainda com a precisão de fazer com que o chumbo caia exatamente no fio de saída da ceva?? Dificil não acha?? Hehehe ...

4º - Imagine você arremessando com uma vara de 2.70 a 3mts dentro de um barco???? No primeiro arremesso, se não quebrar a vara, irá arrancar a orelha ou o boné do piloteiro! Não é pessimismo, mas quando falo de quebrar a vara, é fato! Pois muitas vezes já vi isso acontecer, como comigo mesmo já aconteceu. Mesmo que você esteja pescando com uma vara maciça, o perigo de fisgar os companheiros de barco é muito grande.

Para que você consiga colocar a sua isca, no local exato com essas "varonas", existem os COPINHOS BIODEGRADÁVEIS, que são especiais para esta finalidade!!

Assista este vídeo que irá entender melhor:

Tenho por mim, que essas varas são proporcionais à distancia da armada, pois considerando as grandes distâncias, elas lhe dão ótimas condições de sensibilidade, alavanca de fisgada, conforto, etc etc etc etc, mas o tamanho dela, nessa pescaria, em momento algum tem relação com o arremesso, mas sim com a ESTABILIDADE de que você precisa pra pescar as Piaparas bem longe do barco.

É isso aí amigo, espero que eu tenha ajudado mais uma vez!!! É fascinante pescar as "Amarelonas", e as vezes entra um "Curimbão" ou algum Pacú, e aí é só festa!!

Se houver algo mais a acrescentar ou me corrigir, com certeza os amigos do fórum farão!

Abraços e boas pescarias!

É isso aí Rodolpho!

Qd se usa vara apoitada, geralmente são maiores, pois soltamos o copinho a longas distâncias e na hora da fisgada a alavanca de uma vara maior compensa a elasticidade de uma linha mono para fisgadas. Uso varinhas pequenas para fazer o "zé pedro" bem rente a canoa.

Aproveitando para opinar, uso geralmente uma shakespeare 4,8 de 2 a 6lbs, originalmente para molinete e customizado para carretilhas um pouquinho mais alta mas na água forte é demais!.......... Pessoal aí da região de Rio Preto conhece bem essas varas e acredito que ainda consigam delas. Ando na secura de pescar umas piapara, mas depois que mudei pra SP fico meio difícil.... as vezes que consigo pescar, estou indo atrás dos tucunas.

Grande abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom a turma ai já explicou bastante para vc sobre a pesca da danadinha piapara, vamos la é um show esta pescaria é q que mais práticamos por aq, para espera uso varas de 1.82 atende bem este tamanho, e na pingadinha uso evolution de 1.20 de 17 libras é show esta varinha, tirei até piauçu de 4.5 klos com ela. E gosto de pingar com uma de 1.60 hunter também gosto muito também de 8-17 libras, na espera aconselho linha mono e ma pingada multi.

http://revistapescaecompanhia.uol.com.b ... ara&p=&s=2

neste link tem diversas dicas sobre a pesca delas, Juninho pesca é muito experiente e tem boas dicas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom a turma ai já explicou bastante para vc sobre a pesca da danadinha piapara, vamos la é um show esta pescaria é q que mais práticamos por aq, para espera uso varas de 1.82 atende bem este tamanho, e na pingadinha uso evolution de 1.20 de 17 libras é show esta varinha, tirei até piauçu de 4.5 klos com ela. E gosto de pingar com uma de 1.60 hunter também gosto muito também de 8-17 libras, na espera aconselho linha mono e ma pingada multi.

http://revistapescaecompanhia.uol.com.b ... ara&p=&s=2

neste link tem diversas dicas sobre a pesca delas, Juninho pesca é muito experiente e tem boas dicas.

É verdade heim Rodrigo!!

Ainda citei no lá no início do tópico, as Evolution me atenderam super bem na pingadinha, e também já tirei boas Piaparas com elas!! Gostei demais delas, pois são leves e muito fortes!!

Podemos marcar uma pescaria de Piapara qualquer dia, não?!

Abraços!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá , Danilo tudo bem , a piapara e a piracanjuba Sao os peixes que mais gosto de pescar , e vou muito em Rosana - sp , nos temos um rancho na beira do paranazão , bom, a melhor vara para as piaparas Sao do Marcelo Monteiro , apesar dele ser muito meu amigo , seus blanks de carbono maciço Sao os melhores, todas as minhas varas que montei para mim todas com seu blank , a ação e um espetáculo para a pesca da rodadinha, se você quiser ligue para ele que, ele terá o maior prazer de lhe explicar , um grande :amigo: , ::tudo:: ::tudo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

como diz aqui em minas, ce bestaaaa ....nosenhora.....TÓPICO DOS MIOHH QUE TEM HEEHEH....grandes aulas....valeu a todos mesmo...na verdade nao sou muito desse tipo de pescaria nao....ms quando peguei a primeira é realmente emocionante...... tenho um rancho aqui, olhe só o nome RANCHO PIAPARA kkkkkkkkkk será pq o nome....? rs é pq era o rancho que mais dava elas.....aqui no rio sao marcos , afluente de paranaiba...tem uma foto la, do antigo dono, de uma piapara de , salvo engano, 72 cm.....ms sempre fui da pesca de de dourado, surubim e até confesso: criticava essa pesca por nao ver graça...imagine só, as idéias mudam e as maneiras de fazer as coisas tbm eheheh..... abraço a todos amigos.... e valeu muito pela aula.....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

As varas MIG, o fabricante é de sao jose do rio preto, nunca usei as varas confeccionas pela fabrica dele!!! Na nossa regiao acho que vende bem, mas se vc procura varas para piapara um fabricante de varas voltadas somente para pescaria de piaparas sao as varas BEIJA FLOR. Sao umas varas tortas que alinham a saida da linha com a carretilha de perfil baixo, voltado para esse tipo de pescaria, e eles tambem fabricam varas retas, convencionais. Se alguem tiver interesse em adquiri-las entrem em contato com eles que podem mandar fotos ou esclarecer duvidas!!! O telefone deles e (17) 991022600, 30144034 ou 32423428 ddd(17), Clarindo ou Diogo fazem varas personalizadas e eu possuo varias delas com acoes diferentes!!! Nao sei se ajudei em aguma coisa mas moro numa regiao bem piscosa, proximo do rio grande e parana mas tenho ido 2 vezes ao ano pescar no MT nos rios coluene ou cuiaba!!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se registrar depois. Se você tem uma conta, CLIQUE AQUI para postar com a sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...

×
×
  • Criar Novo...