Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Odirlei Borin

PRESSÃO DE PESCA BARCELOS/SIRN......

Posts Recomendados

OLÁ AMIGOS PESCADORES..

MUITO SE FALA EM PRESSÃO DE PESCA NO RIO NEGRO. ISSO REALMENTE ESTA ACONTECENDO?

ESTAMOS EM UMA EPOCA COM UM CLIMA TOTALMENTE ADVERSO, NUNCA SABEMOS QUAL A REAL ESTAÇÃO, E ISSO ACONTECE LÁ PRA CIMA TAMBÉM E INTERFERE NO RITMO DAS ÁGUAS..

ESSA TEMPORADA FIZ ESSA PERGUNTA SOBRE PRESSÃO E TIREI MINHAS CONCLUSÕES. MESMO COM TANTA ÁGUA NO RIO NEGRO E SEUS AFLUENTES, EU NUNCA OUVI TANTOS RELATOS DE PEIXES ACIMA DE 22LBS IGUAL ESSE ANO, FORA AS LINHAS DE 80LBS ESTOURADAS AOS MONTES, E GARATEIAS ABERTAS. ACREDITO QUE A QUANTIDADE MENOR DE PEIXES PEGOS POR DIA ESTA RELACIONADO A PROCURA DO RECORD PESSOAL. MESMO COM REPIQUETE, PEIXE MANHOSO, CHOCANDO, ASSUSTADO COM FOGOS DE ARTIFÍCIO :gorfei: :gorfei: , NINGUÉM ABRE MÃO DAS ISCAS GRANDES, ASSIM SELECIONADO E PEGANDO MENOS PEIXES...

É FATO QUE HOUVE UM AUMENTO DE PESCADORES NA REGIÃO, MAS ISSO É POUCO PARA O TAMANHO DA REGIÃO...

O QUE VS ACHAM???

ABRAÇOS..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Opa Odilei,

Acredito que a pressão de pesca existe sim, basta olhar o Eduardo Gomes agora na temporada, como diz um amigo meu é a " maior concentração de mentirosos da face da terra.." :gorfei: :gorfei:

Brincadeiras a parte, fiquei perplexo com a chegada do Voo em São paulo, mais especificamente no dia 02/11, contava fácil 1 dezena de isopores no saguão do desembarque, isopores grandes daquelas de 100 litros...teve um que estourou e deixou a sala de desembarque cheirando a mercado PODRE !! Sim, os peixes já não estavam com o cheiro muito agradável...

Que a bacia do amazonas é um Mar de água doce, isto não resta dúvidas, mas não podemos apenas torcer para que os grandes caiam nas iscas dos pescadores esportivos. Acredito ainda que o número de matadores é maior do que os de pescadores conscientes....deixo claro que este é apenas o meu ponto de vista..sem polemizar..

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Odirlei,

arrow:: Não sei esse ano, mas deve ser - pelo menos - assemelhado a 2012, quando por lá estive !

arrow:: Não há dúvida de que é muita água que se percorre, e aparentemente um horizonte sem fim...

arrow:: Mas acredito que essa é uma situação de equilíbrio bem delicada, apesar da aparente "fartura e espaço".

arrow:: Longe de achar que teremos uma situação como a vista ocorrer no Pantanal, onde a exploração comercial e pressão de pesca não permitiam sequer a reprodução dos cardumes, mas no caso dessa área amazônica, as condições são sempre tênues de equilíbrio !

arrow:: Barcelos, pelo delta de rios, igarapés e igapós que concentra nos arredores, transforma-se certamente no talvez maior berçário amazônico de espécies nativas, que não se aproveitam da piracema para desova e reprodução, e sim dos lagos e locais de águas rasas para, em conjunto com a oxigenação, pureza e ph do ambiente, gerarem novos indivíduos.

arrow:: Buscamos sempre os "maiores", quase sempre o topo da cadeia alimentar da espécie (qual será o predador de um açu de dois dígitos que não o homem ?), mas quantos desses existem nessa condição para dar sequência ao processo ?

arrow:: Claro que não basta ter "o casal", mas tudo aquilo que está no entorno, e que possibilita que eles cheguem a esse padrão dois dígitos ! Quantas presas irão fazer para atingir esse patamar e em quantos anos isso irá acontecer ?

arrow:: Pressão de pesca termina tornando os "velhacos" (não chegaram a esse porte por acaso...) mais cuidadosos e certamente cada vez mais distantes do local onde poderiam se desenvolver normalmente...

arrow:: Pressão de pesca não acontece apenas em torno dos troféus, mas em torno de tudo que está no seu entorno, inclusive e principalmente suas presas, que não raramente são tucunarés menores...

arrow:: Quanto maior a pressão de pesca (independente do pesque & solte), menor será a sobrevida dessas condições de tranquilidade & serenidade para que a natureza mantenha seu curso sem interrupções...

arrow:: Mas o que dizer desse fatores climáticos que não seguem um padrão desejado e fundamental ao ciclo reprodutivo dos peixes ? Esses são os percalços adicionais a serem adequados pela população & cardumes da região.

arrow:: Repare que sempre existem situações "curiosas" quando acontecem secas ou enchentes a cada ano.

arrow:: Ou os peixes não conseguem chegar aos rios permanecendo "presos" nas lagoas inatingíveis aos pescadores e demais predadores, ou reproduzem diversas vezes ao sinal de enchentes ou repiquetes, ampliando sua população.

arrow:: Nem de longe quero colocar a ação humana como "a razão da destruição", mas sim tudo o que acontece no cenário em que "quebramos" esse equilíbrio da natureza.

arrow:: Pescar & soltar ajuda ? Claro que sim, embora esse não seja o pior cenário de retirada de alguns indivíduos dos cardumes (boto faz um estrago muito maior que pescador, até por ser contínuo...)

arrow:: Perturba-me sim, a crescimento desordenado de estruturas de pesca ditas esportivas, sem que as "contrapartidas" sejam estipuladas...

arrow:: Não fossem as épocas de cheia, a pescaria aconteceria durante todos os 12 meses do ano !

arrow:: Pressão de pesca não é apenas pela quantidade de pescadores presentes, mas por toda a estrutura que os acompanha...

arrow:: Claro que isso é apenas um olhar diferenciado de uma questão que já começa a ser questionada...

Pense nisso ! ::fish2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na minha opinião, a pressão cada ano que passa, aumenta sim!!! tiramos por nós... muita gente do fórum começou ir de uns 5 anos pra cá... para amazônia, sendo que aumentando pescadores as chances de captura de exemplares maiores aumenta, também..... por isso, que vimos tantos de 22 lbs, sem falar dos operadores, cada ano que passa 2,3, 5 barcos são inclusos ( pescadores nativos tentando ser patrão do que empregado) e outros tentando ganhar seu meio de vida e assim relativamente cresce as frotas de embarcações, Acredito que daqui uns 5, 8 anos barcelos, Santa Isabel, vai ser mais um ponto, isso se não melhorar as passagens aéreas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Odirlei, gostei do assunto.

A maior dificuldade que eu vejo em concluir algo a esse respeito é a seguinte: a gente não tem nenhum indicador para poder fazer isso.

É tudo na base da percepção individual. E a percepção individual é suficiente para avaliar aquela circunstância em específico (determinado rio, em determinada tempo), e de forma alguma serve para extrapolar para toda a bacia do negro em toda a temporada de pesca, ou ainda comparar com outras temporadas. E além disso, é muito subjetivo. Eu posso achar boa uma pescaria que outra pessoa acharia média ou ruim.

Alguns operadores anotam alguns dados de suas pescarias, mas nem todos disponibilizam. E essas anotações também não seguem um mesmo padrão, para poder comparar. Ver por exemplo, no site da river plate, que tem as estatísticas compiladas.

Em resumo, o que eu acho que ajudaria bastante, é que tivéssemos dados objetivos, e representativos de toda a bacia e toda a temporada.

Bastaria que cada pescador anotasse o comprimento de cada peixe que captura por dia (cada peixe significa todos os peixes).

Esse seria o melhor dos mundos.

Um pouco mais simples seria anotar a quantidade capturada por faixas de tamanho (ou peso), como até 50cm, entre 50 a 80 e maior que 80, por exemplo (para o açu).

Sei que para quem está a lazer, é quase impossível parar para medir um peixe, principalmente um pequeno, em detrimento do próximo arremesso rápido no cardume. Mas que sabe um dia chegamos lá. Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Opa Odilei,

Acredito que a pressão de pesca existe sim, basta olhar o Eduardo Gomes agora na temporada, como diz um amigo meu é a " maior concentração de mentirosos da face da terra.." :gorfei: :gorfei:

Brincadeiras a parte, fiquei perplexo com a chegada do Voo em São paulo, mais especificamente no dia 02/11, contava fácil 1 dezena de isopores no saguão do desembarque, isopores grandes daquelas de 100 litros...teve um que estourou e deixou a sala de desembarque cheirando a mercado PODRE !! Sim, os peixes já não estavam com o cheiro muito agradável...

Que a bacia do amazonas é um Mar de água doce, isto não resta dúvidas, mas não podemos apenas torcer para que os grandes caiam nas iscas dos pescadores esportivos. Acredito ainda que o número de matadores é maior do que os de pescadores conscientes....deixo claro que este é apenas o meu ponto de vista..sem polemizar..

Abraços

TRISTE RELATO MEU AMIGO.....ATE QUANDO VAMOS VER PESCADORES TRASPORTANDO PEIXES...

LAMENTAVEL...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Odirlei,

arrow:: Não sei esse ano, mas deve ser - pelo menos - assemelhado a 2012, quando por lá estive !

arrow:: Não há dúvida de que é muita água que se percorre, e aparentemente um horizonte sem fim...

arrow:: Mas acredito que essa é uma situação de equilíbrio bem delicada, apesar da aparente "fartura e espaço".

arrow:: Longe de achar que teremos uma situação como a vista ocorrer no Pantanal, onde a exploração comercial e pressão de pesca não permitiam sequer a reprodução dos cardumes, mas no caso dessa área amazônica, as condições são sempre tênues de equilíbrio !

arrow:: Barcelos, pelo delta de rios, igarapés e igapós que concentra nos arredores, transforma-se certamente no talvez maior berçário amazônico de espécies nativas, que não se aproveitam da piracema para desova e reprodução, e sim dos lagos e locais de águas rasas para, em conjunto com a oxigenação, pureza e ph do ambiente, gerarem novos indivíduos.

arrow:: Buscamos sempre os "maiores", quase sempre o topo da cadeia alimentar da espécie (qual será o predador de um açu de dois dígitos que não o homem ?), mas quantos desses existem nessa condição para dar sequência ao processo ?

arrow:: Claro que não basta ter "o casal", mas tudo aquilo que está no entorno, e que possibilita que eles cheguem a esse padrão dois dígitos ! Quantas presas irão fazer para atingir esse patamar e em quantos anos isso irá acontecer ?

arrow:: Pressão de pesca termina tornando os "velhacos" (não chegaram a esse porte por acaso...) mais cuidadosos e certamente cada vez mais distantes do local onde poderiam se desenvolver normalmente...

arrow:: Pressão de pesca não acontece apenas em torno dos troféus, mas em torno de tudo que está no seu entorno, inclusive e principalmente suas presas, que não raramente são tucunarés menores...

arrow:: Quanto maior a pressão de pesca (independente do pesque & solte), menor será a sobrevida dessas condições de tranquilidade & serenidade para que a natureza mantenha seu curso sem interrupções...

arrow:: Mas o que dizer desse fatores climáticos que não seguem um padrão desejado e fundamental ao ciclo reprodutivo dos peixes ? Esses são os percalços adicionais a serem adequados pela população & cardumes da região.

arrow:: Repare que sempre existem situações "curiosas" quando acontecem secas ou enchentes a cada ano.

arrow:: Ou os peixes não conseguem chegar aos rios permanecendo "presos" nas lagoas inatingíveis aos pescadores e demais predadores, ou reproduzem diversas vezes ao sinal de enchentes ou repiquetes, ampliando sua população.

arrow:: Nem de longe quero colocar a ação humana como "a razão da destruição", mas sim tudo o que acontece no cenário em que "quebramos" esse equilíbrio da natureza.

arrow:: Pescar & soltar ajuda ? Claro que sim, embora esse não seja o pior cenário de retirada de alguns indivíduos dos cardumes (boto faz um estrago muito maior que pescador, até por ser contínuo...)

arrow:: Perturba-me sim, a crescimento desordenado de estruturas de pesca ditas esportivas, sem que as "contrapartidas" sejam estipuladas...

arrow:: Não fossem as épocas de cheia, a pescaria aconteceria durante todos os 12 meses do ano !

arrow:: Pressão de pesca não é apenas pela quantidade de pescadores presentes, mas por toda a estrutura que os acompanha...

arrow:: Claro que isso é apenas um olhar diferenciado de uma questão que já começa a ser questionada...

Pense nisso ! ::fish2

NADA ACRESCENTAR...... ::tudo:: ::tudo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na minha opinião, a pressão cada ano que passa, aumenta sim!!! tiramos por nós... muita gente do fórum começou ir de uns 5 anos pra cá... para amazônia, sendo que aumentando pescadores as chances de captura de exemplares maiores aumenta, também..... por isso, que vimos tantos de 22 lbs, sem falar dos operadores, cada ano que passa 2,3, 5 barcos são inclusos ( pescadores nativos tentando ser patrão do que empregado) e outros tentando ganhar seu meio de vida e assim relativamente cresce as frotas de embarcações, Acredito que daqui uns 5, 8 anos barcelos, Santa Isabel, vai ser mais um ponto, isso se não melhorar as passagens aéreas.

CONCORDO COM O CRESCIMENTO DE PESCADORES QUE VÃO AO RIO NEGRO, MA AT´R QUE PONTO ISSO INTERFERE NA QUANTIDADE DE ESTOQUE PESQUEIRO? LEMBRANDO QUE A PESCA NÃO OCORRE O ANO TODO, ACREDITO QUE O PEIXE FICA MAIS VELHACO..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Odirlei, gostei do assunto.

A maior dificuldade que eu vejo em concluir algo a esse respeito é a seguinte: a gente não tem nenhum indicador para poder fazer isso.

É tudo na base da percepção individual. E a percepção individual é suficiente para avaliar aquela circunstância em específico (determinado rio, em determinada tempo), e de forma alguma serve para extrapolar para toda a bacia do negro em toda a temporada de pesca, ou ainda comparar com outras temporadas. E além disso, é muito subjetivo. Eu posso achar boa uma pescaria que outra pessoa acharia média ou ruim.

Alguns operadores anotam alguns dados de suas pescarias, mas nem todos disponibilizam. E essas anotações também não seguem um mesmo padrão, para poder comparar. Ver por exemplo, no site da river plate, que tem as estatísticas compiladas.

Em resumo, o que eu acho que ajudaria bastante, é que tivéssemos dados objetivos, e representativos de toda a bacia e toda a temporada.

Bastaria que cada pescador anotasse o comprimento de cada peixe que captura por dia (cada peixe significa todos os peixes).

Esse seria o melhor dos mundos.

Um pouco mais simples seria anotar a quantidade capturada por faixas de tamanho (ou peso), como até 50cm, entre 50 a 80 e maior que 80, por exemplo (para o açu).

Sei que para quem está a lazer, é quase impossível parar para medir um peixe, principalmente um pequeno, em detrimento do próximo arremesso rápido no cardume. Mas que sabe um dia chegamos lá. Abraços

O BRASIL ESTA APENAS CAMINHANDO NO SENTIDO DE PESCA ESPORTIVA E PRESERVAÇÃO, UM DIA CHEGAMOS LÁ. MAS COMO TUDO NO BRASIL, PRIMEIRO TEMOS QUE CHEGAR A MARCA ZERO PARA DEPOIS TENTAR MUDAR.

UM BOM EXEMPLO É O ARAGUAIA, HOJE MUITOS PESCADORES PROCURA A REGIÃO EM BUSCA DE PIRARARAS E PIRAIBAS UM DIA JÁ QUASE EXTINTAS, E HOJE SE CAPTURA COM CERTA FACILIDADE..

QUANDO OS OPERADORES DO RIO NEGRO SENTIREM A AUSENCIA DE PESCADORES, AÍ SIM FARÃO ALGUMA COISA..

ATT

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se registrar depois. Se você tem uma conta, CLIQUE AQUI para postar com a sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...