Ir para conteúdo

XicoJorge

Membro
  • Total de itens

    135
  • Registro em

  • Última visita

6 Seguidores

Sobre XicoJorge

  • Rank
    Já consegue zarar
  • Data de Nascimento 22-10-1958

Informações de Perfil

  • Localização
    Belo Horizonte
  • Interesse
    Pesca e Computadores

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Deconto! é aque eu tenho. Já via MS, mas não conheço o suficiente.
  2. Pela força com que a isca foi puxada para o fundo e para junto da pauleira eu tenho fortes argumentos a favor de um dourado, mas é só palpite porque nem vi a cor do bicho.
  3. Popper realmente eu senti a falta de uma confraternização depois da pescaria e certamente um parceiro me daria mais ânimo para continuar pescando depois de deixar minha filha e minha esposa na estação de trem. Mas houve um ponto positivo nisso tudo, não caberíamos nós dois no ponto que achei... :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:
  4. Parabéns! Mas vocês foram lá para beber ou para pescar? hahahahaha! Caraca Janonne! Tu tá quase chegando à minha condição física! se cuida rapaz!
  5. Fui passar o feriado em Tiradentes e para não desperdiçar a dinherama que gastamos numa das cidades mais caras desse país resolvi dar uma pescadinha no Rio das Mortes, um dos poucos locais onde ainda se encontra tabaranas em quantidade. Chegamos na quinta-feira na hora do almoço e na sexta-feira acordo cedo com vontade de ir pescar junto com Júlia, mas era nosso primeiro dia e a DO estressou abortando a pescaria. Uma pena, pois o dia era o ideal, frio com neblina alta pela manhã e sol rachando logo depois às oito. Tudo bem, vou no sábado! Curtimos a sexta pela cidade, em passeios diversos pelas redondezas e nos principais atrativos locais. Chega o sábado de manhã e acordo às seis um frio de rachar e muuuuiiiitttaaaaa neblina. Mas não desanimo pego o equipamento e vou caçar uma beira de rio que me permita fazer alguns lançamentos. Antes passo na padaria e traço um café apressado, pois o da pousada só saia às oito e eu não queria e nem podia esperar. A cerração é brutal, não dava para enxergar mais do que 20 ou 30 metros à frente, mas mesmo assim vou confiante, pois durante o passeio do dia anterior eu havia marcado alguns pontos promissores na estrada da Caixa D?Água que margeia o rio das mortes e passa por trás da estação de trem. Parei próximo a um pasto que separava a estrada e o rio e desci em direção à margem, tudo isso sob uma neblina espessa que até parecia uma garoa de tão molhada. Pouca e visibilidade, muita umidade e muito frio eram as condições e por isso não pude tirar fotos. Para se fazer uma idéia meus cotovelos pingavam água quase que o tempo todo durante a tentativa de pescaria. Consegui achar uma pequena plataforma livre de vegetação na margem, de mais ou menos meio metro por dois, que me permitia fazer lançamentos laterais até quase a outra margem do rio, antes vou fazer uma pausa para fazer uma pequena descrição dessa área dentro do que pude ver. Eu estava bem no final de um remanso e início de uma corredeira e pelo que podia ver havia um estreitamento do rio logo à frente, uns 25 metros, e algumas árvores caídas na mesma margem onde eu estava; logo no início da corredeira. Mas eu achava que isso não seria problema, pois o fluxo mais forte puxava para o meio do rio afastando minhas iscas dali. Iniciei os trabalhos mais ou menos às sete e meia como eu já disse, lançando a isca transversalmente ao leito do rio e deixando-a descer livre puxada pelo fluxo da água até a corredeira e depois que ela descia o suficiente eu passava a recolher variando a velocidade e o trabalho. Infelizmente quase sem ações, para falar a verdade eu fiquei lá até quase dez da manhã e só tive umas três ou quatro ações nesse tempo todo. Atribuo isso à neblina e ao frio que não cederam mesmo após o sol estar alto, mas o local é promissor, pois todas as condições ideais às tabaranas estavam ali colocadas, fim de um remanso com uma corredeira forte logo após e estruturas na margem. Pretendo voltar outro dia mais para o início da primavera. O equipamento usado foi um molinete Sahara 2500 e uma vara Shimano de 14 libras 6?6?. As iscas foram Innas 90 flutuantes da MS nas cores verde da barriga branca e preta da barriga prateada. Agora o último e emocionante lance dessa pescaria falhada que me fez voltar para a pousada, com a alma lavada apesar da perda. Depois de inúmeras tentativas com as Innas eu resolvi apelar para minha Big-O cigarrinha, filha única infalível quando nada mais dá jeito e não é que funcionou. Numa fração de segundos, após a isca entrar na corredeira sinto um puxão na linha fisco e a vara verga toda com o molinete cantando aquela musica que todos amamos. Mas eu tinha liberado muita linha e minha posição na margem sem muito espaço para manobras, pois havia uma altura de mais ou menos dois metros entre a plataforma onde eu estava e a água só pude assistir o peixe levar minha isca com mais ou menos uns três o quatro metros de multi além de um metro e meio de flúor até a pauleira na beira do rio. Perdi minha única Big-O, mas ganhei muita adrenalina. Como a neblina ainda permanecia baixa quase às dez da matina e eu teria que levar minha esposa e minha filha até a estação de trem para o passeio de Maria-fumaça logo depois, dei por encerrados os trabalhos e me contentei em sair com o dedão coçando. Até a próxima!
  6. Sem problemas. Já descobri que as engrenagens são de bronze e já comprei uma na Pesca Pinheiros que está em oferta. Quem quiser aproveite.
  7. Bruca eu estive vendo as especificações da nova Citica e elas são iguais às velhas Curados B, inclusive as buchas das antigas foram trocadas por rolamentos o que as deixou com o mesmo número de rolamentos, embora eles não sejam ARB. Mas nem a Curado nova os tem. Além disso seu corpo é de alumínio e as peças que antes eram de plástico agora são de metal, mais pontos para ela. A minha preocupação na verdade são as engrenagens, que em algumas carretilhas novas da Shimano vieram em alumínio fundido ao invés de latão ou bronze como nas antigas Curados B. Sei que as das atuais Curado D 100/101 são, ou eram, de alumínio fundido o que andou ocasionando muitas quebras. Então eu queria saber é isso, suas engrenagens são de que material?
  8. A carretilha Shimano Citica 100 DSV seria comparávél à antiga Curado 100 B, en termos de tamanho e de peso? E quanto à qualidade? Ela é tão resistente quanto a velha Curado B?
  9. Eu prefiro o Midnight que o Tuba ensina. No começo eu apanhei muito para aprender, mas depois que aprende é molesa, muito mais fácil que o SF. Hali coloca o link mais detalhado! hehehehehe! http://www.ballyhoo.com.br/novo/dicas.a ... n&id_dc=27
  10. Parabéns ao trio de bibas! :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: A mais feliz de todas é essa aqui: :lol: :lol: :lol: :lol: :twisted:
×
×
  • Criar Novo...