Ir para conteúdo

Gustavo Martins

Membro
  • Total de itens

    810
  • Registro em

  • Última visita

1 Seguidor

Sobre Gustavo Martins

  • Rank
    Pescador

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino
  • Nome + Sobrenome (obrigatório)
    Gustavo Martins

Informações de Perfil

  • Localização
    Goiânia - GO
  • Interesse
    Desconhecido

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Amigos, fazendo uma analogia, vocês estão querendo que um trator seja confortável, tenha um bom porta-malas , rode macio, tenha bom desempenho no asfalto, aderência e chegue a 200 km/h. Carretilhas pesadas não foram feitas para arremessar, e sim para trolling (corrico). Ou seja, você solta a linha na água, solta o freio e acelera o barco. Elas arremessam? Algumas sim, outras não. Mas não foram feitas para isso... Aí se explica por que nesse aspecto a Black Max supera a Tekota: para aquilo que ela (Black Max) não foi feita para funcionar (arremesso), ela funciona! Para o que ela (Black Max) foi feita para funcionar (força, confiabilidade, resistência, durabilidade), não funciona...
  2. Pena que não posso ir! Produto de primeira em loja de primeira! Recomendo!
  3. Mestre Eloi, Você viu isso: http://tackletour.com/reviewicast2013po ... tline.html A Power Pro te ouviu!!! Abs., Gustavo
  4. O melhor e comfortável esquema de pesca que eu já fui. A pousada é impecável, camas box com colchões de mole, ar split nos quartos, comida de primeira (tem um chef lá!!! É verdade!), tudo limpo e bastante organizado! O barco é um espetáculo! Navegar a 110 km/h vale por si só o passeio! Pescamos em 3, sendo dois pescadores iniciantes no tucunaré, e não tivemos qualquer problema. Tem espaço de sobra! Agora o guia é um capítulo à parte! Pra começar, o cara é de Uberlândia, o que o torna um ser humano especial, diferenciado :gorfei: Brincadeiras à parte, o cara é nota 1000! Gentileza e presteza em pessoa, conhece a Serra da Mesa como ninguém e trabalha demais para você pegar o peixe! Pegamos poucos peixes, todos no fundo, com jigs. Ventou bastante e a temperatura da água caiu 7ºC de um dia para outro, mas isso é um pequeno detalhe diante de uma maravilha de pescaria dessas! Valeu, maninho! Foi bom demais de conhecer e pescar contigo! Com certeza vamos repetir.
  5. Aí, Rafa!!! As fotos eu já tinha visto, mas o relato ficou show!!! Parabéns por ele e pela pescaria!
  6. Gabriel, eu tenho uma Shimano Metanium MG DC7, ou seja, uma carretilha com corpo de magnésio e freio digital. É excelente e tem sido minha principal carretilha em pescarias de tucunaré-açú no Rio Negro. Eu "turbinei" ela e substitui os discos de fricção originais por Carbontex (ficou mais "áspero" e aparentemente mais forte). A Shimano reduziu o preço das carretilhas que usam o sistema DC. A Scorpion, por exemplo, está bem acessível. Acho importante você reler o tópico citado pelo Fabrício. Lá tem muita informação relevante. Mestre Biguá, como sugestão, o tópico poderia ser atualizado para contemplar a nova onda de carretilhas super-rápidas. Quanto às suas perguntas, todas tem resposta pessoal e particular, além de variarem de acordo com a pesca que você pretende fazer. Aproveitando a sua foto, a melhor carretilha para pescar dourados, por exemplo, não é a melhor carretilha para pescar tucunaré azuis. O top para a pesca dos açuzões não é o top para a pesca de matrinchãs, por exemplo. Pescarias diferentes exigem materiais diferentes. Isso não quer dizem, porém, que você não possa pescar várias espécies com a mesma carretilha. Como sugestão, algumas carretilhas que servem para "quase tudo" são as Shimano Curado 200 E7 ou G7; a Shimano Chronarch (nova), as Daiwa Zillion... Espero ter ajudado.
  7. Ó paí ó!!! Figuraça!!! É verdade mesmo ou é gaiatice sua???
  8. Fernando, o duro é que a Type R custa USD 450 lá fora, ou seja, pouca diferença de preço. E pela frição, eu vou de Abu, que tem 20 lbs, contra 15 lbs da Type R.... Abraço!
  9. Fala Celsão!!!O Newton não gostou muito, o Rafa adorou.... O Newton até mandou a dele pra mim, emprestada, pra ver se eu gosto. Acho que vou testar e ver qual é primeiro antes de decidir, pq o precinho dela tá phodis! Abração!
  10. Galera, Estou pensando em comprar uma das duas carretilhas, imaginando um recolhimento mais rápido para iscas de hélice a serem usadas no Rio Negro e seus afluentes, durante minha próxima pescaria. O alvo, sempre, é o tucunaré-açu. Já tenho um bom, confiável e modesto "arsenal", composto por uma Metanium MG DC7 (cabe pouca linha e é um pouco lenta), uma Revo STX-HS (pesada, difícil regular o freio de arremesso e não encaixa bem na minha pegada) e uma Curado 200E7 (meio lenta). Pois bem. Seguem alguns dados sobre as duas. Queria muito ouvir opiniões de quem já as viu, pegou, testou, pescou, etc. Zillion J Dream 7.9: Peso: 215 g Rolamentos: 10+1 (acho) Recolhimento: 89 cm/volta Drag: 5 kg Capacidade de linha: 90m de linha 0,33mm Preço (EUA): USD 520,00 Prós: Reputação (Zillion é a carretilha preferida de muitos pescadores de açu); Velocidade de recolhimento (maior encontrada até agora). Contras: Peso; Drag; Preço. Abu Garcia Revo STX-SHS 8.0 (3ra geração): Peso: 177,5 g Rolamentos: 10+1 Recolhimento: 84 cm/volta Drag: 9 kg Capacidade de linha: 140 jds de linha multi 30 lbs (deve dar uns 80-90 m de PP 65 lbs) Preço (EUA): USD 199,00 Prós: Peso; Preço; Drag. Contras: Velocidade de recolhimento; Novidade! As Revo STX antigas (eu tenho uma!) são muito confiáveis, mas um pouco desconfortáveis por causa do peso e da ergonomia (coisas que segundo a Abu foram melhoradas na versão nova). Além disso, confesso que tenho certa dificuldade na regulagem do freio de arremesso... Agradeço de antemão! Abraços, Gustavo
  11. Começando pelo começo, a trilha sonora do programa, Ace of Spades do MOtorhead, é show de bola!!! Achei também muito didáticas as explcações sobre os tipos de pesca (arremesso, rodada, em lagos...). Ficou claro para mim o despreparo do piloteiro para pesca com iscas artificiais... Passar com motor ligado naquela ponta, já dentro do lago, logo antes do primeiro arremesso do Papa é imperdoável. O barulho e as marolas mataram aquele ponto! Achei legal mostrarem o trabalho das iscas, mas passou um pouco da conta. Poderia mostrar um vez só a isca e depois só no ataque. O câmera ainda precisa entender um pouco mais de pescaria, mas isso é coisa à toa. Parece que faltou material com peixes (a pesca foi ruim) e na edição o pessoal ficou "enchendo linguiça". Mas gostei do programa! O formato ficou show, as imagens são de boa qualidade, gostei do Papa, achei um cara simples, que fala fácil, não é "poeta de pescaria" (aqueles que ficam declamando poesia pra natureza, pro peixe, pro rio, pra árvore...), é claro e didático. Show de bola!!! Tem tudo pra dar certo!! E o lance das tartarugas foi excelente!!! Abraço!
  12. Rodrigo, Eu já tentei, masi de uma vez, sempre ouvido todo tipo de piada, antes, durante e depois. Faz todo o sentido do mundo para mim, pois as softs são imitações quase perfeitas de peixes e esse é o objetivo das iscas artificiais. Já usei em represas, atrás de tucunarés azuis e amarelos e nos alfuentes do Rio Negro, atrás dos açuzões. Sabe qual foi o resultado? NADA!! :gorfei: :gorfei: :gorfei: Nunca peguei nem piranha com essa m... :gorfei: :gorfei: :gorfei: Na grande maioria das vezes que eu joguei uma p... dessas na água, veio um peixe e torou a danada no meio. Ou seja, para cada dois ou três arremessos, você perde uma isca. Não vale a pena! Além disso, fico me perguntando: o que é feito da outra metade da isca??? Ou algum peixe engole e morre algum tempo depois entalado com um pedaço de silicone na goela ou aquilo cai e fica poluindo nossos rios e represas. Conclusão: aquilo presta para peixes mais delicados, tipo bass e robalo, em lugares onda não tem piranha, traíra, bicuda, cachorra, etc... Tucunaré é um peixe bruto e gosta de isca bruta! A tempo: pra falar a verdade, eu nem sei montar os anzois nessas iscas direito. Tentei colher informações na internet e depois montar as iscas com anzois. Acho que fiz certo, mas não tenho certeza... Abraço!
  13. Só se tira dessa história toda que muitos ditos "agentes" não tem a mínima qualificação para sê-lo. Não tem profissionalismo nenhum, não conhcem as leis e nem os direitos de seus clientes, não se planejam com antecedência, não sabem nada (NADA!!!) da gestão de seus negócios... E nós (me incluo nesse time) ainda temos a coragem de dar dinheiro adiantado para essa turma, sem um documento assinado que estabeleça as condições mínimas da prestação de serviço que será feita. À lista de operadores sem furo, eu acrescentaria o Cézar, do Demini Sport Fishing, que nunca furou comigo e nem com ninguém que eu saiba. Agência de pesca: Pescaventura! 100% éticos, documentam tudo e assumem a responsabilidade em caso de problemas. Acho que é o melhor caminho, diante de tudo que tem acontecido por aí. Abraços!
  14. joia::: joia::: joia::: joia::: joia::: joia::: palmas:: palmas:: palmas:: palmas:: palmas:: palmas:: palmas:: Li o DO do AM e fiquei muito contente com isso! Os barcos geladores registrados de Novo Airão para baixo (Manaus, p.e.) não poderão subir o Negrão e fazer pesca comercial desse município para cima. Sei que na prática, não vai mudar muita coisa, mas claramente o Governo do Estado do Amazonas (nem sei quem é e de que partido) parece ter começado a enxergar que a manutenção dos estoques pesqueiros é a única forma de tornar aquela região economicamente viável.
  15. Demos o primeiro passo (até q enfim..hehehee...)... :amigo: Eu não tenho a intenção de brecar qualquer q seja o pescador, seja ele brasileiro, americano ou japonês, o q busco é uma forma legal e leal de estar pescando nestes lugares. Se eles podem, ou se nós podemos, todos podem tb. Claro q uma licitação das semanas de pesca (sem maracutaias, pois as q ocorrem lá pras bandas de Manaus são todas combinadas), mas uma forma justa e q não prejudique o meio ambiente. Se tem jeito de ser feita...vamos atrás dela. E tenho certeza q o Wellington não tinha autorização da FOIRN e das comunidades....a única coisa q condenei, independente da matéria publicada, foi ele ter entrado na marra em um lugar q ele não era bem vindo. O mínimo q ele deveria ter feito era ter esperado. Até mesmo, em respeito a outra meia dúzia de operadores q estão negociando a entrada no rio. Não estou preocupado com a estrutura dele e sim, com a integridade dos pescadores q estavam lá pra cima, pois eles, com certeza não sabiam das questões envolvidas nesta negociação. Um dos pescadores passou mal quando se viu cercado por índios. Nós, brasileiros, sabemos q o eles querem é dinheiro...mas a turma não. E se este pescador desse tivesse um ataque do coração por lá?!?! Eu tb fiquei sabendo q eles estavam muitttoooo perto de uma tribo indígena isolada, q alguns anos atrás matou sumariamente 10 garimpeiros q por lá chegaram. E aí, valia o risco?!?! (se bem q procurei algo na internet sobre isto e não encontrei) Tb acredito q acima do Ig. Unei não seja TI (verei junto a FUNAI), mas ainda assim é preciso passar por dentro delas. Então, para fecharmos este assunto q já se alonga demais...hehee...(e tá chato pra caramba)....o q acha de nos unirmos para descobrir uma forma legal de pescarmos lá dentro?!?! ::tudo:: Vamos nessa! Tenho várias ideias a respeito, todas com respaldo jurídico, social, ambiental e antropológico. Esse tipo de "licitação" (concessão de áreas de pesca em comunidades indígenas) é a forma mais viável de matê-los vivos dignamente.
×
×
  • Criar Novo...