Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Felipe Ferrari

Uma reflexão sobre o Corumba IV

Posts Recomendados

Boa tarde pescadores deste nosso Brasilzão! joia:::

Estou abrindo este tópico com o intuito de levantar uma discussão sobre a Represa Corumbá IV.

Todos podem dar sua opinião, inclusive quem não conhece a dita represa.

Pois bem.

É fato conhecido por quase todos, que nossa querida Corumbá IV costuma dar bailes nos pescadores que se aventuram por lá. Ou seja, não é tão fácil fisgar um bocudo ou um Douradão naquela represa (outros peixes é mais fácil), mas estes dois são mais complicados. Pega-se, claro! Mas é difícil.

Quando me inscrevi no Turma do Biguá, li seu conteúdo incessantemente, e em diversos tópicos, pescadores tentavam achar uma justificativas sobre a dificuldade de pegar peixe na IV. Li várias explicações, e achei várias interessantes, como a pesca predatória, por exemplo (já vi otários colocando rede lá várias vezes).

Apesar de já ter pescado tucunarés na represa e saber que tem peixe lá, fiquei com uma pulga atrás da orelha buscando uma justificativa que de fato tirasse esta pulga incomoda e chata. :gorfei:

Das várias vezes que fui lá (vou todo mês), fiquei pescando e observando tudo ao meu redor. Foi quando enfim, baseado em experiências passadas e no resultado de minha observação, consegui levantar uma hipótese que julguei ser forte, não concreta, apenas forte.

Há um tempo atrás, pesquei em um rio nas proximidades da represa, que era chamado pelos ribeirinhos de Corumbá III e, segundo eles, desembocava na represa. Só tinha lambari. Nada mais, nenhuma ação, nenhum rebojo, nada. Só milhares e milhares de lambaris famintos e agressivos.

Todas as vezes que fui na represa, vi tanto lambari, mas tanto... sem exagero. É muito mesmo. A partir das 16h, quando o sol começa a baixar e as muriçocas a aparecer e cair na água, eles pulam de um lado pro outro na água, desesperados. Novamente, é muito lambari.

Pois bem, como sempre pescava de barranco e já estava inconformado com isso, pois sempre via os bitelos batendo na margem oposta a que eu estava, comprei um bote inflável e fui bater isca do outro lado, onde tanto sonhei. Sem âncora nem nada. Só eu, o bote, os remos, a vara e o estojo de iscas. Remava até um ponto mais acima, largava os remos, o vento ia me levando suavemente, cerca de 500 mts para baixo e eu ia batendo isca nas estruturas (são MUITAS estruturas). O coração de tempo em tempo falta saltar da boca. Alguns lambaris pulam pra fugir e logo vem um bitelo e espirra água pra todo lado. Peixes grandes e muito agressivos mesmo! O tempo todo, os lambaris pulam e um peixe grande bate simultaneamente. INCRÍVEL.

Daí tirei minha conclusão: É difícil pegar peixe lá, porque por ser uma bacia rica em lambaris, os peixes carnívoros estão sempre bem alimentados e não fazem tanto esforço para isso. Aliada à pesca predatória, é claro.

Será que eu "pulei o córguim", estou pensando besteira, ou é a história é por aí mesmo. Lugar onde tem muito alimento, os peixes são mais manhosos. Ou será que isso tá na cara e eu demorei pra descobrir por falta de experiência (ou neurônios) e estou gastando o tempo da galera. kkkkkkkkkkk.

Me encucou o fato de ninguém ter citado isso.

Enfim, vamos trocar opiniões!

Aproveito para convidar os amigos pra uma pescaria lá.

Como eu disse, já pesquei tucuna bom nesse ponto onde sempre vou (meu irmão tem um lote lá), e vejo muita ação deles e de dourados. A área é bem extensa e o que tem de estrutura não é brincadeira. É um local onde bate-se o olho e fala-se, é aqui mesmo que vou passar o dia! kkkkkkkkkkkkk. Muita estrutura para bater isca e vira e mexe, nas margens da represa, aparecem cardumes de tricks de tucunas comendo peixes menores. Vou sempre com meu botezinho inflável pequeno, de remo mesmo, e sempre tenho surpresas de ver belos ataques na superfície, mas sempre nos lambaris, quase nunca na minha isca. kkkkkk. Talvez pescadores mais experientes obtenham melhor êxito que este pobre aprendiz. rsrs. Fica aqui o convite. E lembrando: Não vai por Luziânia, e sim pelo Lago azul, DVO... Ou seja, pelas bandas do Gama. É bem pertinho! Acho que somando asfalto e chão, dá uns 40km no máximo e a estrada de chão é inacreditavelmente boa.

Quem quiser pode levar barco, motor... Eu vou sempre no meu bote mesmo. Me adaptei bem a ele apesar de ser minusculo.

Bem, é isso. O texto dá um livro, mas espero que não esteja tão chato.

Abraços a todos os amigos pescadores. joia::: :amigo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Felipe,

Se é para "trocar idéias", vamos lá, até porque não conheço os pontos de pesca a que se referiu...

No entanto, diria que em local onde existe muita disponibilidade de comida, os predadores ficam "manhosos" e bem mais exigentes !

Via de regra, o tempo se encarrega de estabelecer uma situação de equilíbrio entre presas e predadores ! Muitas vezes os hábitos gerados pela própria pesca se encarregam de mudar esses hábitos nos predadores !

arrow:: Veja só, certa feita fomos pescar no Pantanal, no Piquiri, lá pra cima, onde num passado não muito distante, uma represa se rompeu e liberou toda uma criação de tucunarés para o rio... Claro que o processo de adaptação foi imediato, e os tucunas proliferaram muito no local...

Até aí, nada demais... Acontece que os bichos só entravam em iscas usadas para a captura de dourados e peixes de couro, ou seja, predileção específica pelas tuviras, sem qualquer ataque às dezenas de iscas artificiais que lhes foram apresentadas ( até umas de fundo imitando tuviras foram tentadas, e nada... só pegávamos traíras com artificiais ). Mas com as tuviras, era um tucuna atrás do outro...

Em Corumbá, a possível oferta de um excesso de presas é um sintoma que há um desequilíbrio no sistema ! O que poderia gerar um crescimento anormal de tantos lambaris assim ? Não há traíras nesse local ? E os demais peixes nativos, não existem ? Trata-se de uma represa sem alimentação de mananciais regionais, restrita a encher com água de chuva ? Muitas possibilidades a serem verificadas... ::fish2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Opa Kid M, boa noite!

Primeiramente, gostaria de agradecer o interesse no debate. É um prazer dividir este espaço com pessoa de tamanha experiência. Quem já "curiou" os arquivos do FTB conhece sua boa fama. rsrs :amigo:

Bem, pontos que observei e que acho interessante ressaltar são:

arrow:: A represa é relativamente nova, está enchendo ainda.

arrow:: O ponto em que eu pesco fica logo onde desemboca um dos rios que formam a represa. Acredito, pela cor da água do rio e deste ponto da represa, que este seja o Corumbá III, do qual havia falado e que é lotadíssimo de lambaris. Posso estar enganado. Mas a cor da água é de um verde inconfundível, e além do ponto ser a 30 metros de onde entra o rio, o outro rio que conheço que ali desemboca, o São Bartolomeu, é de águas tão barrentas como as do Velho Chico em Minas Gerais.

arrow:: Há lugares bastante fundos, onde inclusive perto da margem, vê-se árvores imensas completamente submersas.

arrow:: Nunca pesquei, mas já ouvi vários relatos de pescadores que já pegaram traíra naquele local.

arrow:: A represa enche com água provenientes de mananciais regionais. Nesta represa, funciona uma das hidroelétricas que abastece Brasília. Inclusive conheço outro rio que desembocam ali, onde pega-se alguns bonitos Dourados e Surubins.

arrow:: Já pesquei mandi, tucunaré e uma tilápia. Mas já ouvi relatos de que na represa tem peixes de couro maiores como Surubim e Jaú (há inclusive uma foto histórica de um imenso jaú preso na hidroelétrica). E Dourado, já vi uns brutos baterem fortemente na água. Mas nunca peguei nenhum (sonho meu). E já vi alguns outros cardumes nadando próximos à margem, mas não pude identificar a espécie.

Abraços a voce Kid, e a todos os outros. :amigo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Talvez a finalidade do tópico não seja esta, mas onde tem peixe a gente pega, assim ...

Primeira idéia: a função do predador vai além de alimentar-se; é também responsável natural pela limpeza dos fracos e feridos, além da defesa do território.

De barriga cheia e muito manhosos, conforme se referiu o Mestre Kid, eu tentaria iscas que imitam um peixe ferido, variando o trabalho, especialmente trabalhando devagar ... o Stick, talvez até uma zara ... ou iscas que imitam predadores caçando ... Popper, hélice ... sempre com uma segunda vara pronta com meia água, jig etc para cobrir o rebojo ...

Sem segunda idéia por enquanto ...

[]s

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Concordo com o Wellington,

Numa situação dessa utilizaria um stick, acredito que na "chamadinha" e trabalho bem lento, de tamanho e cor o mais próximo possível do peixe forrageiro em questão (acho que seria a cor ayú) um predador, por mais manhoso que seja dificilmente irá "dispensar" uma "presa fácil". Teste e depois dê um feedback para nós! joia:::

Talvez uma dog-x (megabass) na cor ayú...

Abs e boa sorte!

Talvez a finalidade do tópico não seja esta, mas onde tem peixe a gente pega, assim ...

Primeira idéia: a função do predador vai além de alimentar-se; é também responsável natural pela limpeza dos fracos e feridos, além da defesa do território.

De barriga cheia e muito manhosos, conforme se referiu o Mestre Kid, eu tentaria iscas que imitam um peixe ferido, variando o trabalho, especialmente trabalhando devagar ... o Stick, talvez até uma zara ... ou iscas que imitam predadores caçando ... Popper, hélice ... sempre com uma segunda vara pronta com meia água, jig etc para cobrir o rebojo ...

Sem segunda idéia por enquanto ...

[]s

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigo sem querer ser entrão no assunto,gostaria de dar minha opinião,moro em Anápolis pesco de fly a 2 anos e conheço muito bem o lago e o rio Corumbá e alguns dos seus afluentes ,o seu comentário foi bem oportuno e realmente faz bastante sentido o que vc falou sobre a oferta de alimento no caso o lambari.Já fiz boas pescarias pras bandas de Abadiânia na chacará do tio da minha esposa,nunca saiu peixe grande mas a quantidade era boa,reparei que existe agora na região aonde eu pesco uma quantidade absurda de Pacu CD,aqueles pequenos que não crescem,e com certeza os tucunas devem gostar deles também mas o fator pesca predatória no Corumbá 4 é um caso de Polícia.O lago está sofrendo uma ação muito grande por parte de pescadores e megulhadores que só não acabaram com tudo ainda porque ainda não deu tempo,e a natureza naquele lugar infelizmente não tem chance nenhuma de vitória,os Dourados em plena piracema são exterminados ao milhares por pescadores que os esperam nas bocas das cachoeiras,e os peixes de couro são os novos alvos dos mergulhadores naquele lago.Quando eu digo pescadores e mergulhadores eu não estou me dirijindo a modalidade e sim aos idiotas vaidosos que matam o que conseguem e depois ainda contam vantagem,já estou cansado de ir naquele lago e só ver a situação piorar e ainda é pior está ficando a Serra da Mesa,mas aí já é outra história....e aí pra que dia fica marcado a pescaria???tó precisando rsrs abraço.

obs:pra vc que gosta de pescar de bote ...olha esse video aqui ok?

http://www.youtube.com/watch?v=aa8WjVnfCQc

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não tenho muita experiencia em represas então não sei se estou certo pesco mais em lagos naturais mas na

maioria dos lagos naturais onde eu pesco a qtde de forrageiros é imensa muito maior que no corumba IV

visualmente falando mas mesmo assim os tucunas atacam vorazmente as artificiais não vejo o "excesso de

forrageiros" como um empecilho para pesca do tucunaré pois como já foi dito o tucunaré não ataca apenas para

alimentar e tb a artificial mais eficientes são aquelas que imita um peixe ferido para assim o tucunaré escolher

atacar a artificial e não os milhares de peixes forrageiros ao seu redor.

O problema do corumba IV é pesca predatória a qtde de redes e espinheis por lá é absurda sem contar com a

favelização nas margens do lago nº de ranchos por lá já esta preocupante. surtei:: surtei:: surtei::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×