Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

Entre para seguir isso  

Posts Recomendados

Untamed Amazon.Um paraíso nas aguas do Marié.Pacote...$18.000,00

Nesta última sexta-feira o Jornal da Globo exibiu uma matéria sobre esta operação.Rasgou elogios.Preservação, fim da pesca ilegal(será que os indios faziam pesca ilegal dentro de uma area deles?)

Auxílio às comunidades ribeirinhas, desenvolvimento das comunidades, etc...etc...etc...Só tinha gringo no barco-hotel.

Mas aí me veio algumas dúvidas:

Porque sómente uma operadora?Não seria mais correto ordenar o sistema de operação e permitir que outros operadores também utilizem as aguas federais?

Este modelo de exploração sustentável não servirá de modelo para outros rios , inviabilizando, financeiramente,esta viagem para os pobres mortais como eu?

Sob o ponto de vista preservacionista, eu acho ótimo.Quanto menos pescador lá, melhor.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigo Dair,

Essa é uma questão que iremos nos deparar com maior frequência de agora em diante ! Fazer preservação apenas com base no processo cultural demora mais tempo do que o aniquilamento dos peixes na Amazônia. Isso não significa que concorde com a tese de exclusividade de um operador apenas, pois acredito que o processo de competição ajusta a realidade comercial.

Precisamos entender que o "nosso paraíso" de outrora já está em outro patamar, certamente mais difícil de ser usufruído pelos brasileiros de menor poder aquisitivo ! Apenas para entenderem o teor das minhas palavras, lembram-se da exuberância do Pantanal, pois então, quantos dos que aqui frequentam já não conseguem "pensar" em ir naqueles recantos onde antes a piscosidade era extrema e hoje é difícil encontrar exemplares dentro das medidas legais... (quantos operadores quebraram naquela região...). Claro que as condições eram diferentes, não havia pesque e solte, e até mesmo indústrias se instalaram na região. Mas será que a Amazônia estará tão distante disso ?

Gerar recursos para a população ribeirinha (indígena ou não) é sempre uma bandeira para essas ações, e acredito que sejam válidas, principalmente se for obrigatória a utilização (mesmo que pequena) de mão de obra local. Quem está disposto (ou pode) pagar R$ 18 mil numa ida à Amazônia, certamente será exigente com o que pretende receber em serviços, onde o peixe se torna uma consequência.

Difícil contudo (pelo menos para mim) é acreditar que essas "soluções" não sejam criadas e estabelecidas através de "esquemas", onde o valor final se torna excessivo pela "cadeia alimentar" dos pagamentos... Outra coisa, e a transparência desses processos, será que os responsáveis (sejam municipais, estaduais ou federais) estão envolvidos e capazes de prestar contas desses procedimentos à sociedade ?

Apenas para ciência, já comecei a receber ofertas de pescarias semelhantes às dos nossos barco hotéis amazônicos, só que dos nossos "vizinhos", com custos inferiores aos praticados pelas operadores brasileiras na região do Negro e adjacências... Será que seremos a próxima geração de "gringos" pescando em águas estrangeiras ? 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É , meu amigo.

Por enquanto só temos certeza das "incertezas".Eu nem quis tocar no aspecto da transparência. É praxe neste País ainda prevalecer a Lei do Gerson.

Quanto ao Pantanal, está, a duras penas, se recuperando.Mas precisou acabar pra renascer.Creio que a Amazônia está fadada ao mesmo processo.

Há uma possibilidade remota de melhorar o panorama da pesca esportiva;a união dos pescadores esportivos em associações com força política suficiente para lutar por nós.Mas como já disse em outro tópico, o pescador esportivo "não depende" da pesca.E aí acaba deixando a alguém que se disponha a fazer algo.E se ninguém fizer, está bom também. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vi esse vídeo pelo facebook... e só levantou ainda mais essa questão... cada dia mais os gringos são donos do Brasil...

O Dono da operação é americano e, segundo a reportagem, gastou 2.5 Milhões de reais para montar a operação... que mais parece com um hotel 6 estrelas do que um barco hotel.

Por R$ 18.000,00 ele está selecionando muito bem os frequentadores da operação dele... brasileiros? só os Mi/Bilionários...

Pensei igual ao KID, para o preço final ser R$ 18.000,00, em quantas fatias esse valor não é quebrado até chegar as mãos deles?

É, vamos pensar enquanto ainda podemos... 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Octávio Justo do amaral disse:

Vi esse vídeo pelo facebook... e só levantou ainda mais essa questão... cada dia mais os gringos são donos do Brasil...

O Dono da operação é americano e, segundo a reportagem, gastou 2.5 Milhões de reais para montar a operação... que mais parece com um hotel 6 estrelas do que um barco hotel.

Por R$ 18.000,00 ele está selecionando muito bem os frequentadores da operação dele... brasileiros? só os Mi/Bilionários...

Pensei igual ao KID, para o preço final ser R$ 18.000,00, em quantas fatias esse valor não é quebrado até chegar as mãos deles?

É, vamos pensar enquanto ainda podemos... 

Octavio, com todo respeito ao seu post.

Já passou da hora de pensar a respeito.Está na hora de AGIR.Está na hora do Pescador Esportivo por a mão na massa.Se engajar em associações , em entidades , em clubes de Pesca Esportiva.

Precisamos APARECER para as "otoridades" e mostrar o quanto geramos de renda na economia. Quando surgir um projeto de lei, como o de Minas, que foi derrotado, encher a caixa de mensagem dos deputados. Fazer pressão.

Mostrar aos ainda reticentes que o peixe vivo vale mais que o peixe morto.E não por devaneios ecológicos. Mas por dinheiro que circula.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
4 horas atrás, Dair Helaehil disse:

Octavio, com todo respeito ao seu post.

Já passou da hora de pensar a respeito.Está na hora de AGIR.Está na hora do Pescador Esportivo por a mão na massa.Se engajar em associações , em entidades , em clubes de Pesca Esportiva.

Precisamos APARECER para as "otoridades" e mostrar o quanto geramos de renda na economia. Quando surgir um projeto de lei, como o de Minas, que foi derrotado, encher a caixa de mensagem dos deputados. Fazer pressão.

Mostrar aos ainda reticentes que o peixe vivo vale mais que o peixe morto.E não por devaneios ecológicos. Mas por dinheiro que circula.

Claro, sempre com respeito....

Quando surgiu essa questão da cota zero de minas eu participei ativamente das formas que conseguia, virtualmente...

Compartilhando os posts, assinando e encaminhando para amigos assinarem.

Mas, onde nem a emissão da licença de pesca funciona, pagamos R$ 60,00 reais por ano e mais de 2 anos o site está com problemas para emissão da licença definitiva, como vamos acreditar que eles querem ouvir falar sobre pesca esportiva?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
9 horas atrás, Octávio Justo do Amaral disse:

Claro, sempre com respeito....

Quando surgiu essa questão da cota zero de minas eu participei ativamente das formas que conseguia, virtualmente...

Compartilhando os posts, assinando e encaminhando para amigos assinarem.

Mas, onde nem a emissão da licença de pesca funciona, pagamos R$ 60,00 reais por ano e mais de 2 anos o site está com problemas para emissão da licença definitiva, como vamos acreditar que eles querem ouvir falar sobre pesca esportiva?

Octavio, você, é evidente, sabe que a PESCA ,como um todo, tem sido "jogada" de um Ministério a outro, com o maior desleixo possível.Está uma bagunça.Basta relembrar os nomes que andaram cuidando dela.Nem vou mencioná-los.Em breve(tudo indica), a Pesca será tratada por uma Secretaria ligada diretamente à Presidência da Republica.Em 2014 o Governo Federal lançou o Plano Safra dando um enorme incentivo à aquicultura.Foi um grande sucesso.Eu tinha(joguei fora) o mapeamento de tudo o que foi feito em todos os Estados.Converso, vez ou outra, nas reuniões do COMPESCA, com os Presidentes da Associação Brasileira dos Criadores de Tilápia, Presidente da Associação dos Piscicultores de São Paulo, etc..Não sei se é do seu conhecimento o MEGA projeto de uma multinacional para implantação de criatórios no Rio Paraná.Coisa de primeiro mundo.Em 2014, também, o Governo do Estado de São Paulo lançou o projeto do Plano de Manejo do litoral paulista.Está para ser concluído e virar LEI.Participei de várias reuniões em Caraguatatuba , Santos e São Vicente.Conseguimos colocar várias restrições à Pesca Industrial.Mas o lobby dos caras é terrível.Basta ver como conseguiram reverter a votação da Lei de Cota Zero em Minas.

O Instituto de Pesca de Santos, Diretor Sergio Tutui, lançou em 2017 o Projeto Robalo Vivo. Tem uma página no Facebook.Entre lá e veja.Ainda em fase de estudos , para, posteriormente, disciplinar sua pesca.

Há vários setores com interesse em criar restrições à pesca in natura.E nissoA PESCA ESPORTIVA, creia, está ganhando espaço.É lento, muito lento.Para acelerar a coisa, precisaríamos ter um contingente bem maior de pescadores esportivos ATUANTES.

Não podemos é deixar pra que "os outros façam por nós"

abraço

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Octávio Justo do Amaral disse:

@Dair Helaehil, conte comigo.

Me envolva no que eu conseguir ajudar.

Abraços,

Ótimo!!! É do que a Pesca Esportiva necessita.Pessoas que queiram ajudar.Entre no site www.anepe.org.br

Veja a composição da Diretoria e dos demais setores(todos voluntários, com direito a gastar do próprio bolso..kkkk.Eu estou no Conselho Estratégico.).Veja se você se identifica com a associação.Se você perceber que a coisa é séria(e é),participe.Ajude a divulgar as nossas ações.Eu costumo postar no meu FACEBOOK uma vez por mes o que foi feito pela ANEPE.Se puder, afilie-se($50,00 por TRIMESTRE).

Se não te agradar, procure uma outra entidade com a qual você melhor se identifique.É disto que precisamos.Gente voluntariosa.

abç

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
3 horas atrás, Celso Mendonca disse:

Pessoal,no Marié so cabe uma operação para pesca de açu,apesar de muito extenso ele tem poucos lagos.

O estudo e a liberação estão corretíssimos,ele não tem capacidade para dois operadores trabalharem durante 4 meses.

Abs.

É um precedente perigoso.Vai se tornar uma operação apenas para os gringos.E pode abrir caminho para que outros rios se tornem "exclusivos".Lembrando que nossas águas pertencem à União.

Em 2007, se não me engano, a bordo do Barco Marco Polo, subimos o Itapará ,até chegar no Agua Boa do Univini.Ao entrar numa das lagoas, nos deparamos com um gringo que tem(ou tinha) uma pousada lá.Ele nos expulsou da lagoa,pois dizia que "este rio é meu.voces não podem pescar aqui".Por pouco não taquei uma rip holler na cara dele.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...