Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Flávio Martins

Peixes do Lago Paranoá

Posts Recomendados

Tambaqui e Balck Bass no Lago Paranoá?

A história:

As introduções de peixes no Lago Paranoá se iniciaram já no ano seguinte do seu enchimento, tendo sido lançados no reservatório entre março e dezembro de 1960, no total de 145 tilápias do congo (Tilápia rendalli), 6.500 "black-bass" (Micropteuros salmoides ); 7.000 "bluegill" (Lepomis macrochira ); 5.000 mandi amarelo (bagre não identificado) e 12 reprodutores de piapara (espécie da Família Anostomidae- piaus), peixes estes oriundos da Granja do Ipê.

Em janeiro de 1964 o Departamento de Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) realizou o primeiro levantamento dos peixes do Lago Paranoá, e coletou mais de 1.500 exemplares de tilápia do congo e alguns "bluegill", além de peixes nativos da região como lambaris, charutinhos e cascudos. Devido a esses resultados o lago foi considerado como um ambiente com poucos peixes sem captura para pesca comercial, e com a pesca esportiva incipiente.

Entre as décadas de 60 e 70 foram introduzidas no lago novas espécies, como carpa comum (Cyprinus carpio), tucunaré (Cichla ocellaris) e a tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) conforme relatado por DORNELLES & DIAS NETO (1985).

Segundo Bastos (1980), durante a década de 70, introduções voluntárias e/ou clandestinas de peixes ornamentais criados por aquaristas amadores, tais como espadinha e "guppy" se somaram a lista de peixes já ocorrentes no Lago Paranoá.

O início da década de 80 foi marcado pelos peixamentos do lago com duas espécies amazônicas, o tamoatá (Callychthys callychthys) e o tambaqui (Colossoma macropomum), além de uma espécie de camarão de água doce. Dos poucos milhares de alevinos de tambaqui lançados no lago não se teve nenhuma notícia, ao passo que o tamoatá estabeleceu população reprodutiva no resevatório.

Na década de 90 , apenas dois outros novos registros vieram a ampliar a participar da lista de espécies exóticas introduzidas no Lago Paranoá, uma delas é o bagre africano (Clarias sp.), introduzido clandestinamente, enquanto que a outra é a carpa chinesa prateada (Hypophthalmichthys molitrix), na oportunidade em que alguns exemplares escaparam de tanques experimentais proveniente do experimento do programa de biomanipulação da CAESB, que e passaram a habitar o espelho d'água do lago.

Principais peixes nativos adaptados ao Lago Paranoá: Acará preto; Acará amarelo; Bagre; Cascudo; Lambaris; Saguirú; Traíra; Trairão

Principais peixes exóticos do Lago Paranoá: Bluegill; Tambaqui; Tilápia do Nilo; Tilápia do Congo; Bagre Africano; Tucunaré Comum; Tucunaré pima; Carpa comum; Carpa prateada

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bacana esse histórico... Sabe se tem algo recente em projeto para futuros peixamentos??

Não falaram aí das Traíras... e tem muita lá.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

cade os basses? rsrsrs.....sera q alguem jah pegou algum?

jah ouvi historia tbm de bass na represa Guarapiranga aki em sampa...

abs

Poma

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

EStá fazendo um monografia sobre o Lago, é, Flávio?!??! hehee... rir::

Hehehe que nada Fabrício.... so curiando mesmo.

Agora a minha pergunta é...

ALGUEM JA VIU, OU OUVIU FALAR DE ALGUEM QUE TENHA PEGO UM BASS?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se registrar depois. Se você tem uma conta, CLIQUE AQUI para postar com a sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...