Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Moacyr Sacramento

Engrenagens em duraluminio dominaram os Shimanos???

Posts Recomendados

Ontem, confesso que tomei um susto...

Fui na loja para comprar um Stella FD e vi nas instrucoes que mesmo o modelo 4000 tem a engrenagem principal em duraluminio (porque nao se consegue uma informacao dessa no site do fabricante? ::nada:: ). Ai pensei em comprar um FA 5000 e ele tambem tem a engrenagem em duraluminio...

Acabou que nao comprei nada, voltei a fase de pesquisa!

Ou os relatos de falha precoce das engrenagens pretas sao casos isolados, tipo dar o azar de pegar a que tava bichada (pelos varios relatos, nao achei provavel falha no uso ou coisa parecida; ou, ao menos, foi desta forma que intrepretei)...; ou nem sei...

So sei que estou preocupado ja que eu sou do tipo de pescador que gosta mesmo e de rebocar (sei que nao e o certo, mas vou pagar caro numa tralha nao-confiavel?).

Estou pensando em comprar um molinete (ou melhor, um para pesca pesada e outro para pesca leve) e tambem uma carretilha (perfil baixo), estava decidido pelo Steez 100 HL, mas ai eu vejo que o pessoal ovaciona a Metanium Mg DC7L...

E, de molinete (quero um moderno, mas capaz de "rebocar" dourados de agua doce), ja estou avaliando a hipotese de comprar um Daiwa Saltiga ja que estes sao mesmo para pesca pesada e tem engrenagem em bronze.

Gostaria de saber a opiniao do pessoal, ja que me parece que o pessoal nao ve mal algum nessas engrenagens pretas...

Aproveitando, aceito sugestoes!

Alguem ja teve a sensacao de estar boiando? doeu::

To me sentindo assim em relacao a essas engrenagens... oloko::

Sao confiaveis mesmo? Nao sao mais frageis que as engrenagens de bronze???

Aquele abraco!

PS: eu so uso manivela esquerda...

PS (denovo): e as carretas da daiwa, tambem tem as engrenagens pretas? o pior e que eu achei que sim...

To achando que as coisas de hoje nao sao feitas para durar mesmo...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Moacyr...

Creio que é tudo em função de aliviar o peso...

Minhas daiwa pesadas (153 e sol) são todas com engrenagens em bronze, talvez a steez seja em duraluminio...

abrçs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eloy;

Em: http://www.daiwa.com/Reel/detail.aspx?ID=192

Encontrei a descrição: "Tough, A7075 tempered aluminum drive gear and phosphor bronze pinion"

Podemos traduzir como: "Engrenagem principal em alumínio temperado A7075 e pinhão de bronze fosfórico, muito fortes."

Esse e o mesmo tipo de duraluminio usado pela Shimano, mas com a diferenca que o da Daiwa e temperado (e imerso em agua fria quando ainda quente, apos ser torneado a quente) e o da Shimano e revestido por black almite (tipo uma ceramica; a Shimano diz cortar a frio as engrenagens para preservar a ultraestrutura do duraluminio, pois o calor seria prejudicial...; blink:: mas nao haveria como por a ceramica por cima sem ser a quente...).

Tao vendo como minha duvida tem mesmo razao de ser?

Creio que essa ceramica seja o problema dessas engrenagens que abrem o bico precocemente, qualquer bolhinha, impureza, ou defeitinho ja seria suficiente para iniciar uma rachadura...

Ou estou errado?

Espero opinioes e informacoes da galera!!!

Aquele abraco a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Moacir, eu tambem tenho uma paranóia em relação a estas engrenagens de alumínio. A impressão que tenho, é que com certeza elas deixam os equipamentos mais leves, mas não tem a mesma durabilidade das de bronze.

A preferência dos fabricantes pelo alumínio pode ter duas justificativas

- Com equipamentos cada vez mas leves, aumenta o apelo comercial, afinal quem não quer ter um equipamento peso pena.

- Se os equipamentos durassem quase eternamente, com era os mais antigos (veja como ex: muita gente tem Curados e Chronarch de mais 12 anos funcionando perfeitamente) com certeza o mercado iria diminuir com o tempo.

Claro que esta é minha opnião, e ninguem é obrigado a concordar com ela.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Moacir, eu tambem tenho uma paranóia em relação a estas engrenagens de alumínio. A impressão que tenho, é que com certeza elas deixam os equipamentos mais leves, mas não tem a mesma durabilidade das de bronze.

A preferência dos fabricantes pelo alumínio pode ter duas justificativas

- Com equipamentos cada vez mas leves, aumenta o apelo comercial, afinal quem não quer ter um equipamento peso pena.

- Se os equipamentos durassem quase eternamente, com era os mais antigos (veja como ex: muita gente tem Curados e Chronarch de mais 12 anos funcionando perfeitamente) com certeza o mercado iria diminuir com o tempo.

Claro que esta é minha opnião, e ninguem é obrigado a concordar com ela.

Eu concordo plenamente... ::tudo::

Mesmo sem ninguem me obrigando! :gorfei:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mesmo sem ninguem me obrigando! :gorfei:

Amigo, as vezes quando expomos nossas opniões, principalmente nos sites, logo aparece alguem para falar que não somos donos da verdade isto e aquilo mais. Por isto gosto de deixar claro que se trata de uma questão de opnião.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Moacir, eu tambem tenho uma paranóia em relação a estas engrenagens de alumínio. A impressão que tenho, é que com certeza elas deixam os equipamentos mais leves, mas não tem a mesma durabilidade das de bronze.

A preferência dos fabricantes pelo alumínio pode ter duas justificativas

- Com equipamentos cada vez mas leves, aumenta o apelo comercial, afinal quem não quer ter um equipamento peso pena.

- Se os equipamentos durassem quase eternamente, com era os mais antigos (veja como ex: muita gente tem Curados e Chronarch de mais 12 anos funcionando perfeitamente) com certeza o mercado iria diminuir com o tempo.

Claro que esta é minha opnião, e ninguem é obrigado a concordar com ela.

Eu concordo plenamente... ::tudo::

Mesmo sem ninguem me obrigando! :gorfei:

Economizei teclado com a resposta do Rodarte... hehehehehehe

Bom... Algumas pessoas dizem que eu costumo chutar a barraca com o dono dentro...

Essa é para pensar:

Quem começou com a "história" do pesque e solte?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galera!!! Minha paixão é a pesca, mas por 13 anos dividi a pesca com o motocross. Hoje nas motos, também em busca reduzir peso, peças como suspensão, quadro, etc.. é feito de uma liga de aluminio forjado e temperado muito resistente, guidões de aluminio que num tombo quebra a moto inteira e nem empenam!!! sem falar no magnesio, titanio.... mas, voltando ao assunto, imagino que a Shimano não iria soltar pra venda materiais com qualidade duvidosa!!! Estas engrenagens devem ser de um aluminio com liga muito resistente, com a vantagem de reduzir peso. Assim como algumas com as tampas em magnesio, extremamente leve!! "Poderiam soltar pra venda com engrenagens de titanio, hehehe!! não teria mais fim, mas custaria caro!!" Mas na dúvida, contando que o investimento é meio alto, te aconselho a comprar o ja conhecido, mesmo pesando um pouquinho a mais, é certeza de aguentar o tranco!!!! abraço!!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galera!!! Minha paixão é a pesca, mas por 13 anos dividi a pesca com o motocross. Hoje nas motos, também em busca reduzir peso, peças como suspensão, quadro, etc.. é feito de uma liga de aluminio forjado e temperado muito resistente, guidões de aluminio que num tombo quebra a moto inteira e nem empenam!!! sem falar no magnesio, titanio.... mas, voltando ao assunto, imagino que a Shimano não iria soltar pra venda materiais com qualidade duvidosa!!! Estas engrenagens devem ser de um aluminio com liga muito resistente, com a vantagem de reduzir peso. Assim como algumas com as tampas em magnesio, extremamente leve!! "Poderiam soltar pra venda com engrenagens de titanio, hehehe!! não teria mais fim, mas custaria caro!!" Mas na dúvida, contando que o investimento é meio alto, te aconselho a comprar o ja conhecido, mesmo pesando um pouquinho a mais, é certeza de aguentar o tranco!!!! abraço!!!!

Bom dia Leonardo!!!

Concordo plenamente com vc, o aluminio é um material fantastico, para todos os exemplos que vc citou e muitos outros é o material ideal. Só não gosto da utilização dele em engrenagens, acho um material fraco para esta função.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

"Tough, A7075 tempered aluminum drive gear and phosphor bronze pinion"

No século passado, qdo eu era metalúrgico e precisava de uma engrenagem +leve, fazia a estrutura em aluminio e a corôa (parte dentada) em bronze fosforoso ou ferro fundido. No entanto, temos que considerar a evolução da química. Os tratamentos térmicos estão sendo ultrapassados pelos químicos. Insertar cerâmica em metal ou liga metálica. é coisa que não existia no meu tempo.

Reportando ao post sobre as carretilhas leves, considero a opinião dos amigos que deram testemunho, de grande valia, pois o verdadeiro laboratório é o campo de ação. A MG (170g) aguenta o tranco, a steez (160g) não aguenta.

Perguntas: As dez gramas de diferença está localizada na engrenagem?

O que abre o bico é apenas a engrenagem?

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Moacyr,

Tenho visto você questionando a resistência e confiabilidade do duralumínio e dizendo que há relatos sobre problemas com essa engrangens em molinetes...

Não sou físico, químico nem engenheiro para avaliar se esse material é mais duro, ou quebra mais, ou menos, ou está mais sujeito a fadiga... Mas penso que a Shimano não iria arriscar sua imensa e antiga reputação lançando um produto de qualidade duvidosa, ou que se deteriorasse rapidamente. Não faz sentido! É o mesmo que falar que a Pirelli lança um pneu mais macio pois ele se desgasta mais rápido e o cliente volta antes para comprar outro! Gente, isso é teoria da conspiração! Ou até paranóia! Relaxem!!! legal::

Se a Shimano, ou a Pirelli, ou qualquer outra fábrica de qualquer coisa fizer isso ::evil:: , está arriscando que esse cliente nunca mais volte! E esse tipo de risco fabricantes desse porte não estão dispostos a correr! ::nada::

Vejam só a indústria automobilística. Que carro é melhor, uma Toyota Bandeirante ou uma Pajero Full? Qual é mais leve? Pajero. Qual consome menos? Pajero. Qual oferece mais segurança? Pajero. Qual anda mais? Pajero. Qual transpõe mais obstáculos? Pajero. Qual é mais pesada? Bandeirante!!! ::nada::

Tudo evolui, e acho que as engrenagens de carretilhas também! Peso não é sinônimo de qualidade, ou durabilidade! O material chama "duralumínio", ou seja, não é um alumínio comum. Ele recebe um tratamento para ficar mais duro! Ou seja, para sofrer menos desgaste e proporcionar melhor torque. joia:::

Eu tenho duas carretilhas Shimano: Curado 200 E7 e Metanium MG DC7. As duas são show, arremessam demais, são leves, já foram testadas na Amazônia e não decepcionaram. Ainda devo um teste mais severo para elas, que pretendo fazer em breve, mas não tenho nada a reclamar delas. ::tudo::

Uma fonte boa de informações para mim tem sido o site americano www.tackletour.com. Eles avaliam uma série de equipamentos, são sérios e independentes e nunca falaram mal dessas engrenagens de duraluninio. aplauso::

Então eu acho que vocês deviam relaxar um pouco! A carreta não vai estourar quando entrar aquele monstro! praia::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Gustavo, admito ter uma certa paranóia em relação as engrenagens de alumínio, mas não é um medo totalmente sem base, houve precedentes, a Curado 100D foi uma das primeiras carretilhas a usar engrenagens de duralumínio e teve sua reputação manchada, por diversos relatos em que as engrenagens não aguentaram.

Este é um assunto dificil de ser debatido, só o tempo dira se estes medos são totalmente infundados.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galera!!! Minha paixão é a pesca, mas por 13 anos dividi a pesca com o motocross. Hoje nas motos, também em busca reduzir peso, peças como suspensão, quadro, etc.. é feito de uma liga de aluminio forjado e temperado muito resistente, guidões de aluminio que num tombo quebra a moto inteira e nem empenam!!! sem falar no magnesio, titanio.... mas, voltando ao assunto, imagino que a Shimano não iria soltar pra venda materiais com qualidade duvidosa!!! Estas engrenagens devem ser de um aluminio com liga muito resistente, com a vantagem de reduzir peso. Assim como algumas com as tampas em magnesio, extremamente leve!! "Poderiam soltar pra venda com engrenagens de titanio, hehehe!! não teria mais fim, mas custaria caro!!" Mas na dúvida, contando que o investimento é meio alto, te aconselho a comprar o ja conhecido, mesmo pesando um pouquinho a mais, é certeza de aguentar o tranco!!!! abraço!!!!

Eu pagaria por uma carreta de titanio, tenho um relogio em titanio e ele e levissimo embora grandao; pesa menos que relogio de mulher...

Interessante o posto pelo Leonardo; parece que as pecas de duralumínio (liga de alumínio) forjado e temperado exibem boa resistência...

As engrenagens usadas pela Daiwa são temperadas, e ate hoje não tenho noticia de falha precoce destas engrenagens. Ou porque são poucos que usam carretas como uma Steez, ou porque elas agüentam o tranco mesmo!

Entretanto, o uso em engrenagens impõe exigência diferente do uso como um guidão, pois este não esta sujeito ao atrito reiterado produzido durante o trabalho de uma engrenagem...

De qualquer forma, agradeço por sua importante contribuição!

Ate estou mais tranqüilo!

Valeu Leonardo!

Sobre a cerâmica (como o Black Almite), uma ceramica e o material ideal para aplicações onde a forca de compressão seja o problema, mas ela não resiste bem às forcas de cisalhamento (laterais, tipo atrito); e creio que qualquer imperfeição nesta camada (ou mesmo, a breve falta do lubrificante) pode explicar as falhas precoces... Uma vez que haja uma micro-rachadura, ela não vai parar de crescer!

Mas já to quase comprando uma carreta dessas...

Agora, para aplicação em pesca pesada, só mesmo bronze, mesmo que seja por hora (quem sabe daqui a um tempo eu também vá usar para pesca pesada...)!

Eu ainda creio que, se os fabricantes não estão pensando em reduzir a “excessiva” durabilidade de seus produtos, ao menos, não estão tão preocupados com isso quanto outrora.

E que uma cerâmica deve ter uma lisura superficial perfeita, estar isenta de quaisquer imperfeições para poder servir a longo prazo para nossas pescarias mais pesadas que as de fora do Brasil...

De fato, houve relatos bastante preocupantes no inicio das engrenagens pretas, me lembro de um (acho que do “Celso da oficina”) em que ele relata que pegou varias curados 100 com as engrenagens pretas estouradas...

Pode ser que justamente estas pertencessem a mesma serie e que alguma impureza na cerâmica tenha motivado tais falhas. Devem ter aperfeicoado o processo de producao...

Eu queria saber se alguém mais teve tais falhas e, pelo que eu vejo, não.

Por hora, vou acreditar que tais engrenagens nao sejam tao inferiores em resistencia se comparadas ao bronze ja consagrado pela experiencia de todos nos, mas vou acreditar desconfiando...

Aquele abraço a todos!

Obrigado por me ajudar a esclarecer este assunto!

PS: Inclusive por comunicacao pessoal, soube de falhas das engrenagens da curado... Nao foram casos isolados, mas parece que acabou!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em: http://caterva.com.br/forum/viewtopic.php?t=17745

Moçada

Acabei de falar com o Celso da Oficina da Pesca. Ele me passou as seguintes informações: as coroas que têm dado problema são de cor preta. Essas são de alumínio e têm apresentado dois problemas: a corrosão por uma mistura de água salgada, graxa e grafite (acho que é isso, rs) e a falta de resistência quando exigidas na hora de forçar um pouco mais a carretilha. Com certeza as Curado 100-D apresentam essas coroas ruins. As outras, como as Curado 200-D ou Citica ele não soube me informar. Teria que abrir e ver se é a tal da coroa pretinha. Se alguém tiver uma foto das engrenagens das outras carretilhas, já dá pra ver se a coroa é de alumínio (preta) ou latão (meio dourada). É o que eu saberia informar, moçada. Se alguém quiser mais informações, pode falar diretamente com o Celso no telefone (41) 3018-9148.

Quanto à Citica 100-DSV, o Kazan respondeu nossa pergunta, deve ser então de latão. Felipe, valeu pela informação, cara. Rodrigo PIG, acho que seu problema está resolvido, rsrsrs. Renato, pelo jeito pelo menos a Curado D acho que seria contra-indicada, é o que eu saberia te dizer.

Abraços a todos, espero ter colaborado

Tal mensagem foi postada em 03/07/07...

Apenas quero mostrar que esse topico nao foi infundado, que muitas destas engrenagens falharam mesmo!

Bom, parece que pararam de falhar, nao e?

Aquele abraco a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

:bompost:

Informação relevante essa!!! Parece que era comum nas primeiras séries e que os problemas diminuíram... E o Celso é o "cara" em manutenção de carretas! Pode ser que a Shimano tenha resolvido o problema ou que os usuários estejam tomando mais cuidados. Parece que os problemas estavam relacionados ao uso em água salgada. O sal poderia estar provocando micro-arranhões na cerâmica que cobre o alumínio e inciando o processo de rechadura que você relata acima... Com uma limpeza e lubrificação adequadas este problema desaparece.

::tudo:: O papo tá bom! aplauso::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em: http://www.baitbrasil.com.br/forum/viewtopic.php?f=8&t=1240

Pessoal após 6 meses de uso no mangue, abri minha Metanium DC7 e Alphas para limpeza, e gostaria de dividir com vocês minha percepção.

As duas foram utilizadas da mesma forma, durante o mesmo período (6 meses, 4 pescarias ou mais por mês no mangue), lavadas após o uso, secadas com ar comprimido e lubrificadas com óleo Quantum Hot Souce após cada pescaria, mas nunca haviam sido abertas.

Como já fazia um bom tempo que eu as estava usando, resolvi por bem fazer uma manutenção e verificar o estado das mesmas internamente, e o que encontrei foi o que eu já previa. Infelizmente estava sem máquina e não tirei fotos, mas tentarei retratar da melhor forma.

A Shimano estava completamente dominada por cristais de sal e com alguns pontos de corrosão nos discos da fricção. Os discos também apresentavam má condição e aparência de deteriorados. Por outro lado o chassi, carretel, rolamentos e sistema DC estavam completamente intactos, com aparência de 0km.

Já a Daiwa, confirmou minha expectativa e se mostrou muito mais resistente ao sal. Após abri-la, os sinais de sal eram quase nulos, com a lubrificação ainda por toda a parte além de não apresentar qualquer sinal de corrosão. O sistema de fricção estava impecável. Uma simples lavagem e ar comprimido, deixou-a novamente como 0km. As demais partes como chassi, carretel e rolamentos também não apresentaram qualquer sinal de desgaste, aparentando com se tivessem saído da loja.

Como conclusão da minha avaliação, hoje tenho certeza que como conjunto e qualidade a Daiwa supera em muito a Shimano, principalmente as carretilhas da série CRBB da Daiwa (como Alphas, Zillion) são extremamente resistente à água salgada, além dos componentes se mostrarem sólidos e sem qualquer sinal de desgaste. Já a Shimano, não podemos contestar o sistema e a funcionalidade, o sistema DC ainda é o que há de melhor e mais moderno para pesca de arremesso, porém para uma carretilha top de linha como esta, os componentes internos me decepcionaram. Vou procurar algum upgrade no Japão para os discos da fricção, assim a carretilha ficará completa. Somente como observação, o chassi da Metanium está intacto, sem qualquer ponto de corrosão, o que indica que melhoraram a liga ou o tratamento, pois corrosão no chassi não é mais um problema como retratado por colegas nas antigas MG.

Como experiência própria, vou diminuir o intervalo entre as limpezas das carretilhas para 2 meses ou 10 pescarias, o sal é um inimigo implacável, quanto mais conseguirmos evita-lo, mais tempo teremos nosso equipamento em ordem.

Aquele abraco a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Entendo o questionamento do Satkunas e sua posição com relação às duas marcas, mas há que se fazer duas observações:

1) Não há qualquer referência à engrenagem de duralumínio, e sim aos discos da frição, que são parte integrante do sistema de frição, assim como as engrenagens, mas não são a mesma coisa (ou a mesma peça). Ele relatou que os discos apresentavem cristais de sal, e não problemas com a engrenagem. Esses cristais poderiam causar desgaste prematuro da engrenagem, mas não foi isso que ele relatou.

2) A carretilha Metanium MG DC7 não foi concebida para uso em água salgada. Essa recomendação consta inclusive em seus manuais. Portanto, há aqui mal uso do equipamento (uso em condições não recomendadas pelo fabricante). Pergunto: (i) se ele estivesse usando a carretilha somente em água doce esses cristais apareceriam? Acho que não... (ii) Caso algum outro "detrito" entrasse no sistema de frição, como o sal, e gerasse algum acúmulo, esse acúmulo geraria risco de danificação às engrenagens de duralumínio, como os cristais de sal poderiam causar? Também acho que não! O sal é bem mais duro que outros "detritos" (sei lá se o termo correto é esse mesmo..) encontrados em água doce (como o calcário, por exemplo).

Há que se ressaltar, porém, que as engrenagens de duralumínio não estão presentes somente nos equipamentos Shimano recomendados para água doce. Todavia, pode ocorrer que a Shimano "relaxe" no sistema de vedação das carretilhas de magnésio. Mas isso é só uma hipótese minha...

Alguém consegue me esclarecer isso?

Abraço!

Em: http://www.baitbrasil.com.br/forum/view ... f=8&t=1240

Pessoal após 6 meses de uso no mangue, abri minha Metanium DC7 e Alphas para limpeza, e gostaria de dividir com vocês minha percepção.

As duas foram utilizadas da mesma forma, durante o mesmo período (6 meses, 4 pescarias ou mais por mês no mangue), lavadas após o uso, secadas com ar comprimido e lubrificadas com óleo Quantum Hot Souce após cada pescaria, mas nunca haviam sido abertas.

Como já fazia um bom tempo que eu as estava usando, resolvi por bem fazer uma manutenção e verificar o estado das mesmas internamente, e o que encontrei foi o que eu já previa. Infelizmente estava sem máquina e não tirei fotos, mas tentarei retratar da melhor forma.

A Shimano estava completamente dominada por cristais de sal e com alguns pontos de corrosão nos discos da fricção. Os discos também apresentavam má condição e aparência de deteriorados. Por outro lado o chassi, carretel, rolamentos e sistema DC estavam completamente intactos, com aparência de 0km.

Já a Daiwa, confirmou minha expectativa e se mostrou muito mais resistente ao sal. Após abri-la, os sinais de sal eram quase nulos, com a lubrificação ainda por toda a parte além de não apresentar qualquer sinal de corrosão. O sistema de fricção estava impecável. Uma simples lavagem e ar comprimido, deixou-a novamente como 0km. As demais partes como chassi, carretel e rolamentos também não apresentaram qualquer sinal de desgaste, aparentando com se tivessem saído da loja.

Como conclusão da minha avaliação, hoje tenho certeza que como conjunto e qualidade a Daiwa supera em muito a Shimano, principalmente as carretilhas da série CRBB da Daiwa (como Alphas, Zillion) são extremamente resistente à água salgada, além dos componentes se mostrarem sólidos e sem qualquer sinal de desgaste. Já a Shimano, não podemos contestar o sistema e a funcionalidade, o sistema DC ainda é o que há de melhor e mais moderno para pesca de arremesso, porém para uma carretilha top de linha como esta, os componentes internos me decepcionaram. Vou procurar algum upgrade no Japão para os discos da fricção, assim a carretilha ficará completa. Somente como observação, o chassi da Metanium está intacto, sem qualquer ponto de corrosão, o que indica que melhoraram a liga ou o tratamento, pois corrosão no chassi não é mais um problema como retratado por colegas nas antigas MG.

Como experiência própria, vou diminuir o intervalo entre as limpezas das carretilhas para 2 meses ou 10 pescarias, o sal é um inimigo implacável, quanto mais conseguirmos evita-lo, mais tempo teremos nosso equipamento em ordem.

Aquele abraco a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caso algum outro "detrito" entrasse no sistema de frição, como o sal, e gerasse algum acúmulo, esse acúmulo geraria risco de danificação às engrenagens de duralumínio, como os cristais de sal poderiam causar? Também acho que não! O sal é bem mais duro que outros "detritos" (sei lá se o termo correto é esse mesmo..) encontrados em água doce (como o calcário, por exemplo).

Há que se ressaltar, porém, que as engrenagens de duralumínio não estão presentes somente nos equipamentos Shimano recomendados para água doce. Todavia, pode ocorrer que a Shimano "relaxe" no sistema de vedação das carretilhas de magnésio. Mas isso é só uma hipótese minha...

Alguém consegue me esclarecer isso?

Abraço!

A areia e mais dura que o sal, portanto mais abrasiva.

E, pelo que eu vi, todas as ultimas carretas top da Shimano estao vindo com engrenagens em duraluminio, exceto a Curado 300 e a speedmaster. Mas estas especificacoes mudam sem aviso previo..., de forma que e dificil fazer uma lista confiavel ou atualizada.

De fato, as carretas da Daiwa tem muitas opcoes com engrenagens em duraluminio, todas as de magnesio (A Zillion continua em bronze).

Novamente ressalto que a falta de novos relatos me faz pensar que o processo de fabricacao melhorou e as engrenagens pretas pararam de falhar precocemente. (Ate devo observar que esse black almite e uma revolucao, mas apenas se fabricado com esmero para nao haver a minima trinca ou impureza...)

Mas ai eu esbarro com esse relato de outra tipo de falha, o desgaste / oxidacao da friccao; e ai resolvi colocar aqui. vergonha::

Sobre a Shimano "relaxar" com a vedacao, isso e minha opiniao tambem. Mas pelo que eu vejo, a Shimano ta relaxando demais porque cada hora e uma... As primeiras Metanium tinham em seu manual (ate onde eu saiba, segundo relatos) que eram seguras para agua salgada..., ou foi o que eu entendi na epoca em que varias corroeram o chassi na agua salgada (parece que isso tambem melhorou)... O magnesio nao deve mesmo ser usado na agua salgada porque qualquer risco na protecao ja vai expor o magnesio e havera a perda de eletrons que, com o tempo, ira comprometer a resistencia do chassi...

Obs: nao estou dizendo que eu mesmo nao va por uma carreta de magnesio na agua salgada vergonha:: , apenas digo que nao e recomendavel... medo::

Bom, foi so uma opiniao; continuo esperando a opiniao dos amigos!

Aquele abraco a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em um forum americano, foi perguntado a um funcionario da Shimano que presta assistência ao forum, qual é a diferença entre a engrenagem de alumínio e a de bronze. Esta foi a resposta dele:

"The aluminum is lighter but the brass will stay smoother for longer. Its also more forgiving under higher drag pressures."

Traduzindo:

"O alumínio é mais leve, mas o bronze vai ficar mais suave durante mais tempo. Seu também mais tolerantes sob pressão maior arrasto."

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cada equipamento tem sua aplicação.....Só para exemplificar: usar um aldebarn para pescar os gigantes amazônicos? Claro que não dá...acho que mesmo que suas engrenagens fossem em bronze. Então temos que comprar o equipamento que se adequa à pescaria que faremos.

Agora, Aldebaran para tucunas azuis, no sudeste e em serra da Mesa é mmuuuiiito boa...já comprovei com grandes exemplares...sem problemas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ouvi dizer por esses dias que a metanium mg, que tem um exelente freio, bem mais forte que outras do mesmo porte tipo chronarch 50 mg, se forem usadas com seu freio travado estão tendo dentes de sua engrenagem quebrados. Me parece que o freio é mais forte do que as engrenagens podem suportar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ouvi dizer por esses dias que a metanium mg, que tem um exelente freio, bem mais forte que outras do mesmo porte tipo chronarch 50 mg, se forem usadas com seu freio travado estão tendo dentes de sua engrenagem quebrados. Me parece que o freio é mais forte do que as engrenagens podem suportar.

Interessante este fato, mas vc sabe de algum caso real?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ouvi dizer por esses dias que a metanium mg, que tem um exelente freio, bem mais forte que outras do mesmo porte tipo chronarch 50 mg, se forem usadas com seu freio travado estão tendo dentes de sua engrenagem quebrados. Me parece que o freio é mais forte do que as engrenagens podem suportar.

Interessante este fato, mas vc sabe de algum caso real?

Sei sim, não tenho fotos e tal para demonstrar mais a pessoa que me falou é de confiança, e em outro forum eu já tinha visto relato sobre isso.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se registrar depois. Se você tem uma conta, CLIQUE AQUI para postar com a sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...