Ir para conteúdo

LucasPelicano

Membro
  • Total de itens

    148
  • Registro em

  • Última visita

Sobre LucasPelicano

  • Rank
    Já consegue zarar
  • Data de Nascimento 08-09-1990

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino
  • Nome + Sobrenome (obrigatório)
    Lucas carreiro Gonçalves

Informações de Perfil

  • Localização
    Brasilia - DF
  • Interesse
    Dicas, informações e troca de conhecimentos sobre pescaria.

Últimos Visitantes

1.083 visualizações
  1. Amigos. Voltei de viagem agora dia 17/08/2021. Ida e volta pela Azul. Juntamos 3 tubos de vara e despachamos como bagagem normal. Não criaram problemas. Com exceção um integrante do grupo que foi questionado se era equipamento de pesca. Caso positivo, teria que ser cobrado taxa extra. Ele de pronto mencionou que era banners. Material de trabalho. O pessoal ficou desconfiado, mas não cobrou taxa extra. Enfim, toda vez é esse mesmo drama. Complicado. A sugestão que sempre fazemos é juntar de 3 a 4 tubos de vara, embalar, e tentar despachar como bagagem normal. No caso de ser cobrado a taxa extra, dividimos entre o grupo e o valor fica mais em conta. Abs.
  2. Caros amigos pescadores, boa tarde. Estou querendo programar uma pescaria para janeiro/2022. Tenho preferência para Barcelos/SIRN. Não conheço a região. Sei que na época a temporada já estará no final. Contudo, já vi bons relatos. Poderiam me ajudar com algumas sugestões/dicas? De preferência, que sejam com bom custo benefício. Abraço à todos.
  3. Lumis viper. Gosto bastante.
  4. Sugestão. Rapala pinima. Mas o preço também será na casa dos 400 reais.
  5. Exatamente. Peixe muito brigador. Está no seleto grupo de peixes de couro que pula fora d’água.
  6. Bom dia, amigo. Tive a oportunidade de pescar duas vezes na região. Nessas duas vezes, eu fiquei hospedado na pousada recanto do maçarico. Na primeira pescaria, jan/2017, eu e meu irmão, pescamos 5 dias na região. 3 dias lago do maçarico, 1 lago do tracajá, 1 madeirinha. Na ocasião, fomos em busca do tucunaré e tiramos 1 dia para tentar peixe de couro no madeirinha. Pegamos um repiquete, mas mesmo assim conseguimos acertar alguns bons exemplares. Caso queria, fiz relato dessa pescaria aqui no fórum, mostrando fotos e detalhes. Não recomento a pescaria na madeirinha. 2:30 a 3h de barco para ser “atentado” pelos botos da região e sem ter sequer uma ação. Vejo que na região, eles não tem conhecimento/ técnicas para a captura dos exemplares de couro. Ou então, realmente seja muito difícil de acertar os peixes. Já na segunda pescaria, final de outubro/2020, pescamos 3 dias. 1 lago do maçarico, 1 alto juma, 1 lago do tracajá. Oportunidade em que fomos em um grupo maior, 14 pessoas. Estava bastante seco, águas baixas, barrentas e quentes. Não tivemos a mesma produtividade que na pescaria anterior. Saiu exemplares de no máximo 70cm e, uma coisa boa é que capturamos 2 pirarucus 80 cm. Sinal que estão preservando a espécie na região. Dessa vez, acertei mais peixes no lago do tracajá. Lá dentro, tem poucas pousadas. Os pescadores de outras pousadas podem pescar no local, mas tem o limite de 2 barcos por pousada. A identificação é feita por bandeira, e os donos pousadas são parceiras e uma ajuda a outra Outra informação que é bom frisar, é que cresceu consideravelmente a quantidade de pousadas na região, aumentando a pressão da pesca. No local, a cota é zero e não pode matar nem para comer no barranco. A pousada disponibiliza peixes de criatório para comer. Segue contato do Sr Moisés, da pousada recanto do Maçarico. Atendimento bom e o proprietário sempre atento para que os hóspedes tenham uma boa pescaria. 092 98821 6970. Equipamento que eu recomendo. Varas de 20lb, linha de 40 a 50lb. Iscas de fundo (jig de pena e spinner) cores variadas. Meia água (borá 10 e 12) branca e cabeça vermelha. Tentei iscas de superfície, porém com produtividade apenas em locais bem raso, na pesca de traíra. Acho que é isso. Boa pescaria.
  7. Amigo, se pretende ir atrás das grandes Piraibas, sugiro ir para Silvania ou Santa Tereza. Contudo, não tenho contato de guias da região. O que pode pensar a fazer é contratar guia de Luís Alves para fazer a operação.
  8. Exatamente. Não foi fácil, mas saíram alguns bocudos. Abs.
  9. Verdade. E no calor que estava, acredito que ficariam mais felizes. Boa dica. Abs.
  10. Fala Rochinha. Realmente eu não sei. Tem chance de ser índio, por ser na entrada da reserva. Depois que saímos de lá, o guia comentou que não viu eles se aproximando. Caso contrário, tinha saído de perto. Falou o que são “pidões” mesmo, é que se brincar, tinha mais iscas do que eu. Hahahaha
  11. Estava lá na mesma época. Pescaria foi bem difícil mesmo. Pelo visto acertaram mais que a minha turma. Parabéns pelos peixes e por compartilhar o relato conosco. Ahhh... essas duas crianças da foto eu também conheci. Patrícia e Átila. Ficaram de me mostrar o esconderijo dos bocudos, mas saíram correndo com um spinner e um jig na mão. Hahahahaha Abs.
×
×
  • Criar Novo...