Ir para conteúdo

CarlosGaucho

Membro
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

Sobre CarlosGaucho

  • Rank
    Pescador de Lobó
  • Data de Nascimento 16-10-1980

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino
  • Nome + Sobrenome (obrigatório)
    Carlos "Gaúcho" Cunha
  • Sobre mim
    Advogado e empresário. Apaixonado por pesca (iscas artificiais, principalmente tucunaré), futebol (S. C. Internacional), churrasco, cerveja e viagens.

Meu contato

  • Website URL
    http://www.instagram.com/carlosgaucho1909

Informações de Perfil

  • Localização
    Uberlândia - MG
  • Interesse
    Pesca em geral, especialmente com iscas artificiais

Últimos Visitantes

159 visualizações
  1. Além das citadas (a Spitfire tem a peculiaridade de não ter ratling, as vezes ajuda com peixe manhoso), sou fã da Magic Stick (pra mim a mellhor nesse trabalho de provocar o peixe quase sem sair do lugar), Sticknina e João Pepino. Boas e baratas!
  2. Acompanho os relatores, 128 com 2 garateias
  3. Meus melhores resultados lá em junho/19 foram com Magic Stick 90 branca, T20 osso, Brava 90 branca cabeça vermelha e Sara Sará 100 pérola
  4. Já comprei de tudo e, especialmente com tralha de pesca, nunca tive problemas, tudo chegou certinho, geralmente rápido e sem taxação, inclusive carretilhas mais caras (já comprei Curado XG, Abu Garcia Revo Rocket etc). Única coisa que geralmente nem enviam são varas, inclusive pq nosso correio não entrega objetos com mais de 1m. Mesmo assim já comprei umas UL bipartidas e chegaram de boa. Além das marcas tradicionais, recomendo as iscas da Seaknight e os molinetes e carretilhas da Kastking, bom custo benefício ainda, apesar de não serem mais as pechinchas da época do dólar = 3 ou 4 reais.
  5. Mas óbvio que o principal são as questões relativas à saúde, tanto nossa quanto dos outros. Aí vou falar sobre os cuidados que eu vou tomar, especialmente para não arriscar levar a doença para locais tão distantes (Uberlândia no momento está com índices de contaminação "galopantes"). Estou respeitando de forma bem restrita as questões de distanciamento (praticamente isolamento, como tenho a possibilidade de trabalhar de casa, tenho ficado mais no rancho na represa do que na cidade), contato só com mulher e filhos, máscara quando é inevitável sair etc. Nas duas semanas antes da viagem, caso realmente esta vá ocorrer, pretendo me isolar totalmente, pra ter certeza de não estar levando contaminação (porém temos o risco dos voos lotados de desconhecidos, o jeito é confiar na máscara e nos cuidados). Em Manaus, nada será como antes. Infelizmente, nada de barzinho, almoçar no Amazônico, passear no shopping e ir na Sucuri, estabelecimentos noturnos etc. Do Aeroporto pro hotel pro aeroporto, comida delivery ou room Services, tudo pra poder pescar sem prejudicar a mim ou aos outros, se é que isso é possível. Agora, pra não ficar só nas coisas ruins, pelo menos uma coisa "boa" pode acontecer nessa temporada. Coloco entre aspas porque esse "boa" ocorrerá a custa de muitos empregos. Acho (e muitos com quem tenho conversado, pescadores experientes, operadores, dono de barco, dizem o mesmo) que teremos uma temporada com pressão de pesca bastante reduzida, com menos de 50% do número habitual de barcos e pescadores na água, o que provavelmente levará a melhores resultados na pesca. Mas preferia que não fosse assim, pois muitos que vivem dessa "indústria" sairão prejudicados, principalmente os pequenos e mais pobres.
  6. Boa noite, pescadores! Essa é minha primeira participação no fórum e justamente numa questão tão delicada e que tem inquietado a quase todos. Vou passar um pouco do que penso, tenho como "estratégia" (se é que é possível ter alguma), planos etc para essa temporada Amazônica. A princípio, tenho 3 pescarias programadas: 1) Rio Acari - 12 a 17 de agosto: essa eu fechei a pouco tempo, com uma entrada de 30% e o combinado com a agência que costumo fazer minhas pescarias (e que tenho boa relação e confiança no proprietário) de pagar o restante 15 dias antes, podendo cancelar sem custo e manter o crédito "na casa" para próximas viagens (já fiz isso antes, até por questão de "rio cheio"). Fechei tendo conhecimento de ser bem provável que não tenha como ir, seja pelas condições da pandemia em Manaus (parece que estão melhorando), seja por voos (estão comprados com milhas com a Azul, mas sabe-se lá se ocorrerão). 2) Rio Mutuca - 19 a 25 de setembro: essa já está 100% paga, é uma turma da loja de pesca que frequento aqui em Uberlândia, com uma grande operadora, então creio que, por alguns dos motivos citados antes (condições de saúde, voos, etc), não terei problema em cancelar. 3) Barcelos (Super Açu) - 31/01 a 07/02/2021: essa, por faltar mais tempo, é a que tenho mais "certeza" e, por isso, caso não ocorra, a que ficarei mais decepcionado, as outras já estou mais ou menos conformado de que podem não ser possíveis. Essa ainda não paguei, mais provavelmente farei da mesma forma do Acari (entrada + restante 15 dias antes). O que já observo, por ser uma turma que esteve junto na operação este ano, na mesma época, é que muitos não vão nessa temporada, especialmente os mais velhos, o que é totalmente compreensível. O operador tem nos garantido que a temporada ocorrerá normalmente e que já estão sendo planejadas medidas para diminuir os riscos. Mas, óbvio, tudo ainda é muito incerto. O que desde já eu, como cliente, já tenho adotado é buscar formas de mitigar os riscos, principalmente os financeiros. Para isso, acho que uma das principais formas é conhecer bem a agência e operadores e, inevitavelmente, as grandes acabam sendo mais confiáveis, não porque as pequenas não sejam honestas, de forma alguma, mas estão ainda mais sujeitas às intempéries econômicas que virão.
×
×
  • Criar Novo...