Ir para conteúdo

Allen Gadelha

Membro
  • Total de itens

    13
  • Registro em

  • Última visita

1 Seguidor

Sobre Allen Gadelha

  • Rank
    Pescador de Lobó
  • Data de Nascimento 30-09-1972

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino

Meu contato

  • Website URL
    http://sauadaua.blogspot.com

Informações de Perfil

  • Localização
    Manaus - AM
  • Interesse
    Pesca Esportiva, Atividades de Ecoturismo e ações de sustentabilidade e preservação.

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Senhores, eu como Presidente da ABOT – Associação Barcelense dos operadores de Turismo, e como amigo de muitos que estão aqui nesse renomado fórum, venho aqui esclarecer alguns pontos: Todos as empresas sérias (e olha que são poucas) estão preocupadas sim com a matança de tucunaré no rio negro e eu, juntamente com nossa diretoria: Ian, Mega, Marlon e Wellington estamos trabalhando duro para reveter esse quadro. Infelizmente, são poucos os que se interessam ou tem a devida coragem para arregaçar as mangas e fazer algo. Eu e nossa diretoria temos recebido ameaças frequentes de representantes da pesca profissional por estarmos “desagradando grandes interesses”. Aliás, eu não recebo absolutamente nada para presidir a ABOT, meu negócio é modesto e o faço porque tenho um vínculo afetivo muito grande com o município, antes mesmo de se falar em pescaria esportiva no médio Rio Negro. Muito fácil criticar ou dizer que a ABOT é uma piada e ficar na frente de um computador ditando regras. Infelizmente, vivemos num país que esse sim é uma piada. Se você for um idealista romântico e sem grana, nada acontece. A ABOT não tem apoio político e hoje não tem nenhum político importante brigando por preservação do médio rio negro. Se hoje ainda tem tucunaré na nossa região, não tenho dúvida em afirmar que o mérito é nosso e de poucos empresários que no passado bateram de frente contra os interesses da pesca profissional. Para quem desconhece, em 2014 estivemos debatendo a situação do médio rio negro com a SDS – Secretaria de Desenvolvimento Social e Meio Ambiente do Estado do Amazonas e naquela oportunidade a Federação de Pesca do Amazonas já tinha feito vários pleitos junto ao Estado e ao Conselho Regional de Pesca para derrubar o decreto e liberar definitivamente a pesca profissional no médio rio negro e só não o fez porque estivemos lá presentes fazendo o contraponto e atuando. Mas a luta é desigual – enquanto a Federação de Pesca do Amazonas coloca em qualquer reunião com o Estado mais de 1000 associados, nós não conseguimos nem 20 interessados em salvar a pesca esportiva. Ninguém tem tempo para isso! Aliás, ninguém perde tempo com isso! Afinal o peixe é alimento e não hobby! Para os desinformados, os políticos enxergam as federações de pesca e colônia de pescadores como eleitores e não como predadores dos rios. Até dezembro/15 nós tínhamos dois instrumentos importantes: o decreto estadual e a portaria municipal.Hoje temos apenas o decreto. A Prefeitura de Barcelos, alegando ilegalidade e ação judicial recebida pela Federação de Pesca do Amazonas, revogou a portaria municipal que proibia a pesca comercial do tucunaré em Barcelos. Além disso, Dona Dilma, ao cancelar o seguro defeso dos pescadores – não pago até agora - deu carta branca para os pescadores de todo Amazonas, não somente os do rio negro de matarem tudo em todos os rios da bacia Amazônica. Alguns senadores e deputados conseguiram reverter o não pagamento do seguro defeso na justiça mas ainda não foi pago – provavelmente em fevereiro o governo comece o pagamento (se tiver dinheiro pra isso). Não é difícil que os geleiros queiram chegar em Santa Isabel organizados pela Federação de Pesca do Amazonas. O prefeito de Barcelos está cassado, o município estagnado e o turismo abandonado. Secretaria de Meio Ambiente não tem estrutura, nem recursos para fiscalizar (inacreditavelmente)!! A taxa de pesca que era cobrada dos turistas nunca foi destinada a fiscalização ambiental ou estruturação da Secretaria de Meio Ambiente. Portanto, não achamos justa nem legal a cobrança da mesma. Como a Prefeitura de Barcelos não fiscaliza os rios, seria no mínimo antiético que as empresas de turismo exigissem que seus clientes a pagassem. Esse ano tem eleição municipal em Barcelos e teremos a chance, enfim de termos a atividade de turismo abraçada pela Prefeitura assim como acontece em diversos estados e municípios do Brasil que possuem uma atividade de turismo forte e promissora. Entendo que essa luta não é apenas dos operadores de turismo ou quem depende da atividade, mas de todas as pessoas e pescadores conscientes que amam nossa região e não querem ver o turismo de pesca esportiva sucumbir a essa atividade de pesca profissional em Barcelos. Hoje dependemos exclusivamente do Governo do Estado para fazer fiscalização em Barcelos e na imensidão do médio rio negro, amparado no decreto estadual apenas. Entretanto, as fiscalizações são esporádicas e só acontecem quando recebem grande número de denúncias e muita pressão da sociedade e das empresas. Semana passada, nosso diretor superintendente, levou toda essa pauta pesada para diversos órgãos no estado – Amazonastur, Ipaam, Ibama, Policia Ambiental, Secretario de Pesca do Estado e estamos perto de chegar ao governador José Melo – que também está cassado mas deve se manter no cargo por força de liminar. Peço, portanto, que cada um que se manifestou aqui – alguns sem conhecer a fundo o que está ocorrendo – liguem ou enviem e-mail para os canais abaixo e façam suas denúncias. Se todos se unirem a favor dessa causa e fizeram pressão nos órgãos que deveriam fiscalizar e cuidar desse patrimônio, tenho certeza que podemos reverter essa situação. Agora se apenas eu e meia dúzia de empresas e interessados fizerem algo, certamente que não vai mudar. Peço inclusive ao nosso amigo Fabiano, que tive o prazer de conhecer em janeiro lá no alto aracá, faça o mesmo e denuncie também. Uma hora, nossos governantes vão entender que o tucunaré vivo vale muito mais do que morto e que o próprio Amazonas pode perder uma receita muito grande com turismo nacional e internacional no médio rio negro. Poderia ficar um ano escrevendo sobre ações que foram tomadas e que podem ser tomadas...mas quem se interessa? Abraço a todos! Canais de denúncia: IPAAM – Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas Telefones: (92) 2123-6700, 2123-6715, 2123-6755 e-mails: imprensaipaam@gmail.com / ipaam@ipaam.am.gov.br Linha Verde: 0800-2808283 / (92) 3236-3200 IBAMA: Linha Verde: 0800-61-8080 e-mail:linhaverde.sede@ibama.gov.br Policia Ambiental do Amazonas: Telefones: (92) 3239-2431 / (92) 3239-2038 / (92) 8817-4749 / (92) 8173-7320 E-mail: batalhaopmambiental_am@hotmail.com
  2. Caro Luiz, quero agradecer o excelente relato e as referências feitas ao nosso trabalho. Eu, assim como vocês, também fiquei muito preocupado com o resultado dessa pescaria e com um pouco de sorte, conseguimos driblar o famigerado repiquete. Demoramos a encontrar o peixe, mas graças a Deus nos o encontramos. Pescar na Amazônia é sempre um desafio...principalmente agora em tempos de aquecimento global e mudanças radicais no tempo. É bom deixar claro que esse tipo de esquema é para pescadores que não se preocupam muito com a falta de conforto, com os insetos (piuns) e em fazer esforço físico para estivar e varar lago.Vocês nesse ponto foram fundamentais para o resultado final da pescaria. Se tivessem esmorecido no primeiro obstáculo, a pescaria não teria sido tão boa - lembra do primeiro lago que varamos e não deu em nada? É meu amigo, tem uma frase de um antigo dirigente corintiano que reflete muito bem o que passamos: "Quem está na chuva é pra se queimar"...kkkkk. Forte abraço a você, Rafa, Rafão e Tiago.
  3. Quero aproveitar a oportunidade para agradecer pelo belo relato feito por nosso amigo Beto Caranha e pedir desculpas por ter sido o responsável pelo apelido que a moçada resolveu te contemplar...kkkkk. Uma das melhores pescarias realizadas esse ano neste rio. Não consigo parar de ver a foto dos dois açus na helice! Forte abraço a todos.
  4. Em primeiro lugar quero aproveitar para agradecer o belíssimo relato e referências feita pelo nosso amigo Rodrigo Delage - cantor, poeta e escritor - assim como toda a turma capitaneada pelo comandante Gustavo Stringueta e pelo grande pescador Odirlei Borin. Pescar na Amazônia e acertar a semana é sem dúvida para poucos privilegiados. Muitos são os fatores que influenciam no resultado final da pescaria. Lembro que conversando com o grupo durante a pescaria pedi para que não publicassem no relato os nomes dos locais (lagos) que pescamos para que não fossem excessivamente pescados por outras empresas. Bem, depois da publicação do relato, estive nesse rio com mais dois grupos e o que vi foi pelo menos 10 operadores literalmente exaurindo cada lago e ponto de pesca desse rio. Algumas empresas que nunca tinham pescado por lá começaram a operar nesse rio e o resultado todos nós já sabemos - não pegamos nem 20% dos peixes ora já pescados e como dizemos por aqui "arriscados" pelo excesso de operadores no rio. Então, pensando melhor é bom que os relatos não divulguem nem o rio onde estiveram pescando e deixar esse ponto de interrogação para que o rio e os peixes não sofram com a ação excessiva de pesca (ainda que esportiva). Forte abraço a todos!
  5. Segue link contendo artigo onde demonstra claramente os absurdos que as ONGs estão fazendo em Barcelos, no alto e médio rio negro. http://barcelosnanet.com/cultura/demarcacao-de-terras-indigenas-em-barcelos-o-impasse-continua/ Seria muito bom que alguém em Brasília, através de algum contato com políticos leva-se esse caso especifico ao conhecimento público e da Polícia Federal (o entendimento de todos aqui em Barcelos é que as ONGs se transformaram em quadrilhas articuladas e organizadas, fraudando todo o processo de demarcação) O artigo tem informações relevantes e denúncias sérias sobre todas as estratégias fraudulentas adotadas pelas ONGs para conseguir a demarcação na região.
  6. Senhores, A quem interessar, segue o link referente ao questionamento que diversas associações, cooperativas e sindicatos de Barcelos estão fazendo junto ao MPF quanto a questão de demarcação indígena.(Todos estão se posicionando contrários a demarcação nos moldes em que está sendo proposta) Estamos falando em aproximadamente 10.000 pessoas prejudicadas (principais segmentos econômicos do município) no caso de uma demarcação no médio rio negro com fechamento de seus principais rios. http://barcelosnanet.com/?p=5993
  7. Amigos, eu conheço bem a realidade local, apesar de não ter nascido aqui, toda minha família por parte de pai é procedente de Barcelos e eu mesmo, tenho uma relação com a cidade desde minha infância.Meus Avôs e bisavôs, ajudaram na construção e no desenvolvimento da cidade. Meus familiares não tem origem indígena, aliás todos de árvore genealógica nordestina. Hoje estou morando em Barcelos e todos os dias recebo visitas de muitas pessoas, trabalhadores e amigos preocupados com essa possível demarcação. Muitas pessoas temem que Barcelos venha a se transformar numa imensa área de conflito e que fiquem sem sua renda mensal, sem o ganha pão diário. Aliás, a maioria da população barcelense é contrária a demarcação. Oriento a todos que procurem seus representantes políticos e que solicitem uma posição oficial do poder público municipal sobre o assunto e que procurem também a promotoria municipal. Não posso fazer muita coisa por essas pessoas, não sou político, nem tenho muitos recursos, mas por outro lado, como brasileiro e conhecedor de nossa realidade, o que posso fazer é orientar e instigar o questionamento. Pode ser que realmente essa demarcação indígena no médio rio negro aconteça, mas é bom que todos saibam que estamos questionando oficialmente ao MPF: - O que vai acontecer com aprox. 10.000 barcelenses que dependem diretamente ou indiretamente dos rios da região para execução de suas atividades econômicas (turismo, extrativismo inclusive da piaçava,trabalhadores rurais, pescadores artesanais do peixe ornamental e profissionais)? Será que terão que pagar para adentrar os rios e exercer suas atividades econômicas em sua própria região? - Qual o critério foi usado pelos representantes da entidades não governamentais para classificar caboclos ribeirinhos organizados em comunidades como índios? - Será que irão contratar um serviço de antropologia isento, não vinculado a nenhuma das partes para dar andamento no processo, de forma a visitar e entrevistar todas as comunidades, morador por morador, família por família? - Porque os verdadeiros índios localizados nas aldeias tradicionais e a centenas de quilômetros das comunidades que estão pleiteando a demarcação são contrários a demarcação? - Porque algumas pessoas de origem nordestina,mestiços e brancos estão classificados como índios? - Porque a maioria dos comunitários que estão pleiteando a demarcação não falam qualquer dialeto ou idioma indígena? - Será que os caboclos ribeirinhos em função de sua simplicidade, humildade e pouca instrução foram influenciados e aliciados por representantes dessas ongs a serem classificados como índios? (fui informado por algumas pessoas que já prometeram saúde, educação, motor rabeta, etc...isso nao configura crime? não é o município, o governo e a funais que devem cuidar disso?) - A Funai, hoje em Barcelos não tem sequer motor de popa funcionando e atende precariamente os índios já existentes.Como vai assimilar um contingente maior ainda de "índios"? - Será justo uma minoria de caboclos ribeirinhos serem gestores de uma área maior que 70% do território de Barcelos? - Qual o papel em nossa região da Cooperativa Austríaca para o Desenvolvimento, Horizont3000, Organização Austriaca de Cooperação ao Desenvolvimento, Moore Fundation, Rainforest Foundation Norway, Aliança pelo Clima. Será que nossas reservas de nióbio, tantâlita, ouro, etc e toda biodiversidade da floresta e rios estarão protegidas após a demarcação? Que mecanismo o governo brasileiro usará para que não haja transferência de nossos recursos e biopirataria? -Será que vão negociar o nosso potencial de captura de carbono na bolsa do clima de Chicago? Quem vai ganhar se isso acontecer? - O que vai acontecer com as áreas tituladas e imóveis rurais? - Será que essas organizações estrangeiras vão assimilar e dar emprego a 10.000 barcelenses? - Quanto essas organizações não governamentais e seus representantes receberão de seus financiadores internacionais se essa demarcação acontecer? Tenho recebido diariamente diversas informações, não comprovadas logicamente, de pessoas que vão receber alguns milhares de dólares se a demarcação acontecer. Não somos contra a legitimidade dos direitos indígenas, assegurados pela CF, mas acreditamos que todas essas questões devem ser respondidas para que assim, o processo seja realmente transparente e que os verdadeiros povos indígenas sejam os principais beneficiados numa possível demarcação. Forte abraço a todos,
  8. Solicito aos nossos amigos pescadores esportivos, turistas e comunidade de Barcelos, face as sistemáticas invasões de barcos pesqueiros geladores ditos "estrangeiros" no município de Barcelos (calha do médio rio negro), com utilização de redes de arrasto - o que por si só já configura crime ambiental - e paralelamente as ações que estão sendo tomadas em âmbito local, estadual e federal, que LIGUEM E ENCAMINHEM suas denúncias ao IPAAM-Manaus através da Linha Verde (0800 280 8283/3236 3200,e-mail: ipaam@ipaam.am.gov.br) e no próprio IBAMA através do telefone 0800-618080,e-mail: linhaverde.sede@ibama.gov.br)...Nosso objetivo uma vez enchendo tais órgãos de denúncias, PRESSIONA-LOS para que ações imediatas e enérgicas sejam tomadas no município. Estamos iniciando um trabalho junto a Associação dos Operadores Turísticos de Barcelos e a despeito da omissão do poder público municipal, estadual e federal vamos iniciar uma grande mobilização para salvar os rios de nossa região. Estimamos que hoje, estejam saindo de nosso rios, pelo menos 50 toneladas mensais de pescado sem qualquer tipo de controle. Todos sabemos que o alvo principal dessas embarcações são os grandes tucunarés e peixes de couro. Os órgãos que tem poder de fiscalização como as Secretaria de Meio Ambiente, IPAAM e IBAMA não tem feito nada para coibir apesar de todas as denúncias que temos feito. Solicito que os advogados, juízes, promotores e demais autoridades que participam deste fórum e que pescam regularmente na região, possam somar forças e nos auxiliem com sua influência política junto a Brasília e junto ao poder público. Queremos no mínimo a fiscalização imediata da região. Contamos com a ajuda de todos. Todos unidos teremos mais força para reverter a situação.
  9. Gostaria de agradecer sinceramente ao Fabrício, Fábio, Jaime e Cristiano antes de tudo pelo privilégio de poder ter sido o operador de vocês nessa aventura mas também pelo prazer da amizade que foi feita. Vocês são pessoas simples, humildes e nota 10 em todos os aspectos. Como pescadores estão acima da média, tanto que até os piloteiros, acostumados com pescadores normais, ficaram impressionados com o índice de acerto nos arremessos, no trabalho das iscas e na insistência quando acreditavam ter encontrado um lugar promissor. Quero parabenizar o Fabrício pelo relato que ficou show de bola e mostrou com objetividade e clareza como é uma aventura desse porte. ::thanks Muito obrigado pelas referências feita ao nosso trabalho. A cada nova aventura vamos fortalecendo os pontos positivos e melhorando os negativos. Assim como vocês, fiquei extremamente frustrado quando demos de cara com o famigerado repiquete lá no alto aracá, mas por outro lado o esforço e dedicação de vocês os premiaram com belos exemplares, imagens e histórias que ficarão para sempre em nossas memórias. Forte abraço a todos. ::thanks doeu:: joia:::
  10. Conheço o Dadá a quase cinco anos, sou casado com a filha dele...e sem a mínima intenção de fazer o papel de advogado dele vou me posicionar sobre esse tópico...O Dadá é uma pessoa simples, humilde, com pouco estudo, sem posses ou empresa de turismo...é um profundo conhecedor do rio negro e de vários afluentes...conversei com ele sobre o fato relatado neste forum...ele teve seus problemas e disse que conversou olho no olho com o Sr Vitor explicando o ocorrido. Na minha opinião ele teve sua cota de erro mas como homem que é, explicou o que aconteceu e ajudou na solução do problema junto ao Rogério do Hotel...Já trabalhei com ele em minha empresa de pesca esportiva e nunca tive qualquer tipo de problema...sempre foi muito elogiado pelos pescadores em todos os aspectos inclusive na honestidade e no fato de conhecer a região como poucos. Conheço vários pescadores que pescam com ele e só me dizem coisas boas. O fato é que ele vive praticamente do trabalho de piloteiro autonomo na temporada de pesca e não tenho dúvidas que esse post vai prejudicar muito ele no aspecto financeiro. Conheço vários pescadores que me procuraram porque foram mal atendidos ou enganados em Barco-Hotel...compraram um pacote e na prática aconteceu tudo diferente. Então, temos que ter muito cuidado antes de "queimar o filme" de alguém e muito menos generalizar uma ou outra ocorrência. Se o Dadá fosse tudo isso que foi pixado, eu não teria nenhum problema em reafirmar o que foi escrito pois acho que honestidade é transparência são pre-requisitos fundamentais para quem presta serviço em qualquer área. abraço a todos!
  11. Prezado Alexandre, Em Barcelos, o foco principal é realmente a pesca esportiva dos grandes tucunarés. Por conta disso o Treeking é muito pouco explorado na região apesar de existir uma procura paralela bem regular. São pouco locais apropriados para observar a rica fauna e flora da região. Só para você ter uma idéia do potencial de ecoturismo da região, em Barcelos estão localizadas a maior cachoeira do Brasil (a cachoeira do Eldorado com quase 400m de queda d'água) e o abismo Guy Collect (o maior abismo vertical do Brasil e um dos maiores da America Latina com quase 700m de profundidade) todos localizados na serra do Aracá. Além da Própria Serra do Aracá, tem outras serras como a Serra do Amajaí, Serrinha, e centenas de igarapés. Eu tenho uma grande propriedade de floresta preservada em Barcelos (no Rio Aracá) e estou iniciando um trabalho voltado para o ecoturismo, trilhas, mergulhos, observação de passáros, peixes, animais nativos, flora, etc. Veja mais informações no bloghttp://sauadaua.blogspot.com. Forte abraço.
  12. Sou amigo e genro do "Seu Dadá" e ele é tudo isso realmente...se o rio não estiver pra peixe ele não vai enganar ninguém dizendo que está tudo ótimo. O cara conhece como ninguém o comportamento dos peixes e os bons locais de pesca em Barcelos. Com o final de temporada de pesca esportiva 2009/2010, estamos iniciando atividades voltadas para o ecoturismo e trilhas (muito carentes em Barcelos). Tenho uma grande área de floresta preservada no munícipio com muitas trilhas, própria para ecoturismo (observação de passáros, animais terrestres, flora, peixes ornamentais, mergulho em igarapés de águas azuis e cristalinas, etc). mais informações no blog http://sauadaua.blogspot.com..
  13. Olá pessoal, meu nome é Allen Gadelha, tenho 37 anos e adoro pescaria e trekking. Moro em Manaus/AM, mas de 2 em 2 meses volto a minha segunda casa localizada em Barcelos/AM, onde estou iniciando algumas atividades voltadas ao ecoturismo e trilhas (muito carentes no município). Tenho uma grande área de floresta preservada no munícipio (mais informações em http://sauadaua.blogspot.com) ,onde estou iniciando este trabalho. Sou amigo e genro do famoso guia Adalberto Rodrigues, mas conhecido por todos como "seu Dadá", que faz parte da história de vários pescadores que estiveram em Barcelos e utlizaram os serviços dele (já vi vários relatos positivos sobre ele neste fórum). Tenho muito a aprender, fazer novas amizades e trocar informações. Abraço a todos Allen
×
×
  • Criar Novo...