Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

Entre para seguir isso  
Pesca Pesada

Regulagem de fricção

Posts Recomendados

Bom confesso que na grande maioria das vezes regulo a fricção , na sensibilidade, observando se esta forçando muito o equipamento e tal, e já observei que tenho costume de deixar ela um pouco mais solta do que os demais pescadores, so fecho ela bastante quanto estou em um local com muito enrosco.

Sei que tem a teoria de regular com ¼ da resistência da linha mais não costumo usar essa técnica.

O que não entendo é o que já observei algumas vezes em programa de pesca: no penúltimo pesca alternativa o Nelsinho pescando robalos começou a falar: nossa o peixe é muito grande pro equipamento não to conseguindo segurar, repetindo isso varias vezes dando a entender que o peixe estava tomando muita linha, o que eu pessoalmente não estava achando, daí vejo ele travando o carretel com o dedo por varias vezes, já tinha visto isso antes e sempre achei estranho. Depois que ele tiro o peixe da água, fez comentário: Nossa não tava conseguindo segurar o peixe???? e tive que ir travando o carretel com o dedo.

Olha, isso não faz nenhum sentido para mim, pra mim uma fricção bem regulada serve para não estourar a linha e nem deixar o peixe correr muito, então qual o sentido de travar o carretel ? Não é muito arriscado estourar a linha nessa hora?

Até mais.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A linha ou a vara!!!

Sou da sua opinião Pesca Pesada, mas não sou a favor de perder peixe!!!

Dúvida cruel essa que você postou!!! :lol: :lol: :lol:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olha pesca pesada, ano passado no TO eu tive uma corrida de um tucunare grande. Ai como era totalmente leigo no assunto meti o dedão no carretel da carretilha, sabe o q aconteceu???

A garateia abriu e eu fiquei com cara de tacho.

Agora sobre regular a fricção sou da seguinte opinião.`

Para tucuna aperto bem, mas bem mesmo, não deixo no talo mas fica bem apertado. Agora para os outros peixes q pesco deixa a meia boca.

Sobre os peixe de couro acho q vc deve deixar apertado para eles não irem para loca.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Meu ponto de vista :

:arrow: A fricção funciona para não levar a resistência da linha ao seu máximo, fazendo com que a mesma se parta...

:arrow: A recomendação técnica é a descrita pelo Pesca Pesada, mas são poucos os pescadores que seguem a risca...

:arrow: Não se esqueça que "gravando" um programa, é preciso adicionar um pouco de "adrenalina" nos espectadores, não necessariamente verdadeira ! Acredito que se o conjunto for "insuficiente" para "puxar o peixe", ele precisará ser mais e melhor trabalhado, e isso leva mais tempo para tê-lo em condições de embarque... ( e haja tempo de gravação... )

:arrow: Essa "técnica" de usar o dedo, é quase sempre uma marca registrada da ansiedade do pescador em não querer perder o peixe ! Pode sim comprometer a ação da vara e da própria resistência da linha, gerando sua quebra...

:arrow: Nos peixes de couro, a situação em nada se altera ! Refiro-me a questão da fricção ! Muitas vezes se usa uma linha de maior resistência, exatamente para se ter mais possibilidade de luta, evitando a ida para o enrosco, mas lembre que em termos de esportividade, é um retrocesso...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bueno, vou responder dentro do que aprendi e aplico.

Deve-se usar a fricção em 1/4 da resistencia da linha para, quando der-mos a ferrada não estourar a linha. Se ajustarmos a fricção no limite da resistencia da linha alem do peixe nos deixar no dedo é possível que fiquemos sem a vara ou com uma vara em dois ou mais pedaços. A fricção funciona como um ABS ela freia mas não bloqueia a saida da linha par proteger o equipamento de possíveis quebras e também para cansar o peixe. Tá mas e o dedo na linha? Ele serve como um complemento da fricção e não deve ser aplicado com a intenção de bloquear a saida da linha e sim para aumentar um pouco o "peso" que o peixe tem que puxar, cansando mais rapidamente. Nunca travar o carretel pois aí a vantagem é toda do peixe.

Até peixe pequeno faz estrago no material se este estiver mal regulado.

Como fazer ? É bem simples, numa loja de ferragem voce compra uma roldana, daquelas de varal e não precisa ser muito grande, prende em algum local onde possa passar a linha com com espaço par manipular a var com o molinete/carretilha(eu uso uma soleira de porta), monta o equipamento como se fosse pescar. Com o equip. montado, voce passa a linha pela roldana e prende um peso equivalente a resistencia desejada.

Com a fricção fechada voce levanta(suavemente) este peso e vai aliviando a fricção lentamente até que o peso começar a descer suavemente. Aperte um pouco de novo, o suficiente para que o peso suba ao recolher a linha e afouxe o botão até que o peso volte a descer. Está pronto para a "guerra" sem medo de perder o "bruto". Eu costumo, ao terminar a pescaria, soltar tudo de novo para não "viciar" os discos da fricção. Mas isto depende da vontade de cada e dafrequencia com que pesca.

Espero ter ajudado.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu regulo sempre do mesmo jeito, depois com o peixe fisgado vou apertando se necessário.

Seguinte - puxo a linha com a mão, se soltar com certa dificuldade - tá legal.

Pra peixe que suga a isca é otimo ( pintado cachara etc), pois quando der a fisgada, e a isca não esta completamente em sua boca, ele volta. Já travada - acredito que assusta. ( Não vale pra pirarara - pois ela propria se fisga e vai pra pauleira)

Enfiar o dedo no carretel e não queimar é figuração televisiva. Alias perdi esta mania depois que o dedão ficou em carne viva.

Quanto a linha de maior resistencia...Parodiando o Kid - Não quero causar polemica - então calo-me!!! :P :P

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Como fazer ? É bem simples, numa loja de ferragem voce compra uma roldana, daquelas de varal e não precisa ser muito grande, prende em algum local onde possa passar a linha com com espaço par manipular a var com o molinete/carretilha(eu uso uma soleira de porta), monta o equipamento como se fosse pescar. Com o equip. montado, voce passa a linha pela roldana e prende um peso equivalente a resistencia desejada.

Com a fricção fechada voce levanta(suavemente) este peso e vai aliviando a fricção lentamente até que o peso começar a descer suavemente. Aperte um pouco de novo, o suficiente para que o peso suba ao recolher a linha e afouxe o botão até que o peso volte a descer. Está pronto para a "guerra" sem medo de perder o "bruto". Eu costumo, ao terminar a pescaria, soltar tudo de novo para não "viciar" os discos da fricção. Mas isto depende da vontade de cada e dafrequencia com que pesca.

Espero ter ajudado

PAPAY - POR FAVOR NÃO LEIA ISSO - SE VOCE TENTAR DO JEITO QUE ESTABANADO - SE MATA....

CSCHMITT - POR FAVOR NÃO COLOQUE ESTE TIPO DE ENGENHOCA - PAPAY VAI QUERER FAZER E MODIFICAR - AÍ O CALDO ENTORNA DE VEZ

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Como fazer ? É bem simples, numa loja de ferragem voce compra uma roldana, daquelas de varal e não precisa ser muito grande, prende em algum local onde possa passar a linha com com espaço par manipular a var com o molinete/carretilha(eu uso uma soleira de porta), monta o equipamento como se fosse pescar. Com o equip. montado, voce passa a linha pela roldana e prende um peso equivalente a resistencia desejada.

Com a fricção fechada voce levanta(suavemente) este peso e vai aliviando a fricção lentamente até que o peso começar a descer suavemente. Aperte um pouco de novo, o suficiente para que o peso suba ao recolher a linha e afouxe o botão até que o peso volte a descer. Está pronto para a "guerra" sem medo de perder o "bruto". Eu costumo, ao terminar a pescaria, soltar tudo de novo para não "viciar" os discos da fricção. Mas isto depende da vontade de cada e dafrequencia com que pesca.

Espero ter ajudado

PAPAY - POR FAVOR NÃO LEIA ISSO - SE VOCE TENTAR DO JEITO QUE ESTABANADO - SE MATA....

CSCHMITT - POR FAVOR NÃO COLOQUE ESTE TIPO DE ENGENHOCA - PAPAY VAI QUERER FAZER E MODIFICAR - AÍ O CALDO ENTORNA DE VEZ

:shock:

:shock: :shock: desculpe ter pensado :shock: :shock: não entendi nada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu só digo uma coisa.. cada um tem a sua maneira de usar a fricção. Se acho que está mal regulado e saindo muita linha. Aperto mais. Se isso não adiantar, utilizo a Fricção secundária! (Polegaricção)

Agora eu to com pena do Papay.. hj ele foi pego para cristo. heheheheheh

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fylho, e demais amigos pescadores;

Eu não sirvo para cristo porque eu sou pecador demais...

:evil: 8) :evil: 8) :evil: 8) :evil:

Sobre o programa, eu acho que devemos assistí-lo com um certo espírito crítico... De forma que eu faço minhas as palavras do Kid M.

Sobre a polegaricção, eu já medi quantos quilos são adicionados se eu fizer uma pequena pressão, que eu já treinei para que eu saiba (aproximadamente) quantos quilos eu estou adicionando; acho que funciona se você não for estabanado... Feito deste jeito, se transforma em uma opção a mais de controle da fricção, mas sempre existe o risco de arrebentar a linha; de forma que eu só acho válido se for para evitar que o peixe alcance um lugar que, marcadamente, não desejamos que ele alcance...; ou para evitar que a linha acabe e aí sim se fique sem fricção alguma...

Sobre eu ser estabanado; devo lembrar que eu estava especialmente distraído e apenas isso causou meu acidente com a garatéia... Eu já me espetei inúmeras vezes, muitas delas enquanto eu estava na completa escuridão; considerando que esta foi a primeira vez em que eu puxei, acho que eu mereço um crédito! :wink:

Agradeço ao meu fã-clube por gostarem tanto de mim 8) :mrgreen: ; e lhes tranquilizo :shock: , vocês continuarão tendo-me como seu ídolo máximo por muito tempo...

8) :mrgreen: 8) :mrgreen: 8) :mrgreen: 8) :mrgreen: 8) :mrgreen: 8) :mrgreen: 8) :twisted:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal

Quando o assunto é robalo no mangue o negócio muda, pois não tem carretilha de perfil baixo que segure a arrancada do bicho que invariavelmente corre para a primeira galhada cheia de cracas e arrebenta seu lider e de quebra leva sua isca embora, por esse motivo é necessário que o peixe seja devidamente guinchado para uma região limpa, ai é só curtir a briga.

Perceba que na filmagem do Nelson Nakamura, quando o peixe esta em local limpo, ele deixa o bicho correr a vontade.

Eu, faço 80% das minhas pescarias de robalo no Quebra mar, onde a situação é inversa, pois o peixe já esta no enrosco e tende a sair pelo canal em disparada, então neste caso uso a fricção mais solta, pois se por acaso a linha roçar em alguma pedra a chance dela arrebentar é menor, mas se a mesma estiver totalmente tensa a quebra é inevitável.

Confesso tambpem que já me peguei apertando o dedo no carretel quando o peixe era maior por causa da ansiedade comentada pelo KID.

Abração

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Acho que saber ajudar numa briga com o "freio dedão" é um recurso ... com limites bem próximos da burrice, pois se exagerar, pode queimar o dedo ou perder o peixe e/ou o material.

Mas não tem jeito ... eu sou burro mesmo ... e tb uso a regulagem mais solta e gosto de colocar o dedãozinho no carretel. Tem hora que a gente tem que dizer "NÃO" pro peixe ... e tem hora que a gente pode dizer ... "vai, meu filho" .. e deixar o bicho cansar.

Acho que tudo depende do seu objetivo e de quem é o seu adversário.

Mas tb concordo com o Kid ... tem muita gente que usa o dedão como válvula de escape de ansiedade. Já presenciei neguinho de joelhos numa traineirinha, de bunda pra lua, com o peixe correndo por debaixo do barco, e o cara com o caniço enterrado dentro dagua ate a carretilha ... e de tão nervoso... travou o dedão no carretel. A sorte (ou o azar) dele era que eu estava filmando ... e ficou gravado que quanto mais eu gritava pra ele soltar o carretel ... mais ele empurrava o dedo nela ... aliás ... um não ... os dois dedões ... e depois disso passou a se policiar mais com este detalhe. Ele mesmo diz que toda vez que trava o dedo no carretel lembra de mim gritando " solta a linha ... solta a linha" ... huahuahua!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu regulo a fricção para 1/4 da resistência da linha e faço isso com o auxílio de uma balança.

CSCHMITT

Minhas filhas acharam excelente a sua idéia de usar uma roldana (assim elas não terão que ficar segurando a balança para eu regular a fricção - hehehehehe). Vou montar o "aparelho" e depois digo como ficou.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu regulo no "mamômetro", tenho que tirar com a mão, com certa dificuldade, após o peixe levado para uma condição de briga mais limpa, eu alivio bem e trabalho com fricção bem leve, no próximo arremesso...

Mamômetro denovo...heheheheheh

De acrodo com a briga e com a situação eu vou arrochando ou aliviando, assim como explicou o grande JEF, e sempre com o auxilio do frei dedão.

Num sigo muito a regra nem afiro muito não, abroi e fecho a fricção a cada peixe.

Lembrem-se: SENNA CORRIA FALTANDO ATÉ 3 MARCHAS!!! e ia ajustando seu carro de acordo com a situação da corrida...

Exagerei na comparação??????? :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu regulo no "mamômetro", tenho que tirar com a mão, com certa dificuldade, após o peixe levado para uma condição de briga mais limpa, eu alivio bem e trabalho com fricção bem leve, no próximo arremesso...

Mamômetro denovo...heheheheheh

De acrodo com a briga e com a situação eu vou arrochando ou aliviando, assim como explicou o grande JEF, e sempre com o auxilio do frei dedão.

Num sigo muito a regra nem afiro muito não, abroi e fecho a fricção a cada peixe.

Lembrem-se: SENNA CORRIA FALTANDO ATÉ 3 MARCHAS!!! e ia ajustando seu carro de acordo com a situação da corrida...

Exagerei na comparação??????? :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

Eu não achei exagero não..., pelo contrário!!!!!

Apenas gostaria de lembrar que o Airton tinha excepcional capacidade de se "entrosar" com o carro, que ele fazia voltas de teste, treino, gostava de participar do desenvolvimento do carro,... Em outras palavras; acho que isto é o certo, mas que se tenha medido (ou planejado) antes até onde se pretende ir na força de fricção... O Airton era brilhante, mas não era burro!!! Sigamos seu exemplo, fazendo estas coisas temerárias; mas apenas se antes tivermos medido antes até onde se possa ir sem alcançar o fatídico limite de 1/4 da resistência da linha...

Se alguém aí for muito novo e perdeu as "estripulias" do Senna; eu gostaria de lembrar o primeiro treino de corrida no Barein (a 2 ou 3 temporadas atrás), no qual o Shumi rodou 6 vezes; mas ganhou a corrida!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu regulo no "mamômetro", tenho que tirar com a mão, com certa dificuldade, após o peixe levado para uma condição de briga mais limpa, eu alivio bem e trabalho com fricção bem leve, no próximo arremesso...

Mamômetro denovo...heheheheheh

De acrodo com a briga e com a situação eu vou arrochando ou aliviando, assim como explicou o grande JEF, e sempre com o auxilio do frei dedão.

Num sigo muito a regra nem afiro muito não, abroi e fecho a fricção a cada peixe.

Lembrem-se: SENNA CORRIA FALTANDO ATÉ 3 MARCHAS!!! e ia ajustando seu carro de acordo com a situação da corrida...

Exagerei na comparação??????? :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

Voce até pode confiar no seu taco mas, :shock: :shock: comparar-se com o Senna :shock: :shock: menos por favor meu filho :lol: :lol: :lol: menos :lol: :lol:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu regulo no "mamômetro", tenho que tirar com a mão, com certa dificuldade, após o peixe levado para uma condição de briga mais limpa, eu alivio bem e trabalho com fricção bem leve, no próximo arremesso...

Mamômetro denovo...heheheheheh

De acrodo com a briga e com a situação eu vou arrochando ou aliviando, assim como explicou o grande JEF, e sempre com o auxilio do frei dedão.

Num sigo muito a regra nem afiro muito não, abroi e fecho a fricção a cada peixe.

Lembrem-se: SENNA CORRIA FALTANDO ATÉ 3 MARCHAS!!! e ia ajustando seu carro de acordo com a situação da corrida...

Exagerei na comparação??????? :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

Voce até pode confiar no seu taco mas, :shock: :shock: comparar-se com o Senna :shock: :shock: menos por favor meu filho :lol: :lol: :lol: menos :lol: :lol:

Gaúcho meu véi, eu gosto e de ver a bagunça!!!!!

KKKKKKKKKKKKKKKKKKK :lol: :lol: :lol:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ao meu ver, nuca se deve mexer na frição com o peixe fisgado. Pois alem de você tirar a mão da manivela corre o risco de vc apertar demais ou de dar um tranco subitamente.

Na hora da adrenalina, com um grande peixe fisgado, o emocional do pescador está abalado, não tendo como regular corretamente a frição usando a estrela de frição da carretilha.

Sou a favor de usar o dedo pelo seguinte fato:

Imaginemos que um peixe tome muita linha, então vc aperta a frição, nesse momento a vara da sinal de que não vai resistir, o que vc faz? Folga novamente a frição... aí corre o risco de folgar demais e a isca se soltar da boca do peixe, ou até mesmo formar uma cabeleira.

Pode acontecer também de não dar tempo de vc mexer na estrela de frição,folgando corretamente e a vara ou a linha arrebentar.

Uso do dedo:

Com o uso do dedo vc não precisa mexer na frição, evitando correr os riscos mencionados acima.

Assim, ao figar um peixe e vc sentir que ele esta tomando linha muito rápido basta um leve toque com um dedo sobre o carretel , o que aumenta a resistencia à saida da linha. Se ao pressionar vc sentir que a tensão foi muita, a vara vergou demais, basta soltar o dedo e está tudo beleza.

Vc não pode é colocar o dedo de uma vez no carretel, pressionando com toda força. O movimento deve ser gradativo.

Ex prático: Eu uma vez pescando na praia com molinete abastecido de 230 mts de mono 0,50 mm fisguei um Xaréu de seus 15 Kg. Quem pescar no mar sabe que o Xaréu é um dos maiores "corredores" que existe. Ele tomava linha com muita facilidade, apesar da frição do molinete estar quase que fechada.

Se eu apertasse mais ainda a frição, corria o risco de a vara arrebentar ou a linha. Pois seria uma pressão constante contra a força do peixe.

O que eu fazia?

Colocava o dedo no carretel, a vara vergava toda, quase tocava a ponta na água.Quando eu sentia que estava no limite, soltava o dedo e a vara diminuia sua flexão sem haver trancos ou tombos.

Esse peixe só cansou depois que deixou apenas os ultimos metros de linha no molinete, coisa de uns 10 mts. Ou seja, o peixe tomou mais de 200 mts de linha. Nessa história não sei quem ficou mais cansado se foi eu ou se foi o peixe....

SOU TOTALMENTE A FAVOR DO USO DO DEDO!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em carretilha; uma temeridade como apertar a fricção é facilitada porque a estrela tem um click... Basta contar os clicks que você saberá até onde está indo (se você tiver medido antes...), e também poderá voltar a regulagem anterior por voltar o mesmo número de clicks.

Com molinete (salvo alguns com fricção traseira e click, temos também os que têm indicação numérica), fica dificil mesmo saber até onde ir... Sendo melhor opção um dedo LEVE ajudando a freiar.

Portanto; eu sou a favor do dedo e do ajuste da fricção... Mas cada um em sua hora. Se a fricção tiver click, ou números; fica mais fácil ajustar a fricção que usar o dedo!

Temos também aqueles casos onde apenas queremos interferir quando o peixe está indo para um lugar onde nós não queremos que ele vá (enrosco; ou como acontece muito comigo, uma pedra ou corredeira...; que acabe a linha...); neste caso, o dedo é melhor! Até porque a resposta é imediata, o que não ocorre com um novo ajuste de fricção.

Um abraço pessoal!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dedão é só se for perder o peixe com toda certeza ou comprometer o material!!!

Isso é um caso simples de si exemplificar:

Não quero quebrar meu material (Vara ou carretilha ou molinete);

Não quero arrebentar minha linha;

Se o peixe corre pro enrosco, meio caminho andado pra perda do peixe ou da isca, linha, leader, etc;

Acabar a linha e ficar sem ficção compromete a vara, carretilha, linha, etc!!!

São bons motivos pra pensar ou não no "dedão"!!!

Já li reportagem da revista Pesca & Cia (acho que o nº 125) que ninguém mais que o Tuba, em uma pescaria na Bahia, teve que apelar pro dedão!!!

Saber dozar a pressão é que é o fator complicador!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Exagerei na comparação??????? :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

Nem um pouco... :twisted: :twisted: :twisted: :twisted:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Esqueci de dizer que a regulagem prévia da frição vai depender também do peixe pretendido.

Ex:

Robalo, boca mole, tensão mais solta para não rasgar a boca do peixe.

Traira, boca óssea e de pouca corrida (as daqui do nordeste), tensão total para garantir a penetração total do anzol ou garateia

Tucunaré, boca relativamente dura e corre rápido em direção ao enrosco, tensão apertada e um dedão ativo!rsrsrs obs: Alguns dizem que se vc soltar a frição de vez quando o tucuna tiver indo em direção ao enrrosco ele muda de direção... difícil é eu conseguir fazer isso..srsrsr Isso pra mim é coisa de ictiólogo... na pratica é bem dificil de se fazer...rrsrs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Esqueci de dizer que a regulagem prévia da frição vai depender também do peixe pretendido.

Ex:

Robalo, boca mole, tensão mais solta para não rasgar a boca do peixe.

Traira, boca óssea e de pouca corrida (as daqui do nordeste), tensão total para garantir a penetração total do anzol ou garateia

Tucunaré, boca relativamente dura e corre rápido em direção ao enrosco, tensão apertada e um dedão ativo!rsrsrs

Concordo inteiramente! E observo que traíra (e traírão) é de corrida curta em qualquer lugar.

obs: Alguns dizem que se vc soltar a frição de vez quando o tucuna tiver indo em direção ao enrrosco ele muda de direção... difícil é eu conseguir fazer isso..srsrsr Isso pra mim é coisa de ictiólogo... na pratica é bem dificil de se fazer...rrsrs

Para mim, isso é estória de pescador! :lol:

Eu travo a fricção, ou mesmo dou um tranco para fazer o peixe desistir dessa idéia boba!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...