Ir para conteúdo

Seja muito bem vindo ao novo Fórum Turma do Biguá.

Como vc pode perceber, o fórum passou por mais uma atualização, além da busca constante por melhorias, a segurança do conteúdo postado por todos nós é levada a sério. 

Torcemos para que você goste do novo visual e, caso encontre algum erro no fórum, por gentileza nos comunique através do fbigua@gmail.com

Desculpe o transtorno e nos vemos em nossas salas.

Moderação do FTB.

Carlos Diego Train

Membro
  • Total de itens

    23
  • Registro em

  • Última visita


Histórico de Reputação

  1. Upvote
    Carlos Diego Train deu reputação a Rogerio_MGA em Rio Alegria - Entre Tucunarés e Dinossauros - 26/11 a 03-12   
    A última semana de novembro já é por tradição uma pescaria que sempre fazemos na região de Barcelos, no barco tucuninha do nosso amigo Maicon Bianchi. Meu parceiro de pesca Pepe Melega, sempre deixa esta data reservada para nossa pescaria, e neste ano de 2016 tivemos as companhias, para esta aventura o pescador curitibano Roberto Borba que já esteve junto nos últimos 2 anos,  o também curitibano Edson Deconto, proprietário das consagradas iscas MoroDeconto, e o pescador carioca Ronaldo Matheus ambos estariam indo pela primeira vez nesta data conosco.

    A presença de dois consagrados pescadores entre o grupo Pepe Melega e Edson Deconto, ambos condecorados recentemente em um torneio de pesca ao robalo em Guaratuba,  , com o titulo de  Dinossauros da Pesca, deu o nome deste relato.
    O grupo se reuniu em Manaus no dia 26/11, seguindo para Barcelos aonde embarcaríamos no aconchegante e simpático tucuninha. O destino traçado anteriormente com auxilio de informações valiosas de grandes amigos, foi o rio alegria, a idéa era subir o Cuiuni , entrar no Alegria , passar o flutuante , e seguir pelo menos mais um dia de barco acima deste.

    O Roteiro traçado foi fielmente seguido, nos possibilitando encontrar uma condição de pesca muito interessante, o Rio Cuiuni encontrava-se com muita água ainda dentro dos igapós, até a altura da pista de pouso, quando a quantidade e água diminuía sensivelmente, e era de fácil percepção que os grandes açus já tinham deixado o igapó, sendo encontrados no meio dos lagos durante a tarde nas praias, pontas com  molongós e ressacas no final do dia, o período da manhã não seguiu uma regra, encontramos peixes em várias situações, porém em quantidades menores que na parte da tarde. Até qual o ponto que fomos no Alegria, aproximadamente 1 dia de navegação subindo à partir do flutuante.
    No rio Alegria o mesmo padrão foi seguido, porém em várias lagoas encontramos os peixes completamente inativos, também facilmente visualizados, mas cuidando dos ninhos, sem reação de ataque às iscas artificiais de superfície , meia água e até ignorando Jig’s.
    No rio, exploramos as praias, pontas e ressacas também com uma produção alta nas praias com molongós, na beira dos molongós pacas faziam a festa e em todas as pontas uma explosão na hélice de um Açú, nem sempre um gigante, mas com peixes variando de 12 a 20lbs muitos deles  magros, característico de peixes que acabaram de soltar a filhoteira, inclusive apresentando a mudança de coloração de açú ( coloração do acasalamento ) para a coloração paca ( coloração da camuflagem para alimentação).
    Estas mudanças de cor ocorridas no cichla temensis  tem algumas explicações, mas  a que eu acredito ser a que melhor explica, é a que indica que as variações hormonais promovem a alteração de coloração, ou seja, um peixe jovem que ainda não ascendeu a condição de maduro sexualmente ele tem a coloração paca, quando ascende à esta condição  de maduro sexualmente causado pela presença do hormônio,  ele altera a coloração para Açu.
    Pequenos Açus são os indivíduos nanicos, e/ou pequenos, grandes pacas são indivíduos grandes,
    Após a primeira mudança de coloração ele entra num ciclo de metamorfoses, sendo que a mudança de coloração se dará pela presença do hormônio de acasalamento, que no caso dos peixes está diretamente ligado ao acumulo e gasto de gordura. Os peixes em condições de acasalamento , ou cuidando da prole estarão em sua maioria com a coloração açú mais acentuada, e os peixes em período de alimentação geralmente magros após soltar as filhoteiras estarão com coloração paca mais acentuada ou perdendo a coloração amarelada características dos açús. Acredita-se também que com o tempo e depois de várias inversões de cor, os indivíduos podem ficar com as duas colorações dominantes, e/ou ainda adquirir uma coloração única com as faixas e pintas bem apagadas em indivíduos mais velhos.
    A observação de peixes pretos, recem saídos do igapó não tem correlação com a condição hormonal, mas sim adquirida pela condição ambiental do igapó sem a incidência de luz solar.
    A explicação acima que acredito ter coerência, foi necessária para este post, pois encontramos peixes nas três condições de coloração no mesmo trecho do rio, peixes recém saídos do igapó, peixes comendo nas praias perdendo a coloração açu  e ainda peixes completamente açus em pares.
    Nestas condições de pesca pudemos encontrar algumas situações , que deram continuidade à coleta de informações para a correlação entre PH e o comportamento dos peixes, ficando as seguintes observações registradas:
    Região do Rio Cuiuni pescada no primeiro dia e na manhã do segundo dia, com muita água nos igapós, água mais clara, peixe parado, inativo pegamos alguns deles nas iscas de meia água e nos jig’s de pena fabricados pelo Eurico, comandante do barco Tucuna , neste caso PH=5,4
    Região do Rio Cuiuni acima da pista de pouso, pescado no segundo dia à tarde, e no ultimo dia de pescaria, a água estava pouco acima da caixa, pouca água nos igapós, água correndo forte pra fora das lagoas, peixe ativo atacando hélice no Rio, nos molongós e praias, PH=4,6
    Rio Alegria, pescaria realizada  nos dias 3, 4 e 5pescaria na lagoa dos patos e na lagoa das cobras, peixe ativo nas duas lagoas, PH=4,3 e 4,4 , no Rio Alegria PH=4,1
    Lagoa que o Ronaldo entrou no quarto dia e pegou 7 tucunarés açús em uma tarde , peixe  muito ativo , PH-3,9 o menor PH encontrado na pescaria
    Vamos agora apresentar os troféus que cada um do grupo pode duelar durante esta jornada.....

     

     

     

     

     

     

     

     

     
    c
     

     

     

     
     

     

     

     

     

     

     
     
     
    O equipamento que utilizamos nesta pescaria foram
    As varas
    Varas Redai
    BLACK MAMBA - BM2560PS | 14 - 25LB | 6'0" 
    BLACK MAMBA - BMS1758 | 10 - 17LB | 5'8" 
    BLACK MAMBA - BMS1759-3 | 10 A 17LB | 5'9" (3 PARTES)
    BLACK MAMBA - BMS2560-3 | 14 A 25LB | 6'0" (3 PARTES)
    ST CROIX SCIII – 14-25LBS 6’0”
    LAMIGLASS COMPETIDOR 10-20LB 6’6” PEPE MÉLEGA PRO SÉRIES
    F3 – FISH FOR FUN , montada pelo MORO
    As carretilhas
    Perfil baixo, cada um com suas preferências, tinha Shimano Curado 200HG e cronarch 150HG, Daiwa Zillion TypeR, TW1516XXH, 7.9PE, e Abu Garcia Revo Rochet
    As iscas artificiais
    As iscas que melhor resultado apresentaram foram:
    MoroDeconto modelo Z110 e Z130 , na cor Arari 172t Pepe Mélega ProSeries.... Foi o diferencial
    MoroDeconto modelo Apache 135, na cor branca hélice vermelha injetada, 171 Pepe Mélega ProSeries e Dorso Prata com verde 749
    MoroDeconto modelo Bocarra 140
     

     
    Nesta pescaria um capitulo à parte, na qual eu tive o prazer de participar foi o desenvolvimento de novidades na isca de hélice MoroDeconto Apache 135, com nova hélice injetada e com possibilidade de ser colorida, com garatéias super reforçadas, com novo equilíbrio de pesos, o barulho e o arrasto ficaram muito bons, arovados por vários tucunas.... Adorei!!!

     

     

     
    No final da pescaria retornando para Barcelos, tivemos a sensação clara que apesar de não ter acertado um peixe muito grande, conseguimos fazer uma pescaria muito boa, com muitos ataques na superfície, muitas pancadas em iscas de hélices, deixando uma vontade absurda de retornar logo para uma nova busca.
    As observações do ph x comportamento geram  dados  muito importantes que somados aos dados dos últimos 2 anos  vão criando um perfil de comportamento, e que em breve teremos condições de compilar e traçar perfil de maneira a minimizar os erros e as pescarias sem peixes. A agilidade de barcos pequenos aliados à estas avaliações podem mudar a condição do peixe com a boca fechada. A busca do entendimento do comportamento desta espécie me fascina e move minha vontade constante de retornar para estas águas.
    Este grupo de pescadores, no ponto de vista de cada um dos seus participantes entendeu que o grupo foi muito importante para o sucesso individual de cada um, fiquei muito feliz em ter participado ativamente desta aventura, e espero que em breve possamos reeditar novamente esta aventura,  nossa semana de novembro de 2017 já esta reservado, agora vamos trabalhar para tentar reunir esta galera antes desta data!

     

    A estrutura fantástica do Tucuninha, comida nota 1000, quartos sempre muito limpos,  a recepção da Flavinha sempre providenciando tudo que precisamos, os guias e especial ao Orlando, todos nós agradecemos a atenção, companheirismo e amizade..... Sempre nos sentimos em casa!

     

     
    Créditos das fotos : Pepe Mélega, Rogério Araujo e Edson deconto
    Obrigado meus amigos, Pepe, Edson , Roberto e Ronaldo pela amizade , compreensão, companheirismo, e pela alegria que cada um demonstrava em estar juntos, aprendi muito com todos vocês,
    Obrigado Esposa e filhos pela compreensão e pelo amor que recebo em cada retorno
    Obrigado a Deus por tudo,
     
×