Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

Entre para seguir isso  
Neco

Tucunarés Açu em lagos e açudes - Isso é possível???

Posts Recomendados

Amigos do FTB

Muitos anos atrás li em alguma revista de pesca que os americanos introduziram alguns "peacock basses" nos canais da flórida e hoje em dia com o advento da net e principalmente do youtube tenho visto tucunarés, alguns até de bom porte (no máximo de 4 a 5 lb) em vídeos de lá, mas acho que são todos de tucunarés "popoca". Têm as três listras verticais mas sem o "mapa na cara" ou os "olhos de fogo" do Açuzão.

Mas esses dias apareceu uma foto no facebook que me intrigou... dêem uma olhada, foi capturado em singapura e no álbum de nosso amigo pescador oriental ainda vê-se outros exemplares da ictiofauna brasileira (esses outros amplamente criados em cativeiro).

Imagem Postada

http://www.facebook.com/photo.php?fbid= ... 653&type=1

O Tucuna tá gordasso e saudável... lá em SINGAPURA!!!! Será que isso não seria possível no Brasil?

acho que não nos cabe soltar açus nas represas do sudeste e centro-oeste para competir com azulões e amarelos (isso já deve ter sido tentado)... Mas criações de açu poderiam abastecer a demanda interna e reduzir a pesca indiscriminada nas áreas silvestres...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

olá Neco ,o que ouvi de um biólogo:azul x amarelo cruzam(já vi diversos casais) mas seus filhos nascem" híbridos " não vão gerar netos e onde tem azul e amarelo,acaba predominando o azul,não acho boa idéia pois existem questões complexas que ainda não sabemos,vamos que uma fêmea de uma determinado tipo possa se animar com outro macho maior e mais atraente kkkk ai a coisa pode se complicar acabando com um tipo menos competitivo e de menor tamanho,perdão pelo desconhecimento dos termos científicos apropriados que desconheço,espero que amigos biólogos ou não possam responder melhor, mas essa é minha opinião de pescador de tucunas,abração.

bom açu em represa é possível sim: Balbina, pois eles já são de lá ::tudo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

olá Neco ,o que ouvi de um biólogo:azul x amarelo cruzam(já vi diversos casais) mas seus filhos nascem" híbridos " não vão gerar netos e onde tem azul e amarelo,acaba predominando o azul,não acho boa idéia pois existem questões complexas que ainda não sabemos,vamos que uma fêmea de uma determinado tipo possa se animar com outro macho maior e mais atraente kkkk ai a coisa pode se complicar acabando com um tipo menos competitivo e de menor tamanho,perdão pelo desconhecimento dos termos científicos apropriados que desconheço,espero que amigos biólogos ou não possam responder melhor, mas essa é minha opinião de pescador de tucunas,abração.

bom açu em represa é possível sim: Balbina, pois eles já são de lá ::tudo::

Ramon, a represa de balbina é uma barragem do rio Uatumã... um rio que tinha açus de 9kg em abundância há 20 anos atrás... hoje em dia os peixes de lá mal chegam aos 4 kg. Mas esse bichão aí de cima não está em um rio represado onde ele já habitava. É um baita tucunão criado em uma "poça d'água".

não me refiro a criar açus em represas de grandes rios mas em lagoas como a acima (de singapura), sem introduzir o açu em local de outros tucunas

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Por que só se encontra os açus no rio negro e no Uatumã? Porque lá a água é ácida, bem ácida, tanto que muitas outras espécies não conseguem proliferar por lá.

Aqui no sudeste encontramos águas tendendo à neutralidade e portanto já comprometeria em parte a sua adaptação. Além, no Amazonas a água quando muito fria chega a 23 graus. Aqui no sudeste ela facilmente abaixa pra 15 numa frente fria.

Para exempleficar: O Tambaqui é da Amazonia, como todos sabem, mas a sua criação no sudeste só foi possível quando ele foi cruzado ao Pacu, pois este é da bacia do Prata e mais adaptado ao frio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Por que só se encontra os açus no rio negro e no Uatumã? Porque lá a água é ácida, bem ácida, tanto que muitas outras espécies não conseguem proliferar por lá.

Aqui no sudeste encontramos águas tendendo à neutralidade e portanto já comprometeria em parte a sua adaptação. Além, no Amazonas a água quando muito fria chega a 23 graus. Aqui no sudeste ela facilmente abaixa pra 15 numa frente fria.

Para exempleficar: O Tambaqui é da Amazonia, como todos sabem, mas a sua criação no sudeste só foi possível quando ele foi cruzado ao Pacu, pois este é da bacia do Prata e mais adaptado ao frio.

Bem pensado!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Neco ,existe tucunaré em lagos fechados(inclusive aquarismo) eu já vi é possível só que é muito complicado tem que ter muito peixe forrageiro e se bobiar ele faz canibalismo sei que na Flórida, Havaí,Singapura e outros paises já os levaram,pensei que voce se referia em introduzir em nossos reservatórios onde os amarelos e azuis são nativos ou adaptados, baseado onde dei minha opinião.

mas não sei quais as consequencias e como são criados os tucunas,tambem madaram pra cá bagre africano,carpa e outras" mercadorias" doeu:: ,abração.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Existem 3 especies diferentes de denominação açus

-C temensis- Rio negro e afluentes

-C pinima-Afluentes da margem direita do madeira

-C vazolleri-uatuma e jatapu

O primeiro (temensis)não conheço nenhum local de introdução do mesmo.

O pinima foi introduzido com sucesso em algumas represas do nordeste como castanhão, mas em represa parece não chegar ao tamanho do seu irmão do rio, acho q o maior q vi da uns 6 kgs, no Sucunduri cheguei ver peixe de 10kgs.

O vazolleri, não foi introduzido já estava presente naturalmente nas UHE do Uatuma e jatapu, sendo a ppal Balbina, pesco em Balbina quase que anualmente e o maior que peguei dava 10lbs e os proprios guias locais dizem não passar muito disso, já no rio logo abaixo a UHE eu já pesquei (cachoeira da morena) e já vi peixe de 9kgs e foto de peixe de 10kgs.

Acho que mesmo o temensis se confinado não atinge seu tamanho da natureza.

Acho q só o azul (C piquiti) chega ao mesmo tamanho da natureza, eu acho que fica até maior que seus irmãos dos lagos do Araguaia.

Mas que seria uma beleza a 1000km de casa encontar o monstro do olho vermelho em uma UHE, e com possibilidade de pescar o ano todo. danca::

Abs

Dini

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

sou piscicultor e digo que é possível sim, ter um tucunaré açu em qualquer represa que seja.

Praticamente qualquer peixe de água doce pode ser criado em cativeiro. O difícil é vc arranjar pra soltar no seu lago ou represa, e eu o aconselharia a prepará-la primeiro para receber esses peixes com os chamados peixes praga, como a tilápia, o lambarí e outros de reprodução rápida.

O tucunaré é grande consumidor e por isso precisa de muita comida, senão nao desenvolve.

Outra questao complexa é o clima. Creio que o Açu não aguenta baixas temperaturas, como o pirarucu e até mesmo o tambaqui.

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

esqueci de dizer que não é comum se ver esses peixes por ai, pois as grandes pisciculturas produtoras de peixes, visam o que é comercial. Como o tucunaré não acostuma a comer ração, ele não se enquadra nesse perfil... Não tem como se criar em larga escala pra vender... entao o pessoal não busca pra reproduzir e vender.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tem um posicionamento levantado há algum tempo atrás pelo WD Allen, que se encaixa bem nessas "descobertas"...

Aparentemente o rio Negro é o lugal de maior "infestação" de tucunarés açú na Amazônia, principalmente na região próxima a Barcelos, estuário de diversos rios e um berçário natural para diversas espécies, principalmente de peixes que servem como alimento dos tucunas !

arrow:: Aliado a isso, a questão da temperatura média da água, e a questão de oxigenação são fatores preponderantes para a sobrevivência e crescimento de novos indivíduos...

Isto posto, é de se esperar que num futuro não muito distante, que a psicultura desperte para - através pesquisa - buscar o caminho de reprodução em cativeiro dessa espécie, ainda que seja para retorná-la a vida silvestre para manutenção da espécie !

Especificamente o Açu, me parece mais exigente nos seus hábitos, até mesmo nas suas ações de individualidade ( não é comum encontrar cardumes de açus acima de 2,5 quilos... ). Eles ( depois de superadas as barreiras de sobrevivência de alevino a peixe compatível de se defender de outros predadores ) buscam a vida mais isolada e independente, somente se juntando por ocasião do acasalamento.

São também peixes que se movem muito, não habitando o mesmo local por muito tempo ! Acredito que sempre motivado pela busca de alimentação...

Todas essas coisas são passíveis de serem "adestradas" com menor ou maior grau de dificuldade ( não nos esqueçamos que já temos peixes carnívoros sendo alimentados comercialmente a base de ração, fato que seria inimaginável algum tempo atrás ), bastante existir o interesse ( inclusive financeiro ) em desenvolver pesquisas e experiências adequadas nesse sentido !

Por fim, até porque já escrevi demais sobre o tema, acredito que esse será o caminho futuro a ser desenvolvido no nosso País, pois os estoques hoje existentes começam a preocupar os estudiosos do assunto, pela matança ( sempre crescente ) dessas espécies... Chegaremos ao ponto de ( a exemplo do acontecido nos EUA ), pensarmos em repovoar nossos rios e lagos com espécies esportivas, trazendo com isso um enorme incremento no turismo desse segemento ! O que me angustia e decepciona, é que precisaremos chegar a um ponto negativo, desperdiçando todo o potencial hoje existente, para recomeçar isso num futuro não distante ! lacou::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

acredito que esse será o caminho futuro a ser desenvolvido no nosso País, pois os estoques hoje existentes começam a preocupar os estudiosos do assunto, pela matança ( sempre crescente ) dessas espécies... Chegaremos ao ponto de ( a exemplo do acontecido nos EUA ), pensarmos em repovoar nossos rios e lagos com espécies esportivas, trazendo com isso um enorme incremento no turismo desse segemento ! O que me angustia e decepciona, é que precisaremos chegar a um ponto negativo, desperdiçando todo o potencial hoje existente, para recomeçar isso num futuro não distante !

Bela resposta Kid.

Infelizmente isso vai acontecer. Sempre é assim. O ser humano tem uma capacidade incrível de ter que perder tudo para depois dar valor. diabo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala Neco, tudo certo? Vou complementar com algumas informações.

Realmente o tucunaré foi introduzido na Flórida, e apesar deles chamrem-no de "butterfly", parece que é o popoca mesmo. O recorde estadual é 9lbs, mas o próprio site da FWC ("Ibama" da Flórida)diz que ja foi pego um de 12lb. O da foto realmente parece muito o açu C. temensis Sobre sua pergunta, se é possível criá-lo em lagos e açudes, é claro que é. Garantidas que as condições do lago não extrapolem os limites de tolerância da espécie (ph, temperatura, turbidez, oxigênio etc), ele vai crescer e reproduzir tranquilamente, como em Singapura. E vale dizer também esses limites são manipuláveis, por diversas formas diferentes (melhoramento é a mais comum). Agora, se é possível criá-lo comercialmente, para competir, ou suprimir, a pesca comercial, isso não é possível não, pelo menos atualmente. Cultivo é uma atividade comercial, que visa o lucro. O limitante nem é fazer ele comer ração, que é possível. O problema é o custo de produção, que é alto, basicamente por causa do custo da ração, que precisa de muita proteína animal (mais de 40%). Daí imagine produzir o bicho a (chutando) R$25,00 o kilo...Não compensa, não haverá mercado, nem como concorrer com a pesca. E ambientalmente também não compensa, pq a origem da proteína animal é justamente farinha de peixe: e como a eficiência energética é baixa, gasta-se 3kg de peixe(farinha) para produzir 1kg de peixe (tucunaré). Nutricionalmente é a mesma coisa, só o valor de mercado que muda, do peixe "peba" para o tucunaré.

Isso aí, abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala Neco, tudo certo? Vou complementar com algumas informações.

Realmente o tucunaré foi introduzido na Flórida, e apesar deles chamrem-no de "butterfly", parece que é o popoca mesmo. O recorde estadual é 9lbs, mas o próprio site da FWC ("Ibama" da Flórida)diz que ja foi pego um de 12lb. O da foto realmente parece muito o açu C. temensis Sobre sua pergunta, se é possível criá-lo em lagos e açudes, é claro que é. Garantidas que as condições do lago não extrapolem os limites de tolerância da espécie (ph, temperatura, turbidez, oxigênio etc), ele vai crescer e reproduzir tranquilamente, como em Singapura. E vale dizer também esses limites são manipuláveis, por diversas formas diferentes (melhoramento é a mais comum). Agora, se é possível criá-lo comercialmente, para competir, ou suprimir, a pesca comercial, isso não é possível não, pelo menos atualmente. Cultivo é uma atividade comercial, que visa o lucro. O limitante nem é fazer ele comer ração, que é possível. O problema é o custo de produção, que é alto, basicamente por causa do custo da ração, que precisa de muita proteína animal (mais de 40%). Daí imagine produzir o bicho a (chutando) R$25,00 o kilo...Não compensa, não haverá mercado, nem como concorrer com a pesca. E ambientalmente também não compensa, pq a origem da proteína animal é justamente farinha de peixe: e como a eficiência energética é baixa, gasta-se 3kg de peixe(farinha) para produzir 1kg de peixe (tucunaré). Nutricionalmente é a mesma coisa, só o valor de mercado que muda, do peixe "peba" para o tucunaré.

Isso aí, abraços!

Michel,

valeu pelas explanações

pelo menos ficamos sabendo que, pelo menos para fins repovoamento (como bem disse o mestre agenor) a produção em cativeiro é viável.

a respeito do que o resto do pessoal disse não tenho muito a dizer... pois uma imagem vale mais que mil palavras e um C. temensis saudável e de bom porte como o da foto (criado em singapura) me faz crer q tudo é possível.

Um dia, quem sabe, um de nós não posta uma foto como essa aqui no FTB!

abrassaum a todos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

ALTÍSSIMO NÍVEL ESTE TÓPICO.

MOSTRA O QUANTO ESTE FORUM É ESPECIAL.

Valeu Rodrigo

Acho que as vezes é bom discutir outras coisas que não sejam... "olha como minha tralha é bonita" ou então "multifilamento 65lb X multifilamento 67lb"... kkk desabafei! :gorfei: :gorfei:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...