Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''igfa''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Bate Papo Geral e Assuntos Correlatos.
    • Selecione a sala abaixo:
  • Pesca em Água Doce
    • Assuntos Gerais (água doce)
    • Equipamentos de Pesca (água doce)
    • Relatos de pescaria (água doce)
  • Pescaria em Água Salgada.
    • Assuntos Gerais (água salgada)
    • Equipamentos de Pesca (água salgada)
    • Relatos de pescaria (água salgada)
  • Pesqueiros (pesca-e-pague), Fly Fishing e Caiaque.
    • Selecione o tipo de pescaria abaixo:
  • Náutica
    • Tudo sobre náutica
    • BassBoat Brasil
  • Eletrônicos
    • Selecione a sala
  • Aprenda a usar o fórum. Entenda como ele funciona.
    • Selecione a sala
  • Anúncios Globais e Anunciantes
    • Anunciantes do FTB. Promoções aos nossos amigos pescadores!
  • Club das 22lbs
    • Galeria 22lbs. Só monstro acima de 10Kg.
  • Pacotes de pesca dos nossos usuários
    • Em Andamento
  • Classificados
    • Selecione a sala abaixo:
  • Grupos Organizados
    • Traga a sua turma de pesca pra cá. É fácil e rápido.

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que contenham...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Nome + Sobrenome (obrigatório)


Localização

Encontrado 9 registros

  1. Com a atualização do fórum, resolvi atualizar tb a lista de todos os recordes mundiais do tucunaré. Agora foi a vez do Tucunaré Açu por tamanho. Interessante constatar que em 5 anos, chegaram perto, mas não passaram os 2cm necessários para quebrar o recorde do Dini (capturado em 2014). Depois de todos estes anos, analisando esta questão, tudo me leva a crer que antes, pelo fato de não haver esta categoria All Tackle (Length), ou por tamanho, os nossos pescadores não mediam o peixe corretamente. E falo por mim mesmo, que antes media meus peixes com uma fita de costura comum. Claro q a fita não estava mentindo, mas, como as medidas serviam apenas para termos uma noção do tamanho, fazíamos a medição por toda a lateral do peixe, q ainda estava na vertical, dependurado pelo bogagrip. Tenho certeza que muitos amigos mediram peixes usando pedaços de varas, tôcos de madeira, pedaços de linha, e por aí vai. Fato é q não é fácil capturar um peixe com mais de 89cm. Aqui a foto de todos os recordistas. Aqui o link do post do Dini falando da quebra. https://www.turmadobigua.com.br/forum/topic/38687-recorde-mundial-tucunaré-açu-89cm-carlos-dini/ Aqui o link do posto do Ednaldo Lazzarin falando da quebra. https://www.turmadobigua.com.br/forum/topic/40340-recorde-mundial-tucunare-açu-90cm-ednaldo-lazarin/
  2. ...detalhe, devolvendo o peixe a água. Na categoria All-Tackle (por peso). Pois é turma, há algum tempo eu, meu pai e o Marquinhos estivemos pescando na Serra da Mesa. Em nosso primeiro ponto de pesca, tive a sorte de acertar a cabeça de um tucunaré azul de 4.5kg de peso e, como já estava querendo montar um tutorial exclusivo aqui, em nosso fórum, resolvemos registrar todos os procedimentos para ensinar a todos passo-a-passo como se fazer para homologar um recorde mundial. Claro q tb estou aprendendo. Sei que vários usuários acreditam q ser um recordista mundial é uma tremenda besteira (e no fundo pode ser mesmo...ehhee.... ), mas longe de querer postar isto aqui para me gabar ou para dizer q sou o gostosão e etc (como alguns tb pensarão), fato é q temos vários relatos de pescadores que mataram tucunarés de 6 Kg ou mais na Serra da Mesa (e outros lagos tb). Sabemos q a espécie pode atingir estas proporções mas, se não a homologarmos, tudo pode não passar de boato. Fato é q estou tentando dar início a um hábito, o de homologar / registrar um grande peixe para q em pouco tempo tenhamos certeza de suas reais proporções. Vale ressaltar q o atual recorde mundial do tucunaré azul foi homologado com o peso de 4,020g em novembro de 2011 e foi capturado pelo nosso amigo Eloy Fonseca. Apesar de não saber se realmente o meu peixe será aceito ou não como o novo recorde, o meu pedido já foi recebido pela IGFA, então, estou me antecipando (e correndo o risco de não ser aceito e quebrar a cara...kkkk). ...mas vamos lá. A primeira coisa a se fazer é estar PREPARADO, PREPARADO E, PREPARADO para quebra do novo recorde. Sim, estando preparado vc não precisará matar o peixe e seu provável recorde poderá ser homologado mais rapidamente. Partiremos do pré suposto que vc sabe qual a espécie q está pescando e qual o atual recorde desta espécie, ok!??! Você precisa ter: 1 - SABER AS REGRAS DA IGFA. O primeiro procedimento a ser adotado, e isso pode ser feito agora, é o de ler as regras do único órgão q registra os recordes de todo o mundo. Vc não irá decorar todas as regras mas, mesmo q superficialmente, vc terá noção dos passos a serem seguidos, e o principal, o que vc não pode fazer ou usar durante a captura. - Aqui as regras em espanhol - -Clique Aqui- - Aqui as regras em inglês - -Clique Aqui- - Aqui em português - - Clique Aqui - 2 - ESTAR DE POSSE DE UM ALICATE BOGA GRIP ORIGINAL DA MARCA EAST BOGA E QUE ESTEJA AFERIDO PREFERENCIALMENTE PELA PRÓPRIA IGFA. Este alicate pode ser adquirido nas melhores lojas do Brasil e do mundo (sem ser homologado), mas, para ser homologado vc precisará levá-lo (ou enviá-lo até a sede da IGFA q fica na Flórida), ou comprar diretamente do site FishQuest q pode ser acessado através do link abaixo. http://fishquest.com/Qshop.asp?Option=Product&Detail=BogaGrip+%26+BogaFloat Hoje um alicate de 30lbs aferido custa lá fora 160 dólares + taxas. Lembrando q a aferição tem validade de apenas 1 ano. Outra coisa, é possível q depois de capturado o peixe, vc envie o alicate pra lá para eles confrontarem a aferição dele, contudo, acredito q o processo seja bem mais complicado. ::nada:: 3 - ESTAR DE POSSE DE UMA RÉGUA DA PRÓPRIA IGFA. RECORDE POR TAMANHO. Para os interessados em homologar o recorde por tamanho, basta baixar as regras que são basicamente as mesmas da categoria por peso, contudo, o peixe obrigatóriamente precisa se solto e filmado. Aqui só será homologado com a soltura filmada. link das regras - Clique aqui A régua custa atualmente 50 dólares + taxas e pode ser encontrada no link abaixo. http://store.igfa.org/Category/21-igfa-world-record-tools.aspx 4 - MÁQUINA FOTOGRÁFICA DIGITAL. O bom destas novas máquinas é q elas também filmam e isto ajuda muittttoooo a comprovar o q quer q seja. No meu caso em específico, ao ver o grande peixe pulando na ponta da linha, de imediato começamos a fotografá-lo. Isca na boca, o equipamento utilizado, o horário exibido no EXIF da foto, tudo isto atestará q as informações enviadas não foram forjadas. Se filmar tudo será ainda mais fácil. Lembre-se de configurar a máquina para capturar o maior tamanho de foto possível (se sua máquina é de 10 MegaPixels, configure-a para fotos de 10Mb, isto é de fundamental importância). Acerte o horário, data e etc, antes de começar a pescaria. De posse de todos estes materiais vc estará 99% preparado para a quebra do recorde. Aqui algumas informações importantes q tenho a obrigação de repassar pra todos vcs. - Sempre pese o peixe estando desembarcado. Puxe o barco para o barranco e pese o peixe lá (embarcado não vale). - Meça o comprimento do peixe com ele de boca fechada. Se ele estiver em cima da régua da IGFA, melhor ainda, assim, ninguém contestará nada. - Meça a circunferência do peixe em seu ponto mais largo (geralmente na região da nadadeira dorsal). - Ao fotografar o peixe com o alicate na boca, faça um quadro que pegue um pouco abaixo do rabo dele, até um pouco acima do alicate, assim, ao se dar zoom na imagem, vc verá perfeitamente a medida registrada no alicate. - Guarde uns 5 metros da linha utilizada. Eles exigem este pedaço de linha. - Tire uma foto sua com o equipamento utilizado na captura (vara, carretilha, linha e isca). Bem....já falamos demais...vamos agora colocar a mão na massa. Aqui estão as fotos q eu enviei para a IGFA. Obs: Na verdade não precisa de tantas fotos, ocorre q a IGFA tem cobrando de todo pescador um pequeno relato de como a captura foi feita, então, para facilitar as coisas, já enviei fotos q retratam isto. Eu dei uma grande bobeira. Reparem q na foto 05, aparece apenas a foto do alicate, ou seja, se tivesse o Marquinhos dependurado alí, a IGFA poderia contestar o recorde. Por isto eu disse q é preciso de um quadro q pegue um pouco abaixo do rabo até um pouco acima do alicate, na maior resolução da máquina. Por sorte eu fiz o vídeo abaixo, onde a filmagem mostra tudo isto (olha o vídeo me salvando). - OS FORMULÁRIOS. De posse das fotos e dos vídeos, vc precisa preencher o formulário com todas as informações necessárias. Para facilitar a compreensão do que está sendo solicitado, aqui vai o link com um formulário escrito em português. Lembro que ele serve apenas para orientar o pescador, pois o formulário a ser enviado para a IGFA deve ser o escrito em INGLÊS. - Formulário em Português (apenas para orientação) - - Formulário em Inglês (este q será enviado para a IGFA) - Aqui as fotos do meu formulário. Obs: - reparem q existe um campo para ser inserido os números do seu cartão de crédito. - para quem não é filiado a IGFA é cobrada uma taxa de 65 dólares para o registro do novo recorde. - cada "certificado" da IGFA atestando o seu recorde custa 5 dólares, então, veja quantos vc quer e adicione nos 65 dólares do registro. Reparem q no meu caso eu solicitei 5 certificados. - é preciso q um biólogo ateste a espécie capturada. - é preciso registrar em cartório a sua assinatura / firma. Tb é preciso enviar uma amostra da linha. Aqui como eu fiz para enviar. Coloquei tudo isto dentro de um envelope e enviei para a sede da IGFA nos EUA. O envio foi feito em uma agência dos Correios (peça o envelope para correspondência internacional). 10 dias depois do envio o meu nome já constava no sistema da IGFA como PENDENTE. Agora é esperar para saber se eles me solicitarão alguma informação adicional, e esperar a saída ou não do novo recorde do azulão. Atualizado em 17 DE AGOSTO DE 2012. Somente em 26 de maio é o recorde foi realmente homologado. 45 dias depois recebi em minha casa os 05 certificados de homologação. Como fui "obrigado" a me cadastrar na IGFA para registrar o recorde, recebi uma edição da revista deles a cada 2 meses....Recebi ainda uma carteirinha de membro. Tive a oportunidade de ir pra Miami antes da homologação do recorde....Estive mais uma vez na IGFA e fui muito bem atendido. O Jack Vitek, responsável pelas homologações, é um cara super legal e atencioso. Como membro não precisei pagar os 8 dólares de acesso ao museu, e ainda homologuei novamente o meu Boga Grip sem custo algum. Bem...no meu caso valeu muito a pena ter me cadastrado junto a IGFA, tanto q estarei renovando meu cadastro por lá. Em breve postarei as fotos do certificado para vcs verem como ele é. Espero q este tutorial sirva para orientar os nossos amigos pescadores. O peixe foi solto, está lá, crescendo para ser capturado novamente, então, porque não homologar os nossos recordes?!?! A IGFA pode ser uma grande aliada da pesca esportiva brasileira mas, se nós não nos movermos, não seremos vistos nunca. Abs...e até a próxima. ::tudo:: Fabrício Biguá
  3. Estamos em festa! O amigo pescador Gustavo se tornou o novo recordista mundial do Tucunaré Vazzoleri (Cichla vazzoleri), guiado por mim no Vazzoleri Camp. Com muita alegria e satisfação venho dar essa notícia aqui no FTB. http://wrec.igfa.org/WRecordsList.aspx?lc=AllTackle&cn=Peacock, vazzoleri E tem margem para mais! Nossos clientes já capturaram tucunarés de até 20 lb com 85 cm de comprimento. Eu já peguei um de 19 lb, e temos a gravação do TV Pesca Brasil (disponível no YouTube) em que batemos o recorde antigo de 13 lb cinco vezes, terminando com um monstro de 18 lb e 83 cm explodindo na hélice. Quem quiser ter a chance de capturar o seu recorde, vem comigo. E todos ficamos torcendo por mais recordes! Abraços e boas fisgadas!
  4. O peixe capturado no final do ano passado no Marié não foi aceito como recorde mundial perante a IGFA. Chegamos a comentar aqui no fórum a captura feita. Aqui o link: Segundo o formulário da IGFA, faltou o envio do pedaço da linha utilizado na captura, além do peixe ter sido pesado somente dentro do barco, o que, segundo as regras, não deve ocorrer. O peixe deve ser pesado em terra firme. Tenho a certeza q muita fofoca está rolando na internet, mas o que me causa estranheza, foi o fato de o pescador que capturou o peixe ser um membro da IGFA. Não sei se é fofoca também, mas as informações que recebi na época davam conta de que ele (o pescador) era um representante da IGFA no país dele. Como que um representante, conhecedor das regras, daria um "mole" destes!??! Bem, não foi desta vez, mas vamos todos continuar tentando..
  5. O staff da Pesca & Companhia, Alexandre Dick, bateu o recorde da pirarara mais comprida. Ele fisgou um exemplar de 132 cm no Rio Negro, em Barcelos no Amazonas, enquanto que o recordista anterior possuía 126 cm. O feito do brasileiro já foi homologado pela IGFA. Dick conta que havia viajado para Barcelos (AM) no mês passado com o intuito de pescar tucunarés-açus. No entanto, ao chegar no Rio Negro, se deparou com uma situação de repiquete, bastante desfavorável para pescar os “bitelos”. “Não me atrelo a um peixe só e gosto de estar preparado para outras espécies”, conta Dick. “Então decidimos tirar um período para pescar os peixes de couro”. Dick pegou equipamento emprestado da pousada onde estava e usou vara de 180 lb, linha 0,90 mm de monofilamento, carretilha grande, anzol 12/0 e chumbo pesado o suficiente para segurar uma cabeça de piranha como isca no fundo do rio. O pescador conta que não pretendia ficar muito tempo em apenas um ponto, “não mais que 15 minutos”. Mas, com menos de cinco minutos, Dick teve a ação e não precisou de mais cinco para dominar o peixe e, com o auxílio do guia Wilson, fazer todos os procedimentos para uma homologação de recorde na IGFA. “Nunca imaginei que fosse pegar um exemplar para recorde”, conta. “Mas sempre levo a régua da IGFA na minha tralha”. Apesar da façanha, Dick revela que já havia pegado exemplares maiores, mas não havia feito os procedimentos corretos para homologação. “Acredito que outros pescadores também já tenham conseguido maiores”, cita. Fonte: Pesca & Companhia
  6. Amigos, boa noite. pesquisei no fórum e não consegui resultado sobre como registrar de forma homologada o Tucunare. Ja li vários relatos no passado, mas estou com dúvidas de como fazer o registro por medida do peixe. Agradeco aos amigos que puderem ajudar . Abraço
  7. Olá, Cabras da Pesca! Em janeiro de 2016, iniciei minha busca por um lugar inexplorado na Amazônia – uma vez morando em Manaus, é hora de realizar meus sonhos, então “mãos à pesca”. Queria encontrar um rio distante e de difícil acesso, para colocar em prática um conceito que vinha mexendo com minha mente. Algo que já não vemos atualmente com tanta frequência e que traz uma interação diferenciada com a natureza: o acampamento selvagem. Também estava interessado em alguma outra espécie de tucunaré que atingisse grande porte (os “outros açus”), já que a calha do médio rio Negro e seus afluentes é propícia apenas para barcos hotéis. Então, minha ideia principal era descobrir um bom ponto de Pinimas (Cichla pinima), mas a região que este peixe ocupa é gigantesca, e eu mal sabia por onde começar. Mas quando a gente trabalha com vontade, prazer e persistência, podemos ser surpreendidos – de forma positiva! Já tinha visto as fotos e vídeos desse peixe na região de Balbina e rio Uatumã, mas com tamanhos nada estimulantes. Aqui alguns Vazzoleri que seriam considerados ótimos exemplares nesses destinos. Contudo, na região de Nhamundá é afluente, o tamanho já poderia proporcionar boas brigas. Um pouco contrariado por só ter em mãos equipamentos dimensionados para o açu do rio Negro (C. temensis), parti rumo ao Nhamundá, achando que aqueles equipamentos estavam desproporcionais aos peixes que encontraríamos. Pousei no aeroporto de Parintins e seguimos para o rio Nhamundá, subindo em dois botes. Ao chegarmos na região do Espelho da Lua, onde alguns pequenos barcos regionais (moradores da região) estavam presos devido à seca, a meia hora da cidade mais próxima, fiquei sabendo pelo guia que não pescaríamos no Nhamundá, e sim no Rio Paratucu, seu afluente. Organizando, para o amigo pescador entender: o rio Paratucu é afluente do Nhamundá, que é afluente do Amazonas. Adentramos o Paratucu e constatamos o nível baixíssimo de água, somado a uma praticamente ausência de canais de navegação. O rio é completamente raso de uma margem a outra, formando uma barreira natural contra a entrada de embarcações maiores que um bote ou canoa. Em vários trechos, tivemos que arrastar o bote com água no tornozelo. Numa parada, já preparei um conjunto, para tentar fisgar meu primeiro Vazzoleri. O cenário era deslumbrante: água cristalina que refletia um verde azulado, parecido com algumas regiões marinhas. A quantidade e diversidade de aves impressiona. Um ambiente fantástico, eu tinha quase certeza que iria pegar pelo menos um peixe que brigasse bem com as varas de 25 lb e tomassem linha... Será? Uma Turma de Biguás! Lembrei imediatamente dos amigos aqui do fórum! Começamos a pescaria e o guia nos levou a um bom lago. Saiu o primeiro gigante! Agora, o primeiro vazzopaca, capturado na corredeira. Resolvemos repassar o ponto, pedimos pro guia jogar uma twitch, a fim de cobrir meus arremessos. Logo no começo do ponto, antes de começar o pedral, a galhada deu ao guia um peixe grande. Ele forçou e logo escapou, mas enquanto recolhia, o par do peixe acompanhou e pegou junto ao bote, muita briga (na correnteza é demaaaaais!!!!) e o guia embarcou seu peixão também. Aqui as fotos do troféu dele. Mais um bitelo, aqui o registro (não perca a conta!). Então, coloquei uma hélice de 15 cm e comecei a jogar para o meio do lago. Primeiro saiu esse. E depois esse, uma libra a menos do que o recorde mundial atual, na traaaaaave. Um peixe incrível!!! Eu não conseguia acreditar, mas o guia achava tudo tão normal que chegava a me assustar. Que lugar era aquele? Seriam reais as possibilidades de bater o recorde? Resolvemos que no terceiro e último dia, subiríamos o máximo possível. Então começou o último dia e já notamos que, lá para cima, estava raso demais, arrastamos muito em pleno leito do rio e os lagos totalmente secos. Viramos para a jusante e descemos pescando. Numa parte rasa do rio, notei uma sombra com “cara de peixe” e lancei a T20 por baixo das árvores. Vim trabalhando, quando a isca saiu da sombra, notei o monstro dourado embaixo acompanhando - com 1 metro de profundidade se acha até uma moeda de 1 centavo no fundo deste rio, tamanha a limpidez da sua água – continuei trabalhando firme (apesar da adrenalina), e naquele mergulhinho da isca, pude ver a bocarra branca se abrir e a isca sumir lá dentro. Dei uma ferrada moderada pra cima e soltei bem a fricção da carretilha, desci o rio brigando com aquele peixe incrível, brilhando suas cores intensas e saltando demais. Consegui embarcar o gigante e aproveitei para refrescar o calor naquelas águas tão piscosas. Novamente, uma libra me separava do recorde mundial. Na traaaaaaaave! Falando em refresco, vejam aqui um dos muitos igarapés de água gelada, perfeitos para um pit stop regado a ceviche e cerva trincando. Então retomamos a pescaria e chegamos à boca de um lago bem mais fundo. Cansado e sentado no bico do bote (ponta da proa), arremessava a hélice de 15 cm pra frente do bote. Logo no começo do lago, tomo uma linda porrada de um peixe amarelão, mas não muito grande, ele toma um pouco de linha na direção do fundo e, de repente, fica muito pesado. Forço um pouco para cima e a uns 2 metros da superfície conseguimos ver que a isca foi atacada por outro peixe muito maior. Os dois se embolam e, perto da superfície, o menor se desvencilha da isca e fico só com o grande. O que ficou, salta duas vezes e corre em direção a uma praia, encalhando sozinho. Desço e vou até ele, que não resiste muito e posa bonito para as fotos. Agora cheguei ainda mais perto. Apenas meia libra abaixo do recorde mundial, essa foi no travessão! Aqui o registro desse peixe. Pouco mais à frente o guia engata um monstro que não vemos nem a cara, vai pro pau e deixa a isca lá. Eu ainda perdi dois peixes enormes em ataques fenomenais em pleno leito do rio, mas estava com a isca de hélice e eles erraram. Contabilizamos apenas 80 tucunarés em 3 dias, porém 8 foram troféus, ou seja, uma proporção de 10%. A cada 10 peixes, saiu um troféu. Fui embora com a sensação de que, no rio Paratucu, bater o recorde mundial é uma possibilidade real. Após um mês, resolvi voltar lá para mais 3 dias de caçada ao recorde mundial e averiguar todas as possibilidades e detalhes de um possível novo destino de pesca. Acampamos no mesmo lugar e iniciamos a pescaria nos lagos que estavam secos um mês antes, afinal o rio tinha subido um metro. Então eram 29 de fevereiro de 2016, amanheceu chovendo e esperamos passar. Enfim, navegamos rio acima e paramos no primeiro ponto, onde fiz alguns arremessos fora do lago com a hélice. 2 paquinhas abriram os trabalhos. Então, ainda de fora do lago, troquei de vara e arremessei a zara longe lá dentro dele. Exatamente 10 horas da manhã. Tic Tac Tic Tac Tic Tac POOOOOOWWWWWW O peixe correu a favor da linha e eu recolhendo o mais rápido possível, ele passou pela boca do lago ganhando a correnteza e finalmente mostrando toda a sua fúria, ao mesmo tempo em que nós tínhamos acabado de passar para a água calma dentro do lago. O guia girou a canoa e o peixe voltou e subiu a corrente. Giramos novamente e ele adentrou o lago, foi quando correu no limpo e eu liberei metade do drag para não correr riscos desnecessários. Fomos atrás dele e ele girando ao redor da canoa, uma briga alucinante. Levou mais de 10 minutos até perceber que era um peixe gigantesco. Liberei mais ainda o freio e finalmente o embarquei. Emocionado, gritei que era o recorde. 16 LIBRAS de Vazzoleri, 3 libras a mais do que o recorde atual, peixe de 13 libras do meu amigo e grande pescador Ian-Arthur de Sulocki. Não tenho palavras para descrever a emoção de pegar um peixe desse. Fizemos todo o registro como mandam as regras da IGFA e liberamos o gigante dos gigantes. Aqui as fotos desse incrível animal. Após a soltura do peixe da minha vida até agora, seguimos lentamente lago adentro conversando e achando incrível tudo aquilo, começar já batendo o recorde mundial. O guia afirmou insistentemente que o Paratucu tem peixes ainda maiores, mas isso nem passava pela minha cabeça. Então, em meio ao papo, enxergo um peixão naquela água cristalina. “Olha o gigante que tá ali, vou jogar na cara dele.” A isca tocou na água 1 metro à sua frente e instantaneamente POOOOOOWWWWWW, tomou mais de 20 metros de linha, achei que não ia parar nunca, entrou na galhada e eu parei de segurar. Chegando perto, fui trazendo bem devagar e ele desfez o caminho. Depois brigou limpo e eu embarquei. Outro gigante, esse com 11 libras, assim, em arremessos seguidos. Liberei o peixe tão rápido que esqueci de posar com ele, tamanha a confusão em minha cabeça pelo peixe anterior. Mas não faz mal, aqui a medida do monstro. Ao terminar de bater o lago do Recorde, o guia nos conduziu a uma pequena praia em frente ao lago. “É aqui que quero fazer o acampamento.” Fiquei atônito! “Aqui? E nós pegamos o recorde bem ali em frente?” Inacreditável! Analisamos o local e definimos que sim, será ali a nossa base, no melhor da pescaria, num ambiente completamente isolado e inacessível por outros meios. E de onde poderá ser visto o local da captura do recorde. Vou até colocar uma plaquinha lá. Seguimos pescando no rio, mas nada de peixe. Subimos para outro lago muito bom. O guia falou que tinha um “morador” muito grande na entrada desse lago, mas que ninguém conseguia pegar. Ele parou o motor antes e se aproximou devagar. “Marcel, joga nessa esquina e vem trazendo que ele tá lá, mas faz ele pegar, que ninguém acertou fisgar ele ainda.” Eram 16 h em ponto. Arremessei e vim trabalhando a zara bem provocante, bem estralado ao invés do TIC TAC. Dito e certo, uma onda enorme se formou atrás da isca e ela “surfou” uns 30 cm pra frente, folgando a linha. Assim que recolhi a folga e a isca estralou novamente, o peixe abocanhou a isca de baixo pra cima numa porrada incrível, todo o seu corpo saiu quase um metro fora da água, aquela barra dourada gigantesca quebrando o silêncio do lago com um estrondo era de arrepiar, eu já sabia que era gigante, brigou sujo e eu tive que segurar, quando finalmente cansou eu liberei mais o freio e administrei. Chegando perto, a água cristalina já mostrava que este peixe também daria recorde. Ao embarcar o peixe gordo de lindas cores, pesei o bicho e... 16 LIBRAS de novo!!!! Eu não cabia em mim de felicidade. Vejam que peixe maravilhoso! PoOoOoOoOoOoOoOwWwWwWwW!!!!! Para agilizar a soltura do monstro, resolvi fazer o registro para tentar o recorde de comprimento, já que é mais rápido e não precisa desembarcar. Fiz as fotos na câmera e filmei a soltura obrigatória no celular – infelizmente, ao chegar a Manaus, na correria para ir fazer rapel, não fiz backup dos vídeos e, na volta, perdi meu celular. Fiquei arrasado, porque este segundo peixe não vai arriscar um merecido certificado de comprimento da IGFA, além das lindas solturas dos dois gigantes anteriores (todos os 3 peixes me deram banho na saída, parecia combinado entre eles). Mas o primeiro de 16 lb está completamente registrado e será submetido a recorde de peso e os amigos do FTB, o melhor fórum de pesca do Brasil, estão tendo a notícia em primeira mão. O melhor dia de pesca da minha vida havia terminado (apenas 12 tucunarés, porém 3 gigantes, uma taxa de 25%!), debaixo da chuva pesada que ameaçou cair o dia inteiro, mas nos permitiu pegar estes peixes espetaculares. Mas daí a chuva não parou mais, tínhamos batido o recorde mundial de tucunaré Vazzoleri no último dia daquele verão prolongado (seca histórica), o melhor dia de pesca da minha vida, e nos dois dias seguintes comemos picanha e peito de frango, porque não dava pra pegar nem pro almoço. Chuva pesada e praticamente ininterrupta. Água subindo a olhos vistos e muito suja. Mas voltamos mais que satisfeitos: pegamos o recorde mundial como havíamos sonhado e avaliamos in loco todos os aspectos necessários para nosso acampamento selvagem. Em breve, aqui no FTB, estará a divulgação dessa nova opção para pescadores esportivos apaixonados pelo tucunaré, com oportunidade de conhecer os maiores Vazzoleri que existem, enfrentá-los em água corrente, que é um desafio à parte, e com possibilidades reais de bater novamente o Recorde Mundial para a espécie. No mínimo, você sabe que estes dois peixes estarão lá, crescendo para que você os capture novamente. O Vazzoleri é muito maior do que estamos acostumados a ver, é muito maior e mais interessante do que eu poderia imaginar, e agora quero dividir esta emoção com os amigos pescadores. Aguarde só mais um pouco, o exclusivíssimo acampamento selvagem no rio Paratucu estará disponível em breve. Finalizo este relato pedindo a torcida dos amigos pela homologação de mais um recorde do Brasil, do FTB! Grande abraço em todos!
  8. arrow:: Tudo se inicia em um churrasco onde reunimos uma pequena parcela dos integrantes do Baquara Team - Roraima/Amazonas, onde amadurecemos a ideia de ir pescar os gigantes trairões no Suriname. A partir dai fomos nos organizando para seguir rumo a aventura mais emocionante de nossas vidas e sem duvidas uma das melhores pescarias já feitas pelo grupo. arrow:: Chegando no Suriname de avião partimos de carro até uma vila nas proximidades do Rio Orim que desemboca em um pequeno braço conhecido como braço Rupestre. Ficamos cerca de 1 dia no alojamento e partimos cedo de barco para o acampamento na mata onde nos deparamos com uma seca extrema no local, o nível do rio estava espantosamente baixo, nos deixando desanimados pois sabíamos que com pouca água as chances de capturas diminuiriam consideravelmente. arrow:: No primeiro lançamento de isca do acampamento uma explosão surpreende a todos e o silencio e quebrado em vibração de todos no grupo, um grande trairão tinha errado a isca do nosso parceiro Baquara Team - Nadim Abdala e rapidamente foi lançada uma isca pelo outro componente da expedição Oilen Garcia que termina por capturar a fera e deixar em êxtase a expedição com um belo exemplar de trairão. Após essa fera o parceiro Wallace Garcia captura um grande exemplar de 9,5 kg em uma explosão na superfície que deixa a todos bastante animados pois acreditávamos que seria o maior exemplar de toda a pescaria, apos esse monstro, inúmeras capturas foram realizadas com trairões variando entre 5 e 8 kg todos nas ações de superfícies, vários ataques explosivos com os trairões mostrando a sua brutalidade! arrow:: Ao cair da noite e com as ações nas artificiais diminuindo, decidimos pescar peixes de couro e apoitamos em um ponto do rio, onde um grande arrasto carregou a linha do nosso amigo Oilen Garcia deixando todos eufóricos pois pensávamos ser um exemplar de couro gigante porem fomos surpreendidos com um grande salto calando o silencio da madrugada...era um TRAIRÃO de 92,5 cm e mais de 25 lb brigando na escuridão. Ficamos loucos observando a potência do animal e o tamanho desproporcional que tinha. arrow:: Passada a noite das emoções, tivemos um dia com menos ações nas iscas artificiais mas não deixando de capturar alguns bons exemplares de trairões. arrow:: Ao anoitecer partimos para o mesmo ponto e por volta das 18:00 h Nadim Abdala captura 2 bons exemplares de CAPARARI, um belo peixe e que briga ate o ultimo segundo. Por volta das 21:00 h todos com as linhas na água meu parceiro Nadim Abdala pede para que eu segure seu equipamento de pesca que estava com a linha na água. Senti alguns minutos depois que existia a presença de algo na linha e ofereci para que ele pegasse o equipamento de volta, porém ele autoriza que eu tire o que está na linha já que ele estava resolvendo um problema com algo que não lembro agora no barco. No momento que fisgo o peixe todos no barco ficam em silencio que é quebrado com um grande salto causando um barulho muito diferente dos outros trairões pegos anteriormente e todos ligam as lanternas na escuridão e mais uma vez ele salta ! É uma anomalia da natureza ! Um TRAIRÃO de 97 cm e mais de 30 lb ( Balança IGFA ). Um peixe gigante extremamente maior que qualquer outro que tínhamos visto na pescaria e nas nossas vidas. Ao ser embarcado todos ficam extasiados com o tamanho da NAVE ! Um VERDADEIRO RECORDE que a natureza me presenteou e que foi devolvido vivo a mesma como todos os outros capturados ! A balança IGFA não aguentou a pressão dos gigantes e já não esta entre nós. arrow:: Após esse MONSTRO DO RIO nosso amigo Oilen Garcia captura mais outra anomalia um verdadeiro GIGANTE de 94,5 cm com mais de 30 lb seguido também pela captura de outra NAVE de 88 cm de Nadim Abdala com mais de 25 lb, deixando a pescaria sensacional e mostrando inúmeros exemplares variando de 88 cm ao recorde de 97 cm....sem dúvidas a melhor pescaria de trairões de nossas vidas. arrow:: Vamos parar de blá blá blá e vamos ver as ALGUMAS DAS FERAS ? arrow:: O primeiro da aventura capturado por OILEN GARCIA vulgo BOILEN arrow:: Belo trairão do Baquara Team Thyapuã "Caveirão" Batista arrow:: Trairão violento pela manhã do Nadim "Indio" Abdala arrow:: Boilen Garcia com mais um exemplar arrow:: Wallace "Zica" "Arraia" Garcia arrow:: Bocudo braaaaaaabo do Nadim "Índio " Abdala arrow:: Mais uma FERA do "Caveirão" Batista arrow:: Belo gigante do Wallazica ! arrow:: Bocudo!!!!!!!!!!!!!!! Aaaaaaanimaaaaaaaaaalll arrow:: PANCADA do "Índio" Abdala arrow:: ENCHARUTADA NO TRAIRÃO!!!!!!!!!! arrow:: Dublê DE GIGANTES! arrow:: Sinta a Potencia arrow:: Belo CAPARARI do Nadim Abdala arrow:: CHAMA O GIGANTE arrow:: Nosso amigo WALLAZICA ! Fazendo cara de BRADOCK arrow:: Bela coloração de Trairão arrow:: Animal BRUTO arrow:: Belo Exemplar do Wallace Garcia Arraias arrow:: Hora de dormir! Caveirão esquecendo cobertor teve que improvisar ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk arrow:: Quando chega a noite as feras CRESCEM!!!!!!! Agora vai começar a pescaria das ANOMALIAS arrow:: AQUI SÓ 88 cm e 25 lb UP!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! BAQUARA NELES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! arrow:: Agora o RECORDE da pescaria! 97 cm e mais de 30 libras (balança IGFA 30lbs) CAVEIRÃO NELES ! BAQUARA TEAM caveira:: caveira:: caveira:: caveira:: caveira:: caveira:: caveira:: caveira:: caveira:: caveira:: caveira:: caveira:: ::excl:: ::excl:: ::excl:: ::excl:: ::excl:: ::excl:: ::excl:: ::excl::
×
×
  • Criar Novo...