Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Tallys Souza

Mas isso também não degrada?

Posts Recomendados

Turma,

Seguinte,

Estava dando uma refletida sobre algumas "questões de cunho ambiental" e, aspirava sobre alguns questionamentos:

arrow:: Iscas Artificiais, Linhas, Anzóis, que se perdem nas ferradas ou mesmo em galhos e pedras, onde vão parar?No fundo das águas?E daí?

Tem uma varinha mágica que as trazem novamente?Isso, preocupa ou não?Eu?Preocupadíssimo com o avassalador depósito de plástico. Parar de pescar,não é o fato,como disse...,ouvir a opinião de todos é muito importante.

E você, o que pensa?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Thallys, esta questão colocada por você é de suma importância e merece discussão mais aprofundada. Claro que cada um tem opinião formada a respeito, outros nem imaginam que este tipo de lixo pode vir a causar danos à natureza.

Tempos atrás uma revista trouxe uma matéria a respeito da quantidade de chumbadas que eram perdidas nos rios brasileiros, em especial, em Cáceres (Rio Paraguai) no Mato Grosso. É impressionante o volume deste material que é despejado naquele rio no períododa temporada anual de pesca.

Então, qualquer material, seja plástico, linha, chumbadas, garrafas plásticas - estas merecem capítulo à parte - que são atiradas em nossas águas trazem d anos consideráveis.

Aliás, quero chamar a atenção de todos os pescadores deste Forum para que recolham seu lixo quando voltarem da Serra da Mesa. É impressionante a quantidade de garrafas jogadas à beira da represa, praticamente em todas as Pousadas por onde a gente anda.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Seu João, eu já vi uma estimativa da quantidade de chumbo é perdida anualmante no Pantanal. O autor do artigo citou quer o Pantanal recebe 30.000 pecadores/ano (eu acho que deve ser bem mais). Se cada um perder 100 g de chumbo (chutando baixo também) são 30 no minimo 30 toneladas de chumbo por ano.

É um problema de solução dificilima pois até hoje nao existe um substituto à altura do chumbo e a pesca com iscas naturais é de longe a mais praticada. Nós somos preocupados com a qualidade ambiental, mas por mais que nos esforçemos existe o óleo na agua, linhas, metais etc. Isso somos nós, imagina os urêias que tem por ai que jogam pilha no rio, usam bateria velha como poita e jogam qualquer coisa sem serventia na agua.

bração

Tempos atrás uma revista trouxe uma matéria a respeito da quantidade de chumbadas que eram perdidas nos rios brasileiros, em especial, em Cáceres (Rio Paraguai) no Mato Grosso. É impressionante o volume deste material que é despejado naquele rio no períododa temporada anual de pesca.

.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Thallys, esta questão colocada por você é de suma importância e merece discussão mais aprofundada. Claro que cada um tem opinião formada a respeito, outros nem imaginam que este tipo de lixo pode vir a causar danos à natureza.

Tempos atrás uma revista trouxe uma matéria a respeito da quantidade de chumbadas que eram perdidas nos rios brasileiros, em especial, em Cáceres (Rio Paraguai) no Mato Grosso. É impressionante o volume deste material que é despejado naquele rio no períododa temporada anual de pesca.

Então, qualquer material, seja plástico, linha, chumbadas, garrafas plásticas - estas merecem capítulo à parte - que são atiradas em nossas águas trazem d anos consideráveis.

Aliás, quero chamar a atenção de todos os pescadores deste Forum para que recolham seu lixo quando voltarem da Serra da Mesa. É impressionante a quantidade de garrafas jogadas à beira da represa, praticamente em todas as Pousadas por onde a gente anda.

Fala Sô João!

NOTA:10! ::tudo::

É aquela história:"Pimenta não arde nos olhos alheios" joia:::

Vou citar um caso:

Indo pescar em uma ocasião,vi alguns pescadores posicionados em uma ponte com seus equipamentos,cheguei para fazer amizade e uma tremenda surpresa blink:: Todos eles estavam preparando o equipamento para soltar na água e deixar as varas na espera,detalhe,sabe qual material empregado para descer o Sarapó água abaixo até o ponto em que eles queriam?Advinha?Ele mesmo Seu João,o ISOPOR! caveira:: Além do mais,diziam:"fazemos isso a anos,pois,o ISOPOR leva a isca bem longe" chorei::

arrow:: (...)sem comentários.

Vamos estendendo a idéia Sô João,visto que:

Fabricantes:

Iscas

Linhas

Anzóis

E o Chumbo?(o chumbo para chumbadas não poderiam ser trocado por outro material,qual?)

Não existe?Ah,isso não,existe sim!Pesquisa,eis,a chave do sucesso! ::tudo::

Vamo lá...,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Seu João, eu já vi uma estimativa da quantidade de chumbo é perdida anualmante no Pantanal. O autor do artigo citou quer o Pantanal recebe 30.000 pecadores/ano (eu acho que deve ser bem mais). Se cada um perder 100 g de chumbo (chutando baixo também) são 30 no minimo 30 toneladas de chumbo por ano.

É um problema de solução dificilima pois até hoje nao existe um substituto à altura do chumbo e a pesca com iscas naturais é de longe a mais praticada. Nós somos preocupados com a qualidade ambiental, mas por mais que nos esforçemos existe o óleo na agua, linhas, metais etc. Isso somos nós, imagina os urêias que tem por ai que jogam pilha no rio, usam bateria velha como poita e jogam qualquer coisa sem serventia na agua.

bração

Tiago,

Só prá esclarecer: 30.000 x 0.1 kg = 3.000 kg, ou seja, 3 ton e não 30 ton. Para que fossem 30 ton teria que ser 1kg de chumbo perdido por pescador.

De qualquer forma, pergunto: perder linha e chumbada no garrancho faz parte da pescaria. Quem é que vai parar e mergulhar prá tirar o enrosco e salvar a natureza? Eu, certamente não, mesmo porque não sei nadar (rsrsrs) e ainda que soubesse não o faria.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Seu João, eu já vi uma estimativa da quantidade de chumbo é perdida anualmante no Pantanal. O autor do artigo citou quer o Pantanal recebe 30.000 pecadores/ano (eu acho que deve ser bem mais). Se cada um perder 100 g de chumbo (chutando baixo também) são 30 no minimo 30 toneladas de chumbo por ano.

É um problema de solução dificilima pois até hoje nao existe um substituto à altura do chumbo e a pesca com iscas naturais é de longe a mais praticada. Nós somos preocupados com a qualidade ambiental, mas por mais que nos esforçemos existe o óleo na agua, linhas, metais etc. Isso somos nós, imagina os urêias que tem por ai que jogam pilha no rio, usam bateria velha como poita e jogam qualquer coisa sem serventia na agua.

bração

Tiago,

Só prá esclarecer: 30.000 x 0.1 kg = 3.000 kg, ou seja, 3 ton e não 30 ton. Para que fossem 30 ton teria que ser 1kg de chumbo perdido por pescador.

De qualquer forma, pergunto: perder linha e chumbada no garrancho faz parte da pescaria. Quem é que vai parar e mergulhar prá tirar o enrosco e salvar a natureza? Eu, certamente não, mesmo porque não sei nadar (rsrsrs) e ainda que soubesse não o faria.

Pércio,

Entendi o que você quis dizer :gorfei: .De forma que impossibilita-nos a retirada desses materiais,mas podemos ter uma ótica(prática)vasta sobre a degradação,seu estado,sua movimentação.Lembrando:"Sacolas plásticas",opa!Dias contados!

Os projetos em torno das Baleias, dos Tamanduás, das Araras, do Lobo Guará, começaram assim, procurando alternativas, propostas, chegando às cadeiras das Universidades, onde, foram captadas idéias de solução para cada caso e, tem mudado!Veja só a nossa preocupação e trabalho aqui em Minas Gerais:

arrow:: http://www.manuelzao.ufmg.br/

arrow::http://www.manuelzao.ufmg.br/pesquisa/conheca_nuvelhas

::tudo:: palmas:: palmas:: palmas::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Entendo que o tema seja interessante de ser considerado, embora existam coisas que antecedem essa "visão" !

Quando falamos em "pesca esportiva" tratamos de que segmento ?

Não vamos nos enganar com o percentual de pescadores conscientes que "fazem o seu papel" x os demais...

Somos ( ainda ) insignificantes diante dos completamente "depravados"...

A "grande escola" de comportamento é o exemplo, e através dele é que se condicionam as pessoas...

Junto do "exemplo", seu "primo próximo" é chamado de "educação", e se quiserem sofisticar, "educação ambiental"...

Já pensaram em como viabilizar isso àqueles que mal sabem falar e pouco tem o que comer ??

Contrariamente ao que possa parecer, este é o melhor público a aceitar esse aprendizado... a carência deles, faz com que não exista "pré-conceitos" que antagonizem uma nova visão dos fatos...

Mesmo longe de notícias da nossa mídia, existe um grande avanço nos conceitos passados pelas Ong's e ações em torno de projetos auto-sustentáveis !

Falta-nos apenas ( como se fosse pouco ) a vontade política de fazer com que isso aconteça em escala...

Vejo que já aparece "um começo" dessa conscientização pretendida nas pescarias que realizo, ao perceber que não apenas o sacrifício das espécies começa a ser combatido pelos piloteiros, como também eles passam a fiscalizar ( e evitar ) as agressões ao meio ambiente, procurando recolher o lixo provocado pelos grupos de pesca nas suas ações semanais...

Pode parecer pouco, mas é um começo, e um exemplo a ser percebido por um número cada vez maior de pessoas...

Claro que o motivo de preocupação persiste, não apenas pelas 3 toneladas ano de chumbo que ficam só no leito dos rios do Pantanal, mas de todo o "lixo produzido" pelas estruturas de pesca ( operadores e pescadores ), mas a EXEMPLIFICAÇÃO é um ótimo caminho para fazer com que as mudanças comecem a ocorrer...

Quantos de nós, mais experientes ( para não chamar de "velhos" ) não pescávamos sem qualquer preocupação conservacionista na nossa fase mais juvenil ?

Quantos de nós não estranhamos os conceitos de "pesque & solte" dos programas do Rubinho no Pesca & Cia...

Pois é, hoje já há diferença, e isso tende a aumentar pela própria conscientização da população em torno da ecologia !

A MUDANÇA já está em marcha, e se formos hábeis o suficiente para não acabar com tudo, é possível que consigamos deixar algumas coisas - dentre tantas que conhecemos - para nossos descendentes... :bompost:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Entendo que o tema seja interessante de ser considerado, embora existam coisas que antecedem essa "visão" !

Quando falamos em "pesca esportiva" tratamos de que segmento ?

Não vamos nos enganar com o percentual de pescadores conscientes que "fazem o seu papel" x os demais...

Somos ( ainda ) insignificantes diante dos completamente "depravados"...

A "grande escola" de comportamento é o exemplo, e através dele é que se condicionam as pessoas...

Junto do "exemplo", seu "primo próximo" é chamado de "educação", e se quiserem sofisticar, "educação ambiental"...

Já pensaram em como viabilizar isso àqueles que mal sabem falar e pouco tem o que comer ??

Contrariamente ao que possa parecer, este é o melhor público a aceitar esse aprendizado... a carência deles, faz com que não exista "pré-conceitos" que antagonizem uma nova visão dos fatos...

Mesmo longe de notícias da nossa mídia, existe um grande avanço nos conceitos passados pelas Ong's e ações em torno de projetos auto-sustentáveis !

Falta-nos apenas ( como se fosse pouco ) a vontade política de fazer com que isso aconteça em escala...

Vejo que já aparece "um começo" dessa conscientização pretendida nas pescarias que realizo, ao perceber que não apenas o sacrifício das espécies começa a ser combatido pelos piloteiros, como também eles passam a fiscalizar ( e evitar ) as agressões ao meio ambiente, procurando recolher o lixo provocado pelos grupos de pesca nas suas ações semanais...

Pode parecer pouco, mas é um começo, e um exemplo a ser percebido por um número cada vez maior de pessoas...

Claro que o motivo de preocupação persiste, não apenas pelas 3 toneladas ano de chumbo que ficam só no leito dos rios do Pantanal, mas de todo o "lixo produzido" pelas estruturas de pesca ( operadores e pescadores ), mas a EXEMPLIFICAÇÃO é um ótimo caminho para fazer com que as mudanças comecem a ocorrer...

Quantos de nós, mais experientes ( para não chamar de "velhos" ) não pescávamos sem qualquer preocupação conservacionista na nossa fase mais juvenil ?

Quantos de nós não estranhamos os conceitos de "pesque & solte" dos programas do Rubinho no Pesca & Cia...

Pois é, hoje já há diferença, e isso tende a aumentar pela própria conscientização da população em torno da ecologia !

A MUDANÇA já está em marcha, e se formos hábeis o suficiente para não acabar com tudo, é possível que consigamos deixar algumas coisas - dentre tantas que conhecemos - para nossos descendentes... :bompost:

(...)"A MUDANÇA já está em marcha, e se formos hábeis o suficiente para não acabar com tudo, é possível que consigamos deixar algumas coisas - dentre tantas que conhecemos - para nossos descendentes... "

Posso garantir(a exemplo do Projeto Manuelzão) que aqui em Minas Gerais há uma mudança prática nisso tudo.Claro,em outros lugares também existe.Esse é o caminho! ::tudo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Seu João, eu já vi uma estimativa da quantidade de chumbo é perdida anualmante no Pantanal. O autor do artigo citou quer o Pantanal recebe 30.000 pecadores/ano (eu acho que deve ser bem mais). Se cada um perder 100 g de chumbo (chutando baixo também) são 30 no minimo 30 toneladas de chumbo por ano.

É um problema de solução dificilima pois até hoje nao existe um substituto à altura do chumbo e a pesca com iscas naturais é de longe a mais praticada. Nós somos preocupados com a qualidade ambiental, mas por mais que nos esforçemos existe o óleo na agua, linhas, metais etc. Isso somos nós, imagina os urêias que tem por ai que jogam pilha no rio, usam bateria velha como poita e jogam qualquer coisa sem serventia na agua.

bração

Tiago,

Só prá esclarecer: 30.000 x 0.1 kg = 3.000 kg, ou seja, 3 ton e não 30 ton. Para que fossem 30 ton teria que ser 1kg de chumbo perdido por pescador.

De qualquer forma, pergunto: perder linha e chumbada no garrancho faz parte da pescaria. Quem é que vai parar e mergulhar prá tirar o enrosco e salvar a natureza? Eu, certamente não, mesmo porque não sei nadar (rsrsrs) e ainda que soubesse não o faria.

Voce entendeu errado meu amigo, eu nao entro na água pra retirar chumbada (mesmo pq nao pesco nessa modalidade), o Cesar Cielo nao entra na água pra retirar chumbada e eu nao recomendo em hipotese alguma que alguem faça isso, mesmo pq nao é uma atitude dessa que "salvaria a natureza".

Mas nem por isso esse material perdido vaio deixar de causar degradação e nem nós vamos deixar de pescar por causa disso nao é?

O cálculo da quantidade de chumbo realmente errei feio, mas vale citar que as estimativas que fiz estao muito conservadoras, pois em alguns locais uma unica chumbada para pesca de jaú passa das 250 g.

bração

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande Tallys,

a minha parte eu estou fazendo, não pesco com isca viva, com exceção de uma ocasional batida nos couros, e não costumo perder iscas artificiais, isso por pura sorte rindo3:: rindo3:: Mas é verdade, nos últimos 2 anos perdi apenas 2 iscas, tá bom pro bolso e pro meio ambiente, não é ? :gorfei: :gorfei:

Mas falando em termos gerais, realmente o mais preocupante é o chumbo, nos USA a preocupação é tão grande que há anos atrás proibiram o chumbo nos cartuchos de armas de caça, para evitar a contaminação dos cursos dágua onde eles caçam muitas aves, não sei se fizeram algo equivalente na pesca, mas sei que existem pesos para pesca com minhocas artificiais feitos de tungstênio.

Creio que o plástico das artificiais causa muito pouco impacto, pq se perde poucas iscas, em comparação com o que se perde de chumbo, e tbém pq muita gente recupera e até reaproveita iscas perdidas por outros pescadores, especialmente as floating, que me parecem ser a grande maioria.

No mais, concordo com o que o pessoal disse, a conscientização é importante e as mudanças vem ocorrendo, cabe a nós observar e cuidar para que não se largue lixo nos locais de pesca.

Abs. ::tudo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Essa discussão certamente merece toda atenção possível. Embora todo mundo seja um poluidor em potencial, uns mais outros menos, alguns conscientes e outros não, o fato é que ninguém quer abrir mão do conforto e prazer em pró da natureza. Mesmo os que se dizem ecologistas, não abrem mão de ter um computador, um belo carro, tomar um banho quente, assistir a um filme no seu aparelho de dvd, ter um celular de última geração e por ai vai. E justamente por isso, temas como o do tópico devem ser debatidos, a fim de que possamos fazer a diferença, ainda que pequena, a favor do meio ambiente. Só por coriosidade, olhem a tabela abaixo, onde é mostrado o tempo de degradação de alguns objetos, os quais quase sempre são descartados nos rios brasileiros por alguns "pescadores" em suas pescarias.

Objeto Tempo de Degradação

Embalagens de papel 1 a 4 meses

Pontas de cigarro 2 anos

Palito de fósforo 2 anos

Chiclete 5 anos

Cascas de frutas 3 meses

Nylon 30 a 40 anos

Copinhos de plástico 200 a 450 anos

Latas de alumínio 100 a 500 anos

Tampinhas de garrafa 100 a 500 anos

Pilhas e baterias (chumbo) 100 a 500 anos

Garrafas de plástico mais de 500 anos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande Tallys,

a minha parte eu estou fazendo, não pesco com isca viva, com exceção de uma ocasional batida nos couros, e não costumo perder iscas artificiais, isso por pura sorte rindo3:: rindo3:: Mas é verdade, nos últimos 2 anos perdi apenas 2 iscas, tá bom pro bolso e pro meio ambiente, não é ? :gorfei: :gorfei:

Mas falando em termos gerais, realmente o mais preocupante é o chumbo, nos USA a preocupação é tão grande que há anos atrás proibiram o chumbo nos cartuchos de armas de caça, para evitar a contaminação dos cursos dágua onde eles caçam muitas aves, não sei se fizeram algo equivalente na pesca, mas sei que existem pesos para pesca com minhocas artificiais feitos de tungstênio.

Creio que o plástico das artificiais causa muito pouco impacto, pq se perde poucas iscas, em comparação com o que se perde de chumbo, e tbém pq muita gente recupera e até reaproveita iscas perdidas por outros pescadores, especialmente as floating, que me parecem ser a grande maioria.

No mais, concordo com o que o pessoal disse, a conscientização é importante e as mudanças vem ocorrendo, cabe a nós observar e cuidar para que não se largue lixo nos locais de pesca.

Abs. ::tudo::

Meu Mestre Lusardo!

O poeta dos Pampas! ::tudo::

Pois é,Lusardo,de fato,esse entorno do "chumbo" está agregado intrínsecamente.A maior preocupação não é tão somente esse fator de "Alteração e Poluição Química",mas é uma questão de educação mesmo.Não se deve delimitar:"Papo de Pescador"

Não,é assunto atual do desenvolvimento humano,uma idéia a amadurecer com base na contemplação da espécie e de modo geral,senão.

Que metais pesados, como o chumbo, prejudicam os rins deveria ser de conhecimento comum há séculos. Isso porque pintores e operadores de linotipos a chumbo, nas antigas gráficas, sofriam, muito mais do que outros grupos profissionais, de graves problemas nos rins.Muito prejudicial, além do chumbo, é comprovadamente o mercúrio. Esses metais podem se combinar com certas proteínas, causando uma séria perda de função dos rins.

O uso do chumbo — um metal pesado empregado em uma infinidade de produtos, desde encanamento até tintas — foi recentemente declarado ilegal na Dinamarca, abrindo o caminho para que outros países sigam o seu exemplo. O chumbo é um tóxico que afeta os nervos e sua presença em altas concentrações no meio ambiente pode causar danos ao cérebro de crianças. O chumbo encontrado em combustíveis é uma das causas, mas o chumbo empregado em outros produtos, como nos plásticos, materiais de construção, cerâmicas e cristais, também são fontes perigosas. Embora a Europa tenha recentemente proibido o uso de gasolina com chumbo, a Dinamarca coloca-se um passo adiante e já começou a eliminar produtos que contenham mais de 100 ppm de chumbo.

E por aí...,

Papo legal,ou seja,aqui,o nosso chumbo,é outro! mau:: :gorfei:

arrow::http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/ha ... sequence=4

arrow:: http://www.bvsde.paho.org/bvsacd/cd25/exposicao.pdf

arrow:: http://www.fernandosantiago.com.br/met90.htm

arrow::http://www.riosvivos.org.br/Noticia/Con ... beira/8181

Abração Lusardo! ::tudo:: Herdeiro das "Letras de Braun"!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Essa discussão certamente merece toda atenção possível. Embora todo mundo seja um poluidor em potencial, uns mais outros menos, alguns conscientes e outros não, o fato é que ninguém quer abrir mão do conforto e prazer em pró da natureza. Mesmo os que se dizem ecologistas, não abrem mão de ter um computador, um belo carro, tomar um banho quente, assistir a um filme no seu aparelho de dvd, ter um celular de última geração e por ai vai. E justamente por isso, temas como o do tópico devem ser debatidos, a fim de que possamos fazer a diferença, ainda que pequena, a favor do meio ambiente. Só por coriosidade, olhem a tabela abaixo, onde é mostrado o tempo de degradação de alguns objetos, os quais quase sempre são descartados nos rios brasileiros por alguns "pescadores" em suas pescarias.

Objeto Tempo de Degradação

Embalagens de papel 1 a 4 meses

Pontas de cigarro 2 anos

Palito de fósforo 2 anos

Chiclete 5 anos

Cascas de frutas 3 meses

Nylon 30 a 40 anos

Copinhos de plástico 200 a 450 anos

Latas de alumínio 100 a 500 anos

Tampinhas de garrafa 100 a 500 anos

Pilhas e baterias (chumbo) 100 a 500 anos

Garrafas de plástico mais de 500 anos

Grande Brava!

É isso mesmo,Bravel,está certíssimo,cara!

Aliás,sempre leio seus comentários e são de extrema relevância.Esse;foi mais um dos.

Abraço!

arrow:: Lembrando o Sô João:"traga o lixo ::excl:: "

Fato marcante na arte contemporânea é o belíssimo trabalho do artista brasileiro Vik Muniz.A feitura do trabalho tem um conceito de "Responsabilidade Social"e,além desse importante estabelecimento,a carga da obra propõe um jogo estético fabuloso,monstruoso por sinal.O grande lance,a grande sacada:LIXO! ::tudo::

Pô,transforma,tudo em LUXO!Não se trata de reduzir a arte;como um todo;em luxo,porque não é mesmo!

Arte vai além do jogos estéticos,atrela-se a diversos arquétipos,provém desses e os plasmeia na expressão dos artistas.

Um trabalho fascinante;onde,a subjetividade é captada também dessa forma:Luxo

Fantástico artista!

Vale o quanto pesa:

arrow:: http://www.vikmuniz.net/

arrow:: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/ ... scar.shtml

arrow:: http://fotografia.folha.uol.com.br/gale ... aordinario

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Editei a mensagem pois ela nem sequer foi comentada, então venho a crer que foi inútil postá-la.

Como estudo na área de tecnologia ambiental em recursos hídricos em uma faculdade pública, talvez tenha usado uma linguagem muito técnica e dificil de ser compreendida.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galera, por isso que eu so uso linha grossa! Se o anzol enrroscar, eu faço o enrosco emergir! Além disso, ela não arrebenta e, assim, não perco iscas. Mais uma vantagem: trago o peixe mais rápido, dando a ele melhores condições de retornar forte para a água.

Já vi uns pesos para pesca feitos de argila (eu acho), biodegradáveis. A solução existe... Também já existe plástico biodegradável.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galera, por isso que eu so uso linha grossa! Se o anzol enrroscar, eu faço o enrosco emergir! Além disso, ela não arrebenta e, assim, não perco iscas. Mais uma vantagem: trago o peixe mais rápido, dando a ele melhores condições de retornar forte para a água.

Já vi uns pesos para pesca feitos de argila (eu acho), biodegradáveis. A solução existe... Também já existe plástico biodegradável.

Ih... quase que eu me esqueço do melhor: vamos usar iscas de madeira!!! Woodchopper, Pavon Prop, Tucunarex, Rip Roller!!! Já são as nossas preferidas mesmo!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Thallys, esta questão colocada por você é de suma importância e merece discussão mais aprofundada. Claro que cada um tem opinião formada a respeito, outros nem imaginam que este tipo de lixo pode vir a causar danos à natureza.

Tempos atrás uma revista trouxe uma matéria a respeito da quantidade de chumbadas que eram perdidas nos rios brasileiros, em especial, em Cáceres (Rio Paraguai) no Mato Grosso. É impressionante o volume deste material que é despejado naquele rio no períododa temporada anual de pesca.

Então, qualquer material, seja plástico, linha, chumbadas, garrafas plásticas - estas merecem capítulo à parte - que são atiradas em nossas águas trazem d anos consideráveis.

Aliás, quero chamar a atenção de todos os pescadores deste Forum para que recolham seu lixo quando voltarem da Serra da Mesa. É impressionante a quantidade de garrafas jogadas à beira da represa, praticamente em todas as Pousadas por onde a gente anda.

Ô Seu João,

Já que citou o plástico,dê só uma olhada aqui nessa matéria:

arrow:: http://www.ufmg.br/online/arquivos/018964.shtml

Pelo ao menos já festejamos quanto as "Sacolas Plásticas": ::nada:: tchau:: tchau:: tchau:: alegre:: alegre:: alegre::

Bom começo aqui nas Minas Gerais.É Lei!(apesar de que deveria ser consciência) ::tudo::

E,que nos venha o "Amido"! ::tudo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Thallys, esta questão colocada por você é de suma importância e merece discussão mais aprofundada. Claro que cada um tem opinião formada a respeito, outros nem imaginam que este tipo de lixo pode vir a causar danos à natureza.

Tempos atrás uma revista trouxe uma matéria a respeito da quantidade de chumbadas que eram perdidas nos rios brasileiros, em especial, em Cáceres (Rio Paraguai) no Mato Grosso. É impressionante o volume deste material que é despejado naquele rio no períododa temporada anual de pesca.

Então, qualquer material, seja plástico, linha, chumbadas, garrafas plásticas - estas merecem capítulo à parte - que são atiradas em nossas águas trazem d anos consideráveis.

Aliás, quero chamar a atenção de todos os pescadores deste Forum para que recolham seu lixo quando voltarem da Serra da Mesa. É impressionante a quantidade de garrafas jogadas à beira da represa, praticamente em todas as Pousadas por onde a gente anda.

Ô Seu João,

Já que citou o plástico,dê só uma olhada aqui nessa matéria:

arrow:: http://www.ufmg.br/online/arquivos/018964.shtml

Pelo ao menos já festejamos quanto as "Sacolas Plásticas": ::nada:: tchau:: tchau:: tchau:: alegre:: alegre:: alegre::

Bom começo aqui nas Minas Gerais.É Lei!(apesar de que deveria ser consciência) ::tudo::

E,que nos venha o "Amido"! ::tudo::

Ainda não é motivo de comemoração amigo Tallys!!!

A lei é municipal... ou seja, somente BH!!!

Abraço!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Thallys, esta questão colocada por você é de suma importância e merece discussão mais aprofundada. Claro que cada um tem opinião formada a respeito, outros nem imaginam que este tipo de lixo pode vir a causar danos à natureza.

Tempos atrás uma revista trouxe uma matéria a respeito da quantidade de chumbadas que eram perdidas nos rios brasileiros, em especial, em Cáceres (Rio Paraguai) no Mato Grosso. É impressionante o volume deste material que é despejado naquele rio no períododa temporada anual de pesca.

Então, qualquer material, seja plástico, linha, chumbadas, garrafas plásticas - estas merecem capítulo à parte - que são atiradas em nossas águas trazem d anos consideráveis.

Aliás, quero chamar a atenção de todos os pescadores deste Forum para que recolham seu lixo quando voltarem da Serra da Mesa. É impressionante a quantidade de garrafas jogadas à beira da represa, praticamente em todas as Pousadas por onde a gente anda.

Ô Seu João,

Já que citou o plástico,dê só uma olhada aqui nessa matéria:

arrow:: http://www.ufmg.br/online/arquivos/018964.shtml

Pelo ao menos já festejamos quanto as "Sacolas Plásticas": ::nada:: tchau:: tchau:: tchau:: alegre:: alegre:: alegre::

Bom começo aqui nas Minas Gerais.É Lei!(apesar de que deveria ser consciência) ::tudo::

E,que nos venha o "Amido"! ::tudo::

Ainda não é motivo de comemoração amigo Tallys!!!

A lei é municipal... ou seja, somente BH!!!

Abraço!!!

Faaaaaaaala Jean!

Caaaaaaaaaaaaaaalma amigo! joia:::

Essa onda vai ser TSUNÂMICA! bomba2

E,olha,é uma onda que não vai dar marola!Neeeeeeeeem! caveira::

O único caminho de "Salvação Global" é o primeiro passo na "Consciência Ambiental".

Favorece o homem e nesse permanece os demais.

Segure as pontas,confie que vai Alastrar! ::tudo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Pessoal! Essa questão é muito complexa e a iniciativa em fazer-se algo p/ diminuir o impacto pessoal causado numa pescaria é muito particular e envolve motivos misteriosos. Solto as iscas(pacú e piapara) que não podem ser arremessadas, no copinho de papelão (sem desenhos). Claro que ainda causa algum dano mas é muito menor que o dano de soltá-la em copos com desenhos e em copos descartáveis. Pago 13 reais no cento de copo de papelão e meu salário não é grande coisa. E vejo uns pescadores ao meu lado soltando iscas em copo plástico sem o menor sentimento de culpa e muitos deles são detentores de salários de 5.000 (reais), 10.000 e até mais. É simplesmente o fato do cara começar a preocupar-se e tentar fazer algo (tipo andar 20 metros para jogar a água suja da vasilha do cachorro num pé de acerola na hora de trocá-la). São coisas insignificantes se consideradas individualmente mas muitas vezes não temos como medir quantos outros estão fazendo o mesmo que nós, pior ainda sefor algo ruim. Tempos atrás comecei a usar as chumbadas penduradas num girador móvel (destorcedor para alguns). Confesso que o objetivo inicial era não perder o conjunto todo quando enroscasse (anzol, chicote de fluor e girador pois o que acabava ficando no fundo do rio era apenas o chumbo enroscado (pois era amarrado com linha mais fraca). Mas na prática notei uma consequência positiva pois esse sistema causa bem menos enroscos (e quando enrosca é mais fácil de soltar) que o chumbo usado no método tradicional. Verifico isso pelo número de chumbos e anzóis que um parceiro perde usando o método tradicional. Outra coisa condenável (mas também depende de iniciativa particular de cada um) é nem tentar soltar o enrosco com algum método conhecido (tenho sucesso em cerca de 70 a 80 % das tentativas) pelo simples motivo de perder-se alguns preciosos minutos para isso. Mas um dia a coisa muda. /Abraços. Marcão.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se registrar depois. Se você tem uma conta, CLIQUE AQUI para postar com a sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Processando...
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...