Ir para conteúdo
Rodrigo Yamaki

Oque 2016 nos reserva?

Posts Recomendados

A vaca vai pro brejo de vez

 

1-O arbitro Sandro Meira Ricci recebeu uma proposta da China e pode deixar o Timão

2-A corrente da bicicleta da Anta vai quebrar e não vai mais poder pedalar

3-A Xuxa vai virar freira reclusa

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Prezadíssimo amigo Rodrigo,

 

Não há qualquer possibilidade de uma pessoa se sentir "perplexa" com o cenário que nos espera em 2016 (quiçá mais...)

Acompanhando a trajetória do "caos" em que nos encontramos (brasileiros pagadores de impostos), isso já era esperado !

Não podemos sequer apelar para "sujeira dos políticos", pois no fundo eles são quem nos representam, seja situação ou oposição !

Torna-se evidente que o processo de "assistencialismo" que me parece ter sido a tônica desse projeto populista dos que atualmente governam (com nosso beneplácito), pouco - sendo gentil - agregam à produtividade e qualificação de mão de obra do nosso país ! Acho até que ao contrário, pois nunca tivemos um quadro de tamanho descaso cultural, sócio-econômico, médico e segurança pessoal ! Não adianta ficarmos "jogando a culpa" em quem quer que seja, e sim tomar consciência que enfrentaremos tempos muito difíceis pela frente !

Infelizmente iremos ter "saudades" desse terrível 2014/15, pois tudo tende a piorar, a começar pelo comando das autoridades (desmoralizadas) no País !

Para "reconstruir" (se isso for possível), será necessário uma série de sacrifícios sociais que não serão mexidos (cada vez mais eles se tornarão "o fiel da balança").

Verificar junto a sociedade (e não apenas os sindicatos - patronal ou funcional) até quando teremos que enfrentar a CLT da forma como se encontra ? O mundo evoluiu, mas nossas premissas de trabalho se pautam nos anos da ditadura de Vargas... Não dá para desconsiderar isso em qualquer mudança que se pretenda realizar !

A questão financeira (leia-se "dívida interna e externa) é mais que complicada ! Devendo 3 trilhões de reais, e sem qualquer credibilidade junto aos investidores estrangeiros, com recessão e o PIB crescendo negativamente, como fazer para evitar o flagelo da inflação, cada vez mais presente nos preços praticados ?? Quem se arrisca ?? A "bicicleta" está complicada.

A pergunta que sempre me faço, mas não encontro a resposta, é QUEM seria a liderança capaz de conduzir o país nesse processo de transformação ? Não temos ninguém...

 

Mas esses são os fatos negativos que a todos preocupam ! E os positivos, não existem ? Claro que sim, e precisamos - cada vez mais - nos agarramos a eles para superar essas dificuldades ! Temos um processo de agro-indústria fantástico e não tiramos o proveito que deles poderíamos ter ! Nosso rebanho de carne bovina, suína, ovina é um dos maiores do mundo, sem falar da carne de frango, fonte segura na pauta de exportações ! Será que estamos usufruindo tudo o que poderíamos ? Temos um país sem maiores problemas climáticos, que se supera em produtividade a cada ano ! Nem preciso seguir muito por esse caminho para ver a infinidade de oportunidades existentes...

 

Esse é apenas UM dos muitos segmentos que poderíamos atuar de forma positiva e produtiva para a melhoria da geração de renda e crescimento, mas preferimos (sempre) deixar para "alguém levar a culpa" por não fazer isso como prioridade planejada ! Acima de tudo, temos que ter honestidade e crença de que seja possível ! E é possível, acredite-me...

 

É muito difícil encontrar notícias positivas que atraiam a mesma atenção das que são negativas... essa tem sido a nossa cultura desde o descobrimento ! É preciso também mudar e valorizar o "bom" com muito maior ênfase do que o "ruim" ! Não é fácil, mas já existem uma infinidade de exemplos disso hoje em todo o lugar de forma anônima, sem qualquer expectativa de reconhecimento ! Tudo isso funciona, e bem, mesmo que não saibamos (ou entendamos) como isso seja possível ! Olhemos ao nosso redor e procuremos por essas percepções que encontraremos o bem nas pessoas com quem convivemos no cotidiano. Umas com maior intensidade do que outras, mas todas com efeitos positivos. Precisamos sim, voltar a acreditar que isso é muito mais poderoso que a malandragem e corrupção que tanto destaque vem tendo em todo o mundo ! Já nos encontramos em patamares de IDH próximos do "fundo do poço", e nem com isso conseguimos priorizar aquilo que nos torna dignos como seres humanos...

 

Nosso legado será deixar um mundo melhor para a geração que nos suceder, e mesmo que não consigamos fazer o que pretenderíamos, temos (ao menos) que fazer a lição básica, que é perante a nossa própria família, ser o exemplo a ser seguido ! Só isso já terá sido uma enorme ajuda no futuro !

 

Me desculpe Rodrigo, talvez até por ter levado seu tópico para outro foco, mas ainda me engasgo com essas coisas...

Preciso que meus netos conheçam e usufruam de algo que sempre tive e busquei, que é o equilíbrio e bom senso nas minhas ações !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Só a te agradecer KID. mestre::

 

Imaginava respostas como " Tamo Fú", mas a sua explanação nos obriga a outros enfrentamentos.

 

DAs "pautas" colocadas por mim, a mais triste e preocupante é a EPIDEMIA DE MICROCEFALIA.

Um evento que está condenando milhares de crianças e suas famílias, a uma vida mais dificílima.

Há variações caso a caso, e muitos poderão levar uma vida normal, mas é um grande DESPERDÍCIO DE TALENTO. 

Serão pessoas que não poderão render os 100% de suas potencialidades.

Muitas , talvez, se tornarão dependentes do SUS; 

Deveria estar sendo tratado como um caso de Guerra, de emergência, mas não há a menor comoção dos orgãos federais.

Só se fala em verbas.

 

o PAÍS DA COPA e das OLIMPÍADAS, perdendo pra um mosquito!! negativo::

A cidade sede dos Jogos, de joelhos e pires nas mãos, com o sistema de saúde pedido extrema unção.

 

 

Sobre oque vc disse sobre lideranças:

 

NÃO HÁ LIDERANÇA.

 

Não haverá liderança que se construa com esta matéria prima chamado POVO BRASILEIRO.

Ainda esperamos um Messias e rezamos para aparecer um Bode Expiatório que carregue nossos pecados e se sacrifique.

Isso não vai acontecer.

 

Somos vítimas e algozes de nos mesmos.

Vítimas aguardando um salvador e algozes esperando a redenção.

 

Encarar a realidade e cada um ser SENHOR DE SEU PRÓPRIO DESTINO. Talvez seja esse um caminho.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tento ser positivo e achar que mesmo a longo prazo a situação comece a mudar, mas parece estar difícil.

 

Notícias cada vez piores, agora esta possível crise Chinesa(imobiliária, bolsa, indústria...) que vem sendo especulada, pode sacramentar uma crise talvez de

proporções mundias e quem mais vai sentir são os chamados países emergentes, assim o Brasil vai sentir e muito, por ser grande exportador de soja, minério de ferro e várias outras matérias primas para a China. 

 

Fora o risco de conflitos por várias parte do Mundo. 

 

Cada um deve fazer a sua parte, continuar na luta e inovar. Talvez vale aquela velha frase: "Enquanto alguns choram, outros vendem lenços"

 

Algumas notícias recentes de como esta o cenário mundial:

 

http://g1.globo.com/economia/mercados/noticia/2016/01/mercado-preve-mais-inflacao-e-retracao-maior-do-pib-em-2016.html

 

http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/china-fecha-bolsas-antecipadamente-pela-primeira-vez-por-quedas-de-7

 

http://veja.abril.com.br/noticia/mundo/moscou-afirma-que-otan-esta-montando-preparativos-militares-em-torno-da-russia

 

http://veja.abril.com.br/noticia/economia/dolar-ultrapassa-os-r-4-com-dados-fracos-da-china

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uma economia lastreada basicamente em commodities tem tudo pra dar errado.

Não há evolução tecnológica própria.Portanto, não há necessidade de investimentos em Ensino de alto nível e nem em infra-estrutura.

As commodities concentram renda. Se beneficiam delas, as oligarquias, os grandes latifundiários.

Ser expressivo apenas em exportações do setor primário é aceitar que o seu território sirva de quintal para os países desenvolvidos.

Um navio-usina chines saia de Santos com ferro gusa , dava meia volta e nos vendia chapa de aço.

Já passamos por diversos ciclos:borracha , açúcar e café . Hoje estamos nos ciclos da soja e de minério de ferro.

Em nenhum desses ciclos fomos hábeis em agregar valor ao produto.

Hoje , o plantador de soja paga royalties à Monsanto sobre a safra de transgênico.

Uma hora acaba , assim como acabou a supremacia absoluta dos emirados árabes sobre o petróleo.

 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uma economia lastreada basicamente em commodities tem tudo pra dar errado.

Não há evolução tecnológica própria.Portanto, não há necessidade de investimentos em Ensino de alto nível e nem em infra-estrutura.

As commodities concentram renda. Se beneficiam delas, as oligarquias, os grandes latifundiários.

Ser expressivo apenas em exportações do setor primário é aceitar que o seu território sirva de quintal para os países desenvolvidos.

Um navio-usina chines saia de Santos com ferro gusa , dava meia volta e nos vendia chapa de aço.

Já passamos por diversos ciclos:borracha , açúcar e café . Hoje estamos nos ciclos da soja e de minério de ferro.

Em nenhum desses ciclos fomos hábeis em agregar valor ao produto.

Hoje , o plantador de soja paga royalties à Monsanto sobre a safra de transgênico.

Uma hora acaba , assim como acabou a supremacia absoluta dos emirados árabes sobre o petróleo.

 

Concordo Dair, somos um país riquíssimo em recursos naturais, mas "damos" tudo de graça, não se agrega valor a nada.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Minha vontade é descer  o pau. Mas, como sempre bom senso é bom vou seguir a linha de raciocínio do Kid, que é sempre uma opinião balizadora. Eu sempre digo que o brasileiro tem tudo que quer, ou melhor, tem tudo o que merece: boa polícia para bom ladrão, bom  político para bom eleitor e o resto é que se dane. Eu, particularmente, nunca esperei que as coisas caíssem do céu. Nós temos uma herança maldita centrada em nossa origens que é a base de tudo. Claro que o pais melhorou muito. Eu não espero nada de bom deste ano que se inicia. A pergunta que deveria ser feita é: o que eu posso fazer de bom para melhorar o ano que se inicia?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×