Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

Cuca Pesca

Membro
  • Total de itens

    319
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    2

Histórico de Reputação

  1. Like
    Cuca Pesca recebeu reputação de Xandego em Colômbia - Bahia Solano - Turma Cuca Pesca Jan   
    Rooster, Caranha e mais... 
    Colômbia - Bahia Solano

     
    Tivemos o prazer de receber um dos maiores pescadores do Brasil: Capitão Thiago Moraes da operação Sport Fishing Sergipe. Acompanhado do grande Oswaldo, Marcos Cheque e Seno Damke Jr. O trio chegou na Bahia Solano - Colômbia dia 15/01/18 em voo fretado. Se hospedaram em nosso posto avançado na região de Punta Ardita (60milhas N) e pescaram 4 completos e intensos dias de pesca. // Tenho um post falando sobre o posto avançado neste link aqui
     
    A maré corria o padrão para a região e enchia pela manhã e final da tarde. Nesta semana, peixes esportivos como caranhas, roosters e xareus atacavam iscas de superfície (poppers, stickbait e pencil) na subida da maré.
    Os robalões deram as caras na forte vazante próximo as ressacas das praias e seus rochedos. Inclusive um belo Pacific Black Snook (robalo negro do pacífico) foi garantido utilizando uma técnica nova para os locais e antiga para o Cap Thiago Moraes: jig head com camarões artificiais.
    As caranhas como sempre manhosas e mais lentas. Porém com ataque assustador! Foi isso que relataram os amigos da expedição. Elas apareceram no popper e estouraram algumas linhas nas pedras.
    Os exemplares abaixo, inclusive foram capturados a poucos metros do barco. O popper Sea Fish Hunter de cor azul e cor verde foram fundamentais na pescaria desta turma. Inclusive, destacamos em todas nossas expedições pelo pacífico, que iscas de tom verde são excelentes para caranhas e roostersfish. 
    Falando em Rooster, o Thiago garantiu também um MONSTRO desta espécie incrível. Tal animal que veio seguindo com as nadadeiras dorsais toda de fora e atacando de um vez o popper verde! E como é comum, o rooster está quase sempre encardumado e foram dois ou três atacando e brincando na flor-dágua sem parar! "Que cena incrível" relatou o experiente Cap Thiago Moraes.
     
    A turma seguiu a recomendação nos materiais para roosterfish, xaréus, red snapper. A vara ideal de numeração PE #4 à #6 com tamanho entre 7’6” e 8’ (pés) para iscas até 90g. O molinete deste conjunto será um 5.000 (Daiwa) ou 10.000 (Shimano) que comporte 300 metros de linha multifilamento PE #5 ou +70lb com leader fluorcarbon de 80 à 100lb de 2 metros de comprimento. Arremessos longos fazem a diferença, principalmente quando a água está clara e flat (tranquila).
    A região também surpreende pela variedade. A turma não explorou muito o light e slow jigging, mas sentiram que a categoria traz bons resultados com a variedade enorme de peixes. Muitos vermelhos, xareus e pelágicos atacam nesta área. Cardumes de atuns de pequeno porte também fizeram a alegria com muitos ataques na superfície.
     
    Logo os grandes Bravos (olho-de-boi no espanhol local) também deram as caras. No Brasil, chamadas de pitangolas, são violentas, brigam mais que outras variações da espécie, correm muito para a pedra e exigem ao máximo do equipamento. 
     
    A turma teve ação na superfície, mas foi no jumping jigging que bons exemplares saíram.
     
    Não interfere muito a maré enchente ou vazante, desde que não esteja parada! Assim os Bravos estarão rodando os parcéis e pedras atacando em emboscada cardumes de peixes menores e logo, subirão em nossos poppers ou comerão os jumping jigs de média 150g. A pesca local é na maior parte em profundidade média à 30 ou 40 metros. Shockleader de 80lb com molinetes abastecidos de linha PE #5 japonesa segurarão os monstros de olho-de-boi.
    Pescar no oceano pacífico, nesta região específica de Bahia Solano é algo incrível e inspirador. Dias mais duros de pesca e outros mais fáceis. Porém lá temos a chance de bater nosso record em diversas categorias e modalidades de pesca.
     
    Agradecemos a preferência e confiança da turma em nossa operação exclusiva no Brasil: FishColombia 
    colombia bahia solano  pesca na colômbia  olho-de-boi roosterfish caranha cubera



     







     

      
     
     
  2. Thanks
    Cuca Pesca recebeu reputação de Vagner em Colômbia - Bahia Solano - Turma Cuca Pesca Jan   
    Rooster, Caranha e mais... 
    Colômbia - Bahia Solano

     
    Tivemos o prazer de receber um dos maiores pescadores do Brasil: Capitão Thiago Moraes da operação Sport Fishing Sergipe. Acompanhado do grande Oswaldo, Marcos Cheque e Seno Damke Jr. O trio chegou na Bahia Solano - Colômbia dia 15/01/18 em voo fretado. Se hospedaram em nosso posto avançado na região de Punta Ardita (60milhas N) e pescaram 4 completos e intensos dias de pesca. // Tenho um post falando sobre o posto avançado neste link aqui
     
    A maré corria o padrão para a região e enchia pela manhã e final da tarde. Nesta semana, peixes esportivos como caranhas, roosters e xareus atacavam iscas de superfície (poppers, stickbait e pencil) na subida da maré.
    Os robalões deram as caras na forte vazante próximo as ressacas das praias e seus rochedos. Inclusive um belo Pacific Black Snook (robalo negro do pacífico) foi garantido utilizando uma técnica nova para os locais e antiga para o Cap Thiago Moraes: jig head com camarões artificiais.
    As caranhas como sempre manhosas e mais lentas. Porém com ataque assustador! Foi isso que relataram os amigos da expedição. Elas apareceram no popper e estouraram algumas linhas nas pedras.
    Os exemplares abaixo, inclusive foram capturados a poucos metros do barco. O popper Sea Fish Hunter de cor azul e cor verde foram fundamentais na pescaria desta turma. Inclusive, destacamos em todas nossas expedições pelo pacífico, que iscas de tom verde são excelentes para caranhas e roostersfish. 
    Falando em Rooster, o Thiago garantiu também um MONSTRO desta espécie incrível. Tal animal que veio seguindo com as nadadeiras dorsais toda de fora e atacando de um vez o popper verde! E como é comum, o rooster está quase sempre encardumado e foram dois ou três atacando e brincando na flor-dágua sem parar! "Que cena incrível" relatou o experiente Cap Thiago Moraes.
     
    A turma seguiu a recomendação nos materiais para roosterfish, xaréus, red snapper. A vara ideal de numeração PE #4 à #6 com tamanho entre 7’6” e 8’ (pés) para iscas até 90g. O molinete deste conjunto será um 5.000 (Daiwa) ou 10.000 (Shimano) que comporte 300 metros de linha multifilamento PE #5 ou +70lb com leader fluorcarbon de 80 à 100lb de 2 metros de comprimento. Arremessos longos fazem a diferença, principalmente quando a água está clara e flat (tranquila).
    A região também surpreende pela variedade. A turma não explorou muito o light e slow jigging, mas sentiram que a categoria traz bons resultados com a variedade enorme de peixes. Muitos vermelhos, xareus e pelágicos atacam nesta área. Cardumes de atuns de pequeno porte também fizeram a alegria com muitos ataques na superfície.
     
    Logo os grandes Bravos (olho-de-boi no espanhol local) também deram as caras. No Brasil, chamadas de pitangolas, são violentas, brigam mais que outras variações da espécie, correm muito para a pedra e exigem ao máximo do equipamento. 
     
    A turma teve ação na superfície, mas foi no jumping jigging que bons exemplares saíram.
     
    Não interfere muito a maré enchente ou vazante, desde que não esteja parada! Assim os Bravos estarão rodando os parcéis e pedras atacando em emboscada cardumes de peixes menores e logo, subirão em nossos poppers ou comerão os jumping jigs de média 150g. A pesca local é na maior parte em profundidade média à 30 ou 40 metros. Shockleader de 80lb com molinetes abastecidos de linha PE #5 japonesa segurarão os monstros de olho-de-boi.
    Pescar no oceano pacífico, nesta região específica de Bahia Solano é algo incrível e inspirador. Dias mais duros de pesca e outros mais fáceis. Porém lá temos a chance de bater nosso record em diversas categorias e modalidades de pesca.
     
    Agradecemos a preferência e confiança da turma em nossa operação exclusiva no Brasil: FishColombia 
    colombia bahia solano  pesca na colômbia  olho-de-boi roosterfish caranha cubera



     







     

      
     
     
  3. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Vinicius Antonioli em Nível Rio Negro - Manaus (Tendência)   
    Que assim seja! Amém! 

    rsrs
     
    abs
  4. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Fabrício Biguá em Colômbia - Bahia Solano - Turma Cuca Pesca Jan   
    Rooster, Caranha e mais... 
    Colômbia - Bahia Solano

     
    Tivemos o prazer de receber um dos maiores pescadores do Brasil: Capitão Thiago Moraes da operação Sport Fishing Sergipe. Acompanhado do grande Oswaldo, Marcos Cheque e Seno Damke Jr. O trio chegou na Bahia Solano - Colômbia dia 15/01/18 em voo fretado. Se hospedaram em nosso posto avançado na região de Punta Ardita (60milhas N) e pescaram 4 completos e intensos dias de pesca. // Tenho um post falando sobre o posto avançado neste link aqui
     
    A maré corria o padrão para a região e enchia pela manhã e final da tarde. Nesta semana, peixes esportivos como caranhas, roosters e xareus atacavam iscas de superfície (poppers, stickbait e pencil) na subida da maré.
    Os robalões deram as caras na forte vazante próximo as ressacas das praias e seus rochedos. Inclusive um belo Pacific Black Snook (robalo negro do pacífico) foi garantido utilizando uma técnica nova para os locais e antiga para o Cap Thiago Moraes: jig head com camarões artificiais.
    As caranhas como sempre manhosas e mais lentas. Porém com ataque assustador! Foi isso que relataram os amigos da expedição. Elas apareceram no popper e estouraram algumas linhas nas pedras.
    Os exemplares abaixo, inclusive foram capturados a poucos metros do barco. O popper Sea Fish Hunter de cor azul e cor verde foram fundamentais na pescaria desta turma. Inclusive, destacamos em todas nossas expedições pelo pacífico, que iscas de tom verde são excelentes para caranhas e roostersfish. 
    Falando em Rooster, o Thiago garantiu também um MONSTRO desta espécie incrível. Tal animal que veio seguindo com as nadadeiras dorsais toda de fora e atacando de um vez o popper verde! E como é comum, o rooster está quase sempre encardumado e foram dois ou três atacando e brincando na flor-dágua sem parar! "Que cena incrível" relatou o experiente Cap Thiago Moraes.
     
    A turma seguiu a recomendação nos materiais para roosterfish, xaréus, red snapper. A vara ideal de numeração PE #4 à #6 com tamanho entre 7’6” e 8’ (pés) para iscas até 90g. O molinete deste conjunto será um 5.000 (Daiwa) ou 10.000 (Shimano) que comporte 300 metros de linha multifilamento PE #5 ou +70lb com leader fluorcarbon de 80 à 100lb de 2 metros de comprimento. Arremessos longos fazem a diferença, principalmente quando a água está clara e flat (tranquila).
    A região também surpreende pela variedade. A turma não explorou muito o light e slow jigging, mas sentiram que a categoria traz bons resultados com a variedade enorme de peixes. Muitos vermelhos, xareus e pelágicos atacam nesta área. Cardumes de atuns de pequeno porte também fizeram a alegria com muitos ataques na superfície.
     
    Logo os grandes Bravos (olho-de-boi no espanhol local) também deram as caras. No Brasil, chamadas de pitangolas, são violentas, brigam mais que outras variações da espécie, correm muito para a pedra e exigem ao máximo do equipamento. 
     
    A turma teve ação na superfície, mas foi no jumping jigging que bons exemplares saíram.
     
    Não interfere muito a maré enchente ou vazante, desde que não esteja parada! Assim os Bravos estarão rodando os parcéis e pedras atacando em emboscada cardumes de peixes menores e logo, subirão em nossos poppers ou comerão os jumping jigs de média 150g. A pesca local é na maior parte em profundidade média à 30 ou 40 metros. Shockleader de 80lb com molinetes abastecidos de linha PE #5 japonesa segurarão os monstros de olho-de-boi.
    Pescar no oceano pacífico, nesta região específica de Bahia Solano é algo incrível e inspirador. Dias mais duros de pesca e outros mais fáceis. Porém lá temos a chance de bater nosso record em diversas categorias e modalidades de pesca.
     
    Agradecemos a preferência e confiança da turma em nossa operação exclusiva no Brasil: FishColombia 
    colombia bahia solano  pesca na colômbia  olho-de-boi roosterfish caranha cubera



     







     

      
     
     
  5. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Cristiano Rochinha em Colômbia - Bahia Solano - Turma Cuca Pesca Jan   
    Rooster, Caranha e mais... 
    Colômbia - Bahia Solano

     
    Tivemos o prazer de receber um dos maiores pescadores do Brasil: Capitão Thiago Moraes da operação Sport Fishing Sergipe. Acompanhado do grande Oswaldo, Marcos Cheque e Seno Damke Jr. O trio chegou na Bahia Solano - Colômbia dia 15/01/18 em voo fretado. Se hospedaram em nosso posto avançado na região de Punta Ardita (60milhas N) e pescaram 4 completos e intensos dias de pesca. // Tenho um post falando sobre o posto avançado neste link aqui
     
    A maré corria o padrão para a região e enchia pela manhã e final da tarde. Nesta semana, peixes esportivos como caranhas, roosters e xareus atacavam iscas de superfície (poppers, stickbait e pencil) na subida da maré.
    Os robalões deram as caras na forte vazante próximo as ressacas das praias e seus rochedos. Inclusive um belo Pacific Black Snook (robalo negro do pacífico) foi garantido utilizando uma técnica nova para os locais e antiga para o Cap Thiago Moraes: jig head com camarões artificiais.
    As caranhas como sempre manhosas e mais lentas. Porém com ataque assustador! Foi isso que relataram os amigos da expedição. Elas apareceram no popper e estouraram algumas linhas nas pedras.
    Os exemplares abaixo, inclusive foram capturados a poucos metros do barco. O popper Sea Fish Hunter de cor azul e cor verde foram fundamentais na pescaria desta turma. Inclusive, destacamos em todas nossas expedições pelo pacífico, que iscas de tom verde são excelentes para caranhas e roostersfish. 
    Falando em Rooster, o Thiago garantiu também um MONSTRO desta espécie incrível. Tal animal que veio seguindo com as nadadeiras dorsais toda de fora e atacando de um vez o popper verde! E como é comum, o rooster está quase sempre encardumado e foram dois ou três atacando e brincando na flor-dágua sem parar! "Que cena incrível" relatou o experiente Cap Thiago Moraes.
     
    A turma seguiu a recomendação nos materiais para roosterfish, xaréus, red snapper. A vara ideal de numeração PE #4 à #6 com tamanho entre 7’6” e 8’ (pés) para iscas até 90g. O molinete deste conjunto será um 5.000 (Daiwa) ou 10.000 (Shimano) que comporte 300 metros de linha multifilamento PE #5 ou +70lb com leader fluorcarbon de 80 à 100lb de 2 metros de comprimento. Arremessos longos fazem a diferença, principalmente quando a água está clara e flat (tranquila).
    A região também surpreende pela variedade. A turma não explorou muito o light e slow jigging, mas sentiram que a categoria traz bons resultados com a variedade enorme de peixes. Muitos vermelhos, xareus e pelágicos atacam nesta área. Cardumes de atuns de pequeno porte também fizeram a alegria com muitos ataques na superfície.
     
    Logo os grandes Bravos (olho-de-boi no espanhol local) também deram as caras. No Brasil, chamadas de pitangolas, são violentas, brigam mais que outras variações da espécie, correm muito para a pedra e exigem ao máximo do equipamento. 
     
    A turma teve ação na superfície, mas foi no jumping jigging que bons exemplares saíram.
     
    Não interfere muito a maré enchente ou vazante, desde que não esteja parada! Assim os Bravos estarão rodando os parcéis e pedras atacando em emboscada cardumes de peixes menores e logo, subirão em nossos poppers ou comerão os jumping jigs de média 150g. A pesca local é na maior parte em profundidade média à 30 ou 40 metros. Shockleader de 80lb com molinetes abastecidos de linha PE #5 japonesa segurarão os monstros de olho-de-boi.
    Pescar no oceano pacífico, nesta região específica de Bahia Solano é algo incrível e inspirador. Dias mais duros de pesca e outros mais fáceis. Porém lá temos a chance de bater nosso record em diversas categorias e modalidades de pesca.
     
    Agradecemos a preferência e confiança da turma em nossa operação exclusiva no Brasil: FishColombia 
    colombia bahia solano  pesca na colômbia  olho-de-boi roosterfish caranha cubera



     







     

      
     
     
  6. Like
    Cuca Pesca recebeu reputação de Leandro Gofert em Colômbia - Bahia Solano - Turma Cuca Pesca Jan   
    Rooster, Caranha e mais... 
    Colômbia - Bahia Solano

     
    Tivemos o prazer de receber um dos maiores pescadores do Brasil: Capitão Thiago Moraes da operação Sport Fishing Sergipe. Acompanhado do grande Oswaldo, Marcos Cheque e Seno Damke Jr. O trio chegou na Bahia Solano - Colômbia dia 15/01/18 em voo fretado. Se hospedaram em nosso posto avançado na região de Punta Ardita (60milhas N) e pescaram 4 completos e intensos dias de pesca. // Tenho um post falando sobre o posto avançado neste link aqui
     
    A maré corria o padrão para a região e enchia pela manhã e final da tarde. Nesta semana, peixes esportivos como caranhas, roosters e xareus atacavam iscas de superfície (poppers, stickbait e pencil) na subida da maré.
    Os robalões deram as caras na forte vazante próximo as ressacas das praias e seus rochedos. Inclusive um belo Pacific Black Snook (robalo negro do pacífico) foi garantido utilizando uma técnica nova para os locais e antiga para o Cap Thiago Moraes: jig head com camarões artificiais.
    As caranhas como sempre manhosas e mais lentas. Porém com ataque assustador! Foi isso que relataram os amigos da expedição. Elas apareceram no popper e estouraram algumas linhas nas pedras.
    Os exemplares abaixo, inclusive foram capturados a poucos metros do barco. O popper Sea Fish Hunter de cor azul e cor verde foram fundamentais na pescaria desta turma. Inclusive, destacamos em todas nossas expedições pelo pacífico, que iscas de tom verde são excelentes para caranhas e roostersfish. 
    Falando em Rooster, o Thiago garantiu também um MONSTRO desta espécie incrível. Tal animal que veio seguindo com as nadadeiras dorsais toda de fora e atacando de um vez o popper verde! E como é comum, o rooster está quase sempre encardumado e foram dois ou três atacando e brincando na flor-dágua sem parar! "Que cena incrível" relatou o experiente Cap Thiago Moraes.
     
    A turma seguiu a recomendação nos materiais para roosterfish, xaréus, red snapper. A vara ideal de numeração PE #4 à #6 com tamanho entre 7’6” e 8’ (pés) para iscas até 90g. O molinete deste conjunto será um 5.000 (Daiwa) ou 10.000 (Shimano) que comporte 300 metros de linha multifilamento PE #5 ou +70lb com leader fluorcarbon de 80 à 100lb de 2 metros de comprimento. Arremessos longos fazem a diferença, principalmente quando a água está clara e flat (tranquila).
    A região também surpreende pela variedade. A turma não explorou muito o light e slow jigging, mas sentiram que a categoria traz bons resultados com a variedade enorme de peixes. Muitos vermelhos, xareus e pelágicos atacam nesta área. Cardumes de atuns de pequeno porte também fizeram a alegria com muitos ataques na superfície.
     
    Logo os grandes Bravos (olho-de-boi no espanhol local) também deram as caras. No Brasil, chamadas de pitangolas, são violentas, brigam mais que outras variações da espécie, correm muito para a pedra e exigem ao máximo do equipamento. 
     
    A turma teve ação na superfície, mas foi no jumping jigging que bons exemplares saíram.
     
    Não interfere muito a maré enchente ou vazante, desde que não esteja parada! Assim os Bravos estarão rodando os parcéis e pedras atacando em emboscada cardumes de peixes menores e logo, subirão em nossos poppers ou comerão os jumping jigs de média 150g. A pesca local é na maior parte em profundidade média à 30 ou 40 metros. Shockleader de 80lb com molinetes abastecidos de linha PE #5 japonesa segurarão os monstros de olho-de-boi.
    Pescar no oceano pacífico, nesta região específica de Bahia Solano é algo incrível e inspirador. Dias mais duros de pesca e outros mais fáceis. Porém lá temos a chance de bater nosso record em diversas categorias e modalidades de pesca.
     
    Agradecemos a preferência e confiança da turma em nossa operação exclusiva no Brasil: FishColombia 
    colombia bahia solano  pesca na colômbia  olho-de-boi roosterfish caranha cubera



     







     

      
     
     
  7. Thanks
    Cuca Pesca recebeu reputação de Vagner em APROVADO - Barco Hotel SAVANA - Barcelos Am   
    Turma, 
    caso não saibam eu monto e organizo muitos grupos para o amazonas. O Cido e Fabio (proprietários) da operação Savana Sport Fishing são nota 10. Atendem todas as minhas exigências (sou chato pra caramba) e apresentam um contrato de prestação de serviço que é exemplar.
    Rodam os afluentes da região de Barcelos como ninguém. Cravei no meu GPS diversas viagens com mais de 350km rodados com o barco Hotel. 
    A operação aposta muito no calado baixo do barco que atende até 12 pescadores, na estrutura com mecânica perfeita e no atendimento da tripulação.

    A Tripulação é incrível. Olha o nível dos guias: Branco, Kelson, Renato (primo Kelson), Chupita, Sr. Luiz, Fabiano... Este time é um grande diferencial.
    Nossa cozinheira Perla já trabalhou comigo e agora integrou a equipe. O garçom Ronny é praticamente um mordomo hehe. Governa tudo lá com os clientes...
    Focados nos peixes grandes! Buscam navegar para encontrar nível de água e tucunaré grande! São exemplares! 
    Fica aqui meu APROVADO e algumas fotos da operação
     




  8. Like
    Cuca Pesca recebeu reputação de Diego Juliana em Cuca Pesca no Rio Manso - A técnica por trás de Um Grande Dourado   
    Cuca Pesca no Rio Manso 
    A técnica por trás de Um Grande Dourado por CucaPesca


    Para conhecer o destino acesse clicando aqui   Berçário de grandes Dourados (Salminus Brasiliensis), o belo e cristalino Rio Manso no Mato Grosso, abriga a subida e desova do “rei do rio”, piraputangas, curimba, lambaris e entre outros peixes do Pantanal brasileiro…   Fiz o vôo de São Paulo a Cuiabá, fui recebido pela equipe local e tomei o transfer de apenas 2 horas para a Pousada Rio Manso, a melhor estrutura profissional da região. Na chegada já tive noticias de que, com o atraso das chuvas e da lufada (subida dos peixes e frenesi alimentar), o dourado estava muito manhoso e comendo pouco. Percebi que a tralha deveria estar completa para descobrir o padrão de ataque e entender o tamanho dos peixes para ajustar o equipamento...   Batendo papo com amigos e guias locais, encontraríamos uma média de dourados entre 4 à 6kg tidos como normais. Logo dourados de 7 à 12kg seríam excelentes exemplares. E por fim, 13 à 20kg consagrariam grandes trofeus…
    Observação: Há relatos e imagens que rodaram as mídias sociais com exemplares de dourados entre 15 e 20kg nadando na região! Vou tentar encontrar novamente e postar aqui...     Com dicas dos amigos Carlos Dini, Roberto Conti, Sergio Yamauti e outros… Soube que iscas pequenas de 7 à 9cm seriam mais efetivas, principalmente na categoria Twitch Bait sem ratlin (barulho). Então caprichei nas minhas OCL e Araçatubinhas Originais. Ambas em madeira e feitas a mão… Trabalham e arremessam muito fácil. Utilizei varas de alta qualidade da japonesa Major Craft, nos modelos Benkei 14lb e Speedstyle 16lb com tamanho 5’8”e 6”respectivamente. A carretilha ideal foi a Shimano Metanium DC XG, os arremessos ficaram fáceis com a linha fina e top YGK G-Soul X8 PE2.5 (0,27) com impressionantes 45lb de força. O curioso foi o Shock leader de 50lb (YGK Absorber) que aparentemente fica grosseiro, porém necessário para segurar um pouco as secas e rápidas batidas dos dentes dos dourados…     Seguindo para a pesca, lembrei das recomendações e o guia Danda (garoto de 22 anos, conhecedor e vem de famílias de guias locais - sabe tudo) já perguntou:  -Sua carretilha é rápida? 8 pra cima?  -Sim! A minha é 9! -Então trabalhe o mais rápido possível!   Não acreditei! Mas realmente o trabalho das iscas tem que ser extremamente rápido.  Penso que a água é muito cristalina e o dourado já está acostumado a selecionar e enxergar bem as suas presas. Então ele ataca iscas rápidas sem “pensar” em um puro reflexo instintivo e natural do predador que o é. Para ajudar na efetividade deste ataque certeiro, notei que os maiores exemplares, tanto comigo e em relatos antigos, foram nas iscas de coloração Fire Tiger (verde-limão com dorso preto e detalhes laranja) ou puro Chartreuse (verde-limão).   Também testei algo novo em que estava acostumado a usar somente no mar e passarei a utilizar em minhas pescarias de tucunaré: anzol Inline (olho virado) específico para solid plugs de baticasting - iscas sólidas de arremesso. Apliquei pelo menos na traseira das iscas Araçatubinhas 9cm, anzóis VMC S-Superlight Inline 3/0 e o 2/0 nas iscas variadas de 7 e 8cm. Em algumas situações apliquei garatéia VMC n2 6x no meio da isca e o Inline 2/0 ou 3/0 na traseira... Sempre com argola reforçada da cultiva n4 ou 5.   Assim, com tudo preparado e ajustado, os melhores pontos são nas rasas (0,30 - 1,5m) cabeceiras das corredeiras (antes de borbulhar a correnteza), buscando passar a isca nas partes escuras e mais fundas, assim como entre as estruturas de algas verdes e nos remansos pós corredeiras.   Pesquei apenas 2 dias e meio, com ações variadas de douradinhos e piraputangas que comem nas estruturas de pau e rochas bem rentes à margem - pescaria parecida com de tucunaré. No entanto, com um arremesso longo (lembrando que a água é cristalina e o peixe pode se assuntar com o barco ou nossa presença) em direção ao meio do rio, próximo a cabeceira de uma corredeira, um pouco antes da água começar a correr… Recebi um forte tranco e ataque certeiro do lendário Rei do Rio!    Ele saltou apenas uma vez de forma lenta e pesada! O guia já alinhou o barco para descer a corredeira enquanto brigávamos com o peixe e ele "cantou":  -Mais de 8kg! Não pesamos o peixe e o valor é apenas um palpite do guia!   Emoção e adrenalina disparavam enquanto eu tentava tirar o peixe das pedras. Ele tomava linha sem demonstrar conhecimento de que estava fisgado! O peixe controlava a situação e eu apenas tentava entrar no seu ritmo… Com o peixe sendo trabalhado a uns 10 metros do barco, entramos em um remanso com redemoinho e ali ele ficou, mais parado e pesado! Comecei e trabalhar o peixe e senti ali, a oportunidade de tirar o bicho... Ele tomou fôlego e ameaçou outro salto, porém o cansaço já era nítido após somente a cabeça ter chacoalhado na superfície e reparei que o anzol inline estava no “canivete” do dourado! Já gritei para o guia Danda e parceiro Julivan: -É nosso! Agora não escapa! Fui otimista em dizer isso, pois eu já havia perdido uma média de 7 peixes para um embarcado durante os dois dias.   Lá veio o animal com a cabeça refletindo o forte amarelo, lembrando ouro, rente a superfície e pranchando ao lado do barco. Julivan - parceiro de pesca e dono da pousada - imediatamente apoiou o shock leader com uma mão e travou o grip na boca do peixe e o embarcou!    Confesso que fazia tempo que não ficava nervoso com um peixe. Rodo o Brasil e o mundo atrás de peixes variados, mas devido a toda técnica empregada, expectativa, dificuldade vencida e também por ter perdido um animal similar a este 30 minutos antes… Fiquei tremendo para tirar a foto...   Julivan foi o fotografo deste belo peixe com minha Canon T3i, equipada com lente 10-18mm. Além de ser o proprietário da Pousada Rio Manso, foi excelente parceiro de pesca e demonstrou que todos seus rígidos projetos de preservação local estão no caminho certo e já podem colocar sim, o Rio Manso como o melhor destino para a pesca de dourados e piraputangas do Brasil.   Espero que tenham gostado e comente para incentivar o trabalho! Grato  
  9. Thanks
    Cuca Pesca recebeu reputação de Jean.Posser em Tralha para Rio Juma   
    Iscas
    Tamanho – Recomendo os modelos “zaras” e “hélices” entre 11 e 16 centímetros para aumentar a chance de exemplares maiores. No entanto, iscas de 8 a 10 centímetros são mais leves e atraem uma quantidade maior de tucunarés de pequeno e médio porte.
    Cores – As cores sólidas e holográficas são as preferidas para os “bocudos”. Osso (branca), verde-limão, cabeça vermelha são as tradicionais que não poderão faltar. Porém nas últimas temporadas, tivemos um resultado muito positivo com iscas que possuam efeitos holográficos com tons de azul, preto e verde-limão.

    Zara: 
    – River2Sea Rover 128 (cores holográficas são referências da marca) 
    – Jackall Bros Bonnie 128 (variar cores cítricas e solidas. Bom resultado na azul, verde-limão, amarela…) 
    – Rebel Jumpin Minnow T20 (osso e metálicas) *Sempre será a melhor para tucunaré. Tenha pelo menos duas unidades da Osso em sua pasta de iscas...
    – KV Dr. Spock (osso, verde-limão, cabeça vermelha) *Boa e barata. Durabilidade inferior que importadas.
    – Lucky Moldes Nelson Nakamura Magic Stick 110 e 120 (varias cores sólidas)
  10. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Jean.Posser em Tralha para Rio Juma   
    Recomendo esta organização com contrato, garantia financeira, ótima estrutura e etc...
    https://www.cucapesca.com/rio-juma
  11. Like
    Cuca Pesca recebeu reputação de Leandro Gofert em Cuca Pesca no Rio Manso - A técnica por trás de Um Grande Dourado   
    Cuca Pesca no Rio Manso 
    A técnica por trás de Um Grande Dourado por CucaPesca


    Para conhecer o destino acesse clicando aqui   Berçário de grandes Dourados (Salminus Brasiliensis), o belo e cristalino Rio Manso no Mato Grosso, abriga a subida e desova do “rei do rio”, piraputangas, curimba, lambaris e entre outros peixes do Pantanal brasileiro…   Fiz o vôo de São Paulo a Cuiabá, fui recebido pela equipe local e tomei o transfer de apenas 2 horas para a Pousada Rio Manso, a melhor estrutura profissional da região. Na chegada já tive noticias de que, com o atraso das chuvas e da lufada (subida dos peixes e frenesi alimentar), o dourado estava muito manhoso e comendo pouco. Percebi que a tralha deveria estar completa para descobrir o padrão de ataque e entender o tamanho dos peixes para ajustar o equipamento...   Batendo papo com amigos e guias locais, encontraríamos uma média de dourados entre 4 à 6kg tidos como normais. Logo dourados de 7 à 12kg seríam excelentes exemplares. E por fim, 13 à 20kg consagrariam grandes trofeus…
    Observação: Há relatos e imagens que rodaram as mídias sociais com exemplares de dourados entre 15 e 20kg nadando na região! Vou tentar encontrar novamente e postar aqui...     Com dicas dos amigos Carlos Dini, Roberto Conti, Sergio Yamauti e outros… Soube que iscas pequenas de 7 à 9cm seriam mais efetivas, principalmente na categoria Twitch Bait sem ratlin (barulho). Então caprichei nas minhas OCL e Araçatubinhas Originais. Ambas em madeira e feitas a mão… Trabalham e arremessam muito fácil. Utilizei varas de alta qualidade da japonesa Major Craft, nos modelos Benkei 14lb e Speedstyle 16lb com tamanho 5’8”e 6”respectivamente. A carretilha ideal foi a Shimano Metanium DC XG, os arremessos ficaram fáceis com a linha fina e top YGK G-Soul X8 PE2.5 (0,27) com impressionantes 45lb de força. O curioso foi o Shock leader de 50lb (YGK Absorber) que aparentemente fica grosseiro, porém necessário para segurar um pouco as secas e rápidas batidas dos dentes dos dourados…     Seguindo para a pesca, lembrei das recomendações e o guia Danda (garoto de 22 anos, conhecedor e vem de famílias de guias locais - sabe tudo) já perguntou:  -Sua carretilha é rápida? 8 pra cima?  -Sim! A minha é 9! -Então trabalhe o mais rápido possível!   Não acreditei! Mas realmente o trabalho das iscas tem que ser extremamente rápido.  Penso que a água é muito cristalina e o dourado já está acostumado a selecionar e enxergar bem as suas presas. Então ele ataca iscas rápidas sem “pensar” em um puro reflexo instintivo e natural do predador que o é. Para ajudar na efetividade deste ataque certeiro, notei que os maiores exemplares, tanto comigo e em relatos antigos, foram nas iscas de coloração Fire Tiger (verde-limão com dorso preto e detalhes laranja) ou puro Chartreuse (verde-limão).   Também testei algo novo em que estava acostumado a usar somente no mar e passarei a utilizar em minhas pescarias de tucunaré: anzol Inline (olho virado) específico para solid plugs de baticasting - iscas sólidas de arremesso. Apliquei pelo menos na traseira das iscas Araçatubinhas 9cm, anzóis VMC S-Superlight Inline 3/0 e o 2/0 nas iscas variadas de 7 e 8cm. Em algumas situações apliquei garatéia VMC n2 6x no meio da isca e o Inline 2/0 ou 3/0 na traseira... Sempre com argola reforçada da cultiva n4 ou 5.   Assim, com tudo preparado e ajustado, os melhores pontos são nas rasas (0,30 - 1,5m) cabeceiras das corredeiras (antes de borbulhar a correnteza), buscando passar a isca nas partes escuras e mais fundas, assim como entre as estruturas de algas verdes e nos remansos pós corredeiras.   Pesquei apenas 2 dias e meio, com ações variadas de douradinhos e piraputangas que comem nas estruturas de pau e rochas bem rentes à margem - pescaria parecida com de tucunaré. No entanto, com um arremesso longo (lembrando que a água é cristalina e o peixe pode se assuntar com o barco ou nossa presença) em direção ao meio do rio, próximo a cabeceira de uma corredeira, um pouco antes da água começar a correr… Recebi um forte tranco e ataque certeiro do lendário Rei do Rio!    Ele saltou apenas uma vez de forma lenta e pesada! O guia já alinhou o barco para descer a corredeira enquanto brigávamos com o peixe e ele "cantou":  -Mais de 8kg! Não pesamos o peixe e o valor é apenas um palpite do guia!   Emoção e adrenalina disparavam enquanto eu tentava tirar o peixe das pedras. Ele tomava linha sem demonstrar conhecimento de que estava fisgado! O peixe controlava a situação e eu apenas tentava entrar no seu ritmo… Com o peixe sendo trabalhado a uns 10 metros do barco, entramos em um remanso com redemoinho e ali ele ficou, mais parado e pesado! Comecei e trabalhar o peixe e senti ali, a oportunidade de tirar o bicho... Ele tomou fôlego e ameaçou outro salto, porém o cansaço já era nítido após somente a cabeça ter chacoalhado na superfície e reparei que o anzol inline estava no “canivete” do dourado! Já gritei para o guia Danda e parceiro Julivan: -É nosso! Agora não escapa! Fui otimista em dizer isso, pois eu já havia perdido uma média de 7 peixes para um embarcado durante os dois dias.   Lá veio o animal com a cabeça refletindo o forte amarelo, lembrando ouro, rente a superfície e pranchando ao lado do barco. Julivan - parceiro de pesca e dono da pousada - imediatamente apoiou o shock leader com uma mão e travou o grip na boca do peixe e o embarcou!    Confesso que fazia tempo que não ficava nervoso com um peixe. Rodo o Brasil e o mundo atrás de peixes variados, mas devido a toda técnica empregada, expectativa, dificuldade vencida e também por ter perdido um animal similar a este 30 minutos antes… Fiquei tremendo para tirar a foto...   Julivan foi o fotografo deste belo peixe com minha Canon T3i, equipada com lente 10-18mm. Além de ser o proprietário da Pousada Rio Manso, foi excelente parceiro de pesca e demonstrou que todos seus rígidos projetos de preservação local estão no caminho certo e já podem colocar sim, o Rio Manso como o melhor destino para a pesca de dourados e piraputangas do Brasil.   Espero que tenham gostado e comente para incentivar o trabalho! Grato  
  12. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Marcos Ide em Barcelos: medida CPRM e máxima ideal. Pesquisa   
    Grato mestre!
     
  13. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Carrão em Barcelos: medida CPRM e máxima ideal. Pesquisa   
    Grato mestre!
     
  14. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Celso Mendonca em SIRN-1958,Foto Histórica   
    Que foto sensacional! 
     
    Imagine os brutos batendo no barranco da cidade! Jogando as piabas pra cima! Rsrs 
  15. Like
    Cuca Pesca recebeu reputação de Custom by Marco em Relato Barcelos - Rio Cuiuni Alegria Nov 2018   
    Relato Barcelos - Rio Cuiuni Alegria Nov 2018 Organização por CucaPesca e Operação Barco Savana Sport Fishing_ Semana 03-10/11     Enfrentamos bancos de areia para navegar de madrugada, água suja, desgaste físico... MAS O RESULTADO VEIO!   Posicionamento e estratégia do Barco Hotel: Subimos o Rio Cuiuni pescando 2 dias até chegar no repartimento entre o Rio Alegria e Rio Cuiunizinho.   Nível e condições do rio: sem relatar em metragem/altura do rio e termos técnicos de ph e oxigenação, Rio Negro com poucas mas extensas praias, Cuiuni na boca um pouco acima da caixa e na região do Repartimento, nível seco  com poucas estruturas de molongo na água e muitos lagos bem rasos. Alegria seco, porém com água nova e muita suja (branca).    Ação de peixes: no segundo e terceiro dia de pesca as melhores ações - considerando peixe de qualidade - no médio e alto Cuiuni (abaixo do repartimento) de peixes 17-19lb. Nos outros dias muitos Borboletas capturados e pouca ação de Paca-Açu e Açus de médio e grande porte. Pressão atmosférica variando bastante com as nuvens carregadas e brisa forte vindo do Norte. Nos dias mais estáveis e nublados, muitos cardumes atacando na superfície bicudas (saicangas) no barranco.   Iscas: os grandes exemplares foram capturados na tradicional Jumpin Minnow T20 Osso e um na Bonnie 128 azul. Impressionante foi o baixo número de ações em jigs e subsuperficie.    Turma: 10 pescadores e todas as 05 voadeiras capturaram peixes acima de 16lb. Todos buscavam tucunarés de médio e grande porte o que gerou satisfação em relação a pescaria   Barco hotel: Savana Sportfishing com tripulação e guias de pesca exemplares. Comida, atendimento e acomodações excelentes.  
     
  16. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Eder Nascimento em Siga-me no Instagram   
    Fala Turma,
    Sou o Cuca fundado do Grupo Buriman Pesca (loja, importadora e Ag. de turismo de pesca) e fundador do Barco Hotel Paumari Fishing.
     
    Gostaria de convidar os amigos a seguir o meu instagram @cucapesca 
    link https://www.instagram.com/cucapesca/

    Abssss
  17. Upvote
    Cuca Pesca deu reputação a Marco Túlio Bueno Vieira em [APROVADO] - Buriman - http://buriman.com.br/   
    Opa o @Cuca da Buriman @CucaBuriman logo log aparece aqui também.
    Gente fina, loja massa tb.
    Aprovo tb.
  18. Upvote
    Cuca Pesca deu reputação a FelipeCampaci em [APROVADO] - Buriman - http://buriman.com.br/   
    Serviço de primeira, atendimento prestativo e entrega rápida!
    Atendimento do Toshi, auxiliando nas dúvidas e adequando o pedido às minhas necessidades.
    Aprovado!!
  19. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Rafael Matos em Até breve Amazônia!! Barcelos - Out 2016   
    Grande Rafa e João, 
    grato pela parceria e amizade. Todos os integrantes da tripulação e pescadores gostaram de mais de vocês dois... 
    Fico muiiiiiiiiiiiiito feliz por poder participar e organizar sua viagem e perceber que deu tudo certo. Faltou o tucunaré gigantão! Mas faz parte e a pesca é assim mesmo. 

    GRATO DE MAIS! 
    Abs 
  20. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Fabrício Biguá em Cuca no Panamá - Pedasí City - Pescaría Incrível em Local Pouco Explorado   
    Panamá - Pedasi - Maio 2016 Buriman Viagens e Panafishing Lodge * Breve seleção de fotos* Pescaria sensacional! Muita ação! PESCA 100% na artificial! Popper e Jig!  Infelizmente perdemos muiiiiitos Rooster e Caranhas gigantes. As Sororocas e Xaréus não davam tempo! Também engatamos diversos Shark Reef (tubarões parecidos com o galha preta) no Popper! Imagens impressionantes! Grato ao grupo sensacional formado por Vitor Bandeira, Marcelo Chung, Ricardo Chung, Flávio Iervolino e por mim...   A Viagem: - Tudo organizado pela Buriman Viagens  - No Sábado (21/05) fizemos um pernoite na Cidade do Panamá em Hotel Casino Top, almoçamos no mercado do peixe, shopping pela tarde, casino e drinks por la noche! - Domingo tomamos nosso transfer com paradas agradáveis até a cidadela de Pedais. Check-in no Panafishing Lodge. Local incrível, donos franceses atenciosos, comida sensacional, acomodações confortáveis e tudo perfeito... - Segunda a Sexta 5 dias completos de pesca em barcos 25-26 pés com dois motores 125-170hp para dois ou três pescadores cada.  - Sábado Check-out da pousada e transfer direto para o Aeroporto Tocumen PTY - Cidade do Panamá.   


















  21. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Marcelo Pupim em Cuca no Panamá - Pedasí City - Pescaría Incrível em Local Pouco Explorado   
    Panamá - Pedasi - Maio 2016 Buriman Viagens e Panafishing Lodge * Breve seleção de fotos* Pescaria sensacional! Muita ação! PESCA 100% na artificial! Popper e Jig!  Infelizmente perdemos muiiiiitos Rooster e Caranhas gigantes. As Sororocas e Xaréus não davam tempo! Também engatamos diversos Shark Reef (tubarões parecidos com o galha preta) no Popper! Imagens impressionantes! Grato ao grupo sensacional formado por Vitor Bandeira, Marcelo Chung, Ricardo Chung, Flávio Iervolino e por mim...   A Viagem: - Tudo organizado pela Buriman Viagens  - No Sábado (21/05) fizemos um pernoite na Cidade do Panamá em Hotel Casino Top, almoçamos no mercado do peixe, shopping pela tarde, casino e drinks por la noche! - Domingo tomamos nosso transfer com paradas agradáveis até a cidadela de Pedais. Check-in no Panafishing Lodge. Local incrível, donos franceses atenciosos, comida sensacional, acomodações confortáveis e tudo perfeito... - Segunda a Sexta 5 dias completos de pesca em barcos 25-26 pés com dois motores 125-170hp para dois ou três pescadores cada.  - Sábado Check-out da pousada e transfer direto para o Aeroporto Tocumen PTY - Cidade do Panamá.   


















  22. Upvote
    Cuca Pesca deu reputação a Isaias em Workshop/Palestra na Buriman Pesca com Nam Kyu Lee neste Sáb 21/05   
    Cuca
    Valeu pelo convite!
     

  23. Upvote
    Cuca Pesca deu reputação a Ricardo de A S N Marques em Workshop/Palestra na Buriman Pesca com Nam Kyu Lee neste Sáb 21/05   
    Opa cuca, estaremos aí!
    Abs
    Enviado de meu E6603 usando Tapatalk
  24. Upvote
    Cuca Pesca recebeu reputação de Ricardo de A S N Marques em PROTETOR DE DEDOS - Para Galera das hélices e zaras   
    FALA TURMA BONITA!
    Aprovei um novo acessório que para mim é essencial: PROTETOR DE DEDOS...
    Eu sempre tive uma pegada na carretilha que machuca algumas partes da mão... USO 100% DO TEMPO LUVA DA OWNER com pontas de dedos expostas para poder dar um nó rápido e etc... mas por baixo delas estou usando esses FINGERS PROTECT para evitar aquelas bolhas e cortes durante a semana de pesca... 
    A novidade está no bom preço, qualidade e TAMANHO do produto... a dimensão da faixa/fita é mais larga do que as tradicionais...
    NÃO TEM COLA... nada de soltar algum tipo de cola durante o dia de pesca...
    esse material o pessoal também usa para proteger até mesmo materiais sintéticos, cabos de vara e etc... 
    nos EUA usam em bicicletas, camuflar armas e acessórios em geral...
    segue o link a turma: http://www.buriman.com.br/fita-adesiva-camo-tape.html


     
     
×
×
  • Criar Novo...