Ir para conteúdo

Edu Garcia

Membro
  • Total de itens

    174
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    7

Edu Garcia venceu a última vez em Outubro 21 2021

Edu Garcia had the most liked content!

1 Seguidor

Sobre Edu Garcia

  • Rank
    Iniciante
  • Data de Nascimento 13-02-1978

Profile Fields

  • Sexo
    Masculino
  • Nome + Sobrenome (obrigatório)
    Edu Garcia

Informações de Perfil

  • Localização
    Brasília - DF
  • Interesse
    Pesca esportiva, Pesque e Solte, Turismo e Lazer.

Últimos Visitantes

1.547 visualizações
  1. Massa o relato, estava esperando essas informações. @Eder Nascimento poderia esclarecer a logística aérea de chegada e saída, já que boa parte dos hidro aviões estão parados.
  2. Top, peixão, pagou a viagem! Parabéns parceiro! SIRN é SIRN, mesmo com as condições adversas.
  3. Massa o relato, já estava estudando a região, não conheço Uatumã ainda, pois sou viciado em SIRN. Fevereiro irei conferir de perto. Abraços.
  4. Aí é o Papa dos relatos bem feitos né...rsrs Acabei esquecendo, que nós tb encomendamos 10 picanhas em Manaus e 4cx de Ipa, ajudou nos dias ruins de peixe e nas partidas de dominó! Como disse, baita relato. Ponto alto, ver o "mlk" desse tamanho arremessando e trabalhando isca desse jeito, chega a emocionar, pois lembra como a maioria de nós começamos, top demais.
  5. Eu quero agradeço a msg grande mestre, e a oportunidade de dispor de uma plataforma como esta. Abrs.
  6. @VitorMorais o Gil é um bom rapaz, cumpre o acordado! As vezes tem o azar de ter pessoas sem a devida capacidade p/ ajuda-lo. Se investir em divulgação e tiver um comercial forte, vai bombar. Vale lembrar que é uma operação nativa de SIRN, isto conta, visto as dificuldades por lá enfrentadas.
  7. Negrão nunca decepciona ne Kid, tem muitas possibilidades, agradeço as palavras, Abrs!
  8. Eis que chegou nossa vez, 12 meses de planejamento e espera em busca da semana "perfeita". Cheia histórica no Rio Negro e consequentemente refletindo em muitos afluentes, até aí "tudo bem", só que chega o verão amazônico e nada dos gráficos ajudarem. O Rio Negro, astro principal, bufando forte, passou agosto, chegou setembro e nada de baixar como "normalmente" acontece. Esse ano foi de muito aprendizado, em todos os sentidos, colegas que arriscaram o inicio da temporada voltavam assustados, alguns peixes começaram a sair e nos deu uma pontinha de esperança que algo bom pudesse acontecer, e aconteceu, o primeiro repiquete veio forte, atingiu SGC e SIRN que já estavam com níveis altos p/ o período. Barcelos foi menos afetada, mas o nível continuava alto. Fazer o que? arrumar as coisas e ir, contemplar aquele lugar espetacular, rever os amigos, bater bons papos, trocar experiências (porque a pesca é aprendizado sempre) e muitas risadas pela frente nos aguardava. Nosso grupo fantástico é composto por 12 alucinados: Eu, Edu Garcia- DF Caio Miranda- DF Ulysses (Tiozão)-DF André Ortiz- DF Pedro (Pedron)- DF Daniel- GO Vitão- MG Marcão Lemos- MG Rafa Panizza - SP Renatão- SP Natalino (Japa)- SP Digão- BA Primeiro encontro com parte da Turma, aeroporto de Brasília: Turma completa em Manaus, chega o grande dia, partiu embarque, animação e descontração em 100% Nossa pescaria era em SIRN, mas o operador que estava subindo de Manaus propôs que a gente descesse em Barcelos e aproveitasse a ida p SIRN. Foi apresentada a opção de pagamento da taxa de turismo em Barcelos, mas o grupo optou por não pescar na região devido as circunstâncias, a imagem aérea de Barcelos era desoladora, muito cheio, totalmente alagado! Olha como estava a famosa escada em frente a igreja: Importante, na chegada a Barcelos nos foi solicitado o comprovante de vacinação, apesar de todos estarem também com seus exames PCR em mãos, não foi solicitada a sua apresentação. Partimos de Barcelos com destino a Santa Isabel do Rio Negro no domingo por volta das 10h da manhã e navegamos o dia todo, deu p/ perceber novamente o quanto estava cheio, até a boca do Arirarrá era impraticável a pesca, o jeito foi revisar a tralha, jogar um dominó e acender a churrasqueira! Segundona na área, já próximos da boca do Rio preto, finalmente iniciamos a nossa pescaria, dia difícil demais, praticamente não existia ponto de pesca, era rodar atrás de um barranco em mínimas condições e arriscar, resultado do dia, poucos peixes capturados, maior do dia uma Paca de 60cm. Terça-Feira, algumas voadeiras saíram em direção a boca do Rio Preto/Atauí Açu, alguns tricks no inicio do dia, meu guia (FEL) nascido e criado na região seguiu sentido alguns lagos do Atauí, era desesperador, um lago emendado no outro. Ainda sim, o guia FEL como conhecedor da região, encontrou alguns igarapés onde conseguimos alguns Pacas e Borboletas p/ animar um pouco. Até chegar em um lago chamado Panadá, onde tive a grata surpresa de pegar um incrível PIRARUCU na RIP Roller 5.25. O Vídeo está grande, ainda não sei como vou conseguir postar isso, mas tirei uns prints do vídeo p deixar aqui no relato. Não, não consegui embarcar o peixe, fizemos tudo certinho p/ poder manusear o peixe sem oferecer perigo p/ gente, quando decidimos embarcar a máquina, ele deu a última investida e arrancou o pitão traseiro da RR, uma pena! E sim, o Freio estava aberto, foi "azar mesmo". Ainda surpreso e grato a Deus pelo "feito" inédito, pelo menos p/ mim, seguimos a pescaria e decidimos retornar p Rio Negro. Saímos de cara para um lago central aberto, e aí meu camarada, a partir daí nossa semana tomou outro rumo. O lago em questão era o da comunidade Rosa Maria, que a maioria dos guias passam na frente e não dão valor. Ulysses (O Tiozão) meu parceiro esse ano, e que estava debutando na Amazônia, me acerta uma lindo peixe, curte aí.. 75cm centímetros de Açu e tenho certeza, que o primeiro peixe bom na hélice o "peão" nunca esquece. Parabéns Tiozão!!! Lógico, ficamos empolgados demais, analisamos melhor o lago e a estrutura (pauleira) oferecida e vimos ali a chance de mudar nossa pescaria, ainda saíram mais alguns pacas, sempre na casa dos 50/60cm. Dia de comemorar, lógico! Quarta-feira começou, guia novo, algumas tentativas de barranco e nada, pedi ao guia: "vamos voltar e entrar no lago de ontem" e não deu outra, logo na entrada achei um 70tão aprumado, lógico na hélice! Logo em seguida, escuto a comemoração do Pedron (outro debutante na Amazônia), que já estava vindo de uma pescaria no Juma e já tinha acertado um 75cm por lá... Eles tinham entrado no lago na nossa frente.. e olha no que deu: A foto na régua, não desmerece o peixe, lógico.. na próxima caprichem mais. E Parabéns mlk, tá no ano iluminado na pesca. Até aí, esse lago foi salvando a gente, 3 peixes bons e logo depois muito cardume, borboletas e pacas famintos disputando alimento nas partes mais rasas, foi muito animado. No geral a quarta-feira foi mais agitada p/ todos do Grupo, média de 15 peixes por barco, mas sofrido viu! Marcão de BH ainda perdeu um bom peixe em um lago dentro do Atauí. Quinta-feira sofrida, caiu a produtividade drasticamente, justamente quando começaram a aparecer as melhores praias no leito do Negro Mas não achem que isso nos ajudou, era água demais ainda, alguns barrancos começando a aparecer nas ilhas do leito. Estava baixando, cerca de 4 a 5 cm/dia. E em meio a toda dificuldade imposta, não tinha como parar p/ aproveitar esse Paraíso!!! E a quinta ainda nos reservou uma feliz coincidência, todas as voadeiras se encontrando no leito do Rio Negro, momento top, todas as 6 voadeiras juntas, bem no meio do leito do Negrão! Sextou! Eu particularmente acho um dia fraco, p/ quem pesca nessa região, ainda mais com o Poné e o Acarabaxi bufando de água, dificultou mais ainda, mas fomos p Luta! Logo cedo, acerto esse bitelo ai: 76cm Charutada sinistra na T20 (sempre ela), peixe na ressaca de rio, erosão de barranco, stick na catimba, certeiro! Ainda na sexta, Renatão pegou seu peixe: 75 cm, empatando com o Tiozão em nosso torneio interno. Fim de sexta-feira e chega um momento esperado por todos, comer e beber bem, o Lual é sempre um momento a parte: Sabadão, última dia de pega! pescaria acima de SIRN e o foi ruim demais, poucas ações. Pedron ainda "rancou" esse 74cm na marra na hélice (que eu escolhi rsrs) Caio, nosso Bruxo amazônico, não acertou o 80tão desta vez, mas tem uma foto que não posso deixar de postar, olha isso: Registro também do peixe do Japa durante a semana: E o André Ortiz?? teve a chance de pegar "O peixe"! Um Peixe que tem história nesse rio negro, um peixe que vários já tiveram de frente com ele, mas ele é mais esperto, por enquanto esta levando a melhor sob os pescadores! Ficou na vontade e que venha 2022, por enquanto teve sua coleção de Pacas esse ano: Nosso Torneio ficou assim: 1º Pedron, peixe 80cm- Guia Neto 2º Edu Garcia, peixe 76cm- Guia Pedrim 3º Ulysses Tiozão, peixe 75cm- Guia Fel Tiozão levou o 3º lugar pq o critério de desempate era quem pegasse o maior peixe da mesma medida primeiro. Troféu p/ Pedron pescador e o Guia Neto. Todos os guias, além da caixinha tradicional, receberam bonificações pelas colocações no torneio. Nossos Troféus Enfim, claro que as condições de nível atrapalharam, tanto a produtividade, quanto a qualidade, mas considero uma pescaria satisfatória considerando todos os fatores. Estivemos sob os cuidados da Operação Tauá Mirim, do Gil, utilizando o excelente barco Manauara, Serviço redondinho, honesto, cerveja gelada, voadeiras revisadas. O ponto alto para o Chef Paulo Matos que deu um Up considerável durante toda a semana. Espero que este relato, possa de alguma forma nortear os colegas que ainda vão pescar na região esse ano. Que o sentimento de União, Confraternização e Irmandade de nosso grupo contagie os demais. Menos vaidade no mundo da pesca e mais união! Abraços aos amigos pescadores!
  9. As vezes, buscamos preços mais acessíveis.. e acabamos nessas tranqueiras. Sou de Brasília, mas pesco muito em 3 marias. Existem guias sérios e conhecidos de todos, entre eles, podemos citar: Em 3 marias: Guia Helder (pousada morada do Azul); Machado do Pesca Gerais; Jefferson. Em São José do Buriti: Paulo Vorcaro. Em Morada Nova: Cadu e o time fantástico da Fazenda Bom jardim. Todos eles, vc encontra facilmente nas redes sociais.
  10. Faça o teste com a Celta SW, leve e resistente. Uso em torneios e na Amazônia, sem problemas até agora.
  11. Cara, tem tanta coisa em jogo nesse assunto. vou dar minha opinião que não é uma verdade absoluta, posso estar errado, mas é baseado em minha experiência. Primeiro- bateria depende muito do cuidado do dono, usou, carregue! é uma cx de armazenamento de carga, foi feita p isso, esse negócio de pescar fds e guardar a tralha e só carregar a bateria na próxima pescaria, detona qualquer uma, independente de marca ou tipo. Segundo- Tenho dado preferência p/ bateria comum automotiva. Quando era sócio de pousada no lago do peixe, as baterias estacionárias não duravam 12 meses! o Motivo? não suportavam a temperatura de trabalho, expostas ao sol. Depois que percebi isso, fiz algumas pesquisas e me atentei que baterias estacionárias foram idealizadas para ambientes de Datacenter e/ou suporte a nobreaks, com limite de temperatura em 25º graus, sua aplicação é mais restrita do que as baterias comuns automotivas. Só uso, e já deve ter uns 10 ou 12 anos bateria comum automotiva na minha embarcação, usou, carregou! duram em média 5 anos, tanto em bass boat, quanto em barco de alumínio, além do preço mais acessível. Agora, se tem bala na agulha, compre a linha Boat, existem algumas no mercado, com preço bem mais salgado, conheço colegas que usam e ainda não tiveram problema. Não vou comentar sobre instalações e demais componentes envolvidos, me abstenho a opinar somente quanto as baterias. deixo compartilhado o site da Moura, com relação a aplicação das baterias estacionárias: Sobre Baterias Estacionárias
  12. Sim esta correto, tanto para Barcelos quanto SIRN. E tem normativo municipal publicado em Agosto! Quem precisar, as farmácias em Manaus fazem o PCR, resultado em 20 minutos!
×
×
  • Criar Novo...