Ir para conteúdo
Astra-Taranis

Vc sabe escolher um reboque/carretinha e engate?

Posts Recomendados

Você sabe como escolher um reboque ou carretinha e seu respectivo engate? Confia no vendedor? Acha que é tudo igual?

 

Se você torceu o nariz e disse : tudo igual, a mais barata é a melhor! É bom ficar preocupado !

 

Esse não vai ser um tutorial definitivo (nunca são!), nem pretendo de que seja, não sou um técnico ou um engenheiro, sou apenas um cara que quis ter uma empresa de carretinhas e aprendi um pouco, então vou passar algumas informações...

 

Bom antes de mais nada, é bom ter algumas coisas MUITO claras nas mentes de vocês , segue um texto que achei na internet:

 

Citar

Para começar, o reboque deve ser registrado e licenciado no Departamento de Trânsito (Detran), ganhando placa e documento (CRLV). Apesar de não ser preciso pagar IPVA ou seguro obrigatório (DPVAT), a Taxa de Licenciamento da carretinha deve ser paga todo ano. Os veículos com peso bruto total (PBT) de até 3.500kg (soma dos pesos do veículo, unidade acoplada e carga) podem ser dirigidos por motoristas habilitados na categoria B. Até 6 mil quilos, a carteira deve ser tipo C; acima disso, categoria E.

 

 

Tome cuidado ao comprar a carretinha, já que o fabricante deve estar homologado por entidade credenciada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO). De acordo com a Resolução 14/98 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), são equipamentos obrigatórios para os reboques: protetores das rodas traseiras; lanternas; freios de estacionamento e de serviço (veículos com capacidade superior a 750kg e produzidos a partir de 1997); luzes de freio; iluminação da placa; setas; pneus; lanternas delimitadoras e lanternas laterais (dependendo das dimensões). As penalidades para o veículo que circular em desacordo com essas especificações são variadas e constam no artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).


ENGATE 
O engate para puxar a carretinha também deve estar dentro das normas. As resoluções 197/06 e 234/07 do CONTRAN é que definiram es regras para os veículos com até 3.500kg de PBT. O fabricante ou importador do veículo deve informar ao Denatran os modelos que têm capacidade para tracionar reboque, além de fazer constar no manual do proprietário os pontos de fixação do engate e a capacidade máxima de tração do veículo.


Já o fabricante do engate precisa estar registrado no INMETRO, que estabelece normas para aprovar o produto e seu procedimento de instalação nos veículos. O acessório deve apresentar algumas características: esfera maciça apropriada ao tracionamento; tomada e instalação apropriada para conexão ao veículo rebocado; dispositivo para fixação da corrente de segurança do reboque; ausência de superfícies cortantes ou cantos vivos na haste de fixação da esfera; e ausência de dispositivo de iluminação.

Além disso, o engate deve trazer uma plaqueta para a rastreabilidade do produto. Por fim, o instalador do engate deve cumprir à risca o procedimento de instalação aprovado e indicar na nota de venda do produto os dados de identificação do veículo. Conduzir o veículo com equipamento ou acessório proibido é infração grave, com multa de R$ 127,69 e retenção do veículo para regularização.

 

 

Bom parece óbvio não é? Para mim parece, mas acredite, uma enorme porcentagem de carretinhas por aí não são feitas assim, são fabricadas com soldas de portão, materiais reciclados e ruins, pneus remolds, por serralheiros que mal sabem a diferença entre + e - e o pior: SÃO VENDIDAS SOB A CHANCELA DE MARCAS FAMOSAS (inclusive dentro do estado de SP!). Alguns fabricantes vendem o chassi pro serralheiro que então produz e pode ser emplacado (ou seja, produz sem controle, como quer com o material que bem entender) outros fabricantes, basta entregar $400 que ele emite uma NF dizendo que foi ele quem fez...

 

Os engates não são diferentes! Há basicamente duas coisas no mercado:

a) engate correto e bem feito

b) engante cosmético, uma aberração vendida em qualquer loja, até que são bonitos, mas só servem para enfeitar, não possuem pontos de ancoragem, não tem aço correto, não tem garantia, as soldas são mal feitas, não possuem distâncias corretas do parachoque, enfim... são os encontrados em 99% dos casos e estão por aí transportando lanchas de mais de 1 milhão de reais prontos para causar um desastre.

 

Falando em desastre, eu sigo a seguinte mentalidade:

"Não é por que não deu problema até hoje que não vai ocorrer. Segurança não é brincadeira, se você vacilar pode matar. E pra morte meu amigo, não exite seguro, indenização nem qualquer outra coisa. Se você matou ou morreu, siga com isso até onde aguentar!"

 

Portanto, vamos falar em segurança como algo REALMENTE necessário e que não se deve negligenciar ok? Segurança é segurança e ponto final. NAO tem dessa de pode isso ou aquilo, vai que dá certo etc... Existe o certo e o errado. 
 

Já que estou falando de engate, temos engates corretos e eles são definidos por PESO a ser transportado, aqui vale a máxima: compre bem acima do que vai transportar, canja de galinha não faz mal a ninguém, em uma freada brusca ou em capo de um acidente, roda que cai, desprendimento da carga, um engate mais parruda é a diferença entre voltar pra casa de carro próprio ou talvez de ambulância...

 

Sem grandes delongas, hoje os carros utilizam finíssimas chapas em seu monobloco, a maioria deles possuem longarinas pequenas e não dimensionadas para reboques, e pouquíssimos usam chassi de fato. Portanto, esqueça qualquer engate que não contenha ao menos 6 pontos de ancoragem, preferencialmente em longarinas, não sendo possível, instalar na parte de baixo e dentro do porta-malas uma placa de aço (tipo um sanduíche com a placa original do carro), isso fortalece a chapa, aumenta a área de dispersão da força quando puxar o reboque e freá-lo e evitará acidentes comuns como afundamento do porta-malas, ou até mesmo rasgar a chapa ou a longarina onde está afixado (não isso não é difícil, ocorre sim!).

 

Sobre as carretinhas:

 

Há diversas carretinhas disponíveis no mercado, de aço, de plástico, de fibra, de alumínio, de madeira, enfim, uma infinidade.

Todas tem sua atuação mais específica e todas podem ser um desastre ou uma boa opção. O que vai delimitar é a qualidade geral, ou seja:

 

a) engenharia,

b) qualidade de produção : soldas, materais, conhecimento, elétrica, pneus, eixos, cubos,

c) gabarito

d) mais importante: responsabilidade da fábrica!

 

Carretinha não precisa ser bonita (nem feia!), mas precisa ser bem feita. uma carretinha bem feita, onde se tem produtos de qualidade, gabarito alinhado e correto, poderá ser usada por uma vida inteira e mais um pouco, não vai ficar pulando nem rabiando pela estrada, não dá curto, não quebra do nada, não entorta , não fica capenga, enfim... 

 

O mais difícil na construção de uma carretinha é o gabarito, todas as fábricas têm o seu, nem todas tem um bom gabarito, ou seja, tem carretinha que sai muito boa, tem carretinha que sai parecendo um burro xucro de tanto que pula e fica sambando na estrada.

 

O gabarito é a alma do negócio, demora para ser feito, muitos com o tempo vão se amassando, entortando, danificando e por aí vai, portanto, antes de sair pagando carnes por aí, se possível vá até uma fábrica e veja o que produzem.

 

Produtos reciclados, remolds, alternativos, recondicionados, etc, são maravilhosos em muitos lugares, menos em um que você carrega muitos quilos e pode do nada se soltar e invadir a pista contrária e matar uma família inteira que não tem nada a ver com sua economia porca. Simples assim. Fabricante que coloca de pneu remold a eixo recondicionado pode riscar das opções. 

 

Elétrica: deve ser bem tratada, com fios estanhados e soldas protegidas, com as luzes bem estanqueadas (pode ser um simples silicone vedando!), com fios de qualidade e sem emendas, viu fita isolante? Descarte... A elétrica é essencial que seja de qualidade, primeiro por que é segurança, segundo por que mesmo que você transporte de kombi 75, se tem um fio desencapado, ou fiação velha de má qualidade, corre o risco de incendiar o seu carro, e é muito rápido, quando se percebe já era... Os carros modernos então um curto circuito para o carro inteiro e o prejuízo é enorme. Pensa numa picape atual, uma cherokee com curto... Do rádio a central eletrônica, bomba, tudo vai pro saco...

 

Se sua carretinha entra na água, preocupação triplicada!

 

Soldas:

Aqui um capítulo a parte, a solda é o que une todo o conjunto, reforça e faz você ir e voltar, ao contrário de só tentar ir... Solda TEM que ser bem feita, limpa, sem um monte de pingos pela carretinha, feita do começo ao fim de uma única vez, em movimentos curtos, rítmicos e iguais, preferencialmente bem juntos um ponto do outro. Isso tudo demonstra capricho, asseio, atenção aos detalhes.

 

A solda não é tudo igual, tem diferentes tipos de soldas, diferentes funcionalidades e graus de pureza, claro que não vem ao caso dizer tudo isso agora, mas uma carretinha com soldas limpas, sem aquele monte de pingos por tudo que é lado, soldas unidas e bem feitas, mostram que a empresa investe em um profissional de qualidade. 

 

Uma solda mal feita destempera o aço, logo ele vai partir facilmente , detalhe: nunca parte na SOLDA e sim PERTO dela... Um bom profissional sabe como evitar uma solda destemperada, sabe usar limpadores e produtos para melhorar a solda e principalmente a não deixar vãos imperceptíveis a olho nu mas que com o tempo entra água e umidade, criando ferrugem próximo a solda, apodrecendo tudo ...

 

Tipos de chassi, tubo, longarina etc...

 

Há muitos tipos por aí,  de reboques feitos por tubos (na minha opinião mais modernos e bonitos), a longarinas em U ou I ou H (cada região explica de um jeito, é aquela parecida com trilho de trem ou em formato de U, ou de C, ou algo parecido), entre outros formatos menos usuais.

 

Sendo bastante franco: as melhores opções são as ABERTAS, ou seja, em I ou H ou C ou U , pelo simples fato de que fazem a umidade (principal problema das carretinhas) e água serem rapidamente evaporadas, diferente do chassi em TUBO (tubolar), que embora mais leve e bonita , dificulta MUITO a evaporação , mesmo deixando inclinada, basta pegar um canudinho e colocar água dentro pra entender o por que. A simples umidade do ar diário lá dentro intensifica a ferrugem, adicione chuvas, lavagens, sujeira, ratos (sim eles adoram entrar nesses tubos e fazer seus nichos lá!), jogadas de água das crianças... enfim.. o sistema tubolar é eficiente e aguenta? sim... mas prefira o velho e mais pesado sistema em U.

 

Outra vantagem da viga em U é que você consegue rapidamente ver pontos de ferrugem, algo impossível num sistema tubolar, quando este ficar aparente, já era! Já na viga em U, basta um simples conserto caseiro...

 

Pintura, hoje muitas fábricas contam com cabine de pintura, pintura epóxi, pintura de tudo que é jeito , cor, textura etc.

 

Basicamente o importante é o metal ser tratado ANTES de ser pintado, seja por um primer ou por tratamentos químicos, a fogo etc. Todos são interessantes e todos vão um dia acabar... 

 

Em perfis em U ajudam bem no caso da pintura, visto que podem ser pintados por dentro com extrema facilidade, ajudando mais ainda na questão da ferrugem.

 

O engate que engata no engate do carro ehhehe:

 

Existem diversos tipos, dos mais tradicionais copinhos soldados (que estão saindo de linha!) aos mais rebuscados com sistemas de travamento e segurança, todos funcionam mas os mais tradicionais são mais suscetíveis a falha, principalmente se a soldagem for ruim, se ela for boa, provavelmente nunca terá problemas, mas como hoje temos soluções melhores, aconselho a utilizar aqueles de ferro fundido, aparafusados (e se possível soldados tb) ao chassi do reboque, são mais seguros, fáceis de trocar se precisar e também mais práticos.

 

Sistemas de molas:

 

Temos basicamente dois tipos: molas por feixe e molas helicoidais.

 

Não dá para generalizar dizendo que o feixe de molas aguenta mais peso e que helicoidal pula menos, isso em grande parte é verdade mas não uma verdade absoluta, conheço exemplo de ambos os modos que tem resultados absolutamente contraditório. Tudo depende do material, fabricante, engenharia e qualidade geral já exposta.

 

Porém a grande maioria das fábricas são na realidade fabriquetas, e portanto, simplificam ao máximo. Diante disso, se vc vai carregar um peso ate 1 tonelada, ou menos, opte pelas helicoidais, são mais modernas, mais fáceis de consertarem num aperto, pulam (em geral) menos e proporcionam uma estabilidade (geralmente) melhor. Passou desse peso, pense em feixes de molas. 

 

O mais importante aqui são os amortecedores, serão eles que irão gerar toda estabilidade envolvida, não deixam os buracos afetarem tanto a carretinha etc, portanto, peça amortecedores NOVOS e de marcas renomadas.

 

Lembre-se ate um popular hoje  tem mais de 1400 quilos, divida isso por 4 rodas e veja se o peso transportado que cada conjunto mola/amortecedor consegue carregar (incluir ai o peso máximo a ser transportado no carro). rapidamente você notará que mesmo carregando um bass boat e mais tralhas e mais a sogra, vai estar bem abaixo do limite que um carro popular carrega, preferindo poderá usar um conjunto mais parrudo, como de um sedan médio (civic, vectra, etc), estes suportam mais peso ainda. O que eu recomendo é trocar ideia com o fabricante a respeito, não adianta nada você ter um feixe de mola que suporta 2 toneladas facilmente (como de picapes!) para transportar um barco de 100 quilos + motor, certamente vai ter um cabrito pulando e deteriorando todo seu barco e motor atrás...

 

Preço:

 

muitos no intuito de economizar (e não os culpo!) por causa de R$100 reais ou menos trocam um produto de qualidade por um desastre pronunciado sem saber.

 

Vamos fazer contas para entender um pouco do quanto deve custar um produto de qualidade?

 

Uma fábrica comum produz uma carretinha a cada 1.5 ou 2.5 dia. Se temos 22 dias em média por mês, logo temos em média 11 modelos por mês, claro que sempre se produz duas ou mais ao mesmo tempo, então vamos colocar digamos 16 modelos por mês, acho um número bastante realista para 99% das empresas do ramo...

 

Partindo desse pressuposto, vamos fazer umas contas de padaria ? Nada muito técnico claro, valores aproximados.

 

Mesmo numa pequena fábrica temos como cargos , quantidades e salários:

 

1 secretária R$1.600

1 soldador R$3.500

1 pintor R$2.500

1 auxiliar geral R$2.000

1 vendedor que recebe de comissão 10% + ajuda de custo R$400

2 sócios (que farão de tudo, de vender a soldar)  média de R$5.000 cada um ou 10% do lucro cada

Aluguel R$8.000

Energia elétrica R$3.000

Água R$150

1 contabilidade R$250

Custos extras (telefone, celular, internet, viagens, etc, e etc, etc) R$2.500

 

Por eqto temos os custos mensais fixos de R$33.900 (sem contar impostos dos colaboradores), ou seja R$40 mil reais dividido por 16 reboques em media : R$2.500 sem imposto...

 

Vamos continuar..

 

2 rodas R$200

2 pneus R$320

2 cubos R$300

1 eixo R$200

pintura R$100

Elétrica e semelhantes R$250

Porcas e parafusos R$100

 Total ate agora R$ 3970 (vamos arrendondar pra R$4.000)

 

Logo, coloque aí custos de vendedor R$4400 SEM IMPOSTO (dos colaboradores e do produto em si... Note que aqui não coloquei os custos das CHAPAS e VIGAS que obviamente não são a preço de banana...)

 

Portanto, comece a repensar quando te aparecer uma carretinha por um valor menor que R$ 5 mil. 

 

Como conseguem então? Pneus remolds, eixos de ferro velho, material sem qualidade, soldas porcarias e principalmente, dando para um serralheiro de portão cortar tudo e pintar por R$400 reais ... terceirizou, abaixou o preço e perdeu toda qualidade.

 

Por tudo isso e mais algumas coisas, fiz esse rápido tutorial do que prestar atenção quando comprar uma carretinha.

 

Há várias fábricas de qualidade e com bom preço no mercado, basta saber compará-las , verificar o que é necessário e pesquisar um pouco. Talvez R$100 ou pouco mais podem parecer um bom negócio, mas na prática podem te deixar em complicações sérias.

 

Espero que curtam as dicas.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Correto, pois e a carreta que carrega seu patrimônio no caso uma embarcação.

 

Aqui na Calaça temos um modelo demonstrativo com pneus remolds,eixo recondicionado e vigas de 75x100mm, nossa carreta original possui pneus novos de primeira, amortecedores Cofap,viga de 50x100mm enrijecida chapa 13 em barcos (em vez de colocar 999999 reforços simplifique com menos porém muito mais resistentes e nos locais estratégicos, fica mais leve mas agora estamos implantando um sistema muito melhor de eixo pois a demanda por ele quando começamos a vender alguns para ver como seria, a demanda está enorme....

Além disso, tem os gabaritos, medidas, etc, que tem que ser precisas sem erro algum, em barcos simples, uma carreta mal feita pode até estragar o barco, na carreta e aonde 90% dos barcos estragam (sim e verdade),já em lanchas a tecnologia tem que ser diferente e mais bruta...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ainda tem bastante coisa para ser acrescentada, como por exemplo:

 

a) aluminio vs aço

b) freio inercial

c) quantidade de eixos

d) luzes e refletores

e) manutencao

f) cubos

g) agua vs reboque

h) carretinhas baú 

i) como guardar

j) altura em relacao ao solo

l) altura em relaçao ao cavalo (carro) : item muuuuiiito importante

m) pressao dos pneus

n) instalacao eletrica junto ao carro

o) estepe

p) cuidados básicos (e normalmente negligenciados por quase todos!)

 

Enfim... se o pessoal quiser e o tópico for pra frente, eu continuo... O primeiro post deram 6 páginas eheheh não quis assustar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 Sabemos que o comentario do topico, é fato real, mas olha pessoal, tem muita , carreta de alta qualidade , com preço de 2mil , e nao é ferro desalinhado, pintura mal feita nao, ainda sim é galvanizada, e eu particularmente jamais compraria uma carreta de 5 mil reais, a no ser se fose toda de duroaluminio.  ou aço inox.

 desculpe a sinceridade, mas daqui a pouco se bobear as carretas estao a preço de carro popular rsrsrsrsrsrs.

carreta tem que pesquisar preço sim , e ver tambem qualidade,  galvanizada a fogo.legalizada .

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Astra....fantástico o seu tutorial.

 

Certamente será de grande valia para todos do fórum.

Estarei inserindo o seu tópico na lista dos MELHORES TÓPICOS DO FÓRUM.

 

Estou acompanhando de perto e estou 100% com as suas observações.

Muitos pagam caro num conjunto, mas na hora de comprar a carreta, puts, choram por conta de 10 reais.

Sou de falar q em uma pescaria (desde a saída até o retorno de casa) o risco de acidente fora da água é maior q dentro da água.

 

Pense na sua carreta com carinho...vc só tem a lucrar com a melhor escolha.  ::tudo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Poxa Fabricio, fico MUITO feliz! Sinceramente achei que esse tópico tinha sido mal desejado, visto que houveram pouquíssimas respostas, poucos acessos etc..

 

Tinha até desanimado em continuar o tópico, vou então aos pouquinhos incrementando ele com o que prometi logo acima!

 

Abraço.

----------

Mike: 

 

olha há carretas realmente muuuito boas por um preço arrasador, abaixo dos R$2.000 é realmente difícil, a menos que seja direto com o produtor, por exemplo a morini reboques (votuporanga sp) é muito boa, e uma carreta completa para um barco de 6 metros custa em torno R$2.900 nas revendas. Mas para chegar a isso, a empresa precisa ser boa, com muito tempo de mercado, consequentemente uma alta produção, só assim para conseguir. O que é exatamente o contrário de 98% do mercado. Basta ver as fábricas, a maioria estão em galpões precários de 400 metros ... 

 

Quanto ao aluminio e ao aço inox, vou escrever um post dedicado a esses e outros assuntos.

 

Mas o aluminio não é a escolha mais acertada para quase absoluta esmagadora das fábricas, pois o seu alinhamento desse material é algo extremamente complicado quando se constrói o chassi da carreta, ele deforma muitas vezes irremediavelmente quando se começa a soldar. Sem contar a solda do aluminio, que deve ser feita em ambiente extremamente limpo com uma energia constante e monitorada para a solda esteja a altura das torcoes e necessidades que uma carreta sofre, a grande maioria dos construtores de carros mundiais ainda nao usa o aluminio pelo simples fato que sua construcao é complexa e cara. O mesmo se faz nas carretas.

 

nao é ruim, nem tao pouco impossivel, tanto é que temos algumas fabricantes fazendo, mas o resultado de algumas dessas fabricantes é questionável..

 

Enfim, é um assunto amplo que nao sera em poucas palavras que vou conseguir explicar tudo.

 

Como material também não gosto dele para esse uso (para outros é maravilhoso!) mesmo com a enorme  vantagem de corrosão que ele tem.

 

Sobre o aço inox, não conheço muito a respeito (aliás bem pouco), mas resumidamente, o aço inox é muito mais mole que o aço comum e que o aluminio, e sua capacidade de resiliencia é baixa, o que o torna pouco atrativo, para deixa-lo apto a suportar os problemas de torções, segurança e tal, precisa de muito material o que o torna muito caro e muito pesado. mas nao sou conhecedor do assunto, então aqui é meio pisar em ovos pra mim. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

pedro, para mim é um carpete normal, basta nao ser muito ruim afinal vai pegar agua, sol, vento e sofrer muito atrito, o resto a agua resolve o problema...

 

acredito que o rolete seja melhor, afinal ele gira e nao gera muito atrito né? 

 

deixo essa pros outros responderem, a unica ressalva que eu faco é que os roletes tenham uma boa área de atrito e sejam bastante deles, pois poucos vai marcar, deformar e se bobear amassar feio o barco ... hoje os roletes sao amplamente usados, nao sei te dizer se são as melhores opcoes. 

 

barcos de aluminio nao sao muito pesados.... mesmo com o motor, tendo vários pontos de ancoragem, acredito que de conta da situacao sem problema... 

 

obvio que com as travessas de madeira e carpete ou muito melhor, tiras de borracha dobradas vc terá muito mais área de contato e vai preservar muito mais o barco... enfim deixo  pra outro responder isso melhor.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

pedro, para mim é um carpete normal, basta nao ser muito ruim afinal vai pegar agua, sol, vento e sofrer muito atrito, o resto a agua resolve o problema...

 

acredito que o rolete seja melhor, afinal ele gira e nao gera muito atrito né? 

 

deixo essa pros outros responderem, a unica ressalva que eu faco é que os roletes tenham uma boa área de atrito e sejam bastante deles, pois poucos vai marcar, deformar e se bobear amassar feio o barco ... hoje os roletes sao amplamente usados, nao sei te dizer se são as melhores opcoes. 

 

barcos de aluminio nao sao muito pesados.... mesmo com o motor, tendo vários pontos de ancoragem, acredito que de conta da situacao sem problema... 

 

obvio que com as travessas de madeira e carpete ou muito melhor, tiras de borracha dobradas vc terá muito mais área de contato e vai preservar muito mais o barco... enfim deixo  pra outro responder isso melhor.

Entendi meu amigo. Obrigado pelo esclarecimento. É que minha carretinha saiu o carpete, e eu não sabia qual era o tipo de carpete. Não sei agora se coloco carpete novo ou roletes mesmo. Vamos ver, mesmo assim obrigado, abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

PEdro já vi um sem número de carpetes rasgados, despregados , soltando, etc. Infelizmente a cola sai com a agua, agua + vento + sol nao aguenta mesmo! Isso é normal!

 

seria legal vc ao invés de carpete tentar outras coisas, ja pensou em pregar (com prego mesmo + cola) aqueles macarroes que se usa na piscina? 

 

Eu gosto muito da borracha (pode ser uma borracha tipo de pneu de caminhao invertido, assim fica show, minha carretinha era um borrachão, se nao me engano feito com esteira dessas de carregar cosias em industrias), duro é dobra-la . A borracha ou algo macio é interessante pq nao amassa e ainda garante amortecimento com seguranca.

 

Uma opcao se vc conseguir achar seriam os EVAs.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tópico excelente. ::tudo::

 

Acho que os poucos comentários aqui registrados se devem justamente ao desconhecimento que ainda existe sobre a matéria. Eu, por exemplo, ainda estou aprendendo aos poucos os macetes relacionados aos reboques. Como pesco em água salgada, minha carreta (comprada em junho de 2013) já está precisando de manutenção  doeu::

 

Em breve, vou postar as fotos que tirei da suspensão para mostrar os efeitos nefastos da água salgada na suspensão.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

reboques marítimos são sempre um problema! 

 

Nao há galvanização que resolva, até o aluminio vai sofrer dependendo do local (especialmente aí no norte/nordeste onde venta muito, a areia e o sal vão batendo nas chapas e nas soldas e vai acabando aos poucos, claro que o aluminio dura muito mais nessa situacao...). É comum encontrar verdadeiros buracos nas chapas. 

 

Se for um reboque de encalhe, a melhor opção é sem duvida de madeira , afinal ela nao sofre oxidação, basta de vez em quando dar manutencao preventiva, passar algumas camadas de selante e verniz, trocar parafusos e tudo fica perfeito.. Mas como não possuem em sua grande maioria suspensão, não devem ser usadas para transportes.

 

Posta fotos aí... a tarde eu volto no topico pra continuar a escrever os pontos que até agora não comentei ! Falha minha...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

PEdro já vi um sem número de carpetes rasgados, despregados , soltando, etc. Infelizmente a cola sai com a agua, agua + vento + sol nao aguenta mesmo! Isso é normal!

seria legal vc ao invés de carpete tentar outras coisas, ja pensou em pregar (com prego mesmo + cola) aqueles macarroes que se usa na piscina? 

 

Eu gosto muito da borracha (pode ser uma borracha tipo de pneu de caminhao invertido, assim fica show, minha carretinha era um borrachão, se nao me engano feito com esteira dessas de carregar cosias em industrias), duro é dobra-la . A borracha ou algo macio é interessante pq nao amassa e ainda garante amortecimento com seguranca.

 

Uma opcao se vc conseguir achar seriam os EVAs.

Entendi. Astra, providenciei uns borrachões aqui, meu sogro já está até colocando pra mim. Sábado vou fazer o teste e deixo a nota aqui pra servir pro pessoal que tbm está em dúvidas. Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

a) aluminio vs aço


Aluminio é melhor que o aço , correto? depende... Nem sempre...


 


o Alu é um material excepcional para uma infinidade de coisas, de verdade! E para reboques, especialmente os que estão em contato sempre com a agua do mar, podem ser uma boa opção. Porém há de se entender que o aluminio tem diversas propriedades, como leveza (pra carregar, pra puxar, enfim, leveza é sempre bom!), oxida menos, requer pouca manutenção, enfim, muita coisa boa. Mas também tem a parte ruim.. E elas que me fazem de modo geral (estamos falando como um todo correto? E não de uma marca específica...) declinar sobre as mesmas, vejamos porque:


 


1- a soldagem do aluminio não é nada de outro mundo, mas também não é qualquer Zé Oreia que faz. A solda deve ser limpa, muito bem feita, com equipamento próprio e livre de sujeira, ou seja, praticamente o oposto em 99% das vezes que encontramos por aí. A soldagem do chassi de aluminio torce MUITO mais que no de aço o que gera mesmo com gabaritos precisos problemas de difícil controle e correção, que vao se perfazer em segurança ao rodar. A solda do aluminio tem que ser feita por alguém com experiência, pois ela destempera com extrema facilidade, fazendo o chassi uma bomba relógio sem visor, prontinha pra explodir ou no caso partir sem sinal algum, visual, sonoro ou qqr coisa assim. O aço também sofre desse problema mas em um grau tão menor que é quase nulo disso ocorrer mesmo em fabriquetas.


 


2- Existem centenas de ligas de aluminio e acredite, a menos que seu dedo e seu olho sejam divinos e ungido pelas lagrimas de Atenas, você e mais ninguém irá notar diferença sem usar um laboratório pra saber. Essas ligas diferentes atuam de forma diferente umas mais fortes, outras mais fracas, porosas, lisas, que suportam estresse, fadiga, temperatura, torção etc, enfim, cada uma de um jeito. Em regra geral, aluminio é um metal duro e com pouca resiliencia, ou seja, ele QUEBRA por ser duro e ele não volta as suas características originais ao sofrer impactos ou torções, portanto, se vc der uma porrada grande num buraco, valeta etc a chance de partir (literalmente rasgar) é grande, se vc passar do ponto de torção, ele não volta ao estado original e o ponto de torção do aluminio não é alto. Na pratica é o seguinte, se vc pegar uma regua de aço e de aluminio, vai conseguir dobrar o aluminio mais facilmente e até parti-lo do que com o aço/ferro . 


Reboques não são carros da AUDI, um custa 3 mil o outro custa 300 mil, não dá pra querer a mesma coisa, tecnologias, ligas, esforços e engenharia completamente diferentes.


3- reparabilidade... tenta consertar uma viga de aluminio e uma viga de aço... Claro que ninguém aqui quer ficar consertando carretinha, mas numa emergencia, vc pode levar tudo numa serralheiro que ele vai enfiar uma solda de portao, deixa tudo preto, feio, porco e vc vai voltar pra casa. No outro, vai alugar um caminhão guincho e perder o ano inteiro pagando o frete mais caro que o teu barco + motor  + reboque + pescaria + zuação da família + pernilongos + estresse + conta do cardiologista ...


 


Enfim, por algumas questões técnicas na fabricação + preço elevado + características do metal + manutenção, eu fico com o mais barato e simples. Isso não quer dizer que o aluminio seja ruim ou imprestável. Longe disso. mas apenas pela questão de resiliencia do material já me faz acreditar que o aço é uma opção mais sensata. Isso claro para a grande maioria.


 


b) freio inercial


Por lei, se não me engano, todo reboque que carrega acima de 700 kilos (preciso rever se é isso mesmo)  é obrigado a ter um freio , seja inercial, seja por outras formas de frenagens. Isso faz com que o esforço do cavalo (carro, rebocador, sogra, sei la..) seja menor em frenagens e mantenha a trajetória da frenagem a mais reta possível. Freio de carreta não pode e não deve ser um freio absolutamente forte, longe disso. Ele tem que funcionar moderadamente, do contrário ele vai chicotear o cavalo de uma forma irremediável e o acidente vai ser feio. A outra função do freio no reboque é também não sobrecarregar o engate (um ítem falho por natureza).


 


Há centenas de formas de criar esse freio, a maioria usa um burrinho de fusca ligado a um pistao que se liga ao engate, ao freiar o conjunto esse aperta o pistao com a inercia que empurra um embolo e distribui a frenagem para as rodas do reboque, simples e eficiente. Existem outros melhores, a ar, hidraulico, eletrico, enfim, tem uma centena deles, mas esse é simples, barato, funciona e tem peça em qualquer padaria.


 


Para pesos menos que 500 kilos o freio não é capaz de atuar corretamente, ou trava as rodas do reboque ou não empurra o pistão como deve, portanto, não é muito aconselhavel, mas nada impede de vc ter e regular direitinho, só talvez precisará fazer um monte de testes e regulagens...A maioria dos carros atuais são capazes de lidar com pesos até 700 kilos sem freios. Note que no manual sempre é especificado isso, portanto, leia-o.


 


c) quantidade de eixos


Aqui temos um grande lugar de discórdia. Um reboque bem planejado, construído, reforçado, suporta mais peso que um meia boca, mesmo com a mesma quantidade de eixos (por exemplo 1), e portanto, alguns fabricantes dizem que não precisa mais que 1 eixo até 1 tonelada.


 


Eu particularmente discordo, acredito que passou de 700 kilos, pode começar a puxar a calculadora e o lapis pra perto. Há muitas variáveis nisso, a começar com os pneus, cada pneu tem uma nomenclatura que aguenta até determinada velocidade e peso (googleia aí que voce acha...), portanto, há de se pensar nisso, alem de que nunca a carga fica exatamente distribuida para ter tanta certeza assim. Depois temos outros pontos que poucos procuram se informar, como os parafusos e porcas da roda , a roda também tem peso máximo, assim como eixos, soldagens etc.. Como tudo isso é quase impossível de calcular com exatidão, o mais correto é ser inteligente e precavido: um eixo completo a mais custa menos que uma carga ou barco derrubado no chão + conserto. Simples assim. Como a grande maioria dos reboques usam cubos, eixos, etc de fusca, brasilia, monza, etc... Melhor não inventar moda.


 


Outro ponto é que a frenagem mesmo sem o freio, quando em 2 eixos, fica muito mais segura e firme, rabeia menos e também mantem o deslocamento de peso muito melhor que num eixo simples.


 


outro ponto importante são os buracos e valetas constantes de nossas ruas, sem contar as lombadas, olhos de gato e outras insanidades, ter dois eixos é drástico o tocar e a resistencia do conjunto.


 


d) luzes e refletores


Todo e qualquer reboque é ruim de se ver. Ponto final ! Eles são de difícil percepção, não raramente negligenciados por outros motoristas, portanto, luzes e refletores são ítens mais que necessário. Há diversas formas de iluminar, hoje temos a disposição luzes de LED, refletivas, grandes, brilhantes etc, podendo instalar essas luzes faça ! A maioria dos reboques ou vem com luzes de kombi, fusca, etc ou vem com aquelas de caminhão/troller... Não são nem de longe opções boas, refletem pouco,tem uma área de iluminação pequena, luminosidade precária e normalmente são instaladas baixo d+ ou encobertas por alguma coisa. 


 


Como se não bastassem, é muito comum entrar agua e poeira dentro delas, fazendo quase invisível até dentro da cidade. 


 


Não podendo trocar as luzes, convém retirar e lavar mujito bem, polir se necessário e remontar com luzes mais fortes e fazer o selamento com silicone. Caso seu reboque entre na água, não precisa sem dizer que isso deve ser feito OBRIGATORIAMENTE. E pelo menos 1x por ano refeito . Vamos lá, pegue 3 latinhas de cerveja e faça o serviço, basta uma chave de fenda, uma torneira , sabão e boa vontade.


 


e) manutencão


Esse é um ponto negligenciado por muitos donos, pois acreditam que basta lavar de vez em quando, não deixar o pneu arrastar no chão e ter a parte elétrica funcionando e tudo bem (incrível a quantidade de reboque que vejo por aí que nem isso fazem!). Mas não é bem assim. Um reboque precisa de manutenção, que pode ser simples ou mais complexa.


 


A começar pela parte elétrica que como fica exposta deve ser revisada constantemente, afinal sofre pancada, chuva, agua, sol, vento, etc... Fios não gostam disso, se rompem, partem, descascam, dão curto etc. Não precisa TROCAR, mas verificar, olhar com carinho, passar o dedo, ver se não estão rachando em algum lugar, etc... Manda o filho ou aquele sobrinha pentelho agachar no chão e procurar algum problema pra vc eqto vc chuta os pneus...


 


Falando em pneus: pneus tem duração máxima de 5 anos, usando ou não, eles racham e perdem elasticidade, ou seja, passou desse prazo, o simples rodar e aquecer do pneu é capaz de estourar. Isso vale para o estepe. Já o estepe é aquele velho problema.. Ninguem quer gastar com ele certo? Ok... eu tambem nao, mas ter um estepe apto a rodar é importante, calibre sempre o estepe com ar NOVO (pois o ar velho tambem apodrece e faz a roda e as lonas do pneu oxidarem mais rapido, problemasso!) e na maior pressão suportada, porque? Pq o estepe perde pressão por não estar rodando ou sofrendo peso, além do que, pode pode precisar dele quando a tua carga for pesada e aí vale a precaução de ter um estepe pronto pra usar e não murcho no meio do nada.. Numa emergencia voce pode rodar com rodas e pneus diferentes, vai precisar de maior atencao e correção constante, mas poderá rodar... Se for possível, consiga um estepe igual ao resto da carreta e do carro. Na pior das hipoteses, está sem dinheiro pra comprar um pneu novinho de reserva? Corre nessas lojas de pneu e pede um usado, todo dia aparece pneu razoavel lá, melhor um pneu gasto dentro da validade do que um estepe zerinho velho.


 


Outros pontos de atenção na manutenção são cubos, parafusos e porcas. Como os reboque são poucos usados, é comum afrouxarem, oxidarem e até travarem, portanto, devem ser reapertados sempre que usar o reboque, e pelo menos 1x por ano ou a cada 1.5 ano, serem retirados, lubrificados e reapertados, principalmente os cubos, que em sua maioria sao de fuscas e carros obsoletos que entram uma quantidade absurda de agua (mesmo agua de chuva ou lavagem) o que fazem tudo la dentro virar ferrugem com graxa velha, ou seja, uma lima poderosa que rapidinho come o cubo e faz sua roda cair ha poucos km de casa.. Os parafusos e porcas vale o bom senso certo? se estao bem, sem ferrugem, etc, só recolocar e boa (isso vale para todos eles da carretinha).


 


Porém há manutenções mais complexas, como pintura, ferrugem, soldagem, etc. Portanto, vistoriar a carretinha é importante, lembre-se sempre de que perto da solda NUNCA pode haver ferrugem, especialmente aquela que parece só uma sujeirinha, um fiozinho de ferrugem que é por causa da agua que escorreu.. Essas ferrugens são horríveis, pois estão entre a solda e o material, ou seja, grnade parte da solda não mais está soldada e voce não está vendo, viu isso? Boa la tirar a solda, limpar, soldar , aplicar primer e tinta.


 


f) cubos


Leu lá em cima sobre manutenção dos cubos? Então... Melhor ler... Não é nada legal ver um cubo de carretinha passando ao lado do carro olhar no retrovisor e ver seu amado barco ou carga rodopiando como o apocalipse estrada atrás...


Ontem mesmo vi um cubo de um corsa semi novo partido, estamos falando de um carro atual, 4 rodas, que tem revisão, freios, etc... Acidente feio viu... Pensa isso no reboque. Portanto, desmonte o teu, qualquer mecanico meia boca sabe desmontar um cubo e reengraxar, não custa nem 100 reais e demora em média 2 horas com calma ou enrolação...


 


Quanto ao numero de furos, é muito dificil achar um cubo hoje com 3 furos, a maioria é de 4 furos ou 5 , o que já está ótimo, afinal nao tem tração, apenas puxam a carga. Como não se carrega toneladas e mais toneladas nos reboques, 4 furos bastam.


 


g) agua vs reboque


agua não combina com reboque, acredite nisso. Mesmo carretas de jet, barco etc, isso é uma gambiarra do uso, simples assim. A agua entra nos cubos, entra na fiação, entra em todas as frestas, buracos etc. Contaminando a lubrificação (e o rio/represa/mar) e fazendo com que tudo se deteriore mais rápido.


 


Como sei que quase todos irao usa-lo na agua, convem engraxar com graxa nautica os cubos ou molykote, vedar bem a eletrica e sempre que voltar pra casa LAVAR todo o reboque, pois mesmo a agua do rio contem sujeira, sal das fazendas, terra, barro, enfim, um monte de coisas que se acumula e ajuda na ferrugem.


quando se lava, o sabao alem de tirar gordura,sujeira etc, ajuda a nao deixar seivas de arvores, coco de passarinho etc acumulando na pintura, portanto, nao protege nada, mas ajuda a nao destruir.


 


h) carretinhas baú


Um grande problema das carretinhas baú é a falta de estanqueidade do mesmo, ou seja, entra agua, poeira, etc. Em especial as que podem ser abertas pelas laterais (tipo caminhão). aqui nao tem muito jeito, voce vai ter que escolher, ou algo fechado direito ou aguentar a sujeira. Se escolher fechar tudo, não seja radical, massas de vidraceiro, calafetar, solda etc, vai te impossibilitar mudar de idéia, use silicone e vede bem.


 


Lembre-se que camundongos, baratas, pquenos animais, aranhas, escorpiões etc, adoram entrar nesses compartimentos, portanto atenção ao guardar e retirar coisas de lá de dentro.


 


Sobre como escolher qual tipo comprar, bom vai do tipo necessário para você, o que posso ajudar na compra ou escolha é verificar se há borrachas de vedaçoes de qualidade, se a forma de fechamento é robusta, a melhor forma de fechar (por causa das torçoes, buracos etc) é o fechamento por cima, ou seja, uma caixa sobre outra caixa, não que as com fechamento lateral ou por trás não sejam boas, são sim, mas quando as laterais sao travadas/únicas, a torção é menor e claro nao ficam batendo.


 


Quanto mais dobras o vincos a chapa conter mais firme ela será. Normalmente não ficam belas assim, mas ficam duráveis.Se vai usar constantemente e também por muito peso, é uma boa opção!


 


i) como guardar


Preferencialmente no coberto claro ehehhe. Há diversas formas de guardar uma carretinha, algumas podem ser guardadas na horizontal, ou seja, com o engate pra cima (nunca para uma roda pra cima, pois isso entorta o eixo e tira da forma o gabarito).


 


O mais importante é dar uma lavada de vez em quando, isso como já falei acima, tira sujeira, seiva, coco de bichos, além de fazer com que a ferrugem demore mais para aparecer.


Outro ponto importante, é deixar os pneus BEM calibrados, se for deixar parado por longo tempo ou andar muito pouco (por exemplo deixar na chacara etc), calibre o máximo possível.


Usar  nitrogenio é bom por que ele esvazia mais devagar, porem esvazia, e qdo tiver que encher novamente tem que ser com nitrogenio, logo é mais facil encher com ar de posto mesmo.


 


Quando for estacionar o reboque, coloque um saco plastico bemmmm fechado no conector de energia, passe um wd40 ou limpa contato para manter tudo bem limpo da ferrugem.


 


j) altura em relacao ao solo


 


Eu vejo muitos reboques por aí, especialmente, os de jet com uma altura do solo muito baixa, o pessoal poe rodas e pneus de perfil baixo, ok, fica lindo, mas esquecem que a roda esta normalmente muito longe das extremidades do reboque, e aí ocorrer problemas, como prender a carreta numa vala, barranco, buraco, facão etc. , até mesmo uma lombada pode se tornar um problema, uma valeta comum de cidade pode raspar o reboque, quebrando o parachoque, a ponta do motor, etc.


Portanto, ter uma altura interessante é importante, especialmente para quem procura por esportes nauticos. Encontramos tambem os reboques rebaixados, proprios para motos e carros, aí é um caso a parte, uma necessidade do dono, compreensível mas ter cuidado com isso é importante, principalmente por causa do ítem abaixo..


 


l) altura em relaçao ao cavalo (carro) : item muuuuiiito importante


Em grande parte os reboques possuem uma altura muito parecida, só se esqueceram de avisar aos donos o que isso pode acarretar.


O reboque nao pode estar empinado nem com a proa abaixada, deve OBRIGATORIAMENTE estar na horizontal e nivelado com o carro. 


A razao disso é a seguranca, empinado ou abaixado mesmo em frenagens simples, vai forcar o carro a subir ou descer, desequilibrando totalmente o carro e a frenagem. Isso pode fazer sua frenagem ser ate 4x maior que o esperado.


Mas pior que isso é o rompimento do engate. Engates sao pontos fracos do sistema e devem ter o funcionamento perfeito e portanto, sofrer a inercia alinhado ao carro, quando esta diferente disso ele se rompe ou parte ou solta o reboque, em qqr um dos casos isso é um desastre completo. Nem preciso explicar por que.


 


Nao tem um jeito unico de resolver isso, ou vc troca rodas e pneus, ou faz um engate na altura correta ou o reboque tem que sofrer alteracao pra chegar na altura do carro.


Por isso fabricantes sérios perguntam sempre qual carro vai rebocar, pois levam em consideraçao a altura , peso, reboque etc.


Na minha visão essa é a maior e principal questao a ser resolvida quando rebocar . Eu como fabricante iria perguntar primeiro antes de qqr coisa, qual carro iria rebocar.


 


m) pressao dos pneus


Bom sou da opiniao de quem pressao deve ser controlada sempre, muito cheio fica sambando com facilidade e quicando ate em carpete, murcho estoura, enfim, calibrar os pneus adequadamente é importante, ms como ja explicado acima, se vai rodar pouco ou ficar parado muito tempo, calibre no maximo possivel.


 


 


n) instalacao eletrica junto ao carro


o) estepe


p) cuidados básicos (e normalmente negligenciados por quase todos!)


 


----------------------------------------


ainda nao terminei, nem deu tempo de reler, quando tiver tempo eu volto a escrever, releio tudo e o que precisar acrescentar faco em outra cor ok? 


Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Astra- Taranis ou os outros parceiros aqui que forem ler, uma pergunta:
Como ja havia dito que eu ia testar os borrachões na carretinha, eu testei e realmente fica bom na parte do impacto e amortecimento. Mas, fomos eu e um parceiro meu pescar esse fim de semana e me pareceu que não é muito fácil pra deslizar o barco nela. Vocês teriam mais alguma dica pra dar aí? O que eu posso fazer? Colocar roletes dos dois lados pode castigar o barco? Tava querendo alguma luz aí, pois vai ter dia que estarei sozinho e estou vendo que vai ser duro de colocar o barco na carreta. Desde já, agradecido.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

pedro, acho que entendi o que vc ta passando... 

 

se sua carretinha tiver travessoes como essa aqui: 

01g.jpg

 

vai ser realmente muito dificil deslizar o barco, visto que vai colar a borracha no aluminio... 

 

agora se for em V como essa aqui (esquece a parte do bau, pensa apenas na parte que segura o barco): 

 

01g.jpg

 

certamente nao vai encontrar problemas

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olha , o correto, é colar carpet   no borrachao, pois senao, ocorre  aderencia entre aluminio e a borracha e ai, o resultado é freio, dificuldade em arrastar o barco.

 

  quer uma soluçao arrasadora?  cole o carpet  acrilico, qdo estiver tudo colado, ai passe spray de silicone no carpet, voce vai se surpreender com a facilidade de deslizamento do barco, vai ficar ate muito escorregadio, uma maravilha, claro depois do barco em cima da carreta amarre tudo muito bem.e certifiquese das amarras.senao seu barco vai sair pela rodovia e causar acidente.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

dica: na primeira foto que o AStra colocou no post acima, instale um pranchão de madeira no meio do V das travessas, pode ser até mesmo uma tábua de pinus (para construção), pra poder andar no reboque sem risco de cair e se machucar. ajuda e muito a colocar o barco no trilho berço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Astra boa tarde, comprei uma carretinha a poucos dias, fabricada pela Paes Engates paguei 3.200,00 por ela,  acho que o preço esta dentro dos padroes para o barco que eu vou carregar ele pesa 100 quilos meu barco tem 4,20 sem console  a carreta pesa mais que ele. agora acho que cada um tem que analisar o que vai ser carregado em cima dela. a minha esta dentro dos padrões do INMETRO e foi  lacrada pelo pelo Detran

 

 

abraço 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×