Ir para conteúdo
FabianoRenner

Comentário fishtv

Posts Recomendados

Achei interessante o comentário do apresentador Lawrence Ikeda em seu programa no Rio negro:

Imaginem que temos 20 barcos operando durante a temporada e aproximadamente cada barco suporte 20 pescadores, cada pescador coma 1 peixe por dia, teremos 400 peixes retirados no dia, 2000 por semana, 8000 por mês, eu nunca fui lá e não sei se a prática do peixinho assado no barranco é diária. mas o que acham, são muitos peixes retirados num mês! imagina na temporada toda. Sem contar os outros pescadores que pescam no rio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fabiano,

 

É preciso ir "com calma" nessas afirmações, embora a matemática seja uma ciência exata !

Paralelamente a essa "conta" (que é verdadeira), já pensou na quantidade de peixes que é consumida pelos botos ? Só para dar um exemplo...

Via de regra, os pescadores esportivos zelam mais pelo peixe que as autoridades, principalmente em termos de pesca predatória !

O "boto", mesmo sendo um predador natural, deixou de ter inimigos naturais onde vive, e por conta disso (e ser protegido) cresceu de forma assustadora !

Há locais onde se torna necessário encostar na margem para soltar mo peixe, e mesmo assim eles correm atrás, quase sempre com sucesso !

Embora a comparação seja meio "complicada" (pescador x boto), acredito que o saldo econômico é inquestionável !

Para o pescador chegar e pescar na região, move uma economia que estaria estagnada na região, e mais que isso, não permitiria a renovação gradual dos cardumes existentes !

Se você tem muita captura de peixes de um porte mais adequado para servirem de almoço, existe a natural reposição dos mesmos pela natureza !

O que não foi dito contudo, é que parte dos operadores de pesca amazônicos, não deixa de embarcar peixe para servir de tira gosto... Com certeza mais de um por pescador... 

Não pretendo polemizar, mas essa conversa de que o quantitativo de peixe se reduz "drasticamente" pela ação de pesca esportiva e almoço no barranco "não engulo" !

Se é para ser "coerente", deveria se limitar a quantidade de barco hotéis (ou pescadores) nas regiões, como acontece em alguns países...

Aí a reclamação será de que estão restringindo o "direito de pesca" das pessoas, ou seja, fácil de falar, e muito difícil de cumprir, principalmente no nosso país !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na  linha de pensamento do KID, acho que é preciso relativilizar realisticamente essa conta.

 

Em primeiro porque conheço pescadores que não comem peixe lá.

Eu mesmo não consumo na forma de sashimi. Fritinho até vai.

 

Segundo porque tem vários relatos de pescadores que não pegaram peixe algum.

 

Terceiro, a área é IMENSA.

estamos falando em 691.000 km2 só da Bacia do Rio Negro; não é a Amazonia legal.

O Estado de SP tem 248.000 km2

Goiás tem 340.000 km2.

 

O impacto desta pesca de consumo não é uma ameça potencial para a espécie.

 

Só lembrando que o tucunaré consumido é costumeiramente o Borboleta, que é encontrado em muitos mais quantidade que o Açu. Sendo mais prolífero.

 

Também temos que considerar a população NATIVA, fixa, e que come peixe o ano inteiro.

Seremos nós um problema?

 

 

Mas sempre serei a favor da conservação.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vixeee!!! Bom tema pra encerrar o ano.

 

8.000 peixes/mes x 6 meses(periodo de pesca) = 48.000 peixes. Eu acredito que é bem mais do que isso. São muitos barcos com "pescadores esportivos".

Peixes com média de 2 quilos dá 96 toneladas de peixe.

 

Sem dúvida, é um número a ser considerado.Fora da cadeia alimentar natural. A cadeia alimentar(boto , jacaré , etc) faz parte do equilíbrio natural ,uma vez que o tucunaré também se alimenta deles.A natureza, sem a interferência do homem, é sábia e se equilibra naturalmente.

 

Por outro lado , quantos alevinos um casal de açú que foi solto gera por desova? 

 

Kid M , já falamos sobre dados estatísticos. Não temos.

 

abç

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pois é Dair !

 

Nosso problema com "as estatísticas" é que elas dificilmente se encontram disponíveis para verificação - ou que saibamos onde procurá-las !  seila:: 

Certamente que o índice de alevinos que se transforma em indivíduos adultos é bastante pequeno, como quase sempre acontece na natureza !  ::fish2

O fato de se ter consciência preservacionista e escolher sempre as espécies mais prolíferas (como é o caso do borboleta - bem lembrado pelo Rodrigo), já ajuda bastante o conceito de ampliar as chances dos açus crescerem - é sempre bom lembrar que os tucunarés são predadores vorazes de alevinos, independente do que sejam... (inclusive de sua própria espécie). 

 

Por fim, o "estrago" que eventualmente venhamos fazer (que tenho dúvidas) é ÍNFIMO diante das barbaridades que temos conhecimento...  bang::

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom,

 

Quando vi o comentário assistindo o programa, já dei risada. 20 barcos por temporada ?, desculpa mas não conhece a região. São muito mais. Mas vamos lá.

O problema está em comer 1 "Borboleta" na beira do rio por pescador ?, ou os geladores matando toneladas de peixes, inclusive grandes açús que é normal pra eles ? Raramente alguém come o açu, exceto se o peixe se machucar a ponto de ter que sacrificar. Então não venha colocar a culpa nos pescadores "esportivos" que soltam os peixes por favor.

 

Ah, e os ribeirinhos de Barcelos matando os gigantes Açus com zagaia ninguém fala nada, matam gigantes todos os dias e vendem. 

 

O problema é fiscalizar aquela região cheia de interesses $$$$$$.

 

Forte Abraço aos amigos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Rapaz não curto comentar especulações! Mas esse que foi 1 ano de El Nino passamos por raseiros que era 1 ninho por metro quadrado. 90 por cento dos Barcos assam apenas borboletas e em um dia uma dupla embarcou mais de 100 deles soltando lógico em um afluente. Lá é imenso. Vamos raciocinar. Muita especulação poucos trabalhos científicos. Muito peixe. Pesca Esportiva sempre.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boas Prezados... Feliz 2016 a todos...

 

Sempre esse questionamento "indo e vindo" de diversas formas...

 

Vamos imaginar o seguinte... a partir de hoje, fica proibida a pesca esportiva. Todos os envolvidos nas operações (piloteiros principalmente) ficaram sem emprego e voltaram a fazer o que sempre fizeram... Pescar para vender no mercado... Vocês acham que eles vão pescar 2/3 peixes por dia só??? doeu::

É claro que não blink:: ...

 

abração

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Esse não é o foco, será que o Lawrence já foi lá na feira de Manaus?? Fora os tucunarés Açu exportados para outras cidades, até aqui em goiás já vi tucunaré açu gde sendo vendido em supermercados e feiras.

 

Antes de preocupar com o peixinho que o pescador esportivo come na beira do barranco, este que gera renda de modo sustentável para as comunidades ribeirinhas tão carentes de recursos, deveria se preocupar com os geleiros.

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cada barco gelador (são algumas dezenas deles!!!) entrega semanalmente, em Novo Airão, de 3 a 5 toneladas de tucunarés açus acima de 6 kg, porque abaixo deste peso, o agenciador não compra (informações que eu colhi pessoalmente). E não tem "temporada", são todas as semanas do ano.

 

Peixes com peso dos 4 até abaixo de 6 kg são vendidos pela metade do valor por quilo na própria região e também "exportados" para regiões até São Gabriel da Cachoeira. Peixes menores de 4 kg sequer são atacados pelos geladores, quando caem na malhadeira são comidos ali mesmo.

 

Ou seja, semanalmente, são retirados açus grandes o suficiente para toda uma temprada de pesca de Barcelos a SIRN.

 

Não vou nem falar em números da pesca de peixe de couro, mas quem viaja de expresso ou recreio vê tambores boiando no Negro. Aquilo são "espinhéis de feras", que retiram dezenas de pirararas e piraíbas diariamente do Negro.

 

Em face disto, recomendo a 100% dos pescadores que mantenham suas conciências limpas e comam o tucunaré assado na beira do rio sem pudor algum. E, sempre que puderem, provem da caldeirada de piranha, pacu, moqueca de peixes de couro (pirarara, filhote, cachara, mandubé etc). Cada delícia!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×