Ir para conteúdo

Olá amigo que está de passagem pelo Fórum Turma do Biguá (FTB).

É um enorme prazer tê-lo em nossa casa. O fórum é aberto a todos. Pra nós, tê-lo participando é sempre um prazer. Para utilizar nossa plataforma em sua totalidade, basta clicar em CADASTRE-SE e siga os passos seguintes. É fácil e em poucos segundos você estará interagindo com todos.

Para aqueles que já se cadastraram mas não se recordam dos seus nomes de usuário, SOLICITAMOS QUE NÃO EFETUE UM NOVO CADASTRO. Basta enviar um email para fbigua@gmail.com nos informando os dados que vc se recorda, que em pouco tempo resetaremos seu perfil e enviaremos os dados para você.

Qualquer dúvida basta ser enviada para o mesmo email acima mencionado.

Att. Equipe de Moderação do FTB

Fabrício Biguá Fabrício Biguá
Entre para seguir isso  
Paulo Roberto

HISTÓRIA DA PESCA, QUEM INVENTOU E COMO??

Posts Recomendados

joia::: Quero propor um novo tópico: (é praqueles que tem tempo, rsrsrsr...), porém (me perdoem se o tópico já existe), porém as vezes fico meio curioso. Pô não é possível que tenha sido diferente com vc... Seu irmão, nem tchum, mas vc... Você, cada vez que teu pai te levava num passeio no parque, vc (com 4 anos), ficava olhando onde vc podia pegar uma minhoca, e dobrar um alfinete, e fazer um anzol... etc,etc,etc... Sei que foi assim onde tudo começou... Agora a eu pergunto: Quem inventou uma colher, um jig, um sppiner, um plug, e (absurdo), um jumpping gig ???!!!! Putz!!! Desde que o mundo é mundo, os caras pescavam com minhocas, carnes, queijos, grãos, carangueijos, etc... Mas que relâmpago de idéia, (OU NECESSIDADE), fizeram alguém inventar uma colher??? Barbaridade!, mas já mostrei as colheres que pesco prá quem nunca viu e as pessoas dizem que sou mentiroso, ao dizer que um peixe morde um pedaço de ferro daqueles... Há quem diga que pescar com colher, um jig, um streamer, não tem graça. Pois penso o contrário, um plug, imita perfeitamente o forrageiro do peixe, e o predador e sua miopia, o enganam fácilmente! É quase como pescar com a ração que o peixe está acostumado nos pesque pag. Mas, o que levou uma pessoa em determinado momento usar até um pedaço de colher de cozinha, ou uma pena de galinha, (como já vi); e utilizá-la como engodo? Putz!, é pura INTELIGÊNCIA HUMANA E ARTE, sobrepujando a agilidade, e a própria força da natureza!!

QUE TAL? QUEM INVENTOU E COMO??? E PORQUE???

Aguardo vossas respostas, sei que vai surgir muita coisa interessantíssima...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom.. em primeiro, quero indicar um texto bonzinho sobre a pesca:

http://www.vaprapesca.com.br/Brasil/Lin ... _pesca.htm

Um texto sobre a história do Anzol:

http://pescamar2.paginas.sapo.pt/historia_do_anzol.htm

Depois disso não tive paciência de pesquisar mais, só que analisando esses texto podemos deduzir que a partir de um determinado ponto(não sei quando exatamente) os pescadores perceberam a eficiência de objetos não alimentícios como iscas, junto a esses anzóis(ou que somente esses anzóis), sendo bem trabalhados já eram uma isca..... A partir dai, temos que dar o crédito tb aos desenhistas, pesquisa e engenheiros que fabricam hj as iscas artificiais cada dia com um trabalho mais natural.

é bem básico e tosco.. talvez alguém com mais embasamento possa me xingar abaixo e dizer oq aconteceu corretamente! rsrsrsrsrs legal::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito fera sua viagem Paulo...hehee...Nunca vi nenhum fórum abordar tal assunto.

Já vi um tópico do Jenner muito interessante sobre criação de iscas...mas não encontrei-o.

Encontrei e traduzi no Google a história da rapala.

Aqui o link da página.

http://www.rapalaworld.com/alasivu.phpaD0xNmNxRjBUdUU%3D

E aqui a tradução grotesca.

História da Rapala

Com uma história de 60 anos como um negócio, 70 anos de experiência e fazendo atrair perto de 300 recorde mundial de capturas, Rapala e seus produtos estão claramente elaboradas a partir da experiência. Com a sua trajetória e atual única rede de distribuição, fabricação e marca plataforma carteira, o grupo está bem posicionada para o crescimento.

Com uma história de 60 anos como uma empresa, mais de 70 anos de experiência e fazendo atrair perto de 300 recorde mundial de capturas, Rapala e seus produtos estão claramente elaboradas a partir da experiência. Com a sua trajetória e atual única rede de distribuição, fabricação e marca plataforma carteira, o grupo está bem posicionada para o crescimento.

Necessidade - A Mãe de Invenção (1936-1945)

Lauri Rapala, o fundador da Rapala negócio, nasceu na pobreza, na Finlândia em 1905. Ele fez a sua vida pelo trabalho agrícola e da pesca. Para fazer uma melhor vida para si e sua família, Lauri começou a desenvolver um engodo que aumentaria a produtividade de sua pesca. Em 1936, ele finalmente conseguiu esculpir um áspero-olhando engodo que produziu um fora-de-centro e sedutora wobbling acção - o que é ainda a base para muitas Rapala atrai. A história de Rapala atrai tinha começado.

O Business Is Born (1945-1955)

Após a II Guerra Mundial, Lauri reviveu seu pequeno negócio que tinha atração tornando brotaram um pouco antes da guerra. Ele estava certo de que ele tinha encontrado um bom chamariz desenho, que ele desenvolvidos. Lauri primeiro fez todos os atrai, mas foi logo juntaram-se pela sua família. Técnicas de produção e processos desenvolvidos passo a passo. Apesar do aumento da produção volumes, Lauri insistiu no ensaio de cada um engodo para se certificar de que a ação foi correta. Ainda hoje, todos da marca Rapala atrai são testados antes da sua embalagem.

O Sonho Americano (1955-1965)

Visitantes estrangeiros para os Jogos Olímpicos de Helsínquia de 1952 estiveram entre os primeiros a tomar Rapala atrai fora da Finlândia. Em 1955, a primeira exportação de vendas começaram a Suécia ea Noruega e depois para a E.U.A.. Em 1957, o negócio foi formalizado e do Rapala-Uistin (Lauri Rapala e Filhos) empresa foi criada. O sucesso atrai Rapala começou a construir uma boa reputação na América do Norte, e em 1959, Ron Weber e Ray Ostrom começou a distribuir Rapala atrai no E.U.A., uma empresa depois de se tornar Normark Corporation. Em 1962, revista Life publicou um longo artigo sobre Rapala. Aconteceu de ser na mesma edição, que abrangia a história de Marilyn Monroe, que tinha acabado de morrer e ele quebrou todos os registros circulação. Consequentemente, montes de encomendas começou a vazar que requeiram grande capacidade e de produção aumenta.

Cooperação Internacional (1965-1975)

Embora Rapala continuou a crescer e ganhar a sua reputação mundial, com cópias começaram a entrar no mercado: em um tempo, havia mais de 40 cópias no mercado os E.U. de todo o mundo. Desde então, tem defendido Rapala-se contra cópias com ações judiciais, mas sobretudo com a alta qualidade que tem diferenciado a produtos originais de cópias. Após as vendas para exportação foram expandidos no início dos anos 60's de os E.U. para o Canadá, Rapala reforçada a distribuição na Suécia, em meados dos anos 60 e fez os primeiros contactos com as empresas francesas Ragot e VMC. Muitos atrair novos modelos foram introduzidos nos anos 60 e da primeira Rapala filé facas foram lançados em 1967 - o início do processo de co-operação com Marttiini. Em meados da década de 1970, tinha estabelecido Normark empresas de distribuição em Portugal, o Reino Unido e Suécia. Ao mesmo tempo, Rapala assinaram os acordos de distribuição para a Dinamarca e França. A nova fábrica de Vääksy foi inaugurado em 1973.

Family Business a Próxima Geração (1975-1989)

Após Lauri Rapala morreu em 1974, o nome da empresa foi alterada para Rapala Oy eo filho mais velho Risto foi nomeado como presidente da Rapala enquanto seus irmãos e Esko Ensio tinham as suas próprias responsabilidades. Métodos de produção e tecnologias foram desenvolvidas e da capacidade aumentou acentuadamente: enquanto um total de 25 milhões atrai foram produzidos durante 1936-1975, o número total de manufaturados atrai atingiu 100 milhões em 1988. A gama de atrai foi ainda alargada, a Blue Fox fiandeira marca foi introduzida e uma unidade fabril foi estabelecida na Irlanda. Durante este tempo, o grupo adquiriu a empresa Flipper barco e uma caravana negócio.

Tempo de Mudança (1989-1998)

Em 1989, Esko Jarmo Rapala do filho, que havia liderado o desenvolvimento dos produtos a partir de meados da década de 80, foi nomeado como presidente da Rapala e Jorma Kasslin presidente-adjunto. Por conseguinte, uma importante reestruturação seguidos: em poucos anos Rapala vendeu tanto a caravana barco e negócios e adquiriu o Normark empresas distribuidoras no E.U.A., Canadá, Reino Unido, Suécia, Noruega, Dinamarca, Holanda e Finlândia, bem como a empresa francesa Ragot . Em 1991, começou Rapala uma aliança com a distribuição Shimano. Estas alterações foram acompanhadas por um management buy-out ", onde a gestão, juntamente com alguns investidores de private equity comprou a companhia da família e enumerados Rapala Normark Oy na Bolsa de Helsínquia, em 1998.

Expansão e diversificação (1998-2005)

No final da década de 1990, comprou Rapala atrai Storm (E.U.A.) e uma empresa norueguesa distribuição Elba, estabeleceu uma empresa de distribuição no Japão e começou a desenvolver uma unidade fabril na Estónia. O francês VMC gancho negócio foi adquirida em 2000, ea atração fabricante chinês Willtech em 2001. Estas ofertas do Grupo aumentou acentuadamente fabrico capacidades e fez o Viellard família e William Ng importantes acionistas da Rapala. A rede de distribuição foi desenvolvida para a Europa Oriental, Suíça e Brasil. Simultaneamente, a gama de produtos foi aumentada para incluir uma ampla variedade de acessórios de pesca, tais como barras, bobinas e linhas de pesca. O Williamson e Guigo Big Game Fishing empresas foram adquiridas em 2004.

Crescimento rentável Continua (2005 -)

Uma nova era de forte crescimento iniciada em 2005, quando Rapala continuou a implementar a sua estratégia de crescimento rentável. Em menos de um ano, o Grupo adquiriu ou estabelecidas as empresas de distribuição em África do Sul, Austrália, Malásia, China, Tailândia e na Suíça e comprei atrair fabricante Lühr Jensen na E.U.A., faca fabricante Marttiini na Finlândia, na linha de pesca Tortue fornecedor em França e na cruz -país de esqui Peltonen fabricante na Finlândia. Posteriormente, Rapala criou uma atração fábrica e vários centros de distribuição na Rússia, uma empresa de distribuição na Coréia, adquiriu o Exterminador rotadores isca negócios nos E.U.A. e ampliou a distribuição aliança com Shimano para vários novos países. Simultaneamente o Grupo desenvolveu uma grande variedade de novos produtos e categorias de produtos, incluindo Rapala Pro Usar roupas, óculos escuros e Rapala Visão Gear novo Trigger X atraentes que incluem Ultrabite peixes feromônio. A mais recente adição ao Grupo portfólio da marca e do produto é a linha de pesca Sufix marca com um grande espectro de produtos e as potencialidades para se tornar um dos principais fornecedores mundiais de linha de pesca. Com este produto sortido, rede de distribuição, fabricação e marca plataforma carteira, o grupo está bem posicionada para continuar seu crescimento lucrativo.

joia:::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olha aí o material do Jenner, que resgatei no fundo do baú...
( tal qual como foi postado em 05.05.07 )

Imagem Postada

Um pouco de história e conhecimento oriundo de pesquisa e aprimoramento, nos leva a uma simpática revelação de como começou tudo na "Jenner Lures", e a visão de quem há tempos, descortinava essa nova realidade que somente agora começa a chegar ( de fato ) ao mercado brasileiro ! Não há outro juízo de valor, se não o de elogiar o empreendedor que deslumbrou essa possibilidade, transformando-a numa realidade, que a cada dia estabiliza-se e conquista a confiança dos pescadores brasileiros ! Parabéns Jenner ! Antes porém, quem é Jenner ?

"Sou Empresário, tenho 49 anos e pesco desde os 6 e nas artificiais a uns 14 anos ( fly e bait ). Nas artificiais comecei com um kit que comprei da queles tipos que vende nos 1406 da vida e peguei 45 tucunarés só pela manhã ai eu endoidei o cabeção tanto que hoje eu tenho uma fábrica de iscas artificiais. Tive o prazer em poder participar de 6 expedições do meu amigo Rubens de Almeida Prado, o Rubinho em lugares inóspitos no Amazonas e sul do Pará onde aprendi muitooo, e aprendi também a observar tudo a nossa volta. E foi em umas destas que descobri uma madeira que o pessoal local faz artesanatos. Perguntei pro guia como chamava este tipo de madeira, é "monlongó" disse. Cortei uns pedaços e voltei com um sonho, fabricar iscas artificiais, comecei a estudar e copiar as iscas mais famosas e antigas de James Heedon. Fiz umas oito, até que um amigo me deu uma dica, "porque você não para de copiar e crie suas próprias iscas" e foi assim com muitaaa pesquisa, muitaaa dor de cabeça e muitooos testes que nasceu a Jennerlure Ind. e Com. de Iscas Artificiais Ltda. Hoje temos mais de 190 matrizes totalmente originais que serão lançadas para demanda de cada região, isso que dizer, que se agente lançar uma por mês serão 15 anos de lançamentos inéditos todo mês. Bom amigo em resumo é isso, mais uma vez muito obrigado por estar divulgando nossos produtos. Grande abraço:
Jenner."


Texto produzido por Jenner Leite e reproduzido como encaminhado.


arrow:: A Inspiração.

JAMES HEDDON, O PAI DAS ISCAS ARTIFICIAIS DE MADEIRA


Ao contrário do que todos pensam, não foi Lui Rapala o pai da iscas artificiais.
James Heddon foi o primeiro a descobrir a isca artificial esculpida em madeira, em 1895, além de ter sido o primeiro a industrializar seus produtos, começando a comercializá-los em 1902 e tornando-se assim uma das maiores lendas da América.

Imagem Postada


Em uma tarde de 1895, James Heddon - jornalista e apicultor - esperando seu sócio para uma pescaria na famosa lagoa do moinho, em Dowagiac -MI, pegou um pedaço de pau e esculpiu um peixinho com um canivete. Ao jogá-lo na água, foi logo golpeado por um grande Bass.
Ali nascia uma das maiores industrias de iscas artificiais do mundo, que pode ser vista em http://www.oldfishinglure.com/heddon-factory.htm.
Nas primeiras encomendas ? e foram muitas - ele e seus filhos viraram noites trabalhando, enquanto sua esposa colocava as iscas no forno da cozinha, para que secassem a tempo para as entregas. Foi assim que nasceu a Heddon.
Luy Rapala inventou suas iscas em 1905. Em 2005, comemorou-se 100 anos de Rapala, com uma grande campanha publicitária em todas as revistas de pesca.
Na verdade, Luy Rapala foi quem inventou a barbela, peça que faz as iscas afundarem e que também foram introduzidas nas Heddon na década de 20, como nas primeiras VAMPIRE e nas SPINDIVER.
As primeiras iscas de James Heddon, hélices e zaras, são as primeiras e revolucionarias iscas artificiais, que serviram de inspiração para desenvolver e fabricar iscas artificiais ao Rapala e muitos outros, inclusive a mim.
É... Isso me fortalece muito a idéia de que as pessoas têm seu destino marcado e pronto. E a gente, durante a vida toda, é tocado pra que tomemos o rumo certo.
É um tapa pra cá, outro pra lá e a gente vai pegando o rumo de nosso destino.
Pois é, como eu virei um fã de James Heddon, quis colecionar suas iscas, mas esbarrei nos preços de comercialização de suas iscas antigas que, aliás, podem ser vistas em http://www.mrlurebox.com/webuy. ou em http://www.antiquelureconnection.com/

Então, comecei a copiar suas antigas iscas, tais como:

arrow:: BUMBLE BEE ? 1920s,
Imagem Postada
arrow:: VAMPIRE ? 1920s,
Imagem Postada
arrow:: DEEP DIVING WIGGLER ? 1914,
Imagem Postada
arrow:: SPINDIVER ? 1918,
Imagem Postada
arrow:: ICE DECOY
Imagem Postada
e outras.


Aí, vieram outros fabricantes, como

arrow:: MOONLGHT BAIT, com a LADYBUG WIGGLER ? 1917,
Imagem Postada

arrow:: BITE-EM, com a WATER MOLE -1922,
Imagem Postada

arrow:: COLD WATER, com a EUREKA KING
Imagem Postada

arrow:: e a DONALY, com a REDFIN MINNOW.
http://i10.photobucket.com/albums/a140/mpedreira/forum%20turma%20do%20bigua/redfin007.jpg


E copiaria outras, até quando um amigo me disse:
?Pô, Jenner, pare de copiar e crie suas próprias iscas!?

Aí, eu criei a minha primeira isca de múltiplas ações, uma twich bait e popper, a FLAT NOSE ( nariz liso ). Parecendo mais um nariz do que uma isca, deu o sobrenome ?NOSE? para a família Jennerlure.

http://i10.photobucket.com/albums/a140/mpedreira/forum%20turma%20do%20bigua/antiquesjenner001.jpg + http://i10.photobucket.com/albums/a140/mpedreira/forum%20turma%20do%20bigua/antiquesjenner003.jpg


Seguindo esta linha, em todas as nossas iscas é sua própria forma que as fazem nadar.
Nisso temos muitas vantagens em relação às iscas de barbelas: são iscas que produzem múltiplas ações, fáceis de se trabalhar, nados mais naturais e não tem o perigo de quebrar a barbela, o que pode levar à perda da isca.
Hoje, a Jennerlure tem mais de 200 protótipos, sendo que apenas duas têm barbelas.
Assim, posso falar de boca cheia, ?nunca ganhei tanto com o futuro quanto ganhei preservando o passado.?

Obrigado James Heddon.

Obs: para entrar em contato com nosso amigo Jenner Leite, proprietário da JennerLures, basta clicar no link do e-mail abaixo.

jenner@jennerlure.com.br



http://i10.photobucket.com/albums/a140/mpedreira/forum%20turma%20do%20bigua/TurmadoBigu.gif + http://i10.photobucket.com/albums/a140/mpedreira/Logomarcas/mocorongos-Logo01-1.jpg + http://i10.photobucket.com/albums/a140/mpedreira/forum%20turma%20do%20bigua/LogoTucunasdoCerrado.jpg

O contato hoje pode ser feito através do site : http://www.jennerlure.com.br

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O tópico é realmente uma viagem...é sabido q a pesca é uma das coisas mais antigas da humanidade, desde os primordios da Terra o homem pesca, e ao longo desses muitos anos sempre busca algo inovador que possa melhorar sua eficiencia em capturas, mas quem pesca a alguns anos como eu, pode com certeza afirmar duas coisas...:

A primeira é que nunca se viu tanto equipamento e tanta tecnologia em tão pouco tempo...podemos dizer que de 30 anos pra cá, a coisa bombou!!! em contra partida todo esse avanço ocorrido, seja em qual area, bem como no resto das coisas em volta de nós tem trazido escassez e serios problemas sejam eles quais forem..

Cabe a nós resgatarmos no passado a ideia empreendedora desses homens e transformar o presente num futuro seguro para as proximas gerações, pq do jeito q a coisa ta indo, acho q daque alguns anos só ficarão os anais da historia da pesca e dos peixes...fotos e belas lembranças...por isso não devemos esquecer a historia, para que ela seja sempre perpetuada..de preferencia com um final feliz...rsrsssrsrrs, parabens pelo tópico!!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

danca:: danca:: danca:: danca:: danca:: rindo3:: rindo3:: alegre:: alegre::

Tá ficando Show de bola!!!!

Não precisa ser só iscas, e sim sobre pesca em geral, as multifilamento, o nylon, ( são bem recentes ), o fly, o bote de alumínio, ( motor não tem graça, pois todos sabem que começou com o vapor... ), a bússola, o astrolábio, as varas, como evoluiram do anzol de galho e do bambu, prás carbono IM, sei até de vara de fly que foi desenvolvida por engenheiros da NASA...

MAS O QUE ACHO MAIS INTERESSANTE, É A BENDITA NESCESSIDADE, ( é ela que faz o homem, aliado a sua inteligência e capacidade de adaptação... ).

Por exemplo:

Em uma tarde de 1895, James Heddon - jornalista e apicultor - esperando seu sócio para uma pescaria na famosa lagoa do moinho, em Dowagiac -MI, pegou um pedaço de pau e esculpiu um peixinho com um canivete. Ao jogá-lo na água, foi logo golpeado por um grande Bass. ( foi pura inspiração...) (KID M)

Outro exemplo,

arrow:: Em um livro, que lí quando tinha uns 8 anos, ( tenho 52 ), um livro que me marcou a vida inteira...

Se chamava "Três Escoteiros em Férias no Rio Tietê";

Neste livro vi relatos, ( e não esqueci... ) de coisas assim:

O bote era de alumínio, e era um lançamento mundial, importado, e novidade aqui no Brasil. O tio das crianças, ( que era o guia ), pescou um Dourado de 12 kg, na 1ª corredeira que passou, corricando com UMA COLHER, ( a linha arrarrada no bote... ).

O autor do livro devia ser um baita pescador esportivo...

Putz, é um monte de informação, a ser resgatada...

Quem e porque inventou a carretilha, e o molinete??? etc, etc, etc...

BOA VIAGEM...

Grato a todos que já estão contribuindo com o tópico...

Na realidade, foram vcs mesmos que me inpiraram à criá-lo, ao comentarem minhas observações sobre a colher jonhson, dizendo: "Esta isca é histórica"...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande Paulo,

Apenas para darmos o crédito a quem de direito, apenas reproduzi o que o Jenner Leite nos relatou ! Dele é o mérito ! aplauso:: aplauso::

Assim como você, aprecio a incrível velocidade de transformação e avanço da tecnologia nas tralhas de pesca...

Para quem teve no Paoli um momento lúdico de alegria, trabalhar com essas máquinas de hoje, é algo absolutamente impensável 40 anos atrás...

Não consigo prever o que irá acontecer nos próximos 40 anos...

Tomara possamos ser testemunhas dessas transformações ! aplauso::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito legal este tópico.

Navegando pela web salvei estas notas de diferentes sitios:

arrow:: A mais antiga pintura conhecida de um pescador com uma vara vem do Egito e foi datada de cerca 2000 AC.

arrow:: O escritor grego Plutarco deu dicas sobre a pesca com linhas.

arrow:: Claudius Aelian, escritor e professor de retórica romano, no segundo século da nossa era, escreveu seu De Natura Animalium onde descreve um macedônio que pescava peixes de pele pintada ( trutas? ) com insetos no rio Astreus.

arrow:: Em 1496 o livro A Treatyse of Fysshynge wyth an Angle deu detalhes sobre o uso da vara de pescar. Supostamente escrito pela dama Juliana Berners ( as mulheres, viva as mulheres... ), prioresa de uma abadia perto de Saint Albans, Inglaterra, o livro descreve a construção de anzóis e varas para a pesca amadora. O manuscrito também descreve nós em linhas de pesca e como fazer uso de iscas artificiais ( moscas ) para aproveitar o hábito alimentar dos peixes.

arrow:: Em 1653, o inglês pescador Izaak Walton, publica The Compleat Angler, O Pescador Competente, o mais influente livro jamais publicado sobre a arte da pesca. Walton abordou a arte da construção dos artefatos para a pesca, a ciência da biologia básica dos seres aquáticos, bem como a filosofia dos pescadores recreativos. Baseado em uma vida de observações, Walton descreve em seu livro o pescador artesanal e propõe métodos para a captura de peixes. Walton também descreve detalhadamente os hábitos alimentares e ciclos de vida de diferentes espécies de peixes.

Para se ter uma idéia da importância dessa obra, houve cerca de 350 edições e pode ser encomendada na Amazon pelos mais curiosos, uma edição zero bala ( http://www.amazon.com/s/ref=nb_ss_gw?ur ... &x=17&y=21 )

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Kid, com o Paoli, ( tava querendo lembrar o nome ), foi meu primeiro arremeço, ( vara de bambú, e engatava o molinete co uma tira de câmara de pneu ), meu primeiro pampo, e 5 cavalas, no Recreio dos Bandeirantes no Rio...

Grato por me lembrar.

Bleza, Rogério...

( Pô! o avatar podia ter um cachara, rsrsrsrs )

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pois é Paulo,

Também usava esse mesmo esquema, de vara de Bambu ( 3,5 m em 2 pedaços ), e amarrado com tiras de borracha de câmaras de ar ( pneus ) !

Minha festa contudo era na Urca, já perto da entrada da área militar, nas pedras, onde as cocorocas eram bem crescidas e SEMPRE pegavamos peixe... ( grandes tempos aqueles ) ! alegre::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pois é Paulo,

Também usava esse mesmo esquema, de vara de Bambu ( 3,5 m em 2 pedaços ), e amarrado com tiras de borracha de câmaras de ar ( pneus ) !

Minha festa contudo era na Urca, já perto da entrada da área militar, nas pedras, onde as cocorocas eram bem crescidas e SEMPRE pegavamos peixe... ( grandes tempos aqueles ) ! alegre::

CRUZ, CREDO!!! É COMO DIZEM LÁ NA MINHA TERRA:

DEUS cria; o diabo:: espalha... e ELES POR SI SÓ, SE JUNTAM...rsrsrsrsr

(aliás, porque nos smiles há um diabo:: ; e não há DEUS????)

Bão, vamo ao que interessa: FORTE SÃO JOÃO, lembra???

E aquela mureta, branca, onde todos ficavam pescando Espada com iscas luminosas, lembra???

Lá, meu tio avô, que morava ali perto, se tornou referência na pesca do Linguado.... (OBS: se quiserem, conto a LENDA do Linguado, de porque ele tem a boca torta..., é só pedirem...) Tio LULÚ, (Luiz Guimarães), 1º General Dentista, do Brasil, e grande pescador...). Herdei suas carretilhas e molinetes...

Eu tinha uns 13, 14 anos, era aluno do Colégio Militar do Rio, ia quase todos os dias , à tarde, pro Forte São João, treinar natação, e aos finais de semana, pegava 2 ônibus - Penha - Praça Tiradentes - Urca, com o equipamento que mencionamos... Ali, foi meu primeiro pampinho, com 1,1 kg, iscado com Tatuí, ou Tatuira, que pegávamos na areia, lá mesmo... Certa vez, meu pai enxergou um peixe, nadando de lado, naquelas pedras do forte, cheias de cororocas, como vc diz, onde me cortei...) Fomos ver e era uma PIRAÚNA,- Miraguaia, para os íntimos. (Soubemos que há 1 hora atras, um pescador lutou com um peixe muito grande, durante horas, e este ao chegar próximo a praia, perdeu o peixe...) (O pescador não tava mais lá). Pois bem, desci as pedras, (aquelas do lado direito do forte e que são a base do Pão de Açúcar...),nadei de encontro ao peixe, e consegui tirá-lo do mar... Estava muito cansado, e pesou mais de 20 kg... Eu, meu pai e meu irmão tivemos muito trabalho de carregá-lo. Meu pai deu o peixe prá um pescador profissional, do local...

A partir daquele dia, sempre tentei pescar miraguaias, iscando um siri inteiro e vivo, mas nunca mais vi nenhum...

Pelo que ví, vc tá em Salvador, eu em Porto Seguro - BA, o Jorge Pozzobon, (que conviveu comigo no interior do RS, está em Santa Catarina...)

Frequentamos juntos, e fomos aprovados, na mesma escola de pesca, ao mesmo tempo, lugar, e com a mesma dedicação...

É muito bom, encontrar meus colegas de sala de aula da vida...

É COMO DIZEM LÁ NA MINHA TERRA:

DEUS cria; o diabo:: espalha... e ELES POR SI SÓ, SE JUNTAM...rsrsrsrsr

Grande abraço

OBS: Isto também é história (Jurássica) da pesca... e tudo começou com a menção de um super Paoli....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cacete! tá ficando Bão demais da conta esse tópico! eu naum tenho nada a incluír além os meus parabéns a quem tem tempo de pesquisar mais! hoje é segunda feira e tenho que fingir que estoui trabalhando! rsrsrsrsrsrsrsr

Parabéns cambada!!!!!

Bão demais!!!!!11

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vou escrever uma bobagem qualquer aqui prá manter este tópico ativo.

Com tanta gente nova, no site, será que ninguém mais vai postar algo interessante aqui?

O assunto é muito vasto e interessante prá cair no esquecimento...

Favor postar sobre o assunto principal...

Grato

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×