Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

João Biguá

Biguá Team
  • Total de itens

    2.716
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    2

Histórico de Reputação

  1. Like
    João Biguá recebeu reputação de Custom by Marco em SERÁ QUE A VELHICE CHEGOU   
    Acho que a coisa mais difícil hoje é o velho entender o jovem e o jovem entender o velho. Já pesquei com gente de todo modelo. Alguns estragam a pescaria. Não por ser velho, é por chato mesmo. O essencial é o respeito.  Também, acho que dar piti por qualquer coisa não é legal. O problema mais sério é a pose de pavão, achar que o mundo gira em torno de si. Já levei grupo para a Amazônia onde o mais velho era eu. Metade do grupo não se falava no fim da pescaria. Motivo? Falta de respeito, estrelismo apagado, sherif sem estrela...
    Sempre pesquei com meus filhos. Agora estamos carregando o neto de 8 anos. Ele já tem  personalidade própria e precisa de vigilância constante. Se não tiver paciência e tentar entendê-lo a pescaria fica difícil. Resumindo:  se você foi um chato incorrigível quando criança fatalmente será um chato incorrigível quando adulto. Agora, se você está entre amigos e alguém sai da linha é mais fácil contornar. Eu já consegui reatar casal em plena pescaria. O cabra é um pescador pegador e quando dá merda em casa vai chorar lá na Amazônia. Enche a cara, perturba meio mundo, e não pesca nada. Depois de um bom puxão de orelha pega o Global e liga pra coitada pedindo perdão. Nem Mastercard paga isto. Agora só mais um lembrete:  se você souber levar a vida com sabedoria vai ser velho um dia. Então, antes de ser um jovem chato, pense nisto.
  2. Like
    João Biguá recebeu reputação de Perdigão em SERÁ QUE A VELHICE CHEGOU   
    Acho que a coisa mais difícil hoje é o velho entender o jovem e o jovem entender o velho. Já pesquei com gente de todo modelo. Alguns estragam a pescaria. Não por ser velho, é por chato mesmo. O essencial é o respeito.  Também, acho que dar piti por qualquer coisa não é legal. O problema mais sério é a pose de pavão, achar que o mundo gira em torno de si. Já levei grupo para a Amazônia onde o mais velho era eu. Metade do grupo não se falava no fim da pescaria. Motivo? Falta de respeito, estrelismo apagado, sherif sem estrela...
    Sempre pesquei com meus filhos. Agora estamos carregando o neto de 8 anos. Ele já tem  personalidade própria e precisa de vigilância constante. Se não tiver paciência e tentar entendê-lo a pescaria fica difícil. Resumindo:  se você foi um chato incorrigível quando criança fatalmente será um chato incorrigível quando adulto. Agora, se você está entre amigos e alguém sai da linha é mais fácil contornar. Eu já consegui reatar casal em plena pescaria. O cabra é um pescador pegador e quando dá merda em casa vai chorar lá na Amazônia. Enche a cara, perturba meio mundo, e não pesca nada. Depois de um bom puxão de orelha pega o Global e liga pra coitada pedindo perdão. Nem Mastercard paga isto. Agora só mais um lembrete:  se você souber levar a vida com sabedoria vai ser velho um dia. Então, antes de ser um jovem chato, pense nisto.
  3. Like
    João Biguá recebeu reputação de MarceloYacks em Primeiro Bassboat   
    Lí todos os comentários, todas as opiniões e resolvi postar meu comentário. Sei que existem muitas opiniões equilibradas, de pessoas que entendem do assunto, conhecem os vários tipos de brcos existentes no mercado e tem os fodões que forçam a barra. Talvez por necessidade de um afago, por necessidade de aparecer e por aí vai.
    O usuário de Bass se enquadra num universo diferente. Antes, preciso esclarecer que começamos com uma canoa de zinco, fabricada por um gaucho chamado Boleli. Era tão feia que a gente só carregava a bichinha de boca pra baixo. Mas, era nossa "Lady Izaura", uma homenagem à minha esposa - em tempo, minha mulher é bonita até hoje. A canoa é que era feia. 
     
    Depois passamos para uma Leve Forte de 5 mts, quilhada, com motor de 15 - que foi roubado com 4 horas de uso. Fizemos um consórcio de um motor Honda, 4 tempos, excelente. Gastava 30 litros de gasolina em 3 dias. Em compensação eram 28 km por hora, com tempo bom.  Só não podia ver marolas que mudava de rumo sozinho. 
    Depois de alguns sufocos na Serra da Mesa, optamos por um  motor 25 hp, Sea Pro, da Mercure e uma canoa de 6 metros, a famosa Pety. Conjunto top. Quando as coisas melhoraram um pouco passamos para uma Pantanáutica, com motor de 60 e 90hp. Bom, depois de muitos pulos chegamos no Bass, com motor de 175, 250 e depois 300. Pra nós era um sonho sonhado por muitos anos.
    Resumindo, hoje, temos um conjunto Veloster, com motor de 300 hp. Não me perguntem se vale a pena ter. É caro, é, é rápido é muito rápido, é seguro, é, mas depende de quem está no comando. Não é um brinquedo para amador ou pra quem tem grana sobrando. Ele requer um tratamento bem diferenciado. É uma Ferrari na frente de um fusca respeitadas as proporções. Entrando no aspecto pessoal, se não fosse a união minha e dos dois filhos era impossível ter um (algo muito mais importante q ter um barco q custa "X" reais). Hoje, posso dizer que sabemos muita coisa de bass. O Fabiano e o Fabrício já montaram mais de 20 barcos de amigos e cada vez é um aprendizado. A tecnologia dos equipamentos mudam a cada ano, e está  à disposição do bolso de cada um. Então não tem achismo. Fato é que cada um, trabalhando sério pode chegar lá. Se eu cheguei, você também pode chegar.
     
    Tem uma opinião de um tal de Astra que é uma bobagem sem tamanho, com o devido respeito. Quem sabe das coisas não precisa dar piti quando é contestado. Mistura alhos com bugalhos, parece que sempre está com raiva, a gente percebe que ele vai mudando o astral até virar Astra, à  medida que vai escrevendo. O Forum vai muito bem seu Astra.  A decadência falada pode ser consequência das postagens egoístas que a gente vê. Mas., no fundo, sei que você é uma pessoa do bem, só precisa colocar um motorzinho nesta cabecinha e acelerar um pouco mais, senão vai ficar perdido no tempo.
    Você falou muita bobagem sobre estabilidade de barco, sobre velocidade, enfim, argumentos sem lógica, tipico de quem não domina o assunto. Eu te convido para dar uma voltinha de Bass, a 120 km por hora, ou enfrentar umas marolas na Serra da Mesa para conhecer melhor o equipamento. Garanto que vai mudar de idéia.
    Outra coisa, não precisa ficar bravo comigo. Estou postando estes termos mais ou menos no mesmo nível que sua postagem, para você perceber como é desagradável ler uma mensagem exposta de forma grosseira. Respire fundo, se encontre, escute mais e dê menos pitaco. 😘
    Tenha um bom dia.
     
  4. Thanks
    João Biguá recebeu reputação de Alessandro Sanches em Primeiro Bassboat   
    Lí todos os comentários, todas as opiniões e resolvi postar meu comentário. Sei que existem muitas opiniões equilibradas, de pessoas que entendem do assunto, conhecem os vários tipos de brcos existentes no mercado e tem os fodões que forçam a barra. Talvez por necessidade de um afago, por necessidade de aparecer e por aí vai.
    O usuário de Bass se enquadra num universo diferente. Antes, preciso esclarecer que começamos com uma canoa de zinco, fabricada por um gaucho chamado Boleli. Era tão feia que a gente só carregava a bichinha de boca pra baixo. Mas, era nossa "Lady Izaura", uma homenagem à minha esposa - em tempo, minha mulher é bonita até hoje. A canoa é que era feia. 
     
    Depois passamos para uma Leve Forte de 5 mts, quilhada, com motor de 15 - que foi roubado com 4 horas de uso. Fizemos um consórcio de um motor Honda, 4 tempos, excelente. Gastava 30 litros de gasolina em 3 dias. Em compensação eram 28 km por hora, com tempo bom.  Só não podia ver marolas que mudava de rumo sozinho. 
    Depois de alguns sufocos na Serra da Mesa, optamos por um  motor 25 hp, Sea Pro, da Mercure e uma canoa de 6 metros, a famosa Pety. Conjunto top. Quando as coisas melhoraram um pouco passamos para uma Pantanáutica, com motor de 60 e 90hp. Bom, depois de muitos pulos chegamos no Bass, com motor de 175, 250 e depois 300. Pra nós era um sonho sonhado por muitos anos.
    Resumindo, hoje, temos um conjunto Veloster, com motor de 300 hp. Não me perguntem se vale a pena ter. É caro, é, é rápido é muito rápido, é seguro, é, mas depende de quem está no comando. Não é um brinquedo para amador ou pra quem tem grana sobrando. Ele requer um tratamento bem diferenciado. É uma Ferrari na frente de um fusca respeitadas as proporções. Entrando no aspecto pessoal, se não fosse a união minha e dos dois filhos era impossível ter um (algo muito mais importante q ter um barco q custa "X" reais). Hoje, posso dizer que sabemos muita coisa de bass. O Fabiano e o Fabrício já montaram mais de 20 barcos de amigos e cada vez é um aprendizado. A tecnologia dos equipamentos mudam a cada ano, e está  à disposição do bolso de cada um. Então não tem achismo. Fato é que cada um, trabalhando sério pode chegar lá. Se eu cheguei, você também pode chegar.
     
    Tem uma opinião de um tal de Astra que é uma bobagem sem tamanho, com o devido respeito. Quem sabe das coisas não precisa dar piti quando é contestado. Mistura alhos com bugalhos, parece que sempre está com raiva, a gente percebe que ele vai mudando o astral até virar Astra, à  medida que vai escrevendo. O Forum vai muito bem seu Astra.  A decadência falada pode ser consequência das postagens egoístas que a gente vê. Mas., no fundo, sei que você é uma pessoa do bem, só precisa colocar um motorzinho nesta cabecinha e acelerar um pouco mais, senão vai ficar perdido no tempo.
    Você falou muita bobagem sobre estabilidade de barco, sobre velocidade, enfim, argumentos sem lógica, tipico de quem não domina o assunto. Eu te convido para dar uma voltinha de Bass, a 120 km por hora, ou enfrentar umas marolas na Serra da Mesa para conhecer melhor o equipamento. Garanto que vai mudar de idéia.
    Outra coisa, não precisa ficar bravo comigo. Estou postando estes termos mais ou menos no mesmo nível que sua postagem, para você perceber como é desagradável ler uma mensagem exposta de forma grosseira. Respire fundo, se encontre, escute mais e dê menos pitaco. 😘
    Tenha um bom dia.
     
  5. Like
    João Biguá recebeu reputação de Fabrício Biguá em [Torneio de Corumbá IV] Um show de imagens.   
    Ficou muito louco.
  6. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de FabianoTucunare em Melhor piloteiro que a turma já pescou no Rio negro!!!   
    Olha, é muito difícil eleger apenas um piloteiro. Com o Fera pesquei o meu primeiro 2 dígitos. Cada um tem suas características  próprias. Vai muito da empatia. Tem o bolo que sabe de tudo (inclusive da vida dos outros...rsrsrsrsr... sacanagem. É um grande piloteiro.
  7. Like
    João Biguá recebeu reputação de Fabrício Biguá em Veloster com novo Mercury 300hp V8, 4T...Biguá Boat 6.   
    Em tempo: Fabrício e Fabiano tratem de colocar as mulheres de vocês nesses agradecimentos, senão veremos Biguá depenado. Eu vou levar a minha pra passear.✈️
  8. Like
    João Biguá recebeu reputação de Fabrício Biguá em [Torresmo Açu] SIRN/2018 - Difícil, mas sempre top!   
    Obrigado a todos, em especial ao Fabrício Biguá. Se não fosse ele eu não estaria presente. Meu grupo foi uma semana depois. Fico feliz em fazer parte desta turma tão animada. Já conhecia alguns de anos anteriores. Mas, participar da festa foi a primeira vez. Como estou aproveitando meu tempo o  máximo possível estarei com vocês ano que vem, de novo,  se o bom Deus assim permitir. Foi um grande prazer estar com vocês.
    Em tempo: já estou providenciando novos Pop Queen para novas surpresas na próxima.
  9. Like
    João Biguá recebeu reputação de Arley em Pescaria em SIRN Jan 2018   
    PARABÉNS. Cada pescaria naquela região é uma história. Certamente terão muitas lembranças boas para recordar...até a a próxima pescaria. É bom ver o entusiasmo da turma mesmo diante de tanta dificuldade. É o que sempre falo: tem que meter isca na água. Só dormir e comer não acrescenta peixe na linha.
  10. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de Cristiano Rochinha em Serra da Mesa. Nível do lago deverá subir mais rapidamente.   
    Acredito que não haja falha de projeto. O que acontece é que a Usina de Serra da Mesa não pode ser a baliza de regulagem do nível das águas das usinas que ficam abaixo.
  11. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de João Luiz Lusardo em Angatu, Viagem frustada e decepcionante   
    Então...eu estava lá, com os Mocorongos. Tive a grata satisfação de coordenar este grupo - 10 Mocorongos mais 5 parceiros, também já conhecidos. Coordenar é força de expressão, já que ali cada um é coordenador de seus atos, de suas idéias e de suas atitudes. Não posso deixar de concordar com o relato do Kid, que, por sinal, expressa tudo que a turma gostaria de dizer. Tive sim, que coordenar discussões, reclamações e um mal estar geral durante toda nossa estadia por lá. É incompreensível e difícil de aceitar a forma como as coisas estão ocorrendo em Santa Isabel. Como é terra de ninguém os espertalhões aparecem e vislumbram uma oportunidade de se dr bem. A sensação é de que todos se acomodaram de forma que, ou bem ou mal o pescador está chegando. É um grupo a mais. Donos de barcos não se entendem, uns brincando de "empresários" e, dentro do seu amadorismo, acabam criando problemas que vão se refletir sobre os outros - que somos nós. Bem, este é assunto para os verdadeiros empresários. Alguns que ali vivem seu dia a dia, seja como empregados de empresas, seja como donos de barcos, precisam entender, e rápido, que, se tem alguém que pode ser visto como "importante" este somos nós, pescadores. Quando vão perceber isto? Quando não chegar mais nenhum voo levando turistas, quando o comércio não conseguir desovar seus estoques e quando a cidade sentir a falta dos grupos que chegam toda semana. Eu preciso que os sábios de plantão me digam o que dizer para seduzir o pescador que pretende conhecer àquela região. A discórdia já semeiam, com nota dez, de como fazer para espantar o turista pescador. Eu não posso dar respostas que não são minhas, não posso fazer perguntas que não são minhas e não posso oferecer o que não posso dar. E então...como ficamos? Vamos esperar a mina secar? Já perceberam que a galinha dos ovos de ouro está morrendo? Não é possível que as lideranças da cidade vão continuar olhando para o próprio umbigo. Eu acredito que as coisas vão melhorar.Preciso acreditar nisto.
  12. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de ArthurCaillard em Angatu, Viagem frustada e decepcionante   
    Então...eu estava lá, com os Mocorongos. Tive a grata satisfação de coordenar este grupo - 10 Mocorongos mais 5 parceiros, também já conhecidos. Coordenar é força de expressão, já que ali cada um é coordenador de seus atos, de suas idéias e de suas atitudes. Não posso deixar de concordar com o relato do Kid, que, por sinal, expressa tudo que a turma gostaria de dizer. Tive sim, que coordenar discussões, reclamações e um mal estar geral durante toda nossa estadia por lá. É incompreensível e difícil de aceitar a forma como as coisas estão ocorrendo em Santa Isabel. Como é terra de ninguém os espertalhões aparecem e vislumbram uma oportunidade de se dr bem. A sensação é de que todos se acomodaram de forma que, ou bem ou mal o pescador está chegando. É um grupo a mais. Donos de barcos não se entendem, uns brincando de "empresários" e, dentro do seu amadorismo, acabam criando problemas que vão se refletir sobre os outros - que somos nós. Bem, este é assunto para os verdadeiros empresários. Alguns que ali vivem seu dia a dia, seja como empregados de empresas, seja como donos de barcos, precisam entender, e rápido, que, se tem alguém que pode ser visto como "importante" este somos nós, pescadores. Quando vão perceber isto? Quando não chegar mais nenhum voo levando turistas, quando o comércio não conseguir desovar seus estoques e quando a cidade sentir a falta dos grupos que chegam toda semana. Eu preciso que os sábios de plantão me digam o que dizer para seduzir o pescador que pretende conhecer àquela região. A discórdia já semeiam, com nota dez, de como fazer para espantar o turista pescador. Eu não posso dar respostas que não são minhas, não posso fazer perguntas que não são minhas e não posso oferecer o que não posso dar. E então...como ficamos? Vamos esperar a mina secar? Já perceberam que a galinha dos ovos de ouro está morrendo? Não é possível que as lideranças da cidade vão continuar olhando para o próprio umbigo. Eu acredito que as coisas vão melhorar.Preciso acreditar nisto.
  13. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de Jorge Augusto Atalla em Angatu, Viagem frustada e decepcionante   
    Então...eu estava lá, com os Mocorongos. Tive a grata satisfação de coordenar este grupo - 10 Mocorongos mais 5 parceiros, também já conhecidos. Coordenar é força de expressão, já que ali cada um é coordenador de seus atos, de suas idéias e de suas atitudes. Não posso deixar de concordar com o relato do Kid, que, por sinal, expressa tudo que a turma gostaria de dizer. Tive sim, que coordenar discussões, reclamações e um mal estar geral durante toda nossa estadia por lá. É incompreensível e difícil de aceitar a forma como as coisas estão ocorrendo em Santa Isabel. Como é terra de ninguém os espertalhões aparecem e vislumbram uma oportunidade de se dr bem. A sensação é de que todos se acomodaram de forma que, ou bem ou mal o pescador está chegando. É um grupo a mais. Donos de barcos não se entendem, uns brincando de "empresários" e, dentro do seu amadorismo, acabam criando problemas que vão se refletir sobre os outros - que somos nós. Bem, este é assunto para os verdadeiros empresários. Alguns que ali vivem seu dia a dia, seja como empregados de empresas, seja como donos de barcos, precisam entender, e rápido, que, se tem alguém que pode ser visto como "importante" este somos nós, pescadores. Quando vão perceber isto? Quando não chegar mais nenhum voo levando turistas, quando o comércio não conseguir desovar seus estoques e quando a cidade sentir a falta dos grupos que chegam toda semana. Eu preciso que os sábios de plantão me digam o que dizer para seduzir o pescador que pretende conhecer àquela região. A discórdia já semeiam, com nota dez, de como fazer para espantar o turista pescador. Eu não posso dar respostas que não são minhas, não posso fazer perguntas que não são minhas e não posso oferecer o que não posso dar. E então...como ficamos? Vamos esperar a mina secar? Já perceberam que a galinha dos ovos de ouro está morrendo? Não é possível que as lideranças da cidade vão continuar olhando para o próprio umbigo. Eu acredito que as coisas vão melhorar.Preciso acreditar nisto.
  14. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de TiWillian em Tucunaré açu x linha mono   
    Meu amigo, sua pergunta é interessante. Agora, mesmo, estou preparando umas iscas tendo em vista que semana que vem estarei indo para amazônia levando um grupo de pesca.
    Estou pensando em  colocar um líder com linha 50mm, Asso. Não é fluorcarbono. Sei que estou procurando sarna pra coçar, pois tenho grande chance de perder um belo Açu.Mas, é uma questão de opinião. Qual o problema? Somente um nó a mais. Sobre sua pergunta, de usar ou não usar linha mono posso dizer que, também é uma opção. Nada impede, visto que temos ótimas linhas que aguentam o tranco. A única restrição que eu colocaria é a seguinte: a elasticidade da linha. Quando o anzol ou a garatéia agarra num pau, num obstáculo qualquer, a tendência é puxar, correto? Aí é que mora o perigo. Como a linha é elástica ela faz o efeito estilingue e quando se solta volta com toda a velocidade, com a mesma força que você colocou para puxar. Eu sei de caso em que o pescador colocou a perna na frente para proteger outro pescador e levou uma bela fisgada. Sei de outro caso, pois estava presente, onde o pescador puxou a linha com força e quando esta se soltou, voltou com toda a velocidade merecida, enterrou o anzol na mão, levou uma pedrada do chumbo, teve que soltar o anzol com a faca, sem anestésico, a não ser uma dose de cachaça, berrou igual cabrito e aprendeu a lição. Não vou citar o nome porque o otário era eu. Fora estes transtornos  pode-se usar mono perfeitamente. É uma questão de costume.
  15. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de Felipe Sousa.´. em DÚVIDA ENTRE BARCOS DE PESCA (BASS)   
    Nós tivemos um Pety de 6 metros com motor de 25 (Mercury Sea), borda alta, semi chata, com plataforma de aluminio. Até hoje sinto saudades dele.
  16. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de Alisson Filipe em qual melhor predador para soltar em açude?   
    Bagre africano. É praga. Vive até no seco. 
  17. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de Francis Pinto em Robalo peva monstro do rio Itabapoana   
    Parabéns Francis. Conheço Rio Itabapoana há 40 anos. Pesquei muita traíra na região de Bom Jesus do Norte e muito bagre na Praia das Neves, onde ele deságua. Infelizmente é um rio muito poluído, com várias cidades jogando esgoto in natura. Depois apareceu uma praga de bagre africano que infestou o rio.  Conseguir um exemplar deste porte é muita sorte. Parabéns.
  18. Upvote
    João Biguá deu reputação a Fabrício Biguá em Entendendo o ajuste do TRIM.   
    A pedido do amigo @Astra-Taranis, resolvi falar um pouco sobre ajuste de trim de uma embarcação.
    Tentarei expor o assunto de forma q todos entendam (do mais inexperiente, até os q entendem um pouco mais). Vamos lá.
    Todo mundo q compra um motor de popa (seja de 5.5hp a 400hp), ao ler o manual, vê uma figura semelhante a esta abaixo q é muito compreensível.
       
    Essa figura acima é alto explicativa. A angulação do motor de popa interfere em muito no comportamento da embarcação.
     Figura 1. Motor trimado corretamente. Melhor navegabilidade, maior velocidade, maior autonomia.
     Figura 2. Motor com trim alto/aberto/out. Barco com a proa muito levantada, possibilidade de cavalgar e de entrar água na popa.
     Figura 3. Motor com trim baixo/fechado/in. Barco com a proa socada na água, maior arrasto, maior consumo, perigoso em marolas.
    Em motor de popa de baixa cilindrada (até 40hp) onde a regulagem do trim é feita de forma manual, o ajuste é feito no parafuso ou haste de compensação. Veja as fotos abaixo.
        /      
    Resumidamente é isso:
    Quanto mais fechado ou próximo estiver a rabeta do motor da popa do espelho de popa do barco, mais pra dentro está o trim. 
    Querem ver um exemplo prático de uso de trim alto?!?! Assistam o vídeo abaixo.
     
     
    No vídeo acima além do barco estar com o trim alto, repare q o centro de gravidade (e o maior peso) está na popa do barco. 
     E porque o barco cavalga???
    Com o centro de gravidade mais na popa do barco, a força do motor de popa empurra bico do barco "pro céu"....e, a medida em que ele vai saindo da água, o centro de gravidade muda para o meio do barco fazendo com ele caia novamente na água...Sacaram a mecânica do movimento?!?!?!
    Ocorre que em canoas de alumínio e embarcações que utilizam motores de baixa cilindrada (digamos até 40hp e menos de 50kg de peso), essa regulagem é feita de forma muito simples e sem muitas "frescuras" ou atenção especial.
    Vamos agora para motores grandes, barco velozes e ajuste mais fino.
    Quando falamos em motores maiores e consequentemente velocidades mais altas, o ajuste correto do trim se torna algo imprescindível. Apenas 1cm de abertura no ângulo muita em muito a navegabilidade do barco.
    A grande maioria dos motores acima de 40hp possuem o ajuste elétrico/hidráulico de trim. Como um simples toque em um botão, um motorzinho inclina o motor de popa (q agora pesa acima de 60kg).
    Em barcos de alta performance a angulação do espelho da popa influencia no comportamento do barco - e muitos nem sabem disto.
     
    Entendendo o espelho de popa de uma embarcação.
    Espelho de popa é a traseira da embarcação onde o motor de popa vai espetado.
    Espelho neutro tem angulação de 90º em relação a linha da água ( | ).
    Espelho negativo tem angulação >90º em relação a linha da água ( \ ).
    Espelho positivo tem angulação <90º em relação a linha da água ( / ).
    Vamos detalhar isso aqui pra baixo.
    Barco com espelho de popa neutro:
    Imaginemos um espelho de popa totalmente perpendicular a linha da água (90º)...Quando vc fecha todo trim (in), podemos falar e afirmar q o trim está no zero e angulação.
    Vou postar esta ilustração esdrúxula abaixo só para vcs entenderem melhor a ideia de espelho de popa neutro.

     
     
    Barco com espelho de popa negativo (q representa a grande maioria das embarcações de pesca):
    Imagine agora um barco com o espelho de popa negativo, ou seja, inclinado pra dentro (vc terá uns 70º de angulação em relação a linha da água)....Se vc fechar todo trim, assim como fizemos no exemplo acima, vc concorda que agora o ajuste do trim estará no -10, ou -20, por exemplo?!?!?
    Outra ilustração abaixo só para vcs terem uma ideia do que é um espelho de popa negativo.
           =       
    Repare na figura da direita que se vc fechar todo o trim, o motor vai ficar um pouquinho deitado em relação a linha da água. 
     
    Barco com o espelho de popa positivo:
    Ao contrário do exemplo acima, imagine um espelho de popa inclinado pra fora (vc terá agora uns 110º de angulação em relação a linha da água)....Mesmo que vc feche todo o trim, ele estará no +10 ou +20 em relação ao espelho de popa neutro?!?!?
    Não encontrei uma ilustração pra mostrar pra vcs a ideia, mas acho q todos entenderam.
     
    Nos EUA eles levam tão a sério essa questão de inclinação do espelho de popa (em inglês chamam de transom), que uma mesma fábrica vende barcos semelhantes, mas com espelhos de popa com angulação diferentes...Isso pq eles já estudaram o centro de gravidade ideal da embarcação. Veja na ilustração abaixo as diferentes medidas do Transom.
       = 
     
    E quando o espelho de popa não permite um ajuste máximo ou mínimo do trim do motor, vc poderá usar uma peça chamada Transom Wedge...q aqui no Brasil nós chamamos de cunha.

     
     
    Esta cunha pode ser negativa (a grande maioria esmagadora dos casos). Veja abaixo.

     
    Mas também pode ser positiva (bem menos utilizada). Veja abaixo.

     
    No caso dos bassboats ou assemelhados, o q acontece na prática?!?!
    - Barco cavalgando mesmo com trim todo fechado (in):
    Neste caso vc pode tentar fechar ainda mais o trim usando uma cunha negativa.
     
    Finalizo aqui este tópico q tem existe uma infinidade de informações sobre o assunto. Espero q ele sirva para ajuda-lo a entender um pouco mais o assunto e a encontrar o melhor ajuste do seu barco.
    Abs..
  19. Upvote
    João Biguá deu reputação a Fabrício Biguá em Entendendo o ajuste do TRIM.   
    @Astra-Taranis e @Diego Rudek....saiu o tópico um pouco mais bem explicado sobre o assunto. 
  20. Downvote
    João Biguá recebeu reputação de Arildo Maia em Onde pescar em 2017 ?   
    Bem... tudo o que foi falado aqui tem  fundamentos que devem ser considerados. 
    Mas, vou dar um cavalo de pau na conversa e abordar um tema totalmente adverso que pega a gente de surpresa. Então, gente, vamos pescar... aí vai: acabei de saber que um colega de trabalho, aposentado, naturalmente, bem novo, em torno de 60 anos, passeando na praia em Ilhéus, foi fulminado por um enfarto.  Então gente, pode ser longe pra cacete, caro pra cacete, mas vamos pescar mais. A vida é muito curta e a gente nem vê quando a esquina da vida chega de repente. Vale como reflexão. E eu estou indo para o Pesque e Pague daqui há pouco.
  21. Upvote
    João Biguá recebeu reputação de Ricardo A. em RELATO - Familia + Amazonia = realização de um sonho   
    Sensacional. Parabéns a todos. É assim que surge um grande pescador. Histórias iguais a esta ainda vão acontecer muitas vezes.
×
×
  • Criar Novo...