Ir para conteúdo

O FTB foi atualizado e otimizado.

Antes, para visualizar todas as nossas salas, era preciso descer a barra de rolagem por muito tempo. Isto dificultava a nossa vida, principalmente a dos novos usuários, que não encontravam as salas/assuntos de interesse.

Agora as salas foram transformadas em "sub salas" e incluídas em grandes fóruns.

Esperamos que tenham gostado. :amigo:

Guilherme Oliveira Barion

Mod Temp
  • Total de itens

    126
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Histórico de Reputação

  1. Thanks
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Heitor César Maia em Qual isca nova ou que vc não conhecia é sua nova aposta para a Amazônia?   
    Saudações, essa vai junto com um ZigZarão na mesma cor. Quando fui atrás dos primeiros açús da minha vida no Água Boa, o primeiro foi na Zigzara e o segundo na Sará Sará, então para este ano em Barcelos elas não poder faltar, principalmente na cor Arari.
  2. Like
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Fabrício Biguá em Proibição da pesca em SIRN   
    Isso aí, Betão...Na verdade o q definiu o Preto como sendo de SIRN, não foi a ABOT e tals, o q divide é a linha do município mesmo. Inclusive um lado do Padauari pertence a SIRN.
     
    Olhem na foto abaixo.

  3. Like
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Rogério Araujo Pinheiro em Proibição da pesca em SIRN   
    Excelente esclarecimento, principalmente porque vivemos o tempo todo as vias de fechar pescarias nesses locais e ter a ideia ampla é importante.
    Apenas uma opinião  sobre um fato que não consigo entender:
    A maioria sabe que a pesca de tucunaré é regida pelo nível das aguas e não consigo entender como 1 única empresa consegue fechar um acordo de exclusividade em apenas 1 rio que pode ficar sem condição de pesca em 90% da temporada.
    A mobilidade é a grande sacada do barco hotel! Fugir de condições adversas é diferencial.... Mesmo paraísos como o Marié podem proporcionar pescarias terríveis dependendo do nível da agua e, acreditem, a maioria dos clientes ou não retornam ou saem descendo a lenha na pescaria.
    Me corrijam se tiver errado pois sou especialista em falar besteira ...kkkkkkkkkk.
     
    No fim de tudo acredito que a falta de união tanto de operadores quanto de comunidades e indígenas pode comprometer até a arrecadação a longo prazo. Se der prejuízo, os formatos mudam e muitos perdem.
    Enfim, boa sorte a quem vai subir.
     
  4. Thanks
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Marcos Ide em 2019 - Histórico do nível do Rio Negro em Barcelos   
    Atualização da CPRM hoje, Rio Negro em Barcelos com 6,69. Vazante pegando uma forcinha.
    Cucuí em SGC baixando, Rio Branco também e em Manaus vazou hoje 13 cm. Esperança para quem vai no início da temporada.
     
    abs
     
  5. Thanks
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Marcel Werner em Modelos de iscas X anzóis Inline - na prática!   
    Guilherme,
     
    Essa é difícil de explicar. 
    Nem casting, nem peso de isca. É o power e a ação. Varas mais rápidas e mais potentes abrem mais facilmente o mesmo anzol. Exemplo: se você usava garatéia Owner 4x #1 na T20, como eu usava, numa vara Rapala Gold 25 lb, que é bem firme, de vez em quando abria, mesmo sem enrosco. Mas se usasse uma vara de 17 lb, quando uma garatéia dessa abriria? Nunca! Só no enrosco, que é quando você perde o controle, que é feito através da vara. É isso que estou tentando explicar. Nos Gamakatsu, vem indicando na embalagem a libragem, não sei como eles chegam nesses valores, mas eu sempre interpreto isso como a libragem máxima de vara que eu devo usar com aquele modelo. E, mesmo assim, se a gente estiver no limite e vacilar, vai abrir. 
     
    Esses limites são sutis e certamente vão mudar de pessoa pra pessoa, conforme o jeito de pescar. Essas são as minhas recomendações, conforme a minha prática. 
     
     
     
    Valeu, Ricardo!
  6. Like
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Leandro Gofert em Tava ruim, mas tava bom   
    Boa noite amigos, hoje dia de folga, resolvi pescar...peguei a tralha ultralight e fui até o pesqueiro Aquarium, que segundo sugestões de vários amigos daqui, seria uma boa opção para a pesca de carpas (o único peixe que ainda continua a comer com a água fria como está aqui em SP).
    Chegando lá, perguntei ao pessoal qual lago é melhor de carpas e me mandaram para o lago 6 (logo na entrada), armei minhas 3 varas telescópicas, meus 3 molinetes micro abastecidos com linha 0,26 mm (mono) da Max force, anzol maruseigo 16 sem chumbo e sem encastoado (direto na linha) e de isca usei a massa Japatone e uma massa sabor banana (que nem sei quem fabrica).

    O que posso dizer é que o dia foi extremamente fraco de puxadas, fiz 250 g de cada massa e no fim do dia sobrou bastante, ou seja, tive pouquíssimas ações, porém lá pelas 11 da manhã uma varinha começa a correr a linha bem suave, fisgo e senti que era muito pesada, o animal saiu tomando linha e deve ter puxado uns 50 metros na primeira corrida, fiquei cerca de 30 minutos nesse vai e vem (toma linha, recolhe linha, toma linha...) até que essa monstra dessa cabeçuda pranchou e deu pra pegar no passaguá...

    Eu não tinha balança, mas estimo que ela devia ter entre 10 a 12 kg (muito grande e grossa).
    Continuei mais um pouco nesse lago, até a hora do almoço, como não tive ações resolvi parar para almoçar e depois tentar em outro lago.
    Montei minha tralha de novo, agora no lago 2 do pesqueiro (o maior), que estava vazio...isca na água e nada de ações...
    Lá pelas 15:30 h uma das varinhas começa a baixar lentamente, fisgo e de novo senti que era muito pesado, de novo o peixe sai tomando linha como louco, deixando o carretel perigosamente vazio, de novo me vejo naquele problema bom (que todo pescador gosta), de peixe tomar linha, eu recolho linha, peixe toma de novo...dessa vez a briga foi mais demorada ainda, acredito que uns 40-45 minutos. Até a maior carpa hungara que eu já peguei na vida pranchar e entrar no meu passaguá...

    Ela era muito grossa e era mais pesada que a cabeçuda que peguei primeiro, calculo que essa devia ter uns 12 a 13 kg...
    Continuei pescando até as 17:00 quando arrumei a tralha, paguei e fui embora....enfim o que posso dizer? Foi um dia que foi ruim mas foi bom...foi ruim porque estava fraco de peixe, mas foi bom porque os dois que saíram estavam na casa dos dois dígitos de peso...e tirar esses peixes no ultralight foi muito show....
    Obrigado a quem leu até aqui, um abraço.
  7. Upvote
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Kid M em [Relato] FIM DE SEMANA TOP...."Chupa" mundo chato!   
    Prezado Cristiano,
     
    Muito bom verificar que ainda existem pessoas mais preocupadas em "ser" do que "parecer" !
    Precisamos sempre buscar essa essência que existe dentro de nós e desfrutá-la !
    Claro que é um pouco "lúdico" mas nem por isso deixa de ser verdadeira essa sua aventura de fds
    Mais importante que qualquer outra coisa é você estar aproveitando essas "pequenas alegrias" de um convívio familiar (independente de quem sejam os parentes). 
    Há algum tempo venho dizendo (e escrevendo) que numa pescaria o "peixe" é apenas uma consequência... 
    Tenho certeza de que você atingiu o meu foco com muita eficiência ! Parabéns pela postagem ! 
     
     
  8. Upvote
    Guilherme Oliveira Barion recebeu reputação de Cristiano Rochinha em [Relato] FIM DE SEMANA TOP...."Chupa" mundo chato!   
    Pqp!! Simplesmente MITOU! 
     
    Isso sim é pescaria, ou a essência dela!
     
    Me lembrei das pescarias com meu pai! 
     
    Parabéns Cristiano não achei que haviam pescadores que ainda pensavam assim! 
     
    Repito: MITOU
     
  9. Thanks
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Joao Simon em QUEIMADAS NA REGIAO NORTE/NORDESTE   
    Estive como faço nos últimos 3 anos, no Mato Grosso  entre maio e junho/19 no Rio das Mortes e presenciei uma fiscalização do Ibama/ Policia Federal como jamais havia visto.
    Estamos vivendo um momento muito difícil aonde as forças politicas  estão disputando seu espaço e acho que não cabe a este debater sobre quem esta certo ou errado.
    Passei 9 dias acampado na beira do rio e subindo o mesmo todos os dias em até 2 horas de navegação e não vimos nenhum absurdo em relação aos anos anteriores sobre queimadas.
    Este grupo talvez uma das maiores referencias, uma linha de frente sobre o que realmente esta acontecendo em relação as nossas florestas e rios, principalmente na região amazônica aonde temos varios 
    membros todos os dias em toda esta área , poderíamos dar nossas opiniões sobre estes fatos.
    Estou editando este tópico pra gente verificar praticamente on line o que realmente esta acontecendo !
     Como presenciei em viagem de GYN ao MT de carro por 1200 KM (ida e volta 2400 km) na região de Barra de Sto. Antonio ja dentro do parque do Araguaia, não presenciei nada, mais nada mesmo referente
    ao apocalipse de nossas matas.
     
     



  10. Upvote
    Guilherme Oliveira Barion recebeu reputação de Marcos Ide em Utilidade: tarifa mais recente p/ tubos de varas   
    Na gol, quem compra a tarifa Plus que já tem direito de despachar 1 bagagem. 
    Comprei voo na semana passada e pela Internet e a 2° bagagem despachada saiu por 100 reais 
  11. Upvote
    Guilherme Oliveira Barion recebeu reputação de Marcel Werner em Utilidade: tarifa mais recente p/ tubos de varas   
    Na gol, quem compra a tarifa Plus que já tem direito de despachar 1 bagagem. 
    Comprei voo na semana passada e pela Internet e a 2° bagagem despachada saiu por 100 reais 
  12. Thanks
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Marcel Werner em Anzóis no lugar de garatéias - como e porque.   
    Após dois anos usando anzóis single/inline nas minhas iscas, hoje cheguei a um ponto que não uso garatéias. 
     
    Apresentarei neste tópico todas as análises que fiz e os resultados que obtive, me levando a tomar esta decisão.
     
    Não pretendo aqui ser dono da verdade, já tem muitos fazendo este papel. Mantenho minha cabeça aberta, pois a mesma convicção que tenho hoje quanto a anzóis, já tive de pensar estar fazendo o certo com garatéias. Que venha uma discussão saudável.
     
    O problema original
     
    As garatéias que vêm nas iscas são projetadas, geralmente, para a pesca do bass. Tucunarés pequenos abrem com muita facilidade essas garatéias. Eficientes para o bass, as garatéias originais das iscas, para tucunaré, são inúteis.
     
    A análise errada sobre a resistência das garatéias é que os anzóis que a compõem são finos e de material fraco, errada porque desconsidera qualquer outro fator. Daí, a "solução" encontrada foi a substituição por anzóis triplos cada vez mais grossos e resistentes, ignorando todas as outras variáveis e obtendo um resultado que nunca me deixou satisfeito. Por mais reforçadas que sejam, as garatéias continuam abrindo e, poucos percebem, proporcionando fisgadas superficiais - este item é, na minha opinião, o maior vilão para suas capturas.
     
    A minha análise leva em consideração muitos fatores da pescaria, e não a resistência do anzol como fator isolado. Na prática, e em resumo, os anzóis são mais resistentes que as garatéias, a ponto de resolverem esta questão, mas vamos falar de cada item que analisei.
     
    O GAP ou abertura do anzol
     

     
    O espaço entre a haste e a ponta do anzol deve ser proporcional ao tamanho da boca do peixe. Parece simples, mas isso é ignorado pela maioria dos pescadores. Uma garatéia de tamanho #1, normalmente usada na T20, a isca mais comum na pesca do tucunaré na Amazônia, tem uma abertura tão pequena que é a mesma de um anzol utilizado na pesca de tilápias em pesqueiros, ou de pequenos peixes de praia. A desproporção é evidente. O resultado é que muitas fisgadas são superficiais, o famoso "pelo fio do bigode", que costuma resultar em fuga do peixe por rasgar aquele fiozinho.
     
    Na substituição por anzol, há um ganho de abertura que leva a fisgadas mais consistentes, com mais material da boca do peixe, que fica mais difícil de rasgar. Engana-se quem acha que 3 pontas levam a uma maior chance de trazer o peixe até o barco. Embora sejam mais chances de perfuração, os anzóis não fixam firmemente em grande parte das vezes.
     
    Para o argumento numérico, deixo a eficiência do fly, da colher e do jig como reflexão.
     
    O comprimento da ponta do anzol
     
    O tucunaré salta bastante e chacoalha a cabeça. Também chacoalha dentro d'água. Esse é um dos pontos mais fáceis de visualizar. Quanto mais comprida a ponta, mais difícil de desfazer a volta e escapar. E a comparação se torna muito clara.

    O ponto de apoio do peixe no anzol
     
    Eu não sou muito bom de física, mas quando o peixe apóia o peso dele na ponta do anzol, abre mais facilmente, enquanto que a mesma força na curva do anzol é muito mais difícil de abrir. Num anzol triplo, é frequente que duas pontas fixem no peixe, então ele fica apoiado em duas pontas e nenhuma curva. Aparentemente, é mais fácil abrir duas pontas de uma garatéia (já me aconteceu dezenas de vezes) do que abrir um anzol simples. Como eu disse, não sou expert nesse ponto, é minha observação como leigo no assunto.
     
    A espessura dos anzóis
     
    Um anzol inline pode (dependendo do modelo) ser mais grosso do que cada anzol da garatéia que substitui, e ainda assim ser mais leve. Portanto, na quantidade de material e resistência à tração, o anzol tende a ser mais forte. Não testei em laboratório, somente uso prático.
     
    Aliás, cabe lembrar que testes de laboratório frequentemente contradizem a prática, no tocante à resistência das garatéias. Os peixes não abrem tão facilmente as garatéias Owner como sugerem os testes, nem as VMC são tão indestrutíveis assim. Há diferença, mas ela é muito menor na boca do peixe do que no laboratório, além da questão do GAP.
     
    A isca na boca do peixe
     
    Este item é fundamental para mim. Quando pescamos, queremos que o peixe morda a isca. As bocas dos predadores suportam muitas injúrias, que acontecem naturalmente na alimentação do peixe, e é por isso que as perfurações não são danos tão importantes. Me incomodam as fisgadas na cara do peixe, na lateral, em qualquer lugar que não seja a boca. Já presenciei olhos sendo arrancados por garatéias, e já deixei alguns peixes cegos durante a briga. A sensação é das piores! 
     
    Com o uso de anzóis, a isca fica menos volumosa, enxarutando melhor. As fisgadas com anzóis costumam acertar no canto da boca, o famoso "canivete", não sei o motivo ou a dinâmica disso, é o que constato nas minhas observações.
     
    A remoção do anzol também é muito suave, bastando desfazer a volta no sentido da curvatura. Por serem muito fechadas, as garatéias frequentemente travam, demandando puxões mais fortes ou trancos para a remoção. Quando são duas pontas da mesma garatéia, pior ainda.
     
    O tempo de manuseio é um dos maiores fatores de estresse ao peixe. A redução desse tempo é fundamental para uma melhor sobrevivência dos animais e prática mais correta da pesca esportiva.
     
    O equilíbrio da isca
     
    Este item é bastante polêmico. O menor volume do anzol proporciona um arremesso melhor, por menor arrasto no ar. Isso vale para 100% das iscas que testei.
     
    Porém, também diminuirá o arrasto da isca na água, modificando seu nado. Embora pareça uma vantagem, não são todas as iscas que reagem bem. A GC Waka-Pen é um modelo que eu não consegui acertar com anzóis de nenhum modelo. A Fakie Dog 70 ficou perfeita e a 90 não prestou. A Saruna é uma isca que desliza muito na água, nos tamanhos 110 e 125 fica deslizando demais, a ponto de atrapalhar o nado. Para a enorme maior parte dos modelos, fica mais leve e suave de trabalhar, melhora o trabalho da isca, mas há exceções como exemplifiquei.
     
    A flutuabilidade também será alterada, porque os anzóis são mais leves. Isso é vantagem quase sempre, mas também pode haver exceções. Alguns poppers podem ficar pulando, outras iscas podem ter suas possibilidades de trabalhos diminuídas - ou aumentadas. Na minha experiência, as iscas ficaram ainda mais atrativas com o nado mais solto.
     
    As hélices tendem a girar mais. O arrasto das garatéias na água ajuda a evitar o giro do corpo da isca. Claro que a puxada fica mais leve, mas a maior desvantagem desse tipo de isca é torcer a linha. Curiosamente, meus testes ficam muito melhores com iscas de hélice de tamanhos pequenos. Mas sigo testando - renderá tópicos específicos no futuro.
     
    Desvantagens
     
    Sem dúvida, o pouco conhecimento e prática são os maiores desafios nessa transição. Estou aprendendo tudo na raça, gastando tempo e dinheiro para obter este conhecimento.
     
    Outro fator é que os anzóis são bem caros. Nas iscas pequenas, podemos usar os VMC com segurança, mas nas iscas grandes para Amazônia não dá. Tem que ser Decoy 3/0 para quase todas as iscas, pois os Owner abrem facil neste tamanho e o VMC não dá nem pro cheiro. Nas hélices, como usamos 4/0 até 6/0 dependendo do tamanho da isca, nesses tamanhos os Owner podem ser suficientes, e os Decoy continuam sendo os melhores. O modelo da Decoy mais indicado é o Jigging Single (há ainda o modelo plugging e o castin, excessivamente grossos e com formato mais aberto).
     
    Um capítulo à parte são as grandes iscas de hélice. Como o peixe não coloca a isca dentro da boca, e sim a atravessa, as fisgadas diminuem. Também não há grandes ganhos de qualidade de fisgada, porque garatéias 2/0 em diante já são suficientes para agarrar bem na boca do tucunaré. Então para iscas acima de 15 cm, pode ser uma troca desvantajosa. Eu mantenho o uso por uma questão de testes, mas ainda considero a garatéia mais eficiente neste tipo de isca - com a ressalva das fisgadas fora da boca, que considero anti-esportivas. É meu grande ponto de dúvidas.
     
    Segurança
     
    Obviamente, o anzol é muito mais seguro para nosso manuseio do que as garatéias. Contudo, uma boa fisgada em nossa carne poderá ser mais traumática, já que a penetração pode ir muito mais longe, além da maior espessura. Amassar as farpas pode ser muito interessante, eu faço isso para principiantes.
     
    Quando um pescador acerta um piloteiro, parceiro ou ele mesmo, seja no arremesso ou puxando a isca que estava enroscada, as chances de acidentes são menores.
     
    Na Amazônia, é muito comum o guia mergulhar para buscar um peixe que enroscou. É muito mais seguro fazer isso quando se usa anzóis, devido ao menor número de pontas soltas - quando há.


     
    Vantagens adicionais
     
    Cabem muito mais iscas em cada estojo. Isso pode significar um estojo a menos no barco ou na mala de viagem.
    As iscas enroscam menos umas nas outras no estojo, facilitando pegar.
    As iscas não enroscam no capim e enroscam muito menos em qualquer outro tipo de estrutura. 
    Se o peixe for pro enrosco, dificilmente acertará a única ponta solta na galhada - isso se houver ponta solta, pois geralmente a isca fica toda dentro da boca.
    As iscas se desgastam muito menos! Tenho Bonnies com uma semana de uso e não estão marcadas quanto estariam em apenas duas horas de uso com garatéias. Usando anzóis, as iscas carregarão principalmente as marcas das bocas dos peixes, ficando muito mais belas e cheias de histórias para contar. Tenho uma repulsa por iscas que ainda estão novas, mas têm aquela marca profunda de garatéia.
    Vários pontos de enrosco bem fechado que não arriscaríamos arremessar, com anzóis podem ser muito melhor explorados, sem medo da isca ficar lá e nem do peixe se prender após fisgado. Também vale para vegetações, pedras etc.
     

     
    Regra básica de substituição 
     
    Os anzóis não devem ser capazes de se cruzar. Em alguns casos raros, o equilíbrio depende de anzóis tão grandes que isso pode acontecer.
    Os anzóis devem ser os maiores e mais reforçados possíveis, desde que não atrapalhem o nado da isca.
    Os anzóis devem ser proporcionais à boca do peixe-alvo.
    Os anzóis devem ter as pontas em direções opostas em zonas limpas ou com apenas capim. Se houver mais vegetações ou nas galhadas de mangue, as duas pontas devem ficar viradas para trás. Nas iscas de hélice, eu não uso no pitão da hélice, mas se você for colocar, a ponta deverá ficar para frente, senão ela bate na hélice durante o trabalho e perde o fio em poucos minutos de trabalho. Mas esse anzol atrás é totalmente dispensável, pois é raro ele acertar o peixe e costuma quebrar a isca quando pega ali, além da própria hélice ser um empecilho para acertar bem o peixe.
    A resistência tem muito a ver com a vara utilizada, e não significa que todos os tamanhos de anzóis de uma determinada marca são bons. Farei tópicos mais específicos sobre as particularidades de cada modelo.
     

     
    Minha postura e decisões
     
    Na minha operação (lá vem jabá kkkk) eu proibi o uso de garatéias! Agora, só usaremos anzóis. Algumas turmas que vendi antes dessa regra, poderão usar garatéias, mas todos compraram alguns anzóis voluntariamente e vão testar, em respeito aos nossos princípios. Muita gratidão por isto!
     
    Nas minhas pescarias, as garatéias também foram abolidas.
     
    Espero ter ajudado. Eu também gosto de discutir os assuntos técnicos e mantenho este tópico aberto a contribuições. Um forte abraço a todos e aproveitem.
     
     
    IMG_5747.HEIC
  13. Thanks
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Rogério Araujo Pinheiro em O que está acontecendo no mercado de Bassboat?!?!   
    Texto muito bom... de coragem.
    Difícil é não traçar paralelos entre o que vc escreveu e outras ramificações da pesca onde o cliente quer economizar um amendoim condenando uma cadeia enorme que vem por trás de quem tenta fazer a coisa mais certa possível.
    Sofreremos muito nos próximos anos.
    Saudações.
     
  14. Thanks
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Marcos Ide em 2019 - Histórico do nível do Rio Negro em Barcelos   
    Saiu nova atualização do nível do Rio Negro em Barcelos hoje 20/08 - 7,94 m. Baixando agora 7 cm dia.
    Parece que a vazante começa a pegar força.
    Mais um mês e a temporada começa!!! Vamos torcendo. 
     

     

     
    nivel Rio Negro Barcelos 2007 2019.xlsx
  15. Thanks
    Guilherme Oliveira Barion recebeu reputação de Tammer Mendes em Passo-a-passo para planejar pescaria amazônica   
    Marcel, 
    Parabéns pelo tópico! com certeza servirá para tirar muitas dúvidas de quem vai pela primeira vez, mas que também servirá para reflexão.
     
    No meu caso como ja fui algumas vezes para Amazonia, ja tenho o material de pesca e toda vez dou mais uma reforçadinha. (mas a questão dos custo de transporte do tubo é de se pensar, se mais operações assim como a sua, empreste ou até alugue material de qualidade, com certeza eu seria um cliente potencial ao serviço). 
     
    Além disso vários amigos que me procuram para conhecer a Amazônia, me questionam quando ao material, se lá tem para alugar e o que levar.
    Nas ultimas pescarias para lá, sempre tem pessoas que não querem gastar muito com material, seja porque não pretende voltar (muitos dizem isso, mas após a primeira pescaria, geralmente bichinho pica e a idéia muda) ou simplesmente porque não tem idéia que se precisar de algo na Amazônia não tem para onde recorrer senão outros pescadores do grupo. 
     
    Com certeza um serviço como esse é  diferencial das demais operações, pois a cada dia surgem novas operações e diferenciais como esse realmente seleciona.
    Admiro seu trabalho e a forma que trata a pesca esportiva, você tem uma cabeça inovadora, sempre pensando em formas de fazer a mesma coisa com formas diferentes, assim com certeza sempre prestará um serviço melhor.
     
    Aqui vou abrir parênteses, aproveitando a deixa de outro tópico que está rolando no forúm, onde o @Fabrício Biguá comenta um pouco sobre o mercado de Bass Boat.
    É importante todo pescador saber que o mercado da pesca é um mercado amador, quando digo isso, não estou menosprezando e dizendo que o nível de serviço é ruim, mas a maioria das empresas e prestadores de serviço nesse meio são pequenas empresa que nascem geralmente de pescadores que gostam de pescar e se arriscam em empreender no meio, muitos no inicio fazem isso para ter recursos e pescar mais, quando outros fazem para sobreviver.
    Como todo mercado amador é normal que se encontre por todos lado empresas que não estão aptas a prestar aquele serviço que se espera, por vários motivos, como falta de conhecimento ou recursos mesmo do empresário.
    Ao mesmo tempo o pescador está o tempo todo tentando economizar (todos nós estamos sempre fazendo isso, até porque nosso dinheirinho é suado) seja para fazer mais pescarias ou seja para ganhar um "troco"mesmo, quem aqui não foi no paraguai para comprar material de pesca porque é mais barato.
    E isso se estende na compra de um barco, no momento de procurar uma operação na amazonia onde custa "x" reais mais barato que a operação "Y"e em todos os elos desse mercado.
     
    E porque estou dizendo isso?? porque vejo o tempo todo as pessoas reclamando, dizendo que a pesca esta se tornando isso, ou está se tornando aquilo, que fulano pede para pousada X dar uma pescaria, em troca de video no youtube, que ciclano só gosta da carretilha Y porque é patrocinado pela marca.
    Vejo muito mimimi de pessoas que só ficam pregando o pau no mercado de pesca esportiva (que vem crescendo exponencialmente), mas que não fazem nada para que o negocio prospere.
     
    Ninguém é obrigado a isso, porém é sabido que todo dia o esporte tem novos adeptos, tenho vários amigos que nunca pescaram e nos últimos tempos me procuram dizendo que andam estressados e queriam algo para ocupar a mente, essas pessoas entram sem informação e buscam aprender com quem já pesca há anos. Porém raras as pessoas como voçê que dão a cara a tapa e encara o negócio como deve ser.
    Devemos fazer isso pensando sempre pensando que vamos ajudar o próximo a fazer uma pescaria melhor, a ter uma experiencia que seja impar pra ele.
     
    Eu penso que devemos fazer assim como fazemos com nosso filhos, sempre procuramos mostra o lado bom da vida, independente de todos problemas que sabemos que existe, mas sempre mostrar a eles como a vida é boa!
     
    Desculpa o desabafo, mas todo dia vejo pessoas em foruns reclamando, nas rodas de conversa falando mal da pescaria do outro, mal da marca do ciclano e que a operação X é uma merda porque o piloteiro não colocou ele na cara do peixe.
     
    Continue mostrando o lado bom da pescaria!
     
    Foi assim que meu pai me ensinou... e ele nem se quer imagina o tamanho disso tudo, ele viveu a vida inteira pescando ao redor da minha cidade e graças a Deus esse ano vou leva-lo a conhecer o paraíso (a amazônia).
     
    Menos mimimi e mais pescaria!
    te desejo sucesso! 
      
     
     
     
     
     
  16. Upvote
    Guilherme Oliveira Barion recebeu reputação de Marcos Juliano em Cor linha Amazônia   
    Marcos,
     
    Nas últimas 3 pescarias que fiz no negro, usei linha amarela e vermelha, costumo diferenciar a libragem por cor pra não precisar ficar marcando. 
    Peguei uns peixinhos, será que é isso que ainda não engate o 22lb? Kkk acho que não. 
     
    @Fabrício BiguáSobre encardir, uso Power pro 4 fios e após 1 semana de pesca ela volta meio desgastada porque perde um pouco da cera, mas não chega a encardir não 
     
    Grande abs
  17. Like
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Fabrício Biguá em Xtreme boats - REPROVADO   
    Olha só que interessante. Em menos de 24h, 148 pessoas já leram o tópico da reprovação. 
    Acredito que boa parte destes 148 leitores tb leram o q postei abaixo do Neroo.
    Vocês acreditam que 3 pessoas já mantiveram contato comigo para comentar o assunto?!?! 
    Sim, em todos os casos, compraram algo errado por orientação errada, ou foram enganados na compra de acessórios, ou na forma de pagamento, ou na indicação de potência do motor ou da hélice, prazo de entrega, revenda, e etc. 
     
    Foi o q disse, o textão ficou chato, mas muitos amigos que o lerem, irão tirar proveito dele. 
  18. Like
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Marcel Werner em Planilha: tralha amazônica mínima   
    Sabemos que pescar na Amazônia requer um material específico, com características que inspirem confiança. O quesito principal é resistência, seguido de performance e conforto. Baseado na minha experiência, misturando um pouco com o que é mais popular nos fóruns, elaborei uma planilha de tralha econômica, sem abrir mão de qualidade. Porque dá, sim, para ir pescar com menos confiabilidade e performance, mas tem zero luxos na tabela abaixo e somente equipamentos amplamente utilizados. E coloquei míseras 13 iscas artificiais, que sabemos que não é a realidade, nunca vi ninguém levar menos de 30 e a média é umas 60 iscas em dois estojos grandes, sendo que usamos somente 10 mesmo.
     
    Fiz as pesquisas na internet, considerando os menores preços encontrados. Como eu comprei bastante material recentemente para alguns clientes do Vazzoleri Camp, também levei em consideração preços promocionais que encontrei em SP. Ou seja, essa é uma tabela bem econômica e enxuta. Vejam que só tem carretilhas baratas, a vara confiável mais barata de todas, quantidades mínimas.
     

    Notem que não coloquei ferramentas, como alicates de bico e contenção, tapetes de medição, as caríssimas bolsas de pesca, protetores de varas e carretilhas, tubo de vara - que aliás, me custou 140 Reais a mais na ultima viagem, então podemos somar 280  extras aí nessa conta, caso o pescador viaje pela LATAM.
     
    Também não tem nada de reserva. Tudo no limite: perdeu, fica sem.
     
    Obviamente, na prática, esse valor dobra muito facilmente. Tem as propagandas influenciando com novidades; tem a isca que, misticamente, matou a pau "na última pescaria" de alguém; tem aquela compra por impulso às vésperas da pescaria; pitaco de amigo e de fórum; e pensa no tanto de material que você já comprou e não usou - isso é uma fortuna se o seu operador não acompanha cada passo seu, cada snap que você compra. Eu faço isso, meus clientes podem falar.
     
    Feito esse levantamento, já dá para ter uma noção de quanto você vai gastar para ir pela primeira vez pescar na Amazônia.
     
    Mas eu não fiz isso à toa, ou por ociosidade. Decidi incluir no meu pacote de pesca todo este material. Caso o cliente perca ou quebre algo, deverá pagar apenas por aquilo que será preciso repor. A ideia é que alguém que esteja indo pela primeira vez opte pela minha operação, já que sai mais barato me pagar 9.000 do que fechar pela metade desse preço em outro lugar e gastar ainda mais com tralha de pesca.
     
    Nada será patrocinado, eu vou disponibilizar exatamente o que eu uso nas minhas pescarias. Aqui não vai ter viés de patrocinador nenhum, meu negócio é turismo. Se algum fabricante resolver botar suas iscas, snap, vara, seja lá o que for, eu poderei abrir espaço e identificar o que está sendo fornecido por mim e o que é cortesia de algum fabricante para que as pessoas conheçam seus produtos e os coloquem à prova - com o risco da minha avaliação sincera! Mas não tenho nada nesse sentido e acho que poucos estariam interessados em avaliações sinceras, então a chance de isso ocorrer é baixa. É muito mais fácil vender porcaria através de marketing pesado.
     
    Usaremos carretilhas Curado K e algumas outras que quero testar, mas sempre vai ter Curado K, que eu sei que não vai deixar na mão. Varas serão de 25 lb, a maioria de 6'a 6'6", e algumas mais curtas para os pescadores que insistem em pescar com 5'6", 5'8". Colocarei algumas Enzo, Venator, comprei algumas Major Craft, talvez compre algumas Falcon. Nada de varas muito caras, opto pela grande resistência com custo razoável, leveza se possível.
     
    Iscas são T20, Realis Pencil 110, Rip Roller, Jet120 e outras hélices pequenas e reforçadas, iscas nacionais que tenham proporcionado bons resultados em nossa região etc.
     
    Obviamente, caso haja desgaste natural de um equipamento, não será cobrado. Uma peça de carretilha que se desgaste naturalmente ou uma isca que envelheça, fazem parte. A reposição pelo cliente se dará quando o peixe quebrar a linha a levar a isca, quando o pescador quebrar uma vara, deixar cair e quebrar/amassar/danificar uma carretilha, coisas assim, mesmo que por acidente (a pessoa está assumindo o risco). As varas, numeradas, serão testadas uma por uma, quando receber e quando devolver. Este ano de 2019, estarei testando as metodologias para aplicar em 2020.
     
    Não será proibido levar o material que o pescador já tem - exceto garatéias, estas estão proibidas, só permito o uso de anzóis.
     
    Fazendo mais contas simples, baseado em meus grupos de 8 pessoas:
    50 iscas ociosas, em média, por pescador, somam 400 por semana. Alguns milhares de iscas na temporada. 
    8 tubos de vara, que podem ser reduzidos para 4 se as duplas juntarem. Passa de mil ou dois mil Reais só de taxas de tubo.
    Nem vou calcular quantos metros de linha sobram nos restos de carretéis.
     
    Mais do que economizar, também estamos gerando menos lixo ao fazer esse uso mais racional dos recursos. E sem desperdício de dinheiro. 
     
    Resumindo: pode vir só com a bagagem de mão. Se você for para outra operação, eu já ajudei com esta tabela e se tiverem mais dúvidas, é só me perguntar aqui no tópico.
     
    Abraços e bom proveito.
     
  19. Like
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Fabrício Biguá em Cota zero só para pesca esportiva?   
    Perfeita colocação, Leandro.
     
    Este País não é sério. É um País populista, ou seja, agradaram o Pescador Esportivo (com o cota zero), agradaram o Profissional (q continua matando), e fizeram vista grossa para os pescadores do outro lado da fronteira, ou seja, não mudou nada...rsrs
     
    Daqui a pouco aparecerão os pescadores amadores para matar e vender aos profissionais, quer apostar?!? rsrsr
     
    Já disse aqui algumas vezes, infelizmente só vamos aprender quando tudo acabar. 😪
  20. Like
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Leandro Gofert em Cota zero só para pesca esportiva?   
    Alguns estados como o MS resolveu instituir a cota zero para a pesca esportiva, concordo plenamente e acredito que isso deveria ser instituído em todo o Brasil.
    Contudo, fiquei espantado em saber que apenas o turista será afetado, que a pesca profissional com redes, tarrafas, espinhéis continuará permitida, que cada pescador profissional poderá continuar a abater 125 kg de pescado por semana e que os ribeirinhos também estarão fora dessa lei de cota zero, além claro, dos pescadores paraguaios, que a lei brasileira não pode afetar por ser um rio de divisa (no caso do rio Paraguai).
    Aí eu me pergunto, tem alguma lógica isso? Ou simplesmente iremos mudar o abate de peixes de lugar? Ou seja, o peixe que o turista pescador não abate mais, cairá na rede desses ditos ``profissionais´´ que aumentarão seus resultados e tudo ficará na mesma?
    Se a intenção é preservar, todos devem dar seu quinhão, senão é balela...que adianta isso?
    O Brasil é um dos poucos países que permite a pesca profissional em águas interiores, o uso de redes em rios é uma covardia sem tamanho, proporcionando uma matança muito maior que qualquer pescador esportivo... 
    Na opinião de vocês, cota zero sem afetar profissionais e ribeirinhos adianta?
  21. Like
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Guto Pinto em Concorrente das Shimanos ?   
    Resumindo, compra quem quer e confia na marca e no modelo, se for ruim e mesmo assim o consumidor querer comprar problema dele. 
    A Curado é uma carretilha intermediária da marca  então o preço é o normal que se cobra por ela,  se vale o investimento? Depende do bolso e gosto de cada um, tem carretilhas que são melhores e mais baratas? Sim, mas tem pescador que gosta de certa marca ou modelo, conheço  gente que teve todos modelos da Curado, acha que vai convencer o cara trocar por uma Daiwa, MS, Maruri na base de um ou outro relato de quebra?. 
    Graças a evolução do mercado  hoje temos centenas de modelos de carretilhas pra todos bolsos e gostos.   Do jeito que o povo fala parece se comprar essa carretilha ela vai quebrar  no segundo arremesso, assim como falam de tantas outras. 
     Pessoal em média pesca 1x no mês , em dois anos já trocou tudo, até quebrar já trocou ou vendeu. kkkkkkkkkkkk
    Depois de passar mais de 60 carretilhas em casa  nesses 25 anos de pesca de coisa barata a coisa cara eu vi que carretilha é umas das coisas menos importantes na pesca,  um bom lugar de pesca , época e condiçãos climáticas favoráveis, um guia experiente, a isca certa o trabalho correto , uma boa vara e linha são na minha opinião muito mais importante que a famigerada causa de discussoes .   
    Com tempo percebi que o tesão da carretilha é muito mais na pré pesca , no entusiasmo de ter um equipamento que tanto queremos ou sonhamos  do que na hora que estamos realmente pescando.  
     
  22. Upvote
    Guilherme Oliveira Barion recebeu reputação de Marcos Ide em 2019 - Histórico do nível do Rio Negro em Barcelos   
    atualizando, mantendo 5cm dia!
  23. Upvote
    Guilherme Oliveira Barion recebeu reputação de Cristiano Rochinha em Voos para Manaus-Remarcados   
    Ângelo Roberto, 
    É isso mesmo, quando você navega em um site no navegador normal, o site cria uma memória Cache, isso existe na verdade para que seu gadget (computado, Tablet ou smartphone) não tenha que consumir mais Internet para obter os mesmo dados, em teoria ele serve para agilizar sua navegação. 
    Acontece que isso faz com que grave também o preço de um produto. 
    Sendo assim, sempre que for fazer uma compra na Internet, sugiro que entre em modo anônimo, assim você pega exatamente o preço do momento. 
     
    Quanto a questão da operadora do Cartão não autorizar, desconheço essa informação, acredito que caso aconteça seja outro motivo. 
     
    Uma informação importante na compra de passagens de avião que considero nas compras quando estamos em turmas, seria sempre comprar todas passagens juntas, pois as operadoras de aviação tem estatísticas e algoritmos que se prever lotar um voo. Você pode perceber que toda vez que compra um voo, logo após finalizar o preço sobe. 
    Isso acontece que a máquina entende que a demanda daquele voo subiu então ele pode cobrar pouco mais caro por isso e obter uma margem melhor. 
    O mesmo também acontece ao contrário, quando um voo está há alguns dias sem nenhuma venda, a máquina faz alguns ajustes para baixo para incentivar a venda. 
    Lógico que além disto, existe muitas ferramentas para perseguir aquele lead (nome dado há um consunidor na Internet). 
    Você já percebeu que quando digita no Google, Facebook ou outro local de busca um certo produto, rapidamente por onde navega começa a receber ofertas de lojas que vendem aquele produto? Isso serve para tudo, não somente produtos. 
    É digo mais, hoje o Facebook tem uma ferramenta que voce não precisa mais digitar a busca para ele te "seguir por onde for" basta você deixar o Facebook aberto e falar algo que seja relacionado a consumo (faça o teste de falar algo que ainda não tenha buscado, em poucas horas você estará recebendo ofertas). Lembrando que tudo isso nos aceitamos na política que privacidade para utilizar os aplicativos. 
     
    Hehehe quem disse que o futuro não chegou? Só não vemos carros voando ainda. 
     
    Espero ter ajudado
    Grande abs
     
  24. Thanks
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Astra-Taranis em Primeiro Bassboat   
    😘 opinião pessoal... Vc recolhe informações e emite a sua, cada um com a sua...
    Se o povo acha prático ter um barco q pesa 1 tonelada, precisa de carreta de 2 eixo, carro 4x4, motor de 200kg, encher 100litros de gasolina a $5 ao invés de uma canoa chata de 120kg com carretinha normal e usar 20litros de gasolina pra andar 5kmh a mais... Bom q seja... Pra mim não faz sentido.. 
    Bass pra mim tem q andar muito, senão tem opções melhores. Mais práticas. Mais simples. Mais baratas.. 
     
    Podem cacarejar o q for, contra décadas de experiência e física pura não tem piadinha q sobreponha:
    Fundo chato: estabilidade parado e navegação razoável
    Fundo em v ou redondo: estabilidade parado razoável navegação ótima.
    Qto mais peso o casco tiver: menos ele aderna e balança mas menos prático ele se torna...
     
    Não disse q bassboat eh uma bosta... Disse q tem se a velocidade não eh prioridade, tem opções tão boas ou melhores...
     
    Agora se vc quer ter um negócio bonito, diferenciado etc, não tem discussão.. alumínio eh pavoroso. Se vc quer ter algo q te leva e traz e vc fica em cima eqto pesca. Tem discussão.
     
    Pra mim não faz sentido um bassboat com motor menor q 150hp.. se for pra investir nisso, na minha opinião tem opções melhores. 
     
    Se for pra eu andar na terra, ando de Fusca, se for pra pegar uma rodovia Bandeirantes em horário de rush, prefiro uma suv, se a pista tiver livre prefiro uma Mercedes AMG...
    Pra cada parafuso uma ferramenta.
     
    Problema dos leitores de fórum eh achar q só há a opinião deles, só a visão deles presta e especialmente o que mais faz afastar usuários: só há uma opção de verdade e uma única resposta.. se não for a sua, bora meter o esculacho nos outros ...
     
    Eh por isso q o ftb virou essa decadência... Só sua carretilha presta, se seu barco eh não, só seu motor eh Phodis.. se não for, junta os de sempre pra azucrinar..
     
    Vai la Fabrício, monta mais 10 sub fóruns, se esforça e vai continuar com os mesmos posts com as mesmas pentelhacoes..
     
    Fica aí minha dica: há opções no mercado. Não existe só bassboat no mundo.  No Br bassboat eh o único barco com crescimento de mercado nos últimos 30 meses .. mas lá fora os bassboat já não atraem tanto assim, já tem gente q cansou de tanto investimento, peso, etc e percebeu q ser feliz com menos eh uma opção muito mais interessante .
     
    Aliás aqui no fórum isso ocorre vez ou outra, começa com 5m e 15hp, sobe pra 30hp, sobe pra 40hp parte pra lancha, bassboat etc... Fica enlouquecido, 3 anos depois e muitos reais a menos, tá lá o cara falando q voltou pras Canoas pq eh mais prático e simples..
     
    Mas eu sou fale, sou sei lá o q e bla bla bla..
     
    Blz.. fica aí com os fodoes da carretilha. 
    Tô me juntando ao time q cansou e foi ciscar em outros galinheiros.
     
    Daqui 6 meses te garanto q não terá um único post diferente e interessante, só os mesmos de sempre e as mesmas brigas de sempre...
     
    Abraços aí do fake q nunca viu P*** nenhuma mas tem mais posts e tópicos fixos com conteúdo de primeira q esses caras juntos...
     
  25. Haha
    Guilherme Oliveira Barion deu reputação a Armando Ito em Primeiro Bassboat   
    é no terrão .... vô de Fusca uai !!!!? ....  ..... uhuehuehehuehue
×
×
  • Criar Novo...