Ir para conteúdo
Elio Cioni

Fisgando grandes tucunarés com isca viva

Posts Recomendados

               Esta pescaria eu fiz  pela primeira vez no no rio Água Boa em Roraima, estávamos no segundo dia na hora do almoço, enquanto o Helinho, nosso piloteiro  preparava um tucunaré assado na beira da lagoa,  com intuito de diversão e brincar  sempre levo comigo uma vara telescópica  de 3m.

 

 Sendo assim fui pescar peixes pequenos tipo piau, sardinhas, acarás etc.  o Helinho vendo eu pegar  os peixes,  pediu que colocasse no viveiro do barco umas 6 iscas, coloquei  sem entender,  tendo em vista que nossa meta eram somente iscas artificiais.

 

Após o almoço começamos a pescar com iscas de hélice, o tamanho dos tucunas que pegávamos estava na faixa de 3 a 6 kgs. E por volta da 3:00 hs, sol a pino, o Helinho pediu para trocar o snap por um anzol 8/0, fomos para o meio da lagoa iscamos um piauzinho no anzol soltamos uns 30 m. de linha da carretilha sem fechar a mesma , só ficando com o dedo no carretel, e começamos a corricar com o motor elétrico no 1.

 

Na primeira pancada que tomei, o tucunaré, ele simplesmente disparou com a isca boca e tomou mais de 40 m. de linha,  fechei a carretilha e ferrei, começa a luta com os saltos fora da água, de início eu assustei que eu não imaginava que o tucunaré tinha esse desfecho de arrancada, caso você não ferrar ele toma toda linha da carretilha,  achei pura adrenalina e emocionante.

O que me impressionou também foi o tamanho dos tucunas que eu e meu parceiro pegamos, foram  6 iscas e 5 tucunarés entre  7 e 9 e ½, ficamos pasmos e contentes porque aprendemos uma nova modalidade de pescaria.

 

Daí 2 dias tentamos novamente o mesmo esquema, pegamos  2  tucunarés de 8 kgs e um paca de  6 kgs. , mas também descobrimos que as piranhas gostam de corrico e atacaram e exterminaram nossas iscas.

 

Eu como achei essa pescaria fora de série, aconselho a todos fazerem de vez em  quando, talvez tenha alguma resistência daqueles pescadores de iscas artificiais, puristas, que não admitam  o uso de qualquer situação que não seja iscas artificiais principalmente as de superfície.

 

Posso dizer que vale tentar que é muito bom! 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

isca artificial = tentativa de imitar uma natural.... na falta da natural ou na dificuldade de ter a todo momento ... vai a artificial heheh eh mais pratica, vc pode trocar facil etc. peixe grande é peixe experiente sabe das coisas, os maiores sabe o que querem.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Marcelo Terra, gostou do termo PURISTA.

Tenho alguns companheiros que na caixa de pesca não entra isca de meia água de jeito nenhum, só superficie.

Com relação a fotos inseri em galeria somente 4 fotos, depois não consegui mais, inclusive criei outros dois albuns e não consegui inseri fotos, por enquanto desisti delas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Acho válido ,pois pescar é uma lazer,terapia e sei lá mais quantas definições,e lendo o relato despertou a vontade de tentar aqui na represa de marimbondo esta técnica,depois posto o resultado,mas só estar pescando ou tentando,garanto que vai ser muito bom.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigos...acredito q cada um pesque da forma q quiser. Se o pescador se diverte com isca de fundo, meia água, superfície, lambari e etc...tá valendo.

Eu mesmo já pesquei com isca viva, mas em q situação?!?! 

Joguei a artificial e uma cachorrinha/bicudinha engatou...Coloquei uma garatéia no snap da vara reserva e mandei a bicudinha iscada pra trás...rsrsrs...Foi lindo ver a bicuda voando alto fugindo do tucunaré atacando por baixo...kkkkk...Agora, sair cedo pra pescar com um balde ou o viveiro cheio de iscas vivas (de traíra a jaraqui), pra mim, perde a finalidade. Perde a graça e o tipo de pescaria q gosto de fazer pra capturar tucunarés.

 

Há uma "crença", q é replicada na região, de que em rio onde o tucunaré aprende a atacar isca viva ele não pega mais na isca artificial. 
Itapará e um outro rio q não me lembro o nome agora, são exemplos de q a pesca com artificiais não vale mais a pena nestes locais, ou a de q a pesca com iscas naturais são muito mais produtivas.

Há vários relatos de pescadores q chegam a enxergar o peixe, jogam a isca artificial na cara dele e ele não pega.

 

::tudo::

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quando estive pescando no Piquiri, os tucunas de lá (a velha história do açude arrombado...) só aceitavam "tuviras" !  :choquei:

Nas artificiais de meia água ou fundo, só traíras e piranhas...  mau::

arrow:: Depois que prova do filé mingnon, não volta mais para carne de pescoço...  :gorfei:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu levo 2 anzois Gamakatsu na caixa. legal::

Mas nunca usei isca viva lá na AM,  mas foi por falta de oportunidade.

 

Penso como o chefe Biguá. Não fico me preocupando em pegar isca viva pra poder pescar.

Deixo rolar, se a natureza me oferecer , tudo bem.

 

Acho que lá todos buscam aproveitar o máximo possível.

 

Assim quem quer a emoção do peixe atacando uma hélice pode ficar só nisso, mesmo que não pegue muito. Tá valendo a pena pra ele!! alegre::

 

Eu quero é pegar o peixe e tirar foto, assim se o peixe só vier na isca viva, vou usar sem pestanejar.  ::fisherman

 

 

 

Mas fico imaginando caso um dia, alguém capture um record IGFA com isca viva. paia::

Qual não vai ser o tamanho da discussão. bomba2  bang::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Jeferson...deixa eu falar uma coisa pra vc. Não gosto de espichar este tipo de tópico/briga

Existe um ditado q diz o seguinte " O inimigo tem a força q vc dá pra ele".

 

Fora isso, só sou mestre em contar péssimas piadas...rsrsrs

 

Eu não tenho qualquer tipo de mágoa pelo Gusso, mas tb não tenho apreço algum por ele. Já pesquei com ele, já fui parceiro de canoa com ele, já conversamos demais sobre pescaria... Já pulei em cima de voadeira e sai por horas atrás de uma bolsa cheia de carretilhas top q ele havia esquecido misturado a malas de outros pescadores de outras empresas e etc. Te digo q a minha parte eu fiz.

E foi quando, sem mais nem menos, ELE chegou até a mim pedindo para excluí-lo do fórum. Alegou várias coisas (na visão dele), q na minha não tinha nada a ver. Ele me via como um "concorrente", ou com rival, sei lá pq ele viu isso...Tenho até hj guardado a solicitação dele (q não convém postar aqui)...mas vi q o considerava um amigo, mas do lado de lá não havia a mesma consideração.

 

Já tenho idade suficiente pra entender q ninguém consegue ser amigo de ninguém forçadamente...então, pronto. Cada um vive a sua vida, esquecendo q o outro existe. Afinal, ninguém merece viver sobre "olho gordo", "mandinga", "macumba" de ninguém...

 

O primeiro requisito para q alguém participe do fórum é o VOLUNTARIADO...

Pediu pra sair?!?!

Apago o cadastro e todas as mensagens juntas...assim, não corremos o risco de futuramente sermos cobrados por divulgação de material não autorizado. 

 

E olha, vou te falar uma coisa. Tenho quase 12 mil mensagens postadas aqui...Fundei o fórum, arrumei milhares de amigos...mas se amanhã eu der um piti e sair daqui....em 2 semanas ninguém mais lembra de mim...rsrs (pelo menos virtualmente). O fórum tem vida própria, o fórum anda sozinho...O q quero dizer com isso...Que ninguém é mais importante q ninguém.

Estranho vc tomar as dores dele sobre o vídeo postado na Caterva e aqui. Foi exatamente a mesma coisa q ele alegou quando meu tópico teve mais acesso q dele.

Oras, como controlar isso?!?! 

Até o número de acessos vc quer controlar das pessoas?!?!  blink::  blink::  blink::

Fica até parecendo aquelas brigas de meninos pra ver quem tem o pirú maior?!?!  :gorfei:

Cada um ve o q que, uai.

 

Então...respeito a sua opinião sobre o comentário infeliz do Rodrigo...e digo mais, não concordamos com este tipo de provocação. Deixa q me entenderei com ele... mau::

Já chamei a atenção do Rodrigo sobre isso...e espero q ele entenda q ele tem muito mais a agregar q o contrário.

 

O mesmo digo a vc...

Não compre esta briga....Toda história tem 3 versões....e vc sabe apenas um destas versões.

Pra quem nunca foi pra Amazônia, até q vc conhece muito pra saber detalhes do Macu Ponta até o Colombiano....os lagos preferidos do Lance no Jurubaixi.

Mas como disse, não vamos esticar essa conversa q certamente não trará bons frutos.

 

Vc chegou agora no fórum e já arrumou confusão com o Flávio/Daniel, já está querendo arrumar outra criando este tópico chamando o Rodrigo pro confronto....Peço-lhe encarecidamente...não entre por este caminho. O fórum não é assim. Todos aqui são amigos, querem aprender, querem rir, querem conhecer...Deixe pro Gusso se defender sozinho, ele já é bem grandinho e sabe se virar sozinho. Ele está lá na Caterva....deixe ele ser feliz lá.

 

O texto postado por vc no outro tópico com o Gusso dizendo "q nunca mais volto lá", apenas atrapalha a vida dele. Depois eu bato a porta na cara dele e jogo a culpa em vc.

Como meu pai disse no tópico, o Gusso já tem muito problema na vida dele....não arrume mais um pra ele.

 

No mais, seja lá quem vc for, aproveite o q o nosso fórum tem de bom. De ruim, aos poucos vamos mandando pra outros fóruns... ::tudo::

 

Abração...

 

 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Rodrigo, a IGFA não possui regra contra a isca viva. O recorde do black bass, o mais icônico dos EUA, durou mais de 50 anos, 70 eu acho (preguiça de consultar), e foi igualado (batido por pouco) por uma captura no Japão com isca viva.  E registrou-se o feito.

 

Eu levo 2 anzois Gamakatsu na caixa. legal::

Mas nunca usei isca viva lá na AM,  mas foi por falta de oportunidade.

 

Penso como o chefe Biguá. Não fico me preocupando em pegar isca viva pra poder pescar.

Deixo rolar, se a natureza me oferecer , tudo bem.

 

Acho que lá todos buscam aproveitar o máximo possível.

 

Assim quem quer a emoção do peixe atacando uma hélice pode ficar só nisso, mesmo que não pegue muito. Tá valendo a pena pra ele!! alegre::

 

Eu quero é pegar o peixe e tirar foto, assim se o peixe só vier na isca viva, vou usar sem pestanejar.  ::fisherman

 

 

 

Mas fico imaginando caso um dia, alguém capture um record IGFA com isca viva. paia::

Qual não vai ser o tamanho da discussão. bomba2  bang::

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Rodrigo, a IGFA não possui regra contra a isca viva. O recorde do black bass, o mais icônico dos EUA, durou mais de 50 anos, 70 eu acho (preguiça de consultar), e foi igualado (batido por pouco) por uma captura no Japão com isca viva.  E registrou-se o feito.

 

 

Sim Michel.  ::tudo::

 

Eu quis dizer que isso pode gerar uma discussão tremenda com gente defendendo e outros não dando legitimidade por achar que é injusto.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muitos recordes IGFA são com isca viva, é só procurar. Pena que não tem a estatística, fiquei curioso em saber quantos %.

 

Também aprendi a aproveitar os peixes-cachorro em anzóis grandes lá pra trás do barco, de vez em quando entra um açu. O meu maior fisgado assim deu 6 kg.

 

Mais um pouco e não vamos poder escolher nem a própria mulher. Se forem escolher por mim, pelo menos me arrumem uma que seja pescadora, por favor.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

delfinopolis só pega com isca viva... tentamos 2 tipos de superficie e 1 tipo de meia agua.... 1 dia inteiro arremessando e nada de fisgada... nada nada nada MESMO. conversando com o pessoal da regiao todos disseram que só com camaraozinho ou lambari.. o resto esquece.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Prezados  amigos e pescadores, gostaria de esclarecer como dito no meu Post, que esta pescaria foi feita por um acaso e a título de experiência, em pescaria eu tento de tudo sempre em busca de emoção e a emoção está numa batida de um grande tucunaré em uma isca de superficie zarando ou numa hélice.

 

Eu sou fanático por iscas artificiais, provavelmente devo ter umas 300 iscas, não sei o nome de muitas, quando vou pescar eu escolho as iscas, tipo esta já fisguei muitos tucunarés, esta já figuei mais ou menos, esta já figuei poucos tucunarés.

 

Concordo com o Fabrício, estive Itapará e lá os grandes tucunarés só entram em iscas vivas, voce entra no barco e o piloteiro já sugere comprar 2 dúzias de pacuzinhos para otimizar a pescaria de tucunarés, é um lugar que nunca mais volto.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não vejo problema em usar isca viva, mas que use, do meu ponto de vista, da forma correta. Comecei a pesca tucunaré em 1997 em Presidente Barreto e presenciei durante anos a mudança de hábito do tucunaré da região. Desde começo os tucunarés pegavam na isca artificial quase sempre, mais como era de costume da região sempre se levava lamabari vivo pra pescaria e sempre que o peixe rebojar da-lhe lambari, nem se pensava em jogar uma isca de meia água (Costume da região). O que percebi ao longo dos anos é que o peixe já não pegava na artificial, mais só rebojava e espera o lamabari, pegava alguns ainda na artificial, mais acabou se tornando mais dificil.

Não está errado usar isca viva, desde que não se crie um vício no peixe. Muitas pessoas inclusive meu pai não conseguem pescar o dia inteiro na artificial e se surgir uma isca viva porque não facilitar a vida deles, que seja só algumas vezes na pescaria. Mais que seja soltando a isca atrás do barco, para que não ocorra o que expliquei ai em cima.

Obs.:Não sei se está está correta minha teoria, mais o que presenciei nas minhas pescarias.
 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Aqui na represa Jurumirim, no verão os tucunas atacam as artificiais sem dó, em outras épocas até entra um ou outro, mas é muito difícil. Tem dia que não estão nem aí para as artificiais, daí somente na isca viva, que só não funciona quando tá muito frio. Claro que muitos fatores contribuem, pressão atmosférica, temperatura da água, temperatura do ar, vento, etc.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu vou mais na opinião do Daniel.

 

Depende da época, pois é o que eu vejo aqui também. Já pesquei em todos os meses, com chuva, Sol, Lua, etc...

Tem época que o peixe ataca até a sombra, e outras em que nem no lambari ele pega.

 

Eu acho que a discussão se inicia a partir do seguinte pressuposto: " A regra é que o tucunare se alimenta de peixe vivo."

 

O tucunare atacar uma isca artificial é o engodo que usamos para tentar uma reação diferente do peixe. E isso por si só tem chances muito menores de sucesso, porque a isca artificial não tem cheiro de comida e nem a mesma vibração.

 

Não acredito que em lugares que se use muito a isca viva (alimento natural), o tucunare não ataque mais os plugs. 

Também fica fácil presumir que o peixe não entra mais na isca artificial se em todo rebojo se joga uma isca viva.

 

Não são raros os relatos de colegas nossos que após um rebojo na isca , insistiram com vários arremessos até que o Açu atacasse novamente.

Acredito que dependendo da época só a isca viva pode ter sucesso, mas para o Tucunare , que é um peixe agressivo e territorialista, a isca certa e a persistencia  é que fazem a diferença , na maioria das vezes.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×